PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

AnáliseMorte: Castlevania - Lords of Shadow 2

Olá, desculpem a demora, mas finalmente me sinto pronto para falar do último Castlevania (até então) da saga "Lords of Shadow".


Essa não será uma análise muito longa (pra compensar o tamanho da última análise que fiz sobre Silent Hill) então, espero que goste do que lerá.


AVISO!


Tem.... muito sangue.... e morte....... e......... cui....... spoilers............


Então, quando joguei Castlevania Lords of Shadow, me decepcionei legal, considerando o fracasso de continuísmo do jogo, onde a ideia original foi tão remexida e mal explorada que, simplesmente gerou falhas dentro de falhas... e não há algo pior que um jogo bonito, porém mal executado.

Mas, apesar de tudo, alguns detalhes foram repassados e melhor explorados da continuação "Mirror of Fate" e um destino legítimo foi dado a saga. 

Inclusive me surpreendi com o que fizeram ao ligar o primeiro jogo com o segundo, e por fim, com o terceiro, reforçando as ideias sem menosprezar nenhuma.... simplesmente fizeram com que o que tinha dado errado no primeiro jogo, ficasse melhor e um sucesso no terceiro.



E é desse terceiro jogo que irei falar... alias, o LoS 2, apesar de levar o "2", é o terceiro jogo da franquia, e é o terceiro sequencial mesmo em cronologia, onde Mirror of Fate vai além de mero "spin-off" ou "enche-linguiça", e se torna pré requisito pra conectar o 1 e o 2, logo, ele é o verdadeiro "2". 

Mesmo com a necessidade de haver um jogo para ligar os dois, no inicio do 2, é contado praticamente toda a história do Mirror of Fate em uma CG, e bem, isso dispensa um pouco a experiência do MoF, mesmo ele tendo bem mais detalhes.



Jogabilidade

Diferente do primeiro e do segundo jogo, esse aposta numa câmera em 3° pessoa, porém bem mais próxima do personagem, posicionada em suas costas. Apesar disso, ela também se distancia mantendo o padrão de 3° pessoa estilo hack&slash. Só que não chega a se distanciar tanto a ponto de virar um simulador de paisagem, então é algo bem decente e equilibrado.


Há elementos de Hack&Slash, traços de RPG (com recompensas em forma de EXP e Moedas após as lutas) , muita Ação, Aventura, e leves traços de Terror (só pelas irmãs Gorgonas, cara... aquilo resumiu o jogo), e um leve toque de Stealth, onde o jogador precisa se manter omisso e passar sem ser percebido em alguns locais. Há também alguns poucos puzzles e elementos assim, mas muito pouco, quase nada, o que da uma bela vitória pro jogo... se comparado ao "Puzzlevania".


Repare que a todo momento eu comparo o 2 com o primeiro jogo, e isso acontece pois o 2 é uma maravilhosa obra de arte restauradora com relação ao desastre do primeiro.

Como eu mencionei, na análise de LoS, o jogo começou com uma ideia, e terminou com outra. A ideia foco era mostrar a origem do clã Belmont, antes mesmo do poderoso Drácula existir, mostrando que eles lutavam contra males gerais do mundo, não apenas este que só viria a aparecer depois. Mas, no desenvolvimento, a história tomou outro rumo, e o título "Senhores das Trevas" mudou para "Senhor das Trevas" e a ideia de que um Belmont, o primeiro Belmont, se converteria no Senhor de todo mal, ganhou forma, e decidiram dar forma a Drácula, em cima da hora, sem nexo algum, usando a ideia original, dos Senhores das Trevas como criaturas do mal enfrentadas desde o primórdio, para um ser santo, todo poderoso, se convertendo no ser mais maligno de todos.


A história, a ideia, o enredo, a temática, tudo é perfeito no primeiro jogo, o problema foi como tudo foi contado e desenvolvido. Foi um desastre. O correto seria usar os elementos apresentados no primeiro jogo para desenvolvê-los, mas como não fizeram isso com sucesso, e criaram um emaranhado de ideias dispersas, decidiram focar e fazer tudo do jeito certo. Por isso nasceu o Mirror of Fate, pra explicar as coisas de uma forma mais digna e preparar o terreno pra história correta, de como o Senhor das trevas surgiu.

No 2, apesar de não ser contada a origem de Drácula de forma explícita, é contado o porquê de Drácula existir, e muito bem explicado. Alias, esse é um complemento perfeito para o primeiro jogo, onde conclui a ideia original em mescla com a atual.


Sim, Drácula nasceu da destruição do Mal, e isso agora ficou bem mais claro. Não tem nada haver com o Sangue de Laura correndo pelas veias de Gabriel, não tem nada de motivo secundário como mostrado nas horriveis DLCs. Drácula, como Senhor das Trevas, nasceu no instante em que Gabriel Belmont eliminou todos os Senhores das Trevas e ganhou o respeito e servidão de todas as criaturas das trevas (até então, que ele sabia). Drácula era "humano" ainda, mas quando ele se converteu em um vampiro, seu lado demoníaco o dominou completamente, e ai sim, ele se converteu numa Criatura das Trevas completa.


Esse jogo explica isso, explica porque Gabriel foi dominado por seu lado mal, não apenas por mera revolta, ou raiva, mas por consequência de suas escolhas. Ele decidiu que, a única forma de manter o mal abaixo, era estando acima, e para isso ele precisaria se tornar o maior mal.

Completar seu ritual de conversão em Senhor das Trevas era a única alternativa, e pro seu azar, ainda faltavam 2 passos. Ele precisava derrotar completamente o Senhor dos Mortos e o Senhor dos Demônios, para assim obter poder total sobre todas as criaturas das trevas.

Mas isso é algo que pertence a história do jogo, depois explico melhor. Por hora vou me focar na jogabilidade.

Aqui, você controla Drácula, e no inicio ele está com poder pleno. Mas, a história do jogo faz com que Drácula perca totalmente seus poderes e você recomeça sua conversão, e assiste Gabriel, como vampiro, assumindo o papel de Drácula, pela segunda vez. (a primeira vez nunca foi completamente mostrada, então você tecnicamente passa pelo que Drácula passou antes, em sua primeira jornada pelo poder das Trevas)


Apesar de ser linear, o jogo tem espaço pra exploração, e é possível passear pelo cenário e transitar entre os diferentes mapas dentro da cidade/castelo de Drácula, e caso o jogador precise, tem um sinal no mapa para o destino que ele achar melhor, seja a Missão Principal, ou a Lojinha do Chupacabra.

Alias, há duas versões do Castelo de Drácula, uma real e uma sonhada. Drácula precisa atravessar suas memórias distorcidas para reaprender seus movimentos e recuperar seus poderes, além de recuperar sua memória fragmentada sobre porque ficou tão fraco.


Na versão real, ele está nos dias atuais, com carros e prédios atravessando o meio do salão principal, ou pelo menos de onde ele deveria estar. Foi criada uma cidade inteira em cima dos terrenos de Castlevania, então você tem a possibilidade de andar pela cidade, ou pela memória do Castelo original.

Há várias habilidades e movimentos, mas existem 3 armas principais: O Chicote de Sangue, a Espada do Vazio, e Os Punhos do Caos.

O Chicote não gasta energia ao ser manipulado, e é a arma padrão de Drácula, que usa seu próprio sangue pra dar forma a um chicote (arma principal dos Belmont).


A Espada, gasta energia do Frio (azul) para ser manipulada, e ela tem como principal efeito o de absorver o dano em forma de energia para Drácula, ou seja, ele recupera HP enquanto bate.


Os Punhos gastam energia do Fogo (laranja) e o principal efeito deles é ultrapassar defesas com facilidade. Eles rompem qualquer bloqueio.


Drácula também pode possuir seres humanos com base em seus poderes demoníacos...


Ou tomar forma de ratos.


Essas habilidades são algumas das que permitem que ele passe por locais sem ser percebido ou visto... possuindo seres ele pode andar por um tempo e até abrir portas codificadas. Como rato, ele pode passar por locais pequenos, tubulações, e até passar no meio de monstros, correndo o risco de ser pisoteado, mas, sem ser percebido como Drácula.

