PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

terça-feira, 27 de maio de 2014

AnáliseMorte: Silent Hill 4 - The Room - Tudo o que você precisa saber sobre SH4!

Tanto tempo sem digitar nada, chegou a hora de tomar vergonha e registrar mais uma análisemorte da franquia de terror psicológico mais intrigante dos últimos séculos: Silent Hill

E dessa vez falarei do jogo mais fofinho dentre toda a coleção SH:

Silent Hill 4 - The Room



Então prepare a pipoca... Aliás, você come pipoca pra ler? Se fosse um vídeo até faria sentido essa frase mas não é... então... o que uma pessoa costuma fazer enquanto lê? Eu não sei... não costumo ler... então... putz... bem... prepare-se (seja lá como você se prepara) e divirta-se!

PERIGO!

Este texto contém palavras, imagens e spoilers perturbadores ou cruéis. 
Aviso mais curto e direto que esse não existe... tirando aquele "Warning" do mega man... enfim...

Boa Leitura!



Vamos começar:


Se quiser, só dê play no vídeo e se delicie com a trilha sonora de SH4: 


(Vlw pelo link Marcio Roberto)

Eis Silent Hill 4... eis um jogo renegado. Ele tem tudo de diferente dos SH's anteriores, ou ao menos é assim que o descrevem por ai... porém...



Na verdade ele é um enorme tributo à franquia, trazendo o que seria o provável desfecho da saga Mason, e mostrando que Silent Hill vai muito além das fronteiras.

Esse SH gira principalmente em torno do universo espiritual de Silent Hill. Se você teve o prazer de ler a análise do primeiro Silent Hill (ou jogou), deve ter reparado que o universo mitológico se divide em dois: Religioso e Espiritual.

Um espírita da vida que ler isso vai pirar e dizer "espiritualismo é religião" ou algo do tipo, mas já alerto que não é esse meu ponto.

Quero dizer que SH trata de fantasmas, no sentido literal da palavra, e demônios, também no sentido literal. E apesar de ambos serem "parecidos" não são a mesma coisa. E geralmente, ambos são tratados individualmente em SH.

Nos SH's isso fica bem claro, pois quando o jogo foca no lado religioso (demoníaco) as coisas são mostradas de uma forma muito diferente do que quando foca no lado espiritual (fantasmagórico). Mas quando mistura ambos, e se foca em ambos... ai a merd4 fica séria.

Quem teve o prazer de ler a análise do Silent Hill 2 viu a diferença. Principalmente se comparar com o Silent Hill 3.



Jogabilidade


Esse jogo possui uma jogabilidade um pouco diferente, que varia entre primeira pessoa (no apartamento) e terceira pessoa. 



Enquanto estiver em primeira pessoa, o personagem só pode ler, andar, interagir com certos objetos e também, expulsar fantasmas com velas e pingentes, além de espiar pela janela, olho mágico e buraco na parede da vizinha.



Nesse estado, ele também recupera sua energia. Pelo menos até a etapa onde os espíritos descobrem a rota pro apartamento e passam a assombra-lo, tornando o local hostil. 

Já na terceira pessoa, ele pode andar, correr, lutar, além de interagir com as coisas e pessoas. Mas ele tem um inventário com limite de peso, que pode ser esvaziado ou organizado com auxilio de um baú no apartamento, no qual pode-se guardar itens ilimitadamente. 

O sistema de batalha depende da arma utilizada. Quanto mais pesada for a arma, mais lento é pra carrega-la e utiliza-la. Quanto mais tempo se conjura/carrega um ataque, mais forte e desastroso ele é. Armas de fogo são mais simples, miram automaticamente e disparam com facilidade e agilidade, mas tem limite de balas.



Ah... to falando de jogabilidade e coisinhas bobas de gameplay... o que interessa é a história! Mas só pra aproveitar o embalo, aqui vão algumas curiosidades:

Esse jogo é o que mais tem capacidade de exploração, dentre todos os SH's (incluindo o enorme Downpour). Ele aproveita totalmente o cenário. O personagem passa pelas fases 2 vezes (na segunda chega a encontrar ainda mais portas liberadas), tem praticamente todas as portas acessíveis e mesmo as fechadas, podem ser contornadas e o espaço por trás delas é explorado normalmente. 



Tem até uma fase que tem um número exagerado de portas trancadas por vários andares, que eu digo ser a fase onde as portas trancadas do jogo foram parar.



O personagem também não precisa se preocupar em procurar o mapa das regiões visitadas, pois assim que ele entra nelas já tem o mesmo em seu inventário (ele mesmo vai desenhando na real, sem dificuldade). Curioso isso, mas se deve ao fato do vilão precisar que ele explore as regiões e testemunhe tudo, sem dificuldade.  



Enredo


 Silent Hill 4 é uma continuação (sim, é uma continuação) do Silent Hill 2. (Pasme, é isso mesmo!)

A história se passa anos, muitos anos, após os eventos de SH2, e por incrível que pareça, SH4 é uma continuação DIRETA dele.



Curiosamente, ele também mostra um número satisfatório de referências aos demais Silent Hills, e até mesmo à saga Mason.

Pra quem leu as análises (ou jogou), reparou que a saga Mason segue uma linha independente, porém sua influência nas demais sagas é evidente (Não é por menos, afinal foi la que tudo "começou").

Silent Hill 4 começa com a história de um cara chamado Henry que se encontra preso em seu próprio apartamento, trancado por dentro, isolado do mundo e impedido de se comunicar. Como se já não bastasse, ele ainda sofre pesadelos, ta sem tv, sem telefone funcional, com um rádio de notícias gravadas e repetidas e com uma geladeira com apenas 1 frasco de leite com chocolate e 1 garrafa de vinho, vazia (e durante uma parte do jogo ele ganha churrasquinho grego fresco embrulhado).



O único entretenimento do cara é um pequeno buraco que da direto pro quarto da vizinha, Eileen (que é uma gata) e ele pode espionar sem ser notado... não apenas porque buraco é minúsculo mas também porque ninguém consegue ouvi-lo ou vê-lo, não importa o quanto ele grite.


A coisa já estaria perfeitamente bizarra assim, um carinha com uma porta trancada a cadeado e correntes por dentro (sozinho, e não foi ele quem se trancou) mas tudo piora um pouco mais quando Henry começa a ser arrastado pra lugares diferentes fora de seu apartamento, por um buraco em seu banheiro...



Lotados de fantasmas e monstros horríveis que tentam a todo instante mata-lo e mais, pessoas que também foram arrastadas para esses mesmos locais, para serem assassinadas na sua frente (lembrei do seriado "Cadê o Léo", sei la porquê).

Essas regiões pra onde ele é levado são distorcidas ao bom e velho estilo Silent Hill, com a principal característica de terem em sua composição espíritos vingativos e imortais, que podem atravessar a parede, e sugar sua alma enfiando as unhas em seu coração... bacana não?!

O melhor e mais legal de tudo, é que nada disso acontece em Silent Hill!

Tudo se passa próximo a SH, as vezes inclusive ao lado do famoso Lago Toluca, mas em momento algum o personagem entra em Silent Hill (cidade)... nem sequer pisa la.



Seria como o inverso de Silent Hill 2. La, James Sunderland não poderia jamais sair da cidade, pois estava morto e tinha uma tarefa pós mortem a cumprir. Agora Henry está vivo, cambaleando acima do abismo da tortura eterna e entre a vida e a morte, e não pode chegar perto de Silent Hill de verdade, apenas na versão ilusória criada pelo antagonista da vez.

Mas onde ta a ligação entre SH2 e SH4?!

SH2 conta a história de um grupo de espíritos sendo julgados pela amaldiçoada Silent Hill, onde só poderão descansar em paz após passarem pelo "purgatório de Silent Hill".

SH4 conta a história de um desses espíritos, que conseguiu enganar a maldição de Silent Hill e manipula-la a seu favor, fazendo de seu "purgatório" uma benção e suporte para seus próprios planos.

Daora como as coisas são. Em Silent Hill 2, deveriam ser 4 espíritos torturados (gordinho, James, menina da faca e Walter) mas um deles (Walter) acabou se aproveitando da sua condição de "Distorcedor de Realidades" e pôs em prática uma série de crimes macabros.


Explicarei melhor ao falar dos personagens:



Henry Townshend



Pensa num cara fod4, extrovertido, empolgado, corajoso, audacioso, forte, rápido e inteligente! Pensou? Henry não é nada disso.

O cara é o protagonista, mas até o gordão cantor de ópera que vira fantasma no final do jogo tem mais personalidade que ele.

Nada contra, mas o cara é muito lerdo, fala baixo, não esboça reações convincentes, não tem qualquer ar heroico, aliás, em sua maioria ele aparenta ser mais um coadjuvante que protagonista.

Todos tem mais história que ele no jogo... aliás... realmente... todos tem história, menos ele! Caraca, se parar pra pensar, de fato o cara não tem qualquer sentido na história além de servir como coadjuvante principal que não morre e ainda salva o dia.



Pegando pesado ou não, ele realmente não tem nada, nada de especial. Ta certo, ele ficou dias confinado no próprio apartamento, sem lazer, sem comida (aparentemente) e sofrendo tortura psicológica, mas ainda assim, ele seria um zero a esquerda, se não tivesse impedido que o diabo viesse ao mundo, que sua vizinha gostosa morresse e que o sindico Sunderland fosse demitido por permitir (e promover) desordem no prédio.

Vou parar de esculachar o coitado, e falarei com mais... carinho.

Henry é um inquilino que alugou o quarto 302 e acabou se envolvendo numa put4 confusão, aleatoriamente.

Ele é isso. Não tem história, ao menos nada de importante ou que venha a acrescentar na trama de SH. Ele apenas foi escolhido randomicamente e se tornou uma peça chave para o fim dos planos de Walter.



Eu tenho uma senhora raiva desse cara, porque ele só serve para conhecer o trabalho de Walter e no final, ainda ferra com o trabalho dele.

Pensa: tudo o que o cara tinha de fazer era observar, e no fim, ele acaba destruindo tudo, filha da putisse isso!

Falei e falei e num falei nada, porque não tem mesmo o que falar. Henry é um personagem sem tempero algum, nem mesmo sal. E provavelmente isso é proposital! Se parar pra analisar (e é isso que eu tenho de fazer né) Henry é o único personagem que não tem personalidade do SH4.



Como pessoa, ele não tinha motivação alguma, estava cansado e também nem entendia o que se passava. Ele recebeu uma tarefa extremamente especial e importante sem ter qualquer qualificação pra isso.

Walter decidiu que o próximo morador do quarto 302 (sua mãe) seria o Receptor da Sabedoria, e ganharia o direito de saber a história de tudo e todos que estavam envolvidos no ritual de Assunção da Santa Mãe. Henry foi o sortudo e escolhido para tal tarefa, tudo porque não soube escolher direito seu apartamento.

Daí, Henry não tem e nem precisa ter sua história divulgada, pois o assunto da vez é Walter e suas vítimas. A história de Henry começa a partir daí.



Ele conhece a história de todas as vítimas de Walter, e no final, consegue interromper o ritual que era praticamente impossível de se parar. Ele não tinha nada de especial à respeito de Silent Hill, nenhuma ligação, nenhuma obrigação. Ele não era ninguém pra SH (além de um turista medíocre)... mas a partir do momento que ele impediu um put4 ritual que se estendeu por quase décadas, e ainda eliminou um dos espíritos de Silent Hill, além de impedir o capeta, esse homem sem personalidade se envolveu numa confusão enorme que trará muitas consequências no futuro (tomara, pois ele merece se f...).



Walter Sullivan (1/3)



K7, eis um cara fod4. Esse é a Heather Mason versão masculina. Se tem um protagonista de verdade nesse jogo, esse é Walter. WALTER, EU S2 VOCÊ!!! UUUUH WALTER!!!



Walter foi capaz de manipular completamente sua habilidade de Criança da Ordem, e arquitetou o maior e mais completo plano diabólico pra invocar o caipiroto (Demônio Caipira)... tudo isso sem perder sua inocência.

Sim, o cara conduziu um ritual satânico e matou, a sangue frio, um total de 18 pessoas e uma penca de animais indefesos, sem perder sua inocência!



