PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

domingo, 23 de novembro de 2014

AnáliseMorte: Devil may Cry! Entenda o real significado de DmC, o DMC5!

Devil may Cry



Chegou a tão esperada hora de escrever sobre dmc 2013, o Devil May Cry mais mal compreendido da história dos DMC's!

Pra piorar nem é um jogo tão difícil de entender, e é uma pena que o erro cometido na interpretação dele seja baseada em mero "fanboyonismo".

Que seja, estou me sentindo pronto para digitar, então, irei começar! Deixando claro que essa é uma análise de franquia, e é como se fosse uma das partes da análise total. Você pode ler (eu recomendo e aconselho) as demais análises prontas até então: Devil May Cry, Devil May Cry 2 e Devil May Cry 3.

Meu objetivo original era postar em ordem a-cronológica e explicar a cronologia, e no final, falar do DmC, encerrando as análises dessa saga até então, entretanto, irei pular o Devil May Cry 4 por enquanto e falar do DmC antes, pois acho que vai ser mais fácil explicar o 4 depois ^^"

WARNING!


Todo o texto a seguir é composto de material carregado com informações que podem ser importantes e bem aceitas por você (ou não). Se não deseja entender o jogo em questão em seus mínimos detalhes, e conquistar o que o título desta postagem promete, recomendo que não continue sua leitura. Caso contrário, espero que se divirta e expanda sua mente! 

Também podem haver cenas inapropriadas para menores... sei la... 
Observação: "DmC" significa Devil may Cry (Demônios podem Chorar) e a palavra "may" com letra minúscula é um diferencial do título desse jogo. Todo Devil May Cry se escreve com as iniciais em maiúsculo, todas as iniciais. Por isso, DmC é diferente de DMC, e ao falar DMC me refiro aos demais Devil May Crys, e quando falar DmC é somente a esse Devil May Cry. 

Boa leitura!



Devil may cry é um jogo no estilo Hack&Slash, onde o objetivo principal é realizar ataques combados com armas diferentes, entre armas de fogo e armas brancas.

Cada obstáculo tem sua arma ideal, sua fraqueza maior, mas o que realmente vale e diverte é a variedade de combinações e movimentos, com as armas alternadas, possibilitando combos altos classificados de D a SSS. As missões também são classificadas dessa forma, baseadas nos itens coletados (almas de sangue e chaves, missões secretas completadas, itens gastos, além da pontuação do jogo me si,)


Não mudou muito esse estilo com relação aos jogos anteriores, e apesar desse dmc ter sido produzido por outra empresa, a Ninja Theory com parceria da Capcom, ele é bem fiel ao estilo original, e também ao enredo.

Contradizendo críticas, comentários e anúncios pelo mundo, diria que Devil may Cry é o DMC que mais respeitou e contribuiu com o título, se tornando uma parte inquestionável e essencial da franquia. 



DmC foi lançado em 2013, para PC, Xbox 360 e PS3, e foi anunciado como "Reboot" da franquia, sendo muito rejeitado muito antes de seu lançamento, devido sua divulgação errada. Rolou um trailer, que mostrava uma versão um tanto quanto Punk do protagonista, o que revoltou muitos fans acostumados aos traços e estilo do mesmo nos jogos existentes até então.



Esse trailer acima já deu indicações de qual era o objetivo dos desenvolvedores, mostrando um Dante mais jovem e rebelde, caracterizando uma provável explicação da origem de Devil May Cry, antes mesmo do primeiro jogo. Mas, muitos questionaram a mudança no visual do protagonista, mesmo com essa ideia evidente, e ainda por cima duvidaram da capacidade da Ninja Theory em manter a "alma" do jogo, uma vez que ele sempre foi produzido pela Capcom e, com uma segunda empresa no controle do desenvolvimento, muitas mudanças poderiam e iriam surgir.

A questão é que, humilhando completamente todos aqueles que duvidaram, a NT fez um dos melhores trabalhos da história, não apenas colocando em prática a ideia de mostrar o início de DMC (que não existia) mas também mantendo tudo o que era de melhor, e ainda por cima, conectando todos os enredos e jogos da franquia de forma impecável.



Devil May Cry nunca teve um inicio, uma origem, ou uma "alma" propriamente dita. Cada jogo teve seus altos e baixos, e cada jogo trouxe alguma novidade que, agradou uns e decepcionou outros. DmC não foi diferente, mas foi um pouco além disso: Além de trazer suas novidades e inovações, ainda incorporou tudo o que havia de melhor nos 4 jogos anteriores. 