Além disso, há armas secundárias e efeitos secundários:

Morcegos, que deixam o alvo confuso e desnorteado, além de distraí-lo. Só pode ser lançada uma rajada de morcegos e enquanto eles estiverem trabalhando, ficam inutilizáveis, mas assim que terminam o ataque, eles podem ser direcionados para um novo alvo.


Adagas, que causam pequenos danos, a menos que sejam preenchidas com energia de Gelo ou Fogo, onde Fogo causa mais dano e explode e Gelo congela. As adagas são formadas como o Chicote de Sangue, e são ilimitadas.


Neblina, onde Drácula assume a forma de fumaça de sangue, podendo atravessar objetos sólidos e se tornar invulnerável, enquanto durar o efeito da névoa.


Asas de Demônio, onde Drácula consegue saltar duas vezes no ar. Essas asas são formadas a partir do sangue de Drácula, à imagem das Asas Sagradas que ele usou quando ainda era Gabriel, na luta contra os Senhores das Trevas. 


Essas habilidades são reutilizáveis, só bastando esperar um pouco pro efeito recarregar... e tem alguns itens consumíveis que podem ser recuperados por compra ou coletados ao derrotar inimigos ou destruir objetos:

Poção (Lágrimas de Santo) - Recupera Energia, e durante um tempo mantém ela maximizada e aumentada.


Poção Mágica (Demônio Aprisionado) - Restaura a energia mágica e durante um tempo cronometrado, mantém maximizada e sem gastos.


Dodo (Ovo de Dodo) - Rastreia 1 Segredo e aponta ele no mapa.


Ampulheta (Relógio de Stolas) - Deixa os inimigos mais lentos durante a queda, permitindo um combo maior, isso durante um certo tempo.


Selo (Selo de Alastor) - Libera todos os movimentos das três armas principais de Drácula, sem que ele precise "compra-los" ou "aprimora-los" com moedas e exp. Mas, isso só dura por um pouco de tempo.


Talismã do Dragão - Faz com que Drácula vire dragão por uns 3 segundos. Ele não assume a forma de dragão durante o gameplay, apenas em CG e isso causa um dano enorme em área. Mas, após usado, ele precisa ser restaurado com a coleta de seus fragmentos, que aparecem aleatóriamente ao derrotar inimigos ou destruir coisas.


Interessante destes itens é que eles podem ser coletados e comprados durante o jogo, mas Drácula tem um limite máximo para cada um deles, onde pode carregar de 3 a 4 itens de cada. Ainda assim, é possível "Absorver" o poder dessas relíquias e armazenar, com no máximo 7 energias armazenadas, e posteriormente, "Conjurar" novas relíquias com a energia da absorvida. Ou seja, se você não curte usar os Ovos de Dodo, você pode absorvê-los e, quando precisar de Poção por exemplo, conjurar poções com a energia armazenada. É algo útil, e realmente, há momentos em que certos itens fazem muito mais falta que outros. 


Além disso, há vários movimentos diferentes e até especiais, que podem ser "upados" comprados e melhorados com exp/moedas. Também, ao se utilizar um movimento várias vezes, ganha-se pontos em forma de sangue para aumentar o poder básico da arma usada.

Enfim, tem bastante esquemas sistemáticos e essa babozeira, mas como sempre, não é disso que quero falar. Apenas falei pra você ter uma noção de como o jogo funciona, afinal é possível que não tenha jogado ainda.... e mesmo se jogou, algumas coisas passam desapercebidas. 

Agora, enredo. Primeiro, irei contar a história bem resumida, bem resumida mesmo, pois tecnicamente a história do jogo é bem curta. Posteriormente, falarei dos personagens e suas respectivas histórias e influências. 


         Castlevania: Lords of Shadow 2        



Logo após os eventos de Mirror of Fate, Alucard foi embora com os fragmentos do Matador de Vampiro (cópia), pois sabia que Drácula retornaria um dia, afinal era imortal. E isso acontece, um dia Drácula se levanta e começa a reinar novamente. Então, a Irmandade da Luz ataca Castlevania, com o intuito de destruir Drácula de vez, mas, a invasão é mal sucedida e Drácula extermina todos que o atacaram. Por fim, Alucard aparece... 


Mas, Dracula acorda enfraquecido, séculos depois. No novo mundo, ele é recebido por Zobek, que estava vivo e caminhando tranquilamente. Drácula é informado que Lúcifer está planejando seu retorno, pois sem Drácula no mundo (o único que poderia derrota-lo, e que conseguiu isso antes) ele estava livre pra caminhar sobre a Terra e reinar. Zobek então monta um plano junto com Drácula para impedir que Lúcifer retorne. 


Mas, enquanto colocava o plano em prática, destruindo os Acólitos de Satã, Drácula recobra a memória, e se lembra do que aconteceu depois que Alucard apareceu no passado, após o massacre da Irmandade da Luz. Ele se lembra, que pai e filho fizeram um acordo, e que Alucard havia criado uma arma capaz de adormecer Drácula por tempo indeterminado, fazendo-o parecer como morto, para que, um dia, quando fosse a hora certa, Drácula se levantasse novamente e lutasse, contra o mal maior: Lúcifer. Então, Drácula concordou, e com ajuda de Alucard, adormeceu, e quando Lúcifer estava para retornar, Alucard acordou seu pai, e o levou ao encontro de Zobek, para que com a influência de Zobek no novo mundo, ele chegasse até Lúcifer e finalmente o derrotasse.


Isso ocorre, e ao invés de impedir que o demônio dos demônios ressurgisse, Drácula decide permitir, para então mata-lo. Mas, Zobek descobre o plano paralelo e usa a verdadeira Matadora de Vampiros que ele restaurou, para tentar matar Drácula. Mas, Drácula vence, e mata Zobek, obtendo assim a arma perfeita para matar o demônio. 


Por fim, Drácula permite o retorno de Lúcifer e assiste sua invocação de perto, pronto para destruí-lo, e quando ele vem ao mundo, Drácula, Alucard e Lúcifer lutam. Drácula é forçado a enfrentar Alucard possuído por Lúcifer, mas consegue extrair o demônio dele e no final, crava a Matadora de Vampiros no coração de Satã, eliminando o Senhor dos Demônios de uma vez por todas.


Essa é a história do jogo, a história principal, pois há uma enorme enrolação para conta-la. Vários fatos paralelos ocorrem, personagens e mais personagens participam, ganham espaço, mas tudo gira em torno desse contexto básico. É desses personagens que irei falar agora.


Personagens

Drácula




O Príncipe das Trevas.


Drácula nasceu após a morte de Gabriel Belmont. Conforme havia sido profetizado, aquele que derrotasse os Senhores das Trevas, sucumbiria às mesmas trevas e se converteria no Senhor das Trevas. Isso ocorreu com Gabriel, que em sua peregrinação, derrotou O Senhor dos Licantropos, A Senhora dos Vampiros e o Senhor dos Necromantes. 



Mas não foi só isso, Gabriel descobriu que esses 3 Senhores das Trevas eram na verdade o lado das Trevas dos fundadores da Irmandade da Luz, a mesma organização santa a qual ele servia. 



Gabriel apenas derrotou esse lado mal deles, e absorveu para si toda a responsabilidade deles. Ele, acabou liberando seu próprio lado mal, e ao se santificar ao máximo, também deixou pra trás seu lado das trevas. Esse lado, é Drácula.



Quando Gabriel se converteu em uma Criatura das Trevas, bebendo do sangue de uma vampira chamada Laura, ele caiu perante os desejos das Trevas, e seu lado mal dominou. Ele se converteu então no Santo Dracul, o cheio de títulos sombrios, que assumiu a posição de "Dragão" por ser raro, e poderoso como um. Ele se tornou Drácula.



Mas, apesar de maligno e  detentor de todos os poderes e responsabilidades das trevas, ele ainda mantinha seu lado humano adormecido. 



