PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

domingo, 15 de novembro de 2015

AnáliseMorte: Until Dawn - Eternizando minha experiência com UD

Ola pessoas!

Faz tempo que não... pera... faz nada! Minha última postagem foi a alguns dias atrás então nem preciso me desculpar dessa vez. Aew!

Bem, estou empolgado, pois dessa vez vou escrever sem ter pensado em escrever. Analisei um jogo sem perceber que estava analisando, e foi muito bom. 

Não foi apenas um jogo, foi meu primeiro jogo de PS4 zerado (e jogado), tudo graças aos meus amigos, donos do vídeo-game e do jogo, que me incentivaram a jogar e até jogaram comigo.

Falarei de Until Dawn, exclusivo de PS4.


Lembrando que spoiler é praticamente meu nome do meio, então recomendo que só leia se quiser saber tudo sobre o jogo, mesmo sem ter jogado ele.

Boa leitura!


Bem, começando então.

Until Dawn (Até o Amanhecer, que eu jurava que "Dawn" se escrevia "Down") é um jogo exclusivo de PS4, do gênero Terror com pitadas de Horror Survival e Exploração, mas principalmente, no formato Episódico com base em Escolhas.

Esse modelo se tornou muito bem sucedido, e apesar do esquema de "escolhas" ser algo padrão e já utilizado em jogos como RPGs, o uso dessas mesmas escolhas pra influenciar e roteirizar capítulos no próprio jogo, é algo realmente interessante. Afinal, o jogo acaba se tornando único e original para cada jogador, e acaba se desenrolando com base no que o jogador escolhe e decide.

Eu já falei um pouco desse modelo na primeira análise sobre The Walking Dead - The Game, tal qual eu continuarei falando de cada um dos episódios, porém, acabei jogando Until Dawn e finalizando ele, várias vezes, junto dos meus amigos. Tal experiência me trouxe inspiração para digitar e fazer uma análise sobre ele.


Bem, geralmente eu faço tudo sozinho, mas as vezes, meus amigos marcam noitadas e viradas com direito a jogatina e muita comida (muita mesmo) em fins de semana ou feriados prolongados. As vezes, eu separo esses mesmos dias para fazer minhas análises no blog, só que acabo deixando esse trabalho de lado para curtir com meus amigos. Eu nunca me arrependo, mas é de fato algo que torna meu trabalho aqui bem menos frequente.

Mas, na última noitada, eu e um dos meus amigos inventamos de iniciar o Until Dawn, tal qual pertencia aos donos da casa onde sempre fazemos nossos encontros (tais quais também são parte do grupo de amigos, um casal de gêmeos formado por dois caras, mas um deles tem tendencias femininas - sempre faz personagens femininos nos mmorpgs).

A gente se empolgou, e viramos a noite até finalizar os 10 capítulos desse ótimo jogo. Nós sabíamos que eram 10 capítulos pois o Gêmeo Feminista (não vou citar o nome de ninguém aqui pois é mancada, mas ele sabe de quem eu to falando né Jhonny) já havia finalizado ele e nos contou, fazendo uma crítica inclusive.

Ele nos disse que apesar do jogo ser ótimo, ele não tinha "replay". Não era viável jogar de novo e que a graça se perdia já na primeira jogada, o que ia contra a própria divulgação dele, que dizia ser um jogo que sempre dava novas experiências para o jogador. Essa crítica é válida de certa forma, pois a história do jogo é totalmente revelada nos 2 últimos capítulos, e mesmo se o jogador tiver feito as escolhas erradas, o clímax é sempre o mesmo, fazendo com que tudo o que acontece durante o gameplay do 1° ao 8° episódio se torne indiferente.

Digo isso pois cada capítulo apresenta um vilão, um mal, possibilidades para um possível desfecho e até mesmo mortes, mas muitas dessas coisas (praticamente todas) não passam de ilusão, onde o verdadeiro mal e conclusão só é revelado de fato nos capítulos 9 e 10.

Antes de continuar vou falar sobre como o jogo funciona:

O jogo é muito simples, onde o jogador controla 1 de 8 personagens, sem contar o primeiro personagem da introdução, tal qual consequentemente morre antes mesmo do início real do jogo, tal qual se desenrola com base nessa mesma morte.


O jogador não tem opção, ele irá e deverá jogar com cada um dos personagens, nos momentos em que a história se volta para eles. Cada capítulo/episódio tem como protagonista alguns desses personagens, e num mesmo capítulo, o jogador deverá controlar mais de 2 deles, afinal o grupo de amigos se separa e a história de cada um é contada individualmente, até que todos se juntam no fim.

Como movimentos, só é possível Andar, Interagir (Conversando ou Mexendo em Itens) e em alguns momentos, Atirar. Também há momentos de Action Time, onde o jogador precisa apertar botões específicos para realizar uma ação, onde caso falhe, a ação também falha, podendo desencadear até mesmo a morte do personagem. Também há alguns momentos em que o jogador não pode se mover, onde o PS4 utiliza o Sensor de Movimento do controle para capturar os movimentos do jogador (na verdade ele usa a luz do controle junto de uma silhueta na tela, se o jogador move o controle a luz também se move, e se a luz sair da silhueta que a contorna, isso é considerado "movimento", logo, o jogador não ficou parado).


Esse sensor de movimento é bem tenso, pois qualquer mexidinha que se faça no controle faz ele sair do contorno, e ai a merd4 ta feita. O ruim é que o controle vibra o tempo todo, e em alguns momentos a própria vibração move o controle, fazendo com que o jogador seja literalmente obrigado a mover o controle de volta pra silhueta, lentamente, logo, apenas ficar parado não é o suficiente, é preciso manter o controle na posição original... isso é muito tenso, principalmente no final, onde a adrenalina é total, e se mover significa a morte dos personagens.

Em termos de jogabilidade, parecem poucos movimentos e ações, mas na prática não são. O foco real do jogo são as escolhas, e as vezes, realizar uma ação é a escolha errada. Tudo se baseia em Escolher Fazer ou Não Fazer, e essa escolha é a jogabilidade real, os movimentos e ações são apenas requisitos e percursores. Cada escolha, gera um efeito borboleta, que é aquele conceito de que, cada ação acarreta uma reação no futuro.

Os efeitos borboleta são justamente simbolizados por várias borboletas.
Depois de ter finalizado o jogo pela primeira vez, eu comentei que tinha adorado o jogo, mas o único problema era a impossibilidade de correr, e isso deixava o jogo bem lento, o que era chato. Foi ai que um dos meus amigos me disse que era possível Correr também, segurando o R1 do controle... ao testar eu percebi que de fato era possível... mas a ação não era exatamente "Correr" mas sim "Andar um tiquinho mais rápido"... quase nada de diferente.

Bem, movimentos explicados, hora de falar dos personagens, depois da história.

Sam, Mike, Josh, Ashley, Chris, Matt, Emily, Jessica, Beth, Hannah, Dr. Hill. Parecem muitos, mas na prática são bem poucos. A história em seus 10 Capítulos consegue desenvolver muito bem a personalidade de cada um desses personagens. Jogando de uma forma... conservadora... é possível entender e conhecer cada um deles a fundo, o que é muito bom. Os personagens tem até um menu de características, que definem suas personalidades e afeições (mas, apesar disso, entretanto, contudo, não obstante, o que define a personalidade deles são as escolhas que o jogador faz e como eles conversam e reagem aos momentos tensos e com outros personagens).

