PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

sábado, 3 de setembro de 2016

AnáliseMorte: The Legend of Zelda - Twilight Princess - Entenda TP.

Depois de tantos anos sem postar nada novo, finalmente chegou a hora:

The Legend of Zelda - Twilight Princess


Eu demorei, muito, pois esse jogo é bem maior do que eu me lembrava, mas é bom, interessante, e é um dos mais importantes da franquia.

Então, segue a análise.

Antes preciso avisar que o conteúdo é baseado em Interpretação, Teorização e Spoiler. Esses elementos podem não agradar a todos então, pense bem antes de ler.

Boa leitura.


"Twilight Princess" (TP) é um dos jogos originalmente exclusivo de Game Cube, que quebrou a exclusividade ganhando uma versão pra Wii e também para WiiU. Curiosamente, muito curiosamente, a versão de Wii é completamente inversa a de GC.


Repare que os gráficos são melhores no Wii, com taxa de proporção diferente.
Na versão de Wii, a jogabilidade é adaptada para os controles de Wii (WiiMote e Nunchuck) logo, uma característica de link acaba mudando: Ele precisa ser Destro.



Link era caracteristicamente Canhoto, porém, como boa parte dos jogadores é destro, na versão de Wii (em que o WiiMote deve ser movido como uma espada para realizar os ataques) tiveram que adaptar o jogo pra que link fosse Destro... A solução foi simplesmente inverter todo o jogo (exceto diálogos) e fazer pequenas adaptações... com isso link se tornou Destro, pois o mundo se adaptou a ele.



Solução essa no mínimo esquisita pois também há jogadores de Zelda canhotos, e não faz o menor sentido mudar uma característica do personagem para que os jogadores se sintam mais "confortáveis" ao jogar... claro que seguindo aquela lógica de que "link é a personificação do jogador" faz sentido deixar o personagem o mais parecido com o jogador possível... mas com tantas alterações em jogabilidade, em menu (repare que o menu é bem diferente e adaptado aos controles de seus respectivos consoles), apenas pegar o jogo inteiro e inverter é uma solução bem estúpida. Sem contar que, podia haver a simples alteração do "sprite" do personagem, ou ao menos uma seleção de opção para Destros ou Canhotos (depois desse Zelda, essa opção foi criada nos outros jogos)... mas beleza.

O jogo real é o de GC, pois ele é o original. Mas, confesso que a jogabilidade do Wii flui muito melhor, e é bem mais realista do que a de GC. Só que a experiência de ver tudo invertido é bem estranha.

Bem, a jogabilidade segue os padrões dos Zeldas anteriores, lembrando muito Zelda Ocarina of Time, e de fato ele é uma continuação de OoT, como Zelda Majora's Mask e Zelda Wind Waker... sim, os 3 são continuações diretas de Ocarina of Time... mas eu vou explicar isso só no final.

No GC, usa-se os analógicos pra mover a mira e andar, e os botões A pra Rolar, Subir, Escalar, Pendurar ou pegar objetos; B para atacar (com a espada) ou Pular (quando sincronizado com o botão de mira); C para Mirar; Y e X para usar armas Secundárias; Z para falar com Midna (o parceiro de link nessa aventura); os Direcionais para Abrir o Mapa ou a janela de Itens.



Na janela de Itens, da pra escolher quais itens usar no Y e/ou X, usando o Analógico pra selecionar e o respectivo botão que ativará o item.

No Wii, usa-se o WiiMote pra atacar (balançando ele); A para rolar, pegar objetos e etc; Nunchuck pra andar; Z pra mirar; Direcionais pra selecionar os itens; E na visão de primeira pessoa, o WiiMote é a Mira, o que é bem mais preciso do que o analógico do GC.

Tirando isso, e o fato de ser tudo invertido, a jogabilidade é exatamente a mesma, pois nada no enredo, missões ou dificuldade muda de versão pra versão.


História

A história de TP começa em uma cidade fora de Hyrule, onde o protagonista é apenas uma pessoa comum, vivendo de forma comum. Só que um dia, justamente no dia em que ele iria pra Hyrule, algo ruim acontece e ele vai parar em uma outra dimensão, onde se transforma em um Lobo. Daí por diante, o personagem busca uma forma de recuperar sua forma real, e voltar a ser um humano, o que começa a leva-lo a outros objetivos, cada vez maiores, que no fim levam prum desfecho realmente importante: Salvar Hyrule.

É claro que a história vai muito além dessa mera sinopse, pois cada coisinha tem um enorme significado não apenas nesse enredo, mas em toda a franquia. Pra explicar, eu preciso falar dos personagens pois acredito que a melhor forma de descrever os elementos de Zelda seja falando dos personagens e o quão são impactantes na trama.

Começando, é claro, por link.



Link (você escolhe o nome, como sempre) é um morador de uma pequena e pacata vila chamada "Ordon". Ele tem uma égua, chamada "Epona" (mas você pode renomeá-la se quiser) e uma casa na árvore.



Apesar dele residir nas Províncias de Ordon, ele não mora exatamente em Ordon (sua casa fica próximo, porém fora da vila) e ele também não é um "Ordoniano", pois é o único que possui Orelhas Pontudas, característica essa natural do povo de Hyrule, os Hylians. O termo "Ordoniano" não é usado no jogo, na verdade todos se chamam de "Humanos", inclusive o próprio povo de Hyrule, o que pode deixar as coisas um pouquinho confusas.



A raça Hylian original praticamente não existe mais. Todos são híbridos, e apesar das características do povo de Hyrule continuarem seguindo a forma original dos hylians, o próprio povo se considera Humano... os Hylians são vistos como uma raça ancestral, mais próxima dos deuses. O que tudo isso tem haver com link? Bem, ele é o único cara de orelhas pontudas em Ordon, não tem mãe, nem pai, nem parentes e parece viver sozinho, apesar de se familiarizar com todos da vila (que são poucas pessoas). Resumindo, nesse jogo, todo mundo é humano (exceto as outras raças que citarei mais a frente), mas link não é o mesmo tipo de humano que os demais de Ordon... e isso fica por isso mesmo, pois ninguém nem se quer cita isso. 



Ordon fica ao sul da Floresta de Faron, floresta essa que beira a fronteira de Hyrule, ou seja, Ordon fica fora do mapa de Hyrule... lembra aquela floresta onde link vive em Ocarina of Time? É ao sul dela.



Bem, link tem cabeços castanhos claros (não é loiro como de costume), e é um dos escolhidos da Coragem (uma das três partes da Triforce) o que faz dele um dos sucessores ao Herói Lendário. Alias, essa história se passa após os eventos de Ocarina of Time, na realidade proveniente da Triforce da Sabedoria, partindo do final em que Zelda fica para reinar no Futuro, enquanto link volta pro Passado. Eu vou explicar isso de forma muito detalhada no final... então não se preocupe, você entenderá. 



Muito tempo depois de Ocarina of Time, tempo suficiente para esquecerem o nome do Herói Lendário, dos Sábios e do Grande Mal que assolou a terra de Hyrule por anos, o mundo havia encontrado "paz". Na verdade, provavelmente após o fim de Ganondorf em OoT, ocorreram guerras contra outras criaturas e muitos no reino de Hyrule morreram (existem muitas evidências disso em TP). O tempo em que TP ocorre é posterior aos tempos de Guerra, mas já no começo de um novo problema: Hyrule estava sendo transformada num reino das trevas.



Cabe a link salvar Hyrule, mas só depois de salvar a si mesmo. Os males de Hyrule chegam às terras de Ordon, que é consumida pelas trevas pouco a pouco e várias criaturas de Ganon invadem as florestas. Uma maldição de Ganon que transformava todos que eram tocados pelas trevas em Espíritos de Luz começa a se espalhar pela Floresta de Faron, porém, antes de chegar à vila, link é tocado. Com isso, ao invés dele sofrer com a maldição e se tornar um inofensivo espírito, a Coragem ressoa em sua mão e ele se transforma em um Lobo Negro.




Explicando isso: 

Todo "The Legend of Zelda" tem uma história que de alguma forma remete a duas ou mais realidades, sejam físicas, temporais ou quânticas. Além disso, todo Zelda tem um Elemento Principal, um foco, ligado aos personagens, eventos e até mesmo às armas. Em TP, o foco se divide entre duas coisas: Mundo das Sombras e Animais.

Este é o Zelda com maior variedade de fauna, com direito a todo tipo de bicho, desde a insetos pequenininhos porém dourados...




Até Espíritos Sagrados de Animais Gigantes...



Sem contar os Gatos, Patos, Cães, Pássaros, Sapos, Macacos e por ai vai.



Link se transforma em Lobo, para combinar com esse foco do jogo: Animais. Curiosamente, na forma de animal, link é temido pelos humanos, associado constantemente a "Monstros", justamente pelos Lobos serem considerados monstros nesse universo.



Entretanto, os animais não o temem, pois conhecem a natureza dele, e até é possível dialogar com eles (exceto os peixes, peixes são a escória do mundo dos animais. Exemplo disso: Jabu Jabu, o deus das águas que abandonou seu povo... covardão...)



O importante mesmo ta no fato de link se transformar justamente em um Lobo, não num Gato (suas peripécias combinam mais com gatinhos), num Falcão (seus olhos astutos e mira perfeita se identificam muito melhor com esse bicho), num Papagaio (sua habilidade de proferir e discursar se assemelha a dessa criatura... ele fala pelos cotovelos... kkk) ou num Coelho Rosa...


Pra explicar isso, é preciso conhecer o real efeito do Mundo das Sombras, tal qual não é revelado em TP, mas sim em "A link to the Past". Não é a primeira vez alias, que o Mundo das Sombras é um foco do jogo. Em "A link to the Past", o terceiro jogo da franquia, link precisa intercalar entre o Mundo Normal e o Mundo das Sombras, onde o Mundo das Sombras tem como principal efeito a Inversão das Coisas, com relação ao Mundo Normal.



Em TP isso não acontece, e quando o Mundo das Sombras é acessado, é apenas uma amostra do verdadeiro Mundo das Sombras. Na verdade, a Maldição de Ganon sobrepujou a Física das Sombras, e ao invés das coisas se inverterem, elas apenas são absorvidas pelas sombras. Logo, é possível ver várias partículas de sombras subindo sem parar, como se tudo tivesse sendo desmanchado, e também todos que habitam o mundo da Luz perdem sua matéria, virando mera energia (espíritos de luz).



Aqueles que já habitam no mundo das sombras, são atingidos pelo efeito da transformação, mas de uma forma diferente, se distorcendo e se transformando em criaturas fundidas às trevas. Isso também acontece com as Criaturas de Ganon, já que são originais do mesmo tipo de magia... no caso delas alias, elas ficam ainda mais fortes quando fundidas às trevas.

Então, porque link é (aparentemente) o único que não é afetado pela física do Mundo das Sombras ou pela Magia das Trevas?! Bem, ele é afetado sim... pela física do Mundo das Sombras apenas.



Diferente de todos os outros personagens, somente link é afetado pela "Transformação Inversa", comum quando um ser do mundo da luz entra no mundo das sombras. Nesse caso, ele assume seu "eu interior", um destemido e corajoso Lobo Negro.



A Triforce da Coragem o protege da Maldição das Trevas criada por Ganon, e permite que ele seja afetado normalmente pela Física do Mundo das Sombras, se convertendo em seu "eu interior", que dessa vez é útil, diferente do que ocorre em "A link to the Past", onde o "eu interior" de link era um Inocente e Vulnerável Coelho cor de Rosa.



Diferente da história de "A link to the Past", apesar de descobrir como parar de se transformar em animal, ele percebe muitas vantagens. Como lobo, link fica mais rápido, tem um Sentido Animal que permite ver coisas escondidas e até Espíritos e Fantasmas. Ele também pode Cavar, o que ajuda a encontrar objetos e até cavernas, e consegue Farejar, habilidade essa que o ajuda praticamente o tempo inteiro a localizar pessoas desaparecidas e avançar na aventura. O lobo, além de tudo isso, ainda consegue Atacar, de forma mais fraca do que a Espada, mas bem mais efetiva, conseguindo até mesmo acertar Fantasmas (algo que na forma humana é impossível) e morder criaturas, chegando até a se pendurar e dar várias mordidas seguidas...



Como Coelho Rosa, link só podia andar. Nem mesmo sua espada ele conseguia usar. Logo, quando em "A link to the Past" ele encontra uma forma de não se transformar, isso vira uma verdadeira benção...

Bem, o outro foco do jogo é o Mundo das Sombras, e o aliado de link é um dos habitantes de tal mundo. Uma mocinha, das sombras, que fica escondida em sua sombra...

Midna



Essa é uma criatura estranha, aparentemente imaterial, que consegue atravessar ou agarrar coisas, sabe voar, mesmo não tendo asas, e tem o poder de teletransportar, e teletransportar coisas e pessoas. Ela também tem um cabelo que vira mão e se estica e é bem poderoso, e no final, ela libera um poder de se transformar que a deixa extremamente poderosa. Midna quem ajuda link quando ele é capturado, logo depois dele ser transformado em Lobo.



Link é levado pra uma prisão no Castelo de Hyrule, onde é acorrentado e graças a Midna, se solta. A corrente alias vira seu acessório, sem nenhuma utilidade além de fazer barulhinho, mas bem irada. Enfim, Midna cavalga em link enquanto ele fica em forma de Lobo, e na forma humana ela se esconde na sombra dele.



Há momentos no jogo em que link vira Lobo no Mundo Normal mesmo, pois a Maldição de Ganon havia corrompido até mesmo o Efeito Natural do Mundo das Sombras (como o que acontece em suas criaturas) criando um tipo de "Mundo do Crepúsculo". Pois bem, nessas partes, Midna permanece escondida na Sombra de link, mas da pra ver a sombra dela montada em cima da sombra dele... é irado.



Pois bem, Midna orienta link e o apresenta pra Princesa Zelda, que estava presa numa torre do Castelo, isolada e solitária. Ambas, Midna e Zelda, batem um papo como se já se conhecessem. mas na verdade, Midna era um enorme mistério. Suas intenções não eram claras, sua identidade não era clara, tudo que se sabia era que ela era contra o percursor da bagunça toda, um tal de Zant, que ela menciona o tempo inteiro, mas que não chega nem a aparecer... no começo.



Bem, Midna oferece ajuda para link voltar a sua forma humana, orientando ele a se equipar com armas humanas (espada e escudo) e o direciona aos Espíritos de Luz de seu mundo. Quando link encontra o primeiro espírito, ele explica o que ta acontecendo e o pede para ajudar a recuperar a luz dos outros Espíritos, para que assim o Crepúsculo sumisse na região e o libertasse da maldição, devolvendo sua aparência humana.