Um dia, quando Drácula conheceu a existência de seu filho, Trevor Belmont, durante uma luta sangrenta, Drácula também derramou o sangue do mesmo, e ao tentar salva-lo, o condenou a mesma vida sombria que ele tinha. Drácula matou Trevor, e deu vida a Alucard, que por sua vez jurou vingança. 



Mas, apesar de toda raiva e sentimento de vingança latente em seu coração sombrio e morto, Drácula ainda tinha seu amor por seu filho crescente, e foi por causa disso que ele decidiu lutar em prol da humanidade novamente. 

Quando Alucard surgiu com o plano de destruir o demônio de vez, Drácula sentiu que poderia ter seu filho novamente, para ajuda-lo, e talvez, mesmo que no meio da escuridão, eles dois poderiam se dar bem. Isso lhe deu esperanças e forças para lutar contra sua própria natureza, e trazer de volta um pouco de Gabriel dentro de si.



Drácula decidiu por fim, se converter totalmente no Senhor das Trevas, e já que ele nunca poderia extinguir o mal do mundo, ele se tornaria o único mal, e assim, manteria o equilíbrio sob suas próprias mãos. Para isso, ele ainda tinha de destruir o Senhor dos Demônios, de uma vez por todas, e também, o Senhor dos Mortos, que ele ainda não tinha derrotado totalmente. 

Drácula tinha os poderes e domínios das trevas que Gabriel obteve no passado. Ao derrotar a Senhora dos Vampiros, Gabriel tinha controle sobre todas as criaturas que serviam aos vampiros (Morcegos, Vampiros de todos os tipos, etc). Ao derrotar o Senhor dos Licantropos, Gabriel tinha o controle sobre todas as criaturas do domínio dos Licantropos (Lobos, Lobisomens, etc). Ao derrotar o Senhor dos Necromantes, Gabriel tinha controle sobre todas as criaturas da morte (Zumbis, Espiritos, etc). Esse controle se fixava na Máscara das Trevas.



No momento em que a Máscara ganhou sua forma total, o Senhor dos Mortos, Zobek, que tinha disfarçado usando o Senhor dos Necromantes, apareceu para pegá-la, sem imaginar que o Senhor dos Demônios, Lúcifer, estava manipulando-o para conseguir o poder absoluto sobre todos os seres das Trevas... Tanta traição não teve vez, e Lúcifer foi impedido por Gabriel, que tomou a máscara para si. Com isso, O Senhor dos Demônios, junto com o controle sobre todas as criaturas do demônio, fugiu após sua derrota. O Senhor dos Mortos também, deixando sua Máscara com o controle sobre a Morte para trás.



Então, com todo o poder das trevas correndo em suas veias, junto com sentimentos negativos nascidos das mentiras da Irmandade da Luz, Gabriel se entregou para as trevas, e quando se tornou um Vampiro, ele assumiu o papel de Drácula.



Drácula desenvolveu, junto com seus poderes de vampiro, todas as habilidades dos Senhores das Trevas, se tornando um ser único. Com o poder se transmutar (como licantropos) e total domínio sobre a morte (com sua vida eterna) Drácula também desenvolveu poderes demoníacos devido a derrota de Lúcifer, ganhando o dom da Possessão, e vários outros poderes, além de total domínio sobre as Criaturas das Trevas contra as quais ele havia lutado. Os únicos seres que ele ainda não controlava, eram os Demônios, pois o verdadeiro Senhor dos Demônios ainda existia.


E é por isso, que Drácula precisava fazer o possível para trazer o Senhor dos Demônios ao mundo, e destruí-lo.



Alucard




Soldado das Trevas


Alucard está para Drácula como Trevor está para Gabriel. Alucard nasceu do sangue de Drácula, derramado na boca de Trevor Belmont após ele declarar que era filho de Gabriel Belmont e morrer, nas mãos do que tinha sobrado de seu pai.



Isso foi o suficiente pra enlouquecer Drácula, e torná-lo ainda mais mortal para a Irmandade da Luz e tudo que eles acreditavam, afinal, até então, Drácula nem sabia da existência de um filho. Tudo havia sido escondido pela Irmandade... e pior... seu único filho havia sido enviado para mata-lo, pois a Profecia dizia que apenas um Belmont derrotaria o Senhor das Trevas... 

Pois bem, quando Alucard despertou, ele não era mais Trevor, mas seu ódio por Drácula ainda existia. Alucard fez de tudo para matar Drácula, e até se aliou com seu próprio filho, e ambos conseguiram por um fim em Drácula, pelo menos provisório. Mas, Alucard logo percebeu que Drácula jamais morreria... ele era eterno, e era um mal necessário.... 



Alucard vagou pelo mundo, destruindo seres das trevas, até que Drácula retornasse, e durante sua caçada e batalha incansável que ele percebeu definitivamente, que teria de buscar outra solução para acabar com Drácula. 

Quando Drácula ressurgiu e a Irmandade da Luz começou seu ataque, Alucard havia se decidido... e assim que a irmandade caiu, numa singela demonstração de invulnerabilidade por parte de Drácula, Alucard apareceu, e ofereceu um acordo.

Ambos conversaram e decidiram se aliar, com o bem comum de eliminar os últimos senhores das trevas e oferecer poder total a Drácula. Alucard havia entendido que Drácula não era apenas mal... ele era essencial, ele era o controle de tudo. Ele precisava existir, do contrário os seres das Trevas agiriam sem controle algum. Com Drácula dominando tudo, as coisas seriam melhores.



Então, Alucard forjou uma espada com os fragmentos da Matadora de Vampiros Copiada, e essa espada tinha poder suficiente para paralisar Drácula. Enquanto ela estivesse presa no coração de Drácula, ele não se recuperaria, nem renasceria, ele apenas ficaria adormecido. 

Drácula concorda com tudo o que Alucard diz, e, talvez vendo uma segunda chance de conviver com seu filho, Drácula se entrega à Lâmina de Alucard e adormece, esperando pelo dia em que Alucard retiraria a espada e ele se levantaria novamente, para lutar.



Quando o dia chega, Alucard de fato o faz, e remove a espada, e de quebra, enquanto Drácula ainda não se levantava, Alucard preparou o terreno, posicionou os poderes do Vazio e do Caos no lugar onde Drácula encontraria, e no fim, ainda tomou o posto de Tenente de Zobek, para usar Zobek em seus planos. 

Por fim, ambos lutaram lado a lado contra Lúcifer, e bem no final mesmo, o próprio Alucard foi controlado por Lúcifer, possuído, mas ele foi libertado por Drácula. 



Há uma DLC em que Alucard é jogável, e nela é contada a história do que Alucard fez após tirar a espada do peito de seu pai, como ele recuperou os poderes principais de Drácula e como assumiu o papel de Tenente de Zobek. Pois bem, durante essa DLC, os poderes clássicos de Alucard aparecem mais uma vez, porém diferentes dos poderes de Mirror of Fate:



O poder de virar Morcego, se amplifica, e ele vira um Bando de Morcegos, semelhante a Neblina, é como uma mescla entre o poder de virar morcego e virar neblina.



O poder de virar Lobo, foi bem modificado, e também sofreu uma mescla com o poder de virar Neblina, onde ele projeta um Lobo Astral, que pode andar livremente, mas que deixa o corpo de Alucard vulnerável. De quebra, onde o Lobo Astral parar, Alucard é teletransportado, e esse lobo pode atravessar qualquer coisa, como uma neblina mesmo.



O poder de mexer com o tempo, é levemente modificado, e ao invés de apenas parar o tempo ou desacelerar, Alucard consegue reverter certos objetos no tempo, por um curto período... ele pode por exemplo fazer um dispositivo que foi destruído voltar a sua forma normal, por um tempo.



Apesar de bem diferente, a ideia ficou legal e os poderes quando combinados são muito interessantes e dinâmicos.



Alucard também não usa chicotes como em Mirror of Fate, ele abandonou a arma dos Belmont e passou a usar apenas Espadas. 


