PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

AnaliseMorte: Darksiders, um Hack&Slash melhor que GoW.

Um jogo, muito bom, que me surpreendeu, e que eu queria jogar faz anos, mas nunca consegui:

Darksiders, Wrath of War




Então, bora?
"E saiu outro cavalo, vermelho; e ao que estava assentado sobre ele foi dado que tirasse a paz da terra, e que se matassem uns aos outros; e foi-lhe dada uma grande espada." - Apocalipse, capítulo 6, versículo 4. Tem spoiler.
Boa leitura!
Este é um jogo do gênero que eu simplesmente venero: Hack&Slash.


O jogador só precisa apertar os botões, meter espadada e tiros o mais rápido possível estraçalhando hordas com combos e mais combos. É lindo!

Existem várias obras primas com esse estilo, dentre elas destaco Devil May Cry, onde em todos os capítulos da saga, esse é o gênero abraçado. Apesar de normalmente jogos assim serem voltados pra violência, o que os classificaria como do gênero "Ação", isso não transforma o "Hack&Slash" num sub-gênero, pois normalmente cada H&S tem seu próprio sub-gênero como "Puzzle", "Estratégia" e até "RPG", o que são gêneros, mas viram sub-gêneros pois são apenas secundários no jogo. Doidera né (você entendeu???)? O que importa é que é um formato muito legal, em que o jogador tem liberdade pra lutar da forma que quiser, causando diferentes mortes para cada vítima dentre as multidões, com movimentos diversos e variadíssimos.



Sabia que o esquema dos "combos" foi originalmente apresentado em jogos de Luta? E pensar que Hack&Slash tende mais pro lado da Ação do que da Luta... doidera mesmo não? Se parar pra pensar, todos os jogos tem um pouco do estilo uns dos outros, acho que isso é o que torna eles tão incríveis.

Enfim, eis Darksiders, tal qual inicialmente parece apenas uma versão genérica de God of War (outro jogo do mundo do H&S). Mas digo isso apenas pelas semelhanças superficiais, tipo a forma dos combos, ou a violência em excesso, ou apenas o fato do protagonista querer matar geral. Porém...

Darksiders e God of War são bem diferentes! Talvez não na jogabilidade, mas sim na história.

Aliás, que tal eu variar um pouco? Vou contar a história de Darksiders agora, e depois analiso, o que acha??? (Perguntas retóricas, mas se não curtir esse formato, ta com cores diferentes, é só pular la pra baixo e depois subir de novo).

Darksiders


Era uma vez... ta ta, sem isso...

Tudo começa com o Apocalipse, onde os Anjos e os Demônios tão quebrando o pau no meio da humanidade. Cidades inteiras arruinadas pelos vários Penudos e Capetinhas caindo como meteoros por sobre a Terra, e metendo a faca uns nos outros.


A raça humana? Ta no meio da pancadaria, correndo, gritando, morrendo. Tem até uns policiais que tentam fazer alguma coisa mas... né... 


Então, surge ele, o Guerra! Quem seria ele? Simplesmente um dos Cavaleiros do Apocalipse, responsável pela guerra causada durante o Apocalipse (daí seu nome, que originalmente é "War" mas traduzindo, vira "Guerra").


Guerra senta o rodo em todo mundo, espanca geral, Anjo, Demônio, Humano, não importa, ele apenas vai matando. Seu objetivo é simplesmente espalhar e perpetuar a guerra entre as raças. Entretanto, havia uma regra pro Apocalipse começar...


Os 7 Selos, que simbolizavam a ordem entre as raças, deveriam ser quebrados, para só então, os Cavaleiros do Apocalipse surgirem, e ai sim, o mesmo começaria, onde os Anjos e os Demonios ganhariam carta branca diante o Conselho, para matar uns aos outros, e levar a Terra as ruínas. Esse seria o momento do Fim do Mundo... pelo menos para os homens (e mulheres... nesse caso "homens" se refere a raça humana geral... sei la porque falam isso, acho até meio machista, mas preciso variar nas palavras se não fica chato... explicação desnecessária né? Desculpa rs).


Então, Guerra chega até um Anjo muito poderoso, que quando olha pra ele grita "Mas o sétimo Selo não quebrou!" e ai é atacado por um Demônio, umas 50 vezes mais poderoso e maior que esse Anjo, tal qual brinca de lutinha com sua mão, esmagando o infeliz. Guerra apenas responde a indagação do anjo com um "Só respondi a chamada.".


Guerra enfrente o demoniozão, e na hora que ele ta quase acabando com o cara, ele perde todos seus poderes e é arrastado para o "tribunal" do Conselho. 


Ele estava sendo punido por ter iniciado o Apocalipse antes da hora... 


Guerra é acusado de ter começado o fim do mundo, sendo que o cara foi chamado la na Terra, do nada, e quando ele tinha chegado o massacre já tava rolando. Ele não tinha culpa, porém, o Conselho o julga como culpado pois, tecnicamente, ele quem era o responsável, afinal, ele é o Guerra, o Cavaleiro da Guerra, aquele que leva a guerra... dai ferrô! Mas ele mantém sua fidelidade e respeito. 


Só que por dentro Guerra fica p#@! da vida! Ele não consegue acreditar que foi acusado de ter desrespeitado a ordem das coisas, quando ele tava fazendo apenas aquilo que ele foi criado para fazer. O cara não entendia nada, mas ai ele se lembrou das últimas palavras do Anjo poderoso, e então, decidiu investigar o que realmente aconteceu. 


Ele pede permissão para o Conselho, para voltar a Terra e descobrir os verdadeiros responsáveis pelo Apocalipse prematuro. O Conselho lhe da essa oportunidade, com um porém: Ele seria vigiado... de perto.


Eles fazem um tipo de parasita sombrio se prender ao braço de Guerra, tal qual não apenas reportaria suas atividades de imediato, como também restringiria sua força, seus poderes, e limitaria suas ações. Além de ditar o que ele deveria fazer e quando deveria fazer.


Daí ele vai pra Terra, com sua Espada, e começa sua investigação, nada pericial, mas sim bem massacrante.


100 anos depois, é essa a época que Guerra chega na Terra. O cara tinha ficado afastado por 100 fu@#$ anos! O planeta tava completamente ferrado, destruído e pior: Dominado pelos Anjos e Demônios, que apesar de manterem uma guerra sem fim, também tinha repartido a Terra.


Os humanos? Eram todos Zumbis! E a coisa tava realmente feia...


Guerra começa sua investigação se envolvendo com alguns demônios "especiais"... um mercador, que lhe dava informações, habilidades, armas, itens... e quando digo "dava" me refiro a uma "troca". Ele pedia almas daqueles que Guerra matou... só isso.


Ele também encontra e liberta um demônio "top", tal qual faz um acordo com Guerra, um pacto: Guerra precisaria obter 4 corações, de 4 seres escolhidos pelo Destruidor, e leva-los pra ele. Assim, ele abriria o caminho para Guerra.


Destruidor era o alvo de Guerra, que ele descobre ser o possível responsável pelo crime contra a pobre humanidade (na real ele tava preocupado mais pelo esquema do Apocalipse ter começado antes da hora sem ao menos honrar o acordo dos selos, e a quebra da Lei. A humanidade nem é lembrada). Se Guerra honrasse seu acordo com esse cara, ele lhe daria poderes e ainda abriria o caminho dele para a Torre onde o Destruidor se escondia.


Então, Guerra o faz. Ele encontra os 4 chefinhos, e ferra com todos! 


Daí ele da os corações pro capeta, e finaliza seu contrato! Sem problema nenhum fácil e simples, sem entrelinhas. Claro, que a caçada pelos 4 chefinhos é demorada pra caramba, e Guerra ganha muitas almas pro seu demônio mercador, além de se encontrar com outras... "criaturas"... como Anjos, Monstros, Titãs-Portões-Escravos, mais Demônios, e por ai vai.


Bem, Samael cumpre sua parte do pacto então, com um portal que levava para o centro da Torre que Guerra deveria "conquistar" para poder alcançar o Destruidor.


La, ele encontra um Anjo supremo, aprisionado pela torre, tal qual oferece ajuda para Guerra, além de explica-lo o que exatamente havia acontecido pro Apocalipse ter começando, assumindo a responsabilidade disso. 


Guerra o liberta, derrotando a Torre, que além de seus muitos obstáculos e enigmas, tinha como "coração" aquele demônio enorme contra o qual ele lutou quando tudo começou.


Pois bem, depois disso, Guerra ganha um presente, uma visão da verdade, e com isso se fortalece e prepara para a batalha final, restaurando uma Espada especial, a única arma que podia quebrar o Selos, e também, derrotar o Destruidor.