Algo que não posso deixar de citar, é o fato dos personagens serem Atores Reais. O jogo foi feito com Captura de Movimentos e Expressões de Atores Reais. Até mesmo a Fisionomia deles é a mesma. Eu já tinha visto algo parecido antes, em Filmes, onde personagens criados digitalmente tinham seus movimentos baseados na captura de movimentos de atores reais. Também já vi personagens com fisionomia de atores reais em alguns jogos, por exemplo, Onimusha 3, onde eu senti certa familiaridade com um dos personagens justamente por ele se parecer muito com um ator francês que eu já tinha visto em vários filmes, e depois quando pesquisei, descobri que ele havia servido de modelo pra esse personagem.

Tem muito jogo assim, mas Until Dawn usa isso completamente. Cara, o antagonista principal do jogo é a Múmia de "Uma Noite no Museu"! Isso é muito show! Além disso, a bunda das personagens femininas é simplesmente perfeita, redond... digo... o físico dos personagens é muito realista, perfeitamente digitalizado, em seus mínimos e precisos detalhes.



Bem, aqui vai uma ficha técnica básica de cada personagem:

Beth e Hannah, as irmãs gêmeas.


Antes do jogo começar, oficialmente, tem o Prologo, onde o jogador controla Beth. Esse prologo funciona como um tutorial, além de ser o início de tudo. Não importa suas escolhas, o final é o mesmo, onde Hannah e Beth caem juntas de um precipício. 

Ambas são gêmeas, mas tem estilos bem diferentes. Hannah por exemplo usa óculos e tem uma aparência nerd, enquanto Beth parece ser mais descolada. Pois bem, no início, Hannah é atraída até o quarto do segundo andar da cabana da montanha, onde supostamente Mike, o pegador, havia marcado um encontro com ela. Ela tinha uma quedinha por ele então, ela foi até la sem pensar duas vezes. Porém, todos os amigos dela estavam escondidos, se preparando para constrangi-la. 


Quando ela encontra Mike, o pegador, começa a tirar a roupa para ter um final feliz, é quando seus amigos aparecem e começam a rir, filmando tudo. Ela sai, envergonhada pra caramba e começa a correr pra fora da cabana. 


Daí, Beth aparece e chama a atenção de seus amigos, brigando com eles, e decide ir atrás de sua irmã. Ela sai, durante a noite, e segue os rastros de sua irmã. Quando ambas se encontram, Beth conforta Hannah, porém, algo começa a persegui-las. 

Ambas correm assustadas, até um precipício, onde ficam encurraladas. Daí, ambas escorregam, com um cara vestido com máscara e um lança chamas vindo na direção delas, Beth segura a mão de Hannah enquanto se segura num galho, mas assim que o cara estranho oferece sua mão, ambas soltam e caem pra a morte.

É ai, que a história do jogo começa.

Sam, a alpinista.


Essa é uma mina esportiva, inteligente, que adora escalar as coisas. Praticamente em todas as vezes em que se joga com ela, ela escala algo. Ela é uma alpinista perfeita, e chega até a aparecer apenas de toalha durante o jogo, mas justamente nessa parte, ela não escala nada ( =/ talvez pra não mostrar nada de mais).


Sam é amiga de todos e namorada de ninguém e ela demonstra um vinculo afetivo com Josh, o doidão, principalmente em seu depoimento pós-jogo (explico isso depois). Apesar disso, no gameplay ela acaba se envolvendo bastante com Mike, o pegador.

Mike, o pegador.


Ele é de longe o personagem mais expressivo do jogo, digo isso pois assim que ele aparece, seus movimentos e a forma como ele fala demonstra toda sua expressividade e desenvoltura. O cara também tem uma pinta de liderança e independência.

No começo, ele era o personagem que eu mais odiava, até mesmo mais que Emily, a put4, justamente pelo fato dele ser tão expressivo, achei ele muito cheio de si. Porém conforme a história se desenvolvia, não tinha como não gostar dele. O cara demonstra ser corajoso, heroico, forte e generoso, independente das escolhas do jogador (mesmo se o jogador quiser fazer ele parecer o maior babacão).


Mike e Sam, a alpinista, criam um grande vinculo, o que torna ele "o pegador", pois logo no início do jogo, rola uma discussão entre Emily, a put4 e Jessica, a traumatizada, pelo coração de Mike (coração uma ova). O cara, em um jogo que se passa em uma única noite, consegue "pegar" três das quatro minas do grupo. Ele é muito pegador, isso por que ele não teve muito contato com Ashley, a fofinha, pois Josh, o doidão, chega a jogar indiretas pra Chris, o decisivo, sobre Mike ter mais chances de pegar a Ashley, a fofinha, do que ele.

Josh, o doidão.


Talvez o personagem mais daora de todos, e mais complexo também, ele é irmão de Beth e Hannah, motivado pelo que aconteceu com suas irmãs para fazer tudo o que fez.

Durante os 8 primeiros capítulos, Josh é o antagonista, um falso psicopata. Ele encena sua própria morte no 4° capítulo, onde só ressurge triunfalmente nos últimos capítulos, retirando sua máscara. Em boa parte do jogo, os personagens (e o jogador) acreditam estarem sendo caçados por um psicopata, onde o próprio jogo induz o jogador a acreditar nisso, com jornais, artigos, referências e até mesmo aparições de potenciais vilões. Só que, apesar de tudo indicar que era esse o problema deles, a história surpreende revelando o real perigo, o verdadeiro "vilão".


Até então, Josh assumia esse papel, por baixo da máscara. Antes de tudo, antes de se revelar como  o cara doidão, Josh era apenas o cara que marcou a festa. Após a suposta morte de suas irmãs, ele convidou todos seus amigos, que estavam la no dia em que suas irmãs sumiram, e foram tecnicamente responsáveis por isso, afinal eles que fizeram a brincadeira, para participarem de uma festa, no dia do aniversário de 1 ano da morte delas. Apesar de bem estranho, todos aceitam o convite, para ajudar o próprio Josh, afinal ele tinha sofrido uma enorme perda, e precisava de seus amigos com ele.


Josh, Beth e Hannah eram filhos de uma família rica e dona da montanha, também donos de uma cabana e várias instalações na montanha, porém, também haviam outras instalações, como um Asilo e as Minas, tudo abandonado. Pois bem, Josh combinou da "festa" ser na Cabana principal da família, onde ele havia montado e arquitetado todo um plano cinematográfico para torturar psicologicamente seus amigos, assustando, aterrorizando, e fazendo o máximo para deixá-los tão assustados quanto sua irmã Hannah ficou quando fizeram a pequena pegadinha com ela.

Tudo isso, é revelado no gameplay, mas até isso acontecer, Josh era apenas o irmão tristonho que convidou seus amigos para fazerem companhia a ele num dia de luto e tristeza. Belo amigo né? Por isso falei dele já revelando que ele era o pseudo-vilão. É revoltante saber que o cara havia orquestrado uma vingança contra as pessoas que estavam la para conforta-lo, como Dr. Hill, a ilusão, disse: "Você tinha amigos, e os afastou, se sente melhor agora que está sozinho?".

Ashley, a fofinha.


Essa é uma personagem muito ingênua e fofinha, até mais que Jéssica, a traumatizada. Ela tem uma enorme curiosidade e tem uma queda por Chris, o decisivo, tal qual também tem uma queda por ela, mas ambos ficam enrolando a relação, envergonhados de revelar suas intenções.