Além disso, ele conseguiu, sozinho e sem ajuda de ninguém, realizar todos os passos de um ritual altamente complexo e desafiador, e tudo isso com um "Cabeça de Piramide" (Valtiel) na cola!

Pra variar, o cara conseguiu contornar a própria morte e estender sua existência por um período indefinido, permitindo que ele finalizasse tudo o que começou.

O mais bacana disso tudo é que Walter fez todas essas proezas S-O-Z-I-N-H-O. Ele fez coisas que a Ordem inteira não foi capaz de fazer, e ainda por cima ele obteve pleno e total ÊXITO (ele não obteve êxito, mas chegou muito perto).

Ta, Walter foi impedido por causa do fdp do Henrysemcarisma, que no final prejudicou a conclusão do ritual, mas ainda assim, ele fez as coisas de forma tão genial que superou em muito qualquer vilão já apresentado e Silent Hill. Se bem que Walter não é bem um vilão.

Walter não fez absolutamente nada por maldade. Nem mesmo as pessoas que ele arrancou o coração (incluindo um casal de crianças) foi o suficiente pra torná-lo um "vilão". Walter não era mal, ele apenas queria algo que nunca teve, de volta.

Pra entender a grandiosidade de Walter Sullivan, precisarei explicar tudo do jogo primeiro, então voltarei a falar dele la pra frente, quando eu terminar de falar dos demais personagens. Velho, o cara descobriu como dar o cano no Cabeça de Piramide... tem ideia do que é isso?!



Eileen Galvin



Essa é a vizinha gostosa do Henry.

É  uma das vítimas escolhidas por Walter. Seu trabalho na história é servir como sacrifício/receptáculo pro capeta. Simples não?

O mais legal de tudo é que, Eileen só poderia ser usada caso passasse pelos seguintes passos, com sucesso:

1° Sacrifício.
2° Ressurreição.
3° Purificação.
4° Auto-Sacrifício.

Não exatamente isso, mas é basicamente isso.

Eileen precisou ser espancada até a morte por Walter Sullivan, pelo bem do próprio Sullivan.



Depois disso, ela foi internada em coma e em condições críticas, e mesmo assim, sobreviveu, ou ao menos se manteve viva, entrando no segundo estágio.



Daí (ainda em coma) ela foi arrastada para o universo de Walter, construído no formato do hospital, onde ela foi conduzida pelo Portador da Sabedoria (o inútil Henry) até a quarta etapa. Mas nesse trajeto, ela foi ligeiramente influenciada pelo inútil Henry (Portador da Sabedoria) à sentir pena (sim, isso mesmo) de Walter Sullivan e todos seus feitos, e pior, se sentir culpada por não ter ajudado ele ainda!


Eileen não pode atravessar ou ver o buraco que liga os mundos, e Henry acaba abrindo caminho pros espíritos vingativos para seu apartamento ao tentar passar ela pelo buraco...

Então ela entra no estágio final, onde ela, em plena consciência, se oferece como sacrifício para que Walter ganhe sua recompensa.

Claro que não é exatamente assim que as coisas fluem.



Na realidade Eileen é "hipnotizada" por Walter após ser fragilizada e se entregar aos braços dele, pensando em sua criança interior. Então ela é usada e forçada a se jogar numa máquina trituradora de ossos (que espremeria e dilaceraria todo seu corpo, drenando e misturando seus ossos, carne e sangue para dar forma ao corpo do capeta) sem que ela se desse conta do que realmente estava fazendo.



A mina é bobinha de mais até, mas não chega a andar nua pelo apartamento (toda mina que se preza anda nua no próprio apartamento, ao menos no quarto, onde fica a cama, onde também deveria dormir nua, afinal todas dormem, é confortável... e se possível sempre manter-se frente ao criado mudo do canto do quarto, onde tem uma pequena mancha escura do lado da vassoura, fazendo poses sexys... poxa... ela bem que podia ser assim =/) e... eu esqueci o que ia falar... ah ta: Ela é inteligente.

Ela é inclusive mais inteligente que o inútil Henry. Pra se ter uma ideia de quanto, tem uma passagem no jogo, pelo mundo da floresta, que tem várias notações escritas em pedras e lápides e coisas por toda a paisagem. Pois bem, essas notações são importantes, porém o analfabeto do Henry não entende o idioma e deixa tudo passar. 



Já quando Eileen acompanha Henry, ela consegue ler, dizendo que estudou arqueologia e conhece o dito idioma... man... Henry precisa que uma das vítimas consiga ler coisas pra ele! Que tipo de detentor de sabedoria é esse? (Até link tem mais personalidade que esse cara, e tem mais triforce da sabedoria que ele! - eu sei, é coragem, repare no sarcasmo).



Além disso, Eileen demonstra preocupação pelos demais, e aparenta ser uma pessoa solidária. Aparenta é pouco. Sua bondade não conhece limites e ela foi tapada suficiente pra oferecer misericórdia ao assassino em série mais cruel da história de Silent Hill (dale Walter!).

Eileen é salva por Henry, e ainda consegue sair do coma e se libertar no mundo real após a queda do demônio, e ainda por cima se sente feliz por ter ajudado. (Consciência limpa é show!) Ela ainda ganha flores do Henry, que mesmo depois de tudo, não tem personalidade suficiente pra dar uns pegas na vizinha fofinha. (vsf Henry)



Frank Sunderland



O zelador/síndico/proprietário do Hotel Ashfield, e pai de James Sunderland. Ele  serve como pivô pra tudo que acontece no jogo.


Sabe essas mãos ao fundo? Elas marcam cada uma das vítimas. Conforme são testemunhadas, novas mãos aparecem, com sangue fresco e tudo mais. Elas não podem ser vistas pelos personagens fora da maldição, e podem ser praticamente todas as vezes que se olha no Olho Mágico. Há um momento que no lugar das mãos, aparece uma mensagem de Walter sobre o apartamento vizinho, e depois as mãos voltam normalmente. 

Sabemos que James era uma Criança da Ordem. É complicado entender isso, pois James não passou por toda aquela tortura básica que uma Criança da Ordem costuma passar...

Mas as coisas ficam mais simples de se compreender se pensar que uma Criança da Ordem pode ser de dois tipos diferentes*: Herdeira e Criada.

*Aviso que esses termos são meramente ilustrativos, não são oficiais, e eu apenas uso-os para me localizar na compreensão inicial dos poderes de Silent Hill.

Crianças da Ordem são pessoas que foram envolvidas nas crendices de Silent Hill e no culto nativo da mesma, A Ordem. Essas crianças acabam desenvolvendo habilidades paranormais baseadas nos muitos rituais da cidade. O principal "poder" dessas pessoas é de dar vida a seus maiores pesadelos, sonhos, temores e amores, criando verdadeiras realidades paralelas e exclusivas para si mesmas. Quanto mais dedicada é uma Criança da Ordem, mais poderosa ela fica. (sua dedicação pode partir desde o extremo ódio até o amor mais platônico.)
Uma Criança da Ordem Herdeira é aquela que já nasce infectada pelo culto. Sendo educada dentro do mesmo ou não, ela apresenta desde nascença e desenvolve as habilidades maravilhosas de forma "natural", mas geralmente quando não é educada dentro da Ordem, por não entender bulhufas do que pode produzir e das responsabilidades que essas habilidades trazem, ela se ferra bonito ao dar de cara com Valtiel. Nem toda criança Herdeira consegue literalmente desenvolver suas habilidades, algumas apenas enlouquecem, tendo visões e coisa do tipo, e outras podem viver normalmente por anos, tendo apenas leves alucinações ou até mesmo, apresentando recaídas não muito frequentes. 
Uma Criança da Ordem Criada é aquela que pode nascer ou não dentro do culto, porém é sempre criada e educada dentro dele, recebendo toda orientação para o uso correto de seus poderes em prol da própria Ordem e de seus objetivos e também, ganhando e participando de todos os rituais necessários para merecer a "benção" de Silent Hill e desenvolver a magnífica habilidade de uma Criança da Ordem. Neste caso, a criança é literalmente manipulada e geralmente torturada para que o ódio e medo cresça dentro dela e assim, dê forças a maldição de Silent Hill. Uma Criança Criada pode ser de primeira viagem, ganhando seus poderes através de pactos e rituais, ou uma criança Herdeira mesmo, aprendendo como se controlar.

James é uma Criança da Ordem Herdeira, seu pai aparentemente também é. Já Walter é uma Criança da Ordem Criada.

O que isso tem de mais? Simples: Veja até onde James chegou e até onde Walter chegou.

Mas Walter não é o caso aqui, nem James, e sim o pai do James.



O cara é o zelador do prédio e acaba sendo o percursor do ritual de Walter, por conta de uma de suas escolhas. Ele quem salvou a vida de Walter e também, foi quem provavelmente levou Walter a se relacionar à Ordem, indiretamente ou não.

Ele encontrou Walter ainda bebê, recém nascido, abandonado no apartamento 302, e doou ele para o orfanato dirigido pela Ordem, chamado Casa dos Desejos. Pra variar, o cara ainda pegou o cordão umbilical de Walter e guardou ele, numa caixa, pra sempre...

Porque alguém em sã consciência guardaria o cordão umbilical de uma criança recém nascida? E pior, porque alguém entregaria de bom grado uma criança pra droga de um orfanato que fica horas de viagem do local onde a criança foi encontrada? Ele não fez nada disso por mera inocência e pode-se até concluir que tudo isso tem haver com seu próprio filho*.

*É arriscado afirmar isso agora, afinal ainda não tenho a teoria completamente pronta, porém... remete a uma coisa mostrada em Silent Hill Homecoming.

De toda forma, por causa dele Walter se tornou quem se tornou, e pode-se dizer que foi graças a ele que todos morreram nas mãos de Walter, e pior, James pode ter sido torturado por Valtiel por sua causa, e por causa de seus erros. Tenso não?! Ainda assim, ele é menos fdp que o Henry. Henry é um babaca.

Frank e Henry eram conhecidos, de certa forma. Henry menciona em uma das passagens, ao encontrar uma foto no quarto de Sunderland, que aquele era o filho dele, James e sua nora, Mary, que haviam viajado para a cidade de Silent Hill mas nunca mais deram notícias. Também há fotos no apartamento de Henry que foram presentes do Sunderland. Mas apesar disso, apesar de Henry saber coisas um tanto quanto pessoais de Sunderland, o mesmo não apresenta tanto interesse pela vida desse infeliz maldito e sem vida do k7... odeio o Henry.

Pra se ter uma ideia, aparentemente Eileen conhece mais Henry do que o Frank conhece! E a frase dela quando Frank pergunta se conhece Henry é a seguinte: "Sei o nome dele e já vi seu rosto, só isso."

Tenso não?!

De toda forma, ele não é uma das vítimas de Walter, e sua maior influência é no passado. Algo que fica evidente é que Sunderland tem uma percepção mais aguçada do "sobrenatural" e por várias vezes suspeita das coisas estranhas que ocorrem em seu prédio.



Há um momento que ele diz pra Eileen no corredor que "O mundo é cheio de coisas inexplicáveis" e depois devaneia sobre o embrião fétido de Walter Sullivan... isso exemplifica sua forma bizarra de enxergar o mundo.



Joseph Schreiber


Esse é um cara legal. Ele é o maior inimigo e também, aliado de Walter Sullivan, sem saber.



Esse cara era o inquilino anterior a Henry, que vivia no 302. Ele era um jornalista fodão e dedicadíssimo. "Era" não é a forma certa de se referir a ele... pois mesmo depois de morto, ele manteve seu nível de fodisse e profissionalismo e continuou seu trabalho!

Ele ajudou Walter pelo fato de ter decifrado a maioria dos segredos dele, e passado toda a informação adquirida para O Portador da Sabedoria (que era o idiota do Henry que num saberia pora nenhuma se não fosse pelo Joseph.)

Querendo ou não, ele acabou ajudando Walter a passar os 21 Sacramentos para o conhecimento de Henry, mas apesar disso, Joseph também foi quem impediu Walter de obter seu triunfal sucesso!