Irei explicar os motivos por pensar assim, e farei o possível para fazê-lo compreender DmC, tudo isso enquanto descrevo o jogo, os personagens, os vilões, as conexões... enfim... tudo!


Personagens


Dante



Como quase sempre, o protagonista. 

Dante é o rapaz de muitas personalidades que, conforme se desenvolve muda completamente, física e psicologicamente. 



Aqui, ele é apresentado como rebelde, revoltado com tudo, não liga pra ninguém, e só quer curtir. 



Também é mostrado como ele se transformou em um defensor da justiça em prol da humanidade, um herói, um inimigo de tudo que é mal, o Dante caçador de demônios.



Dante também conheceu aqui o seu real passado e sua origem, como Nephilim. Descobriu um pouco sobre seu pai e conheceu sua mãe, além de descobrir, ajudar e se revoltar com seu irmão. Ele também aprendeu a amar a humanidade, e se apaixonou por uma humana.



Toda a rebeldia de Dante é justificável. Ele cresceu sozinho, viveu sozinho, sem memórias, sem familiares, sem amigos. Dante apenas estava no mundo, sobrevivendo. Foi criado num Orfanato durante sua infância e depois que descobriu sobre os demônios que o cercavam, a merd4 veio a tona. Ele se tornou revoltado e rebelde e além disso, ele também era constantemente alvo de demônios, seres que aparentemente só ele via. 



Hora ou outra arrastado para o Limbo (região entre a terra e o inferno, onde demônios andam livremente) Dante aprendeu a sobreviver lutando, empunhando sua espada Rebellion e suas pistolas Ebony e Ivory. Entretanto, tudo o que Dante fazia era pra se defender, e sua vida se resumia a isso: Lutar contra os monstros que o atacavam, e nos tempos livres curtir a vida com mulheres, comida e bebida!



Dante era moreno, se curava muito rápido, questão de instantes, e tinha uma força elevadíssima além de ser muito hábil com lâminas e armas de fogo. Dante tinha todas as habilidades de um verdadeiro guerreiro, e era jovem, e mesmo sendo caçado por demônios o tempo todo, ele mal suspeitava de sua real origem.



Um dia, uma garota bateu à porta do trailer de Dante, e a partir do momento que se encontraram, seu passado, presente e futuro se conectaram.



Essa garota ajudou Dante a escapar de um demônio poderoso, que queria sua cabeça, e posteriormente, o recrutou pra uma equipe empenhada em livrar o mundo dos demônios, liderada por ninguém mais ninguém menos que o irmão gêmeo de Dante.

Dante aprende a gostar e respeitar a humanidade, e passa a lutar em nome dela, tudo por causa da garota que tanto lhe ajudou, e seu irmão.



Após concluir seu objetivo, de junto a seu irmão, deter o demônio dos demônios, Mundus, Dante se vê obrigado a deter seu próprio irmão, que acaba querendo assumir o papel que Mundus desempenhava. Após fazê-lo, Dante se torna o caçador de demônios.



Dante foi responsável não apenas pela queda de Mundus, como também foi quem revelou a existência dos demônios para o resto do mundo. Antes, no Limbo era onde eles ficavam, ao lado dos humanos, influenciando e até convivendo, causando mal, por baixo dos panos. Tudo parte da manipulação de Mundus... mas, depois que Mundus caiu, o véu entre o mundo humano e o Limbo sumiu, e os demônios foram revelados para todos.

Dante, passa a caçar essas criaturas, e defender os humanos, e é por causa disso que Devil May Cry passou a existir.

Devil May Cry, ou Devil Never Cry, é a loja de caça que Dante montou posteriormente. Essa loja existe já no mundo corrompido com demônios a solta, mas antes dela existir, quem mantinha tudo sob segredo e a humanidade sob manipulação era Mundus, o qual foi derrubado por Dante e seu irmão, Vergil. Depois disso, Dante se responsabilizou por manter os demônios longe dos humanos.