Ele restaura a espada com a ajuda de um Ferreiro que conheceu em sua aventura, e no fim, luta contra o Destruidor. Mas, apesar de vencer a batalha... ele morre.

Guerra é morto por uma Anja (anjos não tem gênero, mas ela é mulher então, fica assim!) que ele havia encontrado outras vezes, contra a qual ele teve uma Batalha de Honra, onde apenas um poderia sair vivo, mas ele poupou ela, com os dizeres "Logo você me retribuirá e terminará nossa batalha." quase como uma profetização... 


Não deu outra, ela fincou sua espada no Guerra e o matou. Em seguida, usou a espada, a Toda Poderosa Espada Quebradora de Selos para atacar a sombra parasita, tal qual havia traído Guerra e roubado o 7° Selo que ele tinha acabado de pegar, e ao fazê-lo, ela quebra o 7° Selo que tava nas mãos do Sombrinha. 


Isso, traz Guerra de volta a vida, pois eram os termos para sua invocação, e também oficializa o apocalipse (é humanidade, já era...).


Guerra mata o sombra, desafiando o próprio Conselho, que o havia manipulado o tempo inteiro, mas agora, ele estava livre. 


Então Gerra tem um rápido papo com a Anja, que diz que agora ele tinha sérios problemas pois seria caçado por todos, inclusive ela, até que ele diz, todo de boa:

"Não estarei sozinho."



E 3 meteoros de cores diferentes caem... Seus irmãos estavam a caminho.



E fim.

Daora? É, essa é a história, bem resumida com suas partes mais importantes.

Só que há uma série de detalhes... e agora vem a análise.

Bem, o gameplay como eu disse é Hack&Slash, e pela história deu pra perceber que não é um enredo muito "elaborado". Claro, ele tem suas riquezas, mas de fato o jogo se estende devido sua jogabilidade. Tem também uma série de sub-tramas, como a do próprio demônio Samael (o que faz o pacto pra levar Guerra até o Destruidor), tal qual ele ajuda a se tornar tão forte quanto Deus, mas isso não chega a interferir no enredo.

Vou explicar tudo... e se você ficou com alguma dúvida ao ler o resumo, nem grila, você vai entender tudo agora.

Irei falar dos personagens junto com o que eles fazem ou significam, a ponto de interferir na jogabilidade... é diferente né? Se você já leu alguma análise deve ter reparado que ta bem diferente, pelo menos a ordem das coisas, mas não se preocupe, é só dessa vez.

Guerra

Ele é o protagonista, que não é nem herói, nem vilão. Ele também não se encaixa no perfil "anti-herói". Ele é simplesmente neutro, com um único objetivo: Se inocentar. 

O cara é um dos 4 Cavaleiros do Apocalipse, mas somente ele foi chamado para o Apocalipse Prematuro. De inicio, faz-se todo um mistério acerca do porquê, mas no fim fica tudo mais do que claro... explicarei isso na hora certa, mas Guerra foi manipulado o tempo inteiro, e inclusive o seu chamado foi feito pelo próprio Conselho!



Guerra é agressivo, violento, vingativo, tudo do que a guerra é formada. Entretanto ele também é ardiloso, estratégico e paciente. É uma mescla de características estranhas, porém Guerra é a própria guerra personificada. Tudo que é necessário para uma guerra começar, você pode encontrar no perfil dele. E isso o torna tão incrível...

Ele tem um arsenal de Habilidades, Equipamentos e Itens.


Tudo, ele conquista ao longo do jogo. Algumas armas e habilidades são indispensáveis, outras não... Irei mencionar as principais coisas com as quais Guerra pode contar...

Cristais


Eu curtia usar mais o "Essência da Vida" que restaurava um pouco da energia vital de Guerra. Existem vários outros tipos de Cristais, porém são consumíveis, se desfazendo ao usar, e Guerra tem um limite máximo para consumíveis (4 de uma vez). Ele pode comprar, ou encontrar durante o jogo... fato é que esses itens são bons para ajudar durante momentos críticos.


Movimentos

Guerra tem os seguintes Movimentos: 

Usar a Espada (diferentes golpes, formando combos), 




Pular (até duas vezes seguidas);



Correr (um pequeno impulso apenas);



Escalar Paredes e Tetos (que tenham uma formação viscosa);


Trocar a Arma (quando começa a ter mais de uma); 



Se Pendurar/Deslisar em Cabos; 


Nadar e Mergulhar (Também pode bater com a espada embaixo d'água); 


Interagir (Com Action Time, ou coletando itens pra abrir "portas"); 


Mover, Levantar e Arremessar Objetos do Cenário; 


Usar Habilidades Especiais;



E por fim: Mais um monte de outros.

Na realidade, pra cada equipamento ou habilidade que Guerra ganha, ele automaticamente conquista um movimento novo.


Ele ganha principalmente as seguintes armas e movimentos ao longo do jogo:

A Trombeta
(Grito de Terra)


Ela serve pra acordar os Gigantes de Pedra (falo deles daqui a pouco), além de causar dano em pequenos inimigos e empurrar os maiores. Ao que parece, ela é baseada nas Trombetas que Sopram durante o Apocalipse, anunciando o Fim dos Tempos.

A Shuriken
(Lâmina Cruzada)


Essa é uma Estrela Ninja que pode ser Arremessada ao longe. 


Além disso, ela fica girando por um bom tempo, além de seguir a "rota" que o jogador desejar, onde só é preciso marcar os pontos para onde ela irá.

A Pistola
(Misericórdia)


O Ferreiro da essa arma pra ele, que funciona somente pra atirar mesmo, como qualquer arma de fogo. A principal diferença é que ela tem munição inesgotável. 


Mas, ela não é a única arma de Fogo que Guerra domina, pois ele pode pegar algumas armas dos inimigos:

Arma dos Anjos


A arma angelical solta bolas de luz que seguem o ponto travado na mira.

Arma dos Demônios


A arma diabólica joga até 4 dardos explosivos, que só explodem caso o jogador aperte o botão de detonar.

Essas duas ultimas armas são itens que caem dos inimigos que a utilizaram originalmente. Guerra pode pegar e usar até chegar a um ponto que tenha de abandonar a arma pra continuar. Entretanto, são armas muito boas, e apelativas. Quando no modo "Atirador" o jogo implementa o estilo FPS.

A Cronosfera

É um artefato que Samael entrega pra Guerra, tal qual permite desacelerar o tempo, somente em alguns dispositivos, que só podem ser acionados por esse item. 


Ele é simples, e por ser limitado a apenas alguns poucos locais especiais, ele não chega a ser muito útil pra aventura geral de Guerra, somente para a fase que só é possível passar com ele: A parte da história em que Guerra precisa atravessar um deserto cheio de parasitas gigantes que atacam qualquer coisa que se move na areia, porém, com a Cronosfera ele pode desacelerar o tempo e andar tranquilamente sem ser notado. As vezes, tem uma porta ou outra, ou algum puzzle simples em que ela é útil.

A Corrente
(Corrente Abismal)


Serve pra puxar inimigos ou se levar pra inimigos. Ele também serve para alcançar alguns objetos flutuantes, permitindo que Guerra chegue a lugares altos e distantes com facilidade.

A Manopla
(Luva Sísmica)


Ela é apenas um tipo de luva da força, que causa danos altos e explosivos depois de um tempo "carregando". Elas são lentas por isso, porém bem fortes. Servem mais para quebrar paredes de Gelo, pois pra batalha são dispensáveis. Elas também servem pra impulsionar certos objetos devido sua pancada forte, podendo até fazer eles pularem de plataformas.

A Máquina de Portais
(Viajante Vazio)


Essa é uma arma muito parecida com a arma do jogo "Portal", tal qual abre um portal Azul e um Laranja, conectados interdimensionalmente. Guerra pode atravessar qualquer um deles, e vai parar no outro. Eles podem ser postos tanto na parede quanto no chão, ou até em plataformas, mas apenas onde tiver o simbolo circular. Mais uma vez, uma arma legal, útil, porém apenas na fase feita pra ela, pois os Simbolos não existem além da fase dela (Só um ou outro secretos).

A Máscara das Sombras


No fim do jogo, Guerra conquista a Máscara. tal qual permite que ele veja coisas ocultas, como pontes, caixas, objetos flutuantes, etc. Ele precisa dela pra localizar os Fragmentos da Espada do Armagedom. Além disso, ela faz com que ele acesse o "mundo das sombras", deixando o mapa meio distorcido.


As Asas
(Asas das Sombras)



Ele ganha esse presente de Samael para auxilia-lo em sua caçada pelos Corações. São asas negras, que permitem que Guerra plane por um tempo. Elas também podem fazer ele pular bem mais alto quando tem um impulsionador de luz.