Henry apenas fez o que Joseph pediu. Joseph quem estudou a fundo e descobriu como impedir Walter e foi ele quem direcionou Henry pelo caminho da vitória. Então de toda forma... Joseph é mais herói que Henry... mas o cara tava morto quando Walter foi destruído então... ele perdeu a chance de assumir sua vitória e Henry reclamou ela para si.

Joseph foi assassinado no apartamento 302 e enterrado no teto (literalmente) por Walter Sullivan. Ele foi uma das vítimas da segunda etapa do ritual, mas diferente dos demais espíritos zangadinhos que vagavam pelo universo paralelo criado por Walter, Joseph se mantém "consciente" e passou todo seu conhecimento para frente.

Ele esperou que Henry chegasse até ele, na versão de Walter do apartamento 302, e lá, entregou informações importantíssimas que o próprio Walter jamais passaria.

Joseph só conseguia se comunicar através de bilhetes vermelhos, que eram na verdade partes de seu "diário" coberto de sangue. Porém, nem todas as páginas de seu caderno eram entregues por ele, e sim por Walter em sua versão inocente. 


Apesar dos textos de Joseph serem importantes para Henry e Walter, nem todos estavam corretos, ao menos nem sempre, ou completamente. O texto acima por exemplo, diz que o massacre de Walter foi ao longo de 10 dias, sendo que a realidade ocorreu em um único dia. Pode-se até dizer que os corpos foram encontrados ao longo de 10 dias, mas tudo perde o sentido quando se pensa nas vítimas irmãs que foram encontradas praticamente ao mesmo tempo, dentre as 10 iniciais, e nas outras vítimas que foram mortas em sequência. O texto está errado, falha de investigação.
Algumas páginas (aquelas que Walter escondia) eram reveladas por Joseph atrás da estante do quarto 302, onde elas magicamente caiam para que Henry encontrasse e lesse. As demais eram passadas por baixo da porta, com textos selecionados pelo próprio Walter.

No fim, Joseph consegue se comunicar verbalmente com Henry, e passa pra ele a informação mais importante de todas: Como impedir a assunção da Mãe Santa!

Os pesadelos que Henry sofria eram na verdade uma mistura das últimas memórias de Joseph e uma tentativa dele se comunicar com ele. Claro que isso foi bem falho e só acabou deixando o tadinho do cara sem carisma um pouco mais confuso e assustado... tadinho dele. (VSF HENRY!)



Cynthia Velasquez



Essa é mais uma das vítimas de Walter, e tecnicamente é a primeira que Henry tem o prazer de observar.

Ele consegue vê-la acessando o metrô pela escadaria, ao olhar pela janela do quarto. Logo após isso, ele é levado pela primeira vez, através do buraco do banheiro, ao mundo paralelo de Walter.



Esse mundo, era uma versão distorcida do Metrô, o mesmo onde a Cynthia entrou, e pra variar, ela também estava la.

De fato, Walter arrastou ambos pra esse mundo, justamente para usa-los em seu ritual.



Mais uma vítima, mais um passo para a assunção.

Cynthia interage com Henry e demonstra ser um tanto quanto... safadenha... mas não dura muito e é esfaqueada até a morte, toda cortada e violentada, por Walter, em uma cabine de fichas do metrô.



Henry até tenta salva-la, mas sem chance alguma de fazê-lo, pois ainda estava se adaptando e conhecendo o mundo paralelo, e as coisas não faziam sentido algum pra ele.

Durante esse encontro com Cynthia, também acontecem os primeiros encontros com as vítimas anteriores de Walter, que assombram seu universo paralelo, e também as primeiras feras de Walter, que são monstros baseados em seus sentimentos negativos mais gritantes.

Enquanto Cynthia era sacrificada, Henry observava e adquiria Sabedoria acerca do ritual.



Cynthia é a vítima número 16/21.



Jasper Gein



Essa é a segunda pessoa que Henry conversa em sua aventura.

Ele aparece no mundo da Floresta, baseado na floresta de Silent Hill, também criado por Walter.

Esse cara é adepto do demônio. Ele quer a todo custo se encontrar com ele, e inclusive se sacrifica pra isso.

Algo que me chamou a atenção de cara foi a camiseta do infeliz. Ele usa a imagem de Samael... a mesma que é usada para ilustrar Samael nos demais jogos.



Samael é um demônio do tipo Succubus, e o demônio que ta pra ser invocado por Walter provavelmente também é um do mesmo tipo. Mas o nome dele não é citado em momento algum do jogo, então não é possível dizer que o demônio que Walter acaba por invocar ao tentar trazer sua mãe de volta a vida é na verdade Samael... ou será que é?!

Na verdade, é sim o próprio Samael que é invocado. Por que afirmo isso? Na verdade nem é tão difícil assim captar a mensagem: A Ordem cultua Samael como seu Deus... logo... todo e qualquer ritual de ressurreição e assunção é voltado para Samael. O fato do nome dele não ser nem ao menos citado, é apenas uma forma de mostrar que o foco do SH4 não são os demônios e rituais satânicos, mas sim as consequências espirituais deles.

Sobre esse cara, ele é fascinado por demônios e sobrenatural e isso fica mais claro depois de seu trágico fim, e pior, tudo faz sentido quando se descobre que ele não é o primeiro seguidor do capeta que Walter mata, e que duas vítimas anteriores eram diretamente relacionadas com ele.



Esse cara é gago, adora chocolate e no final, ele morre incinerado. Ele mesmo taca fogo em si mesmo, seguindo a orientação de Walter, ou como ele chamava: Narigudo.



Ele foi a vítima 17/21.



Andrew DeSalvo



De inicio esse cara só é um passarinho enjaulado, que por mero acaso acaba sendo solto por Henry. Mas o cara só escapa da jaula pra morrer.



Ele morre num tipo de prisão para crianças. A galera da Ordem confinava suas crianças em uma instalação cilíndrica, e cada criança ficava presa num quarto, enquanto no centro ficava a sala principal com um buraco só pra observar as crianças. Esse cara trabalhava como observador do orfanato Casa dos Desejos, porém foi levado para a prisão no mundo de Walter por motivos mais... pessoais.



Essa torre/prisão era onde as crianças da Ordem menos disciplinadas eram transferidas e confinadas, para que através de tortura e sofrimento, seus poderes fossem desenvolvidos ao máximo, em prol dos desejos da Ordem.

Aparentemente, Walter não chegou a ir para a prisão, afinal era disciplinadíssimo. Ele ficava mais no orfanato, onde também sofria certa tortura, mas nada como na prisão.

Esse gordo era desprezível. Não bastasse sua profissão, ele também era um canalha porco que... bem... só não era pior que Henry.

Através de recados encontrados na prisão, é possível entender bem como esse desgraçado se portava, mas resumidamente, ele era escória, e sua morte foi simples de mais até.

Ele morre afogado na câmara de morte, localizada atrás da cozinha onde a carne das crianças mortas na prisão era preparada para que as demais crianças se alimentassem... tenso não?!



Esse gordo é a vítima 18/21.



Richard Braintree



Esse é um dos moradores do prédio de Henry, e ele também é arrastado para o mundo dos pesadelos de Walter, justamente para ser morto.



O lugar onde ele fica confinado é uma versão dos prédios vizinhos, que ficam do outro lado da rua. Tudo fica meio distorcido, ao estilo SH, e claro que não são exatamente os mesmos prédios, mas lembram bastante e inclusive, fatos que aconteceram la são revelados (como um dos massacres produzidos por Walter na lojinha de animais por exemplo).



Explicando rapidinho os prédios:

Tem vários prédios diferentes, ao longo da rua, e todos os próximos acabam se ligando na mente de Walter, dando vida a uma paisagem mesclada de todos eles,  lugar em que Richard vai parar. Tem o South Ashfield (lado esquerdo da rua Ashfield) e o Heights Ashfield (lado direito da rua Ashfield, além de outros estabelecimentos. 

No Heights Ashfield fica o apartamento de Henry, Eileen e também, de Richard, mas o do Richard fica do outro lado do estacionamento. 



O prédio forma um tipo de "U" e o estacionamento + pátio fica no centro. É possível ver o quarto do Richard pela janela da sala do Henry por exemplo, do outro lado do pátio. O South Ashfield, como o Bar e a Loja de Animais ficam na outra rua, do outro lado, mas Walter sempre passava por eles então, tudo virou um só pra ele.

Henry até interage com Richard por um tempo, e durante suas estadias no quarto, ele vê o vizinho pelo olho mágico, conversando com Eileen sobre a estranheza do prédio e coisa assim.



Porém, esse cara não é nada simpático. Ele carrega uma arma de fogo e é intimidador, não só por ela, mas por sua personalidade também. 




Pra se ter noção, ele ameaça Walter de morte, em sua forma criança, só pra mostrar quem manda.

Claro que isso não adianta muito e ele vai parar numa cadeira elétrica, onde é eletrocutado até sair fumaça pela orelha, com Walter criança tranquilamente ao seu lado.




(É uma das cenas mais fortes do jogo)



Ele é a vítima 19/21.

Após Henry testemunhar as 4 vítimas, Eileen é atacada por Walter e levada para o universo dele. De inicio, ela é levada para a mesma condição de Henry, trancada em seu próprio apartamento, sem contato com o mundo externo. 

Henry é levado para fora de seu próprio apartamento, pelo buraco do banheiro, ou seja, no mesmo mundo em que Eileen estava trancada, e sua tarefa passa a ser: encontrar e salvar Eileen. 


Claro que nada adianta, pois Walter chega nela com facilidade, e mesmo com a porta trancada, consegue ataca-la.

Assim que Eileen cai, Henry acorda em seu apartamento e vê que ela foi resgatada, levada por uma ambulância, em estado crítico. 



Daí Henry tenta re-acessar o mundo de Walter, mas dessa vez precisa ir pela lavanderia de seu apartamento, por um ritual usando as 4 vítimas anteriores, abrindo um buraco que leva ele para o hospital, conectado com o metrô, floresta, prisão e hotel.



No final, Henry consegue levar Eileen pelos mundos até seu próprio apartamento, o 302, e lá, encontra Joseph, que da a dica final de como derrotar Walter, através do Crimson Tome.



Eileen acaba se entregando para Walter, e é usada no ritual, como vítima 20/21. Henry (temendo mais pelo seu, pois ele seria a vítima 21/21) faz de tudo para impedir a morte de Eileen... e no finalzinho consegue, matando Walter.

Faltou agora explicar a segunda parte de Walter correto? Agora que você tem uma ideia da história, vai entender melhor quem é Walter.



Walter Sullivan (2/3)



Walter conseguiu chegar muito longe porque foi muito esperto. Detalhadamente, explicarei o que ele fez:

Walter nasceu no apartamento 302 e foi abandonado pelos seus pais.



Depois, foi entregue ao orfanato da Ordem, onde foi educado e disciplinado dentro dos critérios da Ordem, se tornando uma Criança da Ordem. 

Porém, durante um dos cultos, ele acabou conhecendo um ritual chamado Assunção da Santa Mãe, que dizia trazer de volta ao mundo a mãe santa, juntamente com a paz para todos. Ele estudou o ritual a fundo, e se dedicou a aprender todos os passos, ainda criança, pois queria trazer de volta a vida àquela que era sua mãe: o quarto 302.

Walter acreditava que o quarto era sua mãe, pois as pessoas que cuidavam dele na Ordem diziam que ele havia nascido nesse quarto, logo, ele acabou confundindo as bolas e acreditando fielmente que aquele era sua mãe, não apenas o lugar onde ele nasceu.

Daí, ele descobriu onde o quarto ficava e passou a viajar para aquele local, saindo do orfanato, atravessando a Floresta de Silent Hill, correndo pro Metrô, passando pelo Hotel South Ashfield e entrando no Prédio do 302, Heights Ashfield, onde ficava o Apartamento 302, tudo isso temendo a grande Prisão Circular onde ele poderia ir parar caso fizesse a bobagem de ser descoberto em sua fuga.

Walter cresceu e desenvolveu seu amor pelo apartamento 302, e com base nisso, sua dedicação ao ritual da assunção era tão grande, que ele ficou completamente pronto para por-lo em prática.

