PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

AnáliseMorte: Life is Strange - Resumindo e Explicando.

É com um pesar na alma que começo esse post.


Life is Strange




Eu pensei muito em como faria essa análise, pois apesar de ser um jogo Episódico, e ter uma história que merece ser compartilhada detalhadamente e individualmente, eu creio que dividir o texto em 5 partes (uma pra cada episódio) não seria tão... prático. Seria uma divisão que pode não agradar todos os leitores...


Por esse motivo, farei tudo em um texto único, mas dividirei o mesmo em 5 partes. Doidera né? Só ler que você verá. 

Life is Strange é um jogo que permite ao jogador influenciar a história. Todas as minhas ações e decisões tiveram impacto sobre o passado, presente e futuro. Escolhi sabiamente e conforme meus princípios, agora é sua vez de escolher se quer conhecer a minha versão da história com spoiler controlado.

Resumindo: Na hora que eu for spoilar, eu vou avisar... dito isto...

Boa leitura!



O jogo segue o modelinho Episódico com escolhas influenciadoras entre os episódios, cabendo ao jogador ler, observar, responder e perguntar do jeito que quiser, parecido com jogos como os da Telltale (TWD por exemplo), só que esse game foi feito pela Square Enix junto com a Dontnod (e apesar de não ser um RPG, é incrível).


O diferencial (e acredite é algo que combinou muito bem) é o fato do jogador poder voltar no tempo e mudar suas respostas, escolhendo já conhecendo as consequências e decidindo qual o rumo que sua história irá tomar, tudo em tempo real.

Escolheu algo e não gostou? Achou que a resposta não serviu pra nada? Irritou alguém que não queria irritar? Volte no tempo e faça o oposto, o sonho de qualquer ser humano.

Nessa onda, o objetivo do jogador é viver uma semaninha meio tensa e escolher como as coisas devem suceder. Apesar de uma premissa meio chata, as coisas não são enjoativas, e ao longo da história, conforme se conhece as pessoas e os poderes, tudo vai ficando um pouco mais interessante.



JOGABILIDADE


O jogador pode andar (alias, o jogo ocorre em 3° pessoa)...



Correr, mas nada muito rápido...




Interagir com objetos (ao clicar com o mouse, escolhe-se a ação que será realizada)...



Interagir com pessoas (daí em meio ao diálogo aparecem perguntas e respostas que o jogador deve escolher. Ao término, é possível regressar no tempo pra alterar as respostas/perguntas e ver os inúmeros resultados).




Além de tudo isso, é possível mexer com o tempo, rebobinando, parando, acelerando, e até modificando. E também é possível mexer com  o espaço, "teletransportando" e movendo objetos através da realidade. Só que falarei melhor disso ao descrever os episódios.




Também dá pra ler o Diário de Max, onde ela coloca suas fotos, desenhos, bilhetes e escreve absolutamente tudo o que acontece...



E mexer no celular, recebendo mensagens e lendo conversas (o jogador não escreve, mas da pra acompanhar as conversas em tempo real)




Enfim, em termos de jogabilidade é isso... 


Há muitos personagens, com muitas opções de diálogos, mas pelo menos no meu gameplay, apenas alguns merecem destaque. 


PERSONAGENS

Max 
(minha xará)



Essa é a protagonista, que estuda Fotografia e Artes em uma universidade na cidade de Arcadia Bay.




Ela descobre ter poderes ao acaso, e por causa disso, toda a realidade se distorce ao seu redor.




Cada escolha e modificação que ela faz no tempo e espaço, gera uma consequência fisicamente impossível... mas a pior dessas consequências é o que ela prevê pouco antes de despertar seus poderes: Um Tornado que varrerá Arcadia Bay.




Em uma analogia óbvia, Max é a prova viva da teoria do Caos, onde uma simples borboleta em um lado do planeta pode produzir um tornado do outro lado, com suas batidas de asas, ou seja, uma ação, por menor que seja, gera uma reação, as vezes catastrófica.




As mudanças que Max faz com seus poderes simplesmente alteram o tecido do universo e coisas bizarras acontecem, sem qualquer possibilidade dela poder impedir. 




Tudo começa com uma borboleta azul que ela segue pra fotografar e termina com um tornado matando quase todo mundo da cidade. Por sorte os pais de Max não moram mais em Arcadia Bay, e todo mundo pode vir a morrer, exceto sua melhor amiga.



Chloe Price



A melhor amiga de Max, uma garota radical de cabelo tingido que tem sua vida salva por sua amiga, graças aos poderes do tempo.




Um cara atira nela no banheiro da universidade, e Max testemunha o acontecido e fica tão chocada que consegue rebobinar o tempo e mudar esse final, ajudando Chloe.




Porém, essa mudança é o estopim para várias outras, e junto com Max, Chloe começa a investigar o carinha que atiraria nela, o desaparecimento de sua outra melhor amiga e estranhos personagens que cercam sua existência.




Chloe é rebelde, e viveu anos longe de Max (pois esta saiu de Arcadia Bay por uns 5 anos e nem manteve contato). Ela não se da bem com sua mãe, pois a culpa pela morte de seu pai, e também odeia seu padastro, que por pura ironia do destino é policial (segurança da universidade).




Ela também foi expulsa da universidade por causar problemas, e bem, ela é bem problemática, tanto que no momento que seria morta, ela estava cobrando dinheiro de drogas vendidas. 




Mas, ela é boa pessoa, e apesar de Max ter sumido por anos, ela fica muito feliz por seu retorno, mesmo pensando muito mais em Rachel. Alias, Chloe é a primeira a saber dos poderes de max, e é legal como ela reage a isso.



Rachel Amber



Essa garota desapareceu.



Sim, essa é sua maior e principal característica. Todos na cidade falam de seu sumiço, e pra variar Chloe era sua melhor amiga.




Rachel simplesmente desapareceu e todos falam dela, e um dos maiores objetivos do jogo é descobrir seu paradeiro.




Apesar dela não aparecer em momento algum, todos falam tanto dela que, acaba sendo uma das personagens principais. Sem contar que, seu destino é interligado com o clímax da história.


Kate Marsh



Ela é uma das colegas de Max, e é bem religiosa.



Inicialmente essa garota não se difere dos demais personagens, mas em dado momento do enredo ela se torna extremamente importante.



Max acaba se tornando uma grande amiga de Kate, mas o mais importante está na ligação dela com Rachel. Ambas passaram pelo mesmo problema, mas Kate não teve o mesmo fim.

David Madsen



Esse é o padastro de Chloe e segurança da universidade.



Ele já foi militar, e era pra ser policial, mas por ter problemas com trabalho em equipe acabou virando um segurança.



Porém, ele é bem dedicado ao seu trabalho e vive investigando todos na universidade e até fora dela, inclusive o caso de Rachel Amber.



Max se torna um de seus alvos, junto com Chloe, e ambas tem de lidar com esse cara em sua cola.



David é ignorante, repulsivo, invasivo e não respeita a privacidade de ninguém, tanto que ele colocou câmeras de segurança em na casa de Chloe, sem o consentimento da mãe dela.



No fim, ele acaba sendo um dos personagens chave do enredo, justamente por uma de suas obsessões: Encontrar Rachel.


Mr Jefferson



Ele é o professor de fotografia de Max.




O cara é legal, vive conversando com seus alunos, e até mesmo quando é "paquerado" ele mantém sua conduta e reage da forma mais sensata possível, tratando seus alunos como meros alunos mesmo.



Ele organizou um concurso de fotografias onde mandará a foto vencedora para uma exposição em San Francisco, e de quebra dará uma viagem pro vencedor(a) ao lado dele para a dita exposição. Seus alunos ficam bem empolgados, inclusive Max, e um dos objetivos do jogo é fotografar as coisas.



Sim, é possível sair tirando foto, mas apenas de coisas específicas em situações específicas. Infelizmente eu não descobri como participar do concurso (eu esqueci na verdade) e falei pouco com o Jefferson, mas do pouco que falei, vi que ele é boa pessoa... e outra pessoa acabou vencendo o concurso... na primeira vez.


Victoria Chase




Essa é uma rival de Max, uma garota mimada que se acha.




Ela odeia Max, bem como odeia e repudia qualquer um que não se curva perante ela, mas mesmo assim, Max tenta manter o mínimo de respeito com ela (essa é uma opção do jogador, mas eu sempre gosto de tentar ser brother de todo mundo).



Victoria não é malvada, mas é idiota e ignorante, fazendo coisas estúpidas como incentivar e provocar o suicídio de uma de suas colegas. 




Apesar disso, ela também é boa com seus amigos, se importa e apoia eles o tempo todo.



No meu gameplay, Victoria venceu o concurso... mas tiinham coisas mais importantes rolando então, tanto faz. 


Nathan Prescott




Esse cara é o melhor amigo e namoradinho de Victoria, além de ser dono da universidade, dono do dormitório masculino, e dono de tudo que ele acha que é dono.




O cara é da família poderosona de Arcadia Bay, que tem como objetivo dominar toda a cidade. Pra dizer a real, eles já dominaram, pois podem fazer tudo o que quiserem sem precisar se preocupar com as consequências...