Além disso, Ashley é a mais afetada pela "pegadinha" de Josh, o doidão, pois ela acaba acreditando nos falsos fantasmas que ele coloca (até mesmo o jogador acredita, pois são bem realistas). Ela também passa por um evento com uma Taboa Ouija, onde acredita estar falando com o espírito de uma de suas amigas, tudo feito por Josh, o doidão.

Contudo, Ashley é bastante curiosa, e há um momento no jogo em que sua curiosidade pode acarretar em sua morte. Ela escuta a voz de Jessica, a traumatizada, nos túneis para o Asilo (explico quando contar a história). Se o jogador escolher checar a voz, ela acaba encontrando o vilão real do jogo, e perde a vida, de verdade. Tem outras circunstancias onde Chris, o decisivo, acaba tomando esse destino para si, porém tecnicamente, Ashley quem passaria por essa situação, justamente pela sua característica.

Chris, o decisivo


Ele é o segundo cara mais fod4 da história, logo depois de Mike, o pegador, mas só por pura sorte. De início, ele parecia ser um tipo de nerd com corpo atlético, mas a história transforma ele no cara das decisões, o cara que carrega a bomba, O Cara... ou pelo menos o 2° Cara.


Chris tem uma queda por Ashley, a fofinha, mas como ela, não tem coragem de investir na relação, talvez justamente por isso ele é escolhido como um dos participantes principais da pegadinha de Josh, o doidão. Em cada uma das etapas da apavorante pegadinha, Chris é posto para decidir quem sobrevive e quem morre. O suposto psicopata coloca o poder de escolha nas mãos de Chris, tal qual já tinha problemas pra tomar iniciativas, e acaba sendo realmente torturado por ter de decidir sob pressão.

Pelo menos, no fim de tudo, Chris consegue beijar Ashley, a fofinha (isso na história em que quase ninguém morre, e caso ele não seja uma besta que mataria sua amada por qualquer motivo).

Matt, o bobão


Esse é um dos personagens que não tem muito a mostrar. Ele passou a namorar Emily, a put4 e era o cara que segurava a câmera na pegadinha que causou a morte das gêmeas.

Ele tem pinta de atleta, e é bem submisso a sua adorável (detestável) namorada. Mas, ele acaba pegando ela no flagra com Mike, o pegador, e seus ciumes quase o transformam num homem de verdade, eu disse "quase".


Não sei se foi apenas no meu gameplay, mas Matt não participa tanto da história, tendo sua principal e mais marcante aparição durante a viagem desnecessária e perigosa que sua namorada o força a fazer. Depois disso, ele só é visto pelo jogador, no último capítulo. Aliás, ele quase não fica com o grupo, e sua presença se torna imperceptível. Sua falta de personalidade também o desclassifica como provável psicopata, mesmo ele sendo o que mais tinha tempo para fazer isso (afinal ele estava ausente nos principais e mais aterrorizantes eventos provocados pelo falso psicopata). Várias vezes eu me vi perguntando "Ué, cadê o negão?" (sem racismo), pois de fato, o cara tinha sumido, boa parte do jogo.

Pior, é que na primeira vez em que joguei, eu matei ele, sem querer. Em outras vezes em que joguei, descobri que a forma de salva-lo era justamente, não jogar com ele. Deus, pensa, a única forma de salvar um personagem era tomando decisões que diminuíam o jogo com ele... o próprio jogo queria tornar a presença dele indiferente!

Emily, a put4


Aff... essa é a personagem mais odiada do jogo, por todos, personagens e jogadores. Difícil gostar dela, pois logo no início de tudo ela já irrita, pela forma como trata seu namorado, Matt, o bobão.

A mina é propositalmente odiável, até mesmo para matá-la, é difícil. Meu amigo mesmo disse que só da pra matar ela em algumas poucas ocasiões, como em uma perseguição pelo verdadeiro vilão da história. Aliás, qualquer personagem em uma perseguição contra esse vilão morre com facilidade no menor erro, exceto a Emily.


Seus depoimentos pós-jogo também são odiáveis, e dá vontade de jogar de novo só pra matar ela na primeira oportunidade. Meu amigo disse que pegou um depoimento legal dela sobre seu namorado... eu duvido, pois ela é, adivinha: Odiável.

Ela inicia uma briga com Jessica, a traumatizada, do nada, só porque ela é a nova namorada de Mike, o pegador. Sério, é ridículo! Na hora o jogador controla Mike, o pegador, então mesmo interferindo na briguinha, é uma cena ridícula. A revolta de Emily é revoltante!

Jessica, a traumatizada


Por fim, temos ela, Jéssica, tal qual ocasiona um dos momentos mais sensuais do jogo, quando quase faz Mike, o pegador, se dar muito bem, ficando inclusive só de roupas intimas na frente dele... claro que eu não consegui pegar essa situação, pois quando joguei pela primeira vez, meu amigo (com quem eu estava revesando o controle, por episódio) fez a incrível proeza de molhar Jessica com uma rápida pegadinha/susto feita por Mike, o pegador. Essa decisão fez com que ela ficasse molhada e com frio, não retirando suas roupas quando ambos chegam a uma cabaninha no meio do nada.


De toda forma, soube que ela ficaria semi nua pelos Totens, onde mostra uma visão dela toda machucada e só de roupas intimas... ah é, os Totens...

Durante o jogo, além de encontrar documentos, artigos, itens e pistas sobre o paradeiro das gêmeas, psicopata ou dos próprios personagens, também há alguns Totens, de cores diferentes, que revelam visões rápidas do futuro. Cada cor, indica o significado básico das visões, onde por exemplo um Totem Preto mostra uma visão de algum personagem morrendo. Apesar das visões mostrarem de fato coisas que acontecerão, elas não são "precisas" pois é possível mudar o que acontecerá. Aliás, as visões mesmas ajudam a mudar o que acontecerá, pois mostram um possível resultado para suas escolhas.

Voltando pra Jéssica, ela é tecnicamente a primeira personagem a ter contato com o vilão verdadeiro do jogo, sendo muito ferida e arrastada para uma zona toda ferrada, e posteriormente caindo num fosso de elevador, direto pras minas, muito zoada. A mina só acorda, no final do jogo, onde anda um pouquinho, praticamente paralisada e sem entender nada do que tava acontecendo, e pra variar, sendo perseguida e atacada pelo real vilão do jogo, quase morrendo por causa disso (ou morrendo, facilmente, se o jogador não souber o que escolher).



Depois de Matt, o bobão, ela é a personagem com quem menos se joga, mas seu estado no final do jogo é de chocar, ela realmente demonstra está totalmente traumatizada, fora de si, assustada, aterrorizada. Isso porque ela quase não participa diretamente da história... imagina se ela participasse. No final... "correto".... ela e Matt, o bobão, acabam se encontrando e escapando juntos do vilão real, separados do grupo (caso Matt, o bobão, morra, ela o faz sozinha, ou não, se ela morrer também durante essa última fuga).

Bem, esses são os personagens principais do jogo, e deu pra ter um vislumbre de suas histórias com base em suas características. Mas, além deles, há pelo menos 4 personagens importantíssimos pra trama. São eles:

Dr. Hill, a ilusão.


De episódio pra episódio há momentos em que o jogador tem uma consulta com um psicólogo, ao estilo Silent Hill Shattered Memories, respondendo perguntas e fazendo escolhas, que definem o perfil de quem quer que esteja sendo avaliado. O médico que faz a consulta, é o Dr. Hill.