Link vai até Faron e ajuda o segundo Espírito da Luz a recuperar sua luz e libertar a região de Faron do Crepúsculo e com isso, a promessa do Espírito de Ordon se torna realidade e link assume sua forma humana... só que com uma roupa diferente.



Vestido como herói, link começa a enfrentar alguns Templos, o primeiro sendo o da floresta, por causa de uns macacos... bem, ao derrotar o chefão do templo, um Fragmento de Sombra Fundida (um tipo de Máscara de Pedra) cai do inimigo e Midna o recolhe, dizendo que era isso que ela queria encontrar, mas que faltavam mais dois fragmentos.



A partir daí, Midna e link se unem, com objetivos em comum: Link precisava encontrar e libertar os outros 2 Espíritos de Luz para recuperar sua forma humana permanentemente, e Midna precisava dos Fragmentos de Sombra Fundida. Consequentemente, fazendo todos os pré requisitos pra alcançarem seus objetivos, o Crepúsculo sumiria.



Aliás, o Crepúsculo era a condição que assolou todo o reino de Hyrule, entre dia e noite, entre Luz e Sombra, uma camada nova de realidade, alaranjada e toda amaldiçoada, havia se formado por todo o reino. Luz e Sombra fundidas, criaram esse "novo mundo". Pois bem, Midna e Zelda eram, ao mesmo tempo, princesas desse mundo: Princesas do Crepúsculo (Twilight Princess).



Sim, Midna era uma princesa, a Princesa do Mundo das Sombras, mas como ela mesma diz "Mundo das Sombras não soa legal então chamemos de Mundo do Crepúsculo". Na real, o Mundo do Crepúsculo seria o resultado da união entre Mundo das Sombras e Mundo da Luz, algo que ocorreu por causa de um dos habitantes do Mundo das Sombras, que usurpou o Trono de Midna e usou poderes malignos e desconhecidos para romper a barreira entre os dois mundos e assim, fundi-los. Tudo porém virou uma bagunça, pois surgiu aquela maldição onde as Sombras consumiam a Luz...



A princesa do Mundo das Sombras, havia sido amaldiçoada, bem como todos os demais habitantes desse outro mundo, e transformada nessa criaturazinha...



Depois que Midna recupera todos os Fragmentos, ela liberta um poder ancestral de seu povo, e tenta usa-lo para destruir Zant. Mas, Zant (que finalmente aparece) debocha de Midna, e mostra seu verdadeiro poder, superior a qualquer poder encontrado nas Sombras ou na Luz, ferindo gravemente Midna (absorvendo praticamente toda sua energia vital) e amaldiçoando link permanentemente como um lobo (enfiando um tipo de cristal na cabeça dele).



Ai tem uma correria, link leva Midna até o castelo de Hyrule para pedir ajuda a Zelda, e quando eles chegam, Zelda se sacrifica para salvar Midna. A coisa fica bem mais séria nesse momento, e Zelda só abre mão de sua energia vital pois percebe que Midna tinha boas intenções, quando ela menciona o Espelho do Crepúsculo.



Esse espelho, se torna o novo objetivo de Midna. Foi por causa dele que os dois mundos haviam se unido, e seria através dele que os mundos se separariam novamente. O espelho tem vários significado alias, mas falarei dele depois.



Bem, Midna tem uma personalidade engraçada, ela é bravinha e bem mandona, não leva as coisas muito a sério (no começo) e finge não ligar pra nada. Porém, ela só é muito forte, e acredita que a melhor forma de lidar com os problemas é fingindo não se importar... mas ela se importa, e suas ações e atitudes são percebidas por link e Zelda, principalmente no final do jogo. Midna alias, é a versão inversa da Princesa Zelda.

Princesa Zelda



A Princesa que da nome ao jogo aparece pouco, e sempre com um ar bem misterioso. Tecnicamente ela só aparece 3 vezes: no começo, no meio e no fim do jogo... e acredite se quiser, essa é a Realidade da Sabedoria, o universo criado unica e exclusivamente para a Princesa Zelda.



No começo, Zelda aparece encapuzada, mas Midna faz questão de revelar sua identidade, sem fazer a menor cerimônia. Zelda é sábia, e prefere apenas observar e apesar do reino inteiro estar mergulhado no Crepúsculo, a cidadela de Hyrule permanecia intacta, comercialmente ativa e cheia de pessoas (eles nem percebem que viraram espíritos). Isso se deve ao fato de Zelda ter se rendido pacificamente à Zant quando ele ameaçou matar todo mundo. Ela fez a escolha mais sábia, porém se auto condenou a uma vida isolada no castelo.



Zelda conta essa história pra Midna e link, e ela tenta entender Midna no primeiro encontro, o que não ocorre. Mas, na segunda vez que Zelda aparece, ainda em sua torre, ela estava ferida e precisando de ajuda...



Quando link leva Midna até Zelda, Midna pede pra que Zelda liberte link da maldição de Zant, o que ela tenta fazer mas não consegue (é nesse momento em que Zelda expõem sua Triforce). Daí, Zelda percebe a bondade em Midna e a salva, abrindo mão de sua própria vida (aparentemente, Zelda transfere sua luz para Midna, que a absorve e recupera suas energias, mas isso faz seu corpo desaparecer.) Antes de desaparecer, Zelda diz pra link que a única forma de vencer a maldição seria empunhando a Espada Sagrada, visto que Luz e Sombra sempre encontram um meio de se equilibrar e a Espada, representante da Luz, baniria facilmente todo o poder maligno dentro de link.



Alias, a Master Sword é a melhor espada do jogo, obtida quando link visita o Templo do Tempo, o mesmo Templo do Tempo de Ocarina of Time, porém em ruínas, e fora do castelo de Hyrule (o templo é encontrado na Floresta de Faron, muito longe de seu lugar original em OoT). A Espada Mestra, assim que link chega perto, o liberta da maldição e extrai o cristal de Zant, tal qual Midna guarda. Link retira a espada do pedestal e passa a utiliza-la.



E de quebra, Midna vê vantagem no Cristal de Zant, e oferece a transformação de Lobo sempre que link desejar... ou seja, se torna possível transformar a hora que quiser.



Bem, com o sumiço de Zelda, o Castelo de Hyrule é isolado por uma pirâmide dourada, o que impossibilita que qualquer um entre ou saia do castelo.



Não fica exatamente claro quem ou o que gerou essa piramide de energia... mas Midna já chega na ignorância destruindo tudo em sua forma bizarra depois de conseguir todas as peças da Máscara de Pedra.



No final, Zelda aparece desacordada, presa pelo verdadeiro vilão, e depois, ela é manipulada por ele, usada como um fantoche e link é obrigado a enfrentar a própria princesa Zelda.



Mas depois disso, Zelda se recupera, Midna devolve sua energia e ela ajuda link a derrotar o grande mal. Alias, Zelda realmente ajuda, invocando Flechas de Luz, que ela mesma utiliza pra acertar o grande vilão... e ela tem uma mira muito boa.


Bem, agora que chega a parte complicada, pois a história conceitual é essa citada acima, onde link, Zelda e Midna contracenam, porém, há muitos detalhes e fatos importantíssimos, que são paralelos a trama principal. Pra explica-los, será necessário falar de todos os personagens do jogo (os importantes, é claro) e são muitos... muitos mesmo. A história do jogo pode ser dividida em 3 partes:

"A Busca Pela Máscara de Pedra das Trevas"



Nessa parte, ocorrem as transformações limitadas de link, e é o período em que ele faz de tudo para se livrar da maldição de se tornar um lobo. Paralelo a isso, Midna recolhe os Fragmentos da Sombra Fundida. Também, os Espíritos de Luz são apresentados, e a verdadeira natureza dos fragmentos da sombra é revelada, mostrando de forma bem clara que não é algo bom. Também, nessa parte da história, o Crepúsculo é "banido" e de certa forma, Hyrule é restaurada. Seria possível concluir a história do jogo nessa parte, mas novos problemas surgem, Zant mostra a cara, ferra com link amaldiçoando ele permanentemente como lobo e o verdadeiro mal aparece.

"A Busca Pelo Espelho do Crepúsculo"



Depois de conquistar a Master Sword pra se livrar da maldição de Zant e de quebra, ganhar o poder de transformação ilimitada, link vai até o local onde o Espelho do Crepúsculo ficava, e la, descobre que o espelho foi dividido em 4 partes. Ele também conhece os Sábios do Passado, a história deles e a ligação com o Espelho. Daí, cabe a link buscar pelos fragmentos pra assim, ajudar Midna a derrotar Zant, e salvar o Mundo das Sombras. Nessa parte, link expande seus horizontes, acessando regiões mais "ancestrais". 

"A Batalha Final"



Eis a parte final, depois que link restaura o Espelho do Crepúsculo e consegue descobrir o paradeiro de Zant, derrotando-o, o verdadeiro vilão aparece e link, Midna e Zelda precisam se juntar para enfrenta-lo. Nessa parte da história, tudo se concluí, Midna tem sua identidade revelada e controla o poder supremo da Máscara das Trevas, e no fim, o Espelho é Destruído permanentemente, destruindo o Mundo do Crepúsculo e dividindo pra sempre o Mundo das Sombras e o Mundo da Luz.

Então, acredito que a melhor forma de falar dos personagens dessa vez, seja falando da história em detalhes. Então, segue a história, devidamente separada e explicada.

A Busca Pela Máscara de Pedra das Trevas



Os Espíritos da Luz




Os primeiros personagens importantes da primeira parte são os Espíritos da Luz. Eles são criaturas antigas, feitas de luz, que tomam a forma de animais. Nenhum deles estava completo, e a luz deles havia sido sugada por criaturas das trevas na forma de Insetos Gigantes, que link precisa rastrear e destruir (algo que ele só consegue na forma de lobo). A cada Espírito restaurado, link purifica a região dele, e consegue voltar a forma humana, apenas nesse território. Logo, para que link assumisse a forma humana permanentemente, ele precisaria encontrar e ajudar todos os 4 Espíritos da Luz. A jornada é longa, e a cada espírito restaurado, uma área nova é liberada e um dos templos também... então, o jogo no inicio funciona dessa forma: Link lobo salva o espírito e vira link humano, link humano passa pelo templo e vira lobo de novo.

Ordon - Região de Ordona

Como mencionei, a primeira região do jogo é Ordon. Link precisa fazer várias coisas e interagir com vários personagens, desde os moradores até os animais. Ele precisa obter itens como a Vara de Pescar, Espada de Madeira, Espada Normal, Escudo de Madeira, Estilingue e só então ele pode sair da região de Ordon. Entretanto, a saída é bloqueada pelo Crepúsculo, e link é aconselhado pelo Espírito de Luz de Ordon: Ordona.




O Espírito de Ordon é um tipo de Cervo Gigante que aparece numa Fonte Sagrada no Bosque de Ordon, tal qual explica porque os espíritos sagrados estão enfraquecidos e pede pra link recuperar a luz deles, caçando Insetos Gigantes das Trevas. 

Floresta de Faron - Região de Faron


Na floresta, link ajuda algumas crianças a escaparem das garras de monstros, isso antes mesmo de ganhar sua roupa de herói. Na real, Faron e Ordon são interligadas, porém são regiões diferentes, cada uma com direito a seu Espírito Sagrado próprio. Mas, antes do Crepúsculo chegar a Faron, já haviam monstros e criaturas estranhas causando problemas, e link enfrenta algumas delas. 



Depois disso, o Crepúsculo chega e força link a se transformar em lobo... depois de passar por Ordon, conseguir uma Espada e um Escudo e encontrar o primeiro Espírito da Luz, link vai para Faron, e la, ajuda o segundo Espírito da Luz, em mais uma Fonte Sagrada. Depois de ajuda-lo a recuperar sua luz, o espírito ilumina a Floresta de Faron e assim, livra ela do Crepúsculo e link de sua forma de lobo, mas, um Templo permanece amaldiçoado, onde Macacos suplicavam por ajuda... mas falo disso depois.

Vila Kakariko - Região de Eldin


Depois de livrar a floresta do Crepúsculo de vez, ajudar os Espíritos da Luz e por fim, vencer o primeiro Templo, link vai para os Campos de Hyrule, rumo a primeira cidade mais próxima. Na real, as crianças que link havia salvado são capturadas por monstros e ele vai em busca delas (usando o poder do Faro Aguçado).



Com isso, link é levado até a Vila Kakariko, uma vila próxima ao Castelo de Hyrule (que também existe em OoT), la ele encontra as crianças (exceto uma), transformadas em Espíritos, pois todos estavam presos no Crepúsculo. Então, ao ajudar o Espírito da Luz da região, em mais uma Fonte Sagrada, link libera todos do Crepúsculo.



Alias, quando as pessoas ficam presas no Crepúsculo, elas permanecem vivas, e se sentem vivas, mas na verdade elas se convertem em meros espíritos. Link pode ver os espíritos como Lobo, é assim que ele sabe quem é quem, mas os espíritos não podem vê-lo. 



Pois bem, com Kakariko livre, seus habitante seguros e link na forma humana de novo, ele recebe um pedido de ajuda do líder da tribo, que diz que os Gorons, um povo antes pacífico, estava agressivo e isolado com todos da vila. 



Daí, link vai até a Montanha da Morte, conhece o povo Goron e acessa mais um templo... mas falo disso depois.  

Lago Hylia - Região de Lanayru

O quarto e último Espírito da Luz é encontrado numa Fonte Sagrada no Lago Hylia, num ponto religioso do lago, que recebia visitas e orações constantemente. Pois bem, link ajuda o Espírito a recuperar sua forma, um enorme Dragão de Luz, e com isso, link também recupera sua forma, definitivamente. 



Mas, o grande Espírito da Luz mete terror em link, ao descobrir que ele estava em busca dos Fragmentos da Sombra Fundida... ele conta a verdade sobre a máscara... e é assustador.



Ele diz que a muito tempo, pra impedir que as pessoas erradas se apossassem do poder do Reino Sagrado, as deusas enviaram os Espíritos Sagrados, que selaram tal poder em um Artefato Mágico.



Esse artefato é a tal Máscara de Pedra. Mas na forma como ele conta, da medo, pois ele descreve o artefato como um objeto maldito, de poder maldito... e a história que ele conta, ilustrada de forma bem abstrata, é aterrorizante... até link se vê tocado pelo "mal" da história.



Mas... no final, a Máscara de Pedra é completa de qualquer forma, pois todos os fragmentos são recolhidos por Midna...

