PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

terça-feira, 7 de outubro de 2014

AnáliseMorte: Castlevânia - Lords of Shadow : Mirror of Fate

Castlevânia Lords of Shadow - Mirror of Fate


Recentemente postei a primeira análise da atual trilogia de Castlevânia (Lords of Shadow), e deixei bem clara minha opinião sobre o primeiro jogo, e também sobre a diferença entre essa e a franquia anterior. Bem, eu comecei então não posso parar por aqui, e aqui está mais uma parte dessa franquia: Mirror of Fate.

Então, tentarei fazer uma análise decente, e quem sabe até melhor que a primeira, pois tecnicamente, esse é um jogo bem melhor.

Logo, prepare-se para leitura, e tenha em mente que meu objetivo aqui é explicar e compartilhar aquilo que pude absorver e aprender com esse jogo. Claro que também tentarei dizer um monte de coisas a mais... mas... bem, só lendo pra saber. 

CUIDADO:


DIZ A LENDA QUE A MUITO TEMPO UM FEITICEIRO AMALDIÇOOU ESSA POSTAGEM COM UMA QUANTIDADE ASSUSTADORA DE SPOILERS!

Boa leitura!



Estou um pouco pensativo sobre como farei a análisemorte da vez. Não vejo muitas razões para seguir os mesmos padrões da análise de Castlevania Lords of Shadow, pois de certa forma eu tenho bem mais coisas pra falar agora, e uma noção melhor sobre o título... mas também, não creio que ficará tão diferente, nem muito maior, pois apesar de tudo, esse jogo é pequeno.

Então, como esta funcionando bem o esquema de dizer o que farei durante a postagem, fazerei isso novamente: 

Primeiro, falarei do sistema do jogo e suas bases, depois falarei da história cronologicamente montada, além de todas as coisas mais importantes que aparecem nesse meio tempo, depois falarei dos personagens e inimigos e por fim, encerrarei a análise com comparações dela ao jogo anterior.

Sem mais delongas, bora começar!


Mirror of Fate é um jogo no estilo Aventura com Ação, no bom e velho modo Plataforma (de ladinho mesmo, estilo clássico), com gráfico e efeitos 3D (literalmente, no 3DS há possibilidade de deixar em 3D, saindo da tela, mas o gráfico em si também é 3D, que da pra ter noção de profundidade e tudo mais), com elementos Puzzle (bem menos puzzle do que o anterior) e também há algumas pitadas de RPG, com esquema de leveis, habilidades e up, mas é algo que passa desapercebido.



Algo legal pra caramba é o fato de MoF voltar um pouco às origens, ao menos em jogabilidade, e fazer todo aquele jogo no modo plataforma, em busca de seres sombrios e tudo mais. Essa troca de "Gêneros de Visão" é curiosa também, pois parece que Lords of Shadow está tentando encontrar sua própria identidade nesse quesito (falarei melhor disso na análise sobre o Lords of Shadow 2).


Existe Lords of Shadow e Lords of Shadow 2, porém entre ambos há o Lords of Shadow Mirror of Fate, que seria um tipo de "Lords of Shadow 1.5". Ele conta várias histórias interligadas, que no final viram uma só, que é uma ponte para o segundo jogo. Isso me lembrou muito o que acontece em Kingdom Hearts, e curiosamente, a forma dessa análisemorte será meio parecida com a de KH Birth by Sleep, pois será preciso contar as histórias de uma forma cronológica e exata, pra fazer sentido.



Durante o jogo, é possível atacar, pular, esquivar, e dependendo do personagem, é possível usar habilidades extras como pular duas vezes, flutuar, transmutar, etc. A arma principal do jogo é o Chicote, e com todos os personagens, essa é a arma usada, logo, os movimentos são sempre relacionados a chicotadas únicas e em área, que vão aumentando o poder e a capacidade de movimentos conforme se avança em leveis.


No caso dos leveis, eles são quase imperceptíveis mesmo, pois são representados por um número pequeno na barra de energia e pronto. Ao passar de level, aparece um anúncio de que se "upou" mas, as habilidades novas não são selecionáveis, nem explicadas, apenas liberadas, e é preciso ir até o menu do Select para saber o que se aprendeu, marcado com "New".

As barras de Energia são dividida em 3 tipos: Verde para HP (Sangue, Saúde...), Azul para MP (Magia, Defesa Mágica, Poderzinho) e Rosinha para simbolizar a Barra de Experiência (Quanto mais cheia, mais perto de upar).


Quando o personagem golpeia várias vezes sem ser contra-atacado, recebe orbs de energia e brilhinhos que restaura um pouco de seu MP e permitem que ele use as habilidades especiais por mais tempo. Também tem a barra de corações, que é uma barra enumerada que mostra a quantidade de energia existente para se usar os objetos especiais.

O jogo em si ocorre num mapa aberto, semelhante para todos os personagens, porém diferente, afinal é visitado com diferença de tempo ou ângulos.


O mapa se resume ao Castelo de Drácula e seus arredores, onde todos querem enfiar uma estaca no peito dele. Apesar do mapa ser bem amplo e cheio de segredos, ele é realmente mapeado, e é possível (e necessário para liberar o final extra) pegar todos os segredos sem problemas, apenas prestando atenção nos símbolos no mapa, que indicam o que falta e onde falta, pelas colorações (algo que me lembrou muito Super Mario World)


Outra coisa importante pra dizer é que, o Mirror of Fate faz fortes referências a jogos da outra franquia de Castlevania, como por exemplo o fato de trazer vários personagens da franquia original de volta, mas com um novo contexto, história, parentesco e até mesmo uma nova personalidade. Mas o que se repete são só os nomes e algumas ideias, porque os personagens são completamente diferentes. Falarei disso quando falar dos personagens, mas primeiro vou falar da história.

No jogo, a história é dividida em "Atos" e, apesar de sequenciais, eles são fora de ordem, pois são protagonizados por um único personagem. Eu vou contar a história do jeitinho correto, cronologicamente correto, não pelos atos nem pelos personagens, mas pela história mesmo.


Castlevania - Lords of Shadow : Mirror of Fate



Um ano antes de ser mandado em sua batalha contra os Lords of Shadow, Gabriel, que já tinha suas missões e caçadas por seres diabólicos de alta periculosidade, estava atrás de um Demônio gigante chamado Daemon.


Antes de sair em missão, ele engravidou Marie sem saber, e partiu no dia seguinte.


Porém, enquanto Gabriel viajava em sua longa jornada que durou meses, Marie teve a criança e a Irmandade da Luz mostrou a ela uma profecia, num reflexo de um Espelho do Destino, que apresentava Gabriel como grande vilão e seus herdeiros como os únicos capazes de detê-lo. A Irmandade então decidiu levar a criança e esconde-la, educando-a e treinando-a para que um dia, enfrentasse seu próprio pai. (Prologo - Mirror of Fate)


Após derrotar Daemon, Gabriel volta para casa, e encontra Marie, tal qual ele é manipulado a matar e por fim, vai em busca dos Lords of Shadow. Gabriel derrota os Lords of Shadow e descobre a verdade sobre a Irmandade da Luz e o fato deles serem os responsáveis pelos Senhores das Trevas existirem. (Castlevania Lords of Shadow)


Gabriel então termina uma coisa que os fundadores da Irmandade da Luz começaram, e vira vampiro no processo, posteriormente absorvendo o mal do Esquecido e pegando a raiva dele pela Irmandade da Luz, jurando vingança contra eles, tornando-se Drácula, objetivado em destruir todos da Irmandade da Luz. Drácula então toma conta do Castelo de um dos Senhores das Trevas (A Vampira) e passa a viver nele, como o Senhor das Trevas, Drácula. (DLC's - Casltevania Lords of Shadow)