Modo Fúria (Forma Caótica)



Também recebe esse presente de Samael, que na verdade é uma habilidade que ele sempre teve, mas o Sombra estava reprimindo. Samael libera ela em Guerra, que pode se transformar em um tipo de Demônio do Fogo por um tempo, ficando mais forte e mais mortal, porém mais lento. Essa habilidade também consome a energia vermelha de Guerra.

As Montarias

Tem 3 tipos de montarias que Guerra pode obter: A primeira só aparece uma vez, como parte de uma etapa onde Guerra persegue o inimigo pelos ares; A segunda aparece durante algumas batalhas, onde Guerra pode montar e controlar um dos inimigos, um demônio grande e específico; A terceira é permanente, mas só funciona em situações específicas...


A Besta Angelical



É um tipo de Águia/Grifo Gigante que os Anjos montam, e Guerra captura uma pra ele, durante uma parte do jogo. Ela só pode ser usada durante essa etapa do jogo, mas é interessante poder Voar, e ela também tem um poder semelhante ao da Arma Angelical.



Mesmo depois dela ser desmontada por Guerra, ele não a mata, mas sim a utiliza pra atacar um dos Chefes do jogo, distraindo e enfraquecendo o mesmo, enquanto ele explora a fase.


Demônios Grandes



Alguns demônios de porte grande podem ser montados por Guerra, e usados para atacar outros demônios, mas ele só faz isso no máximo duas vezes, até matar a criatura.


Ruína


Guerra é um cavaleiro, porém não tem um cavalo?! Pelo contrário, ele tinha, porém durante seu enfraquecimento e julgamento, alguns demônios metidos a cavaleiros domaram vários cavalos especiais, dentre eles o Cavalo de Guerra: Ruína.


Guerra mata o demônio que estava cavalgando em seu cavalo...


E o recupera. Ruína se torna seu parceiro novamente, onde mesmo com o Sombra enchendo o saco pra matar logo a criatura, Guerra não luta e deixa Ruína ataca-lo e reconhece-lo. 


A partir daí, em qualquer área aberta, é possível invocar Ruína, atingindo maior velocidade e aumentando o poder de ataque, além de merecer o título de "Cavaleiro". Essa é a última montaria.

A Foice
(Gadanha)



Essa arma só é obtida por Compra, através do Demônio Comerciante. Ela não é cara, e apesar de interessante, não é tão forte quanto a Espada. O principal benefício dela é o fato dela ser uma arma de ataques giratórios, causando dano em área.

Pela imagem inicial do jogo, onde os 4 cavaleiros aparecem (em sombras) as 4 armas que Guerra utiliza parecem se basear na de seus irmãos e na dele:




A Foice (Morte), A Pistola (Peste), A Espada (Guerra) e A Corrente (Fome).

Considerando a Bíblia Cristã, o Peste carregaria um "Arco e Flecha". Provavelmente na adaptação para Darksiders, trocaram o Arco por algo mais recente: A Arma de Fogo. Razão pela qual acredito que o da Arma de Fogo seja o Peste. O Fome carregaria uma "Balança", e sua Corrente pode ser uma referência as antigas balanças, feitas basicamente de um suporte e correntes. Obviamente, Guerra ta de Espada e Morte de Foice, armas características para ambos. Acredito que todos os Cavaleiros apareçam em Darksiders 2, pelo menos no inicio quem aparece é o Morte.


Os quatro Cavaleiros do Apocalipse, por Viktor Vasnetsov (1887).
Além de tudo isso, ele também tem uma "Finalização", que é um movimento mortal que ele pode fazer sempre que um inimigo apresenta um ícone de ação acima da cabeça. Esse ícone permite que Guerra realize uma sequencia de golpes que matam a criatura instantaneamente. 


Uma verdadeira máquina de guerra, ele é indiscutivelmente mortal.



Gigantes de Pedra


Eles são "escravos" que foram transformados em portões durante a divisão do mundo entre os Anjos e os Demônios.


Guerra os liberta, despertando eles com a Trombeta. Eles pertencem a uma subtrama que mostra que algumas criaturas foram simplesmente escravizadas para o Apocalipse Precoce. Depois de acordados, cada gigante pede um favor para Guerra, para assim saírem andando, abrindo o caminho e agradecendo por liberta-los. 

Samael

Ele é um demônio que Guerra desperta, e depois ajuda a ficar mais forte em troca de favores e poderes. Ele busca os Corações dos Escolhidos do Destruidor para isso. 


Samael é o "Demônio da Ressurreição" e apesar dele ser mal, ele honra o pacto com Guerra. Assim que Guerra entrega os 4 corações, ele lhe da tudo que era preciso para chegar até o Destruidor. Depois disso cada um segue seu caminho, mesmo Samael sendo um aparente problema. O último Escolhido que Guerra derrotou contou pra ele tudo o que Samael poderia fazer com seu pleno poder, e que Guerra estava cometendo um erro, porém, Guerra tinha seus objetivos e pouco se importava com o que acontecia entre os Anjos e Demônios, ele só queria pegar aquele que desonrou o Equilíbrio, e ajudar Samael era o melhor caminho pra isso.

Tiamat


O primeiro Escolhido do Destruidor que Guerra enfrenta. Ele fica lutando contra a Besta Angelical de Guerra até ele chegar ao topo de um prédio, onde Guerra o enfrenta. De inicio, Tiamat acha estranho um Cavaleiro do Apocalipse fazendo o que Samael havia pedido, tentando até barganhar, mas, Guerra era categórico com sua escolha e seu pacto...


Sem papo, ele arrebenta Tiamat, arranca suas asas e seu coração, conseguindo o primeiro de 4 pra Samael.

Vulgrim


O Demônio Comerciante, ele ajuda Guerra em troca de almas. Ele vende itens, armas, habilidades e ainda permite que Guerra utilize o "Buraco de Serpente" para chegar mais rápido aos seus destinos (como atalhos interdimensionais). 


Ele é de boa, um aliado fiel a Guerra, afinal o mesmo arranja um monte de Almas pra ele, além de Emplemas especiais que ele paga bastante.


A Sombra Espiã
(O Vigilante)


Essa é uma entidade que fica dentro de Guerra, espionando ele e também impedindo que ele usasse seu pleno poder. Ele estava a serviços do Conselho, sob a responsabilidade de monitorar Guerra, além de ter total domínio sobre ele. Como ele mesmo diz, pra ele Guerra era como um cão, preso a uma coleira, e ele quem segurava a corrente. 

No futuro, sua máscara cai, quando Guerra vai sozinho para o Jardim do Eden, e tem a visão que revela sua própria morte devido a traição do Sombra. 

O Ferreiro
(Ulthane, o Martelo Negro)


Esse é uma entidade (não é anjo nem demônio) responsável pelo manuseio de um grande Martelo poderoso, capaz de destruir qualquer coisa. Guerra até tenta levantar o Martelo, porém apenas o Ferreiro podia.


O Ferreiro inicialmente luta contra Guerra, mas depois ambos se unem pra avançar, numa competição de quem mata mais, onde vários anjos atacavam ambos, separados por um penhasco enorme. No fim, ele vira "aliado" de Guerra, dando um efeito bônus pros equipamentos de Guerra (caso ele vença a competição e mate mais anjos), depois, dando a Pistola e no fim, refazendo a Espada do Armagedom. Ele quem abre as pesadas portas pra Guerra, antes dele encontrar A Manopla, que lhe dava força elevada semelhante a do Martelo Negro.


Esse Ferreiro também foi quem forjou a Espada do Armagedom, para que os anjos quebrassem os 6 primeiros Selos. Isso, você entenderá daqui a pouco. 


Bem, o Ferreiro criou as portas pesadas e obstáculos para impedir que tanto Anjos quanto Demônios invadissem "Sua Propriedade". Quando Guerra aparece, tudo é aberto, mas o Martelo Negro entende e até motiva Guerra a continuar sua luta contra o Destruidor.

Assolador


O segundo Escolhido que Guerra enfrenta, ele aparece algumas vezes e parece imbatível.


Depois de alguns encontros frustrados, Guerra finalmente pega esse monstro de jeito. Esse Escolhido porém, diferente do primeiro, não fala, nem parece ser racional. Ele apenas ataca, e invoca hordas de uma criatura pequena semelhante a ele, porém que voa. 


Ao que parece ele era o "Alpha" de uma raça de monstros/criaturas diabólicas.

Infernal


O terceiro Escolhido do Destruidor, esse era apenas uma criatura parecida com uma Minhoca gigante, que era a "Alpha" das Minhocas do Deserto. 


Ela estava presa, amordaçada e sendo torturada, e pela forma como era tratada também era uma criatura irracional, manipulada pelos demônios. 


Quando Guerra chega, ele liberta ela, só pra mata-la e arrancar seu coração. 