Os 3 Templos


A cada espírito da luz libertado, link volta pra sua forma normal pois todo o Crepúsculo da região some, então, ele aproveita pra entrar no Templo respectivo da região e coletar o Fragmento da Máscara de Pedra Mauzona. Claro que sua motivação inicial não é exatamente essa, visto que link só se importa em recuperar sua forma humana, mas sob influência de Midna, e com um intuito altruísta, link se vê obrigado a entrar nos templos e lutar contra os chefões. 




Alias, falando de "Chefão", o último Inseto Sombrio derrotado é o Chefão dos Insetos Sombrios, tal qual é enfrentado no centro do Lago Hylia.



É um dos chefes "especiais" do jogo, pois não guarda um templo, e apesar de ser obrigatório, a forma de enfrentá-lo é bem especial.

1° Templo: O Reino do Macaco e as Crianças




Existem uns Macacos Travessos desde o início do jogo. Começando por um que rouba um Berço de um dos habitantes de Ordon e link recupera.



Depois, as Crianças da Vila tentam afugentar um desses Macacos, quando tanto uma das crianças quanto o próprio macaco são capturados por monstros.



Link arruma a bagunça e salva todo mundo, mas depois que Faron é atingida pelo Crepúsculo e libertada por link logo em seguida, os Macacos pedem ajuda de link em sua forma humana, guiando ele pelo Templo da Região. 



Eles não falam, mas conforme link vai andando pelo Templo, ele encontra e liberta vários Macacos... 


Até chegar no Rei Macaco, tal qual estava sendo controlado por um parasita das Sombras. 



O Rei Macaco (Ook) também era travesso e em sua luta, ele usa um Bumerangue de Vento, tal qual é conquistado por link ao vencê-lo.




Curiosamente, o Bumerangue fala, e diz ser a personificação da Fada do Vento (ou a moradia dela...) e permite seu uso à link.


Bem, apesar do Rei Macaco ser um tipo de Chefão, ele não é o verdadeiro chefe da fase, e link precisa libertar os outros macacos antes de ter sua verdadeira luta, criando uma enorme Corda de Macaco pra chegar à sala dele.


O verdadeiro Chefão se chama Diababa... 



E aparece inicialmente como um monstro planta gigante de duas cabeças...



Mas na real ele é uma Planta Gigante de 3 Cabeças, que link derrota usando seu Bumerangue novo e Bombas do cenário. 



O próprio Rei Macaco aparece pra ajudar na luta, trazendo bombas que link pode recolher com o vento do bumerangue. 


Bem, os Macacos não tem grande importância, apesar de terem todo esse espaço na trama. As crianças por outro lado, são vistas várias vezes ao longo do jogo e elas sim, tem uma grande importância.



São no total 5 crianças. 3 Delas são bem unidas (se não me engano são irmãos) e delas...




 Apenas 1 realmente merece destaque: A menor, Malo.



Ele (ou ela, juro que não sei dizer) parece um bebê, é pequeno e bem rabugento, mas é bem inteligente. Inclusive, é graças a essa criança que link pode obter a melhor Armadura do jogo, pois essa mesma criança é um verdadeiro Empresário, abrindo uma lojinha simples em Kakariko, só pra aproveitar as oportunidades, e até o final do jogo essa mesma criança vira Dona da maior e mais movimentada loja do Reino de Hyrule (é... isso que é sucesso).




Claro que link ajuda nisso ai, o que lhe da o direito de comprar a Armadura Mágica.


Daí tem mais duas crianças:

O Loirinho chamado Colin e a Menininha chamada Ilia.


Colin é um garoto tímido que não se da bem com as outras crianças. Não que elas o odeiem, mas elas não o amam (resumindo: ele sofre bullying). Porém, ele tem link como seu ídolo (todas as crianças, menos Ilia, tem) e no final, ele acaba seguindo os passos de link. 



Colin se sacrifica pra salvar uma das crianças, impedindo que ela fosse atropelada pelo Rei Bulblin (um tipo de Ogro chefão... que falo melhor depois). Depois disso ele é bem visto, e no final, ele pega uma Espada de Madeira, um Escudo de Madeira, e vira o novo herói de Ordon... eu acho... talvez... quem sabe... tudo é possível para quem acredita!


Ilia por outro lado é uma personagem que forma um par romântico com link. Apesar deles não se beijarem, nem fazerem declarações amorosas, eles são um casal óbvio, e todos que os observam pensam exatamente o mesmo (inclusive as crianças). Ilia provavelmente tem a mesma idade de link (ambos são adolescentes) e apesar de aparentar ser mais jovem, ela é bem mais responsável.



Ela cuida de Epona, e é bem rigorosa, mas depois do sequestro da criançada, ela é a única que infelizmente não é salva pelos habitantes de Kakariko. Ela é levada pra algum lugar dos Campos de Hyrule e é salva por uma dona de Bar na Cidadela de Hyrule, só que ela perde totalmente a memória. 



Tudo isso é importante, pois quando parte da memória dela é recuperada, ela revela algo crucial para link, algo que o ajuda a recuperar um poder perdido e um colar, que na verdade era um presente dela pra link, que a ajuda a lembrar completamente dele.



Ilia da a link um Apito que toca a música favorita de Epona, mas ela só faz isso no final do jogo, o que é bom, mas seria bem melhor se fosse no começo, visto que Epona é muito mais utilizada no inicio... ah é... tem isso também...



Epona pode ser montada e cavalgada em boa parte do reino de Hyrule, que é enorme (os mapas ficaram bem maiores e realistas que no OoT) mas, pra ser chamada, não há um instrumento musical. Na real nesse jogo o único instrumento musical é o Apito de Ilia. 



Link precisa assoviar, utilizando plantas especificamente encontradas em locais restritos, para tocar apenas duas músicas: A Canção de Epona (a mesma de OoT, porém simplificada) e A Canção do Falcão...




Tal qual invoca um Falcão, que pode ser atirado e só tem real utilidade em Ordon e num trecho da Montanha da Morte. 



As músicas também podem ser Uivadas, por link em forma de Lobo, e há bem mais músicas pra isso, pois através de Pedras Especiais, link pode invocar um antigo espírito para treina-lo...




Mas eu só vou falar disso no final.

2° Templo: A Montanha da Morte e os Gorons




Pois é, depois que a Montanha da Morte é liberada, começa a missão pela paz por parte de link. Ele precisa descobrir a todo custo o porquê dos Gorons estarem tão agressivos. E pela primeira vez em The Legend of Zelda, Gorons são vilões. 



Antes de liberar o Templo da Montanha, link precisa passar pelos Gorons, por quê? Bem, os Gorons estavam putos pois seu líder estava puto. O Rei dos Gorons precisou ser confinado no centro do Templo da Montanha, pois ele estava louco, agressivo, malvadão. Mas isso não ficou barato e os Gorons, sem um líder, decidiram simplesmente isolar a montanha e proibir a entrada de humanos.




Então, link precisa provar sua força pra acessar a montanha, e pra isso ele precisa conseguir um equipamento que deixa ele mais pesado. Esse equipamento é bem parecido com um encontrado em OoT: As Botas de Ferro.



Não há nada de tão especial nelas, tirando o fato de deixarem o personagem mais pesado e também, magnetizado. O templo da Montanha da Morte, o local onde o Rei Goron foi preso, é um tipo de mina de pedras, com plataformas e minérios magnéticos que permitem que link ande pelas paredes e teto... é irado! Mas, o mais legal das botas, é o fato de servirem para lutar Sumô!



O cara que da as botas é o Prefeito da Aldeia de Ordon, com quem link faz amizade. O cara entrega as botas, que é seu segredo para vencer os Gorons no Sumô, o que simplesmente é épico. Link treina bastante como segurar as criaturas pesadas, e ao subir a montanha ele precisa segurar os Gorons que vem rolando, na mão mesmo.



Os Gorons virando Bolas de Pedra é algo comum, mas o legal é enfrenta-los no ringue, na base do Sumô. Só um Goron é enfrentado assim, que é o Vice-líder dos Gorons, mas ainda assim é muito legal.



O mais interessante porém, é o fato dos Gorons saírem na base do murro também, como monstros. Pela primeira vez, os Gorons atacam link na mãozada, não acidentalmente como Bolas de Pedra, mas propositalmente, na agressividade, pra matar. 



Porque dou tanta ênfase nisso? Bem, os Gorons sempre foram um povo pacífico, e aqui eles são vistos como inimigos, por um tempo, claro que no final eles viram aliados, voltam a ser pacíficos e a verdade é revelada: O líder, que é o chefão final do Templo da Montanha, estava louco pois estava amaldiçoado pelas trevas e essa era a versão dele no Crepúsculo.




Link enfrenta ele, que se transforma em:

Fyrus... 



Um demônio envolto de chamas.



Link consegue derrota-lo usando o Arco e as Botas em conjunto. Ele atira em sua testa o que deixa ele andando de um lado pro outro e puxa sua corrente fazendo-o cair e ficar vulnerável. Depois de vencê-lo, Midna coleta mais um dos Fragmentos da Sombra Fundida e ele volta a sua forma Goron. 




O Líder Goron alias, não parece ser muito inteligente, mas ele ajuda no final do jogo... pelo menos.


Mas, ver o Gorons como inimigos é no mínimo interessante, e ajuda a ligar e conectar TP com "A link to the Past". 

Uma característica dos Gorons em TP, é a habilidade de se transformar em Pedra para se proteger, após levarem golpes de link (e servem como trampolim impulsionando ele pra cima).



Essa é a defesa natural deles, e essa defesa se assemelha muito a de um tipo de monstro encontrado em "A link to the Past", chamado "Deadrock". 



Na análise sobre "The Past" (vou chamar assim pra encurtar), eu mencionei que dentre os monstros da Montanha da Morte, o mais característico e original da montanha era esse, que seria uma criatura irracional, que virava pedra ao ser tocada. Pois é, tudo leva a crer que os Deadrock sejam ancestrais dos Gorons, uma versão antiga da raça, em seus primeiros passos rumo a uma civilização.



Curiosamente, Gorons são a raça dominante na Montanha da Morte, enquanto os Deadrock eram a raça mais presente na Montanha da Morte... tudo leva a crer que com o tempo, eles evoluíram e se tornaram as criaturas pacíficas, inteligentes e poderosas da Montanha da Morte. 



Detalhe: Os Gorons não usam mais "Goro" no final de suas frases, e usam sentenças bem mais articuladas e inteligentes em seus diálogos. Eles não são os mesmos de OoT, são uma versão mais inteligente e evoluída, o que ilustra o fato das raças evoluírem muito com o tempo. 




Ah antes que eu me esqueça, o Arco do Herói é encontrado na Montanha da Morte, no Templo, depois de passar pelo "Sub-Chefe" da região, um Goron Guerreiro Poderosíssimo. 



Ele protegia a Arma do Antigo Herói, que ao que tudo indica era o link que veio antes desse link. 



Bem, no final da Montanha da Morte, após libertar o Goron de sua maldição e reverte-lo a sua forma Goron normal, link convence os Gorons a pararem de frescura e trabalharem em conjunto com a Vila Kakariko, e os dois povos se unem e ajudam a partir daí.



Ps.: Tem um puzzle na aldeia que da um Fragmento de Coração, aquele item clássico de Zelda que aumenta a energia máxima. Os fragmentos de TP alias, são 5... 5 pedaços pra formar um Coração (normalmente são só 4, mas isso muda aqui). Da pra encontrar em baús escondidos pelo mundo ou conseguir em missões secundárias, como essa.


Bem, no puzzle, é preciso acertar uma flecha num ponto muito longe, o que força o jogador a comprar um item na loja do Bebê Vendedor que ajuda a mirar ao dar Zoom nas coisas... pois bem... eu não precisei!



Consegui acertar na raça... brinca.

3° Templo: O Templo da Água e os Zoras




Então, link vai atrás de Ilia, a última criança desaparecida, e segue seu cheiro pelo Reino de Hyrule, chegando a Cidadela de Hyrule, onde ele encontra sua amiga, sã e salva (mas ela não pode vê-lo pois ela esta no crepúsculo) então, link vai em busca do último Espírito da Luz pra livrar logo o reino do Crepúsculo, recuperar seu corpo e levar Ilia de volta pra casa.




Ele chega à Cidadela de Hyrule lotada de pessoas vivendo normalmente, sem saberem que eram espíritos. 


Lá, ele encontra Ilia, em um Bar com uma moça ruiva que a resgatou, junto a um Zora criança desacordado.



Daí link escuta o povo e os guardas falarem do lago e dos problemas que surgiram la, e decide checar. Ele vai até o Lago Hylia, próximo ao Castelo de Hyrule, onde inclusive a Fonte do Espírito da Luz ficava, mas descobre que o nível de água do lago estava baixo de mais e era impossível chegar à Fonte do Espírito. Link até vê alguns Zoras conversando, e busca por uma forma de chegar ao Reino dos Zoras, sem água.




Dai ele doma uma Criatura Alada das Trevas, com ajuda de Midna.




E voa até o Reino Zora, em um momento único de Zelda que parece até uma inspiração pra outro jogo da franquia... 




No Reino Zora, que era a origem das águas, ele descobre que toda a água foi congelada, com o povo Zora dentro.



Daí, link usa a habilidade de teletransporte de Midna pra levar uma enorme pedra com lava da Montanha da Morte, pro meio do Reino dos Zoras, o que funciona, derrete o gelo, devolve o curso do lago e liberta o povo Zora, que de alguma forma sobreviveu!



A habilidade de Teletransporte alias, só funciona em locais que já foram demarcados pelas criaturas do Crepúsculo e gravado por Midna. Ela usa o portal deles pra se locomover.



Depois disso, um Fantasma aparece para Link, agradecendo por sua ajuda. Essa era a Rainha Zora, Rutela, que fora assassinada como exemplo para os Zoras que não se renderam, antes de todos serem congelados (entende porque Zelda foi sábia agora?!). A Rainha, agradecida, pede mais um favor a link, implorando pra que ele ajude seu filho. Convenientemente, o filho dela estava com Ilia.



Bem, link ajuda o Espírito, acaba de vez com o Crepúsculo e volta a sua forma humana. É ai que ele vai até Hyrule e encontra Ilia, que não se lembra dele, pois havia perdido a memória. Mas, Ilia queria muito ajudar o Príncipe Zora que precisava de tratamentos, e só poderia ser cuidado na Vila Kakariko, onde o líder da vila era também um ótimo Xamã. Então, link se oferece pra escoltar Ilia e a moça que tava cuidando do Zora, por causa dos monstros no caminho, e tudo da certo, depois de muita luta é claro, e eles chegam bem à vila. La, o pequeno Zora é tratado, mas Ilia permanece sem lembrar de nada, mesmo depois de reunida com as outras crianças de Ordon.