Anos depois, o filho de Gabriel Belmont, Trevor Belmont, decide vingar a morte de sua mãe, em nome da Irmandade da Luz, e vai rumo ao Castelo de Drácula. Trevor tinha um filho e uma esposa, e deixa ambos para ir caçar o temido Drácula. Antes de partir, Trevor da a seu filho, Simon Belmont, um pingente com um fragmento do Espelho do Destino, e pede para que ele cuide de sua mãe. (Ato III - Mirror of Fate) 


Ao ir ao castelo, Trevor se encontra com a Personificação do Destino, que tenta contar a ele um pouco sobre seu destino e guia-lo, mas é emudecido com um golpe na boca e ignorado. (Ato III - Mirror of Fate)


Sem medo algum do destino, Trevor passeia pelo Castelo em busca de seu anfitrião, e encontra, dentre vários seres diabólicos à serviço de Drácula, um Demônio recém invocado por bruxas, chamado Daemon. Trevor mata Daemon, cortando suas mãos e pernas, e vai em direção ao próximo da lista: Drácula. (Ato III - Mirror of Fate)


Chegando nele, Trevor o enfrenta, e quase o derrota, mas Drácula usa o próprio chicote de Trevor para perfura-lo. Antes de morrer, Trevor percebe que Drácula é Gabriel, e o chama de pai.


Quando Drácula olha no Espelho do Destino e enxerga seu filho, ele se arrepende do que fez e tenta trazer Trevor de volta a vida com seu sangue, sem sucesso.


Ele o rebatiza de "Alucard", como um reflexo de si mesmo, e o coloca em um caixão, na torre do Espelho do Destino. (Ato III - Mirror of Fate)


Revoltado, Drácula ordena um massacre à Irmandade da Luz e manda todos seus fieis serviçais, as criaturas das Trevas, matarem todos que pertenciam a essa ordem. A esposa de Trevor é assassinada por Lobisomens e Simon consegue escapar. Simon cresce, e vira um guerreiro que caça criaturas das trevas, carregando um chicote como seu pai fazia.


Ele vai em busca de Drácula para se vingar do que ele fez aos seus pais, e no caminho encontra a Personificação do Destino, muda, porém tentando orienta-lo. Simon tem um pouco de seu destino revelado pelo amuleto que seu pai lhe deu, além de ganhar apoio de alguns espíritos poderosos. (Ato I - Mirror of Fate)


Enquanto isso, Alucard acorda. Ele levanta de seu caixão sem ter noção de tempo nem de quem ele era. A Personificação do Destino surge e lhe mostra quem ele era, e Alucard se desespera. Alucard era Trevor, e havia sido transformado num monstro por seu próprio pai, Drácula.


Alucard então decide matar seu pai a todo custo, para finalizar aquilo que ele começou e se vingar de tudo o que ele fez e para isso, a Personificação do Destino entrega a ele um Chicote para Vampiros, semelhante ao que ele usava no passado. (Ato II - Mirror of Fate)


No meio do caminho, Alucard é atacado por Daemon, restaurado com partes mecânicas. Daemon tenta se vingar de Alucard, queima ele vivo (ou morto...) e arremessa ele da ponte onde batalhavam. (Ato II - Mirror of Fate)


Simon vê Alucard caindo, mas sem saber o que era aquilo, continua seu caminho. Ele enfrenta seres diabólicos e criaturas assustadoras, até chegar num Teatro, onde é forçado a lutar contra Marionetes Vivas. (Ato I - Mirror of Fate)


Alucard, que sobrevive a queda, consegue chegar até esse mesmo Teatro, pela parte mecânica, e vê seu filho, Simon, lutando por sua vida. Ele então tenta parar a máquina, interrompendo a fabricação de bonecos, para que assim Simon vencesse. (Ato II - Mirror of Fate)


Assim que Simon derrota as Marionetes, Alucard aparece, mas foge antes de qualquer apresentação. A Personificação do Destino surge e aponta a direção para que Simon prossiga, e em seguida explica para Alucard quem era aquele cara que ele salvou (Ato I & II - Mirror of Fate). 


Simon encontra o chicote de seu pai, o quase "Vampire Killer", mas antes de usa-lo, um Necromante aos serviços de Zobek surge, e tenta tira-lo à força. Mas é derrotado e o chicote é conquistado, se tornando parte do arsenal de Simon. (Ato I - Mirror of Fate)


Simon e Alucard tomam caminhos diferentes, mas se reencontram posteriormente em outra armadilha de bonecos, onde Simon estava girando e girando por sua vida...


Enquanto Alucard tentava desativar a máquina pela parte mecânica. Assim que Alucard consegue libertar Simon, eles se reencontram e Alucard, sem dizer sua real identidade, diz para Simon que ele não estará sozinho em sua luta contra Drácula. (Ato I & II - Mirror of Fate)


Enquanto isso Drácula olhava a cena, do caloroso reencontro entre pai e filho, e se preparava para a grande luta. (Ato II - Mirror of Fate)


Alucard encontra algumas criaturas poderosas e suga o sangue delas, desenvolvendo habilidades demoníacas com elas, além de descobrir suas próprias habilidades de vampiro, recém adquiridas, que despertam conforme ele luta. Uma dessas criaturas é o Daemon, que havia sido restaurado após ter sofrido nas mãos de Alucard, enquanto ele ainda era vivo. Alucard então termina o trabalho que começou e suga o sangue de Daemon, depois de uma luta eletrizante, ganhando asas de demônio. (Ato II - Mirror of Fate)


Simon alcança a Torre de Drácula por fora e entra pela janela, mas ao invés de encontrar o Senhor das Trevas, ele encontra várias mulheres sexys se beijando e acariciando.


Ele então se aproxima e descobre que eram apenas demônios, postos la para engana-lo e mata-lo retirando sua energia. Simon mata todos eles e assim, quebra a ilusão, aparecendo diante do Trono de Drácula, com o mesmo só observando. (Ato I - Mirror of Fate)


Alucard consegue chegar até o portão do quarto na Torre de Drácula, e usa orbs de sangue para destrancar. Assim que ele entra, ele encontra Simon e Drácula, prestes a se espancarem. (Ato II - Mirror of Fate)


Alucard e Simon enfrentam Drácula, juntos. (Ato II - Mirror of Fate)


A batalha é intensa, e Drácula trapaceia, jogando Simon contra Alucard através de magia negra. Alucard, sabendo que Simon era seu filho, se recusa a feri-lo, enquanto Drácula apenas assistia.


Porém, Alucard absorve toda a energia das trevas de Simon para si e liberta o mesmo do controle de Drácula. (Ato II - Mirror of Fate)


Em seguida, Alucard corre atrás de seu pai...


O agarra e manda Simon cravar a o chicote com cruz no peito de Drácula. Ambos vencem, e Drácula perece. (Ato II - Mirror of Fate)


Simon vai embora do Castelo, enquanto Alucard vasculhava os destroços atrás da Vampire Killer. Assim que Alucard encontra seu chicote, ele vira morcego para escapar do desabamento do Castelo de Drácula e vai embora, enquanto Simon observa o castelo sumir. (Final Extra - Mirror of Fate)



Fim


História legal né? Isso porque eu não contei tudo dela. Há vários detalhes e inimigos curiosos que, fazem parte importante da história. Mas eu vou falar deles quando descrever os personagens, e como falarei de todos, é óbvio que aparecerão algumas figuras que não foram mencionadas.