Prova disso está no tiro que Nathan quase deu em Chloe. Sim, ele quem atira nela, mas quando Max impede, ele foge com a arma e pra variar, ninguém acredita na garota.



Ele tem as costas quentes, e não importa o que aconteça, sempre tem alguém que passa a mão na cabeça dele. Além disso, ele é violento, agressivo e ameaçador, e toda hora manda mensagens pra Max dizendo que ela ta ferrada e pra ela ficar esperta.




De toda forma, da nada, o cara é o vilão da história mas sempre se safa...


Diretor




Ele não é um personagem importante ou relevante... na minha opinião ele é um completo imbecil, que faz questão de ignorar os avisos de Max e até se desculpar com Nathan, quando ele não podia parecer mais culpado e errado do que já parecia, tudo porque a família de Nathan é a doadora majoritária da escola... 



Enfim, ele é o diretor da universidade e é quem faz vista grossa pro que acontece, desde que seja com as pessoas certas e convenientes à ele, tipo Nathan Prescott.

Warren



Esse não é um personagem tão importante, e é ao mesmo tempo. Warren é um garoto e grande amigo de Max, que ta visivelmente afim dela...



Ele salva a pele dela algumas vezes e tem uma hora que ele peita Nathan, que na boa, é bem show. 



Mas infelizmente eu preferi brincar com os sentimentos do cara... foi acidental... no inicio percebi que ele era legal e fui aceitando os convites pra sair e tudo mais, mas depois a coisa com Chloe foi esquentando e... entre Warren e Chloe, escolhi Chloe.



No fim, Warren é um grande amigo.

 Frank Bowers



Por fim, dos personagens que eu considero importantes, falta o Frank Bowers, traficante de Arcadia Bay. 



Ele era bem próximo de Rachel Amber e Chloe, mas não apenas profissionalmente (ambas tavam no mal caminho) e hora ou outra aparece pra cobrar e ameaçar Chloe e consequentemente, Max. 



Ele tem um cachorro de estimação, que protege ele e é muito raivoso (mas ele o ama) e no final das contas, o cara é... estranho. 



Ele tem um trailer, no qual Chloe e Max entram pra procurar pistas sobre o paradeiro de Rachel e la descobrem mais sobre ele... só que falarei disso ao contar a história.

Viu, acho que nem spoilei até agora... estranho não!? Pois é, é agora que vou acionar a metralhadora de informações, e enquanto conto as histórias e descrevo os episódios, vou falar absolutamente tudo que eu conseguir lembrar.

SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER SPOILER


Episódio 1: Crisálida



Esse primeiro episódio serve pra introduzir o formato do jogo e a história. Ele não conta com grandes eventos nem com grandes mudanças temporais, e basicamente apenas apresenta os muitos personagens com diálogos opcionais e também o despertar da habilidade de Max, bem como a praticidade de mudar respostas ao manipular o tempo.



Apesar de tudo, existem alguns eventos cruciais pro desenrolar e conclusão da história, e eu darei destaque pra eles. De resto, vou resumir.





Alias, a habilidade do tempo que é mostrada e aplicada no primeiro episódio é a de Rebobinar, onde Max consegue voltar para momentos específicos de conversas e reescrever a história. 




Mas, Max não pode voltar além do limite, nem parar no meio de uma transição. Ou ela volta até o ponto demarcado, onde a decisão foi tomada, ou pula o evento e retorna pro momento final da conversa/evento.

Tudo começa com Max tendo a visão do Tornado destruindo a Cidade.


Ela se vê ao lado de um Farol e um Banco de Praça e o Tornado ao fundo, varrendo tudo.


Daí ela acorda, na sala de aula, em uma aula de Fotografia, com o Professor Jefferson chamando sua atenção (também pudera, ela mal acorda e já tira uma selfie, no meio da aula... alias essa foto que ela tira de si mesma é importante no futuro) e fazendo uma pergunta que ela não sabe responder.



Depois de passar por um momento meio vergonhoso, a aula termina, ela toma bronca do professor e sai da sala, indo direto pro banheiro...



No banheiro, ela vê uma borboleta azul, a qual ela acha linda e bem inusitada, e decide fotografar.



Logo após a foto, um cara (Nathan) entra no banheiro, desesperado e descontrolado, e logo em seguida uma garota (Chloe) aparece, e ambos discutem...



Chloe cobra e ameaça Nathan, quando ele puxa uma arma de fogo e, no meio da bagunça, ele dispara, matando Chloe instantaneamente. 



Max testemunha isso tudo, e entra em choque, daí ela acorda, na sala de aula.



Todos os eventos se repetem, mas ela descobre que consegue rebobinar quando quiser. Daí ela conduz a história de forma satisfatória pra ela, respondendo a pergunta do professor corretamente, evitando gafes, e acelerando os eventos pois percebe que pode salvar a garota do banheiro.



Quando ela volta, no banheiro, ela aguarda, e o que havia acontecido antes, se repete. Porém dessa vez ela aciona o alarme de incêndio e impede o disparo da arma. Nathan e Chloe fogem, e ela é pega pelo segurança (David), que por pouco não a leva sob custódia por acionar o alarme, graças ao Diretor, à quem Max conta sobre Nathan e a posse da arma, mas não é levada a sério.



Ela vai pro campus, direto pro dormitório, é barrada por Victoria e suas seguidoras, e bola todo um esquema pra derrubar tinta na cabeça da menina... mas na hora de zoar ela, Max prefere trata-la bem... o que é bem visto por ela (mas se ela soubesse que a Max que derrubou a tinta, as coisas seriam bem diferentes).


Em seu quarto, ela se deita e reflete sobre o incrível dia que ta tendo.


Depois ela sai e conversa com uma galera, nada de importante, ela descobre que uma das alunas está grávida, e salva uma moça de ser atingida por uma bola de futebol americano la no campus, mas o que importa é que ela vai de encontro ao Warren e no caminho, vê a moça religiosa (Kate) sendo interrogada de forma meio agressiva pelo David, que ela faz questão de interromper pra salvar a pobre mocinha do terrível segurança.


Então ela se encontra com Warren no estacionamento, ambos conversam e na hora H, Nathan aparece pra tirar satisfações quanto as acusações de Max pro Diretor (linguarudo que só) e Warren defende Max, começa a apanhar e Chloe aparece em sua caminhonete, salvando Max e deixando o pobre Warren tomando uma bela surra.



No carro, Max descobre que a garota de cabelos azuis é a Chloe (até então ela não tinha reconhecido) e conversa sobre o passado, sobre ter retornado a Arcadia Bay (ela já tinha chegado a uma semana e nem tinha procurado a melhor amiga...) e fala sobre sua câmera que acabou quebrando na confusão. Chloe decide levar Max pra casa então, pois la tem ferramentas e talvez Max poderia consertar sua câmera...


La, Max descobre sobre o relacionamento de Chloe e Rachel, elas conversam sobre o desaparecimento dela, sobre o quanto ela era próxima, e por fim, Max vai à garagem pegar emprestado algumas ferramentas do padrasto de Chloe, o David.


Mas, no meio da procura, Max descobre um monitor linkado com câmeras de segurança espalhadas por toda a casa... isso mais um monte de provas de que David era obcecado por "segurança". Ela também encontra Armas de Fogo (trancadas em uma vitrine) com uma faltando, e finalmente as ferramentas, voltando pro quarto de Chloe.


No quarto, Max tenta arrumar a câmera mas, não consegue, e Chloe vê a foto da borboleta azul que chama sua atenção pois ela havia visto a mesma borboleta no banheiro antes. Daí ela descobre que Max quem soou os alarmes que salvaram sua vida.




Aproveitando o momento de confiança mútua, Chloe pega uma câmera, a que pertenceu ao seu pai, e da de presente de aniversário a Max.



E ambas começam a dançar e curtir, Max tira foto de Chloe, elas riem, rola um momento bem legal, rola até um baseado, quando David chega e Chloe pede pra Max se esconder.





Mas da merd4, o cara percebe o cheirinho de maconha e chama a atenção de chloe, Max sai do armário, diz que a maconha era dela (pra defender sua amiga) e no fim, é criticada pelo segurança, o que gera todo uma situação tensa, e ele sai do quarto. 





Chloe fica mal depois, mas grata por Max ter assumido a responsabilidade sobre a droga, e ambas saem pra passear, dessa vez para o Farol onde elas iam quando eram crianças. Elas conversam, e Chloe desabafa o quanto odeia a cidade...


Ironicamente, nessa hora Max tem a visão da tempestade e do tornado, além de ver um estranho cervo transparente, que ela segue até o ponto em que o Farol cai...




Depois disso, Max acorda novamente, mas ainda no Farol (já pensou voltasse la pra sala de aula!?) e ela fica feliz por ver Chloe e por ver que era tudo um sonho... Mas à pedidos de Chloe ela começa a contar tudo sobre seu incrível dia e seu poder recém descoberto, e bem nessa hora, começa a nevar, durante um dia muito ensolarado.




Rolam cortes mostrando a galera de Arcadia Bay vendo a Neve com um put4 solzão no fundo e pra encerrar, rola essa cena:





E fim do primeiro episódio.