Daí tudo começou.

Walter cresceu, saiu do orfanato, trabalhou, porém seu objetivo jamais mudou. Ele voltou ao orfanato, e começou o ritual.

O ritual tinha várias regras, dentre elas:

Primeiro, eram necessários 10 corações. Cada coração deveria ser abençoado perante Deus e entregue ao ritual, como oferenda, junto com o Óleo Santo.

Depois, era preciso se sacrificar, oferecendo sua própria alma, corpo e sangue.

Após essa etapa, o ritual deveria ser continuado, com mais 10 oferendas, cada uma simbolizando um Sacramento, com seu significado perfeitamente simbolizado.

Walter decidiu por em prática os 21 sacramentos, mas seu diferencial era que ele queria fazer isso, sozinho.



21 Sacramentos/Heresias



De inicio, ele sacrificou sua primeira vítima: Um dos Sacerdotes da própria Ordem (especificamente dos seguidores de Valtiel), Jimmy Stone (Red Devil). Ele lhe deu um tiro na cabeça e arrancou o coração. Depois marcou seu corpo com os números 01121 (01/21), simbolizando que aquele era o primeiro de 21.



Ele não fez isso ao acaso, fez propositalmente, para provocar a ira de Valtiel. Com isso, ele pôde utilizar seus poderes, que afloraram graças a Valtiel em sua cola, permitindo que ele construísse um universo inteiro baseado em seus próprios medos e desejos, fortalecidos pelo seu amor ao 302. Esse universo serviria de palco para que o ritual fosse concluído.

Sua segunda vítima foi Bobby Randolph, um estudante do ensino médio. Ele foi estrangulado, teve seu coração arrancado e seu corpo marcado com os números 02121 (02/21). Bobby era fanático por coisas sobrenaturais e satânicas e isso provavelmente tenha sido o que qualificou como passível vítima de Walter.

Ele foi uma forma de Walter mostrar que ritualistas amadores/fanáticos não tinham vez perante uma Criança da Ordem, alimentando sua dedicação e força de vontade.

Sein Martin foi a vítima 03/21, morto juntamente com Bobby, também estrangulado e com o coração arrancado, marcado com 03121. Ele era um estudante do ensino médio, também fanático por coisas sobrenaturais e satânicas. Ele morreu com seu amigo enquanto explorava os arredores da universidade onde Walter estudava, em busca de coisas sobrenaturais, pois sabia que em Silent Hill haviam coisas assim.

Como Bobby, Sein sofreu a ira de Walter e serviu de exemplo para o que estava por vim.

Depois dos exemplos, começaram as vinganças, e Steve Garland foi a quarta vítima. Quando criança, enquanto passava pelo hotel vizinho ao de sua mãe, Walter acidentalmente derrubou uma gaiola com um animal numa loja de animais encontrada na rua do Hotel South Ashfield. O dono da loja ficou irritado e expulsou a criança, que havia machucado um de seus animais. Quando Walter cresceu, ele fez questão de metralhar a loja inteira e massacrou todos os animaizinhos, além de ter feito sua vítima 04/21, marcando Steve com os números 04121 em suas costas e arrancando seu coração, que foi a única coisa que ele deixou intacta na lojinha.



Steve serviu pra mostrar que todas as lembranças de Walter, sejam boas ou ruins, iriam servir como material para seu ritual, e também, que nada fica impune.

Walter não conseguiu acesso ao apartamento 302 tão facilmente, principalmente após ser adulto. Ele arranjou um trabalho temporário numa loja de esportes, na mesma rua do hotel e de onde a loja de animais ficava, e foi nessa loja esportiva que ele fez sua quinta vítima, Rick Albert o 05/21.

Rick era seu chefe, que foi o primeiro a saber do massacre da loja de animais, pelo próprio Walter, que acabou gerando suspeitas por saber de todos os detalhes em tempo real, condenando Rick a um atropelamento por um carrinho de golfe, seu coração arrancado e os números 05121 marcados em seu corpo.

Nada de testemunhas por enquanto, isso deveria ser o trabalho da última vítima apenas, para não desvirtuar o ritual.

Logo após a vítima 05/21, Walter decidiu retornar as raízes e eliminou George Rosten, outro sacerdote de Valtiel, servo da Ordem. Este era quem lhe ensinou tudo que ele sabia sobre o ritual da Santa Mãe, e também foi quem lhe ensinou tudo sobre os poderes de uma criança da ordem e como conquista-los a partir de Valtiel. Curiosamente, este foi o motivo pelo seu fim, como vítima 06/21, morto por um cano de ferro num altar subterrâneo do orfanato, com o coração arrancado e os números 06121 marcados em seu corpo.

Rosten viu no que Walter se tornou quando ele lhe contou o que acabou de fazer, e Walter lhe deu a chance de fazer parte do ritual que ele tanto queria que fosse realizado, como vítima número 06/21. Walter iria até o fim, sem ajuda de ninguém e esse era seu atestado de independência.

Sua próxima vítima (07/21) foi a criança chamada Billy Locane, morta por ter uma família. Billy estava brincando frente sua casa em Silent Hill, quando Walter apareceu e o cortou ao meio com um machado. O pai dele foi quem encontrou a parte de cima de seu corpo, que ele achava ser apenas Billy se escondendo nos arbustos, porém estava dividido ao meio, sem o coração, e com os números 07121 marcados.

Walter não estava com sua mãe, nem com seu pai, e ver uma criança sem seus pais, sozinha, era triste e reciproco de mais pra ele. Walter estava eufórico, pois ainda tinha de eliminar outras duas testemunhas do crime na lojinha de animais, e no caminho viu Billy sozinho. Ele livrou a criança da tristeza enquanto adicionava ela ao ritual, mas então ele viu que Billy tinha uma irmã...

A vítima 08/21 foi a irmã mais nova de Billy, Mirian Locane, que morreu por estar longe de seu irmão. Ao ver Mirian se divertindo, antes que ela gritasse pela morte de seu irmão, ele a partiu ao meio com seu machado, manchado pelo sangue de Billy. A parte de baixo de Mirian foi arrastada até o lado do corpo de Billy, enquanto a parte de cima foi encontrada com o coração arrancado e os números 08121, pela mãe dela, no meio da rua frente a casa, ao mesmo tempo que o pai encontrava o corpo de Billy nos arbustos.

Uma família precisa se unir, e Walter não queria ser responsável pela separação e sofrimento de uma família, por isso, uniu os dois sacrifícios em um único momento.

O dono de uma loja de relógios e penhores foi a vítima 09/21. Willian Gregory era seu nome, e morreu porque ouviu de mais. Walter o esfaqueou com uma chave de fenda, escreveu em seu corpo os números 09121, além de arrancar seu coração.

Willian morreu pois havia aceito um relógio quebrado das mãos da vítima 05/21, Rick Albert. O relógio não tinha la grande significado, estava quebrado e só deveria ser concertado. O problema era o que Rick havia lhe contado ao pedir pelo concerto do relógio. Rick compartilhou a história da vítima 04/21, e disse que suspeitava de seu funcionário Walter. Isso foi o suficiente para condenar ambos.

A vítima 10/21 foi Eric Walsh, um bartender do Bar Ashfield. Morreu com um tiro no rosto, e teve seu coração arrancado e os números 10121 cravados em seu corpo, tudo porque fez seu trabalho no dia de seu aniversário. No mesmo dia do massacre na lojinha de animais (e dos demais), o dono da loja de esportes contou pra ele o que aconteceu, e também falou de seu funcionário, Walter, e suas suspeitas. Por essa razão, o bartender fechou mais cedo, foi pra casa e encontrou um bolo de aniversário prontinho pra ele, com Walter junto.



Ele escutou de mais, e acabou morrendo no mesmo dia em que nasceu, em meio a um verdadeiro massacre em um único dia. Walter havia completado os 10 primeiros sacramentos, e agora estava na hora do 11°. Ele foi preso então.

Walter agora deu vida ao seu primeiro mundo, aproveitando sua conexão fortalecida com Valtiel. Ele se matou, na cadeia, com uma colher no pescoço.

Obs.: Em artigos do Silent Hill 2, é possível encontrar uma referência a esse mesmo suicídio. Também é mencionado que Walter demonstrava pavor pelo "Red Devil" e que não parecia ser o tipo de cara que mataria crianças (referente ao caso de Billy e Mirian), crime dentre os quais foi condenado e preso. O policial chega a citar o nome "John Doe" e diz que apesar da aparência de Walter, ele não poderia ser chamado assim. Bem... "John Doe" não é um nome pessoal... resumidamente falando, é o nome dado a um processo que envolve um acusado com ou sem provas, que não demonstra ligação ou culpa alguma com o crime. Traduzindo o que o guarda quis dizer nesse artigo: Ele não tem cara de que é o culpado, mas também não parece inocente.

Antes de morrer, Walter se levou algumas vezes ao seu mundo distorcido. Lá, ele passou a ser perseguido pelos seus maiores medos: os fantasmas de suas vítimas, alguns monstros e Valtiel (na forma do Red Devil). Porém, enquanto ele se mantivesse lá, sua morte no mundo real seria apenas como física.

Walter se entregou a polícia pelos crimes contra os Locanes, pois era a única coisa da qual ainda se sentia culpado (razão pelo comentário do policial).

Para se livrar  do purgatório de Silent Hill (o mesmo em que James e os demais ficaram em SH2) e de sua culpa, ele dividiu sua alma em duas: Criança e Adulto.

Essa divisão funcionou da seguinte forma: Ele criou dois "monstros" à sua forma, enquanto seu eu verdadeiro foi destruído. Ele tirou toda inocência e infância de si, e passou pra uma criatura criada por ele, com sua forma infantil. (Fez basicamente o que uma outra pessoa também fez: Alessa Gillespie.)



A sua forma criança, permaneceu no purgatório durante a morte de Walter Sullivan. Mas por sua inocência, que era do que ele era formado, sua tortura se baseou em ficar preso na Prisão Circular, onde as crianças da Ordem indisciplinadas eram jogadas. A vantagem é que, neste caso, Walter não enfrentaria Valtiel, pois crianças (em seu estado puro) não são consideradas por ele "condenáveis e culpadas". A tortura dele se baseou apenas em seu medo de ser jogado no lugar dos indisciplinados, que deu vida a essa visão e realidade.

Já sua forma adulta, foi desperta um pouco após sua morte e enterro (ele ressuscitou, ou de certa forma "renasceu"). Agora ele estava totalmente focado no ritual, e sem sua parte inocente, tudo que lhe sobrava era um homem sedento por sangue. Este Walter se desenterrou, e caminhou até o apartamento 302, onde ele continuou o ritual.

Ele cimentou um dos quartos e levantou uma parede com ele dentro, iniciou o ritual com os 10 corações e ao mesmo tempo, selou seu corpo de forma angelical, começando a segunda parte de seu objetivo. 



De dentro do quarto, e tecnicamente morto, ele não teria muito o que fazer, se não fosse sua habilidade de Criança da Ordem já muito desenvolvida. Agora que ele estava na segunda etapa, e dado como morto em ambas as realidades, Walter não tinha mais porque temer Red Devil/Valtiel e podia manipular livremente todas as realidades por onde já havia passado. 

Ele passou a escolher suas vítimas de dentro dos locais por onde já havia passado, e arrastou as mesmas para sua versão distorcida destes locais, onde ele as mataria conforme o ritual pedia.

Sua primeira vítima, nessa nova fase, foi Peter Walls, o Vazio. Ele estava comprando maconha com uns amigos num beco, próximo ao Hotel de South Ashfield, por onde Walter já havia passado. Lá, ele se separou por alguns segundos de seus amigos e subiu as escadas, desaparecendo magicamente diante de seus olhos. Ele foi arrastado para o universo distorcido de Walter, para ser morto pelo espírito adulto. Foi espancado até a morte e marcado com os números 12121 (12/21). 



Dessa vez, os corações não eram mais necessários, ele só precisava que cada morte seguisse a risca seu significado. O Vazio foi perfeitamente simbolizado por Peter, pois mesmo após desaparecer diante seus amigos, ninguém deu por sua falta até que seu corpo reapareceu, repleto de hematomas e marcado por Walter. 