Nessa cena ele usa A Espada do Vazio de seu pai, junto com sua espada encantada com fogo, mas... exemplifica seu poder elemental.
Ele usa inclusive uma Espada encantada com o poder de Fogo e Gelo semelhante ao poder do Vazio e Caos de seu pai, mas no caso, ele apenas encanta sua arma com essas propriedades, congelando e queimando tudo. (drenando almas e quebrando defesas também);


Trevor Belmont





Quando Drácula desperta, suas memórias não despertam junto. Pelo contrário, elas ficam confusas e presas numa realidade alternativa de Castlevania. O castelo de Drácula, banhado com seu sangue amaldiçoado, faz das lembranças de Drácula o que bem entende.

Mas, das lembranças atormentadas, surge Trevor, em sua forma infantil. Alguém que Drácula jamais conheceu, mas viu através do Espelho do Destino, esse reflexo do passado de Trevor volta para ajudar Drácula a conseguir as lembranças certas, e voltar ao controle de seu próprio ser.



O acordo de Alucard e Drácula estava adormecido, e deveria ficar assim para que Zobek com seus poderes e feitiços não descobrisse os verdadeiros objetivos de Drácula, então, a confusão gerada em seu ser foi importante para que ele não entregasse o jogo.

Trevor então surgiu dentro das memórias de Drácula, para guia-lo em sua jornada paralela. E com isso, Drácula ganhou o poder de viajar para seu Castelo, no passado, numa segunda dimensão, onde ele teria a chance de encontrar suas memórias e poderes, se recuperar e por fim, se preparar para vencer Zobek e o Satã.



Drácula também passou a alimentar mais seu amor por seu filho, ao conviver um pouco com as memórias de Trevor, mas isso só serviu para enfurecer ainda mais o Castelo e o sangue de Drácula, e por pouco, Drácula quase se perdeu em sua fúria.



Trevor deu a drácula um Amuleto que servia para invocar um Lobo Branco, simbolo este da união de Pai e Filho entre Gabriel e Trevor, e Alucard e Drácula. Mesmo as criaturas mais sombrias, ainda tinham o amor fraternal correndo em suas veias, entupidas de ódio, rancor e fúria... mas... tinham.



No fim, Trevor orienta Drácula a recuperar os fragmentos do Espelho do Destino, alegando que isso era algo importante pra ele.



Drácula o faz, encontra praticamente todos os fragmentos, exceto um... esse último estava com um Belmont.

Marie 





Não apenas Trevor ressurgiu nas memórias de Drácula, mas Marie, a esposa de Gabriel também.

Outro simbolo de amor para tentar trazer Drácula a sanidade, Marie apareceu para ir contra os ideais do Castelo, que por sua vez queria fazer Drácula mergulhar na escuridão e voltar a ser o ser maligno que sempre foi. O risco de ter o Príncipe das Trevas afastado das trevas fez do castelo um de seus maiores inimigos. Inclusive, o Castelo passou a amaldiçoar as memórias de Drácula, fazendo delas também seus inimigos... mas, Marie estava la para ajudá-lo.


Na real, ela pegou Gabriel beijando Carmilla em suas memórias... ou seja, ela voltou dos mortos pra entrar na mente do seu amado e, pega-lo no flagra fantasiando... man.... olha a cara dela!
Marie surgiu pela primeira vez para Alucard, quando o mesmo retirou a Espada do Peito de Drácula. Ela explicou o que estava havendo na outra dimensão, nas memórias de Drácula, e levou Alucard para preparar o lugar para Drácula. Foi nesse momento que Alucard ajudou a recuperar alguns dos poderes de Drácula e reposicionou eles, de forma fácil para Drácula.



Depois disso, Marie apareceu algumas vezes para salvar Drácula, como quando a memória da Senhora dos Vampiros surgiu para tentar seduzir Drácula e seu lado vampiro, mas, Marie deu as caras e lembrou que só havia um amor na vida de Drácula, pelo menos para seu lado humano.


A vampira assume a forma de Marie pra tentar enganar Drácula e fazê-lo beber mais de seu sangue infectado.
A Marie verdadeira estava morta e descansando em paz. Ela ajudou Gabriel em sua jornada, guiando-o e orientando-o, e no fim, ela o trouxe dos mortos com ajuda de outros espíritos. 



Ela terminou sua jornada com o direito de descansar em paz. Daí, surgiu essa memória, tão viva quanto a Marie original, dentro de Drácula, nascida dos poderes dele. Essa memória serviu para que Drácula mantivesse seu lado puro ainda vivo, mesmo com tudo fazendo o possível para ele se tornar totalmente maligno.


Zobek





O Senhor dos Mortos


Zobek, que sempre agiu por trás das cortinas, agora resolveu subir no palco. Ele enviou seu Tenente ao encontro do recém acordado Drácula, e com isso, planejou o máximo para se livrar de seus dois maiores inimigos: Lúcifer e Drácula.



Ele disse para Drácula que Lúcifer estava para retornar, invocado por seus Acólitos. Daí, ele o convenceu dizendo que, apesar de sua imortalidade, caso ele lhe ajudasse, ele lhe daria a única arma capaz de tirar sua vida. Zobek ofereceu a antiga Matadora de Vampiros, restaurada por ele a partir dos fragmentos do que sobrou quando Gabriel virou vampiro (ele quebrou a matadora com as próprias mãos), e disse que se Drácula impedisse que Lúcifer voltasse, afinal Lúcifer tinha total domínio sobre Zobek (ele o derrotou no passado, e o humilhou), ele lhe daria a Matadora.



Zobek inclusive disse que ele mesmo teria prazer em tirar a vida de Drácula e lhe dar o descanso eterno que ele tanto almejava.



Mas, os planos de Zobek saíram de seu controle, completamente, quando ele descobriu os planos de Drácula e Alucard.

Zobek se voltou contra Drácula e tentou de fato matá-lo, mas Drácula o venceu, derrotou seu lado "Morte" e de quebra, tomou a Matadora de Vampiros para si.



Zobek foi ferido com a Espada do Vazio, e apesar de ter sido derrotado, por ser o Senhor dos Mortos, ele tem vida eterna como Drácula.



As possibilidades dele retornar são grandes, e como ele não foi ferido pela Matadora de Vampiros, é bem possível que o Senhor dos Mortos ainda exista.




Tenente de Zobek





Zobek tinha um guardião, um espadachim das trevas aos seus serviços, um pupilo, um aluno.


O Tenente foi o primeiro a checar o ressurgimento de Drácula, mas ele não contava com Alucard ao seu lado. Alucard enfrentou ele e o derrotou, matou e depois vestiu sua armadura.



A partir de então, o Tenente de Zobek era na verdade Alucard disfarçado, e graças a isso, Alucard conseguiu mais recursos para por seu plano em prática, monitorar seu pai com tranquilidade e sem se preocupar com sua identidade.



Pra variar, as memórias adormecidas de Drácula viriam totalmente a tona no exato momento em que Alucard colocasse a mão em seu ombro... isso seria difícil de se fazer com Zobek na cola, agora, convenientemente disfarçado de Tenente, Alucard não teria problemas.


Lúcifer





O Senhor dos Demônios


Na última vez que veio ao mundo, Lúcifer usou Zobek que usou Gabriel para derrotar todos os Senhores das Trevas e canalizar seus poderes em uma máscara. Lúcifer tentou então tomar a máscara para si, mas não contava com Drácula.



Gabriel, recém endiabrado, já havia matado tantos lords das trevas que tinha se convertido em um, com ou sem máscara. Ele então peitou Lúcifer, após voltar dos mortos com ajuda de Marie, e assim, o venceu.



Lúcifer fugiu, mas um dia retornaria, assim que Gabriel não existisse mais para impedi-lo... mas Gabriel já não existia mais fazia tempo, e Drácula estava pronto pra reinar por toda eternidade.



Mas, os demônios ainda estavam aos serviços do tio Lú, e a única forma de controla-los e assim, monopolizar o controle do mal, era matando ele. E Drácula estava prontinho pra isso.