                              Personagens                           

Primeiro preciso falar dos principais principais mesmo... na verdade tem muitos personagens nesse jogo, a maioria vindo do jogo anterior e outros bem originais. Se for medir em importância, temos os Principais, os Coadjuvantes Principais, os Coadjuvantes, os Inimigos, os Aliados e os Ocultos. No caso desse último, é bem interessante como há vários personagens ocultos na história, alguns bem importantes, outros nem tanto.

      Principais     

Há cinco, tecnicamente falando. São Gabriel Belmont, Trevor Belmont, Simon Belmont, Drácula e Alucard. Eu sei, dois desses tão "repetidos" mas por serem personagens totalmente diferentes, irei descrevê-los como tal.


               Gabriel Belmont              



Falar dele é sempre legal. Gabriel era o santo homem que foi enganado e forçado a matar sua própria esposa. Depois disso, ele ainda foi levado a eliminar todos os Senhores das Trevas para livrar o mundo do mal, só que além disso, ele se tornaria o maior mal do mundo. 


Gabriel foi morto, e voltou a vida só para eliminar os demônios. Mas seu retorno também lhe causou grande dor, pois ele ficou impossibilitado de se unir com sua amada, que apesar de livre, estava separada pelo véu da vida, morta.

Gabriel então se entregou a tristeza e melancolia, se converteu num vampiro e virou a atrocidade maléfica e toda poderosa que é Drácula. 

Gabriel Belmont era o primeiro Belmont, e também foi aquele que deu vida ao maior inimigo dos Belmont, mas Gabriel se manteve puro até o fim de sua vida... só se converteu em trevas após ressuscitar, morrer e ressuscitar novamente, como vampiro.

Nesse jogo Gabriel aparece enfrentando Daemon. Daemon, um demônio fortinho que mais parecia uma Quimera de inicio, foi selado por Gabriel, que usou seu próprio sangue derramado em forma de cruz para prendê-lo num Orb. Gabriel era tão puro que só seu sangue tinha poder suficiente para trancar demônios poderosos!


Esse demônio é um personagem interessante, que de certa forma liga todas as histórias, mas eu falarei dele depois.


Gabriel era um dos mais poderosos soldados da Irmandade da Luz, e o simbolo de seu poder era a arma que ele carregava, o Vampire Killer, tal qual tinha várias peças adaptadas para caçar seres das trevas, tudo criado por um antigo ferreiro/alquimista/artesão chamado Gandolfi (um dos personagens ocultos). Seu chicote é destruído após sua batalha contra O Esquecido, ele mesmo destrói, e o Vampire Killer que seu filho empunha é só uma cópia do dele.


                   Drácula                  


Essa é a segunda metade da laranja. Drácula é desprezível, cruel e maligno. Gabriel morreu duas vezes: Na primeira foi quando sua esposa, Marie, o ajudou a voltar a vida, e a segunda foi quando ele se deixou virar Vampiro, abandonando sua forma humana de uma vez por todas. 



Essas mortes fizeram com que sua personalidade mudasse totalmente, e de um santo homem, ele virou um monstro terrível. 

Drácula possui domínio por sobre todas as criaturas das Trevas, incluindo os Licantropos, os Vampiros, os Monstros (geral, todos) Demônios e os Mortos. Isso insinua que ele tenha adquirido respeito e poder após ter derrotado os senhores das trevas anteriores, tomando o lugar deles por direito, e quando ele virou um ser das trevas, ganhou também o título de único e todo poderoso Senhor das Trevas.

Coisas estranhas sobre Drácula nesse jogo é que ele carrega armas e habilidades ainda não apresentadas, como a Espada de Luz que ele empunha para ferir Trevor, o Chicote de Sangue que ele usa a todo momento na sua batalha contra Alucard e Simon, e o fato de Drácula ser terminantemente imortal. 



Vampiros não são imortais, eles são mortos vivos poderosos, mas Gabriel mesmo comprovou que eles são mortais, ao matar a Senhora dos Vampiros e sua filha, tal qual ele bebeu o sangue. Logo, porque Drácula não morre ainda é uma incógnita, tal qual provavelmente só será respondida no segundo jogo. 



Até então, acredito que Drácula dominou as artes da Necromancia ao tomar o posto de Senhor das Trevas (incluindo dos mortos) explicando o fato dele ter também o controle sobre os mortos. Mas uma outra questão é levantada com isso: Como Drácula é o Senhor dos Necromantes se o Senhor dos Necromantes ainda vive? (Zobek está vivo, e também é um dos personagens ocultos.) 

Drácula é cruel de mais, e mesmo ele tendo feito todo uma cena com a morte de seu filho, ele não é nem de longe um cara arrependido. Ele mesmo diz, pouco antes de sua luta contra Simon e Alucard, quando Alucard suplica que ele deixe Simon fora disso, que "Não permitirei que o nome Belmont se prolonga", provando que ele sabia que Simon era seu neto, e pior, ele queria matar ele, e ainda brincou com ele, como um fantoche.

Drácula é isso, o lado mal de Gabriel... exatamente como os Senhores das Trevas eram, só que Gabriel Belmont não chegou a ser levado aos céus. Ele apenas foi apagado da existência, dando lugar a Drácula.


                    Trevor Belmont                  


Ele é o filho de Gabriel Belmont. Como mencionei, ele foi separado de sua família no momento em que nasceu, por causa das profecias sobre o futuro de seu pai. Os responsáveis por essa separação foram os líderes da Irmandade da Luz do momento, dentre eles, Pan, também um personagem oculto. Trevor cresceu, teve uma família e educação na Irmandade da Luz, e recebeu como missão matar aquele que matou sua mãe, Drácula, sem conhecer a real identidade dele.



Trevor foi preparado para a luta, mas no final não conseguiu vencer Drácula, pois o mesmo era muito mais forte que ele, e foi morto em seu lugar.

Trevor tinha uma personalidade séria, era focado e objetivo, além de ser extremamente decidido. Ele foi capaz de arrancar a boca do Destino (literalmente) para mostrar que quem tinha controle sobre o destino dele era ele mesmo, mas, ele estava errado, e as coisas acabaram exatamente como deveriam acabar.



Ele era forte, mas durante seu processo para enfrentar Drácula, ele encontrou várias armas e acessórios, maquinarias na verdade, projetadas por Gandolfi ou até mesmo, pelo Criador de Brinquedos (outro personagem oculto). Ele também encontra amuletos de energia, como seu pai, que permitiam que ele controlasse os poderes das Trevas e os poderes da Luz, emanando ambos sempre que desejado.



Trevor foi direito ao seu objetivo, mas no caminho assistiu o ritual de re-invocação de Daemon, que foi levantado por bruxas para atacar Drácula, mas, como Trevor era o herdeiro dos Belmonts, ele virou seu alvo. Trevor judiou legal do cara, mas o mesmo foi resgatado pelo Criador de Brinquedos e remontado, para no futuro, servir aos seus propósitos.


Infelizmente, Trevor Belmont morreu, mas com sua morte nasceu Alucard.

Trevor Belmont, o original, apareceu em Castleania III, e lá, ele era tecnicamente o tataravô de Simon Belmont...




                    Alucard                    


Alucard é filho de Drácula. Nasceu com o sangue de Drácula derramado na boca do corpo de Trevor Belmont.



Quando Alucard nasce, é uma nova existência, movida por vingança. Ele deseja apenas matar seu pai, nada além disso, mas, após conhecer Simon, decide que Simon deveria ser aquele que cravaria a cruz no peito de Drácula. 