Meio randômico esse finalzinho né? Eu também achei, e ele só faz sentido no episódio 4. Mas vamos pro próximo...

Episódio 2: Fora de Sincronia

Nesse episódio rola um pouco mais de interação, principalmente com Chloe e Kate, e Max testa os limites de seus poderes (tendo bastante sangramento nasal). 


É aqui que a habilidade de se mover através do Espaço ganha mais destaque, pois Max não apenas precisa rebobinar, mas também Mover Objetos através do tempo e se teletransportar... É um pouco estranho, mas quando Max volta no tempo usando sua mão, ela não sai do lugar, mesmo se tenha saído durante o período rebobinado.


Tipo... ela fica parada, chega a ver seu reflexo interagindo com as pessoa, mas quando ela termina, ela permanece no mesmo ponto em que estava. Isso ajuda ela a chegar a certos pontos e economizar um tempo bem valioso. 


Além disso, ela também pode pegar objetos e mantê-los em seu inventário, e ao voltar no tempo, eles voltam junto com ela, saindo do ponto onde estavam magicamente. Essas possibilidades são exploradas nesse episódio, mas também as Escolhas canham um mega destaque, pois há uma parte da história em que o poder não fica disponível... então o jogador precisa se virar pra não errar na decisão, já que não da pra voltar.

Enfim, bora pra história:

Tudo começa com Max em seu quarto tirando um cochilo básico, ela acorda e lê uma mensagem de Chloe marcando um encontro na lanchonete em que sua mãe trabalha. Então, ela reflete bastante, se levanta e vai tomar banho (aêêê)...


Ela vai até o chuveiro das garotas, e encontra Kate, meio abalada, puxa conversa e a garota pede um livro dela que emprestou de volta.


Daí Max toma uma ducha (mais rápida que todas as demais garotas de la) e nesse meio tempo escuta Victoria e uma amiga zombando de Kate, o que faz ela chorar correr pro quarto. Em seguida escuta elas falando sobre um vídeo viral de Kate beijando geral que a própria Victoria disponibilizou na internet. Ela até escreve o link do vídeo no espelho do banheiro com um baton, que Max apaga depois...


Então Max vai até seu quarto, pega o livro de Kate e devolve. Mas, ela encontra sua amiga depressiva, e puxa conversa novamente, pergunta sobre David e a razão dele ter interrogado ela anteriormente, e depois fala sobre o vídeo, apoiando e confortando a garota. 


Ela era religiosa, sua família tava pegando pesado por causa do vídeo, todos na escola estavam falando dela, e ela tava realmente mal. Pra piorar, ela nem lembrava do ocorrido, só lembrava de ter ido à festa do clube Vortex (clubinho da escola dirigido por Victoria e Nathan, principalmente) ter bebido um pouco, ter passado mal, ter ido pra uma "Sala Branca" que ela achou ser o hospital e posteriormente, ter acordado no dormitório no dia seguinte. O pior, é que quem tirou ela da festa quando ela passou mal foi Nathan Prescott.




Aí Max se prontifica a bancar a detetive a apurar melhor os fatos, investigando Nathan, o clube Vortex e todos os demais envolvidos na pegadinha contra a pobre Kate.





Ela fala com algumas pessoas, faz algumas perguntas, e depois vai ao encontro com Chloe, pois ela já tava bem atrasada.


Chegando la, Max fala com a mãe de Chloe (a garçonete da lanchonete, chamada Joyce) e quando Chloe chega, Max participa de um "jogo" pra comprovar suas habilidades, adivinhando quais objetos Chloe tinha nos bolsos (ela tira tudo primeiro, Max memoriza e volta no tempo dizendo detalhando os itens de Chloe), e também adivinhando os eventos que sucederiam (da mesma forma, ela vê o que acontece nos próximos 60 segundos e volta no tempo, dizendo tudo para Chloe).




Ai Chloe decide levar Max pra um lugar secreto em que ela e Rachel passavam o tempo, um lixão onde ambas treinariam tiro ao alvo com a arma roubada de David (ela tinha pegado escondido e havia mostrado pra Max no quarto). E pouco antes de sair, Kate liga pra Max, mas Chloe pede pra ela escolher quem vai atender e bem, Max prioriza sua melhor amiga, ignorando a chamada de Kate.






Ambas vão pro lixão, Max coleta 5 garrafas de cerveja pro tiro ao alvo, e Chloe dispara, caso erre, Max volta no tempo e diz pra qual direção ela deve mover a arma. Depois, elas brincam de arriscar mais e Chloe atira num carro, dependendo do ponto, pode ocasionar até ricocheteamento da bala e na Chloe se ferindo, mas com Max e seu poder, Chloe nunca se machuca.



Daí, bem na vez de Max atirar, aparece Frank Bowers (o traficante), que chega já na base da ameaça e cobrando uma dívida de Chloe. No meio da briga, Max se envolve e aponta a arma pra Frank, não dispara (mesmo se disparasse o pente tava vazio) e o cara toma a arma, leva como "parte do pagamento" e vai embora, deixando as garotas meio abaladas. 


Mas Chloe gosta do fato de Max ter tentado defende-la e ambas ficam tranquilas novamente, indo pros trilhos do trem perto do lixão pra passear (olha a merd4).


E ai, ambas tem a brilhante ideia de deitarem nos trilhos e pensar na vida... 


Só que pra variar, o pé da Chloe fica preso e ela não consegue sair, justo na hora que um trem vem na direção dela...


Por sorte, Max manipula o tempo e o espaço pra chegar à cabana perto dos trilhos, pegar uma ferramenta, ir até o painel de controle dos trilhos, arrombar ele, cortar um dos fios, ativar o desvio dos trilhos pra liberar o pé da Chloe e por fim, salvar a vida dela. Tudo isso em 30 segundos.




Então Chloe leva Max para a escola, e la, Max fala com todo mundo, como um dia normal, chega a ajudar Warren em sua aula de química, e fala com o professor Jefferson, fala com Nathan e Victoria, e por fim, participa da aula.






Mas, mal começa a aula e um alvoroço do lado de fora chama a atenção de todos, e todos abandonam a sala pra olhar, inclusive Max.



O fato era que Kate estava em cima do prédio, se preparando pra pular, e ela pula.


Max tenta rebobinar o tempo, mas tudo que consegue é fazer a garota suicida voltar pra segundos antes de pular, então, Max força seu poder e paralisa o tempo, ganhando a chance de andar (na hora, ela não pensou direito, e ela podia arriscar e correr, voltar no tempo, correr mais um pouco, voltar, correr, voltar, assim avançando até chegar no prédio, mas ela optou por travar o tempo, o que com certeza ferra com ela).


Ela anda até o topo do prédio e chama a atenção de Kate. 


O poder dela deixa de funcionar, ela fica fraca pra caramba e tenta convencer Kate a não se matar, só na lábia mesmo.


No fim, ela consegue, usando informações que ela coletou quando conversou com Kate no quarto, e convence a garota a não pular. 


Um tempo depois rola uma reunião particular entre o Diretor (gestor da reunião), David (o segurança que deixou o acesso ao terraço do prédio aberto), o Professor Jefferson (professor de Kate que nã opercebeu suas intenções suicidas), Nathan Prescott (o cara que Kate alegou ter sido responsável e motivador de suas ações) e Max (a heroína).


Eles conversam sobre o que houve e buscam por um culpado, e Max é a pessoa quem ganha o direito de fazer a acusação definitiva. Ela diz então que Nathan drogou Kate na festa do Vortex e isso provou os eventos que foram gravados e espalhados pela escola, o que no fim fez a garota querer se matar (porém, ela não tinha provas).


Isso foi o suficiente para fazer o garoto ser suspenso, e ficar muito puto. Mas bem, Max termina seu segundo dia tenso ido se encontrar com Warren e assistir ao pôr do sol...


E daí, um eclipse diurno sem previsão alguma começa.


Daí é mostrado cenas de várias pessoas em pontos diferentes de Arcadia Bay olhando o eclipse, inclusive Chloe, que recebe uma mensagem de Max dizendo que elas vão descobrir que o ta rolando, juntas.


E claro, essa cena...


Fim do segundo episódio.

Legal né? Esses encerramentos meio aleatórios de portfólios de capa vermelha são bem suspeitos, e cara, eu não fazia a menor ideia do que significavam.

Episódio 3: Teoria do Caos

O terceiro episódio já utiliza bastante tanto as rebobinadas quanto os teletransportes, mas o foco principal é outro poder que desperta perto do final: Viajar no Tempo e entre Realidades.


Como se já não bastasse apenas rebobinar o tempo, Max aprende a voltar anos no tempo, através de imagens, e assim, alterar completamente a realidade. Já assistiu "Efeito Borboleta"? Então, é praticamente a mesma coisa (alias, Efeito Borboleta é várias vezes referenciado em Life is Strange, não apenas pelo conceito)...


No filme "Efeito Borboleta" (é uma trilogia, mas só o primeiro presta) o protagonista tem um poder de voltar no tempo ao ler textos sobre suas memórias do passado (e em dados momentos até ao ver vídeo ou imagens). 