Por fim, o Espírito da Rainha Zora aparece, e guia link até o túmulo do Rei Zora, que havia sido enterrado no Cemitério da Vila Kakariko.



La, ela entrega a Roupa Zora, feita de Escamas Zora que dava a quem vestia a habilidade de respirar embaixo d'água, Mergulhar e Nadar, como um Zora.




E agora, já que falei tanto de Zora, bora explicar uma curiosidade.

O povo Zora aqui mostrado é muito parecido com o povo Zora de OoT. Até mesmo o destino deles é semelhante (em OoT, no futuro, que é o passado de TP, o reino Zora havia sido congelado uma vez. O Reino Zora não chega a ser descongelado no jogo em si, mas os Zoras se livram disso, do contrário o Reino não estaria vivo agora.) 

Depois de muito tempo, o reino Zora teve o azar de ser congelado mais uma vez, só que dessa vez link consegue descongela-lo e pra melhorar, salva todos os Zoras. A curiosidade entretanto está em um acessório que os Zoras usam nesse jogo. Todos os Zoras Militares estão equipados com Lança e uma Máscara muito estranha.



Pela primeira vez, os Zoras são mostrados com seus equipamentos militares, e é muito interessante ver que o Capacete que eles usam é uma Máscara, tão emblemática: Trata-se de uma referência aos Antigos Guerreiros Zoras.



A muito tempo, os Zoras eram diferentes. Antes de se tornarem uma raça inteligente, socializada e até bonita, eles eram brutos, como qualquer outro monstro. Eles eram criaturas das águas que atacavam os seres da superfície e qualquer um que chegasse perto de seus domínios. Eles tinham uma aparência grotesca, que lembrava Anfíbios, com cor azul-esverdeada, boca grande e olhos saltados, tipo sapo mesmo.


Veja a diferença entre traços simples dos Zoras. O sprite simples deles em Oracles of Age e Season lembra perfeitamente os Zoras em seu estado... refinado... enquanto a versão mais clássica como de Zelda A link to the Past já surge de forma muito diferente.
Em "The Past", os Zoras mostram seus primeiros traços de civilização. O Rei dos Zoras é conhecido, e visitado pelo link dessa era, e esse Rei fala com link, e lhe da (vende) um item que o permite nadar. Os Zoras de TP não são nem de longe parecidos com os de "The Past", pois essa versão é antiga, e também representa os Ancestrais do Povo Zora.



O que isso tem haver com os equipamentos militares dos Zoras? Bem, a máscara que eles usam, tem um formato muito peculiar não acha? Na cultura Zora, a aparência dos Antigos é intimidadora e é por isso que eles usam Máscaras na hora de lutar, máscara essas que representam os antigos Zoras.

Guarde bem essa informação, pois é algo realmente importante pra franquia Zelda, que muitos acabam ignorando.

Bem, equipado com a Roupa Zora (e uma Bomba Aquática que é vendida em Kakariko), o caminho pro Templo da Água é liberado e ai sim, o último Fragmento é obtido. No Templo (um templo bem mais tranquilo que o odioso templo da água de OoT) link obtém o Gancho (arma clássica) e com ele, derrota o chefão.


Lembra aquela Bolinha que criava Tentáculos de Água em OoT, também chefe do Templo da Água? 




Então, no começo é igualzinho a ela, só que melhor.



A bolinha aparece inicialmente da mesma forma que em OoT, mas rapidamente ela mostra sua forma real, um monstro aquático cheio de tentáculos e dentes chamado Morpheel.




A luta não é nada fácil... controlar o Nado com o Gancho ao mesmo tempo é bem complicado...



Mas depois de derrotada, ela revela sua verdadeira forma e vira um coiso gigante na forma de uma Enguia ou Centopeia Aquática do Capeta.




É assustador, mas fácil, e link fura os olhos da criatura (que era a bolinha mesmo) e fim.


Com o último Fragmento da Máscara de Pedra, ou Sombra Fundida, link e Midna voltam pra Fonte do Último Espírito e la, Zant da as caras.



O filha da mãe amaldiçoa link novamente, mas dessa vez sem precisar do Crepúsculo, ele apenas enfia um cristal na testa de link e o força a ser um lobo pra sempre.



Além disso, ele suga o poder de Midna e expõe o corpo dela à luz do Espírito da Luz, o que deixa ela extremamente fraca e quase morta.



Mas, o próprio Espírito da Luz salva tanto ela quanto link, e os teletransporta pra muito longe da fonte, perto do Castelo de Hyrule.



Midna pede pra link leva-lo até a princesa, e é nessa parte que link vai até o castelo, como lobo, no mundo normal mesmo, assustando todo mundo, e entrega Midna pra Zelda.




Depois de falhar em reverter a maldição de Zant, Zelda da seu poder à Midna. 




Então, link e Midna vão em busca da Master Sword, pra quebrar a maldição conforme o conselho de Zelda.

Templo do Tempo e o Skull Kid



Antes do término dessa primeira fase, há um último cenário importante pra se falar, porém mais a frente ele é devidamente explorado como um verdadeiro templo. Bem, quando link vai em busca da Master Sword, ele busca por um templo perdido na Floresta de Faron. Esse templo, é justamente o Templo do Tempo, sem tirar, nem por. 

Por alguma razão, o templo saiu dos fundos do Castelo de Hyrule e foi parar nos confins da Floresta Perdida, aquela mesma de OoT, onde crianças viravam Skull Kids. Alias, dentre os "guardiões" do templo, surge um único Skull Kid, que protege a localização do Templo do Tempo em um Labirinto na Floresta Perdida, tocando a música clássica dessa floresta com sua corneta. 



Esse Skull Kid parece ser o mesmo de Majora's Mask, inclusive os "Fantoches" que ele invoca lembram muito os 4 Gigantes que eram seus melhores amigos na dita aventura dimensional.



É claro, isso é uma especulação infundada, pois os Fantoches surgem inicialmente em 4, mas logo aparecem 6, e depois 8, e vai aumentando dependendo da dificuldade da batalha. Tem outra coisa, não faria sentido aquele Skull Kid trabalhar em prol do Templo do Tempo e do Reino de Hyrule, se ele saiu vazado ainda na época de link criança. Claro que, os eventos da época de link Criança de OoT sucederam de forma muito diferente dos eventos da época de link Adulto em OoT, e é possível que Termina nem tenha sido salva, ou até mesmo nem tenha corrido perigo... de toda forma, tem um Skull Kid aqui e ele simplesmente some depois de derrotado. Ele tenta impedir link de chegar ao templo, mas depois que é encontrado e derrubado, ele vai embora... mas pra frente ele reaparece, quando link precisa chegar ao Templo do Tempo, de novo... mas mesmo depois de toda a brincadeira terminar, ele apenas some.




Ai link passa por um puzzle com Estátuas Guardiãs e chega no lugar que queria chegar.


Bem, quando link chega onde a Espada está fincada, ele se aproxima e é magicamente curado, voltando a forma humana. Ele também retira a Espada do Pedestal, e como a própria Midna diz: "Ela te aceitou".



E agora armado com a melhor espada que já existiu, link e Midna vão de encontro ao Espelho do Crepúsculo.



A Busca Pelo Espelho do Crepúsculo




O espelho fica num templo enorme, isolado no deserto, em uma antiga Prisão Gerudo. Um cara amigo de Telma (a moça do bar) da a dica pra link de como chegar la.




Pra chegar nele link precisa convencer um canhoneiro a lançar ele pro Deserto, e graças a uma carta do amigo de Telma, ele consegue isso fácil. 



No Deserto Gerudo, não há Gerudos, apenas muita areia e monstros. O povo do deserto, origem do vilão real do jogo, não aparece em TP, não que isso signifique a extinção da mulherada tudo, mas ainda assim é algo bem estranho.



Bem, link chega ao Templo do Espelho do Crepúsculo, após passar por uma barricada cheia de Bulblins, incluindo o Rei Bulblin, mas novamente, falarei dele depois.



O templo parece um mundo dos mortos, cheio de Gibdos (Múmias em Zelda), Stalfos (Esqueletos em Zelda), Crânios Morcegos, e Poe's (Fantasmas em Zelda).



O destaque maior fica pro chefão final, mas tem algumas criaturas interessantes pra se falar também, como os próprios Poe's.



Existem muitos (60 no total) que são espíritos diabólicos que tomaram a alma de um morador de Hyrule (é uma side quest, sem grande importância, exceto o fato de te dar dinheiro infinito... coisa boba). No caso, 4 deles são enfrentados obrigatoriamente no Templo do Deserto/Espelho do Crepúsculo, mas são diferentes e bem mais assustadores do que os demais. 



Eles são fantasmas que carregam Lamparinas, muito comuns em todos os Zeldas, mas aqui eles tem uma aparência bem mais fantasmagórica. Claro, num jogo em que espíritos existem aos montes, é preciso por um diferencial nos espíritos do mal, deixando eles no mínimo com cara de malvados. Bem, após derrotar os 4, uma porta se abre e link consegue ir mais longe no templo.



Link passa por mais alguns obstáculos e mortos vivos, até chegar a uma sala escura, isolada, com uma espada no centro, selada com vários Cartões/Selos. Assim que link corta um deles, a Espada se liberta e um Poe diabólico, bem mais medonho que os outros é liberado.




Link precisa derrota-lo pra avançar, e ele se torna visível quando ele o acerta como lobo, possibilitando golpes na forma humana. Ele é bem bizarro, mas não da nada de importante pra link. 




O equipamento "chave" da fase é liberado depois da luta contra ele... mesmo sem ter a menor ligação com ele.



O mais interessante a se destacar é o Chefão, que nada mais é que um Esqueleto de Monstro Enorme, reanimado pela Espada de Zant.



Ele é chamado Stallord...




Inicialmente, parece um Stalfo Gigante (algo até comum em Zelda)...



Mas a luta contra ele, sugere que ele não era um Stalfo propriamente dito, já que no mesmo mapa em que ele aparece, vários Soldados Mortos se levantam, e atrapalham um pouco a batalha, pois ficam na frente.



Só que esses Mortos, apesar de atrapalharem por serem obstáculos, não são inimigos. Eles não atacam, eles nem se defendem, eles simplesmente ficam parados.



Curiosamente, todos tem aparência militar, e provavelmente são soldados que morreram na base do Templo do Espelho do Crepúsculo, muito provavelmente lutando contra a grande criatura que no fim, virou um Stalfo Gigante.



O monstro é enfrentado com um estranho equipamento que link obtém, um tipo de Bayblade Gigante, que permite andar em fissuras nas paredes. É por isso que os mortos atrapalham, pois basicamente link precisa acelerar e ataca-lo com o meio de transporte giratório.



Depois que link vence o grandão, ele tem que lutar com a cabeça dele que começa a flutuar pra no fim, extrair a espada de Zant e destruí-la.




Daí o acesso ao topo do templo, onde o Espelho estava é liberado.

1° Caco: Os Sábios



Chegando ao Espelho, Midna se espanta ao perceber que ele estava quebrado. 


Mas ai os Espíritos dos Sábios Antigos aparecem, pra explicar o que houve.



É ai que a história do verdadeiro vilão do jogo é contada: Ganondorf.



Os Sábios, basicamente tentaram matar Ganondorf, enfiando uma Espada dos Sábios nele, mas, a Triforce da Força ressoou nele e surpreendeu os Sábios, que não sabiam que ele era um dos Escolhidos das Deusas, daí, deu merd4. Ganondorf pegou a espada e matou um dos Sábios, forçando os demais a apelarem pro Espelho e mandarem Ganandorf pro Mundo das Sombras.


A estratégia dos Sábios não é tão sábia assim, pois eles apenas jogaram o poderoso vilão em um novo mundo... solução essa que serviu bem pra ele, que conseguiu aos poucos dominar e corromper o mundo das Sombras, arranjando um aliado (Zant) e sair do Mundo das Sombras, pro Mundo da Luz, criando o Mundo do Crepúsculo e ferrando com todos os mundos.



Tem duas coisas legais pra se destacar nessa parte, ambas são confusas, mas tentarei explicar de forma clara.

Os Sábios que aparecem não são Reencarnações como em todos os demais Zeldas (tipo os sábios de OoT, ou os de "The Past") eles são os originais, os primeiros, os Sábios Antigos mesmo. Mas, isso não faz sentido já que o Ganondorf que aparece é o mesmo de OoT, jogo que se passa entre duas linhas do tempo separadas por um curto período, onde Reencarnações dos Sábios existem. 



A explicação é até bem simples: No final de OoT, Ganondorf é mandado para o passado, pra ser julgado e condenado pelos verdadeiros Sábios. Aquele ritual todo de selamento no final de OoT, não fez com que Ganondorf fosse trancado diretamente no Mundo das Sombras, não... ele passou primeiro pro Passado, e la no passado, ele foi condenado a morte. Mas, Ganondorf tinha a Triforce da Força, tal qual da literalmente Poder Ilimitado a ele, e Imortalidade.


Os Sábios não sabiam disso, pois Ganondorf era um condenado enviado do futuro, e eles nem imaginariam que justamente um cara que chegou a receber a pena do "Tempo", era também um Escolhido das Deusas... 


Resumindo, Ganondorf foi mandado pro passado, foi condenado, deu um coro em um dos sábios, foi mandado pro Mundo das Sombras e la, ele iniciou seu reinado. Anos, Décadas, Séculos, Milênios ou sabe-se la quanto tempo levou pra ele encontrar o "servo ideal", Ganondorf tomou conta do mundo das Sombras, e depois voltou pro mundo da luz. Nesse ponto de retorno, Ganondorf voltou pra duas eras diferentes, o Verdadeiro Ganondorf, com a Verdadeira Triforce da Força, ascendeu no Mundo de Wind Waker, enquanto sua outra versão retornou apenas em Twilight Princess... esse esquema de "versões" se da ao fato de Ganondorf ser na verdade a personificação Gerudo de um mal antigo chamado Ganon. São duas criaturas diferentes, com existências diferentes. O lado Gerudo de Ganondorf é aquele visto em Wind Waker, e o lado Ganon dele é o visto em Twilight Princess.