Porém, mesmo após a suposta morte de Drácula, Alucard sabia que ele não havia morrido, por isso resgatou o Vampire Killer e aguardou, para que se um dia Drácula voltasse, ele aparecesse para por um fim em sua existência. 

Alucard é um vampiro, mas seu senso de justiça, movido pela sua sede de sangue de monstros, e seu amor por seu filho, Simon, fizeram dele um vampiro diferente, guerreiro, capaz de enfrentar a própria raça para vencer o mal.

Esse Alucard... ele lembra muito o Alucard original, clássico (da versão do Symphony of the Night, pois o primeirão mesmo é beeem diferente). Alucard apareceu pela primeira vez em Castlevania III : Drácula's Curse, e nessa história ele lutava ao lado de: Trevor Belmont.



Curioso, por alguma razão, decidiram que colocar Alucard como Trevor seria uma boa ideia... mas, ai fica mais um ponto que torna impossível a união das duas franquias, se Alucard e Trevor são o mesmo ser, não teria como terem se ajudado no passado. 

De qualquer forma, nem eram personagens tão iguais, apenas tinha semelhanças mesmo. 



Alucard porém apresenta várias referências ao Alucard de Castlevania: Symphony of the Night. Além de sua aparência e vestimenta, Alucard também desenvolve de forma espontânea várias habilidades de vampiro, as quais foram mostradas e conhecidas no jogo mencionado. Ao invés de usar poderes da luz e trevas, ele usa o poder de se converter em Lobo, Névoa e Morcego, exatamente como acontecia em Symphony of the Night.

Mas esses poderes não são explicados nem conquistados, eles são despertados por Alucard em Mirror of Fate.

Também não são exatamente iguais aos poderes do Symphony, onde o modo Lobo de Alucard não ganha velocidade ou mordidinhas, e sim uma forma prateada licantropo e força elevada.



E a forma Neblina de Alucard não faz ele virar uma fumaça aforme que atravessa as coisas e flutua pra todos os cantos, e sim uma forma humanoide de fumaça que ganha esquiva capaz de atravessar formas físicas, só isso.



O modo Morcego de Alucard também só é aprendido no final, quando ele escapa do Castelo de Drácula, logo, nem tem o que comparar com sua forma em Symphony, onde ele virava um morcego cuspidor de fogo que enxergava no escuro e voava pra todo lado. 




                    Simon Belmont                    


Educado fora dos criteriosos métodos da Irmandade da Luz, Simon é rebelde, revoltado, impulsivo e agressivo. Entretanto, ele odeia seres das trevas e quer elimina-los a todo custo, afinal eles mataram sua mãe e pai.



Simon é ruivo, o primeiro Belmont Ruivo (por parte de mãe) e ele não é muito bem comportado, falando pelos cotovelos e gritando sempre. Como perdeu os pais cedo e não foi educado na ordem como seu pai, ele se tornou um órfão rebelde e revoltado.

Simon invade o castelo de Drácula para vingar a morte de seus pais, e no meio do caminho encontra a arma que seu pai usava, e também consegue como aliados dois espíritos amantes, um de energia da luz, voltado para artes defensivas e outro de energia das sombras, voltado para artes ofensivas. Além de tudo isso, ele pode contar com o amuleto que seu pai lhe deu, o Fragmento do Espelho do Destino, que lhe mostra o caminho.



Ele também passa a usar armas encontradas em inimigos (machados e garrafas de água benta), mas o melhor de tudo é que ele pode contar com Alucard (seu pai) como aliado.

Simon chega a descobrir a real identidade de seu pai, mas Alucard o abandona depois de vencerem Drácula, levando o fragmento do Espelho do Destino junto.



Eu destaquei o fato de Simon ser ruivo nessa versão, pois Simon é também o protagonista do primeiro Castlevania, e do segundo (Castlevania II: Simon's Quest). Em ambos, Simon é loiro, e depois, em remakes, ele ficou ruivo. 


Que diferença isso faz? Nenhuma, pois esse não é o mesmo Simon Belmont mesmo, afinal, Simon Belmont original era tataraneto de Trevor Belmont, não filho.



Coadjuvantes Principais e Ocultos

Ha duas classificações, na minha concepção, pois alguns são personagens que trazem uma grande importância indispensável para o jogo, outros nem tanto. 


            Zobek            




Ele nem sonha em dar as caras por aqui, porém, um necromante surge atrás de Simon pedindo o chicote de seu pai, pois era desejo de seu mestre, o senhor dos Necromantes. Zobek está vivo, pois no final do primeiro jogo ele aparece fazendo uma social com Drácula, e no segundo jogo, ele é um "aliado" de Drácula, mas, aqui, o único indicio de que ele está vivo, é esse, e é um fato importante.


          Criador de Brinquedos         



Ele até aparece, e tem um monte de referências à ele durante todas as aventuras de Mirror of Fate, porém, em momento algum ele dialoga ou enfrenta, ou se quer interage diretamente com os personagens, em qualquer uma das histórias. O Criador de Brinquedos porém é responsável pelas várias armadilhas em que Simon cai e também, pelos muitos fantoches que aparecem em seu caminho. Além disso, ele é o responsável pela reconstrução de Daemon, com partes de marionete, e a única vez em que ele aparece é quando ele assiste Trevor massacrando Daemon. Quem é ele? Tudo que se sabe é que é o maior pupilo de Gandolfi, porém foi amaldiçoado pelo antigo dono do Castelo em que Drácula habita atualmente, antes mesmo da Senhora dos Vampiros, de uma família chamada Bernhard. (Curiosamente, Walter Bernhard, que foi responsável pela maldição do Criador de Brinquedos, é o vilão de Lament of Innocence, que enfrenta Leon Belmont e depois de derrotado, da lugar ao verdadeiro vilão, que assume o papel de Drácula.)


             Rinaldo Gandolfi             




Nem se quer uma imagem do cara aparece, mas ele é tão mencionado que não tem porque ignora-lo. Gondolfi é um artesão, ferreiro, forjador, criador, alquimista, marceneiro, mecânico, e tudo mais que se encaixar na arte de montar ou criar algo. O cara é genial, a ponto de desenvolver todo tipo de arma ou armadura que a Irmandade da Luz usa, e todas as coisas mais poderosas e engenhosas na batalha conta os seres das trevas tiveram o toque dele. O nome dele é famoso no Castlevania: Lament of Innocence (justamente o Castlevania que mais foi ignorado com essa nova franquia) onde ele era o principal aliado do protagonista, além de ser seu comerciante e fabricante de armas. 


                 Alma Penada                
          Destino Personificado         


Esse não é bem um personagem oculto, mas é um coadjuvante importante. Ele chama bastante a atenção por usar uma máscara e não falar, durante as histórias iniciais, mas depois descobre-se que ele falava bastante, até Trevor silencia-lo, cortando sua boca fora, quebrando parte da máscara. Esse ser é um espírito, responsável pelo curso do Destino. Ele busca por influenciar as pessoas e encaminha-las aos seus destinos, e por causa disso, ele é como a personificação do próprio destino. Entretanto, Trevor tentar impedi-lo sem muito sucesso... mas deixou ele mudo, pra todo o sempre. O cara não é inimigo, e de certa forma nem é aliado, mas ajuda... de certa forma. Não há o que reclamar, destino é destino.