Porém, conforme a história se desenrola, o consultório do Dr. fica bizarro, e vai sendo transformado em tudo o que a pessoa que está sendo tratada mais odeia. Com isso é possível perceber que ele não passa de uma ilusão. E de fato, Dr. Hill é uma ilusão criada pela mente de Josh, o doidão, avaliando seu estado psicológico durante seu "jogo" (forma como ele chama e considera a tortura a qual submeteu seus amigos).

Ele é como uma válvula de segurança e sanidade para Josh, o doidão, mas no final do jogo, ele simplesmente abandona ele, fazendo com que Josh, o doidão realmente fique doidão.

Os Mineradores.


Nenhum deles aparece de fato, pelo menos não em seu estado natural.

Eles são mineradores que ficaram presos nas minas da montanha por vários dias, sendo resgatados posteriormente, já em uma situação precária. Eles sobreviveram, porém tiveram de apelar para canibalismo para isso. Uns comeram os outros, e aqueles que sobreviveram, 15 deles, foram levados para um Asilo instalado na mesma montanha, para terem um tratamento psicológico devido ao terror que eles passaram durante seu confinamento.

Pois bem, quando eu e meu amigo lemos isso, já manjamos todo o enredo do jogo, e percebemos como a história terminaria... pelo menos já sabíamos qual era o vilão real... mas apesar de termos as respostas, e imaginarmos tudo, o fato de haver um psicopata, jogos mortais, fantasmas e um monte de coisas bizarras, não conseguíamos juntar as pontas e encaixar a criatura nascida do canibalismo na história. Mas no final, era justamente essa criatura que era o vilão real.

O Vilão Real.

Wendigo.


A primeira vez que ouvi falar dessa criatura (bem como a maioria das pessoas) foi através do seriado "Supernatural (Sobrenatural)". Wendigo seria a criatura monstruosa nascida do ato de canibalismo. Quando uma pessoa come a carne de outra pessoa, ela adquire um pouco das características dessa tal pessoa, como força, aparência física, coisas assim. Quando essa pessoa come várias pessoas, ela tem todas essas características mescladas e se transforma em um monstro, super-humano. Pelo menos é isso que Supernatural ensina.


Em Until Dawn, um Wendigo surge quando uma pessoa pratica canibalismo na montanha, pois a tal montanha era amaldiçoada com o espírito do Wendigo. Esse espírito possuí a pessoa que praticou canibalismo e a transforma pouco a pouco em um Wendigo.

Um Wendigo é um ser humanoide assustador, com braços longos e dentes afiados, capaz de ver qualquer coisa que se mova. Eles meio que percebem os movimentos, enxergando não importa onde, desde que a coisa se mova. Eles também são muito rápidos, conseguem andar pelas paredes e teto, além de terem grande força e pra variar, são invulneráveis a armas de fogo ou facas. A pele deles é praticamente indestrutível, e o único ponto fraco deles é o Fogo em si. Resumindo: São monstros fod4s que comem carne humana e só morrem com fogo.


O vilão real da história só da as caras de fato nos últimos capítulos, onde as mortes reais começam a acontecer. Digo "mortes reais" pois eu fiz a proeza de matar a maioria dos 8 personagens até o 5° episódio. Depois, eles começaram a reaparecer, vivos (mas eu matei eles de novo, dessa vez de forma mais concreta e pelas mãos dos Wendigos).

Existem vários Wendigos, nascidos dos Mineradores, que não só se converterem nos monstros, como também mataram todo mundo do asilo e sobreviveram por décadas, sem precisar se alimentar novamente. Eles só são soltos por causa da aventura dos garotos pela montanha. Tecnicamente, os adolescentes causaram o caos na montanha, começando por Beth e Hannah.

Aliás, o primeiro Wendigo que começa a matança é Hannah, tal qual sobreviveu a queda no inicio do jogo, e acabou praticando canibalismo com a carne de sua irmã pra sobreviver, isso depois de semanas passando fome, presa nas minas... Ela não teve escolha, e ao comer partes de sua irmã, invocou o espírito de Wendigo que a transformou num monstro, devorando todo o resto da sua irmã, deixando só a cabeça e saindo para caçar na montanha, buscando por mais pessoas pra se alimentar.

O Incendiário.


Por fim temos esse cara, um tiozinho que vivia nas montanhas, equipado com um Lança-Chamas. Esse cara era um caçador de Wendigos, que se adaptou a maldição da montanha, vivendo nela e caçando os Wendigos que lá surgiam. A montanha em si tinha todo uma cultura, tal qual foi desrespeitada pelos supostos donos, mas ele não deixou a mesma, ele continuou vivendo la, protegendo-a. Várias matérias sobre um incendiário que se opunha aos donos da montanha são encontradas ao longo do gameplay, tal qual é posto como um criminoso, e por um tempo a ideia de que ele era o psicopata é alimentada por esses mesmos documentos. 

Só que na realidade o cara era o mocinho, ele por exemplo, tinha tentado ajudar Hannah e Beth, mas elas fugiram dele e do Wendigo que ele tava caçando, tendo o fim trágico que tiveram. Ele também tenta ajudar vários dos outros personagens, mas sempre é visto como perigoso e afastado.


No final, ele morre, ajudando Chris, o decisivo, logo após ensinar um pouco sobre como escapar dos Wendigos. Ele tem sua cabeça arrancada, dando tempo para Chris, o decisivo, fugir. 

Seus diários e mapa são utilizados pelos jovens, que acabam se informando sobre os Wendigos e descobrindo a melhor técnica para evita-los: Ficar parado. Isso salva a vida de todos eles (se o jogador também tiver aprendido essa técnica). 

E seus lobos, pelo menos um deles, pode servir de "vida extra" para Mike, o pegador, pois quando ele é ameaçado por um dos lobos, ele tem a opção de agrada-lo ou de afasta-lo. No caso de agrada-lo, ele faz carinho e até da um osso, com isso, durante o final do jogo, esse lobo acompanha ele e caso um Wendigo o ataque, ele salva. Mas, apesar de ter a outra opção de afastá-lo (com um chute no focinho), mesmo o lobo deixando de aparecer ao lado de Mike, o pegador, caso ele seja atacado por um Wendigo, ele aparece assim mesmo, se matando em seu lugar. Não sei se isso foi um bug do meu gameplay, mas sei que meu amigo deu um chute no lobo, e no final eu fui pego por um Wendigo e mesmo assim, o lobo apareceu. 

Enfim, é isso. Esses são todos os personagens e essa é análise. 

Como sempre, chega a hora de contar a história, porém irei resumir bastante, me focando apenas nas partes importantes, só pra passar uma ideia de como o jogo é.

Não falarei das consultas com o psicólogo pois isso só faz parte da cabeça de Josh.
Tudo começa com a pegadinha que fazem contra Hannah. Ela assustada, foge floresta a fora...




Sua irmã, Beth, veste uma blusa em modo relâmpago e corre pra procurá-la...




Quando ela encontra sua maninha, ambas são seguidas por alguma coisa, e encurraladas...




Daí elas acabam escorregando e caindo, mas Beth segura num galho, até que alguém se aproxima...


E ambas caem de vez, direto pra morte.


E ai começa, Josh convida todos a participarem de sua festa na sua cabana...


Daí são apresentados alguns dos personagens, primeiro aparece Sam e Chris, onde Chris treina um pouco de tiro ao alvo, logo após se encontrarem no teleférico.