Com ajuda de Ruína, ele derrota o monstro, e pega o 3° coração pra Samael.

Silitha


A quarta Escolhida do Destruidor que Guerra enfrenta. Samael chega a avisar Guerra sobre como esse monstro agia: Ela prendia suas vítimas na teia e absorvia informações delas. Guerra é capturado por algumas das aranhas dela quando começa a procura-la... 


Ele é levado pra um tipo de hospital abandonado, lotado de aranhas mutantes do capeta infernal... eu tenho Aracnofobia, e foi o momento mais agoniante da minha vida...


Seja pelas aranhas pequenas que se amontoavam para atacar Guerra (mesmo ele podendo derrota-las uma a uma, na base do Action Time, pisando com um único click).


Ou as aranhas gigantes escondidas (que não eram letais no primeiro encontro... mas me assustavam muito). 


Posteriormente as 4 tem de ser destruídas pra liberar a 5° ainda maior, e por fim, Silitha é enfrentada.


Agonia, panico e pavor à parte, Silitha chega a dizer as reais intenções de Samael para Guerra, mas como só faltava ela, Guerra não pensa duas vezes, finaliza ela, e leva o coração pra Samael (ainda bem porque... ôh fase tensa). Silitha parecia ser o segundo ser racional dentre os Escolhidos do Destruidor.

Azrael, o Anjo da Morte

O anjo que Guerra encontra preso no centro da Torre do Destruidor. Ele pede ajuda pra Guerra, após estranhar a presença dele, pois ele não tinha quebrado o 7° Selo.


Ele explica pra Guerra e conta a verdade, dizendo que ele e outro anjo (que falo daqui a pouco) se juntaram e planejaram quebrar os 6 Selos Iniciais, para liberar o ataque deles contra os demônios, e posteriormente consertaram os 6 Selos, para que ninguém, nem mesmo o Conselho, percebesse o que eles fizeram. Assim, eles podiam lutar contra os Demônios antes da hora, sem correr o risco de serem castigados pelo Conselho por quebrar o trato. Porém, eles só não iriam quebrar o 7° Selo, que seria aquele que invocaria os Cavaleiros do Apocalipse, o que significava o equilíbrio da batalha entre os dois exércitos. Eles queriam a vantagem.


Guerra, sabendo disso, "perdoa" o anjo, o ajuda a escapar e vai atrás do outro anjo, que havia se tornado O Destruidor. Ele ainda ganha um presente de Azrael: O direito de provar do Fruto do Eden. O anjo o leva pro Jardim do Eden, e lá, permite que ele enfrente seus males (ele mesmo), conquiste a Máscara das Sombras e por fim, tenha a visão que revela várias coisas, dentre elas a futura traição do Sombra.

Straga



O primeiro chefão que Guerra enfrentou, mas que acabou perdendo pois foi arrastado pro tribunal do Conselho, era também o maior Escolhido do Destruidor, o mais forte, e aquele que gerenciava a Torre.


Straga enfrenta Guerra, que tem sua chance de terminar o que começou, e o mata, devolvendo assim a liberdade para o Anjo da Morte. Só isso... ele parecia forte, mas burro. Apesar de falar, usava frases fragmentadas do tipo "Straga Esmaga!". Apesar de não ser o mais inteligente dos Escolhidos do Destruidor, ele é um desafio visto que a única forma de derrota-lo é usando a máquina de transporte em símbolos no seu corpo.

Uriel

A anja que fica no caminho de Guerra as vezes. 


Ela assistiu a queda de Abaddon diante Straga e sua falsa morte. 


Depois disso, ela liderou as tropas angelicais, até que Guerra reapareceu, e ela decidiu acabar com ele e vingar seu mestre.


Só que, depois da vitória certa de Guerra, ele a poupou, afirmando que ela iria terminar a luta contra ele na hora certa, contrariando aquilo que o Sombra insistia para que Guerra fizesse: Matasse a anja de uma vez.


Ela chega a tentar falar com Abaddon em sua forma demoníaca, porém é abatida.


No final, é ela quem salva Guerra, matando ele, e depois destruindo o último Selo.

Abaddon


O anjo que teve a maldita ideia de quebrar os Selos antes da hora.


Ele foi visto por Guerra durante sua entrada no Apocalipse, mas também foi atacado por Straga, que simulou seu assassinato. 


Depois disso, Abaddon assumiu o papel de Destruidor, se transformando num tipo de Dragão, todo poderoso e até diabólico, tal qual dominou o mundo.


Guerra enfrenta e derrota sua forma Dragão, sendo forçado a enfrentar sua forma semi-angelical...


Depois de derrota-lo, Guerra recupera o 7° Selo que Abaddon guardava consigo, mas a Sombra mostra sua verdadeira intenção, enfraquece ele, até que Uriel surge e termina a luta que tiveram, fincando a Espada em Guerra, e por fim, quebra o 7° Selo, fazendo Guerra retornar com plenos poderes.



Guerra ataca o Sombra, ferra com ele, e ai os irmãos dele surgem.

O Conselho de Fogo


São aqueles que criaram as leis que regiam o Céu e o Inferno. Todas as criaturas sombrias os respeitavam e temiam. Eles foram também os criadores dos Cavaleiros do Apocalipse, e aqueles que ditaram as regras para o início do Apocalipse e a batalha final entre céu e inferno. Além disso, eles deram a chance para Guerra descobrir quem começou o Apocalipse... 

Entretanto, eles já sabiam disso o tempo inteiro.


Eles quem convocaram Guerra, mesmo sem o 7° Selo, para que ele buscasse provas de que os Anjos haviam conspirado. Mas, eles não confiaram a verdade à Guerra, e usaram apenas ele por ser o irmão do Apocalipse mais vingativo. E eles ainda deixaram o Sombra pra monitora-lo e "apaga-lo" assim que ele se tornasse uma ameaça.


Pro azar deles, Guerra não era apenas vingativo, ele era ardiloso, e uma vez que descobriu a verdade (graças a visão que ele teve no Eden) ele mesmo passa a conspirar contra o Conselho, já que o mesmo estava achando que podia manipula-lo a sua vontade, sem se quer dar uma justificativa. Guerra havia jurando obediência ao Conselho, acima de tudo, mas o próprio Conselho brincou com sua lealdade, o que não ficou por menos, afinal, ele era vingativo.



Uma vez livre, com pleno poder e com seus irmãos a caminho, Guerra seria capaz de se vingar de verdade, caçando e destruindo tudo o que tentou manipula-lo, como por exemplo: O Conselho.

Bem, eis o fim da análise (que funcionou como um detalhamento da história).

Antes de terminar, gostaria de fazer uma comparação.

Darksiders não é o primeiro Hack&Slash que usa um cara agressivo e vingativo, lutando contra criaturas lendárias e matando tudo que se move, além de jurar vingança pra tudo e todos.

A muito tempo, foi criado o "God of War"... com seu protagonista: Kratos. Muitos dos elementos de Darksiders lembram muito o GoW, não só no gameplay, mas na história. Porém Darksiders consegue ser melhor.



Darksiders usa a Mitologia Cristã como referência. God of War usa a Mitologia Grega.


Não se confunda, eu não disse "cristianismo" disse "mitologia cristã" é diferente, pois o cristianismo é uma de várias religiões baseadas na mitologia cristã.

Superficialmente olhando e analisando, todas as mitologias tem praticamente o mesmo formato: 

Um Ser Onipotente, Onisciente e Onipresente;
Seres "mágicos" diretamente ligados ao Ser inicial, como suas criações;
A raça humana, presente no final da pirâmide, como inferiores ao Ser inicial e suas demais criações.

Esses três elementos sempre estão presentes de uma forma ou outra. 


Bem, na mitologia Grega, temos Zeus, seus irmãos e filhos, deuses que dominavam o mundo, e ditavam as regras para todos os elementos, situações climáticas, seres vivos e por ai vai, titãs e os humanos. 

Os Deuses do Olimpo, Giulio Romano (Orbetto)
Na cristã, temos Deus, o ser supremo que criou a tudo e todos, seus anjos, seus santos, seus animais e a raça humana. 

A Capela Sistina (Michelangelo)

A história a seguir narra uma aventura na mitologia grega.

God of War
God of War conta a história de um cara espartano, viciado em guerra. Todos os espartanos eram assim, pois eram soldados treinados desde a infância, criados unica e exclusivamente pra guerra.


Um dia ele suplicou a Hares, deus da guerra,  por  ajuda para derrotar um exército de Bárbaros, em troca de sua própria vida e serventia.


Hares concedeu o que ele pediu, lhe deu poder para vencer essa batalha e a partir daí, Kratos e seu exército faria tudo o que Hares mandasse. Durante um massacre a uma vila temente à Athena, deusa da sabedoria, Kratos matou sem dó nem piedade, centenas de pessoas, dentre as quais estavam sua esposa e filha. 