Eu vou explicar tudo isso no final, mas, guarde isso: Twilight Princess se passa em uma época após os eventos de Ocarina of Time, porém, a história dos Sábios contada em TP se passa muito mais no passado, muito antes de Ocarina of Time... tecnicamente. O complicado de Zelda é que tem muitos fatores místicos paralelos: Temos a Triforce e sua capacidade de Gerar Realidades; Temos a Master Sword e seu Poder Sagrado; Temos o Templo do Tempo que em conjunto com a espada consegue Burlar as Leis do Tempo; Temos a Maldição do Vínculo Eterno entre Ganon, Zelda e link; E temos várias e várias outras condições específicas apresentadas em cada jogo novo. Eu vou explicar isso tudo, não se preocupe, mas farei de forma fácil de entender, ou seja: Detalhadamente.



Enfim, depois de conhecer a história básica de Ganondorf, link também descobre, pela boca dos Espíritos dos Sábios (ao que parece não são os sábios em personificação física... é como se eles se comunicassem através do tempo com link), que Zant era seguidor de Ganondorf, e sua magia era uma regalia dele. Além disso, o Espelho do Crepúsculo havia sido Dividido por Zant, para impedir qualquer tentativa de detê-lo. Zant não era o verdadeiro Rei do Mundo das Sombras então, ele não tinha como destruir o Espelho, pois somente o verdadeiro dono do Trono podia destruí-lo. Então, link e Midna vão em busca dos outros 3 Fragmentos, que os Sábios adiantam as localizações: Um nas Montanhas Geladas, um na Floresta Antiga e um na Cidade do Céu.



2° Caco: O Pico Nevado e os Yets




Link até sabe onde os cacos estão, porém não tem como ele chegar aos locais sem fazer pré-requisitos básicos. Por sorte, há 4 Pesquisadores num Bar em Hyrule. Os 4 são como arqueólogos que estudam as antiguidades de Hyrule. O primeiro deles é aquele que deu a dica pra link usar um Canhão pra chegar ao Deserto, local onde o Espelho do Crepúsculo estava. Se não fosse por ele, o caminho não se abriria. 



O mesmo ocorre com os demais, começando por uma garota que estuda as montanhas gélidas que de alguma forma ajudaram a congelar o Reino dos Zoras. Ela investiga a aparição constante de um monstro enorme, que os Zoras descrevem como sendo um tipo de "Macaco Gigante", tal qual passa a visitar o reino com frequência.



Depois de bastante pesquisa, tentando descobrir o que é essa criatura, link descobre que uma iguaria do lago dos Zoras é um possível chamariz pro monstro. Havia um Peixe Vermelho, difícil de pescar, que é encontrado apenas em um determinado ponto do Reino dos Zoras. Pois bem, link precisa pesca-lo, pra usar o cheiro do peixe pra seguir a criatura, que de alguma forma sabia como andar pela região nevada, onde um dos Cacos estaria. 



Link descobre então que o Príncipe Zora era o único que conseguia pescar o tal Peixe Vermelho, e apesar dele ainda não ter voltado pro Reino Zora, link sabia onde encontra-lo. O garoto Zora estava na frente do túmulo de seu pai, velando.



Link nem precisa pedir ajuda direito, o zora já oferece seu brinco, que era seu truque pra pescar o Peixe Vermelho. O Brinco, era uma isca especial, e com isso link consegue o peixe, e adquire o Cheiro dele.




Seguindo a trilha no meio da neve, link chega até a tal criatura: Um tipo de Pé Grande das Neves, Sasquat ou Yeti... que se chamava Yeto.



O cara é legal, não é malvado, e até oferece um pouco de seu peixe pra link. Curiosamente, se link tenta conversar com ele na forma de Lobo, ele diz que nunca viu um lobo como ele e que parecia saboroso, mas ele já tinha um peixão então, ficava pra próxima. Yeto, o Yeti, é muito bondoso, e convida link pra comer em sua casa, depois de praticar Snowboard.



Chegando à casa de Yeto, link descobre o paradeiro do Fragmento do Espelho, a casa do cara (mais parecia uma mansão) é o "Templo da Neve" e o espelho havia sido guardado como souvenir pela esposa de Yeto, chamada Yeta (esses são os nomes mais fáceis de lembrar da história). Mas, ela estava mal, e não lembrava onde tinha guardado o Espelho. Seu marido, prepara uma sopa pra ela enquanto link procura pelo espelho na mansão. O que é na prática um calabouço, é na verdade apenas um cara perambulando pela casa de uma pessoa procurando por um item guardado. 



Claro que, a casa ta lotada de monstros e, tirando a cozinha de Yeto e a sala onde Yeta está, todo o resto está congelado e abandonado. É estranho, pois mais parece que os Yets invadiram um templo antigo e fizeram dele uma casa, do que uma casa que acabou se transformando num Templo. Mas, na real, é só uma casa mesmo, uma casa Militar. 




Estranhamente, há vários artigos militares e armas nem tão antigas assim. Há principalmente Canhões, muitos, e é preciso até usar alguns pra quebrar o gelo e avançar. Isso pode não significar nada, claro, uma Mansão cheia de Armas escondida no gelo não é nada suspeita, mas ao meu ver, isso serve bem como um exemplo da "Época de Guerra" (que em momento algum é mencionada). Algo aconteceu em Hyrule e seus arredores entre Ocarina of Time e Twilight Princess... pode não ter sido algo importante pra história da Lenda de Zelda mas... é algo que colocou o reino à prova de fogo.



Repare que as zonas afastadas tem vestígios de guerra (O deserto ao extremo Leste e o pico nevado ao estremo Oeste) e no final, o reino não está com problema algum, tirando a maldição do crepúsculo, as coisas parecem bem, há mais movimentação, e com certeza há muito mais habitantes, principalmente no Centro, além de ter ocorrido a expansão geográfica de Hyrule (Ordon). Mas, os vestígios de pós guerra estão lá.




Falando nisso, na mansão, link encontra um sub-chefe muito especial, que usa uma Bola Destruidora enorme. Ao derrota-lo, link ganha essa bola como arma, e com ela consegue destruir o gelo sem precisar de canhões.




Bem, o inimigo tem uma calda, parece ser um dos monstros de Ganon e só aparece um dele. 


Alguns sub-chefes se tornam monstros comuns depois, outros não, mas este em particular me lembrou muito um dos inimigos mais poderosos de "The Past", que também utilizava não apenas uma Bola com uma Corrente, mas girava ela da mesma forma, e tinha uma armadura basicamente idêntica. De que isso importa? Só mais referencias...




Então, no final, link encontra o tal espelho... 




Mas Yeta vai junto com ele, e ao olhar pro fragmento, ela se transforma. 




Ela é possuída por algo, como se seu lado mal a dominasse, e o desejo pelo espelho toma conta de seu corpo. 



Daí, ela flutua, gelo e frio entra pelas janelas do quarto e ela se transforma em um Chefão, um monstro poligonal feito de gelo, com gelo e mais gelo ao redor chamado... 




Blizzeta.



A luta é bem interessante, pois usa o reflexo do chão congelado pra mostrar quando e onde o chefão vai atacar.




Depois de vencer, destruir o gelo que cobria Yeta e extrair o espelho dela, seu marido Yeto aparece e a abraça. 



Ela se livra da possessão pelo Fragmento e recebe o amor de Yeto (ilustrado muito bem por corações, que gera até um grande Coração) e link consegue o segundo fragmento. 



Mas, toda cena faz Midna perceber que o espelho não é coisa boa.

3° Caco: Templo do Tempo


De volta pro bar, mais uma dica de pra onde ir. Um dos 4 pesquisadores é também um habitante de Ordon, que estava justamente na floresta de Faron e seus colegas do bar dizem pra link o encontrar. Chegando la o cara fala do Templo do Tempo, basicamente, e da uma Galinha Dourada pra link poder chegar até ele, de novo. 



Mais uma vez, link se vê na Floresta Perdida, rumo ao Templo do Tempo, e o Skull Kid aparece no labirinto, um pouco mais desafiador.




Bem, Skull Kid leva link até a entrada e depois que é derrotado em uma batalha (que ele considera brincadeira), ele abre outra entrada pro Templo do Tempo e some. Bem, algo que preciso falar, sobre Skull Kid, é uma observação teórica: Na brincadeira de pega-pega e esconde-esconde com ele pelo bosque, ele só é encontrado pois acaba indicando seu paradeiro através da Música de sua Corneta e da Luz de seu Lampião... porém, Skull Kid não tem motivo algum pra carregar um Lampião, visto que a floresta é muito bem iluminada. Isso, me faz acreditar que esse Skull Kid é um Poe... um fantasma. 




Os únicos monstros que carregam lampiões, lamparinas, lanternas (chame como quiser) são os Fantasmas (Poe) como eu mencionei mais acima. Em Zelda OoT, se não me engano, é explicado que o motivo de carregarem a lanterninha é pra manter a chama de seus espíritos acesa. Cada Poe tem uma chama, que é sua alma, carregada pra todo o sempre em sua lamparina.


Logo, Skull Kid é o guardião do Templo do Tempo e do Bosque Perdido, o último Skull Kid que sobrou, e ele é um Espírito Vagante que pode ser visto a olho nu (link não precisa virar lobo para vê-lo, o que não significa muita coisa pois o Espírito da Rainha Zora também não exigia uma visão especial). 

Bem, chegando ao Templo, link consegue abrir a entrada pro Verdadeiro Templo do Tempo. A espada era a chave, e uma porta se abre, uma porta que leva pro Templo do Tempo em uma zona do tempo isolada, onde ele estava intacto. 



La dentro, uma criatura chamada Ooccoo reaparece. Essa criatura é importante, mas falarei dela daqui a pouco, bem detalhadamente, o importante aqui é que ela diz que algo, um artefato tecnológico de seu povo está escondido nesse templo, e ele era necessário para leva-la de volta a sua terra natal. Bem, link vai atrás desse item e do Fragmento do Espelho, ambos escondidos no verdadeiro Templo do Tempo.



Bem, depois de passar por desafios do templo e encontrar um Cajado capaz de Manipular Estátuas Especiais, link leva uma estátua pra entrada do templo, e lá, abre o caminho pra sala onde o Espelho estava escondido.


Lá, link encontra o Chefão...



A Aranha de um Olho Só. Lembra do Gohma? Pois é, é ela, mas agora se chama Armogohma e ta bem mais tunada e parecida com uma aranha. 



Apesar de ser aterrorizante (eu sou aracnofóbico) a criatura é esmagada por algumas estátuas manipuladas graças ao Cajado...



E depois, volta a sua forma real: Um Olho Gigante com patas de aranha e um monte de aranhinhas ao redor (na minha singela opinião, é ainda mais aterrorizante, se não fosse pela música engraçada que toca).



Vencendo, mais um fragmento do Espelho surge, e mais uma vez, Midna percebe o poder monstruoso do espelho, capaz de transformar uma criatura pequena e praticamente inofensiva (uma ova!) em uma criatura enorme e poderosa.




Um esclarecimento a respeito do Templo do Tempo: Em OoT, é dito que os Sábios foram os construtores do Templo do Tempo, local santo sitiado em Hyrule que seria como portal para o Mundo Divino, e também, tinha certo controle sobre o Tempo (razão do nome). Ao que parece, o templo também tem algum esquema espacial (já que ele foi levado pra outra região, bem longe do Castelo de Hyrule). Bem, seguindo a lógica, os Sábios também tinham tais poderes (se mover pelo tempo e espaço livremente) e é isso que é mostrado em TP, visto que os Sábios conseguem se comunicar com link através do tempo, e tem acesso ao portal que permite ir ao Mundo das Sombras. Digo isso só pra dar um pouco mais de credibilidade aos meus argumentos sobre a verdade dos Sábios.

4° Caco: Templo das Nuvens e os Ooccoo



Depois de sair do Templo do Tempo, o Cajado simplesmente para de funcionar. Seu poder só funcionava dentro do templo, pois por alguma razão ele estava sem energia. Pra variar, a criatura estranha chamada Ooccoo aparece, dizendo que é uma pena o cajado não estar energizado, pois isso significava que ela nunca voltaria pra sua terra natal, a Cidade dos Céus.



Mas, com ajuda de mais um arqueólogo, link descobre mais sobre os Ooccoo e sobre o Cajado. Primeiro, os Ooccoo eram uma raça muito mais antiga que os Hylians, e as lendas diziam que eles eram as criaturas mais próximas das Deusas (desconsiderando os Sábios e os Espíritos da Luz). Então, esse Ooccoo era uma criatura ancestral, que estava ajudando link desde o inicio do jogo. 



Em todos os Templos, é possível encontrar Ooccoo, uma criatura com corpo de galinha, cabeça de gente e olhos vermelhos. Essa criatura oferece a link a possibilidade de sair do Templo a hora que quiser e voltar depois, usando o Ooccoo Jr., um filhote do Ooccoo. Curiosamente, ela aparece em todos os templos, mas só passa a fazer parte da história nos dois últimos: O Templo do Tempo e o Templo das Nuvens. 



No Templo do Tempo, ela aparece ansiosa pra encontrar o Cajado e assim voltar pra Cidade dos Céus, mas ocorre o contratempo com a energia do Cajado e bem, ela se vê presa em Hyrule por mais tempo.



Acontece que haviam estátuas espalhadas por Hyrule, estátuas idênticas às que link moveu dentro do Templo do Tempo. Ele tinha de interagir com as estátuas, mas o cajado ainda estava sem energia. Só que...




Ilia, a garota que tinha perdido a memória, acaba se lembrando de uma pessoa, que falou do tal cajado. Essa pessoa, era uma senhora, que ficou presa junto com Ilia, em uma vila escondida. Com isso, link vai em busca da tal senhora, e com ajuda do Rei dos Gorons (que destrói a rocha que impedia a entrada pra tal vila) ele chega na vila, uma antiga vila Sheik, lotada de monstros. 




Depois de se livrar dos monstros ao estilo Velho Oeste, a senhora, única habitante da vila, aparece e agradece a link. 



Ela conta um pouco sobre a vila, diz que seu próprio nome é em homenagem a criadora da vila, que a construiu a muito tempo: Impa.



A velhinha chamada Impaz diz que só sobrou ela na vila, e ela não pode ir embora pois espera um certo alguém. Ela quem da o Colar que era de Ilia pra link, que leva de volta pra Ilia, faz ela se lembrar dele...



Que por sua vez diz pra link que a velhinha esperava justamente por um Mensageiro Celestial... ou seja, alguém com o dito Cajado, fazendo ele retornar pra vila Sheik... pode isso?!



Ela esperava aquele que carregaria o Cajado, e quando link mostra o Cajado, ela fica surpresa e feliz, e entrega um Livro que ajudaria ele a se recarregar. 



O livro, tinha palavras que podiam reativar o Cajado e a magia antiga dele, mas nem todas as palavras estavam nele, e uma Estátua no subterrâneo de Kakariko era a única que não reagia a ele.