Sua segunda vítima, nessa nova fase, foi Sharon Blake. Ela sabia que a Ordem não prestava, e mesmo sua família sendo fiel a Ordem, ela mantinha sua desconfiança. Um dia, ela decidiu investigar a Casa dos Desejos, depois de ter lido um artigo que falava do tratamento que davam aos órfãos, mas Walter apareceu e a levou para sua realidade, onde ela foi afogada e marcada com os números 13121 (13/21). 



Morta enquanto se esgueirava pela escuridão em busca da verdade, ela serviu perfeitamente para seu respectivo significado: Escuridão.

Sua terceira vítima, nessa nova fase, foi Toby Archbolt. Ele era membro da Ordem, que se aproveitou da morte dos dois sacerdotes seguidores de Valtiel para tomar o controle da Casa dos Desejos. Ele vendia drogas e era pedófilo mas também era reconhecido e renomado em Silent Hill, inclusive cuidava do turismo da cidade, razão e maneira pela qual foi morto. Walter o arrastou para sua realidade e de la, o empurrou de um penhasco de 100 metros de altura. 



Seu corpo foi encontrado no México (longe pra k7), marcado com os números 14121 (14/21). Ele fazia de tudo para que sua realidade ficasse melhor, vivia na margem da lei e não se importava com nada nem ninguém. Seu significado era: Melancolia. 

Sua quarta vítima, nessa nova fase, foi Joseph Schreiber. Joseph era um jornalista famoso, que também conhecia a verdade sobre a Ordem. Ele quem escreveu o artigo que Sharon Blake havia lido e também foi ele quem descobriu tudo sobre Walter Sullivan. 



Tentando se aprofundar mais na história de Walter, ele alugou o apartamento 302, o que até lhe rendeu muita informação, porém também lhe serviu como túmulo. Walter o matou como vítima 15121 (15/21) porém jamais o marcou, nem devolveu seu corpo ao mundo real, fazendo com que ele ficasse preso por toda a eternidade em seu apartamento, o 302, como parte dele. Seu significado era: Desespero.


OBS.: Eu disse que ele nunca o marcou... mas ai brisei um pouco e calculei em cima do número dele 15/21 - 15 x 21 = 315... menos o número de vítimas já feitas (13, desconsiderando Walter e Joseph) fica 315 - 13 = 302... brisa a parte... deu certo! kkkk

Sua quinta vítima, nessa nova fase, foi Cynthia Velasquez. Levada para a versão distorcida do Metrô de Walter, esfaqueada por todo o corpo e marcada com os números 16121 (16/21), Cynthia foi a sedutora vítima que Henry testemunhou em tempo real. 



Quando Walter era mais jovem, ele encontrou com Cynthia pela primeira vez e até tentou se comunicar com ela. Ele a achava linda e sabia seu nome, mas ela o esnobou por ele parecer um mendigo. Seu significado era: Tentação. 

Sua sexta vítima, nessa nova fase, foi Jasper Gein. Ele foi atraído para a floresta de Silent Hill, próximo a Casa dos Desejos, por Walter e levado para a outra realidade. Foi queimado vivo e marcado com 17121 (17/21), pois era um antigo amigo das vítimas Bobby (02/21) e Sein (03/21). 



Ele estava junto com seus amigos no dia de suas mortes, e só sobreviveu pois fugiu de medo, quando Walter o convidou para participar do massacre. Ele recebeu uma nova chance e foi escolhido para significar: Fonte.

Sua sétima vítima, nessa nova fase, foi Andrew DeSalvo. Ele era um guarda responsável pela vigilância das crianças no orfanato. Foi arrastado por Walter à Prisão Circular onde a alma criança de Walter ficou presa por muito tempo. Lá, foi afogado e marcado na barriga com 18121 (18/21). 



Andrew não era membro da ordem e vivia desrespeitando e abusando das crianças do orfanato. Elas sempre o chamavam de Grande Porco e diziam que Deus o castigaria pelos seus pecados. Serviu para simbolizar: Vigilância.

Sua oitava vítima, nessa nova fase, foi Richard Braintree. Richard era um vizinho ignorante, que vivia implicando com os inquilinos mais... agitados. Ele também barrou Walter algumas vezes enquanto criança, quando ele tentava chegar até sua mãe. 




Walter o eletrocutou e marcou sua testa com os números 19121 (19/21). Seu significado era: Caos

Sua nona vítima, nessa nova fase, foi Eileen Galvin. Ela foi selecionada por Walter para ser o corpo de sua mãe, quando ela retornasse. Para isso, ela deveria ser a vítima 20/21. Ela era vizinha do 302, e quando tinha 5 anos, deu de presente ao próprio Walter uma boneca, pois viu que ele estava dormindo na rua e no frio, e quis dar mais conforto a ele. 



Walter a viu com a mãe dela, chorou, mas sentiu um pouco de amor materno vindo de Eileen. Seu significado era: Mãe.

Sua décima vítima, nessa nova fase, foi o imbecil do Henry Townshend. Ele alugou o apartamento 302 e se lascou. Escolhido para ser a vítima 21/21, serviu para finalizar o ritual, testemunhando os sacramentos em seus momentos finais. 



O significado de Henry deveria ser: Sabedoria. 

Henry acaba descobrindo sobre Crimson Tome, um ritual oposto ao da Assunção da Santa Mãe, capaz de revertê-lo e impedi-lo.


O Ritual Crimson Tome era mais ou menos o seguinte:

Usando o Embrião de Walter (guardado por Sunderland) no corpo original dele, enfraqueceria o mesmo. Com isso, as 8 Lanças do Destino (cada uma gerada a partir de um dos 8 últimos sacramento) poderiam ser fincadas no corpo original de Walter, o qual seria totalmente enfraquecido e deixaria os espíritos de Walter vulneráveis. A partir daí, Walter (seu corpo, espirito adulto e criança) poderia ser morto definitivamente e o ritual seria descontinuado.




Henry fez isso, antes de Eileen ser sacrificada, e todos ficam felizes, exceto Walter adulto que morre nas mãos de Henry, e Walter criança que é apagado após ter seu único desejo impossibilitado pra sempre. 


Agora sim, conseguiu entender tudinho sobre nosso querido e amado herói Walter Sullivan? Só que ainda não acabou, falta mais uma coisa sobre ele que eu deixarei pro final da análise. Antes disso, preciso explicar as criaturas de Silent Hill 4 (é, ainda falta isso).





Personagens Secundários



Uma coisa a se saber sobre esses "monstros" é que eles são manifestações dos temores e sentimentos negativos de Walter em seu mundo. Dessa forma, nenhum deles o serve, pelo contrário, eles o atrapalham. Walter não deseja que Henry seja impedido de forma alguma (somente depois que o idiota tenta salvar Eileen) e essas criaturas passam a prejudica-lo. Walter inclusive os ataca caso, por alguma razão, eles apareçam no mesmo mapa que ele. Eis as criaturas:




Cachorro Linguarudo



Esses cães linguarudos, canibais, sanguessugas, cegos e com complexo de personalidade (ficam fazendo sons de felinos selvagens ao invés de canídeos) são os primeiros monstro que aparecem no caminho de Henry. 



Eles são a representação dos sentimentos negativos de Walter com relação a animais desse tipo (sejam cães ou gatos) pois quando ele era mais jovem, houve aquele trauma na loja de animais. Eles tem línguas exageradamente grandes e sugam sangue de qualquer fonte disponível, desde Henry até outras criaturas, mesmo se forem do mesmo tipo, caso estejam feridas ou mortas. Essas línguas simbolizam o cordão umbilical que alimenta uma criança a partir de sua mãe, como uma verdadeira sanguessuga.




Verme Gigante





Ele não oferece nenhum risco ao personagem, apenas enfeita a paisagem. 

Simboliza a ligação entre os mundos de Walter e o apartamento 302, como um cordão umbilical entre um bebê e sua mãe.




Paredes Vivas



Essas figuras aparecem do nada, e adoram importunar em escadarias ou locais pequenos. São fixas na parede e não se movimentam muito, o máximo que fazem é esticar os braços e tentar agarrar, bater, ou seja la o que mais puderem fazer, desde que não saiam do lugar.



Eles representam a sensação de Walter quando ficava preso ou incapacitado de se movimentar livremente, seja na Casa dos Desejos, na prisão ou qualquer outro lugar em que ele ficasse confinado. Também podem simbolizar o sentimento de Walter com relação aos espíritos de seu próprio mundo, saindo das paredes para agarra-lo (um medo dentro de outro medo).




Morscarinhos




Essas coisas pretas ficam voando e atacando em bando. 



Elas são figuras escuras e meio vultuosas, com uma forma física misturada de morcegos, moscas e pequenas aves. Eles representam exatamente isso, o desgosto de Walter por esses animais. 




Bichão de Duas Cabeças





Esse é um dos monstros mais curiosos. 




Representam as crianças que Walter matou, unidas por todo o sempre. Acabaram tomando essa forma de monstro ao invés de assombrarem Walter em forma de espírito, pois isso lhe assustava mais. Saber que ambos eram unidos e sempre apontariam o que Walter lhes fez assustava ainda mais que fantasminhas de crianças tentando agarra-lo. As únicas vítimas que eram capazes de gerar "culpa" nele eram elas, daí nasceu o monstro. 




Meleca





Esse bicho nojento empesteava vários lugares, principalmente a Prisão Circular. 




São parasitas, e representam parasitas/sanguessugas, coisa que repudiava Walter, pois quando criança soube de um colega do orfanato que foi forçado a beber água com sanguessugas dentro. 




Cogumelos Pescoçudos



Essas coisas brotam do solo ou de mortos, e aparecem bastante em locais úmidos (principalmente na Prisão Circular) 



Representam fungos, que causavam nojo em Walter e também, lembravam ele de coisas que crescem sem agradar ninguém.




Macacos Humanos



Esses seres fazem bastante barulho como sons de macaco altos, chatos e irritantes. Geralmente atacam em grupo e alguns até usam armas brancas (tacos de golf).



Representam a visão de Walter sobre os demais seres humanos. Meros primatas humanoides que balbuciam e vivem de forma animal, achando que são importantes ou diferentes, mas no fundo, são todos farinha do mesmo saco, um bando de macacos nojentos e ameaçadores.




Cadeiras de Rodas




São literalmente Cadeiras de Rodas Vivas que passeiam sozinhas.



São apenas a representação de objetos assombrados, coisa que causava certo temor em Walter.




Enfermeira Mal Educada





Essas coisas são monstros que arrotam...




Simbolizam o nojo de Walter por hospitais. Seja pelo seu passado ou sentimento comum entre pessoas que não curtem hospitais, essas criaturas monstruosas nasceram disso.




Paredes Humanas Gigantes




Eles são monstros semelhantes aos paredes humanas, só que nesse caso são maiores, e não se escondem dentro da parede, e sim se movimentam pra cima. 



Eles representam o sentimento e Walter com relação as diferentes verdades espalhadas e escondidas sobre e pela Ordem.




Bichão de Duas Cabeças Sem As Cabeças e Capuz




Esse é bem parecido com o monstro baseado nas crianças mortas por Walter, mas dessa vez é baseado no próprio Walter, ou pelo menos no que ele sentia por si mesmo.



Na realidade, é uma criatura baseada em Walter preso e pendurado em sua mãe e pai, unidos em um só porém sem rostos. Walter se sentia rejeitado (e realmente era, pois foi abandonado) e por isso essa criatura nasceu, e apareceu justamente nos momentos finais do ritual de assunção, só para ilustrar o que Walter realmente era. Eis seu pior sentimento tomando forma.




Espíritos




Durante todo o jogo aparecem diferentes fantasmas. Alguns dentro do apartamento 302, tentando entrar e assombrando, outros nos mundos de Walter, perseguindo Henry e tentando mata-lo de alguma forma.


Todos eles são as vítimas de Walter, presos no lugar onde morreram, e atormentando Walter em seu purgatório, ou ao menos tentando. Walter os evita, por isso é impossível encontrar ambos no mesmo local, ao mesmo tempo. 