O cara foi levado a matar cegamente as únicas pessoas que ele amava no mundo, e depois disso, ele foi amaldiçoado por uma anciã sobrevivente, tal qual fez com que as cinzas de sua mulher e filha manchassem seu corpo para todo o sempre, lhe deixando com a pele acinzentada, e marcando ele como "O fantasma de Esparta".


Kratos é assombrado a partir daí, por pesadelos que o faziam lembrar de tudo o que ele fez, e do maior erro de sua vida. Um dia, ele suplica à Athena por sua ajuda, para se livrar dos pesadelos, tal qual diz que Kratos era o único que poderia derrotar Hares, tal qual havia se tornado um problema para o Olimpo (terra dos deuses). 


Hares alias, era irmão de Athena.

Pois bem, Kratos vai atras de poder, para destruir Hares aos mandos de Athena, e ao longo da história ele começa a alimentar a ideia de "vingança" contra o deus que lhe fez matar sua família. Daí, o que era apenas para fazê-lo esquecer, se torna totalmente pessoal. Kratos queria matar Hares por vingança.


No primeiro encontro com Hares, Kratos é morto por uma viga empalada em seu tronco, mas, ele da um jeito de sair do mundo dos mortos e ir de encontro ao segundo round contra Hares. Kratos estava sendo ajudado pelos demais deuses, que desaprovavam os atos de Hares e desejavam sua queda.


Ao matar Hares, com ajuda da "Caixa de Pandora", um artefato milenar criado para conter um poder absurdo capaz de matar os deuses, que ele havia obtido...


Kratos é abençoado pelos deuses, e transformado no substituto de Hares, aceito entre os deuses como o novo deus da guerra.


Depois disso, Kratos passou a abusar de seu estrondoso poder como deus, e começou a auxiliar diretamente os exércitos daqueles que clamavam seu nome, não só dando poderes ou fazendo pequenos favores, ele realmente ia de encontro as batalhas. 


Na sua viagem até a terra, numa batalha sangrenta, Kratos irritou os deuses, ao ponto de Zeus tirar parte de seu poder divino e dar para uma estátua, contra a qual Kratos luta.


Enganado por Zeus, que lhe da a Espada do Olimpo, Kratos passa todos seus poderes divinos pra espada, deixando ela forte o bastante pra destruir a maldita estátua, porém...


Zeus revela que a espada só foi entregue para drenar Kratos e assim, coloca-lo em seu verdadeiro lugar como um mero mortal.


Ele então mata Kratos e o lança no mundo dos mortos pela segunda vez... 


Porém, um Titã, chamado Gaia, a mãe da terra, conversa com Kratos, pedindo sua ajuda para destruir Zeus. Em troca disso, Gaia devolve a vida para Kratos, que volta a caminhar na terra.


Com o objetivo de matar Zeus, o pai de todos, Kratos avança em sua jornada conhecendo mais sobre a história dos Titãs e como eles foram banidos por Zeus.


Ele também descobre que Zeus não parou em sua morte, e que destruiu toda Esparta...


Cego por vingança, Kratos encontra as Moiras, aquelas que controlavam o tempo e o destino. Ele as mata, e domina assim o poder de controlar o tempo. 


Ele retorna até sua  morte por Zeus, e enfrenta ele.


Depois de derrotar Zeus, Kratos se prepara para mata-lo, porém Athena entra na frente, e ele a mata sem querer.


Ainda mais vingativo, Kratos decide matar não apenas Zeus, mas todos os deuses...


Ele volta no tempo, até a batalha em que Zeus baniu os Titãs, e busca Gaia, levando-a pro seu tempo, e assim subindo com ela e os demais titãs no monte Olimpo.


Kratos e Gaia estavam a caminho da destruição dos deuses.


Durante a escalada, Kratos enfrenta Poseidon, e o mata da forma mais violenta que pode. 


Depois disso, Kratos assiste o resultado do seu assassinato: O mundo perdeu o controle das águas.


Testemunhando o caos provocado pela morte do deus, Kratos mantém sua vingança como prioridade e vai de encontro a Zeus.


Ao alcança-lo, Kratos é rapidamente derrotado e arremessado pra longe junto de Gaia. Na queda, Kratos se agarra em Gaia e pede pra que ela lhe salve, mas ela recusa, dizendo que a guerra era de todos, não apenas dele, e que não se sacrificaria por ele...


Com isso, Kratos cai de encontro pra morte e vai parar no reino dos mortos... aparentemente morto. Porém lá, ele encontra o espirito de Athena que lhe aconselha.


Ele consegue sair do mundo dos mortos, mata uma penca de monstros e até deuses, até descobrir que a unica forma de destruir Zeus, seria usando novamente a Caixa de Pandora.


Ele encontra a própria Pandora, que lhe ajuda e restaura contra sua vontade a lendária caixa.


Mas Kratos não encontra poder algum na caixa, e diante o deboche de Zeus, ele fica ainda mais irritado e parte pra sua última batalha contra o deus dos deuses, pai de todos, inclusive dele.


Alias, Kratos era filho de Zeus.

Bem, depois de matar Zeus e Gaia ao mesmo tempo, fincando a Espada do Olimpo em Zeus contra o coração de Gaia...


Kratos é atacado pelo espírito de Zeus, que o faz mergulhar dentro de si mesmo. Depois de uma passeada por suas memórias e pela escuridão dentro dele, Kratos desperta, com o poder da Caixa de Pandora em suas mãos.


Ele destrói o que restou de Zeus e o mundo entra em colapso. Depois disso, o espírito de Athena surge e começa a pedir para que Kratos lhe entregue o poder de Pandora, mas Kratos entende que o poder de Pandora era grande de mais, e decide por um fim em tudo isso, declarando que sua vingança havia terminado, e se matando com a Espada do Olimpo.


Depois do suicídio, Athena diz que Kratos é uma decepção... 


E tudo acaba, inclusive o mundo.


No finalzinho ainda tem um pós crédito que mostra o sangue de Kratos no chão, marcando o trajeto que ele fez até um abismo... provavelmente ele havia se jogado, bem como fez na sua primeira tentativa de suicídio.


Fim... de GoW.

Isso que você leu acima é um resumo bem simples de God of War 1, 2 e 3. Essa é a trilogia principal de God of War, tal qual é exclusiva de Playstation.

Por que? Por que eu contei isso??? 

Para ser justo.

Eu planejei comparar Guerra com Kratos, mas não é justo fazê-lo sem pelo menos resumir a história de ambos. 


Guerra é a personificação da guerra.
Kratos é o novo deus da guerra.

A história de Darksiders nada mais é que uma busca por vingança num mundo pós apocalíptico.
A história de God of War nada mais é que uma busca por vingança contra os seres divinos.

Guerra, apesar de violento, é extremamente tolerante e categórico, além de astuto. Ele pensa antes de fazer e planeja tudo o que fará, passo a passo. Ele por exemplo, soube da traição do Sombra muito antes dela ocorrer, porém deixou as coisas acontecerem conforme os planos dele, sem deixar transparecer absolutamente nada.

Kratos é violento, intolerante, e tudo o que ele fez ou faz é baseado em manipulação. Ele sempre foi levado a fazer as coisas, e só foi uma marionete nos planos dos outros, primeiro de Hares, depois de Zeus, depois de Gaia e por fim, la no finalzinho, quase por Athena, que por pouco não o convenceu. Ele cometeu suicídio antes.

Guerra não tem um pingo de misericórdia, a menos que seja algo que vá favorece-lo no futuro, como fez com o Martelo Negro ou com Uriel, ambos enfrentados e poupados por ele.

Kratos não tem um pingo de misericórdia, por ninguém. Ele simplesmente não pensa, apenas destrói. A motivação inicial dele era se livrar dos pesadelos que tinha por causa de seus feitos. Tudo isso é deixado de lado e ele mergulha de cabeça em uma cadeia de vinganças eternas, matando tudo. Meu, ele matou o primeiro deus que lhe ajudou, Poseidon (sem considerar Athena), da forma mais violenta que pôde: espancando, furando seus olhos e quebrando seu pescoço.


Guerra foi criado pra guerra, ele é a personificação da própria guerra, ele é forte mas igualmente inteligente, ele tem todas as qualidades pra conduzir uma boa batalha, uma verdadeira guerra.

Kratos foi criado desde criança para a guerra, ele era um general, ele virou o deus da guerra após matar o original... ainda assim, ele é ignorante ao ponto de matar muitos potenciais aliados. A falta de misericórdia não faz dele um "vilão" mas a imbecilidade dele diante decisões torna ele um inimigo de todos, inclusive dele mesmo.