Ele foca sua visão e retorna pra quele momento, mas com o conhecimento do presente. 


Ele não pode ficar muito tempo no passado, e também não pode ir muito longe, mas pode alterar eventos, o que causa um efeito borboleta e muda tudo no presente. 


Quando ele desperta e sai do passado, ele retorna direto pro presente, já totalmente adaptado e alterado, e ai as memórias vem com tudo.


Na maioria das vezes as mudanças são tão drásticas que ele se vê forçado a voltar outra vez e tentar corrigir os erros que prejudicaram seu presente, mas algo que o atrapalha é o fato dele receber todas as memórias da outra realidade junto com as memórias da realidade principal. 


Quanto mais o cara viaja, mais informações entram na sua cabeça e bem, ele fica sobrecarregado.


Enfim, Max pode fazer praticamente a mesma coisa, a única diferença é que ela não retem as memórias da realidade nova, apenas do momento que ela alterou. Sua realidade principal, aquela de onde ela partiu, é a única que ela pode se lembrar, e sempre que ela muda algo, acaba sendo forçada a se atualizar quanto aos eventos.


Assim como em "Efeito Borboleta", ocorre sangramento nasal quando os poderes são usados, mas enquanto nos filmes isso ocorria pelo cérebro sobrecarregado de informações, em Life is Strange ocorre por fraqueza mesmo. Max simplesmente força de mais sua cabeça quando força os poderes. Quanto mais poderoso, mais sangue e tontura, então essas viagens no tempo acabam causando ainda mais sangramento que as rebobinadas... mas só quando feitas em excesso. A primeira viagem não causa nada além de uma leve tontura.

Então, bora pra história:

Tudo começa na noite do mesmo dia do episódio anterior, após o eclipse. Max e Chloe haviam planejado sair naquela noite, então ela permaneceu acordada até mais tarde.


Ela anda pelo dormitório, chega a passar pelo quarto de Kate (isolado pela polícia) e tenta sair sem chamar atenção, mas acaba conversando com uma das amigas da Victoria que menciona que ela também ta perambulando pela escola de noite. Ela até aproveita pra fuçar as coisas da Victoria (geral entra facilmente uns nos quartos dos outros, alias, Nathan chegou a vandalizar o mural de fotos de Max... mas belê).


Ela vai pro campus e tenta passar pelo diretor sem ele perceber. Pra variar o cara tava bebaço, devido a suspensão de Nathan e a pressão que ele tava recebendo da família poderosa chamada Prescott. 


Depois de retroceder no tempo e passar pelo Diretor quando ele ta de costas (demorei pra pensar nisso), Max encontra Chloe e ambas conversam sobre seu dia heroico. Além disso, Chloe havia pegado as chaves de seu padastro, logo, ela tinha acesso à toda a universidade, e queria explorar e buscar pistas junto com Max (sua segurança e confiança estava no poder do tempo).


Enquanto elas se dirigiam pra escola de noite, Victoria é vista conversando e flertando com o Mr Jefferson, mas ele da um belo fora tratando-a como criança, e dizendo que não adianta tentar seduzi-lo pra ganhar no concurso de fotografias... 


Então elas passam desapercebidas e entram na escola, indo direto pra sala do Diretor.


Mas no molho da segurança não havia chave pra sala do cara, o que só atiça ainda mais a curiosidade da dupla, então, Max pede ajuda pra Warren por telefone pra fabricar uma bomba, explodir a porta, entrar e rebobinar o tempo, com ela dentro da sala. Assim, ela abre a porta por dentro e faz "Tchan-rã".


Depois de checar os arquivos e descobrir os podres do diretor, envolvimento com os Prescott, e mais algumas coisas tipo um malote de dinheiro destinado aos deficientes que Chloe pensa em roubar (pra pagar o Frank) mas Max impede... 


Chloe pede pra não sair de mãos abanando e convida Max para um mergulho noturno na piscina aquecida da universidade. 


Max aceita é claro, e rola mergulho de biquíni, briguinha de água e um papo meloso sobre Rachel e Warren e o nível de importância deles para cada uma das garotas, bem como a importância de uma pra outra (ambas se amavam).


Depois de curtirem, elas saem, se vestem, e quando vão sair da escola a segurança chega. Então, rola uma jogatina stealth rápida e Max se separa de Chloe pra escaparem.


Depois de escaparem sem serem pegas, elas vão pra casa de Chloe e passam a noite juntas... hehe... aí quando Max acorda, tira uma selfie junto com Chloe e ambas começam a conversar enquanto se vestem... 


Sem ter muitas opções, Max é desafiada a vestir as roupas de Rachel (sim, ela também passava noites na casa de Chloe, e tinha até espaço próprio no guarda-roupas) e como se não bastasse, Chloe desafia Max a beija-la... hehe...


Max beija.


E independente dela beijar ou não, Chloe zomba e diz que vai mandar uma mensagem pra Warren dizendo que ele não tem mais chance alguma, e pra variar, ela faz isso mesmo. Além disso, mesmo se Max não beijar, Chloe diz que sabe que ela beijou pra ver o que acontecia e rebobinou o tempo então ela manda a mensagem assim mesmo. 


Depois de se vestir, Max anda pela casa e fala com a mãe de Chloe, ajuda ela a preparar o café da manhã e quando Chloe aparece, ela usa uma discussão provocada por Chloe para ir até a garagem e fuçar as coisas do David de novo, dessa vez em busca de provas de que ele tava envolvido no desaparecimento de Rachel... tudo ideia da Chloe.


Bem, Max faz isso e descobre no notebook do segurança que ele espionava geral da cidade, mas principalmente Rachel, Nathan, Kate, Chloe e Max. Ela pega alguns documentos e volta pra dar as novas pra Chloe, bem na hora que o segurança Davi aparece e rola uma discussão.


Tudo é posto na mesa e o cara é exposto, Max e Chloe depõem contra ele juntas e no fim, a mãe de Chloe expulsa ele de sua casa. É tenso, mas o cara bem que merecia.


Pois bem, Chloe e Max saem juntas pra procurar mais pistas, e decidem invadir o trailer do Frank. Pra isso, Max é incumbida de tapear o cara no restaurante e de alguma forma pegar suas chaves. Alias, tem pássaros mortos por tudo quanto é lado... só pra constar.


Ela consegue bastante informações da galera do restaurante, até Nathan tava la e acaba "colaborando" e no fim, Frank coloca suas chaves na mesa pra mostrar uma foto de Rachel, Max pega as chaves e rebobina, mantendo ela no seu inventário, sem Frank perceber que sumiu de seu bolso.

 

Daí Chloe pega um osso e consegue distrair o cachorro jogando no estacionamento e ambas exploram o trailer. La, Max encontra, bem escondidos, um monte de fotos e cartas de Rachel e Frank, mostrando que ambos estavam tendo um caso. 


Chloe fica irritadíssima ao descobrir que Rachel "a traia" e elas vão embora. Na caminhonete, Max e Chloe acabam brigando e no fim, Chloe culpa todo mundo por tudo que deu errado em sua vida, inclusive Max, e diz que seu pai foi o primeiro vacilão (ele havia morrido num acidente de carro ao ir buscar a mãe de Chloe no trabalho, pra dar uma carona. Mesmo assim Chloe o culpava).


Então, em seu quarto, Max fica olhando a última foto dela com Chloe enquanto o pai dela tava vivo, que alias foi quem tirou a foto... e ai seu poder de viajar no tempo surge, fazendo ela voltar pro exato momento da foto, em seu corpo de 13 anos.


Ela não pensa duas vezes, e salva o pai de Chloe, impedindo que ele saísse de carro naquele momento, evitando assim o acidente. Ela pega a chave do carro e joga pela janela... ele não encontra e vai de ônibus, simples assim.


Depois de comemorar, Max acorda no presente, ao lado de Victoria, Nathan e o grupinho do Vortex, todos seus amigos nessa nova realidade. Ela vai imediatamente pra casa da Chloe, e vê David como motorista do ônibus escolar.


Além disso, ela repara que várias baleias haviam encalhado na praia de Arcadia Bay, o que era completamente bizarro e incomum, somando-se às aves mortas por toda a cidade.


E no fim, quando ela chega na casa de Chloe, quem atende é seu pai...


E quando ele chama Chloe pra ver sua amiga, dizendo que ela ficaria muito feliz com esse encontro... 


Ocorre essa cena:


E fim.

Chocante né? Max mudou o tempo e salvou o pai de Chloe, mas Chloe sofreu um acidente de Carro, um carro que ela ganhou de aniversario como é mostrado em uma das fotos ao se mudar o tempo... ah é, quando o tempo muda, é mostrado uma foto do antes...


E do depois, respectivo ao mesmo período.


Esqueci de mencionar isso... rs... que alias também é bem parecido com as memórias de "Efeito Borboleta", quando uma substitui a outra, mostrando tudo o que mudou, de uma vez, em fleches.


Legal né?! Bem, próximo...

Episódio 4: Quarto Escuro

Como prometido, o episódio que traz sentido aqueles portfólios vermelhos é esse.