                     Pan                    



Ele aparece apenas uma vez, durante a abertura do primeiro capítulo da história de Mirror of Fate. Ele é quem conta a Marie sobre o destino de Gabriel, junto com outros agentes da Irmandade da Luz, e em sua forma de Fauno, vestido como os demais membros da Irmandade, ele deixa claro que é um dos membros mais importantes da mesma, ou tem grande influência. Lembrando que ele é um deus, e é o responsável por guiar, ajudar e treinar Gabriel em sua jornada para se tornar o mais novo Senhor das Trevas (Sinceramente, as escolhas de Pan e as decisões que ele tomou, como tirar o filho de Gabriel e permitir que Zobek usasse Gabriel para matar Marie e Claudia foram realmente estúpidas. Como deus ou não, acredito que depois dessa, ele era tão vilão quanto qualquer outro. Ele tinha poder para mudar as coisas, e não o fez, além de permitir que tudo ocorresse livremente conforme o Destino, e pra piorar, ele ajudou o Destino em seu percurso.) 


                  Coadjuvantes                   


Sem enrolar, os coadjuvantes são os personagens que não aparecem diretamente, ou aparecem, mas não tem grande importância na história, além de motivação ou base. 



Marie e a esposa de Trevor são as mulheres motivação da vez. Além delas tem os soldados que acompanham Gabriel no começo do jogo (que servem mais como tributos humanos) e os caras da Irmandade que aparecem junto com Pan na abertura do jogo.




                              Inimigos                              


Agora a lista será enorme, pois eu não falarei nem mostrei apenas um ou outro, não... eu farei exatamente como na análise anterior, e falarei de todos os inimigos que aparecem no jogo! 


Reptantes das Sombras



São seres formados por sombra, pura sombra. Eles tomaram forma física e decidiram semear o mal, simples assim. 


Quando eles aparecem pela primeira vez, parecem até com Lagartos de Sombra, mas tecnicamente, eles não são animais, são apenas sombra em forma viva, aos serviços das trevas.

Scaven



Eles aparecem liderados pelo Vigia Noturno, e são como animais com o crânio de fora. Há dois tipos, um comum e um voador, e eles lembram bastante os Corvos do primeiro LoS. 


Inclusive eles se alimentam de seu próprio mestre, o Vigia Noturno, e vice-versa, justamente como acontecia com a Bruxa dos Corvos e seus corvos.

Mortos



Novamente, há vários tipos de mortos, divididos na categoria Zumbis e Esqueletos Guerreiros. Os Zumbis seriam como camponeses ou pessoas comuns que morreram e foram ressuscitadas por Necromancia, à serviço do Senhor das Trevas.


Os esqueletos seriam guerreiros que após morrerem mantiveram seu desejo de batalha, e também através de Necromancia, receberam a chance de lutar por seu novo mestre, o Drácula.



Harpia



Sempre que eu vejo uma Harpia eu lembro de Yu-gi-oh... enfim, Harpias são como Sereias dos Céus, pois são hibridas entre humano e aves, pelo menos em seu físico. Apesar de serem um tipo de demônio, também são criaturas mitológicas antigas, então merecem ser classificadas de forma individual. 


Harpías são guerreiras femininas aos serviços de Drácula, e usam arcos e flechas para atacar do alto, enquanto voam.

Tritão


Tritões também são como sereias, mas do sexo masculino. Eles são seres clássicos em Castlevania, e sempre povoam os esgotos de Castlevania. 


Nesse caso, Tritões são variados, e tem até filhotinhos, mas são todos humanoides com mescla com peixes e enguias, que atacam conforme as ordens de Drácula.

Corcunda



De inicio achei que eram Chupa-Cabras, mas depois vi que são diferentes. Além de serem agressivos, eles mechem com armas brancas e poções, além de trabalharem em equipe para realizar suas ordens. 


Corcundas são humanos deformados, que apesar de não raciocinarem bem, são espertos o suficiente para trabalhar bem em conjunto.

Marionete



São um tipo de ser inanimado-animado. 


Eles são criados aos montes pelo Criador de Brinquedos, e jogados para povoar o Castelo de Drácula. Como bonecos vivos, eles dançam e atacam qualquer um que entre no caminho deles.

Livro Vivo



Não chega a ser um ser inanimado-animado da vida, pois tecnicamente eles são apenas suporte para outras criaturas sombrias, mas, eles são Livros mágicos, capazes de voar e enfeitiçar outros seres místicos até que suas páginas desgastem ou sejam rasgadas.

Gárgula



Gárgulas são monstros feitos de pedra, normalmente com aparência diabólica. 


Eles ganham vida para proteger o castelo ao qual habitam e fazem parte, e como grandes estátuas vivas aladas que cospem lava, elas saem pelos céus matando tudo que se atrever a aproximar do topo de seus castelos.



Vampiro



Como no jogo anterior foi mencionado que há vários tipos de vampiros, inclusive derivados de outras raças, é possível definir essas duas criaturas como "vampiros". O Morcego Gigante seria como um vampiro de um Morcego vampiro comum, onde o mesmo foi infectado com o sangue de um vampiro e se transmutou, virando essa aberração gigante e vampiresca. 


O Vampiro Guerreiro é um tipo refinado de vampiro, criado e treinado pelo próprio Drácula, como um verdadeiro soldado de elite, diferente dos soldados Vampiros amadores do passado.



Lobisomem



Os Licantropos passaram a servir o novo Senhor das Trevas, aquele que matou o Senhor dos Licantropos, mesmo este sendo hoje um Vampiro, maior rival da raça Licantropo. 


Sem escolha, os Lobisomens são grandes serviçais de Drácula, protegendo o castelo com sua força.

Bruxas



Bruxas são uma das poucas criaturas que ousaram conspirar contra Drácula. Sempre traiçoeiras, elas invocaram Lorde Daemon de volta a vida, para que o mesmo atacasse Drácula, na tentativa de tira-lo do Trono e passar seus poderes e o castelo para as Bruxas. 


Porém, elas só apareceram uma vez, durante a invocação... depois disso nunca mais se ouviu falar nem se quer da carcaça dessas mulheres... pois Drácula continua vivo. 

Fantasma



Tecnicamente, há dois tipos: Incorporados e Espectros. A diferença deles é que os Incorporados tomam posse de Armaduras Grandes para lutar, seguindo as ordens do mestre das trevas...


Enquanto os Espectros são apenas ecos do que já foram em vida, vagando eternamente pelos corredores do castelo, sem objetivo e sem influência alguma, além do som de correntes arrastando.

                                 Chefões                                 

Há os inimigos mais poderosos, que são os clássicos chefões.

Verdurgo


Há alguns poucos Verdugos no Castelo de Drácula, todos aos serviços dele. Verdugos são gigantes doceis, que foram domados e criados para lutar, na base da tortura.



Os responsáveis pelo treinamento dessas criaturas são os Corcundas, por isso não há respeito algum por parte dos Verdugos, onde eles por várias vezes se voltam contra os Corcundas, matando eles e todo o resto que aparecer.

Vigia Noturno



O Vigia é um tipo de Espectro, porém com uma função pré determinada: Cuidar das Lâmpadas do Castelo. Ele vaga sem outro objetivo, e serve de alimento, além de se alimentar, dos Scavens, tais quais também lhe servem como cães de guarda e caça. 


O vigia morreu nas mãos de Simon Belmont, porém sua morte lhe deu uma nova vida, na forma de um Scaven mutante gigante.

Necromante


Só aparece um Necromante, e este se apresenta como servo de Zobek, para arrancar a Vampire Killer das mãos de Simon Belmont, para dar ao seu mestre. Esse Necromante é a única pista de que Zobek voltou a vida, e também de que não há só um Senhor dos Mortos no mundo, onde Drácula e Zobek lutam por essa posição. 