Depois são apresentados Mike, Matt e Emily, que se encontram a caminho da cabana... 


Mas Matt segue em frente, pois Emily insiste em voltar para buscar sua bolsa. Quando Matt chega na cabana, ele encontra Ashley que acaba olhando pelo telescópio e pegando Mike e Emily se abraçando. Ao compartilhar sua descoberta com Matt, ele fica puto.


Ah, história vai, Josh é apresentado já na cabana, Jessica também, daí rola a briguinha entre Jessica e Emily, e entre Matt e Mike, e Josh recomenda que Mike e sua namorada Jessica procurem pela outra cabana para ficarem a sós e evitarem mais briga.


No caminho pra outra cabana, Mike e Jessica conversam bastante e acabam tendo de pegar outro caminho, através de uma mina abandonada. 


Enquanto isso, Matt e Emily saem para espairecer, enquanto Josh e Sam tentam religar o gerador de energia da cabana, que tava sem luz, e são trolados por Chris, que encontra várias roupas e máscaras no porão e assusta eles.


Mas os sustos de mentira não duram muito, e quando Mike e Jessica chegam na outra cabana, e ficam confortáveis, Jessica é atacada por alguma coisa, que puxa ela pela janela da porta da cabana, e arrastada floresta afora.


Mike vai atrás dela, passando por vários e vários obstáculos...


Mas quando ele a alcança, ela ainda viva porém toda ferida, jogada em um elevador industrial, o elevador despenca, e ela vai junto.


Mike fica puto e corre atrás do assassino de Jessica, chegando até um Asilo abandonado. Enquanto isso, na cabana, Sam vai tomar banho e Josh, Ashley e Chris brincam com uma Tábua Ouija, e acabam se comunicando com o que parecia ser o espírito de uma das gêmeas.


Com o término do jogo, com todos assustados e Josh aparentemente irritado pela péssima brincadeira (que ele mesmo tinha forjado), Josh sai bravo, enquanto Ashley e Chris fazem o que o espírito havia recomendado, procurando pelo suposto assassino das gêmeas. Eles acabam sendo abatidos por um cara mascarado (Josh).


E levados para um armazém, onde Josh e Ashley estavam presos numa estranha armadilha estilo Jogos Mortais e Chris tinha de escolher qual dos dois morreria, orientado pela voz do Psicopata (Josh).


Não importando a escolha de Chris, a máquina mata Josh...


Abalados, Chris e Ashley encontram Matt e Emily, falando da inegável morte de Josh.


Matt e Emily decidem ir atrás de ajuda, enquanto Ashley e Chris voltam pra cabana, para ajudar Sam, que tava de boa, tomando banho, quase totalmente sozinha, se não fosse pelo psicopata (Josh taradão).


Sam percebe que tem algo estranho na cabana, sai da banheira, veste uma toalha, pois suas roupas tinham sumido, e busca pelos seus amigos, achando que eles estavam zoando ela. Com isso, ela da de cara com o Psicopata, que a persegue, e no fim, a atordoa com gás.


Nesse meio tempo, Matt e Emily passam por um bando de Cervos, descobrem que o Teleférico foi sabotado, e vão rumo a uma Torre de Rádio pedir por socorro pelo rádio.


Daí algo corta os cabos que sustentavam a torre de Rádio e os dois caem, direto pras minas. 


Matt salta pra um lugar seguro pra tentar puxar Emily mas a torre cai ainda mais, levando Emily junto.


Nesse meio tempo, Ashley e Chris, os pombinhos, chegam até a cabana, onde testemunham vários acontecimentos sobrenaturais, coisas batendo, velas se apagando, fantasmas, só isso. 


Eles seguem o fantasma, e encontram mais pistas do suposto assassinato das gêmeas. Por fim, encontram túneis estranhos e neles, encontram Sam, só de toalha, presa numa cadeira. Ao checar se ela estava viva, o Psicopata aparece e atordoa ambos com mais gás.


Quando eles acordam, estão amarrados em cadeiras frente a frente, com uma arma numa mesa e uma serra descendo em direção a cabeça deles. Daí, o psicopata fala que Chris terá de escolher quem morre, de novo, atirando em si mesmo ou em Ashley. 


Enquanto tudo isso acontecia, Mike explorava o Asilo, quase perdia seus dedos, ajudava um lobo e encontrava túneis.


Pois bem, ao atravessar os túneis, ele encontra Sam, presa na cadeira. Ele a acorda e a ajuda a se soltar, e depois, ela abre uma porta para Mike.


Com isso, Mike e Sam encontram Ashley e Chris, e o Psicopata aparece, e tira a máscara, revelando ser Josh.


Mike fica muito puto e bate em Josh, afinal apesar de sua "brincadeira" ele havia matado a Jessica. (Pelo menos era isso que Mike achava, afinal havia seguido o assassino de Jessica até aquele ponto, e Josh havia revelado ser o falso psicopata... enfim). Mike e Chris levam Josh para o mesmo armazém onde ele havia encenado sua própria morte e lá o prendem. Depois Chris acaba voltando pra cabana enquanto Mike ficava de olho em Josh, até que amanhecesse e eles saíssem em busca da polícia.


Enquanto isso, Emily milagrosamente havia se safado...


Daí ela cai nas minas e tenta sair, sendo seguida por um estranho cara com um Lança-Chamas.


Mas, Emily foge dele, até ficar encurralada e um monstro aparecer, contra o qual o cara do Lança-Chamas luta, e empurra Emily.


Pois bem, a criatura vai atrás de Emily, e ela foge gritando, chamando a atenção de Mike que deixa Josh sozinho no armazém e vai ver o que tava acontecendo. Todo mundo chega na cabana, onde Emily conta do monstro que seguiu ela.


Depois de desabafar e todos entrarem num acordo de que o que Emily viu não era Josh zoando, o cara do Lança-Chamas aparece, e explica tudo pra eles, contando sobre os Wendigos.


Com tudo explicado, eles decidem dar o fora daquele lugar, porém lembram que Josh tava preso. Chris decide resgata-lo, e o velho do Lança-Chamas diz que irá guia-lo, ou melhor, o cara do Lança-Chamas iria salvar Josh e Chris iria guia-lo.


Mas ao chegar no armazém e ver que Josh havia sumido, o cara do Lança-Chamas perde a cabeça... literalmente.


Chris é seguido e atacado pelo Wendigo, se defendendo com tiros, até voltar pra cabana.


Lá, todos reunidos, decidem o que fazer, onde ao invés de ficar parados, esperando até o amanhecer (como o nome do jogo sugere) afinal os Wendigos atacavam somente de noite (coisa que o velho conta) Mike aponta uma arma pra cabeça de Emily, por ela estar com um arranhão do Wendigo que tinha seguido ela, mas não atira.


Depois de perceber que Wendigos e Zumbis são bem diferentes, Mike decide ir atrás das chaves pro teleférico que estavam com Josh, buscando por seu corpo na toca do Wendigo, a qual ele acredita ser no Asilo. Lá ele encontra seu amigo lobo...


E um monte de Wendigos, que ele enfrenta com uma arma que havia encontrado, porém não encontra nada de corpo de Josh.


Mas enquanto Mike se matava e arriscava em sua busca, seus amigos decidem ajudá-lo e seguem ele pelo mesmo caminho que ele fez, porém ele havia fechado uma porta e eles tem de pegar outro caminho, indo pelo subterrâneo. Lá, Ashley se separa do grupo e escuta Jessica chamando, ou pelo menos quem ela achava que era a Jessica, mas decide voltar pro grupo e seguir buscando por Mike.