O foco dele está na explicação de tudo, junção de documentos e revelação de consequências por mexer no tempo. Basicamente, tudo que foi feito gera uma consequência agora... e no fim há uma enorme surpresa (eu cai da cadeira).


Há viagens no tempo, há alterações temporais, "teletransportes" e principalmente, diálogos. Mas o que recebe muita atenção dessa vez são os documentos coletados ao longo dos episódios.


Chloe e Max precisam colocar tudo em ordem pra entender o que ta acontecendo, e isso demora pra caramba.

Pois bem, segue a história:

Pois bem, tudo começa com Chloe e Max passeando na praia.


Chloe estava tetraplégica, mas tinha equipamentos bem avançados que permitiam ela se mover numa cadeira de rodas e passear. Ela conversa com Max, até começar a se sentir mal e pedir pra voltar pra casa.


La, a conversa continua. Chloe conta sua história, fala do acidente, fala de como é complicado viver, e demonstra ser uma verdadeira guerreira. Sua família também fazia de tudo pra cuidar dela, seu pai e sua mãe trabalhavam muito, e gastavam tudo o que pudiam pra dar conforto, suporte e segurança a sua filha.


Chloe estava feliz, apesar de numa condição complicada. Max não conta sobre a outra linha do tempo nem sobre seus poderes, mas ela vai ajudando sua amiga, limpa sua boca, da água e no fim, ambas passam a noite juntas assistindo um filme.


Infelizmente, a família de Chloe tava no aperto, e os Price estavam bem endividados, Max descobre isso ao conversar com o pai e a mãe de Chloe, quando vai buscar um pouco de morfina pra injetar em Chloe.


No fim, quando Chloe acorda, ela diz pra Max o quanto adorou seu tudo o que aconteceu e agradeçe por ter lhe dado um dia tão perfeito. Diz que era o melhor momento para partir e que queria morrer com esse dia como suas últimas lembranças. Max fica chocada...


Chloe pede pra Max fazer eutanásia. 


Mas, a garota se recusa, ela não aguentaria ver sua amiga morrendo, e apesar de tudo, apesar da condição dela, dela estar feliz, Max não vê outra alternativa a não ser desfazer a alteração que ela fez.


Ela usa a foto do álbum que ela e Chloe haviam visto e volta pro dia que o pai de Chloe tirou uma foto das duas e deveria ter morrido, e ao invés de jogar as chaves fora, ela deixa elas à vista, chora, e queima a foto.


Com isso, Max se desculpa com a Chloe do passado... 


E a realidade volta, e Max acorda ao lado de sua amiga, no meio das investigações. 


Chloe e Max montaram um mural com todos os documentos recolhidos ao longo da investigação, e cabe a Max montar o dossiê. Alias, Max decide não falar pra Chloe o que ocorreu com a segunda realidade e seu estado caso seu pai sobrevivesse.


Antes de começar a juntar as pontas entretanto, Max e Chloe decidem dar um tempo e ir visitar Kate no hospital.



Lá, não acontece nada de mais, só Kate agradece bastante pela ajuda de Max e menciona o quanto todo mundo ta tentando conforta-la. Até Victoria mandou mensagens legais e motivadoras pra ela, só o Nathan que não fez nada.




Depois disso, Chloe e Max vão atrás de Nathan pra interroga-lo, e no caminho se deparam com o professor Jefferson, que Chloe até tenta paquerar mas, toma um fora. Ele fala que o vencedor do concurso de fotografias será anunciado na Festa do Clube Vortex que ocorrerá de noite, e menciona que ficou chateado por Max não participar, visto que ela tem potencial.


Por fim, elas não encontram Nathan, mas invadem seu quarto, Max invade o quarto alias, enquanto Chloe fica de olho na porta de acesso ao corredor.

 

Ela usa o truquinho de arrebentar a porta sem dó e rebobinar já dentro do quarto. Funciona legal, não deixa rastros e ela pode fuçar tudo. La dentro ela encontra muita coisa, mensagens de Nathan, Rascunhos com Senhas, Fotos, Fotos de Chloe drogada, e-mails comprometedores, Um Celular Velho Escondido, enfim, de tudo, daí ela volta pra Chloe.


Max entrega tudo que encontrou de importante pra Chloe e Nathan aparece, começa a criar caso quando Warren aparece, e cara... Nathan toma uma senhora surra do jovem garoto com o olho roxo. 


Ele apanha muito, e fica chorando no chão, encolhidinho, parecendo um filhote de cachorrinho, chega a dar pena... 




Então Max reverte o tempo e deixa Warren dar só alguns chutinhos, impedindo que Nathan chegasse ao estado deplorável que ele chegou na outra realidade (rs, eu senti pena do riquinho).




Depois disso, Nathan corre pra um lado, gritando que geral ta ferrado, e Chloe, Max e Warren pro outro, felizes por Warren ser tão fod4. Ele nem acredita do que foi capaz e bem, fica felizão. Depois disso até bateu uma vontade de dar mole pra ele mas, Max já tem um time definido.




Então, as garotas vão investigar o último envolvido, Frank, e marcam encontro com ele na praia (a mesma em que Max passeou com Chloe no outro tempo). O problema é que pra marcar o encontro Chloe mente que tem o dinheiro que ta devendo, ciente que seria complicado explicar isso pra ele, mas elas vão.




Quando Frank atende, rola um longo diálogo, e cara, qualquer coisinha que Max ou Chloe disserem errado pode resultar em morte ou em alguém muito ferido. Por sorte, Max é cautelosa, tenta não falar nada que indique que elas já estiveram dentro do Trailer, ou que sabem algo sobre o envolvimento de Frank com Rachel. 




Daí, depois de se certificarem que o cachorro de Frank não vai sair e arrancar a perna de Chloe fora, ou que Frank não vai tentar atirar nelas com a arma de David, Max finalmente consegue convence-lo a colaborar na investigação do paradeiro de Rachel. O cara tinha uma lista de clientes, pra quem ele vendeu drogas, codificada, e ele confia essa lista às meninas, após perceber que elas realmente queriam encontrar Rachel.




Frank se torna um aliado, e chega até a mandar mensagem no celular de Max posteriormente, desejando sorte e oferecendo apoio. Aliais, o cara chega a devolver a arma pra Chloe.


Daí as mocinhas vão pro quarto montar o bendito dossiê.




3 horas depois, todas as pistas são unidas corretamente e finalmente, elas sabem o que houve: Nathan foi o último a se encontrar com Rachel que vendia drogas junto com Frank nas horas vagas. David haviia seguindo todo mundo da cidade, incluindo Nathan, e sabia hora e coordenadas de onde ele havia estado durante suas transações suspeitas. 




Com base em fotos de carros e as coordenadas, mais o código e as mensagens no celular velho de Nathan que Max encontrou no quarto dele, as garotas descobrem que um Celeiro pertencente à família Prescott foi o último local em que Rachel e Nathan foram vistos.



E ai rola a viagem, pra um local desconhecido e sinistro, aparentemente abandonado mas com rastros e marcas de visitas recentes. 




As garotas investigam, exploram, e Max encontra uma porta metálica no chão, que ela abre usando seus truques de teletransporte temporal pra destruir um cadeado... 




E ai elas encontram uma escada sinistra, que elas descem e encontram uma porta com trava codificada, que um dos rascunhos de Nathan consegue destravar...




E por fim, elas encontram um quarto. Na verdade era um búnquer com suprimentos e tudo mais, mas com uma sinistra divisão com televisão, impressora de ponta, quadros bizarros, e uma sala pra fotografias.


E ai, o local claro lembra bastante a descrição de Kate quando ela foi levada por Nathan, drogada. E na hora que as mocinhas encontram os Portfólios Vermelhos, as peças se encaixam completamente...


Tratava-se de um local feito pelos Prescotts para Nathan se divertir com vítimas recém coletadas da universidade. Ele pegava garotas, fotografava usando sua técnica monocromática e por fim, as descartava. 


As provas estavam dentro dos portfólios, tinha um de Rachel, um de Kate, e um vazio de Victoria: Ela era a próxima vítima. 




Mas, Chloe não perde tempo e percebe que o local da última foto de Rachel com Nathan, drogada, era conhecido, o lixão, e ambas vão pra la, tentar encontrar a garota de uma vez...


E elas encontram.


Rachel estava morta e enterrada la mesmo, no lixão.


Chloe chora muito, e quando se recupera, sai enfurecida, armada com a arma que Frank devolveu, pronta pra matar Nathan. Ela não queria levar o caso à polícia, pois acreditava que ele se safaria de alguma forma e a essa altura do campeonato, ela tava completamente descontrolada e queria vingança.


Elas vão pra festa do clube Vortex na universidade e procuram pro Nathan Prescott. Logo na chegada, Warren tira uma selfie com Max (isso é importante) e ele tava bêbado pacas. 




Max tenta avisar o máximo de pessoas possível sobre o perigoso Nathan e no fim, ela não encontra o rapaz. Ele não estava na festa. Mas ela consegue pelo menos avisar Victoria que ela seria a próxima, e a mesma da o braço a torcer pois no passado, quando caiu tinta no cabelo dela, Max não zoou (viu! gentileza gera gentileza...)