Durante a luta final, quando o Caipiroto ressurge, ele acaba com seu invocador ao ver que o único que é capaz de enfrenta-lo está la, parado, olhando tudo acontecer. Depois disso, ele, todo musculosão e bombado, diferente de como estava na última vez que apareceu, decide apelar, e sabendo que suas chances de vencer Gabriel Belmont, agora que tava totalmente voltado pro lado do mal e com centenas de vezes mais poder do que antes, eram totalmente nulas. Com isso, ele apela, e invoca um demônio antigo e vai pro céu, explodir a Terra.



Mas Drácula e Alucard o impedem bonito e bem na hora H, matam a besta gigantesca. Com isso, geral cai, e Lúcifer usa seus poderes pra possuir Alucard, usando seu corpo na luta final contra Drácula, com a vantagem de ser filho dele.



Mas Drácula não poupa nem mesmo seu filho, e sob as provocações de Lúcifer, ele pega a Matadora de Vampiros, única arma santa capaz de matar qualquer coisa das trevas, e quase finca ela no peito de Alucard... mas Lúcifer abandona o corpo de Alucard pra tentar fugir da morte certa, dando espaço pra Drácula o agarrar e fincar a cruz no peito certo, o de Lúcifer.



O último Senhor das Trevas caiu perante Drácula, e agora sim, ele tinha total controle sobre as Trevas.

Victor Belmont






O último Belmont... vivo... pelo menos até Drácula aparecer.

Victor não herdou apenas o sobrenome da família de caçadores de seres das trevas mais daora da história, ele também se tornou o líder do que sobrou da Irmandade da Luz.



Ele também obteve todos os poderes místicos mais incríveis que Gabriel utilizava, inclusive o único demônio que apareceu na aventura de Gabriel, aquele invocado, tal qual Drácula mata durante sua luta contra Victor.



Sim, ambos lutam. Victor atravessa o caminho de Drácula durante uma infestação de um vírus demoníaco, espalhado por um dos Acólitos de Satã. Victor estava salvando civis, quando surge Drácula do nada, em meio a uma pá de demônios.



Zobek detectou a presença de Victor e seu poder e acreditou que ele era um dos Acólitos, enviando Drácula para averiguar. Na verdade era só um Belmont, com um chicote e mais um monte de artefatos místicos.



Depois de uma luta bem difícil contra ele, Drácula vence porém o poupa, e com isso ganha um pouco de seu respeito. Sem saber a identidade de Drácula, Victor oferece ajuda, e o guia junto do Tenente de Zobek (Alucard disfarçado) até a presença de um Acólito.



Mas, para que o Acólito se revelasse, Victor teve de se sacrificar, e ofereceu seu corpo de bom grado, após provocar o demônio, e o mesmo o ataca, e vai embora, deixando um rastro. Esse rastro entrega sua posição para os Belmont vampirizados, que escondidos, vão ao seu encontro para surpreende-lo.



Drácula não sofre nenhum pouco com a morte de Victor, mas, ao checar seu corpo, encontra o último Fragmento do Espelho do Destino, passado de geração em geração no clã Belmont... Curioso que talvez esse mesmo fragmento tenha revelado a identidade de Drácula ou de Alucard, pois pouco antes de Victor ser ferido mortalmente, ele diz "Agora você é o último Belmont".


Acólitos de Satã

Acólito é um tipo de ajudante cristão, e os acólitos de Satã são servos que querem invoca-lo no mundo. Existem 3, e os três são alvos de Drácula e Zobek. Os Acólitos planejavam trazer o demônio de volta justamente no local onde Drácula repousava, como um tipo de vingança. Eles então edificaram seus prédios e templos em cima de onde Castlevania ficava, e com o tempo se posicionaram estrategicamente para dominar todo o território de Drácula. Logo, a cidade inteira pertencia ao demônio.


Raisa Volkova






É a primeira Acólita encontrada, e de inicio ela aparentava ser apenas uma dos muitos servos do tio Lú.

Ela não só era uma Acólita, como também era filha de Satã, e quando assume sua verdadeira forma, deixa bem claro que não está para brincadeiras.



Primeiro, ela surge como humana, num laboratório que estava produzindo um vírus capaz de transformar pessoas em demônios. Ela então libera o vírus assim que Drácula aparece, e transforma todo mundo em demônio, espalhando o vírus por todo o laboratório e pela cidade.



Ela então muda de forma, no que parecia ser o vírus agindo, e ataca Drácula, mas, por pedido de Zobek, Drácula não a mata, e sim a captura e leva como prisioneira para que Zobek extraísse informações sobre os Acólitos de Satã. Essa forma demoníaca dava poderes



Mas Zobek encontra dificuldades para penetrar em sua mente, e suspeita que sua forma demoníaca o impedia, e que talvez se ela voltasse pra forma humana, ele poderia fuçar sua mente com mais facilidade. Então, Zobek sugere que Drácula procure um antidoto para o vírus.



Quando Drácula consegue, e aplica o antídoto, Raisa assume sua verdadeira forma, de demônio, e mostra que na realidade ela era o Acólito de Satã, destruindo o prédio de Zobek no processo.



Zobek então conjura uma magia protetora para impedir que os demais Acólitos percebam a localização da Acólita capturada, e pede para Drácula elimina-la de uma vez. Drácula assim o faz, e derrota a demônio dos vírus, pondo um fim no primeiro Acólito.



Nergal Melasmstea




O segundo Acólito, encontrado por Drácula com ajuda de Victor. Ele é o demônio que matou Victor Belmont, e que revelou sua posição graças a ele... ao usar sua energia pra possuir uma estátua.



Nergal é o responsável pela fabricação de Armas e Munições da cidade, e pra variar ele tem um poder peculiar de possessão que permite que ele controle todas elas.



Nergal consegue possuir objetos, esse é o poder principal dele. E pra variar, ele é um dos Acólitos mais poderosos. Quando Drácula o encontra, ele nem esperava pela visita, mas também nem treme com a presença, pois ele era mais poderoso.



Com apenas alguns choques, ele drena toda a energia de Drácula, e caminha em sua direção. Drácula quase é derrotado e queimado como oferenda a Satã, mas, Trevor o salva.



Trevor abre uma fenda dimensional, ligando uma sala da fábrica do Acólito, com uma das torres mais altas de Castlevania. Drácula consegue levar Nergal para essa torre, e la, onde ele estava muito mais forte, e Nergal mais fraco, ele o enfrentou.



Porém, na mesma torre estavam 3 estátuas poderosas, tais quais foram reanimadas pelo Acólito da Possessão, fazendo com que Drácula enfrente 3 chefões ao mesmo tempo.




Drácula não só venceu Nergal, como o pulverizou, e eliminou o segundo Acólito de Satã, esmagando sua cabeça.



Guido Szandor




Esse é o terceiro Acólito de Satã, um Líder Religioso pra variar.



Ele não tem muitas chances, e após localizado quase é morto por Drácula, se não fosse por Alucard.




Alucard coloca a mão no ombro de Drácula, e ele recobra toda sua memória, se lembrando do acordo de deixar o demônio aparecer pra então mata-lo. Logo, o último Acólito é poupado, enfurecendo Zobek, que aparece pra por um fim no segundo plano dos falecidos Belmonts. 



Mas, depois de derrotar Zobek, Alucard localiza o Acólito novamente e leva Drácula a seu encontro. Ambos assistem o renascimento do demônio e por fim, assistem o Acólito ser punido.



Lúcifer arranca o rosto de Guido, pois apesar de ter sido o único que conseguiu trazê-lo de volta ao mundo, ele também foi quem o condenou a morte, afinal, Drácula estava ali atrás. Tamanha estupidez o recompensou com pura morte.



Irmandade da Luz

A clássica Irmandade da Luz, grupo santo que luta contra as Trevas e suas criaturas, resumindo, estão fadados a lutar e caçar Drácula! Após o extermínio que ocorreu no passado, com a frustrada invasão do Titã criado pela Irmandade, eles foram reduzidos, e com o tempo, esse número só diminuiu, chegando ao ponto em que apenas Victor Belmont sobrou para liderá-los. No jogo, a Irmandade da Luz aparece em plenitude no inicio, durante o massacre, e durante o jogo, quando Drácula perambula por suas próprias memórias.