Então, link pega o livro, mostra pro Arqueólogo que estava em Kakariko, pega um mapa de todas as Estátuas de Hyrule e ativa todas elas, uma a uma.



Embaixo delas, haviam letras, tais quais se incorporam ao livro, revelando o texto mágico completo. Então, o Arqueólogo usa o livro que faz a estátua da vila Kakariko ficar igual as demais.




Daí link usa o cajado nela, abrindo uma passagem pra um Canhão Destruído.



O Canhão era mágico e era a única forma de chegar aos Céus, então, link teletransporta ele pro Canhoneiro do Lago Hylia, que o conserta depois de alguns dias. Ai sim, link consegue chegar ao Templo dos Céus (sim, o último templo tem muitos pré-requisitos).




Junto com ele, vai o Ooccoo, que chegando la, se junta aos demais de sua raça (o templo é lotado dessas criaturas) e vai pra uma loja de conveniências, junto de seu filhote. Ooccoo era um tipo de mercador, que havia parado em Hyrule e tinha ficado preso la, mas, com ajuda de link, finalmente conseguiu voltar pra sua terra natal. Entretanto, a cidade estava cheia, lotada, entupida de monstros. O Templo das Nuvens era a Cidade dos Céus, a cidade dos Ooccoos.



O Ooccoo oferece seu suporte uma última vez, de uma loja de conveniências, e link vai em busca do espelho.



Link passa pela cidade, luta contra muitos monstros, voa com Ooccoos...



Consegue um Segundo Gancho (que deixa ele bem irado e versátil).



E luta contra o Chefão, um Dragão das Sombras chamado Argorok... 


Que ta enlouquecido com o poder do Fragmento do Espelho.




É bem legal essa fase e demorada também, mas o mais legal é que da pra ver o Dragão o tempo inteiro, la no topo da torre mais alta, circulando.



Ele também aparece algumas vezes no caminho, destruindo coisas e aterrorizando geral.



Na real ele já aparece logo quando link chega, só pra mostrar que ele é quem manda.




Mas a luta contra ele é realmente legal, é no ar, link precisa se pendurar na ponta de metal da calda dele e puxa-lo pra baixo com o Peso das Botas de Ferro... é uma combinação muito massa.



Depois ele se livra da armadura e link precisa ficar pendurado enquanto esquiva do fogo dele...



Daí tem que dar a volta no mapa e ataca-lo pelas costas, tudo em pleno ar. É muito legal.



Depois de destruí-lo, com o último fragmento, faltava apenas voltar ao Templo do Espelho e remonta-lo. 



Espelho Completo: O Mundo das Sombras e os Twili




Ao remontar o Espelho, a identidade de Midna como princesa do crepúsculo (ou seja, princesa do mundo das sombras) é revelada pelos sábios, que se desculpam pelo que fizeram ao seu mundo. Então, link e Midna vão para o Mundo das Sombras.



La, os nativos das Sombras (Twili), o povo de Midna, estava corrompido, transformados em monstros das sombras, porém parados, sem qualquer reação. Midna tenta até se esconder deles, temendo ser repreendida, o que não faz a menor diferença, pois eles parecem totalmente catatônicos. 



Link anda pelo Mundo das Sombras, ou o que sobrou dele, no que parecia com um Templo também (E aparentemente era o Castelo de Midna). La, ele recolhe "Sóis" que são artefatos místicos brilhantes, equivalentes ao Sol do mundo da luz, que gerava a luz do mundo das Sombras (é isso que a Midna diz). Uma mão tenta até impedir e devolver os Sóis pro ponto inicial mas ela é fácil de evitar.



Os Sóis eram capazes de eliminar temporariamente e parcialmente a energia maligna criada por Zant, como a forma monstruosa dos habitantes do Mundo das Sombras. Claro que não tirava a maldição por completo, mas dava uma embelezada mediana.



Entre um Sol e outro, surge Zant, ou pelo menos uma ilusão dele, que tenta impedir o avanço pelo templo.


Depois de coletar dois Sóis, a luz deles é absorvida pela Master Sword, que se torna uma lâmina revestida de luz capaz de ferrar com as Trevas de Zant.


Daí link vai de encontro à Zant, pra batalha final.



Zant estava sentadinho só esperando.



Antes de começar a luta, Zant conta sua história. Ele foi quem transformou Midna em um monstro, ele quem se apossou do Reino do Mundo das Sombras e ele quem causou o Crepúsculo. O pior é que ele revela que quem o ajudou e lhe deu poder pra tudo isso foi seu deus: Ganondorf.



Depois que os sábios selaram Ganondorf, ele ficou um bom tempo vagando no Mundo das Sombras, até tomar uma forma de energia das trevas.



Essa energia foi atraída pela inveja de Zant, e se incorporou a ele, dando-lhe poder suficiente pra fazer o que quisesse. 



Então, a luta começa. Zant tinha a habilidade de se mover através do Espaço. 



Foi assim que ele saiu do Mundo das Sombras e foi pro mundo da luz. Foi assim que ele dividiu o Espelho do Crepúsculo e colocou seus fragmentos em locais de tão difícil acesso. Foi assim que ele ajudou Ganondorf a escapar de sua prisão e dominar todos os mundos. Zant era poderosíssimo.



Zant teletransporta link e Midna através do espaço e suas lutas são adaptadas pras fases de alguns dos Chefões que link enfrentou. Primeiro, a batalha ocorre na região do Chefe Planta, do primeiro templo. Zant é derrotado com ajuda da mesma arma da batalha original dessa área: O Bumerangue do Vento.



A segunda batalha ocorre no Ringue de Lava, onde link enfrentou o Goron Guerreiro que protegia o Arco do Herói. A batalha é vencida com auxílio da mesma arma dessa área: As Botas de Ferro.



A terceira batalha é sub-aquática, e se passa no mesmo local onde o Chefão Olho da Água foi destruído. Link precisa usar a Roupa Zora e o Gancho pra vencer, exatamente como na luta original. Claro que a luta muda um pouco, e Zant usa réplicas enormes de seu capacete pra se esconder e atacar. 




A quarta batalha ocorre na Região do Rei Macaco, também no primeiro Templo, onde link enfrentou o macaco e conquistou o Bumerangue do Vento. A luta é basicamente idêntica a do Macaco, porém Zant demora um pouco mais pra perder o equilíbrio e cair.



A quinta batalha ocorre no Templo da Neve, no mesmo lugar em que link enfrentou Yeta do Mal. Zant assume uma forma enorme e fica pisoteando link, que com o auxílio do reflexo consegue prever alguns dos movimentos do grande Zant. Um golpe certeiro no pé com a Bola Gigante faz Zant pular de dor e diminuir pra um tamanho bem pequeno, tal qual é facilmente derrotado.



Então, a sexta e última batalha, ocorre diante o Castelo de Hyrule, e Zant usa suas próprias tecnicas de batalha pra lutar. Ele é ruim de mais no manuseio de espadas, mas ele fica se jogando e fatiando tudo que fica perto, e depois de um pouco de pancadaria...



Ele é derrotado.




Depois de todas essas lutas, Zant teletransporta todos de volta pra Sala do Trono no Mundo das Sombras, onde cambaleia, debocha de Midna e morre, com um golpe muito apelativo de Midna, tal qual fica assustada com o estrondoso poder que ela obteve.



Então, com Zant fora do caminho, só faltava destruir Ganondorf, que estava no Castelo de Hyrule.

A Batalha Final contra Ganondorf




No castelo, Midna usa seu poder monstruoso pra destruir a barreira mágica que isolava o mesmo, abrindo a entrada pra última fase. Ela se transforma numa criatura com 6 Patas que se Esticam... é bizarro.




O castelo não é tão complicado, o caminho é pequeno  mas é cheio de monstros, e mortos. 


É possível ver os Soldados de Hyrule mortos, que indicam o caminho certo para link.



Passando por todos os obstáculos, link enfrenta o Rei Bulblin pela última vez. 


Agora não da pra evitar, preciso falar quem é esse cara.




O Rei Bulblin é um monstro que aparece periodicamente na história. Primeiro, ele é visto ativando o Crepúsculo em Ordon, no começo de tudo.



Depois, ele captura Colin e faz dele sua Bandeira, depois de já ter afugentado as crianças até Kakariko.



Então, link persegue ele pelos Campos de Hyrule.




Daí ele faz uma Justa contra link na Ponte de Hyrule. "Justa" é o esporte medieval onde dois cavaleiros cavalgam um na direção do outro, com Lanças enormes, no intuito de ver quem permanece no cavalo. Em Zelda é mais ou menos isso que  acontece, substituindo lanças por Espada e Machado. Link vence, é claro.




Depois ele aparece outra vez, pra mais uma Justa, durante o transporte de Ilia e o Zora, só que dessa vez ele aparece com dois escudos e é derrubado na base do arco.




Depois ele é enfrentado na frente do Templo do Deserto, numa luta mano a mano, onde ele acaba fugindo e causa um incêndio pra fritar link vivo...




Claro que link escapa, usando a própria montaria do Rei Bulblin.



Repare, que o cara aparece em todo o jogo, mas no final, o mais legal, é o que ele faz.




Depois de uma luta contra o monstro, ele simplesmente aceita a derrota, e honradamente, entrega a chave que link precisava.



Depois o cara monta em seu Javali Gigante e vai embora dizendo "Eu sirvo a um poder maior, flw, fui". Mano... é o primeiro monstro que fala com link e ainda por cima sai vazado.



Então, link vai até Ganondorf.



Na sala do Trono da Princesa Zelda, estava a própria princesa Zelda pendurada.




Ganondorf fala de seus planos e conquistas, diz que é fodão e possuí Zelda. Midna até tenta impedir mas não da certo, e Zelda se torna um inimigo.




Link enfrenta a princesa, sem ataques diretos e sem o suporte de Midna (pois ela é jogada pra longe). 


Ele apenas golpeia algumas bolas de energia que Zelda lança, devolvendo o fogo pra ela.




Isso é o suficiente pra faze-la cair e Midna ganhar tempo pra libertar a princesa do controle de Ganondorf.




Então, Ganon aparece. 



A forma Javali de Ganon, sua personificação principal, começa a correr pela sala do trono, saltando em portais e reaparecendo em locais diferentes da sala.




Link tenta detê-lo na forma humana, mas a mais eficiente é a de Lobo (animal vs animal).



Ganon é detido e destruído depois de muito esforço... mas ainda não é o fim.



Depois de Midna devolver a energia para Zelda e fazê-la acordar...




Ganon assume sua forma de energia, e Midna decide peita-lo sozinha. 




Ela teletransporta link e Zelda pra longe do castelo... 


E ataca Ganon com tudo...



Só que ela perde.




Ganondorf reaparece, montado em seu cavalo, comemorando a vitória contra a pequena princesa das sombras. Ele levanta o capacete/máscara dela e arremessa no chão...




Daí, Ganondorf e vários soldados fantasmas aos seus comandos vão na direção de Zelda e link, e numa cena slow motion, Zelda apela pro poder dos Espíritos da Luz.




Zelda e link são teletransportados brevemente para a dimensão dos Espíritos da Luz, onde Zelda obtém o Arco e Flecha de Luz. Daí...




Eles voltam pro mundo da luz e continuam a luta contra Ganondorf. Link controla Epona enquanto Zelda atira em Ganondorf, para que link se aproxime e desça a facada nas costas do infeliz.



Depois de alguns golpes Ganondorf cai de seu cavalo... mas ainda não é o fim.




Ganondorf pega sua espada, e luta no mano a mano com link. 



Um duelo entre a Master Sword e a Espada dos Sábios, entre link e Ganondorf, entre o Bem e o Mal, entre a Coragem e a Força.



Link consegue depois de muitas espadadas, derrubar Ganondorf e finaliza-lo...



Ainda assim não é o fim...




Ganondorf se levanta, com a espada atravessada em seu peito, e começa a dizer o quão é forte e que não desistiria... até que a Triforce da Força simplesmente some de sua mão.



Nesse mesmo instante, Ganondorf vê Zant, que o recebe no mundo dos mortos.



Ganondorf morre de pé, e finalmente se torna o pedestal da Master Sword.



Pouco importa o corpo de Ganondorf, os Espíritos da Luz aparecem e mostram o que parece ser Midna ao longe...



Link corre na direção dela.



Ela havia se libertado da maldição e voltado a sua aparência real...



E ela é bem gatinha.



Só que ela continua a mesma.

Final

Depois disso tudo, finalmente o jogo chega ao fim. Rola os créditos que mostram o reino felizão.




Mas, ao término dos créditos, Midna aparece diante o Espelho do Crepúsculo, se preparando pra voltar pro seu mundo, que aparentemente voltou ao normal também. Mas, nada é mostrado, pois depois de se despedir e dizer que graças ao espelho, link poderia vê-la sempre que quisesse...



Ela destrói o espelho.



Como ela era a princesa verdadeira, seu ataque é 100% efetivo e ela só usa uma lágrima pra isso.



Daí, os dois mundos são separados para sempre, e Midna nunca mais seria vista por link ou Zelda.




Essa decisão, foi com base em tudo o que o Espelho causou. Midna acha melhor destruí-lo para que mais ninguém fosse prejudicado por ele. Seus fragmentos só causaram desastres e o espelho em si foi tecnicamente o principal motivo pra seu mundo ter se ferrado. Foi a coisa certa a se fazer.



E é isso.



Agora, vamos as partes mais legais que eu deixei pro final.

O Lobo da Luz




Durante todo o jogo, é possível encontrar, 6 vezes, um lobo de luz que vira um Stalfo conhecido como "Hero Shade". No caso, ele treina link e ensina golpes novos em cada encontro.



Pra invocar ele, link precisa encontrar Pedras Musicais e acompanhar o som, como um lobo, uivando a música.



Quando ele acerta a música, o lobo de luz aparece e uiva junto, depois marca um ponto no mapa e diz que quando link voltasse a sua forma humana, ele o ensinaria algo. E assim acontece.



Sempre que link volta a sua forma humana e vai pro determinado ponto no mapa, o Lobo de Luz aparece e ambos lutam.



No caso, link, apenas link (sem Midna) é levado pra uma condição astral, onde o lobo assume uma forma de Stalfo Guerreiro. Esse esqueleto, luta contra link e o ensina movimentos realmente uteis (um deles é o que finaliza Ganondorf, a "Finalização").



Apesar de não ser parte obrigatória do jogo, encontra-lo é muito interessante, pois no final ele revela ser o antigo link.



Claro, ele não diz isso com essas palavras. Na real ele só fala que esperou por muito tempo pra ensinar suas habilidades a um sucessor e agora que ele o fez, ele podia descansar em paz. Isso insinua que ele seja um dos antigos links que existiram.