Todos os espíritos são imortais, e alguns são bem mais poderosos que os outros, inclusive os que nasceram das últimas vítimas de Walter. Eles causam dano tanto com ataques quanto com a mera presença, fazendo com que a energia de Henry seja sugada sempre que estiverem próximos, pouco a pouco.

Eu não vou falar de todos eles, pois iria ter de repetir os 21 sacramentos e pelo amor de Deus, to cansado de tanto escrever, então tente adivinhar quem é quem pelas imagens. 



Pai de Walter





Não é bem um chefão, porém é a manifestação de memórias do pai de Walter, durante seu nascimento, onde o mesmo o rejeitava e se recusava a assumi-lo. 



Essas memórias aparecem aos montes, trancando a passagem que leva até o fim do ritual, pois de certa forma são más lembranças que poderiam desmotivar Walter a continuar tentando trazer sua mãe de volta. Henry pega todas as memórias e abre o caminho pra Walter, pra variar. Também é por causa dessas memórias que Eileen sente pena por Walter...




E decide se entregar, por livre e espontânea pressão psicológica.





Walter Sullivan Adulto



Ele aparece na segunda metade do jogo, e fica aparecendo, imortalizado, e sempre com armas diferentes. Mesmo depois de derrotado, ele reaparece sempre que possível, e só não surge onde tiverem espíritos.



Esse é o Walter Adulto, e seu objetivo ao atacar Henry é impedir que ele leve Eileen para fora de sua realidade. Ele só começa a atacar depois que Henry decide levar Eileen por entre os mundos, e passa a oferecer risco ao ritual. Essa forma de Walter é imortal, e fica atrás de Henry até o final do jogo, onde também faz parte do último chefão. Ele só pode ser morto definitivamente no final, depois de enfraquecer o corpo real de Walter, e acabar com sua invulnerabilidade. 




Gigante Desesperado



Esse é parte do último chefão.



Ele é o corpo real de Walter, projetado no mundo paralelo dele. Esse corpo, quando foi ligado novamente ao embrião, enfraqueceu os espíritos de Walter e se tornou frágil e vulnerável. Ele foi completamente enfraquecido ao ser perfurado pelas lanças do destino, e Walter pôde ser definitivamente morto. 




Walter Sullivan (3/3)



Agora que falei dos três corpos de Walter, fica fácil finalizar a análise. 




Walter ainda tinha seu corpo original inteiro e enterrado no próprio apartamento 302 (como um bebê no útero de sua mãe). Seu espírito estava dividido em 2 (criança e adulto), e o adulto estava pondo em prática o ritual enquanto a criança apenas dava suporte com as informações para o portador da Sabedoria. 

A luta final ocorre com o espírito adulto de Walter ao lado do corpo real dele, e o que restou de seu espírito inteiro. Assim que o espírito adulto de Walter morre...




Seu espírito/corpo inteiro morre... 





E seu espírito criança  também morre... 



Fazendo com que o ritual não se concluísse e o apartamento 302 continuasse sendo apenas um apartamento. 

Walter conseguiu fazer essa macumba de se dividir em 3 (2 espíritos sem corpo e 1 corpo com espírito incompleto). 


Isso soa familiar não?

Uma garota chamada Alessa Gillespie também fez algo assim, usando seus poderes de criança da Ordem. Claro que as circunstâncias e razões foram bem diferentes, mas os resultados finais podem ser os mesmos. 

La em cima, no começo da análise, eu disse que esse jogo pode ter apresentado o que seria a conclusão da saga Mason, e agora eu explicarei por que disse isso.

Sabemos que Heather Mason não se encontra bem psicologicamente, não apenas pelo seu conturbado passado, mas também pelo que houve com seu pai (como expliquei na análise de Silent Hill Shattered Memories). 

Ela desenvolveu seus poderes de tal maneira, que conseguiu recriar seu pai, em sua realidade distorcida, mas acabou deletando essa projeção como resultado de seu repentino tratamento. Apesar disso, ela não perdeu seus poderes, e também não pareceu totalmente recuperada.

Sabendo do que Walter foi capaz de fazer, é possível imaginar o que Heather poderia fazer não?!

Agora, imagine se Heather descobrir uma forma de trazer seu pai de volta, de verdade. O que você acha que ela faria?


Antes de finalizar de vez, preciso dizer uma coisa:

Walter Sullivan sabia o que é um pai, o que é uma mãe, e sabia muito bem que o 302 era um apartamento, não um ser vivo. Mas o sentimento que ele tinha acerca do apartamento era tão grande e intenso que superava em muito o que ele sentia pelos seus pais biológicos. 

O apartamento tinha maior significado pra ele que qualquer outra coisa, e ele era de fato uma mãe aos seus olhos. Ele lhe dava conforto, ele lhe gerou, ele era sua mãe. Walter inclusive sabia da história real de seus pais, e isso fica claro no final, quando ele revela que sabe que foi abandonado pela mãe e que o pai não o queria. Mas seu sentimento existia, e por conta disso, ele decidiu que sua mãe deveria vir a vida. Tendeu?!


Agora sim, encerrando:


Vai la garotão, entregue as flores e tome seu toco!

Bem, é isso. Espero que a análise não tenha ficado ridícula ou chata, muito menos enjoativa. Tentei de verdade explicar esse belo jogo, mas não sei se consegui fazê-lo com maestria. De toda forma, espero que tenha gostado. Se gostou, comente, se não gostou, também comente, se tiver alguma dúvida ou crítica, comente, e se não quiser comentar, comente.

Obrigado pela paciência, e cara... cansei de digitar kkk


66 comentários:

  1. que bom que voltaste,nao conheço melhor analista de silent que tu,parabens,estava ansioso por isso,esse jogo e foda,sou fa do walter sullivan,esse jogo poderia virar uma serie de tv de investigaçao criminal e sobrenatural terror suspense eo diabo a quatro tipo aquelas series americanas,ia fazer sucesso pagarai,a historia e show,realmente silent hill e uma serie de tirar o chapeu,jogar no chao e pular igual o seu madruga,mas nao e pra qualquer um,tem que ter um algo a mais no cerebro,quando eu joguei o 4 por exemplo,um colega meu que nao lembro o nome,me deu o jogo dizendo que era ruim e nao tinha sentido,eu aceitei e agradeci,e tive lindos pesadelos,parabens mais uma vez pela enorme quantidade de detalhes,e por favor me fale mais sobre o red devil,ate mais do agora seu fa,senhor pecador,e nao suma miseravi,agora vou ali fora pois acabou de desce uma cabeça humana pela minha janela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cabeça humana na janela??? Rápido cara! Pegue uma Vela Branca e acenda próximo a janela!!! Isso é um caso clássico de principio de assombração!

      Rs... Bem, a análise ainda não ta completa... mas como to sem meus fins de semana, não to podendo sentar e focar meu tempo na análise, dai fico fazendo de pouco em pouco e isso não me agrada. Eu prefiria fazer tudo de uma única vez, numa longa e fria tarde de domingo. (Êh saudade dos velhos tempos...)

      Mas assim, não pretendo parar, e logo vou mapear meu tempo pra ter sempre ao menos umas 5 horas pra analisar e escrever...

      Repare cara, eu não costumo detalhar muito em analises (minha memória não presta) mas, eu fiz uma coisa realmente muito bem detalhada (e acredite, há muito ai que foi "original")... dessa vez até usei fontes japas pra pegar mais detalhes... na verdade pra reforçar as ideias com fatos... e saiu isso, uma obra realmente bem detalhada.

      Mas ainda falta muito... eu preciso coletar as Artes Conceituais pra enriquecer a análise e tipo... ainda preciso ler.

      Acredita que eu mesmo ainda não li as muitas vezes que deveria ler?! Vergonhoso... só li 4 vezes =/

      Ta complicado aqui, mas farei o possível pra manter o passo, seja lento ou não, mas sempre buscarei por qualidade, sempre.

      E Sr Pecador, por favor proteja-se! Não quero perder um leitor pra espíritos kkk

      Ah, realmente, reparou que todos dizem que a história do SH4 é confusa... quando na real é o jogo da franquia com mais história e mais detalhes apresentados! Tem gente que não entendeu... mas acha que pela analise da pra entender?

      Destaque pra ordem dos assassinatos... não foi tão fácil definir e apresentar elas... principalmente quando colocaram os espíritos nos locais errados! Foi bem complicado mas... fim hehe.

      Sobre o Red Devil... Ele é Valtiel! Sabe o Cabeça de Piramide (SH2 e Homecoming)? Ele também é Valtiel. Sabe o Homem do Saco (SH Downpour)? Ele também é o Valtiel. O Açougueiro (SH Origins)? Também é o próprio Valtiel.

      Valtiel é o Zelador de Silent Hill (SH3)

      Eu falei um pouco dele na análise do SH3, quando mencionei esse lado "profissional" dele... mas de certa forma, ele é um demônio responsável pela ordem da Ordem. Ele sempre tem sua forma humanoide com a cabeça deformada ou encoberta, e sempre persegue aqueles que "devem" algo pra Silent Hill, como parte dos pactos da cidade.

      Valtiel não aparece em SH4 pois Walter conseguiu se livrar dele, mas a forma que ele assume é claramente a de Red Devil, pois o próprio Walter temia muito esse cara, no mundo paralelo mesmo, pois no mundo real o verdadeiro Red Devil já estava morto... Isso significa que Valtiel tomou a forma dele pra assombrar e atormentar Walter. Pode até imaginar um cara com capuz vermelho grande, sem rosto, andando com uma enorme espada na mão... um tipo de Demônio Justiceiro, Valitel.

      O nome é bem sugestivo, mas fica tudo na imaginação, pois não chegou a aparecer nem mesmo o próprio Jimmy Stone!

      Uma observação, antes que eu esqueça, que eu passarei pra análise:

      Nem todos os 21 espíritos aparecem no universo de Walter, mas não é porque eles não existiam ou não estavam confinados, mas sim porque o universo e Walter não era apenas os 5 mundos apresentados. Walter desenhou bem mais que isso e os espíritos estavam espalhados pelas demais regiões também.

      Henry só visita o espaço necessário pra testemunhar as últimas vítimas, antes dele mesmo se ferrar.

      Agora sim... fim. E vlw por comentar sr!

      Excluir
  2. com certeza suas analises da serie silent hill nao deixam duvidas,pelo menos pra min,e olha que sigo a serie a muitos anos e so aqui no seu brog que tive a iluminaçao,por isso que num saio daqui ha ha ha,mais um comentario,os monstros de silent hill sao demais,assinado senhor pecador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw sr Pecador. To escrevendo uma análise nova, de um novo jogo do qual ainda não falei... logo posto ela... e volto pra SH!

      Excluir
  3. Top man, ficou show eu tava doido pra entender o 2 e o 4, agora vou jogar o 3 e vamo vê o q vai dar, parabéns!!! A liga nn sou estranho jogo os jogos td fora da ordem rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fora da ordem é o jeito certo de se jogar! É assim que você entende o que precisa entender, pois fica tão na dúvida do que ta acontecendo que em busca de respostas encontra as verdadeiras verdades!

      Bem vindo ao meu mundo hehe...

      E cara, fico feliz por ter ajudado. Espero que em futuras análises eu também consiga compartilhar minha interpretação de forma... satisfatória.

      Bem vindo ao Divulgante!

      Excluir
  4. Esse é disparado meu game favorito de toda a saga! Com a melhor história e mais criativa também!Meus parabéns pela análise, embora eu goste muito do Henry,rsrs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, gosto não se discute... mas haja estômago pra curtir esse cara... eu tenho uma raiva dele... man, ele ativa modo slow pra atentar um telefone... pelo amor de deus... isso irrita muito kkk.

      Excluir
    2. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Agora que vi o modo ''slow''kkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. Mó irritante né? Repara também na cara de anta que ele faz em todos os dialogos, o cara parece tar chapadão e viajando. Num da pra perceber sentimentos nele, é muito mais morto que os próprios fantasmas!

      Excluir
    4. Kkkkkkkkkkkk você é tão cruel!

      Excluir
    5. Crueldade não tem nada haver com isso, eu sou sincero. O cara é um porre velho... eu tenho uma senhora raiva dele por isso. Ele tinha tudo pra ser o mais carismático de todos, e no final é o menos sem sal da saga inteira. Nem sei como você consegue gostar desse fantoche de todos.