Os Necromantes, feiticeiros que usam necromancia a partir do poder de Zobek, são leais somente a ele, diferente das demais criaturas mortas, que são leais a qualquer um que os traga de volta.

Súcubo



Prova definitiva de que Drácula dominou o cargo de Senhor dos Demônios em seu pacote de patentes como Senhor das Trevas. 


A Súcubo é um demônio antigo, que se alimenta de energia sexual. É um tipo de mescla entre Vampiro e Demônio, mas ao invés de sugar sangue, ela suga energia vital, através do prazer, levando suas vítimas à morte. Essa Súcubo serve às ordens de Drácula, tentando iludir Simon Belmont e seduzi-lo, sem sucesso.

Carniceiro



O Carniceiro é a segunda forma do Vigia Noturno, após ele devorar e ser devorado (ao mesmo tempo) pelos Scavens, seus fieis seguidores. Ele é um tipo de Scaven gigante e monstruoso, que cospe sangue podre e ácido. 


Ele ataca Alucard logo após nascer da derrota do Vigia pelas mãos de Simon, e após sua morte, ele tem seu sangue sugado pelo vampiro herói, que desenvolve Garras Especiais a partir do sangue desse monstro. 

Lorde Daemon



Lorde Daemon, o monstro que teve o prazer de encarar Gabriel Belmont e Trevor Belmont, e só não encarou Simon Belmont pois Alucard (Trevor morto) interviu e colocou um fim nessa criatura. 

Na sua primeira luta, ele foi selado por Gabriel, que usou seu santo sangue Belmont para isso.



Na sua segunda luta, Trevor perseguiu essa criatura sem saber que ela foi invocada para matar Drácula, e fatiou ele, literalmente.


Na sua terceira luta, Daemon reencontra Trevor, na forma de Alucard, e ambos se enfrentam várias vezes na base da vingança, com Daemon apelando pra tecnologia...


Até que Daemon é morto, torturado e tem seu sangue bebido por Alucard, que ganha suas Asas Demoníacas.


Dama da Cripta



Essa coisa é um tipo de demônio grande, que usa uma forma feminina no topo de sua cabeça para atrair suas vítimas e as engole por baixo da terra, com seu corpo real. 


Ela também tem grande semelhança com um lagardo, escaravelhos, dragão e serpente... é difícil descrevê-la então resumidamente: Ela é feia pacas.


Ela é morta por Trevor Belmont, que a usa como chave para arrombar a entrada do Castelo de Drácula, já que o Destino não queria que ele entrasse.

                             Aliados                              

Algumas criaturas ajudam na aventura, e apesar de serem "monstros" são grandes ajudantes. 

Espíritos Defensores


Existem dois espíritos especiais que ajudam Simon Belmont em sua aventura. Eles se unem a ele mesmo sem ele dar muita bola, e ambos são bem poderosos. 

O Espírito Mulher usa seu poder como uma forma defensiva, e além de fazer barreiras contra outros espíritos, ela também consegue levar todo o dano que Simon levaria, caso ela ainda tenha energia.


O Espírito Homem é um tipo de soldado, e usa sua Balesta para atirar à longa distância por conta própria, dando cobertura para Simon.



Morcegos




Alucard usa morcegos como armas, ele os arremessa em inimigos, fazendo eles se atordoarem por pouco tempo, parecido com as Fadas no primeiro LoS, e esses são tecnicamente os últimos aliados do jogo.


Enfim, isso é tudo.

Se deu pra reparar, o segundo jogo tem muito mais história que o primeiro, e olha que nem é o "segundo" de verdade, é só um intermediário. 

Algo que ficou bem claro é que, a história de Drácula ainda não foi explicada, e tudo indica que isso ocorrerá na sequência real de Castlevania Lords of Shadow. Eu nem tenho muitas dúvidas sobre isso, pois joguei um pouco dele e reparei que realmente ocorre isso: Explicações sobre quem é Drácula e todo o processo que ele teve para se tornar quem se tornou. 

Óbvio que só posso ter e dar certeza disso depois de fazer a análisemorte do Castlevania Lords of Shadow 2, mas até la, fico só na imaginação e expectativa mesmo.

Preciso admitir que perdi aquele gostinho ruim que o primeiro jogo deixou, e apesar desse não ser uma perfeição também, conseguiu diminuir a merd4 que as DLC's fizeram no primeiro jogo. Claro que nada é um mar de rosas...

Algo que não posso ignorar é o fato de Lords of Shadow fazer muitas referências aos títulos clássicos, mas também ter muitas referências ao Castlevania Lament of Innocence. Eu achei isso um tanto quanto arrogante, pois é evidente que a história de Lords of Shadow não se passa na mesma realidade de "Lament of Innocence". Eu falei um pouco dele durante a análise do primeiro jogo, tanto quanto falei de outros jogos como "Symphony of the Night", outro título bastante referenciado, mas farei um resuminho do que é o "Lament of Innocence":

Em Lament of Innocence, é contada a história de um Belmont, não o primeiro, mas um, tal qual luta contra vampiros, com suporte de Gandolfi, e monta a Vampire Killer original, também com ajuda dele. 



O nome desse Belmont é Leon, e ele é não apenas aquele quem desenvolveu a arma matadora de vampiros da família, como também encontrou com Drácula pela primeira vez, e declarou guerra a ele. 

Eu reparei que em Lords of Shadow, coisas como o Vampire Killer feito por Gandolfi e a família de vampiros que foram manipulados por Drácula são mencionados, como parte do passado da história do universo em que Gabriel luta. Mas, não há qualquer possibilidade dessas coisas sucederem, afinal, Drácula nem sonhava em existir nos séculos que antecederam o nascimento e aventuras de Gabriel Belmont. Há de se considerar também que Gabriel é o primeiro do clã Belmont... como o primeiro pode ter vindo depois de Leon? Se Leon também nem era o primeiro? 

Há uma senhora distorção histórica que, só deixa bem claro que é uma releitura, uma reimaginação mesmo... mas que é feio de mais usar fatos e menções "honrosas" a saga original, quando na verdade ela estava ali, em pé, prontinha pra ser usada como base decente pra história desse jogo, mas foi descartada, ignorada, manchada e remoída, desnecessariamente.

Eu, particularmente, não gostei disso. Não gostei do trabalho desnecessário de reiniciar uma franquia, sendo que a mesma ainda é usada como consulta  e base pro "novo"... que no fim só acaba tendo mais furos. 

Mas, que seja, o jogo é bom, quem sou eu pra discordar, mas opinião cada um tem a sua.

Enfim, essa foi a análise. Espero que tenha gostado, e repare, eu me esforcei mesmo rs. Só por favor, se gostou, não pense duas vezes antes de comentar. Qualquer pergunta, dúvida ou crítica é mais do que bem vinda. Eu quero melhorar meu trabalho e é através da opinião do leitor que eu aprendo, me desenvolvo, e aprimoro meu desempenho. E caso você tenha discordado ou se ofendido com algo que eu disse, a ponto de nem querer perder seu tempo comentando, afinal já deve ter gastado muito de seu tempo lendo, eu só peço desculpas, só posso fazer isso. Eu escrevi com o intuito de divultar aquilo que aprendi com o jogo... só isso. Obrigado por tudo, de toda forma, e até a próxima!



30 comentários:

  1. Bom como já tinha dito, a Analise está muito boa, rica de conteúdos e de leitura prazerosa, um entendimento fácil tanto para quem já jogou como para quem não jogou ainda (meu caso).