Em teoria, dizem que é o link de Ocarina of Time, devido as muitas e muitas referências ao OoT, e ao fato do jogo se passar no mesmo mundo só que no futuro. Além disso, há declarações oficiais de que seja o link de OoT... mas eu discordo.



Na minha opinião, ele é o link de "The Past".




Digo isso pois há mais referências a "The Past" do que a OoT no final das contas. Coisas pequenas, que parecem bobas, mas são evidentes, como por exemplo a mutação animal.



Link se transforma em animal, exatamente como acontece em "The Past" porém, ele não vira um Coelho como o link antigo, e sim um lobo. O Lobo de Luz passa pela mesma transformação, o que praticamente interliga os dois jogos.



Alias, não é apenas link que se transforma em animal quando passa pro mundo das sombras em "The Past", alguns dos habitantes de Hyrule também passam por transformações animais, como o Ferreiro que vira um Sapo. Logo, o animal depende de algo e na minha opinião, depende do "eu interior".


No caso, o link de "A link to the Past" não morre no final, mas ele também não chega a se tornar um herói. Tecnicamente, tudo o que ele fez é "esquecido" por assim dizer. Link, nessa época, deseja que tudo volte ao normal ao tocar na Triforce e assim acontece, mas, isso significa que suas batalhas jamais aconteceram, logo, ele nunca foi realmente um herói.



Bem, o link que virou o Hero Shade, aparentemente se tornou um grande soldado, muito poderoso e reconhecido, porém, ainda assim ele nunca conseguiu passar seus ensinamentos a um sucessor, o que é estranho, pois uma vez que ele era tão poderoso, ele deveria ter um verdadeiro fan club em vida, recheado de seguidores pra ele treinar. 

Em teoria, Hero Shade se frustrou e mesmo após ter convertido seu Coelho em um Lobo, ele não tinha o reconhecimento devido. Ele nunca foi considerado um herói, logo, ele não tinha sucessores com esse título. 

Daí, em OoT, um novo herói surgiu, um que foi lembrado por eras, o "Herói do Tempo" e a frustração do antigo link só aumentou ainda mais... porém, um dia, um link conseguiu invoca-lo, o link de Twilight Princess, e este foi treinado por ele, herdando o título e se tornando o novo herói, o Herói do Crepúsculo (título esse que nem chega a ser mencionado).



Parece forçado né? Eu sei... mas agora vamos aos pequenos detalhes:

O Espelho Mágico


Em "A link to the Past", link acompanha um velhinho na Montanha da Morte que no final, da um Espelho especial pra link, que permite que ele se mova através dos mundos. O Espelho só é funcional quando link está no Mundo das Sombras, onde ele utiliza o artefato pra abrir um portal e voltar ao Mundo da Luz, e o portal se mantém aberto pra que ele volte ao Mundo das Sombras naquele mesmo ponto, quando quiser. 




Esse espelho, tinha um poder que lembra o Espelho do Crepúsculo, visto que ele fazia exatamente o mesmo: Abria um portal de retorno do Mundo das Sombras, pro Mundo da Luz. Claro que o Espelho do Crepúsculo também abria o portal pro Mundo das Sombras, mas se considerar que ele estava completo, e era enorme, além de ter todo um santuário devotado a ele, e os próprios Sábios o conservando, é de se esperar que seu poder fosse total. 




Seja uma mera referência, seja o Espelho Mágico um fragmento muito mais antigo que o Espelho do Crepúsculo, seja tudo isso mera coincidência, é algo a se destacar, e não deixa de ser curioso.

Os Sábios Antigos e a Terra dos Deuses


No inicio de "The Past" uma lenda é contada, a de 7 sábios que selaram o poder dos deuses para acabar com as Guerras constantes por tal poder. Além do contexto ser o mesmo do sub-contexto de Twilight Princess, há um detalhe que até hoje me deixa pensativo: Tem um sábio muito menor que os demais.




Isso é estranho, pois pense comigo: É uma lenda, todos os desenhos de todos os sábios são exatamente os mesmos, mas um tem o tamanho bem menor que os outros. Alias, um, somente um, é diferente. Eu nunca entendi isso... cheguei a pensar que talvez isso fosse uma forma de dizer que um deles era um anão... mas ai vem a revelação de TP, onde um dos sábios é morto... será que a lenda contada em TP e a lenda contada em "The Past" é a mesma? Onde o Sábio pintado de forma menor simbolizava sua queda, ou seja, morte?!



Basicamente as duas lendas se conectam por conta das semelhanças... é claro que em TP tudo é bem mais detalhado, e surgem muitas outras figuras na história como os Espíritos da Luz, sendo estes os responsáveis de verdade pelo selamento do "Poder Proibido"... mas será que aqueles que escreveram as lendas em "The Past" realmente sabiam de todos os detalhes?



Em histórias, sempre há 3 formas de se contar o passado: Flashbacks, Lendas e Conceitos.


Quando um flashback ocorre, é possível ver exatamente como tudo aconteceu, não há dúvidas, aquilo realmente aconteceu da forma como ta sendo mostrada. É claro, que em alguns casos, podem haver cortes na história, o que pode até tirar a credibilidade total dela, mas, ainda assim, é a forma mais exata possível de se contar a história... alias, melhor que isso só o personagem mesmo vivendo a tal história. 



Quando uma lenda é contada, é claro que os fatos são distorcidos, simplificados e até alterados por completo. A lenda é uma lenda, e como tal só precisa passar uma história básica pra frente, algo que inspire, algo que ensine, não há necessidade de se conhecer todos os detalhes, logo, não é 100% fiel aos fatos... mas quando algo é destacado, é porque teve uma importância grande... tipo um personagem com a silhueta reduzida...


Quando um conceito é apresentado, não há a menor necessidade de se detalhar algo. Normalmente, a história é abstrata, e apenas precisa passar uma ideia. Geralmente, isso ocorre quando não se sabe o que realmente aconteceu, nem se tem fatos do que aconteceu, ou simplesmente não tem como mostrar tudo o que aconteceu e um resumo é feito, um resumo que tenta passar a mesma ideia pra frente, só a ideia.



Esses três tipos de histórias ocorrem em TP.


Lembrando, que a história dos 7 sábios de TP é contada e mostrada por um Flashback. Ela não é vivida por link, ela é apenas contada, mas como todos os fatos são devidamente ilustrados, é certo dizer que aquilo realmente aconteceu, como disseram que aconteceu... mas a história era antiga. Em "The Past", vemos duas formas de história ao mesmo tempo... há ilustrações e cenas reais, ambos descritos por um texto simples. Nada garante que as imagens sejam exatamente aquilo que o texto diz que são, pois são desenhos, desenhos antigos e mostrados através dos tempos, com a história explicando-os, diferente do que acontece com as cenas, como a do Rei Morto, pois de fato o rei tava morto, não tem o que contar ou descrever, ele é visto sentado em seu trono, morto, em forma de caveira. 



Como eu disse, os sábios se comunicam com link através do tempo, e eu acredito nisso pois há alguns detalhes na franquia que me fazem acreditar nisso, como esse detalhe da suposta ligação de TP e "The Past".



Alias, eu abreviei "A link to the Past" para "The Past" pois tecnicamente, Twilight Princess e The Past levam as mesmas iniciais, e foi uma indireta para a ligação deles. E também, eu quis dar ênfase em "The Past" para dizer que o jogo se passa no próprio passado... 

A Aparência do Soldado


Voltando ao Hero Shade, algo que me fez pensar em como ele se pareceria quando estava vivo foi a armadura que ele veste quando em sua forma de esqueleto. Curiosamente, a roupa não se parece com a roupa dos heróis (sem capuz, sem cor verde) e também não se parece com as roupas dos soldados de Hyrule (nem mesmo os mortos que aparecem zumbificados no Templo do Deserto). Mas, um detalhe no capacete me fez lembrar do único inimigo que tem o mesmo tipo de capacete: Os Soldados de "A link to the Past". 



Lembra que em "The Past" os soldados de Hyrule são manipulados pelo mal? Então, eles vestem armaduras que à primeira vista parecem diabólicas, com chifres e com o elmo totalmente fechado, dando um ar sombrio... curiosamente essa é a mesma armadura que Hero Shade usa.



Sim, ela tem suas diferenças, como tudo em TP em comparação a "The Past", mas isso é uma característica muito comum na franquia Zelda, pois os gráficos mudam consideravelmente de jogo pra jogo, mas não significa que não sejam a mesma coisa. O que ajuda a perceber quando é ou não a mesma coisa, é quando o conceito é adotado. A ideia base é a mesma, mesmo os traços mudando bastante (como o uniforme do heróis, em que o conceito é uma roupa verde com um capuz, algo que é sempre da mesma forma, em todos os Zeldas, mas também é diferente em seus detalhes). O conceito da armadura de Hero Shade é sem dúvidas o mesmo dos Soldados de Hyrule apresentados em "The Past".



Se link se tornou um soldado de Hyrule antes de virar Hero Shade, é possível que ele tenha vestido tal armadura para lutar em alguma guerra ou algo assim.

Teoria da Triforce

Bem, pra terminar, vou explicar um dos pontos cronológicos da Verdadeira linha do tempo de The Legend of Zelda.


Pra explicar essa parte da linha do tempo, eu precisava falar de "A link to the Past", "Ocarina of Time", "Majora's Mask", "Wind Waker" e "Twilight Princess". Como TP foi o último Zelda do qual falei, será aqui em que explicarei a primeira parte da cronologia. 



Tudo, nesse ciclo, começa em "A link to the Past", mas especificamente com o final de "The Past", onde link usa a Triforce.



A Primeira Divisão da Triforce




Ao usar a Triforce e desejar um reset na realidade, link é cicatrizado. Zelda e Ganon também, por serem os principais afetados e diretamente ligados a link (a maldição de Ganon já estava em vigor nesse período, mas eu vou falar disso só no futuro).



A grande lenda dos 3 escolhidos das deusas, é uma mentira.


Eu diria que não é bem uma "mentira" mas sim um equívoco. As Deusas não escolheram Ganon como um de seus guardiões, muito menos link ou Zelda. As marcas da Triforce, Coragem em link, Força em Ganon e Sabedoria em Zelda, surgiu em "The Past", por causa da primeira divisão da Triforce.




Sabe Dragon Ball? As Esferas do Dragão não se dividem pelo mundo quando um desejo é feito? Então, essa ideia é parecida em Zelda, pois segue uma linha de raciocínio nipônica em que para que os desejos não se tornem ilimitados, é preciso fragmentar o artefato místico que os possibilita. A Triforce se divide em três (Coragem, Força e Sabedoria) e cada uma dessas partes se incorporou à essência vital de link, Zelda e Ganon. Todos que surgissem ao longo dos tempos com a essência de um dos três, herdaria automaticamente a Triforce respectiva deles.

Sabendo disso, vem "Ocarina of Time".

Em Ocarina of Time, uma nova parte da grande lenda surge:

A Divisão da Triforce Através do Tempo e Espaço




Depois de toda a aventura, o "Herói do Tempo" precisa voltar pra seu tempo. Zelda, precisa ficar no futuro que é o tempo dela, e Ganondorf é obrigado a ficar no Mundo das Sombras (porém, como é revelado em TP, ele foi forçado a ficar no Mundo das Sombras do extremo passado). Logo, a Triforce, que já estava cicatrizada nas mãos dos três, é levada pra três linhas do tempo sem qualquer ligação, e separada ainda mais, dessa vez de forma praticamente impossível de se reunir. Surge então a Segunda e Grande Divisão da Triforce, onde a Força fica no Passado, a Coragem fica no Presente e a Sabedoria fica no Futuro, isso usando o tempo do "Herói do Tempo" como ponto de partida racional.




Com essa grande divisão, a Triforce (capaz de criar sua própria realidade) cria 3 universos diferentes, um em cada linha do tempo, com o propósito de permanecer existindo. A Essência da Triforce, apesar de dividida, é poderosa suficiente pra induzir a realidade a seu favor. Nos três universos novos, cada uma das Triforces era a principal. Em alguns casos, até mesmo outras triforces são criadas, mas não são as originais, logo, não tem o mesmo potencial...

Os Três Universos da Triforce



E é ai que se encaixa "Majora's Mask", "Wind Waker" e "Twilight Princess".



O universo da Coragem (Presente), baseado em link e sua Triforce, cria o universo em que "Majora's Mask" ocorre. Mas não me refiro a Termina, me refiro a todo o universo mesmo, envolvendo Hyrule, Termina e todas as outras dimensões que surgem a partir daí. Todos os jogos que seguem o "Majora's Mask" tem algo em comum: Múltiplas Realidades Paralelas. 



Futuramente irei explicar isso, pois abrange uma nova teoria, mas basicamente, a Coragem força sua própria realidade a buscar pelas demais, e assim, se reunir com a Força e a Sabedoria, formando a verdadeira Triforce novamente... mas isso fica cada vez mais longe de se tornar real, já que a Força e a Sabedoria também buscam meios de retornar a forma total.


O universo da Força (Passado), baseado em Ganondorf e sua Triforce, gera um mundo caótico e dominado por seu mestre. Ganondorf fica preso no mundo das Sombras por eras, e toma conta total desse mundo. Mas, a Triforce lhe da poder suficiente pra fazer absolutamente tudo o que ele queria, então, ele destrói o Mundo das Sombras, e depois o Mundo da Luz, criando o mundo de Wind Waker. Apesar da Triforce da Força ter sido jogada no extremo passado, quando ela ressurge no Mundo da Luz, é numa linha do tempo posterior a Ocarina of Time, o que explica as Vitrines dos Sábios, mas, nessa realidade que ela cria, o centro das atenções era Ganondorf, então ele ferra com tudo e todos. 



No final entretanto, tudo piora pra Triforce da Força, que é extraída pelo próprio Ganondorf, e passada para o Rei de Hyrule, tal qual deseja sua própria morte, ou seja: A Triforce da Força se perde.


O universo da Sabedoria (Futuro), baseado em Zelda e sua Triforce, gera um mundo onde ela consegue reinar até o fim de sua vida. Depois, uma nova Zelda surge e herda seus poderes, tal qual permanece sendo o centro de sua realidade, porém, a Sabedoria tenta forçar um reencontro com  os demais fragmentos e abre uma janela através da realidade, possibilitando o retorno de Ganondorf e o ressurgimento de link, mas os Ganon e link que surgem não recebem as Triforces originais, visto que a Coragem estava perambulando entre realidades e a Força havia se perdido... então, uma "réplica" de ambas é gerada. 