      Excluir
    6. Kkkkkkkkk talvez porque ele é só uma grande vítima da situação... esse game tem um material perfeito(quem é a favor de um game jogando com o Joseph na época do ritual levante a mão!), que poderia ser aproveitado em vários outros games da saga e quem sabe uma série ou um anime!

      Excluir
    7. Melhor manter como game, mas concordo contigo plenamente o/

      Excluir
    8. Silent Hill venderia muito mais desde que eles investissem com mais empenho em outras áreas, mas a Konami parece ter esquecido o potencial da franquia. Vamos ver agora com esse próximo game!

      Excluir
  5. PS: Se ele voltar a aparecer, imagino que ele virá muito diferente do visto nesse game, espero... para o bem é claro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então cara, esse Silent Hill S que teve um mega anúncio hiper fodástico pode trazer todos os personagens de SH de volta em um único jogo. Não sei qual a ideia dos caras, mas o nome sugere que serão várias Silent Hill no jogo, e todo SH já tem um número variado de cidades e versões de Silent Hill no enredo, logo, pra que o nome seja no plural, só sendo uma mistura de todos os outros. Provável até que seja a união de todas as histórias em uma linha do tempo fixa e bem lógica... ou não. Lembro-me de ter teorizado sobre como seria Silent Hill Downpour e no final ele não foi bem o que imaginei, foi bem melhor, mas diferente. A questão é que o Hills pode realizar seu desejo de rever ele, e também acredito que ele voltaria diferente (a experiência muda) E ele tem tudo pra ser atormentado pela cidade, se envolveu até o pescoço e agora ta bem ferrado, Harry que o diga.

      Na boa, tu chegou a ver o gameplay ou jogar o "PT" (teaser de SHs)? Se não viu, recomendo que veja o "Testando a Demo" do Zangado. De toda forma, se tu reparar, todos os elementos dos demais Silent Hills são apresentados no teaser, ele sendo parte real do jogo ou apenas markenting, é de longe perceptível os elementos e referencias aos demais SHs.

      Bem, eu to assistindo o filme que tu recomendou hein. Acho até que vou chegar a postar a análise simples dele antes mesmo de lançar a de Kingdom Hearts, se pa farei ainda hoje (dependendo se eu entender é claro).

      Enfim, vlw por comentar chefe Marcio.

      Excluir
  6. De anda subordinado!Kkkkkkk bem mas então isso é uma coisa que estou ansiando há muuuuuuuito tempo, imagina todos os protagonistas sobreviventes ou mesmo todos os personagens num só game!Ia ser muito bom! Eu espero que eles mantenham a essência dos 4 primeiros games (meus favoritos, embora eu goste muito de origins). Já fez a análise do Homecoming? Já vi gente chamar de Silent Hill Tsc, Tsc... kkkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Snif... Homecoming... zerei uma vez numa placa Geforce 7300GS e to tentando zerar de novo mas... é muito bugado nessa placa. E eu to sem grana pra comprar de xbox 360 agora. Mas assim, eu sei o que escrever e já tenho a análise mental pronta, mas pra fazer preciso jogar de novo e até tenho o jogo, mas com os bugs de audio e aceleração do processador em 100% fica dificil. A primeira vez até vai, pela empolgação e tudo mais, mas jogar com bugs e problemas pra analisar é tenso. Enfim, eu farei um dia... um dia. Não é um jogo ruim, só é bugado no pcs errados, e meu pc é um deles =/

      Detalhe, meu sonho é ver um Silent Hill protagonizado por uma criança. Sei la cara, eu acho que ficaria muito top... depois do Downpour, onde um velhinho é o vilão, eu bem que pensei que o próximo seria assim.. mas... na real será o Dixon la o carinha da vez então... fica pra próxima rs...

      Excluir
  7. Imagina que hiper mega foda jogar um silent hill com UM ÓRFÃO LÁ DO WISH HOUSE DURANTE A ESTADA NO WISH HOUSE!!!! Passar pelas torturas,programação mental,a lavagem cerebral,a loucura... ia ser muito bom!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, lembro que na época que eu trabalhava numa fábrica, eu tinha um celular com um jogo de Silent Hill que contava a história de 3 órfãos justamente nas condições que você falou. No caso, era um tipo de point and click (pra tu ver como fan supera de tudo pra jogar) mas eu cheguei bem longe, na terceira história, e parei porque me perdi (fazer de tudo não significa passar a gostar kkk) mas, queria muito ver um jogo oficial para consoles (não costumo considerar jogos de celulares oficiais, pois geralmente são só passa-tempos, se bem que esse Silent Hill de celular (SH Orphan) era bem interessante e prendia a atenção, se não fosse a bagunça da terceira história onde eu não sabia onde clicar mais... rs... enfim, um dia, quem sabe surja um oficial de consoles com crianças da ordem protagonizando!

      Excluir
  8. Não seria o máximo? Eu joguei e zerei todos de celulares e posso garantir,o único que supera com uma experiência mais assustadora e bizarra é o Nowhere, que é um jogo de celular muito top, o melhor survival horror e jogo, de celular para mim! Pega em qualquer celular e eu com certeza te recomendo, e se prepare para uma história incrível e muito confusa, além de vários momentos de terror é claro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não uso mais celulares. Fiquei triste com meu último e decidi não ter mais! (To sem grana pra comprar um decente então, prefiro nem usar, o ultimo era paragueta então, nem rola outro)

      Excluir
  9. Que pena.. bem se fosse recomendar eu prefiro nokia! O meu nem tem android, mas tem uns games muito bons!

    ResponderExcluir
  10. Um dia, um dia, eu serei feliz... kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é cara, você é... Eta análise que não sai...

      Excluir
  11. Sim eu sou! Você também,só se esquece disso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felicidade é... bem... sim, eu sou feliz... mas as vezes a felicidade se torna meio turva perante as sombras do desanimo... snif... Ai, você viu que eu coloquei aquela música do SH4 na postagem? Heh... eu agradeci você viu... só da uma subida xD...

      Excluir
    2. Entendo, mas os games de terror nos mostram muitas vezes o quão difícil é poder ser feliz, mas sempre conseguimos desde que lutemos! Sim eu creio que vi sim!Senão comentei é porque estou respondendo aos outros comentários também!Ah outras músicas lindas também, como a que toca ao mostrar o corpo de Mona na série...

      Excluir
  12. Só uma pergunta, Silent Hill Downpour faz parte da saga "Sunderland"?
    Porque...
    O principal fator que liga SH4 ao 2 é o personagem Frank Sunderland
    E o principal fator que liga o Homecoming ao 2 é o nome completo de Mary (Mary Shepherd Sunderland).
    Mas, o que liga Silent Hill Downpour ao 2?
    Ou é uma " saga" nova?
    Espero ansiosamente a analise do Homecoming, sabendo que você vai mirar como faz em todas as analises

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sobrenome de Mary não tem ligação alguma com a família Shepherd dos fundadores, é só uma mera coincidência... na real tinha muitas outras ideias de conexão entre o 2 e o Homecoming além dessa, mas todas foram abandonadas... Homecoming na real não tem nenhuma ligação com o 2... pra ser sincero ele faz referências no estilo Easter Egg.... mas não ligação. Eu até pensei em falar do sobrenome de Mary e apontar isso como uma das possíveis razões pra ela ter gerado tantos problemas pra James, mas nem mano... é só mera referência mesmo =/.

      Um dos maiores e piores problemas do Homecoming está em seu enredo muito fragmentado com ideias... teve influências de mais e enredo de menos, o resultado final, das 4 famílias e ressurreição da Ordem é seu maior atrativo, porque o resto só serve como easter Egg... Acredita que inclusive o Homecoming tem uma ligação direta com a saga "Mason"? Ele conta como a Ordem caiu, por causa dos Mason... show né?

      Apesar de ter muita coisa que referencie SH2, nada é concreto ou diretamente ligado a história. Tipo, na versão de xbox vira e mexe você desbloqueia referências ao SH2, tipo conquistas saca, que falam de algo do SH2, compara algo que você fez com algo de SH2... pelo que andei pesquisando, haviam projetos pra literalmente juntar SHHC com o 2, e fazer de ambos uma linha direta pro 4... mas a ideia foi completamente abandonada, e praticamente metade do jogo foi deletado... ainda bem, pois tinha muita coisa que não seria legal... tipo... Elle era pra ser Laura... acredita?

      Enfim, eu não vou nem mencionar o sobrenome de Mary pois, como eu vi nas pesquisas, isso não tem conexão sólida, é só um nome semelhante mesmo... É raro mas acontece... e as famílias fundadoras de Shepherd's Glen não tinham espaço para uma Shepherd da idade de Mary.

      Sobre Downpour... ele é sua própria saga sr.... que eu chamo de "Saga Turística"... mas você só vai entender isso quando eu falar dele rs.

      Curiosidade, que eu to explorando na minha analise: Sabia que SHHC é o inicio de uma Saga? O jogo não tem um final, e abre espaço pra uma continuação direta, inclusive com o próprio Alex, ou alguém próximo.

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. SPOILER ------ Ate agora eu tava pensando que a morte de Josh tinha causado a doença de Mary, mas eu acho que as datas não batem muito bem.
    O problema no meu caso é que a maioria dos Silent Hills que eu joguei estavam em inglês emeu inglês n é tao bom
    Eu to pensando em jogar os jogos de novo
    Dessa vez no PC pra poder baixar tradução
    Na minha cabeça eu tava especulando muito tipo:
    Mary era irmã de Adam
    Dai ela fugiu e sobro pro Adam matar o filho
    E ela n queria ter filhos com James por causa q ela tinha medo da Ordem
    Dai ela ficou doente por causa do Josh
    Mas eu acho que o fato das datas não baterem ferra com toda essa teoria
    :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, as datas não batem nenhum pouco. Até faz sentido se pensar da forma como você pensou, mas, o Homecoming se passa décadas após os eventos de Silent Hill 3, e Silent Hill 3 se passa décadas depois dos eventos de Silent Hill 1... Silent Hill 2 se passa aparentemente entre os eventos do 1 e 3, então Silent Hill Homecoming se passa uma penca de tempo após os eventos do 2.... imagine uns 10 a 20 anos... em torno disso. Deu tempo da Ordem definhar e renascer... pensa. Mas o que deve ficar claro é que, as famílias fundadoras tinham mausoléus brother... qualquer membro da família tinha seu túmulo anunciado... o nome de Mary não é encontrado me lugar algum. Tem mais, oficialmente foi declarado que não há qualquer conexão e os nomes são pura coincidência... e se parar pra pensar, o sobrenome "Shepherd" é muito comum... ele significa "Pastor"... muitas famílias religiosas usam ele. Mas, sua ideia é boa, não deixa de ser bem criativa... porém.... deixe pra compartilha-la na análise do Homecoming xD

      Vlw sr Fábio!

      Excluir
    2. Oi de novo Shady, tudo bem? Acabei de zerar Silent Hill 4 e Homecoming de novo e lembrei desse papo que a gente teve e li de novo. Você disse que Mary não tem conexão com os Shepherd porque não se encontra o nome dela em nenhum tumulo ou documento da cidade. Mas, eu comecei a brizar de novo e pensei: e se a Mary tivesse fugido da cidade como na minha teoria (não necessariamente na mesma época da geração de Adam), mas após esse feito ela fosse deserdada e por isso seu nome não aparece em nenhum lugar?
      Faz sentido pra você?

      Excluir
    3. by Fábio. Não sei por que, mas meu nome não ta aparecendo.

      Excluir
    4. Me parece que agr foi kkkk vai entender.

      Excluir
    5. Hm... toda teoria faz sentido a menos que seja refutada por fatos in-game... e bem, até então não vejo nada que refute isso... é algo a se pensar sr Fábio... mas seriam as implicâncias?

      Excluir
    6. Como assim? Não entendi direito sua pergunta.

      Excluir
    7. Tipo,imaginando o parentesco, acha que isso causa algum grande impacto na serie?

      Excluir
    8. A frase certa era "Mas quais seriam as implicâncias?" Digitei tudo errado heh...