Só que o grupo encontra um caminho sem saída, e Sam decide escalar e ir atrás de Mike, enquanto os outros davam meia volta e iam pra cabana esperar (algo que deveriam ter feito desde o início). Sam consegue chegar a tempo de abrir a porta que tava prendendo Mike e salva-lo golpeando um Wendigo. Depois ambos explodem tudo e vão para as minas, onde milagrosamente encontram a toca do Wendigo.


Josh, piradaço, tava tendo visões de suas irmãs mortas e um monte de loucura, quando Sam e Mike aparecem e o resgatam.


Daí Sam acaba pegando um atalho de volta pra cabana, escalando de novo, enquanto Mike e Josh voltavam pelo caminho mais longo. 


Só que, durante a viagem de Mike e Josh, um Wendigo aparece. 




Josh percebe ao ver uma tatuagem de borboleta que aquele Wendigo era Hannah, e ela o arrasta pra longe.


Enquanto isso, Matt que havia sumido aparece nas minas, e encontra Jessica ainda viva. Ambos são perseguidos por um Wendigo, mas escapam, ficando paradões (simples não?!).


Então, no fim, Sam chega até a cabana, onde Mike a encontra, eles invadem, percebem que a energia havia voltado, porém mantem tudo apagado e se protegem. Ao ir rumo ao porão para encontrar com o grupo, todos saem correndo e gritando com um monte de Wendigos vindo. Sam fecha a porta e todos correm pro andar de cima, onde todos ficam parados, pois um Wendigo já tinha chegado la.


Era o Wendigo de Hannah, que estava com todos ali, parados em sua frente. Porém como Wendigos não enxergam se não há movimento, Hannah ataca outros Wendigos (que estavam se movendo). Nesse meio tempo, Mike percebe que um dos Wendigos que Hannah tinha atacado rompeu um cano de gás, e decide explodir tudo quebrando uma lampada e acionando o interruptor.


Porém, ele precisava tirar todo mundo da cabana primeiro, então Sam distrai o Wendigo/Hannah, pra que todos escapassem, enquanto Mike preparava sua armadilha explosiva.


No fim, Sam corre e ativa o interruptor, explodindo a cabana e todos os Wendigos.


Então, no fim, ao amanhecer, um helicóptero chega e resgata todo mundo. 


Fim... com todos os 8 salvos... ou quase, pois depois dos depoimentos...


Onde Chris explica como o velho morreu.


Matt declara sobre sua experiencia na torre.


Emily mostra quão put4 é.


Ashley fala sobre ter ouvido Jessica e não te-la ajudado.


Jessica diz que não foi ela quem chamou por ajuda e declara o quão Mike é heroico, além de demonstrar o quão abalada estava.


Mike fala sobre o que houve com Josh.


E Sam, finaliza tudo, dizendo para investigarem as minas pois lá estavam os verdadeiros culpados por tudo.


Os policiais seguem o conselho de Sam, e checam as minas, encontrando Josh...


Como um Wendigo.


Ai sim, é fim.

Bem, bem, bem... é isso. 

A história tem vários outros detalhes menores, mas eles variam bastante dependendo das escolhas. Seguindo pelo caminho que salva todo mundo, essa é a história resumida. Pior é que eu, na primeira vez em que joguei, consegui matar todo mundo, duas vezes (uma pro psicopata, que era só mentirinha, e a outra pro Wendigo, que ai sim era definitiva). Mas o importante é que, consegui salvar os 8, na 4° tentativa.

Apesar de provavelmente não ser isso, faz sentido dizer que a presença de Dr. Hill na história é uma referência a Silent Hill Shattered Memories. O nome do cara tem "Hill", e a interação com ele é praticamente idêntica a de Dr. Kaufmann em Silent Hill SM.


Como eu disse, pode não ser isso... mas também pode sim ser. Until Dawn é cheio de possíveis referências, como Jogos Mortais, Supernatural (coincidência ou não, a trilha sonora de UD tem a música "O Death" que também é utilizada em Supernatural, bem como os Wendigos e sua aparência... pode ser apenas coincidência... mas pode ser uma referência!), A Cabana (esquema de maldição, cabana, floresta...) e por ai vai.

Uma consideração de última hora que acho que esqueci de falar, mas é importante pra caramba falar: 

Os gráficos "incríveis".

Por melhor que sejam, e reconheço que são gráficos maravilhosamente incríveis, com os personagens cheios de expressões faciais e movimentos super realistas, além de claro, ter uma iluminação e sombreamento impecável e uma paisagem de encher os olhos... não é lá tudo isso não.

Quando mostrei a análise pro meu irmão, ele ficou pasmo com os gráficos dos personagens, ele disse "Caraca, PS4 é muito realista!!!" mas eu não fiquei tão impressionado assim, pois apesar dos gráficos serem "realistas"... eles são de fato "reais". Os personagens são atores, do mundo real, digitalizados... como não ser realista uma vez que usa elementos baseados em coisas reais?! Eu realmente não me impressionei com isso... me impressionaria se tivessem criado os traços a partir do zero, se tivessem digitalizado as expressões dos atores e inserido em personagens visualmente originais... e com toda certeza não foi isso que aconteceu. 



Ashley 
(cara eu achei ela fofa e tipo, a atriz dela é ruiva... eu amo ruivas!!! Elas são fofas mesmo sem ter cabelo vermelho!!!!) 


Hannah e Beth, gêmeas interpretadas pela mesma atriz 
(Ah vah!?)


Chris 
(foi mal, achei essa foto a melhor rs.)


Emily 
(Caraca, a atriz é bem diferente da personagem... o que um cabelo diferente não faz... achei a atriz muito mais simpática!)


Jessica
(Foi mal, achei essa imagem da Jess a mais expressiva rs.)


Josh
(Mano, é o Ahkmenrah!)


Matt
(O ator tem mesmo um cabelo grande...)


Mike
(O ator parece mais velho...) 


Sam
(I-D-Ê-N-T-I-C-A)

Um amigo meu disse que o ator que interpretou Matt, tem um cabelo grandão e teve de deixar ele amarrado pra trás durante a atuação, afinal seu personagem tinha cabelo curto... isso foi a inovação gráfica? Estamos falando de um jogo exclusivo pra uma plataforma da geração atual de games... eu realmente não consigo me impressionar com isso... e olha que reconheci que os gráficos são lindos, mas são aquilo que qualquer um esperaria de um jogo que foi feito com um designe em cima de coisas e personagens reais. Poxa, eu vi isso pela primeira vez em Harry Potter - O Cálice de Fogo - Game, onde os atores, todos eles, tinham sua aparência retratada no game, com seus mínimos detalhes... até então sim, era de impressionar, pois era um jogo de PS2... mas agora?! Sei la, eu acharia bem mais interessante e impressionante se tivessem criado personagens com aparência que não existe no mundo real, mesmo sabendo que é bem difícil pois o mundo é grande e sempre tem alguém "parecido", mas justamente, esse esquema de "parecido" seria legal... talvez gerasse problema com direitos de imagem... uhm... talvez tenha sido isso que impossibilitou tamanha inovação... mas, por outro lado...

Os Wendigos, e sua aparência.