Soldado da Luz



Como o nome indica, é a linha de frente militar da Irmandade. Na época da invasão, e nas memórias do Castelo, eles aparecem para atacar Drácula, empunhando uma espada e escudo.




Eles são soldados simples porém habilidosos no manuseio de suas lâminas em prol da santidade.

Guerreiro da Luz




São soldados maiores, mais corpulentos. Os guerreiros eram em sua maioria pessoas com algo a pagar, e a Irmandade os acolheu, e usou, por seu porte físico avantajado.




Eles são mais violentos e agressivos, mas servem a Luz de uma forma ou de outra.

Clérico da Luz




São basicamente monges que de tão leais e tementes a Deus, ganharam poderes santos que se assemelham a magia.



Mas, suas habilidades se limitam a dar suporte a seus irmãos da Luz, e, com suas magias santas, eles conseguem até mesmo invocar novos soldados, tudo para derrotar o mal.

Paladino




Apenas um Paladino aparece, e é um soldado poderoso numa armadura angelical forjada à ouro. Ele é forte, e luta contra Drácula mano a mano.



No final de sua batalha, ele tenta apelar pra exorcismo, e tenta expulsar Drácula do mundo através de um ritual santo, tal qual Drácula participa, ajuda e corrompe, repetindo as mesmas palavras que o Paladino.



Ele faz com que o exorcismo volte para o exorcista, e o Paladino é varrido do mapa, junto com todos os outros membros da Irmandade da Luz.



Tal feito é um exemplo de como Drácula é invulnerável a qualquer ataque santo. Afinal, como ele mesmo disse, ele foi um dos maiores e mais dedicados servos de Deus, e foi o seu escolhido.



Drácula só se tornou Drácula por que seguiu a Deus, e fez todas as suas vontades... logo, ele não tem porque temer, ou evitar... ele nunca deixou de ser um Servo da Luz... apenas se tornou um Senhor das Trevas.


Titã de Invasão da Luz




A irmandade criou um robô gigante usando os modelos de um antigo e importante engenheiro, e o formato das bestas gigantes do passado, os Titãs, já extintos. Eles criaram e colocaram para funcionar essa enorme máquina, que movida por poder santo dos Cléricos, atacou o castelo de Drácula.



Mas, ela foi rapidamente contaminada com o sangue maligno de Drácula em seu cristal de energia, e por fim, caiu sobre todos da Irmandade.



A invasão foi um total fracasso. Mas a batalha contra essa criatura é até um tanto quanto épica... (e lembra God of War)


Demônios 
Essas são as criaturas que realmente enfrentam Drácula, e geral é demônio. Enquanto na aventura de Gabriel, ele não viu nenhum demônio além do tio Lú e da demônia que ele invocava, aqui o que ele mais encontra são demônios. Pelo menos no mundo real. pois ele transita entre a realidade atual de Castlevania e a de seu castelo no passado, graças ao poder de seu próprio sangue amaldiçoado e suas memórias conturbadas. Existem vários tipos de demônios:


Soldado




Um demônio comum, simples, mas mortal. Funciona como os soldados de Lúcifer, invocados para servi-lo e espalhar o caos em seu lugar, até que ele fosse invocado.




Eles prepararam o terreno para ele.

Chifrudo



Uma versão maior e mais feia, além de ser mais forte, e poder coletar mais almas que um demônio comum.



Essa criatura é diabolicamente feia, assustadora, com chifres grandes e tudo mais. Eles atacam com muito mais violência, são rápidos, até conseguem atacar a distancia com golpes tóxicos...

Abaddon



Um demônio enorme e único, que aparece caçando Victor Belmont, mas logo troca de alvo e ataca Drácula. Ele é um demônio "general" que guia as tropas do capeta.




No final das contas, ele é só mais um demônio que é massacrado por Drácula. 

Leviatã



Um demônio muito antigo que estava aprisionado abaixo da cidade, ele é libertado e convocado por Lúcifer na última batalha. 



Ele cria uma Genkidama de energia e se prepara pra lança-la na Terra, com Lúcifer no comando, pois já que o demônio não tinha como controlar o mundo com Drácula em sua cola, ninguém controlaria. Mas, o tiro é impedido por Alucard e Drácula que seguram correntes forçando a boca da criatura...




Ela engole a energia e explode.



Em seus destroços ocorre a possessão de Alucard, e a luta final real pelo futuro da humanidade começa no céu, e termina na terra.


Servos do Mal 

Além dos demônios brutos, e dos Acólitos, há pessoas que servem ao demônio, e por conta disso, se qualificam igualmente como seres diabólicos. Essas pessoas, algumas geneticamente alteradas, outras não, são todas capachos de Satã... que Drácula tem o prazer de destroçar e beber seu sangue.

Monge das Trevas




Os monges são basicamente bruxos do mal, que usam seus poderes demoníacos pra realizar magias das trevas em prol do demônio.



Simples assim, eles parecem até com meros feiticeiros, mas são focados em magias demoníacas como drenagem de alma e invocações.


Cientista




A ciência é retratada de forma bem demoníaca aqui, onde os Cientistas são, resumidamente, pessoas que usaram tecnologia pra mexer com as criações de Deus, naquele mesmo papo de sempre.



Os Cientistas são humanos, que desenvolveram clonagem, mutação, e principalmente o vírus satânico que foi liberado para causar o caos.




Apesar de tudo, não deixam de ser humanos, mas são servos do demônio... só isso.



Por serem humanos, eles podem ser facilmente possuídos pelos poderes de Possessão de Drácula, herdados de sua linhagem demoníaca como aquele que derrotou Lúcifer no passado.




Golgoth




Eles são um resultado das mutações e clonagens dos Cientistas. 



O nascimento de uma criatura humanoide grande, resistente, armada com armas de última geração e armaduras resistentes e impenetráveis... porém bem ignorantes, é o resultado dos trabalhos dos Cientistas.



A única forma, que Drácula encontra pra se livrar dessas criaturas é possuindo-as e explodindo-as por dentro, ou apenas ignora-las, do contrário, é impossível acerta-los ou aguentar a pancada.

Possuídos



Com o vírus espalhado, várias pessoas comuns, como meros civis, foram transformadas em demônios, parte do exército de Satã.




Sem escolha alguma, eles passaram a atacar outras pessoas, como meros cães enraivados... 



Memórias Corrompidas do Castelo 

Como mencionei, Drácula também passeia pelo seu castelo no passado, e encontra suas próprias memórias de criaturas que o serviam, o que mostra um pouco de como foi o reinado de Drácula. Claro que, essas criaturas atacam seu mestre, pois o sangue de Drácula as corrompe, e as faz enxergar o Drácula "bonzinho" como uma ameaça a estrutura das Trevas. 

Vampiros Desonrados




Drácula usou alguns vampiros como seus leais servos, e esses vampiros arrancaram suas próprias asas como forma de demonstrar submissão e lealdade ao Príncipe das Trevas.



Eles também abandonaram completamente a forma humanoide, assumindo completamente a forma vampiresca natural.



Os vampiros, apesar de sua lealdade, foram subjugados pelo Sangue de Drácula, e convertidos numa arma contra ele mesmo....




tudo para preservar a escuridão em sua alma.


Lacaios das Masmorras




Alguns humanos passaram a servir Drácula também, e como consequência de seus atos, como comer carne de outros humanos, matar e se aprofundar nas trevas, eles se converteram em criaturas grotescas e monstruosas, que não viam outra saída a não ser viver nas masmorras do castelo.



A lealdade deles foi corrompida junto com o sangue de Drácula, e como todas as outras criaturas, eles viraram inimigos em suas memórias.


Carcereiros das Masmorras




Uma versão maior dos Lacaios, mais mutante que o normal, mais forte também, e mais resistente, essas criaturas são responsáveis por guardar as Chaves dos Castelo, e após serem contaminadas com o Sangue de Drácula, elas se voltaram contra seu mestre, para o bem de seu mestre.