      Excluir
    9. Pensei em algo do tipo: Quando Mary e James vão viajar para Silent Hill eles pisam em território de Samael, que poderia ter feito a Mary adoecer por ter fugido e não feito as obrigações da Ordem. No vídeo gravado pelo casal no quarto de hotel da cidade, Mary tosse antes de cortar para a cena onde James a sufoca, indicando talvez, que a doença começou ali.

      Excluir
    10. Faz sentido... isso ligaria HC ao 2, e ainda explicaria o principal fato pro tormento dos Sunderland... O chato é que o sobrenome da Mary não é oficial (in game) então, mesmo sabendo que ela é uma Shepherd, ou pelo menos foi antes de se casar e mudar o sobrenome... não tem como fazer o encaixe por falta de documentação manja. Eu sei do nome dela por pesquisas que fiz, mas in-game eu não me recordo de ter lido nada sobre isso... então não sei até onde considerar isso real (no caso, simplesmente não considero).

      Mas, faz sentido poxa. Se de fato ela se chamava Shepherd pode-se ignorar prováveis coincidências e teorizar legal, pois há fatos... mas sem nada pra usar, não da.

      Só que... a doença de Mary sempre foi um dos mistérios de SH. Se realmente ela foi provada pela maldição dos Shepherd... isso expande o universo de SH de uma forma bem drástica... imagine quantos outros já não foram afetados pelos rituais ou maldições! Imagine quantas famílias que de alguma forma tem ligação com SH e estão fadadas a se lascarem! Por isso eu digo: Ainda tem muito chão pra Silent Hill...

      Excluir
    11. Concordo plenamente com você e justamente pelo fato de existir muito chão para Silent Hill o cancelamento do novo jogo me dá nos nervos até hoje kkkk
      Por isso eu adoro Silent Hill e outras sagas interpretativas como Clock Tower, ou até filmes como Exterminador do Futuro. Dá pra você conectar a porra toda como na Teoria da Pixar

      PS: O nome completo de Mary foi revelado no Livro Book of Lost Memories, lançado em 2003 (junto com SH3). E em um diário promocional de Silent Hill Homecoming, Alex diz: Was She Related to me?
      Referindo-se a Mary possivelmente. Não estou afirmando nada. Essas são só as fontes que eu encontrei.

      Excluir
    12. Essas foram as mesmas fontes que eu encontrei, mas como eu disse, são informações fora dos jogos e eu meio que torço o nariz pra esse tipo de informação. O Book of Lost Memories é um tipo de almanaque feito por parte da equipe, uma pequena e endeusada parte, e pra mim quase nada que saiu naquilo faz jus a franquia. Talvez pra alguém que queria saber sobre curiosidades da produção... mas não interpretação... pois no livro em si muito do que foi escrito e divulgado tem haver com ideias pré produção ou por releituras sobre coisas que foram postas nos jogos. Pra mim, livros não tem o direito de ofuscar o brilho de jogos... são duas mídias totalmente diferentes (e isso vale até pros antigos guias de jogos que vinham junto... eu tinha alguns de Snes e na boa, nem tudo la é totalmente fiel ao jogo em si... tipo... até hoje tem gente que defende o esquema da população de Mario ser blocos, mesmo depois de toda a mudança e evolução que correu na franquia, tudo por causa de um desses guias mal interpretativos.)

      Mas, eu nunca joguei nada tão profundamente a ponto de decorar cada linha de programação... vai que dentro de SH2 tem algo que mostre ou pelo menos insinue o nome de Mary (tipo Mary S. Sunderland saca). Mas até então, nah...

      Eu to torcendo pro próximo SH ser totalmente maluco, completamente diferente do SH que conhecemos... pois isso faria a imagem do jogo transcender seu próprio universo... mas sem "remakes"... sem "Reboots" pois SH não exige isso... muitas histórias paralelas que podem ou não se juntar é o que formam a franquia... tipo Zelda!

      Excluir
    13. Saquei cara, realmente faz sentido pensar assim sobre o Lost Memories, eu também não concordo muito com as coisas desse livro. Sobre um possível novo Silent Hill, eu acho que seria legal fazer um novo jogo da saga Mason (eu chamo de saga Impar: se pegar a ordem de lançamento, todos caem em numero impar) e dar uma voltada no que era antes: com musicas mais desesperadoras, a volta das sirenes e do mundo paralelo com grades. Ver tudo isso com a tecnologia do PS4 seria sensacional.

      Excluir
    14. O Lost Memories tem muitos furos com relação a jogos mais atuais, e mesmo para a visão dos jogos no passado, muita coisa mudou ou foi corrigida. A própria origem de SH não tem mais nada haver com Stephen King... na época tinha, mas hoje a história tem outras fontes, outras influências.

      Série Impar... faz sentido kkk.

      Eu torço pra lançarem um SH protagonizado por uma criança... pensa ver os pesadelos do ponto de vista infantil. Imagina a vulnerabilidade da criança indefesa em meio ao terror de SH! Só espero que quando sair, saia pra PC e sem exclusividade pra plataformas (como ocorreu com o P.T. ¬¬) pois todos merecem experimentar SH! E eu sou nintendista e PC-Gamer... complica quando lançam algo que me atrai em outras plataformas... Mas joguei PS4 pra caramba com meus amigos (análise de Until Dawn ta ai pra comprovar rs) e eu adorei os gráficos... um SH assim ficaria surreal!

      Excluir
  15. melhor analista de silent hill é vc cara!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado sr. Fico lisonjeado... e aliviado, pois significa que meu trabalho foi um sucesso!

      Seja bem vindo sr Myto.

      Excluir
  16. Muito bom análise do jogo como se no momento que eu leio,estivesse jogando,mano melhor parte do análise é vc falando mau do Henry.cara seria muito.massa uma série sua de coloca tiver o do Nintendo e o do play 2 seria perfeito sugestão da hora espero confiante um dia seu análise sobre esse game

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo ao blog sr "Loreon"... eu fico felizão por ter curtido, isso me deixa ainda mais inspirado pra continuar escrevendo. Pra te dizer a real, atualmente to escrevendo sobre um jogo de PS2 que é de certa forma uma sugestão, além de ser repleto de teorias originais. Além disso também to escrevendo uma análise sobre um jogo crossover que envolve vários títulos diferentes, dentre eles Metroid e Metal Gear.

      Eu quero deixar um texto interessante e divertido, por isso to demorando um pouquinho mais logo sai.

      Sr, agradeço por ter lido e repito: Fico feliz por ter curtido!

      See yah!

      Excluir
    2. Poxa mano vc me respondeu muito rapido,ainda nao sei pq seu blog nao cresceu de maneira gigantesca ainda.enfim so lembrado o nome coloca era pra ser clock tower e nem tinha percebido o meu erro no texto rsrsrs.

      Excluir
    3. Clock Tower... eu tentei jogar a versão de Snes mas ele é point and click... eu tenho certo preconceito com esse gênero. Saca... me lembra puzzle e puzzle me da agonia de jogar. Mas... já considerei jogar só pra analisar... então pode ser que um dia eu o faça.

      Meu blog não é la grande coisa... ainda... rs... mas comparado ao inicio ele avançou bastante. Ainda tenho muito pra fazer e aprender... então é só paciência. De qualquer forma, só o fato de leitores como o sr chegarem até aqui me deixa bem satisfeito... e eu tento responder rápido mesmo... acho legal porque assim da pra conversar bastante... já recebi críticas de amigos pelo excesso de comentários no blog, e pelo fato de eu não ter algo que divida os comentários... mas eu acho isso bem legal. Como gosto de pensar: Os comentários são uma expansão da postagem.

      Excluir
    4. Caramba! realmente point and click é uma droga mesmo,pra ser sincero nem gosto do genero "horror and surviver" mais tem alguns jogos que realmente chamam me atenção e algo mais historia é tudo pra mim,o jogo pode ser uma obra de arte,mas se nao houver historia nem da vontade de jogar.Venhamos e convenhamos pra um jogo de snes este clock tower é bem elaborado em quesito de historia e enredo.

      Cara ate então não quis ser critico ou fazer critica ao seu blog,em questão de estrutura gráfica pode-se melhorar,sistema de comentario pra mim ta ótimo,por exemplo os comentarios no youtube fica tudo confuso as vezes vc nem entende qual o primeiro ou ultimo,enfim achei legal a estrutura do seu blog,so poderia ser melhor para navegar nos topicos fora isso vc estar em um bom caminho,espero ter ajudado.

      Excluir
    5. Sr Loreon, vlw por seus comentários sr!

      Bem, eu sou nintendista e meu primeiro nintendo foi justamente o Super Nintendo... mas apesar disso, isso foi na época das Video-Locadoras e tipo, achar fitas era uma missão a parte. Quando não tinha nas locadoras, era com amigos e alguns deles até geravam conflitos intensos... até hoje tenho más lembranças do Mickey Mania, não por ser um jogo ruim (ele é lindo e nostálgico) mas pelo fato de eu ter sido acusado de roubo por ter pego a fita emprestada e meu irmão ter "devolvido" pro amigo errado... mó treta... mas enfim... poucos eram os jogos "ruins" de Snes... eu mesmo não consigo lembrar de 1 sequer... eu joguei de tudo, mas nunca consegui o Clock Tower, mas era porque eu buscava jogos coloridos e atrativos visualmente, foi muito antes de eu começar a me interessar pelo terror e por paradas com uma narrativa complexa... eu só cheguei a esse estágio quando joguei Super Metroid e conheci o outro lado dos jogos de video-games. Só que, eu ainda jogo snes até hoje, e tem muito jogo que nunca nem sequer consegui zerar (conhece "Captain Commando"? Tendo zera-lo até hoje kkk) e alguns nem consegui rodar (algumas fitas não funcionavam pro meu azar =/). Mas, eu ainda vou jogar Clock Tower... pois eu preciso concordar que o enredo é interessante (e culturalmente instrutivo).

      Sobre o blog... eu quero deixa-lo simples até chegar a uns 500 posts. Daí vou parar um pouco e me concentrar só no designe. Até la eu só to me preocupando em manter ele visualmente estável. Mas, eu gosto de críticas pois isso vale como feedback... e isso é muito importante.

      Eu queria criar uma lista que facilitasse a navegação... criei o esquema de tópicos e até iniciei uma listinha no canto direito... mas eu sei que tem outras coisas legais pra fazer... só quero ter uma variedade maior de postagens.

      Sr, você ajuda pacas, só pelo fato de me apoiar e ler meu trabalho. Comentando então, nossa! Eu adoro comentários, pois significam que meu trabalho foi tão interessante ou significante que mereceu mais alguns minutos da vida do leitor para expressar e compartilhar sua opinião. Sr... obrigado!

      Excluir
  17. Psiu o coloca tiver que eu falei de ps2 é o 3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Coloca Tiver" sr Loreon... eu não conheço esse título... é sobre o que?

      Excluir
    2. Desculpe amigo,tava com o corretor automatico do meu sony e é uma merd4,quis dizer desde o primeiro comentario,clock tower um game que teve origem no super nitendo e o terceiro jogo da franquia que é para play2.o nome "coloca" nos comentarios era pra ser "clock tower". Kkkk

      Excluir
    3. Tendeu... rs. Normal, corretores são assim. Sobre o jogo... vou tentar. Eu realmente sou tenso pra jogos no estilo point&click.

      Excluir
  18. Serio mano ja imagino vc metendo mau na protagonista e fazendo altos comentarios ilarios com o garoto da tesoura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rs... pior que eu sei que se eu pegar pra analisar, certeza que terminarei o jogo empolgadaço... o ruim é o gênero saca... eu achei o 3 interessante... o gráfico casou com a jogabilidade e me atraiu... mas será que compensa começar logo do 3°?

      Excluir
    2. Para ser sincero acredito que sim,exemplo disso é que em relação ao primeiro jogo de snes,não a muita realação da terceira historia para primeira,entao deve ser tranquilo e possa ate da mais vontade de jogar.

      Excluir
    3. Então ta feito. Vou providenciar o jogo e experimentar. Vlw a dica sr Loreon... e valeu pelas leituras e comentários!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+