E aí, Max e Chloe se juntam novamente e são paradas pelo professor Jefferson, que diz que não viu Nathan, e que anunciaria o resultado do concurso que Max não participou.


Pra surpresa de Max, o vencedor foi Victoria, que faz até dedicação à Kate.


Mas Chloe continuava irritada e ela vai embora. 





No caminho, as garotas recebem uma mensagem de Nathan dizendo que ele apagaria as provas, e elas correm imediatamente pro lixão, pra proteger o corpo de Rachel, a prova principal.



Mas o corpo continuava la. Na hora que Chloe abaixa pra verificar, uma seringa é inserida no pescoço de Max, fazendo ela ficar fraca e cair no chão.


Os poderes dela não funcionam e ela mal consegue falar, mas fica acordada tempo suficiente pra ver Chloe reagindo à quem a drogou...



E tomando um tiro na cabeça.


Chloe morre em cima do túmulo de Rachel.


E Max desmaia...



Mas a surpresa não é essa... a surpresa é quem havia atirado:


Fim do quarto episódio.

Eta... nessa hora chegou a me arrepiar. Eu não entendi nada... o Mr. Jefferson era vilão!?

Episódio 5: Polarizada


E chegamos ao episódio final. Nele, todos os elementos de todos os episódios se juntam, ao extremo. É como se o jogo ficasse no modo hard de viagens no tempo, transações/teletransporte, negociações/diálogos, rebobinagens e até stealth. 

Esse é o episódio que serve pra explicar e encerrar a história... e cara, acho que é o episódio mais longo e complexo de todos.

Rola até um momento "Silent Hill". Eu chamo assim sempre que a realidade é substituída por psicologia pura e distorcida. E isso acontece bastante no final desse episódio.

Max enfrenta pessoalmente suas escolhas, e seu poder. Você entenderá com a história.

História final então, go!

Tudo começa com Max acordando presa à uma cadeira no maldito quarto de fotografias/búnquer, desesperada e confusa.


Ela consegue soltar sua perna e puxar uma mesa pra perto, onde encontra uma foto dela mesma, totalmente dopada, que ela utiliza pra voltar no tempo.


Ela se acorda num estado completamente dopado, fraca e sem nem conseguir se mover, e o maldito Jefferson tirando fotos dela em seu momento de desespero. 



Ele explica tudo o que é preciso ser explicado: Ele e Nathan eram como "pai e filho" e o garoto queria ser como ele, daí ele sequestrou Rachel, e imitou a arte de Jefferson, porém, ele exagerou na droga usada pra relaxar Rachel e ela morreu de overdose. Então, o próprio Nathan descartou o corpo, e Jefferson ficou puto com ele. Ele também conta que matou Nathan já, e que logo se livrará de Kate também, pra acabar com todas as pontas soltas.


Daí Max consegue mexer sua perna o suficiente pra derrubar a drogas na mesa de arquivos, o que muda levemente o curso do tempo.


Isso é faz com que Victoria apareça dopada ao lado de Max.



Então Max tenta acama-la (ao que parece, sem droga suficiiente, Jefferson não conseguiu terminar seu trabalho com Victoria, o que a fez sobreviver até Max acordar. Sim, ela já tinha sido morta). Então, ela puxa a mesa novamente e encontra mais uma foto, só que agora com ela um pouco mais acordada (sem droga, o cara não tinha como dopa-la).


Voltando no tempo outra vez, Max escuta mais do que o fotógrafo psicopata pensava, enquanto bolava uma forma de escapar.


Ela vê seu diário, e lembra que nele tem fotos dela, daí pede pra Jefferson deixa-la ver pela ultima vez. O cara atende seu pedido... 


Sim, ela volta no tempo, dentro da volta no tempo, usando a selfie que ela tirou em sala de aula, no começo do jogo. Ela acorda na aula, e já bola uma forma de se salvar: Ela pega o celular e manda uma mensagem pro número do segurança David (usando um panfleto da escola que tinha o tal número), informando sobre o búnquer, o corpo de Rachel e o envolvimento de Jefferson e Nathan.


Ela consegue enviar e deleta a mesnagem para que Jefferson não descobrisse...



E após esse pequeno feito, ela conforta Kate que já tava meio deprê na época e ameaça Jefferson, jogando indiretas e bem, o cara nem imaginava que ela já sabia de tudo. Mas, Max faz questão de entregar uma foto pro concurso... 


Quando a viagem termina, os eventos permanecem os mesmos até o final do segundo episódio (o passeio nos trilhos rola), mas ai Jefferson e Nathan são presos e o corpo de Rachel é encontrado e devidamente sepultado.


Pra variar, Max vence o concurso ao invés de Victoria.


E ela acorda no avião, acompanhada pelo Diretor, indo pra exposição em San Francisco.



E ai ela acorda novamente (afinal era uma viagem temporal dentro de outra viagem temporal) e ela aparece já na exposição, curtindo a glória de ser reconhecida por todos.


Então, tudo terminou bem, fim... né?!


Nops, o tornado ainda existia. E Max tem visões dele pouco antes de receber uma ligação de Chloe, confirmando que a cidade tava sendo varrida naquele exato momento.




Ela não pensa, ela não sabe o que fazer, então usa seus poderes na foto do concurso mesmo... voltando pro dia que tirou a foto vencedora. 


E aí começa a corrida, pois por mais que Max possa viajar pro passado, ela sempre acorda no presente. O tempo não para de correr pro seu "eu real" e ela perde os eventos entre a mudança e o resultado final de seu presente atual. Resumindo, ela tinha que bolar um jeito de evitar o tornado antes o mais rápido possível.


A ideia que ela tem é simples: Ela rasga a foto do concurso.



Só que ai os eventos mudam drasticamente, pois o diário de Max só foi mantido por Jefferson por causa dessa foto. Sem ela, o cara menosprezou o diário e tacou fogo antes dela pensar em pedir pra olhar as fotos pela última vez.



Ou seja, ela volta pra cadeira... e agora ao mesmo tempo em que o tornado chegava.




Daí o psicopata maldito decide matar Max de uma vez, pois percebe o sangramento nasal e imagina que ela tava morrendo já, por overdose. E Max precisa aguentar o máximo possível até descobrir uma forma de sair dessa situação.



Pra sorte de Max (haja sorte viu) bem na hora que a picada ia acontecer, Jefferson escuta um barulho do lado de fora e vai verificar... Era David, que apesar de ter demorado pra descobrir o búnquer por meios normais, ele descobriu e chegou a tempo de salvar Max... 


Mas Jefferson consegue rende-lo e mata-lo, daí cabe a Max bolar um jeito de ajuda-lo, gritando e orientando-o da forma correta. No meu caso, eu gritei pra ele se defender do primeiro ataque de Jefferson, depois gritei pra ele usar a garrafa pra impedir os golpes de Jefferson e quando o professor corre pra pegar uma arma e disparar contra David, puxei o fio do iluminador ao lado esquerdo de Max, o que distrai Jefferson e ajuda David a atordoa-lo (eu demorei mais ou menos 1 hora pra isso kkk)



No fim, David salva Max (ele diz que ela a levou até la, provavelmente ele diz isso por causa de toda a investigação, não da mensagem, já que a primeira viagem não pôde acontecer sem a existência da selfie que Jefferson queimou).


Daí Max resume a ópera, e David fica pasmo com toda a história, lamentando não ter percebido tudo isso antes. Então, pra variar, ele diz que vai se desculpar com Chloe por tudo que ele fez, e vai começar a buscar ser um padastro melhor... é quando Max conta que Chloe já tava morta, e que Jefferson a matou. 


David fica tão puto, tão irritado, tão fud1do, que da um tiro na cabeça de Jefferson, lamentando por não ter protegido quem ele jurou proteger.


Max corre pra tentar encontrar alguma foto com ela que permitisse voltar e salvar Chloe, e bem, ela lembra da selfie que Warren tirou quando tava bêbado. Ela liga pra ele, e ele diz que ta no restaurante, no meio da tempestade, e que a coisa tava feia pra k7.


Mas Max vai assim mesmo, e é um momento bem apocalíptico, gente morrendo, casas explodindo... a coisa é feia. O jogo até te permite tentar salvar algumas pessoas mas, eu pensei "Pra quê?" e só salvei Warren pra poder pegar a foto mesmo, pois o restaurante onde ele, Frank e a mãe de Chloe estavam abrigados iria explodir por causa de gasolina vazada combinada com fogo... 



Max impede a explosão jogando areia na trilha de combustível e encontra Warren, explica rapidamente tudo o que tava acontecendo, revelando também seu poder sobre o tempo. Isso faz Warren perceber que todo o apocalipse era uma consequência das viagens de Max, e ele a convence disso. Diz que isso é a chamada Teoria do Caos, e que por mais que a garota quisesse impedir o tornado, ela não poderia sem impedir a si mesmo de usar os poderes. Simples assim. 



No fim ele espera um beijo de Max ao dar a foto, mas eu dei um abracinho e ta de bom tamanho.