    Gostei da maneira que contou a historia, de acordo com a ordem dos eventos exatos, facilita muito no entendimento da historia e tudo mais. Gostaria de ter mais o que comentar, mas como não tive a oportunidade de jogar e criar minhas propiás ideias sobre este game, meu comentário fica limitado a elogiar está ótima analise, porque realmente eu não vi pontos negativos nela, você contou a historia de forma simples e objetiva, explicou os personagens, como aconteceu os encontros entres os personagens, nos apresentou os monstros do game, as armas utilizadas, uma analise realmente completa!

    O que resta é um pequeno debate sobre o que pode acontecer em LoS2, porque, com o pouco tempo que tenho nele já foram criadas algumas duvidas, creio de que pelo fato de não ter jogado as DLcs do LoS e nem o MoF, mas mesmo apos ler ambas analises, acho que estão faltando algo em meio essa historia toda, como por exemplo SPOILER SPOILER SPOILER

    Um caso de Dracula com a Lord of Shadow vampira (não lembro o nome dela) apresentado no LoS2, o encontro de Dracula com seu filho, e um aparente retorno de seu lado "humano" sempre que ele entra em contanto com seu filho... Preciso zerar logo ele... Tantos jogos para zerar e tentar acompanhar suas analises... Acho que vou ter que dar um tempo no LoL para colocar em dia meus conhecimentos sobre os jogos que está analisando hahaha.

    Enfim adorei a Analise! Ótimo trabalho Sr. Morte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro comentário, eu já suspeitava que seria do Sr Abyss.

      Bom que curtiu, eu me esforcei como sempre hehe...

      Sobre o LoS2, também joguei um pouco. Me recordo de ter parado no momento que aquela mina que anda de costas em forma de cachorro saca, fazendo aquela técnica "ponte", se não me engano uma das senhoras do destino ou parças da Medusa, algo assim... eu tenho trauma disso. Odeio esse movimento e, mulheres andando de costas como cachorro me dão pesadelos. Quando eu era pequeno, eu estava assistindo minha mãe assistir "O Exorcista" e, na hora que a mina desce as escadas nesse mesmo movimento, a luz da minha casa acabou cara... trauma nasce, trauma vive!

      Enfim, eu joguei, e o que percebi é que Drácula fica viajando em suas memórias e é constantemente encarado pela infância de seu filho (que ele nunca acompanhou) e os seres das trevas que o servem e são leais (tais quais ele odeia, afinal ele era Gabriel).

      Mas, confesso que durante a análise eu pesquisei um pouco sobre alguns personagens de Lord of Shadow, como o cara das marionetes, e vi "spoilers" de que ele é um dos inimigos do segundo jogo (nem é tão spoiler, fica meio óbvio afinal ele da bandeira). Logo, é possível que seja um tipo de "final" e "começo" ao mesmo tempo... a história de como Drácula foi se tornando Drácula, e como ele deixou de existir, paralelamente...

      Eu vou jogar, analisar, e um dia postar, e ai sim, saberei do que se trata exatamente. Mas se for basear apenas em minhas expectativas, o jogo é maravilhoso.

      Vlw pela leitura Sr Abyss... e continue curtindo o blog, e eu trarei mais análises pra ti.

      Excluir
    2. Já estou batendo cartão em seus post's não?! haha

      Sei bem como... Sabe a garota do Chamado?! Então já tenho 17 anos nas costas e ainda tenho medo dela graças ao meu pai '-' tinha acabo de ver esse filme, eu era muito moleque ainda, fui tomar banho já naquele cagasso e tinha uns fios de cabelo no ralo, ai cê já vê o medo pensando que a maldita vai sair do ralo pra te buscar ne? Até ai beleza, você sai do banho, coloca a toalha na cabeça e a luz apaga ai de repente aparece um filho de cruz credo na sua frente com o "cabelo" pra frente feito a Samara... Tu sai correndo feito trouxa do banheiro morrendo de medo pra descobrir que é seu pai te pregando uma peça '-' como você disse... Trauma nasce, trauma vive T.T

      Eu espero que dessa vez seja uma historia com um sentido, porque né a do LoS pela mor '-', como eu ainda não zerei (tantos joguei que eu deixei de zerar por causa do Dark Soul, e agora deixo de voltar por causa do LoL e da família, chega a doer meu coração T.T) estou muito esperançoso em relação a historia do LoS2, creio que ele vai juntar as peças do quebra cabeça.

      Eu que agradeço pela ótima analise! E me desculpe na demora para responder, andaram acontecendo algumas coisas e eu não estava com cabeça para absolutamente nada sabe... Mas creio que agora que tudo deu uma melhorada volto a bater cartão aqui no blog xD

      Excluir
    3. Antes de tudo, desejo que tudo fique bem pra ti sr.

      Então, seu trauma é melhor que o meu T_T.

      Enfim, saca, o LoS2 provavelmente é o desfecho mesmo, porque eu dei uma pesquisada rala sobre o título enquanto fazia a análise do mirror, e vi se tinha previsão de lançamento por 3, e nada de qualquer especulação. Daí, deduzi que encerraram a história no 2, por isso não há nem previsão de lançamento.

      Irei me esforçar pra fazer boas análises sempre sr, para honrar sua presença.

      Vlw ai e até!

      Excluir
    4. Obrigado Sr. Morte ^^

      Talvez sim, talvez não, tudo depende da maneira que me é apresentada qualquer coisa em relação a Samara e.e

      Bom eu realmente espero que seja o desfecho, pois se não enrolam muito e criam mais historias nada a ver e explicações ruins para elas e podem acabar estragando a franquia que muito boa no meu ponto de vista.

      Haha eu fico honrado em saber que minha presença honra seu blog xD

      Até breve Sr. Morte

      Excluir
    5. Até breve sr Abyss. É uma pena, eu queria muito encerrar a franquia LoS o mais rápido possível... a curiosidade pelo final dessa joça ta me torturando... o segundo jogo é bom pacas (pelo menos no inicio) então... to querendo muito finaliza-lo e analisa-lo.

      Mas pra isso, só depois de SH... pq eu já enrolei de mais.

      Excluir
    6. Sim LoS2 é realmente muito bom, e estou ansioso pela sua analise dele, pois acho que sera muito rica, o jogo tem conteúdo para uma grande analise, cheia de detalhes, do jeito que eu gosto :3

      Desculpe a demora de novo... Tá F%#4

      Excluir
    7. Ta mais fod4 pra mim mano... eu to procurando tempo pra jogar SH Origins... ta dificil de achar...

      A vontade de jogar é enorme, o problema é tempo... só isso.

      Excluir
    8. Tempo... sempre ferrando com nós não é verdade T.T

      Excluir
    9. Tempo e contratempos... acredita que minha net ta zoada? Acho que isso vai me prejudicar...

      Excluir
    10. Da até pra criar uma serie com isso... o Mundo contra Sr. Morte pq né ta tenso eim haha

      Excluir
    11. Mas nem grila, to digitando e editando offline mesmo. Vou postar o Origins!

      Excluir
    12. Vou dormir com uma excelente notícia então xD espero que amanhã já possa a ler *-*

      Excluir
    13. To com uma vontade de postar o rascunho... mas ai vai assustar pelo tamanho. A análise já bateu a marca do SH4 em tamanho e tipo, ainda falta por imagens e escrever a história... man... ta tenso rs.

      Excluir
    14. Vai ficar grande mesmo, to com medo de não ficar bom suficiente.

      Excluir
    15. Sem medo sem ganho! Vai ficar boa, mesmo que você só contasse a história de cada personagem já fica muito rica, porque qualquer análise que eu já li, tirando as suas, o povo só foca a história geral, e você detalha de uma maneira incrível, e só isso já deixa a análise mais que boa

      Excluir
    16. Tomara... meu medo é com o quesito confusão... acho que falei coisa de mais...