Foram eles que carregaram a Espada do Vazio para longe de Drácula, e graças a Alucard, que derrotou os que tentaram esconder a espada...




Drácula conseguiu recuperar tal energia.


Harpias das Profundezas 





Harpias foram alguns dos seres escolhidos por Drácula para servi-lo em seu castelo. Mas elas também foram de certa forma castigadas. 



As Harpias que Drácula é forçado a enfrentar, são aquelas que ele manteve presas no subterrâneo do castelo, logo, são aquelas que foram impossibilitadas de viver livremente. Ainda assim, eram totalmente leais a Drácula, por conta disso, se voltaram contra ele ao serem infectadas com seu sangue.


Esqueletos Sangrentos




Drácula enfrentou criaturas reanimadas por necromancia e pelas magias do Criador de Brinquedos, no passado, ainda quando era Gabriel. Essas criaturas, esqueletos possuídos com almas de antigos guerreiros, foram varridas do castelo... mas seus ossos continuaram la.



O Sangue Amaldiçoado de Drácula as reanimou, e passou a usar os ossos como arma contra Drácula. Sempre que uma ossada cai, outra se levanta com o sangue que sai dela... e a batalha é infinita até que o sangue seja destruído.


Chupacabra




Curioso como as coisas são... Drácula descobriu que aquelas criaturas chatas que viviam roubando suas coisas quando ainda era Gabriel, não eram várias, eram apenas 1.



O mesmo ser enchia o saco de Gabriel, era só um único Chupacabra, que por sua vez roubava os itens de Gabriel para tentar revender.



Só existe ele de travesso, e só ele era o suficiente pra irritar... mas, quando Drácula surgiu, ele o seguiu, e foi para seu castelo, mas encheu tanto seu saco, que recebeu como punição o aprisionamento...



Até que ele retornou para suas memórias, e lá, Drácula deu a chance de Chupacabra seguir no mundo dos negócios e abrir uma loja...




Dentro do castelo mesmo.


Golem de Pedra



Um Golem, feito de escombros do castelo, que servia Drácula, mas foi contaminado com seu sangue. Com isso, ele atacou Drácula para tentar manter ele em Castlevania. 



O Golem é forte, resistente, e é o primeiro chefe que Drácula enfrenta em suas memórias, mas ele é derrotado.

Euriale, Esterno e Medusa





Lembra quando eu disse que as irmãs da medusa resumiam o jogo? Então, cara... elas são satânicas. 



De todos os demônios do jogo, elas se destacam muito mais, e mesmo não sendo demônios, elas parecem muito mais do que qualquer outro que surja.



Elas são as irmãs Gorgonas, que usam o poder da petrificação ocular... quem nunca ouviu falar da Medusa?



Então, ela tem duas irmãs, e é a lider delas.... e as 3 vivem no castelo de Drácula, e são suas servas... mas... Medusa é infectada com o Sangue de Drácula, e vomita ele em suas irmãs, que até então estavam ajudando ele a encontrar o poder do Caos... no final, as três se fundem e viram uma Górgona gigante....



Essa Górgona, composta por três cabeças e tentáculos, enfrenta Drácula com toda sua força, para tentar mantê-lo nas trevas... mas no final...




Drácula arranca seu coração, petrificando ela(s).


Carmilla




Em suas memórias, a Senhora das Trevas surge, para tentar converter Drácula na base da força em uma criatura totalmente alienada pelas trevas.




Ela o seduz, e o convence a beber de seu sangue... seu envenenado sangue.



Com isso, Drácula estava infectado pelas memórias de Carmilla, e se ele caísse, viraria seu servo... servo de uma memória.... era uma das soluções do Sangue de Drácula para converte-lo em pura maldade. 



Mas Marie aparece, e oferece seu sangue para purifica-lo. 




Ainda assim, Carmilla fica em sua cola até que ambos se enfrentassem... 




E quando Drácula derrota ela, novamente, ele absorve sua habilidade de virar Névoa.




E por fim, ela morre de um jeito... trágico.




Agreus




Quando Drácula encontra Travis ele pede para que o Espelho do Destino seja reconstruído. Pois bem, um dos fragmentos é encontrado nas mãos de um Fauno, Agreus, irmão de Pã.



Pã foi um grande aliado de Gabriel, e também um inimigo, além de ser um dos mais sábios membros da Irmandade da Luz na época. Pã era um Fauno, que se sacrificou para que Gabriel obtivesse mais poder e derrotasse as criaturas das trevas, e os Senhores das Trevas. Pã também foi quem convenceu Marie a esconder a existência de seu filho de Gabriel.



Pois bem, Agreus enlouqueceu, e nas memórias de Drácula, ele nem precisou ser infectado com o sangue dele, ele apenas o atacou, com toda sua fúria, por vingança. Agreus precisava vingar a morte de seu irmão.



Mas Drácula vence, derrota Agreus, acaba com sua vida e pega o fragmento do Espelho, ajudando Travis.


Criador de Brinquedos





Outro fragmento do Espelho do Destino estava com o Criador de Brinquedos, que nada mais era que um gentil engenheiro, que tinha sido enganado pelos antigos donos do Castelo onde Drácula reside, e transformado num monstro.



Pois bem, o Criador de Brinquedos arrancou o próprio coração e o escondeu com uma de suas marionetes, mas Drácula o despertou, em busca do espelho.



Em suas memórias, o Criador de Brinquedos acordou, e o ajudou, de inicio, com toda sua gentileza, algo que aterrorizou o Castelo e fez o Sangue de Drácula infectar o Criador de Brinquedos, convertendo-o no que ele realmente era...



Uma criatura monstruosa feita de brinquedo, esse era o verdadeiro Criador de Brinquedos, insano pelas maldades que sofreu no passado, ele luta contra Drácula usando suas marionetes...



Mas no final, ele é derrotado e libertado, voltando a sua forma humana e entregando o Fragmento do Espelho do Destino para Drácula....




E então ele se lembra quem Drácula era... e se entristece.



Bonecos do Criador de Brinquedos





Em sua luta, as marionetes e brinquedos que o Senhor dos Brinquedos usa são suas favoritas, e as mesmas que ele usou para sua apresentação da história que sofreu nas mãos dos antigos proprietários do castelo. 



Apesar de não serem armas, elas estavam armadas o suficiente para oferecer risco a Drácula, mas, Drácula venceu, e com isso libertou o Criador de Brinquedos.

Sangue de Drácula




Drácula chega a enfrentar seu próprio sangue... aquele mesmo sangue que vagou por todas suas memórias e corrompeu tudo o que pode, na esperança de mantê-lo nas trevas.



Pois bem, ao enfrentar o Sangue Amaldiçoado, logo após o mesmo engolir Trevor Belmont, a memória junto com o Espelho do Destino completo, Drácula enfrenta seu próprio reflexo corrompido pelas trevas.



Ele vence, mas não destrói seu lado mal, ele apenas o afasta, e domina... mas a maldade no seu eu permaneceria, para sempre. A questão é que agora Drácula tinha coisas boas para mantê-lo controlado, e por mais maligno que fosse, ele não sucumbiria as trevas.



Drácula também domina sua habilidade de criar Asas Demoníacas assim que vence seu sangue, o que significa que ele dominou totalmente seu controle pelo sangue em seu corpo.


Soldados da Cidade 
Por fim, há alguns militares que atacam as criaturas demoníacas na cidade, mas também atacam civis e qualquer coisa que possa estar contaminada. Esses soldados não são nem bons, nem maus, são apenas militares que surgem pra limpar a cidade, com suas máquinas e explosivos.


Tropa de Choque




São humanos vestindo uma armadura tecnológica totalmente armada, tão armada, que explode tudo só de estar perto.



Eles caçam demônios e tentam erradicar a praga, mas quando Drácula surge, eles logo o atacam também, pois o mesmo não estava protegido do vírus, e pra eles, tudo que estivesse exposto deveria ser aniquilado.