E aí Max usa a selfie.




Ela não perde tempo, e conversa com Chloe, diz que deu muita merd4 no futuro, que Jefferson e Nathan estavam juntos na psicopatia e que o real problema era o Professor Jefferson. Ela também diz que Nathan já tava morto, e a mensagem que ela receberia no futuro era de Jefferson se passando por ele. 


Chloe entende sua amiga, percebe o quanto Max tava abalada, e promete que irá até David para entregar Jefferson de uma vez, bem como todas as provas. 


Daí Max, sabendo que quando acordará já estará no meio da merd4, pede pra Chloe explicar e atualizar tudo o que ocorreu após esse evento. E ai ela acorda... 


Tornado ao fundo, destruição rolando, e Max fica feliz de mais por ver sua amiga viva no presente.




Daí Chloe atualiza Max, diz que David e os policiais encontraram o corpo de Rachel e o Búnquer, prenderam Jefferson e Nathan, e pouco tempo depois começou a tempestade, com o tornado arrasando Arcadia Bay. E ali estavam elas, felizes, vivas, perto do Farol que era um ponto seguro, mas o tornado ainda tava girando. Daí, Max começa a passar mal e Chloe a pega pra levar até o farol.


Max desmaia e acorda na escola, na aula do Jefferson onde tudo começou... 


E ai começa o modo Silent Hill. Primeiro, um monte de aves se chocam contra as janelas, fazendo uma lambança de sangue, que ninguém na sala parece se importar, enquanto o professor fala e insinua suas reais ações e intenções, praticamente ameaçando a turma.


Daí todo mundo some.


Daí ela vê documentos e fotos de todo mundo morto, e Jefferson aparece, provocando, ameaçando, como se o que ele fizesse fosse normal, e Max não tem respostas negativas ou repulsivas a isso, apenas declarações de sentimento mútuo e amor...


Daí ele some, Max sai da sala e ao passar pela porta, surge no corredor do dormitório feminino... com Kate ao fundo velando por sua própria morte...


Depois de chegar perto, ela aparece por todo o canto, culpando Max por tudo que aconteceu à ela... 


Ai ela abre a porta e cai, como se tivesse pulando do prédio...



Então Max entra num lupe sem fim pelo corredor do dormitório. Qualquer porta que ela abra leva ela pro começo do corredor.


Quando ela entra no quarto que pelo mapa correspondia ao antigo quarto de Rachel, ela reaparece no corredor, porém vestindo as roupas de Rachel... e  um monte de cartazes de Rachel desaparecida aparecem ao longo do corredor...


Ai ela entra no quarto de Victoria, e ela vira a Victoria, ainda presa no lupe. Alias, esqueci de mencionar que o tempo todo ocorrem sussurros dos diálogos ao longo do jogo como som ambiente. Só imagina o climinha gostoso. 


Nas paredes há pichações destinadas a Victoria e Rachel, algumas ofensivas, outras não... e cara, tem baleias mortas do lado de fora do prédio, que vão aparecendo em maior número e mais dilaceradas a cada versão atualizada do corredor.


Quando Max entra no quarto que seria o de Victoria, ela volta a ser Max, e o corredor parece enfeitado com suas fotos, como seu mural.


Na janela do corredor também aparecem Esquilos, gigantes, que Max pode até fotografar se quiser... agindo naturalmente alias.


Por fim, ao entrar no quarto que seria o de Max pelo mapa, ela aparece no corredor principal da universidade, com tudo normal, porém, invertido.


Todos falam invertido, todos os eventos ocorrem invertido, e como ocorreram no começo do jogo, mas de trás pra frente. Até os nomes aparecem invertidos.


Quando ela entra no banheiro feminino pra encontra Chloe, ela aparece em uma versão distorcida da exposição de arte de San Francisco, com Jefferson procurando por ela com uma lanterna. Ela precisa andar no modo stealth, sem ser pega... e conforme avança...


Ela chega a um salão com um Farol girando que na verdade é o Diretor de Blackwell, também atrás dela (se alguém a ilumina o jogo pede pra rebobinar), e ela se protege ficando atrás de quadros grandes com as fotos de Jefferson e Nathan.


Daí mais rapazes aparecem, vários, Nathan, David, Warren, etc. Todos caçando Max, numa versão distorcida dos cenários visitados ao longo do jogo, escola, pátio, banheiro, enfim, tudo misturado.


Max precisa pegar 6 garrafas e fotografar... e ao fazê-lo elas estouram.


Daí ela senta num banco de praça, e começa a refletir...


Ai começa a nevar, e ela se vê dentro de um globo de neve na lareira da casa de Chloe... 


Sendo observada por ela mesma do passado, na hora que queimou a foto pra impedir que ela impedisse a morte do pai de Chloe.


Aí Max recebe mensagens no celular de pessoas que normalmente não mandariam mensagem, por estarem mortas ou nem terem seu contato, até o cachorro de Frank manda mensagem...


Todas as mensagens são estranhas e depressivas...


E no fim seu diário também aparece todo esquisito.


Aí ela aparece presa na cadeira de novo...


Mas agora ela estava de pijama, e  Chloe aparece de pé, sendo fotografada por Jefferson.


Enquanto fala mal dela, depois ela aparece ao lado de Warren, também falando mal dela, e finaliza com um beijo.


Depois aparece com Nathan, sentado no sofá, também falando mal de Max. 


Ai ela aparece semi nua dançando...


Depois sentada com Victoria, e a beijando (só faltava aparecer todo mundo se pegando).


Depois ela aparece tetraplégica, reclamando da vida.


E por fim, ela aparece fotografando Max, enquanto solta frases de desprezo.


Aí Max acorda no banheiro do restaurante, trancado por senha, com várias e várias senhas aparecendo escritas na parede, mas somente a verdadeira aparecendo no reflexo do espelho...


Quando ela sai, ela vê todos os habitantes de Arcadia Bay no restaurante, parados no tempo, porém sussurrando frases como "Você vai mesmo nos matar?", "Vale a pena trocar todas essas vidas pela dela?", etc...


Ela encontra ela mesma sentada, e começa a conversar. Ela diz um monte de merd4, chama ela de fraca, de covarde, diz que ela é falsa, que ela tenta ser amiga de todos mas na real é egoísta... é bem tenso.


Daí Chloe aparece e começa a defender Max, contra Max, e a Max de pé desaparece e o jogador vira a Max sentada, a crítica, que começa a ouvir um monte de Chloe.


E aí vem a parte final dessa loucura. Max passa por todos os momentos que esteve ao lado de Chloe.


Ela assiste de longe, absolutamente tudo, evento após evento, falas seguidas de falas...


E depois de ver tudo pelo que ambas passaram juntas...


Até mesmo no passado...


Em todas as realidades e linhas de tempo...


Max se vê ao longe sendo carregada por Chloe rumo ao Farol, e ao se aproximar, ela acorda nessa exata situação.


Sim, tudo isso foi só durante esse período de desmaio, e ela acorda em meio a tempestade.


Então, Max conversa com Chloe sobre tudo o que aconteceu, sobre ser a culpada pela tempestade, sobre tudo. E depois de bastante conversa, Chloe diz que Max pode impedir o fim de Arcadia Bay se quiser, e tira a foto da borboleta azul do bolso.


Chloe diz que se tudo começou por ela ter sobrevivido àquele dia, com Max tendo de usar seus poderes, a única forma de impedir o tornado seria voltando pro dia da foto e deixando o destino seguir seu rumo. Ela havia passado por quase morte, e morte, várias outras vezes depois daquele dia então, era de se esperar que sua morte fazia parte do destino. E ai surge a decisão final: Chloe ou Arcadia Bay?


Heh... eu decidi salvar Chloe e mandar a cidade à merd4... na primeira vez, e até que não foi um final tão ruim, só todo mundo morreu, menos Chloe e Max. Talvez houveram outros sobreviventes porquê não!? Sei que Warren, a mãe de Chloe e Frank morreram, pois explodiram no restaurante, mas, quem sabe né...!?


Chloe e Max passeiam de caminhonete após a tempestade e passam pelos destroços e corpos... da pra ver alguns cervos na cidade (depois falarei disso)...


E por fim, as garotas saem vivas, juntas, das ruínas de Arcadia Bay.


Rumo à vida... a vida é estranha.


Fim...

Quem me dera.

Curioso pra saber o que ocorreria se eu decidisse salvar Arcadia Bay, eu fiz a besteira de iniciar um final alternativo, é uma possibilidade do jogo, não interfere nas escolhas (também é possível apagar as escolhas partindo do ponto que o jogador escolher, mas achei mais seguro assim) e bem, eis o final alternativo, o final número 2:


Max escolhe voltar no tempo e não fazer nada, com isso, Chloe se despede com um beijo.


Max usa a foto da borboleta e volta ao início de tudo, senta, e escuta Chloe ser morta.


Com o corpo de Chloe caído no chão, Nathan se desespera, checa o corpo várias vezes e percebe que ela tava morta. Daí...


A morte no banheiro rende a prisão de Nathan, pego no ato.


Nathan é interrogado e acaba confessando o assassinato de Rachel também, além do envolvimento de Jefferson.