      Excluir
    17. Ou não, se estiver organizado de uma maneira de fácil entendimento, pode ser uma bíblia que não fica difícil entender xD

      Excluir
    18. Quem dera eu escrevesse uma biblia hehe... mas ficarei satisfeito se ao menos a ideia sair bem explicada.

      Excluir
    19. Isso é certeza que sai, um ponto forte dos seus textos é uma explicação detalhada

      Excluir
  2. Quando vi a análise no topo, minha reação interna,rsrs (tá tarde e meus pais foram dormir, nada de exaltações, eles nem gostam que eu use isso tarde) foi como os caras na E3 ao verem Street Fighter vs Tekken (joguinho aliás, bem bosta. Só é bom no começo, depois é um saco, nem se compara à MK9) tipo: Êêêêê!!! CASTLEVANIA!Ainda que seja a ''nova'' também acho um desrespeito imenso para com essa saga! Sim, também bem me lembo do Yugi-oh quando falam em Harpias... e as sereias vale lembrar, eram assim mesmo na mitologia grega, Ulisses(Odisseu,como prefiro) em a ''Odisseia'' passar por elas numa parte. Mais uma grande análise, muito obrigado e pensando e torcendo pra você dar uma ''chancezinhaaaa'' de nada pelo menos, pro The Cat Lady!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Point and Click... me da até calafrios... Mas to pensando em jogar, se eu conseguir ir até o fim, analisar não será problema... continue torcendo rs.

      Sobre Castlevania, irmão, quando eu terminei fiquei tão feliz, animadão... afinal essa é uma análise grandinha.

      Ahhh, você viu o que adicionei ao blog? Aquele menu suspendo do lado direito... eu tive de mexer no designe do blog todo, mas consegui por aquilo, que tecnicamente facilita a navegação no blog.

      Enfim, obrigado por ler sr Marcio, e espero continuar fazendo um bom trabalho, para os bons leitores que meu blog possui.

      Excluir
    2. Vamos lá... garanto a você que essa mecânica não é como nos outros que é essencial, você recolhe itens sim, mas o foco não é esse e nem são muitos os itens para pegar o negócio é a estória fodasticamente foda,rsrs do game! Sim eu tô ansioso para mais Castlevania!! E cara só vi deois que você falou, pois fui correndo ver se você tinha respondido ao comentário! Muito bom e quem sabe cê podia aproveitar e mudar a cor para um azul estilo aquele tema castlevania classic que tem no chrome, é muito legal!Até mais!

      Excluir
    3. Prefiro preto... o modo escuro é o basicão e faz mais meu estilo... cores de mais me dão dor de cabeça. Mas to vendo formas de deixar tudo mais... atrativo. Mas vai demorar, eu não tenho muita noção sobre blogs. E cara, eu vou jogar o The Cat Lady... um dia.

      Agora to pensando no que escrever... logo postarei mais... fique atento rs.

      E boa leitura Sr Marcio.

      Excluir
    4. Eu estou!!Sim senhor, eu entendo!Só não demora muuuuito ok?Rrsrs té mais e pondo aqui as análises do senhor na lista de ''coisas que fazem a vida valer a pena!''

      Excluir
    5. Nossa... espero continuar desempenhando um bom papel para merecer uma vaga na sua lista.

      Vlw sr Marcio! E até a próxima...

      Excluir
  3. Bom sr.morte quando instalei o Mof no meu ps3 pensei ser o Los I pois eu ja tinha o ll e essa porra de Los l eu nao encontrava em lugar nenhum ( a merd4 foi q quando agl me conseguiu um seminovo, e ai num dia q pretendo esquecer, 28 de setembro qq fui assistir os cavaleiros do zodiaco a batalha do santuario passei na saraiva, e adivinha, tinha mais de 10 Los l a disposissao ) entao fui avançando no ll, e ainda apareceu a expançao "reveletions", dp disso nao da mt vontade de jogar os titulos passados nhe...
    Mas enfim, obrigado pois graças a esta analise eu terei mais impeto para retomar este jogo, eu joguei praticamente so a demo, n gostei dos graficos, achei legal por ser de lado, mas preferia q fosse algo parecido c os graficos do livro de abilidades do Los ll, quando em 2d demonstram cm sera o golpe q vc abilitou, bom dp q eu jogar se ainda couber eu reformulo meu comentario
    Agora desculpa pl chatice, sobre o outro comentario, quando eu disse sobre o castle 64 e Legacy serem "iguais" eu esqueci do "praticamente", falha minha, mals, pq dp q vc termina o jogo c o cornell, pega os especiais e td mais, vc abilita os herois do outro jogo e faz tudo dinovo exatamente igual, e durante o jogo c o cornell nao muda mt coisa, usa se a msm plataforma c uma pequena melhora grafica por conta de na epoca existirem aqueles malditos expanssores q encarreciam ainda mais os jogos de 64, e eles apenas trocavam os mestres das fases por um da historia de cornell ( quando trocavam) , alem dos perssonagens daquele jogo nao gostarem mt de falar, com exceçao do fake dracula " missereble worm upstair weekilings hahaha... "
    E cara o " tan-ta-ra-ram" foi d+ para mim, cai na gargalhada kkkk
    Se devia tar falando da musica orquestrada pelo violino de maluz na abertura do jogo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho uma noção muito boa sobre músicas, por isso não falo tanto delas, a menos que seja algo que eu queira muito falar. Durante as análises eu tento por tudo o que lembro, por iso pode acontecer de eu esquecer coisas bem interessantes.

      De toda forma, existem os comentários pra isso... o que eu esqueço, os fans lembram rs.

      Bem, a análise tem de servir pra algo.... e é bom que tenha servido. Eu fiquei satisfeito com a postagem... e fico feliz por ela ter agradado.

      Sobre o Castlevania 64, bem que eu percebi que tinham usado o mesmo jogo como base... tem até uma parte que você entra no caixão em que o fake drácula foi enfrentado, são coisas que ocorrem nos jogos diferentes mas, fica evidente a repetição de gráficos e cenários. Ainda assim, é melhor que crepúscu... digo, LoS.

      Saca, quando eu joguei o mirror of fate pela primeira vez,foi a demo no 3ds. Eu também achei que era tipo remake ou port do original pra portátil saca, daí eu descobri que tinha de PC, e peguei pra jogar no PC... daí, no inicio, tinha a batalha de Gabriel contra o Daemon, mas ela não ocorre de forma jogável, é apenas em CG... daí eu achei que era um port do port saca, que pegaram a versão de 3ds e levaram pra pc, e trocaram algumas lutas do jogo por cg, pra ficar mais leve ou algo assim... bateu mó desanimo. Mas ai eu joguei até o fim e descobri que na real, a parte da Demo é a parte em que se joga de Trevor, que é a última parte do jogo, e a luta contra Daemon até acontece, mas na demo quem é enfrentado é uma Armadura Fantasma xD... enfim, é tudo a mesma coisa, sem tirar nem por. Ainda bem, pois é bem chato aqueles games com dupla versão... tipo Sonic Unleashed ou Tomb Raider UnderWorld... em que a versão diferente é toda modificada e reduzida pra "caber" na outra plataforma...

      Enfim, é isso. Vlw por comentar Sr, e até a próxima. Ah, to fazendo uma análise rápida de Dust, an Elysian Tail. Logo em seguida farei de um Silent Hill, e depois volto pro Castlevania.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+