Mecha de Choque



Um tanque de guerra bípede, esse é uma versão ainda mais tunada dos soldados comuns. Uma máquina gigante e mortal, com duas barras de energia, equipada com todas as armas mais destrutivas que existem. Se pá tem até bazuka.



O objetivo deles é enfrentar as criaturas demoníacas maiores que surgiram na cidade depois da praga... e Drácula entra pra lista. 

Bem. Depois que Drácula vence tudo isso, todas essas criaturas, derrota seu filho e mata o demônio... ele pega o Espelho do Destino... e quebra. Pois o destino era incerto.



Até então, eu nem se quer citei outros jogos da franquia Castlevania, apenas me limitei ao Lords of Shadow, e minhas comparações foram dentro do próprio Lords of Shadow, afinal essa acabou se tornando uma nova franquia, e nem tem por que comentar o fato de ser ou não ser parte da franquia original, pois não é... e já ficou mais do que evidente isso. Victor Belmont por exemplo, diferente de Travis, Simon e Alucard, que são releituras de personagens famosos de outros Castlevania, ele é levemente baseado num personagem cancelado de um antigo Castlevania que também foi cancelado (Castlevania - Ressurrection)


De toda forma, esse Castlevania se desprendeu totalmente da franquia original, completamente, e consolidou a nova franquia, não de um herói, mas sim de um monstro. Pois é isso que o mundo precisava, um monstro para controlar os outros monstros.

Rs... legal que eu assisti um filme, durante o desenvolvimento desta análise: "Dracula - A História Nunca Contada (Dracula Untold)", que por sua vez conta uma versão, ridiculamente parecida com a versão de Lords of Shadow... claro que tem várias divergências mas... há algumas semelhanças bem gritantes, inclusive essa frase que citei "O mundo não precisa de um herói, precisa de um monstro." é uma frase dita no filme.... e repare que ela se aplica perfeitamente ao ideal do jogo.


Percebe-se que houve uma influência semelhante para ambos, e a ideia de Drácula ser um ser inocente no final das contas, movido pelo amor fraternal... é uma desculpa válida para toda sua... maldade.

O Drácula antigo, vilão supremo de Castlevania, dos clássicos... está morto.



E por fim, despeço-me. Agradeço por sua presença e atenção até então. Espero não ter falhado ao tentar contar um pouco desse belíssimo jogo, e espero que você tenha gostado e compreendido, a minha visão, e opinião. Obrigado, por tudo. Se quiser comentar, sinta-se livre, eu responderei com toda certeza. Se não gostou do que leu, eu te entendo... e agradeço ainda mais por ter me dado sua atenção, e só lamento pela decepção. 


Até a próxima!








13 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. FINALMENTE LI! Demais, Drácula é foda.Tô inclusive terminando também o "O Mundo de Sobras O Nascimento do Vampiro", eu amo essas coisas!Mas acho uma droga terem "resetado"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei la, Castlevania era grande mas meio perdido em sua totalidade.... o reset foi desnecessário, mas também, a cronologia tava desenfreada. Soma Cruz foi o cúmulo. (minha opinião).

      Excluir
  3. Após milênios eis que retorno em meio as sombras que me cercam.

    Sr. Abyss tá de volta a ativa! Excelente analise Sr, legal que pouco antes do Sr a postar (Sim, eu li no dia mas não comentei nada kkk tava enrolando pra comentar pra poder zerar o game antes e poder ter um comentário mais completo, mas os imprevistos estão em todos os locais e meu LoS:2 parou de pegar e meu save dele corrompeu e estou com extrema preguiça de reiniciar ele xD), eu também tinha assistido o filme em questão, e devo dizer que vi 75% de LoS nele, principalmente no final dele. E o filme não deixa nada a desejar, mas voltando ao game, me esclareça uma coisa, Alucard finalmente entrega o descanso a Gabriel? Ou o "coitado" vive mais alguns milênios?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, sobre o final, ele é totalmente em aberto. Dracula volta pro castelo quando o sol começa a nascer (sim, a aventura inteira do LoS 2 se passa em apenas uma noite, incluindo a jornada de Alucard) e Alucard também. Provavelmente, Alucard não matará Drácula conforme combinado com Zobek, pois ele acabara de encontrar um motivo pra existir: Equilibrar as forças do mundo. Drácula precisa existir para que o mal seja dominado.

      Então sr Abyss, senti falta viu. Fui abandonado aqui no blog depois de meu hiato rs... mas agora que terminei a análise de Zelda WW, estou pronto pra voltar ao velho pique de escrever sobre tudo e tudo... rs... problema que to estudando pra provas então... acho que ficarei mais alguns dias sem postagens.

      Bem, em todo caso, bem vindo de volta e vê se não some

      Excluir
    2. E talvez eles queiram fazer uma continuação com alguém tentando matar Drácula para poder pegar o poder dele e dominar o mundo MUHAHAHAHA, espero que não façam isso, não com essa historia ao menos.

      Senti falta também, estava vendo já tem algumas analises feitas, vou começar a ler a do Megaman ZX e as paginas da K.G, provas são bem tensas ocupam muito tempo, dedicação e paciência taaao chato kkk.

      Sr. Morte noticia um tanto relevante mas interessante, comprei um PSP, finalmente poderei me deliciar com alguns dos games que o Sr fez analises. Já conclui o MMHX e cara que jogo lindo, bem que eles poderiam fazer uma releitura do X2 e X3, contando a historia correta claro kk. Assim que zerar um game do Evangelion pretendo ir para o SHSM, mas tá difícil viu, jogo totalmente em japonês T.T

      Sir, yes sir. vou sumir mais não, não por tanto tempo ao menos kk

      Excluir
    3. Cara, da uma olhada em Castlevania de psp e Kingdom Hearts... são lindos. Pega os God of War também e Dante's Inferno... valem muito a pena brow.

      Sobre demais análises, logo terei mais tempo livre e farei de Tomb Raider e KH, o primeiro.

      Bem... é isso... see yah.

      Excluir
    4. KH nunca me chamou a atenção, mas vou dar uma olhadinha. Castlevania vou pegar o SoN nunca joguei e.e T.T

      Bom fico no aguardo das analises então haha.

      Excluir
    5. Sussa.... eu recomendo jogar KH pq é show. Sobre Castlevania SoN, pra pegar ele tem que jogar outro Castlevania de PSP, um em 2.5D que é remake do Dracula X, e pegar um item especial em uma fase secreta... é meio chato viu.... mas vale a pena... conhecer Alucard é show.

      Bem, só aguardar sr!

      Excluir
  4. Respostas
    1. "Ainda" não, pois por enquanto não gosto de RE. Tive experiencias ruins no passado com essa franquia, só zerei 1 jogo e foi com um amigo que perdeu a visão logo em seguida... então pensa mano... a franquia RE é um tanto quanto amaldiçoada manja. Mas um dia farei, pode ter certeza.... mas pra isso vou precisar jogar muito.

      Tenho um problema com analises, onde as vezes se eu escrevo sobre um jogo que não gosto, acabo fazendo uma analise enorme citando somente as maiores falhas... e eu não quero fazer isso com RE pois tenho um pouco de respeito pela franquia (é um bom jogo poxa) mas tudo a seu tempo.

      Excluir
  5. Seria legal você faser dos outros games antigos de castlevania, a maioria tem histórias consideravelmente boas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já pensei no assunto, comecei uma análise sobre Castlevania X (foi o primeiro que joguei, aquele do Richer Belmont do Super Nintendo) e inclusive pensei em fazer uma comparativa entre ele e o Remake pra PSP. Ambos são ótimos. Só que, enquanto eu escrevia meu pc deu pau, perdi os dados no backup e todas as fotos que eu tinha de Castlevania (PSP) se perderam. Precisarei re-jogar, tirar todas as fotos de novo e digitar... por um lado é bom, assim vou ter as imagens mais claras na mente e refinarei o assunto... por outro é ruim porque... é mais tempo gasto rs.

      Também tava pensando em falar de Castlevania 64... sinto falta desse jogo rs...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+