De fato, eles são assustadores. Mas na parte final do jogo, quando eles lutam entre si, eu fiquei apavorado, não por ser uma cena de dar medo, mas por estar assistindo algo que me da muito medo: Stop Motion. 



Eu me vi assistindo uma animação de terror feita com a arte do Stop Motion, aquele esquema de pegar um bonequinho de massinha e mover ele, pouco a pouco, enquanto fotografa as posições, colocando tudo em sequencia depois para simular o movimento. Cara, é impossível não perceber quando o Stop Motion é ativado, pois essa técnica tem uma bizarra falha de deixar o personagem meio tremido, e isso me apavora. Sabe aquele movimento de algo se contorcendo e tremendo... é medonho, e eu vi isso nos Wendigos, principalmente no final do jogo. Mais uma falha para a movimentação.

E tem mais uma coisinha que deixa o jogo um pouco menos fod4, que é justamente:

A Paisagem, e sua inacessibilidade.

Para e pensa, num jogo de gráficos incríveis, seria bem interessante se o personagem fosse livre pra explorar todos os cantos da paisagem não?! Pois é, aqui não há essa liberdade. Os mapas, são em sua maioria, travados. Eles tem sim movimentos nas árvores e partículas, sombreamento e iluminação, porém o jogador não tem liberdade para se quer virar ou reposicionar a câmera. Isso, talvez faça parte do próprio gênero do jogo, Horror Survival, bem no esquema saudosista e de forma nostálgica, seguindo os passos dos aterrorizantes Horror Survival dos velhos tempos, tipo Resident Evil 1 e Silent Hill 1, só que isso automaticamente diminui a beleza gráfica do jogo, pois o mesmo se torna simplificado de mais, e poxa, o gameplay já é bem simples. 

Poxa, seria muito legal explorar um lugar tão amplo com mais liberdade.
Pois bem, eu só precisava muito acrescentar isso, pois apesar de ser uma "crítica batida", não deixa de ser verdade. Pra uns, isso tudo que mencionei acima pode ser algo muito atrativo no jogo, mas pra outros, pode ser algo que não agrade muito não, tipo eu: Entre jogos estáticos e jogos livres, eu prefiro muito mais os livres. Se vai ter de explorar de qualquer forma, que seja de uma forma total não!?

Agora sim, fim.

Bem, obrigado por sua paciência, e foi um prazer digitar. Faz tempo que não faço uma análise relâmpago, mas fiquei tão empolgado que simplesmente saiu! Agora, nos vemos na próxima, e tomara que eu me empolgue tanto assim de novo!!!

Até a próxima!

34 comentários:

  1. Bela analise carinha,não sabia que o wendigo no final era a hannah,não tinha notado que o bicho tinha tatuagem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adicionei algumas coisas na análise, como a foto da tatuagem. De fato, isso só é revelado no final, com a captura de Josh. E se caso o jogador explore um pouco a área com água, é possível encontrar um diário de Hannah, que descreve seu processo de transformação, tal qual acarreta no salvamento/transformação de Josh em Wendigo, ao invés de ter sua cabeça esmagada pela Hannah.

      Excluir
    2. Não,disso eu ja sabia ,estou falando da parte na cabana com os wendigos lutando

      Excluir
  2. Bela análise;o jogo parece ser legal;belos gráficos realidade pura.
    Supernatural é outra série que decaiu;ficou chata a partir da última luta de Sam com Lúcifer,depois disso desandou ficou parecendo até Crepúsculo com aquele lance de vampiro ficou chato pra baralho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh, leia de novo, pelo menos o final da análise. Adicionei um trecho que tinha me esquecido mas que meio que responde seu comentário.

      Os gráficos são sim realidade pura... literalmente rs. Curiosamente, também entra um pouco daquele seu outro comentário sobre o bom e velho estilo de jogo em cenas estáticas.

      Mano, Supernatural realmente decaiu pra caramba... antes era cultura, agora ficou bem repetitivo, forçado e principalmente previsível. Eu ainda assisto, na esperança de ver ele voltar pro que era antes... ta dificil viu, e acho que dificilmente voltará a ser bom. Antes eu e meu amigo imaginávamos nossas vidas como de caçadores, e até "acreditávamos" no sobrenatural manja, só que, Supernatural ficou viajado de mais, ao ponto de nem assustar, nem convencer, nem agradar, ele apenas... é.

      Excluir
  3. Mais uma série que entrou na "onda" infelizmente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, mas por sorte há outras séries interessantes surgindo, Ghotam por exemplo, é muito interessante, apesar de não ser do gênero "terror". Mas viu que tão pra re-lançar Arquivo X?! Vai ser ótimo (se não "entrarem na onda")

      Excluir
  4. Eu não coloco minha mão no fogo pela re-estreia de Arquivo X não,tudo hoje tá pior do que foi antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoo... eu entendo. Bem, pelo menos tem The Walking Dead que apesar de não ser "terror" tecnicamente falando, é um(a) bom(boa) seriado/história.

      Excluir
  5. Qual foi a melhor parte do jogo na sua opinião?(como se eu não soubesse a resposta né ?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A melhor parte na minha singela opinião é a parte em que Mike passa pelo asilo e enfrenta vários Wendigos. Achei a parte com mais ação e mais empolgante também. Além dela, a parte final da explosão, foi a mais tensa e a que me fez suar frio. Ficar parado nunca foi tão difícil.

      Excluir
    2. Pra mim nenhuma delas supera a parte onde vc pode dar um tiro no olho da Emily

      Excluir
    3. Que malvado sr! Eu fui um daqueles que mirou no olho dela e só não atirou pq o controle travou kkk. Mas sério, a única personagem que eu tentei salvar muito foi a Emily... justamente por odiá-la... qual a lógica?! Eu matei as duas personagens que eu mais curtia pro Wendigo, provavelmente o mesmo Wendigo, Jessica e Ashley. Pelo que eu reparei, o Wendigo que tinha arrastado Jessica era o de Hannah, alias, ele era o único que ainda estava solto pela floresta, pois quem solta os demais é o Mike pelos vacilos dele. Os outros que existiram e ficavam na floresta antes de Hannah ser o Wendigo já tinham morrido queimados pelo cara do Lança-Chamas. Alias o grande vilão aparentemente é a Hannah... enfim, quando Ashley escuta a voz de Jessica (que na real é um Wendigo) os sons são bem parecidos com os que Jessica faz quando está sendo arrastada pelo Wendigo de Hannah, e chama por Mike (repare que a primeira vítima de fato de Hannah é justamente, a namorada de Mike, logo após ela declarar o quanto irá fazer sexo com ele! Seria um tipo de vingança ou ciumes por parte do Wendigo? Afinal ela teve várias outras chances de atacar os dois, mas não o fez. Tem o esquema do Celular também, ele é "devolvido" pelo Wendigo para Jessica, antes dela começar a provocar, o que indica certo grau de inteligência ou pelo menos, certa noção). Continuando, é como se o Wendigo estivesse imitando a voz de Jessica, logo, era Hannah novamente, atraindo Ashley para uma armadilha (é mencionado no jogo que Wendigos eram bons em imitar). Cara, sei que dei uma viajada no comentário mas, se parar pra pensar, Hannah que mmais ataca o grupo de forma não-letal (no gameplay correto, ela não ataca ninguém a ponto de matar). E cara, sério, vaso ruim não quebra, por isso que Emily nunca morre. Eu tenho sérias dúvidas se é realmente possível matar ela naquela parte... sei la, fácil de mais kkk (e eu anda não testei...)