God of War é um jogo de gráficos lindos, e no estilo que eu mais curto, porém tem uma história fraca e sem sentido algum. Kratos virou uma máquina de guerra pela morte de sua esposa e filha, esse foi o estopim. O cara morreu 3 ou 4 vezes, e em momento algum pensou em buscar sua esposa e filha. O cara chegou a controlar o tempo, voltou ao passado 2 vezes, e ainda assim, não pensou em salvar sua esposa e filha. É ridículo! O cara ficou com as cinzas de sua família coladas em sua pele, o cara estava totalmente perturbado por sua perda, mas ainda assim, tudo o que ele fazia era matar, matar e matar. É impossível entender a história de GoW, pois a motivação do "herói" não tem valor algum. O cara quer se vingar, e por causa dessa vingança ele decide destruir tudo?! Ele destrói o mundo por causa disso... por causa de sua vingança... mas sua vingança era baseada em que? Isso se perde ao longo da história.

Já em Darksiders, o mundo já está destruído, o protagonista não é nenhum herói, ele é simplesmente uma criatura feita pra destruição, mas, ele tem como motivação a sua própria honra. Ele é declarado como vingativo, mas ele não age assim, ele é perspicaz, sabe trabalhar e conduzir sua vingança, ele consegue controlar e manter seu objetivo principal sempre em primeiro lugar: Ele queria descobrir quem era o responsável pelo rompimento das regras do Conselho, fim. Ele vai atrás disso, e mesmo com uma série de subtramas, oportunidades, vantagens que surgem a sua frente, ele mantém o foco. Até mesmo depois de saber que o Conselho havia manipulado ele, ele mantém seu foco e só toma uma atitude contra o Conselho após provar que o próprio Conselho estava errado.

Ambas as histórias envolvem uma soberania da guerra e um objetivo vingativo, mas apenas uma consegue apresentar um personagem decente. Darksiders consegue te fazer olhar pelo lado negro, e enxergar decência e razão. God of War te faz mergulhar numa história simples, porém macabra e descontrolada. 

Entre esses dois jogos, eu prefiro e admiro muito mais Darksiders, pois a história faz sentido, tal qual utiliza uma mitologia complexa e até meio polêmica, de forma perfeita, enquanto GoW judia com sua adaptação grega de forma tão... mortífera.

E é isso.

Espero que tenha curtido... apesar do final crítico, espero que a análise tenha ficado boa.

Até a próxima.

66 comentários:

  1. Belo post Sr Carinha, como já tinha dito te recomendo Shin Megami Tensei Nocturne , que praticamente é o Apocalypse x100, onde todo ser mitológico treta, tem até o Dante no jogo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ps: é o Luke também dubla o The Watcher

      Excluir
    2. Acabei de terminar a edição... a postagem original tava lotada de erros. Geralmente posto antes da edição final, pois geralmente não tem muito erros pra corrigir, mas dessa vez tinha uma penca. Acho que é porque deixei um grande intervalo entre as edições... enfim, agora ta finalizada, oficialmente rs.

      Vou dar uma olhada...

      K7! Sério mesmo? Maluco o Luke dubla o Sombra?!?!?! Meu eu tive que pesquisar pra acreditar... o mundo é muito maior do que eu imaginava Oo

      Excluir
    3. "(...)muitoS erros(...)"

      Viu, quando eu digito as vezes erro, e eu dou enter sem ler antes... tenso né?

      Caraca mano o Luke dublou todo mundo? E sabe o que é pior? Eu achei a dublagem do sombra genial! Principalmente durante sua tentativa de convencer o Guerra de poupa-lo...

      Excluir
    4. Pensei que você ficaria mais animado com a chance de lutar contra o Dante do Devil May Cry com um time que pode consistir de Thor, Chthulhu é um pinto numa carruagem(sério)

      Excluir
    5. A noticia da dublagem me impressionou mais kkk... mas to baixando já, vou dar uma jogada e se curtir analiso.

      Excluir
    6. Desculpe escrevi errado, no jogo um dos inimigos é um pinto numa carruagem

      Excluir
    7. Também tem uma que tem uma cana na barriga

      Excluir
    8. E, dependendo das suas escolhas, Jesus

      Excluir
    9. Vish mano, esse jogo ta parecendo nosense ao extremo kk

      Excluir
    10. Maldito corretor! Me fez errar, eu não quis dizer cana na barriga, quis dizer XANA na barriga

      Excluir
    11. Cada vez mais assustado, afinal qual o genero desse jogo?

      Excluir
    12. Peguei pra jogar, funcionou legal no meu pc, mas achei simples... tem certeza que vai ficar doidera?

      Excluir
    13. Procure Mara Shin Megami Tensei no Google e procure Cthulhu Shin Megami Tensei

      Excluir
    14. Mano... mas que $#$%# de jogo é essa??? Eu to rindo pacas... negócio drogado man... eu fiquei afim de jogar mas por ser RPG e pelo Dante só aparecer no 3° jogo vai ser bem tenso... RPGs exigem muito tempo e dedicação, por mais simples que possa parecer. Eu gostei do gráfico mas me perdi já (rs). Eu vou tentar jogar a partir do 3 mas... mano...

      Excluir
    15. Agora entende porque os fãs do lovercraft não gostam desse jogo, e jogue a partir do 3

      Excluir
    16. Ta poxa, eu jogo a partir do 3 sr Tuth... mas entenderei a história a ponto de analisar?! Eu sei que eu nem sempre entendo tudo rs... mas sei la, ele parece meio complexo... mas se o Dante aparece, acho que vale a pena, sei la, uma ponta de DMC... porque não!?

      Excluir
    17. E aproveitando, também te recomendo Persona, esse você também pode jogar na ordem que quiser, mas te recomendo muito o Persona 4

      Excluir
    18. Acho que terei de atualizar a lista rs.

      Excluir
  2. Cara ainda continuo gostando muito de GOW e sinceramente não gostei muito desse Darksiders não,mas sua análise foi ótima como sempre.
    Eu gosto de estórias mais dramáticas e Darksiders para mim é um "mais do mesmo",além de eu adorar a mitologia grega,mesmo sabendo que GOW não é nem um pouco fiél.
    E em relação a religiosidade,não sou muito religioso,mas acredito em Cristo e uma "religião" só é considerada "mitologia" por aqueles que não acreditam nela.Vai eu sei que têm umas histórias na bíblia que são meio forçadas como "Adão e Eva" que até eu mesmo não acredito,pois sei que a bíblia foi "mexida" por seres humanos,mas têm coisas que só uma pessoa que acredita;sabe que existe com certeza como Cristo por exemplo.
    Lembrando que isso é só minha opinião;não estou forçando nada a ninguém.Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De boa sr, eu imaginei que não concordariam com minha opinião sobre religião ou God of War... é algo que envolve polêmica de mais rs. Mas é um fato que as histórias da biblia são exageradas e interpretativas. A Blibia Cristã em si é um livro de metáforas, logo, não há nenhum embasamento científico ou comprovado. A fé não é questionavel, cada um tem a fé que deseja e não cabe a ninguém julgar, entretanto os relatos bíblicos não fazem parte da lógica atual e da nossa noção real das coisas... exemplo:

      No filme "Exodo", há uma conversão e reinterpretação do relato bíblico sobre Moisés, explicando e ilustrando fatos bíblicos de uma forma lógica, não literal. Eu achei incrível e muito mais convincente do que os relatos reais do livro. Isso, em momento algum, torna a bíblia desacreditável, ou falsa, afinal repito que é um livro metafórico, entretanto, não deixa de ser uma mitologia, afinal são histórias incríveis e evidentemente exageradas, bem como eram os relatos gregos, egípcios, nórdicos, romanos, indus e por ai vai.

      Eu acredito em Deus, acredito em Cristo, mas não acredito na religião. Como você citou, a bíblia infelizmente foi mexida, mal traduzida e pré interpretada pelos tradutores, o que matou sua real mensagem. Sabe-se la quais eram as informações reais desse livro. E tem outro detalhe, a Bíblia foi escrita ao longo de um milênio, por pessoas diferentes, de épocas diferentes, de conhecimento e habilidades diferentes... mesmo embasado em pura fé, de que Deus tocou essas pessoas para que relatassem os fatos, nada impede que um ou outro fosse apenas um aproveitador que tomou carona no livro divino, muito menos que em determinado período da história, homens mais poderosos tenham editado, censurado ou apenas destruído partes do livro que criava e movia nações, partes essas que poderiam ser prejudiciais a eles. Existe um filme que conta a história de um homem cego que carrega a última bíblia num tempo pós apocalíptico chamado "O livro de Eli", nesse filme é mostrado perfeitamente o quanto a bíblia era poderosa para a dominação mundial e moção da massa, afinal ele ditava regras incontestáveis e tornava seu portador, o mensageiro do Salvador, isso sendo real ou não.