Jefferson é detido também.


David e Joyce entram em luto junto com Max por Chloe.


Max fica mal, muito mal...


Joyce da várias fotos de Chloe pra ela...


Ela passa a observa-las, desejando retornar mas, sem poder.


Daí ela perpetua o luto.


Max lamenta a morte de Chloe sem dizer uma só palavra.


Ela e mais uma galera de Arcadia Bay vão ao velório.


Até Frank e seu cachorro vão prestar seus respeitos...


E por fim, a borboletinha azul.


Pousa no caixão na frente de Max, enquanto ela chora...


E essa é a expressão que ela faz enquanto a cena escurece... like Monalisa.


E fim(2).

Eu confesso, talvez você esteja enjoado de tanto ler mas, eu chorei pra caramba com esse segundo final, mesmo sabendo que no meu gameplay, ele não era o real.

Fiquei com ele remoendo minha mente e cara, foi tão chocante e impactante pra mim quanto o final de Efeito Borboleta e Titanic. Entrou pra um dos finais de enredo que mais me fizeram chorar, fui dormir malzão e bem, fiz esse post.

Agora, pra encerrar, vem minha teoria de qual final é real, e porquê.


Acredito que o final de salvar a Chloe seja o correto, e mesmo salvando Arcadia Bay, creio que Max voltaria no tempo pra salvar Chloe e Arcadia Bay.


Bem, se ela salvar Chloe, o tornado aparece, e é inevitável, mas nada impede que Max avise os moradores de Arcadia Bay para saírem da cidade antes do evento ocorrer. 


Ela inclusive faz isso com um dos moradores, uma moradora de rua, que é também o único personagem que o jogo permite avisar (e é completamente opcional).


Avisando ela, no dia do "apocalipse" quando Max ta correndo contra o tempo e passa pela cidade toda ferrada, a moradora de rua não aparece morta (no caso de não avisar, ela aparece morta). Ou seja, é possível tirar os moradores da cidade e salva-los.


Como há vários eventos estranhos que precedem o tornado (neve, eclipse, lua dupla... há é eu não falei disso, mas aparecem duas luas no episódio 4) Max poderia facilmente usar isso pra se passar por "profeta" e convencer o máximo de habitantes a deixarem a cidade (quem sabe até contratarem uma asseguradora).


Fazendo isso, Max salvaria as pessoas da cidade e Chloe, e só a cidade em si seria devastada (que é justamente a opção, sacrificar Arcadia Bay, não os Moradores de Arcadia Bay).


No final em que Max deixa Chloe morrer, aparece a borboleta azul, que também apareceu no começo da história, e foi quem gerou os poderes de Max (fica subentendido isso). Ainda por cima, tem aquele sorriso disfarçado do final, que sugere que Max teve tal ideia. Ao menos seus poderes permanecem ativos... 




Outra coisa, os poderes de Max não são limitados como ela acredita. Ela não corre o risco de deixar de poder mexer com o tempo do nada, e isso fica claro no final do jogo onde ela faz muitas alterações em tempo recorde. Porém, tiveram os 2 momentos que Max não pôde contar com seus poderes, e o que tem em comum entre eles é a fraqueza e exaustão física de Max.

No primeiro evento (impedir o suicídio), ela tinha abusado do poder e estava cansada, por isso ela não consegue usar de novo (também, ela manteve o poder ativo por minutos, e ele tem um limite de segundos). Mas o poder voltou a funcionar normalmente depois.


No segundo (emboscada no lixão), Max foi dopada e não conseguiu salvar Chloe do tiro na cabeça. Pois é, ela tava drogada, fraca, o poder não se manifesta assim. Mas quando ela se recupera o poder volta normalmente.


Ou seja, desde que ela não enfraqueça, ela é livre pra mexer no tempo quantas vezes e como quiser, desde que não exagere se não ela tem que descansar. Não seria impossível ela voltar no tempo e avisar o máximo de pessoas possível. Alias, ela tem até uma amiga jornalista que manda mensagens, ela podia confiar a história a ela, e colher os frutos.



Enfim, isso é o que eu penso. 

Os Cervos


Sabe aquele cervo transparente que Max vê? Ele aparece várias vezes no jogo, inclusive no lixão, que Max segue mas, não da em nada.


Pois bem, quando Chloe e ela encontram o corpo de Rachel, esse cervo aparece como se estivesse grato e desaparece. 


Pois é, ele era Rachel, ou pelo que eu entendi, a personificação animal e espiritual de Rachel, que estava esperando que seu corpo fosse encontrado e justiça fosse feita.


Esse esquema espiritual é citado por um dos personagens secundários, um zelador meio esquisito que ama animais. Ele chega a dizer que o cervo é o animal espiritual de Max quando ela relata suas visões, mas na verdade era o de Rachel, um animal sagrado ligado ao destino de Rachel.


Porém, lembra que no final 1 da pra ver 3 cervos passeando pela cidade?! Pois é, creio eu que eles eram animais espirituais de moradores da cidade. Parece meio forçado, eu sei, mas seria o estopim pra uma nova busca por justiça. 


Eles não aparecem foscos nem transparentes, mas nada impede que sejam espíritos, pois faz mais sentido do que animais indo pra uma cidade recém destruída lotada de corpos, e eles aparecem bem distante, se estivessem transparentes seria impossível de ver. Além disso, na primeira vez que Max vê um cervo, ele aparece bem sólido... como se ao passar do tempo ele se esvaísse pouco a pouco, se tornando transparente. Os animais de Arcadia Bay estariam na mesma situação pois suas mortes eram recentes, semelhante a morte de Rachel no inicio do jogo.


Enfim, creio eu que Life is Strange seja um jogo completo e sem necessidade de uma continuação pra conclusão do enredo, mas também acredito que a história continua além disso, muito além disso... e todas as lágrimas derramadas foram em vão pois Chloe sobrevive em ambos os finais... ela tem que sobreviver T_T.


E é isso.


Obrigado pela leitura, obrigado por tudo. Eu sei, ficou longo pra caramba, mas acho que esse formato pra contar as histórias episódicas ficou até que bem interessante. Vou ver o feedback e se esse post for melhor recebido que os de TWD, eu vou adotar esse formato pra todas as análises episódicas.

See yah!

7 comentários:

  1. Sempre que vejo alguém jogar esse jogo essa pessoa me diz que chorou(até mesmo um amigo meu que não chora com filme onde tem um cachorro que morre no final,ou seja,alguém sem coração),acho que estou perdendo algo por não ter jogado ainda...
    Enfim,recomendo muito um jogo que também é um filme interativo chamado Heavy Rain,a história é mais pé no chão e tem menos interação(não tem viagens no tempo e tudo mais,mas a visão é isométrica então é bacana),mas se curte história de investigação vai gostar desse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu demorei muito pra jogar Life is Strange, quando comecei a jogar foi pra zerar (eu to colocando wallpapers dos jogos e filmes que preciso terminar pra me estimular e ta funcionando) mas eu perdi bastante tempo, pois é um jogo maravilhoso.

      Heavy Rain... eu queria jogar... mas não tenho PS3 ou 4. O emulador, RPCS3 ta indo muito bem, já ta emulando uma lista decente de jogos (naruto ta perfeito já) mas acho que jogos mais complexos ainda vão demorar então, por hora não da. Eu to jogando The Last of Us no PS4 do meu amigo (alias eu deveria ter ido la zerar ontem mas, foquei na analise) e ele não tem Reavy Rain então... =/... mas quando eu tiver a oportunidade vou jogar... vlw o toque sr Will.

      Excluir
  2. Eu não podia ter ler e simplesmente deixar... Tenho que falar... (Tá ficando chato? ._.) Joguei Life Is Strange e ele tem de tudo um pouco do que gosto. Músicas boas pra tirar o estresse, uma ótima historia, etc, etc, etc... Só quero parabenizar pelo excelente post (já era de se imaginar) rico em detalhes, rico em tudo.
    Vou deixar o comentário bem certinho pra não ficar com fama de bajulador. Até um próximo post. :b

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Walber, nem grila, que comentários só aumentam minha moral e me motivam a continuar postando. Significam que tem gente lendo! E se curtem, melhor ainda. Eu fico esperando por algum comentário só pra poder responder, de tão bom que são!

      Então, por favor, se leu e gostou, manda ver, eu responderei com um sorriso de orelha a orelha.

      Te juro que Life is Strange foi um dos jogos que marcaram minha vida, pelo conjunto todo, mas ainda mais pela trilha sonora. Acho que é o ponto mais forte do jogo.

      Vlw sr! E see yah.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Erros
    *ter (desconsidere)
    *certinho = curtinho
    E eu não sabia que teu nome era Max. :b

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr, errar é comum e eu consigo entender, não grila. Mas vlw pela correção de qualquer forma rs. Eu lamento por ter desabilitado a edição de comentários, foi um efeito colateral quando bloqueei o blog pra cópias (tinha gente repostando meus artigos... fiquei 100% putaço kkk). Por isso, não se preocupe com erros gramaticais, é normal.

      E sr, sim... um dos meus nomes é Max.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+