Bem, no final de toda a aventura, a Triforce da Sabedoria não consegue se reunir com as Força e Coragem reais, e a Força é apagada de Ganondorf. Provavelmente, a Coragem também é apagada de link, algo que não é mostrado, pois a ênfase é dada à Ganondorf, mas eu não me espantaria com isso. 



Ficou fácil de entender? Tentei não deixar muito confuso, tentei explicar da melhor forma possível, mas basicamente é isso.

Comparar os jogos e criar uma cronologia entre eles é um trabalho complicado de se fazer, pois já é difícil explicar os próprios jogos, quem dirá explica-los diante os demais jogos. Muitas coisas, não apenas na franquia Zelda, mas em várias outras como Silent Hill, Mega Man, Devil May Cry, etc, precisam ser interpretadas seguindo algum critério. O meu, é simplesmente observar os jogos por si só.

Eu sei, existem teorias, livros, projetos acadêmicos, mangas, novelas e até séries de desenho animado baseados em Zelda, que de uma forma ou de outra tentam explicar os eventos dos jogos. Eu, sinceramente, prefiro evitar esses materiais e me focar somente nos jogos. Até mesmo "declarações oficiais" eu desconsidero, pois pra mim, só há real valor aquilo que está dentro dos jogos, ou se origina a partir deles. Minhas palavras aqui, são minha interpretação baseada apenas no que eu encontrei nos jogos, sem tirar nem por. Isso não desmerece os demais trabalhos... pelo contrário, é apenas mais uma forma de interpretar. Muitas coisas podem ser parecidas, outras diferentes... são interpretações afinal de contas. 

Se você curtiu ou não, se tiver alguma dúvida, se tiver alguma crítica, se tiver alguma correção ou sugestão, se quiser me xingar também, comenta. Eu terei o maior prazer em respondê-lo, pois você se deu ao trabalho de ler isso tudo. 

Eu te agradeço pela leitura e pela atenção... espero que tenha gostado e entendido.

Até a próxima.

See yah!


Alias... se um dia alguém quiser me dar um presente, pelo amor de deus que seja "The Legend of Zelda - Hyrule Historia". Discordando ou não, eu acho esse livro lindo, e cara, eu não gosto de colecionar nem guardar coisas... mas eu serei um cara muito feliz no dia que tiver essa belezinha em minhas mãos... fica a dica... dia 17 ta ai... meu niver... falei falou... fui.

16 comentários:

  1. que delicia de texto estava com saudade do blog e decidir visita e esta incrivel como sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw pela leitura sr Wilker. Eu tava ansioso pra terminar logo, acabei me empolgando num trecho e já viu né. Agora, estou livre pra escolher o que quiser pra analisar...

      Bem, see yah!

      Excluir
  2. Belo post Carinha, só discordo da parte de coelhos serem inofensivos, quem já assistiu Monty Phyton e o Cálice Sagrado sabe o porque. Btw, já pensou em fazer analise de Shadow of The Colossos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vei eu tenho medo de coelhos agora.

      Então, Shadow of The Colossos é um jogo que eu nunca terminei. Já vi meu irmão matando uns gigantes, e eu mesmo tentei matar um mas, eu não entendia como o jogo funcionava na época então, não fui nada longe (acho que nem encontrei o primeiro grandalhão.) Mas sim, já pensei sim, não apenas pensei como já pesquisei bastante, vi gameplays, li um pouco sobre teorias e entendo o quão esse jogo é incrível. Mas, é um jogo que eu cataloguei como "Longo" e dos jogos longos, prefiro analisar aqueles que já terminei, pois fica mais fácil terminar de novo... e depois buscar pelos novos.

      Mas, um dia analisarei, pode crer.

      See yah sr Tuth

      Excluir
    2. Não sei qual a sua definição de jogo longo, mas esse jogo é muito curto na realidade.

      Excluir
    3. Sério? Eu achei que tinha uma pegada voltada pra exploração e por conta disso imaginei que o jogo era longo, tipo mais de 30 horas... mas agora que se falou que ele é curto, deu uma empolgada aqui. Eu sei que a história é bem curta, mas repito que imaginei que o gameplay era longo. Bem, vou pesquisar mais.

      Excluir
    4. O maximo de exploração do jogo é pegar fritas que dão upgrade de vida, e matar lagartos de rabo branco, que aumentam a sua stamina (que geralmente estão em save points), além de procurar os gigantes, que demora menos do que parece.

      Excluir
    5. Seguirei suas dicas Sr Tuth... vamo ver se chego longe. Manterei o Face atualizado, daí digo se já to jogando ou não...

      Vlw sr.

      Excluir
  3. Essa linha do tempo da Nintendo só causou confusão por onde passou,ainda não consigo ver por nenhuma linha,não tiro da cabeça que todos os jogos são de universo diferentes(com algumas exceções),mas ainda chego lá.
    Hyrule História,as artes desse livro são incríveis,pena que ainda não foi lançado por aqui...
    Antes que eu esqueça,pretende jogar o "Breath oh the Wild"?Esse Zelda está conseguindo chamar a minha atenção(algo que nem o Skyward Sword conseguiu muito bem).
    Bem cara,apenas isso.Curta um pouco o feriado e o aniversário(três dias antes do meu...coincidência...)e continue com as ótimas analises.Cheers!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A linha do Tempo da Nintendo teve como base argumentos de fans, é o que parece, e na minha opinião pegaram a interpretação "modinha", que dificilmente é a correta... mas eu vou primeiro deixar clara minha própria linha do tempo por completo, e depois vou comparar com a da Nintendo (inclusive, farei um post só pra esse fim).

      Hyrule História tem as melhores artes e ilustrações... para sr aquilo é uma bíblia pra fans de Zelda... eu preciso de um... nem que seja em inglês mesmo. Vou dar um jeito de conseguir.

      Se eu to pretendendo jogar "Breath of the Wild"? O que é isso? (zoera). Sr, eu to acompanhando o desenvolvimento do emulador Cemu justamente pra saber se da pra confiar nele pra jogar em meu PC ou se preciso comprar o Wii U. Já tem 3 jogos de Wii U que eu preciso jogar (DKC TF, Bayonneta 2 e SSB) mas não acho certo comprar um vídeo-game só pra jogar meia duzia de títulos ou menos... mas, se for o caso, eu farei questão (fiz isso com 3ds - Zelda BW, fiz isso com Wii - Zelda SS e DKCR, fiz isso com Xbox360 - Silent Hill Downpour e na boa, os video games tão tudo mofando aqui pois nem os jogo mais, principalmente depois do Tune-Up do PC)

      Sobre Zelda SS, eu fiquei empolgadaço com o jogo, pois na boa... eu nadei numa floresta, literalmente numa floresta! Foi um dos melhores Zeldas que joguei, e mano, o esquema da sincronia de movimentos é irada... Eu quero analisa-lo mas não quero usar Placa de Captura pois a imagem fica zoada... queria usar o próprio emulador pois fica muito mais atraente visualmente mas eu não achei os requisitos pra emular corretamente o Wii Motion Plus, e sem ele, até da pra jogar (configurei um que funciona legal) mas parte da experiência se perde, visto que um dos maiores atrativos do jogo é justamente a Espada e seus cortes sincronizados.

      Bem, 20/09 certo...

      Cheers!!!

      Excluir
  4. Já ia perguntar sobre o que voce considerava e achava da linha do tempo oficial da nintendo quando li o comentario seu acima que fala que vai fazer um post exclusivamente para isso, enquanto alguns consideram cada zelda isolado um do outro como se fossem em outras dimensões eu já gosto bastante dessa ligação que os zeldas tem um com o outro. Sendo assim, vou ficar no aguardo dessa postagem(tomara que seja logo :D).
    Aliás quais jogos vc tem mente em analisar daqui pra dezembro?
    E fico tambem na espera da minha desejada análise de Half-life 2. E uma sugestao já pensou em fazer analise de Earthbound?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hei sr...

      Então, o esquema da linha do tempo é bem delicada, pois como sabemos há bastante gente que vê cada Zelda individualmente. A cronologia inclusive pareceu forçada pra muitos... e eu pretendo falar da verdadeira (ou pelo menos a que eu acredito ser a verdadeira) em uma analise comparativa com a oficial, porém, antes disso, eu quero falar de cada jogo individualmente, dentro de cada ciclo... já comecei o próximo ciclo falando do primeiro Zelda, agora falarei de Between Worlds, Minish Cap, Four Swords, Four Swords Adventure, Oracles, Phantom Hourglass e Spirit Tracks, não necessariamente nessa ordem, porém esses jogos formam um outro ciclo... o que infelizmente pode demorar... ou não... tudo depende do quanto empolgado eu esteja (e do tempo... o tempo é crucial... se tiver sol de mais bate aquele desânimo).

      Quais jogos irei analisar até dezembro... hm... Remember-Me, Super Smash Bros Brawl, Donkey Kong Country 3 e Tomb Raider. Esses são os que já comecei a digitar. Infelizmente, Remember-me, Super Smash Bros Brawl e Tomb Raider eu deixei as fotos no outro HD e to esperando um amigo meu ter a boa vontade de trazer o dito HD... to a mercê dele. O Donkey Kong Country 3 eu quero terminar logo a analise e postar, pois to empolgado pra jogar e analisar o Returns... sei la, só to com muita vontade mesmo.

      Tem alguns jogos que eu to cogitando a analise mas, provavelmente, só vou começar a analisar em novembro...

      Bem, HL2... eu to com ele, ta instalado, ta me chamando, mas depois da primeira analise eu tenho que me planejar melhor, e to pensando se jogo os "spin offs" antes ou depois dele... eu acredito que seja melhor jogar o HL2 logo em seguida pra não ter a interpretação comprometida... mas... diante os demais projetos pode ser algo que demore... infelizmente. Mas... sairá. Todos os jogos que já separei eu já encaixei na lista então, vou analisar uma hora ou outra. Só que farei um trabalho bem minucioso.

      Eu pensei em analisar Mother 2 sim... depois de Undertale eu acho que pode ser divertido... sem contar que seria um ótimo prequel pro SSBB...

      Bem, só aguardar, eu manterei o face atualizado e me esforçarei pra que os textos fiquem ótimos.

      See yah sr.

      Excluir
  5. Hey sir outra analise otima de algo que estava esperando muito(so meu navegador sabe o quanto vim aqui no anuncio de daqui a 2 dias)e essa coisa de universos eu vejo como final fantasy tactics onde todos se passam no mesmo lugar so que em tempos tao distintos que so fica uma forte essencia da coisa so que no caso do zelda a essencia vai pra todos os universos. E sobre hyrule historia vi que ira lançar uma nova versao com mais artes ou algo do tipo.
    Ps: Achei interessante essa teoria de guerra e sinto que isso pode ser explorado no Breath of the wild enquanto teriamos que descobrir que link seria o do jogo mostrando o passado daquela hyrule

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zelda se encaixaria bem no esquema de FFT, se pa até na própria franquia FF mesmo. Cada Zelda começa com uma lenda tão abstrata e tão, tão vaga, que chega a ser difícil enxergar as conexões logo de cara. Mas, elas existem, pois por alguma genialidade e casualidade do destino, os jogos se tornaram únicos e grandiosos o suficiente pra ter uma interpretação múltipla possibilitada. É bem como o sr disse: A essência se espalha por todos.

      Cara, o Hyrule História é incrível, não pelas teorias, mas justamente pelas imagens e arts oficiais... isso é de uma riqueza incalculável... eu fiquei vislumbrado com o que vi... mas eu não tenho o livro... ainda.

      Ps.: Hah, no primeiro trailer do BotW em 2014 se não me engano (nem tinha o nome definido ainda), do Link numa floresta correndo do Gohma até pegar um Arco, avançadíssimo em tecnologia, eu já comecei a teorizar sobre onde ele se encaixaria na trama e sim, ele pode explicar o que ocorreu em muitos momentos de Zelda, todos eles envoltos de guerra. Detalhe: Skyward Sword deu dicas de que existiria um Zelda pós apocalíptico, no mesmo esquema medieval, mas com muita tecnologia avançada "esquecida" pelo tempo. Então, na boa... eu acho que o BotW vai ser surreal.

      Não quero me empolgar de mais... pra não me desapontar (até hoje, nenhum zelda me desapontou mesmo com as expectativas la no alto) mas algo que me deixou injuriado foi o áudio do Gameplay da E3... o idioma falado em inglês... isso me deixou triste, pois é o mesmo que matar o idioma da franquia... mas ai em conversas com meus irmãos acabei chegando a conclusão de que, talvez, seja algo apenas da demo, ou, talvez, seja proposital, para mostrar um mundo mais próximo do contemporâneo, mas com a magia de Zelda... algo assim. Enfim, eu to ansioso e se o Cemu não tiver 100% jogável até la... eu vou comprar o NX só pra jogar Zelda (de novo kkkk).

      Se yah sr Jose... e eu to jogando outro zelda... foi mal, eu me empolguei com o título e comecei mais um. Provável que venha análise em breve.

      Excluir
    2. Eu não vi o trailer pra não ficar me matando de vontade de jogar(coisa que foi estragado por ver uma gameplay e caramba aquele link de armadura meu deus) e todo zelda eu acho incrivel com seu tom certo cada um parece totalmente diferente um do outro tendo aquele detalhe que muda todo o jogo, nem os que sao continuações diretas parecem continuações fica so uma essencia da hyrule que acho demais isso que todo zelda pode simplesmente te prender e você ficar horas procurando algo ou explorando umas das dungeons(unico problema meu era ficar perdido serio esse zelda TP não zerei por ter que ter pausas não sabendo pra onde ir e acabar tentando fazer sidequests e me perder da historia)

      Excluir
    3. É, Zelda tem muito disso... cada jogo é enorme da sua forma, criativo e te prende por um fator diferente. Nenhum Zelda é igual ao outro, como você mesmo disse, nem mesmo as continuações diretas são.

      Agora... sobre se perder e cair nas Side-Quests... ta ferrado no BotW hein... vi que será possível tanto zerar o jogo sem nem mesmo conhecer a história, quanto gastar dezenas de horas sem nem fazer a história. Rolou comentários até que o jogo vai ter multiplos finais (o que eu acho ridículo se for o caso... a menos que seja algo que faça parte do enredo... mas é ver pra crer). Só pelo pouco que li... o negócio vai ser ridiculamente tenso de zerar (ah, detalhe... é um Skyrim com skim de Zelda rs... então certeza que se for pelo menos 50% do que a nintendo afirmou que será, vai ser o primeiro Zelda que terá mais de 200 horas de jogo.)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+