      Excluir
    4. Sim ela morre , para a alegria de todas as pessoas do mundo,sério se eu fizesse os trofeus do jogo faria que o trofeu de melhor final fosse o da emily morta hehe

      Excluir
    5. Hoo... eu fiquei curioso quanto não apenas mata-la, mas literalmente matar todos. Eu matei a maioria na primeira, segunda e terceira vez que joguei (na primeira, matei Matt, Ashley, Jessica, Mike e Josh; na segunda matei todos, exceto Emily e Sam; e na terceira matei todos, exceto Sam.) depois, na quarta vez eu salvei todos. Eu tenho um "pacto" onde evito jogar os jogos que já analisei novamente, mas assim que eu tiver a oportunidade irei matar todo mundo, em momentos específicos (tipo a Emily na base da bala) só pra ver o que acontece.

      Excluir
  6. Eu não gosto de The Walking Dead;é muito paradão.
    Cara o Arkmenha(deve tá errado rs);é identico ao Bruno Mars.
    E tipo eu acho mulheres ruivas muito bonitas;mas é aquilo são muito fofas;tira todo tesão parece sua irmanzinha,eu gosto de todo tipo de mulheres;mas prefiro mulheres brancas com cabelo escuro;sei lá parece que o cabelo escuro é mais sexy rs.VLW.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto de TWD pelo drama... mas não é tão parado assim não, depende muito do episódio.

      Eu só curto ruivas mesmo... apesar de só ter me dado bem com moças de cabelos morenos... meu sonho é conhecer uma garota ruiva...

      Excluir
  7. Gabriel sobre a parte das coisas de antigamente serem melhores que hoje é algo bastante relativo,não se pode afirmar que tudo é melhor ou que tudo é pior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara isso é questão de opinião;mas eu posso citar alguns exemplos de como isso acontece com filmes,música,jogos,séries,eu também prefiro carros da década de 70 até os anos 2000.E como eu gosto de Rock isso fica muito mais evidente,mas vc vai lá e fala:Hoje ainda tem Green Day,The Strokes,Red Hot Chilli Peppers,Franz Ferdinand...Tá eles são bons;mas não se comparado a época áurea do rock dos anos 60 até meados dos anos 90 passando de The Doors até Nirvana;até a TV era melhor antigamente.A as únicas coisas melhores hoje em dia é que a tecnologia evoluiu muito,tem mais curas para doenças e/ou tratamentos e as coisas ficaram mais práticas só para dizer que não tem nada.Abraços.

      Excluir
  8. Cara,geralmente não comento muito,mas adorei o blog,lendo os artigos de Silent Hill agora.Cheers!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cheers... rs... Sr Will, seja bem vindo. É um prazer receber seu comentário, significa que está realmente curtindo.

      Os textos sobre SH são bem interessantes... sou meio suspeito em falar mas eu mesmo adoro eles rs. Um dia, ainda vou falar sobre o segundo filme... só preciso de bastante inspiração pois vai ser bem tenso falar dele... o segundo filme é resumidamente: Ruim.

      Bem, See you later... and cheers! rs

      Excluir
    2. Sei que não é lugar para responder,principalmente por ser um artigo de outro jogo,mas terminei a saga Mason e a sua teoria sobre o Shattered Memories é incrível.Mesmo discordando dela(mais por questões de foco narrativo do que qualquer outra coisa),não há pontos contrários relevantes,o que seria muito legal até de abordarem em outros jogos da saga.Talvez a história Mason ainda não tenha acabado.

      Agora,partindo para o segundo(o favorito)e...Cheers!

      Excluir
    3. Silent Hill é uma "arte abstrata". Nem mesmo os produtores sabem o quão fundo cavaram... são tantas ideias misturadas, que a identidade enigmática é inegável.

      Silent Hill é doidera pura kkk, ou você se agarra em uma forma de avaliação própria, ou segue as avaliações e interpretações de outras pessoas. Uma grande falha nessa segunda ocorre quando uma pessoa segue diferentes interpretações, de pessoas diferentes, por serem jogos diferentes... isso que deixa tudo estupidamente confuso... quando na realidade, o truque pra se entender e interpretar é juntar tudo em um.

      Eu dei sorte de ter sobrevivido pra escrever sobre todos os Silent Hills existentes até hoje... e me sinto empolgado e até desafiado a continuar com minha linha interpretativa mesmo nos próximos Silent Hills. Me sinto dessa mesma forma quanto Zelda, Mega Man e Devil May Cry, que são franquias mal interpretadas que eu desenvolvi minha própria interpretação.

      Sr... Cheers! rs

      Excluir
  9. O game parece até bom sim, mas não tive muito interesse. Há games como o Indigo Prophecy por exemplo, que usavam o sistema de escolhas e tal, não tão variadas assim, mas a história e o enredo são épicos. Um dos melhores jogos que já joguei. Que tal uma análise do filme "Doce Vingança 3", que é meu favorito na trilogia? Enfim um sem cenas longas e demoradas de estupro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hei sr Marcio!

      Indigo Prophecy é um bom jogo... eu vou conferir ele qualquer dia. Sobre o filme... existe Doce Vingança 3??? Caramba, eu só vi o 2 e partes do 1, não tive estomago pra parte do estupro. As torturas por outro lado, do 1 forma ótimas... do 2 foram tediosas. Mas bem, verei o 3, se pa falo da triologia numa unica postagem. Mas, to meio saturado de analises kkk, to com imagens de Tomb Raider, Alan Wake e Remember Me, além de tar fascinado por Darksider... eu não consigo parar de jogar. Também to com imagens de Atividade Paranormal Dimensão Fantasma (farei analise dele no Natal, por fazer parte da história tal feriado) e de Silent Hill Revelation 3D. Pretendo fazer todas essas análises até o ano novo, mas sério, to preso em Darksiders... jogaço kkk. Então, odeio dizer isso mas por hora to limitado (e pior que preciso falar logo de Mega Man ZXA, fui muito cobrado já, e também preciso falar de Zelda TP, SS, FS e MC... além de um Fatal Frame)

      Ta difícil, mas vou me esforçar rs. (Darksider é um jogo lindo... bugado... mas lindo!)

      Excluir
    2. Concordo, nada supera enfiar uma espingarda no c*

      Excluir
  10. Deve ser Muito bom esse jogo, quando ouvi falar pensei que era que nem beyond two soul, mas agora eu gostei dele, a analise ficou otima, se vai fazer de sh revelation 3d? Eu so assisti o filme agora e estou doido pra saber seu ponto de vista sobre o filme. Ass:yuki wonkan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sr Wonkan... SH 3D vai ser memorável! Vou por meu sangue na análise.

      Sobre Until Dawn... só zerei ele 4 vezes, 3 delas seguidas, então tipo, eu acho que é bom kkk. Isso porque meus amigos disseram que ele era ruim por não ser bom pra repetir, mas eu amei... tanto que fiz uma análise em modo relâmpago.

      Excluir
  11. Re lendo o post, só fico triste de ver que John Abruzzi foi esquecido de ser mencionado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou muito ligado na parte técnica, nunca sei quem dubla quem rs.

      Excluir
    2. Nem é o ator cara, esse é um personagem que ele faz em uma certa série , adivinhe qual é

      Excluir
    3. Prison Break... foi mal eu já tinha pesquisado kkk.

      Excluir
    4. Só tenho uma coisa a dizer sobre essa série : ASSISTA!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+