      Atualmente há milhares, alias, milhões de hereges e descrentes, que não temem nem um pouco Deus ou sua palavra, bem como há pessoas que até lutam pra provar a inexistência do Ser Divino, porém... nada ocorre com nenhum deles em vida, e tudo o que recebem é um alerta de que suas almas pagarão por toda a eternidade, numa tentativa de assusta-los para que abandonem sua própria fé (afinal, "fé" nada mais é que a crença absoluta em fatos não comprovados) e passarem a acreditar em algo que vai contra seus próprios princípios (existem trechos da bíblia que impedem e refutam o próprio progresso da humanidade).

      Repito, religião é um assunto polêmico, mas não cabe a nenhum de nós ditar o que é e o que não é. Cada um acredita no que quer, cada um vive em sua própria fé. Cabe a nós respeitarmos uns aos outros, afinal esse é um dos mandamentos.

      Bom, que bom que curtiu rs... fiquei com medo de fazer bobagem...

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que deletou o comentário kkkk?!

      Eu ri! Mas saca, o tempo era contado de outra forma na era bíblica... a pré biblica então...

      Excluir
    2. Apaguei por causa da última palavra, coloquei errado

      Excluir
    3. Nem grila, eu sempre sei o que foi escrito (huahuahua)

      Acho que to ficando soutinho de mais nos comentários... preciso me manter... sério. Mas mano que raio de jogo é aquele kkk

      Excluir
    4. Bom o jogo também tem um monstro com seis tetas, que a propósito é Satan, que nesse jogo é um dos maiores inimigos de Lúcifer

      Excluir
    5. Parece algo realmente... satânico. Apesar do "nosense" ele tem e faz certo sentido. Muitos dos relatos antigos sobre os demonios e suas aparencias tem muito apelo sexual. Não é de todo errado, só é bem estranho. Aposto que se eu jogar e compreender, faria uma ótima análise. Acho que vale a pena o sacrifício kkk (se você jogou, e curtiu ao ponto de recomendar, nem será um sacrifício tão grande assim rs).

      Sr Tuth, vlw!

      Excluir
    6. Mas pelo menos também tem monstros fofos no jogo, e monstros com um visual realmente legal

      Excluir
  4. Meu irmão;adoro resposta longas.
    Cara eu entendi seu ponto de vista,você pensa que nem eu,acredita em Deus e Cristo;só não confia muito na bíblia;nesse aspecto somos idênticos.
    E ha de se concordar Que algumas "estórias" na bíblia;parecem estórias da carochinha,o ser humano mexeu muito nos textos infelizmente.Eu vi que tinha um texto que excluíram que dizia que Deus tinha uma esposa;mas eram um só ser ou algo assim,doideira né.
    E hoje temos os evangélicos que interpretam tudo literalmente na bíblia e alguns se não a maioria cospem bosta sempre que falam da bíblia,teve até uns que falaram que os dinossauros eram demônios kkkkkkkk.
    Na minha opinião uma pessoa sem crença de nada é um saco vazio,pois vive com que proposito?Nasce,cresce,vive,procria,morre e vai pra onde?Só para debaixo da terra,acabou?Se fosse só isso seria uma puta sacanagem cara,que sentido a vida teria;sei lá mano só de pensar já me dá uma tristeza.
    Como você falou acredito em Deus e em Cristo,só não acredito na religião.Mas sempre que frequento uma igreja(que são raras as vezes)eu fico profundamente emocionado,com as "cantigas" religiosas;quando falam o que Cristo fez em sua passagem na terra do seu amor pela humanidade,mano aquilo me toca muito,e também não consigo mais ver filmes na pascoa;porque sempre choro,com a extrema crueldade dos soldados romanos para com Cristo,cara uma cena horrível é quando Cristo carrega a cruz pela via sacra aquilo é muito sofrimento;e ver aqueles ratos daqueles judeus comemorando o "assassinato" de cristo me deixa com sangue nos olhos,é por isso que não gosto muito de judeus até hoje.
    Só de estar digitando isso aqui;já caíram algumas lagrimas no teclado rs.
    Desculpe pelo meu sentimentalismo exacerbado.Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa eu adivinhar, o filme que você viu foi paixão de Cristo , não foi?

      Excluir
  5. Por incrível que pareça,eu nunca gostei de A Paixão de Cristo,acho muito chato o filme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara , pelo que eu ouvi do filme, parece ser umas 2 horas de uma pessoa sendo torturada, quem gostaria de um filme desses?

      Excluir
    2. Pra ser sincero eu dificilmente gosto de filmes bíblicos, justamente pelo drama elevadíssimo, ou pela falta de criatividade, imitando o que é escrito no livro ao pé da letra. Eu curto mais aqueles "hollywoodianos" com uma interpretação pra lá de original, tipo aquele do Noé... Gosto também dos filmes baseados na Divina Comédia, justamente por serem uma interpretação muito mais criativa e "mágica".

      E que show, estão interagindo!!! Acho que esse é um dos maiores sonhos de alguém que mantém um blog... ter seus leitores interagindo e trocando informações entre eles... show!!

      Excluir
  6. Agora eu ri aqui..."...eles estão interagindo..."parecia um observador na floresta,observando animais interagindo uns com os outros kkkkkkkkkk.
    É legal interagir com outras pessoas, o ruim é que eu não sei quando me respondem no blog,tenho que vir aqui para ver se tem alguma resposta rs.
    E caro Tuth silva,o filme A Paixão de Cristo eles ficam falando em hebraico o tempo todo e isso enjoa com o tempo,tira o interesse,eu sei que as pessoas falando na língua natal fica mais realista,mais odeio ler legendas o filme todo hehehehehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto de observar *-*

      E não sei, eu prefiro assistir filmes com legenda o tempo todo, dublado as vezes tira o brilho. Claro que o assunto não é legenda, mas sim filmes chatos que tem pouco conteúdo e muito drama... mas... é eu prefiro com legenda.

      Excluir
    2. já eu prefiro dublado;fui acostumado assim.
      Cara acabei de zerar um jogo de PS2,Dead To Rights 2,já ouviu falar?terminei ele em 4:22 hr;bem curtinho;mas é legalzinho,só é tiro a todo instante hehehe.
      Então seria legal se você fizesse umas "saideiras" com jogos não tão complexos e spin offs;e não tão conhecidos assim seria bastante legal,não exigiria muito do seu tempo pois não possuem estórias profundas e a maioria são bastantes curtos.
      Queria te pedir uma análise de RE Survivor de PSone,por favor faça a análise para mim;eu ficaria bastante feliz.
      OBS:dá pra se tgerminar o jogo em 3 hr.Boa Noite meu amigo,tchau.

      Excluir
    3. Sobre esse negocio de dublagem:
      Eu gosto quando os personagens falam em sua língua natal, como em Bastardos Inglorios por exemplo , mas em Paixão de Cristo já me parece mais exagerado

      Excluir
    4. Hoo... jogos curtos já passaram pela minha cabeça, fazer analises de jogos indies e mais simples entre as analises de grande porte. Na real eu to realmente pensando em analisar jogos de Super Nintendo entre as analises de jogos mais atuais. Existe um porém... eu não sou fan da Sony. Eu quase n joguei os games de Ps1... na real eu nunca joguei um ps1... e os gráficos mais antigos, bem como a jogabilidade mais simples já não me agrada mais, não ao ponto de me fazer focar. Eu comecei a jogar Max Payne, mas foi a dublagem que me segurou kkk... achei lindo, e o gráfico acabou me agradando também. Mas eu tentei jogar Tomb Raider (o primeiro de ps1) e fiquei... enojado... não que o jogo seja ruim, não é isso, mas a jogabilidade é triste, uma vez que me acostumei as atuais. Não é que eu despreze trabalhos mais antigos, mas eu to acostumado a uma realidade e... não consigo gostar... só isso. Diferente dos jogos da nintendo, que mesmo os mais antigos me agradam, pois eu fui acostumado a isso. Mas, existem jogos de ps1 que eu acho lindíssimos, tipo FF9, que é uma obra de arte.

      Mas assim, eu tentarei acatar alguns pedidos, mas eu só consigo escrever do que gosto, ou do que odeio, sem meio termo rs.

      Mas assim, sua ideia de analises de games mais curtas... "saideras", é muito boa. Creio que consigo fazer isso, e é viavel. Poremos em prática isso...

      Eu estou com RE 1 (de GC pelos graficos melhorados) 2, 3, 4 (hd), 5, 6, revelation 1 e 2. Nunca terminei nenhum deles, peguei todos para poder finaliza-los em sequencia e assim ter conhecimento para analisar a franquia RE. Irei por Survivor na lista.

      E é isso sr Gabriel.... uma SaideraMorte?! rs...

      Excluir
    5. Finalmente achei alguém que não reclamassem dos gráficos do FF IX

      Excluir
    6. E tem quem reclame? Como!?!? Eu tava fazendo uma análise de FF9... mas por ser RPG, de 4 mídias, e pelo fato do meu amigo tradutor (tal qual é perito em zerar Final Fantasy, principalmente o 9 que ele já finalizou umas 20 vezes) não estar mais disponível para jogarmos juntos, eu adiei. Eu to com uma pasta inteira de imagens dele, que eu separei justamente pra analise. Infelizmente, foi pra geladeira, junto com alguns outros jogos... FF9 tem o gráfico mais fofo que eu já vi na vida, e é um jogo simples, e ao mesmo tempo incrível... não tem como não gostar... eu amo o Vivi mano... eu adoro o estilo "baby" dos traços e o pré tridimensionado, e até o esquema das batalhas, em turno action (que normalmente eu não curto muito) é legal. Sabia que FF9 foi o primeiro RPG de ps1 (e o unico) que já finalizei... e eu peguei Chocobo dourado sr! Sem guias... meu amigo duvida disso mas é real, eu revirei o jogo pra conseguir... eu me lembro como se fosse ontem da sensação de andar pelas ilhas cavando todos os cantos com o chocobo, em busca dos lugares das fotos... ah sr... a sensação é indescritível...

      Excluir
    7. Tem gente que fala mal dos gráficos de FF IX dizendo que não mudou quase nada, ou até que ficou pior, que o gráfico de FF VIII

      Excluir
    8. Pior? Os gráficos de FFVIII são horríveis, pelo menos naquela escola tosca. Ele não conseguiu me convencer, e eu parei de jogar justamente pelos péssimos gráficos. FF9 foi totalmente o oposto, só continuei a jogar por causa dos gráficos.

      Eu sei que FF8 tem história boa por causa de Kingdom Hearts, tive de pesquisar pra analise e descobri que o Leon é show... mas eu não jogaria.

      Excluir
    9. Pior que eu não gosto da história do FF VIII

      Excluir
  7. RE Survivor é um spin off sem nada a ver com a estória original,os gráficos são tranqueira;mas gosto muito dele pelo meu grande apego emocional,ele é bem curto,antes de você começar a enjoar e querer tocar fogo nele;ele termina rs,por favor cara;quebra esse galho pra mim.
    De que Max Payne você tá falando do primeiro de PS2 e PC?...Os gráficos são bem feinhos até para data de que foi lançado,naquele mesmo ano foram lançados:MGS 2,SH 2,DMC...mas o jogo pelo menos é bem legal e bem sombrio do jeitinho que eu gosto,a estória é muito boa.
    E em relação a dublagem de Max Payne você jogou em PT BR,pois essa dublagem é legal para época,mas hoje dá vontade de rir,mas mesmo assim prefiro jogar um game em portugues;do que jogar um game em inglês.
    E sobre o assunto Final Fantasy,não gosto de nenhum RPG conhecido na terra;então não posso falar nada sobre o assunto.VLW.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Max Payne com dublagem Br é um dos jogos mais engraçados que eu já vi

      Excluir
    2. É mesmo,mas para quem joga quase todos os jogos em inglês;um game em português BR ou português PT já é um grande alivio,eu tenho esse jogo pra PS@ em português hehehehe,os caras falam com voz de pato roco kkkkkkkkk,mas é legal do mesmo jeito.Um exemplo de frases do jogo:..."Vai lá ver se é o MAX...Eu não,não sou maluco..."kkkkkkkk.
      Me adiciona no face,pra gente conversar mais.VLW

      Excluir
    3. Se é tão importante, beleza rs... farei isso.

      Sobre a dublagem, Max Payne (a versão que to jogando é de pc antiga, foi tenso instalar no win 7) ela é muito boa, algumas vozes parecem o Zangado falando rs... mas ficou muito melhor que a dublagem de Mortal Kombat X.

      Excluir
    4. Pior que a dublagem de MK X só a dublagem de BF Hardline

      Excluir
    5. É mesmo parecem o Zangado falando kkkkkkk.
      E sobre Mortal Kombat X,falaram que a dublagem não é muito boa,principalmente a da Pitty rs.
      E valeu cara por fazer a análise de RE Survivor,eu gostaria muito,ele é bem curtinho e bem fácil;o inventário é ilimitado rs,não vai te dar muito trabalho não,e me mencione na análise hein rs.

      Excluir
    6. Não duvido que tenham piores, mas por deus, eu peguei uma série de jogos dublados, a maioria Assassins Creed, e a do MKX ficou muito ruim, muito mesmo. Diferente do Injustice, que ficou incrível (pelo menos durante a campanha).

      Sim, estou pensando em fazer analise de um jogo de luta.

      Excluir
    7. Então faça uma de Power Instinct

      Excluir
    8. Vulgo jogo onde um dos personagens é um cara vestido de cachorro ( ou será que era outro jogo ?)

      Excluir
    9. As ideia, geral recomendando as doidera tudo... kkk... eu tava pensando em analisar Mortal Kombat mesmo, ou Injustice... ou Skull Girls (faz anos que Skill Girls ta na geladeira kkk)

      Excluir
    10. E olha que vicê nem viu a série Cho Aniki

      Excluir
    11. Meu porque eu pesquiso? kkkk, quem que inventa essas coisas? Qual o problema da humanidade man?!

      Excluir
    12. Pelo menos esses não são jogos tão doentios como outros

      Excluir
  8. Agora me arrependo de ter parado esse jogo logo no começo,é uma boa história,creio que quando puder jogarei o dois,fica mais fácil já que foi lançado para a nova geração(considerando o fato que o meu xbox morreu...).Sabe que muita gente compara esse jogo a The Legendo of Zelda?Acho que tem haver com o sistema de armas e que cada chefe tem uma espécie de dungeon.
    Gostei da sua observação sobre God of War e considerando que a Santa Monica está planejando alguma coisa para a saga,acho que não é coincidencia o Kratos estar caído no simbolo da fénix...talvez um Remake?Ou os deuses nórdicos estão em perigo?Seria muito legal(confuso,mas legal).
    Enfim,bela análise,como sempre e....Cheers!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Deuses Nordicos em perigo", mano... se Kratos invocar com outras mitologias ai fedeu.

      Boa observação da Fênix.

      Zelda... hm... houveram momentos que me lembrei de Twilight Princess e as armas exclusivas pra cada boss e sua dungeon. De fato, ele parece mesmo, mas o estilo de jogo é diferente. Zelda é totalmente aventura, com poucas batalhas em campo aberto, na maioria das vezes são alguns poucos golpes e os inimigos não são tão desafiadores (não são tão... lol). Todo Zelda tem uma puxada pro Hack&Slash mas não chega a ser desse estilo. Eu achei, durante o Hyrule Warriors Project, que o novo Zelda seria full H&S, da mesma forma que estou acreditando que o próximo Zelda de Wii U será full RPG-Exp, justamente pelo esquema da exploração. Mas no fim só foi um Spin-off (o que não acho que se repita pro novo Zelda). Falando em Zelda... to devendo umas analises ainda.

      Sr Will, Cheers!

      Excluir
  9. Muito boa analise sr shady, esse deve ser uma obra prima dos hack n slash, vi que fez uma mini analise de gow hehe espero que traga mais analise de otimos jogos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, "mini analise de gow" exato! Esse era meu objetivo, fazer a mini analise... um dos meus melhores amigos ficou com muita raiva de mim, disse que eu tinha de parar de usar drogas antes de escrever, justamente pelo que disse com respeito a GoW (ele é fan de GoW). Mas, bem, eu me esforcei pra ser respeitoso (de certa forma, tudo o que escrevi foi graças a ele, pois eu nunca joguei God of War até o fim, nenhum deles, mas assisti esse amigo jogando todos, e bem, o que sei é por causa dele).

      Sr Wonkan, fico feliz por ter curtido. Fiquei preocupado (como sempre) em não fazer algo decente, principalmente pela arriscada comparação que fiz (GoW tem uma legião de fans, Darksiders também mas, GoW tem bem mais fama). Queria fazer algo que valesse a pena ler, e bem, se você leu e curtiu, valeu!

      Trarei analises interessantes em breve, to só esperando o fds.

      Excluir
  10. Eu não gostei do jogo. Talvez porque me veio de graça
    Como dizem:
    Vem fácil, vai fácil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normal sr, o jogo não é aquela senhora "maravilha" mas é bom. Infelizmente nada agrada todo mundo né?!

      Infelizmente o ditado ta certo rs.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+