Dante também acabou descobrindo seu lado demônio, e seus cabelos escuros ficaram totalmente brancos, no momento em que ele liberou seu Devil Trigger. A forma de Dante, com cabelos brancos e franja, caídos, e roupas vermelhas, nada mais é que Dante em seu Devil Trigger, e sua forma de demônio permanente. Quanto mais Dante se transforma, mais parecido com um demônio ele fica. Quando Dante fica mais velho, as roupas vermelhas e o cabelo branco, são mais do que simples estilo, são parte dele, são ele. Ele já se encontra num estado avançado do Devil Trigger, tanto que, quando ele se transforma, assume o formato de um demônio completo, e mesmo sem se transformar, suas habilidades são sobre-humanas e praticamente impossíveis.

Essa é a explicação pra Dante ser imortal, ser fod4stico em sua maturidade, ser tão justiceiro e odiar tanto os demônios. Dante nem sempre foi assim, e em DmC conhecemos seu lado antes de se tornar assim, e o processo pelo qual ele passou para se converter naquele que conhecemos.


Vergil


Vergil é o irmão gêmeo idêntico de Dante... "idêntico" exceto pelo fato de ter cabelos brancos desde sempre, e ter habilidades diferentes de Dante. 

A cor azul e o cabelo branco são características demoníacas de Vergil, exatamente como a cor vermelha e o cabelo branco são para Dante. O fato de Vergil ter isso desenvolvido desde sempre, indica que ele puxou seu pai, Sparda, enquanto Dante puxou mais sua mãe, Eva.

Ambos, Vergil e Dante, são filhos de um demônio e um "anjo", assim se tornando Nephilins. 



Vergil tem habilidades de teletransporte e distorção dimensional, podendo abrir portais, buracos no espaço ou simplesmente se dividir em dois. Ele também pode projetar lâminas de energia, e consegue se mover numa velocidade surpreendente. Além disso, ele é muito inteligente e esperto, conseguind por exemplo hackear qualquer coisa com facilidade. 

Ele lidera um grupo denominado "A Ordem", que tenta limpar o mundo da corrupção e desordem, que na verdade são os demônios soltos e escondidos.



O principal objetivo de Vergil e sua organização é derrotar Mundus, e assim que Vergil encontra seu irmão, ele coloca esse plano em prática, com a ajuda dele e de Kat.



Vergil consegue fechar o portão do inferno, fonte de energia de Mundus, usando sua Yamato, espada que herdou de seu pai (como a Rebellion para Dante), e assim, ganha o poder para controlar o mundo no lugar de Mundus!

Dante não concorda com isso, e por causa disso ambos brigam. Vergil perde a batalha e ambos se separam. Vergil vai embora, e Dante fica com Kat.



Porém, Vergil não aceita sua derrota e acaba se juntando àqueles que ele tanto odiava, os demônios, e acaba controlando eles, se tornando o líder deles, e usando-os para seus fins.  

É por causa disso que Vergil luta contra Dante sempre, e por causa disso que apesar de ambos serem rivais, não chegam a se odiar. São irmãos, se amam, mas lutam, por conflito de ideais. 
Essa rivalidade fica muito clara em DMC3, e aqui entendemos o porquê... também é explicado porque Vergil ataca seus próprios demônios e não demonstra tanta tolerância com eles, e também porque ele odeia tanto Mundus, e por que Mundus odeia tanto ele. 
Curiosamente, Vergil evita usar armas em DMC3, e o final icônico do mesmo, onde ele e Dante atiram com Ebony e Ivory, é uma cena tecnicamente rara... porém, aqui, todas as armas de fogo que Dante obtém (além de suas pistolas é claro) vieram das mãos de Vergil, como presentes... 



E o próprio Vergil usou um Rifle durante um jogo pra finalizar um oponente, logo, sua frescura em usar armas de fogo começou depois de sua derrota por Dante.

Kat



Essa mocinha humana com poderes de bruxa é simplesmente a razão por dois irmãos brigarem! O que uma mulher não faz?!



Kat foi salva por Vergil, libertada e posta para batalhar contra seus demônios. Porém, ela só foi valorizada de verdade quando se envolveu com Dante, o salvou, e foi salva por ele. Enquanto Vergil enxergava nela potencial para seus fins, nada além disso, Dante via um ser humano, mais que isso, uma mulher, uma aliada, uma amiga, uma parceria, alguém por quem valia a pena lutar.

Kat foi o motivo principal por Vergil e Dante terem se desentendido. No inicio, Vergil queria o bem da humanidade e Dante só entrou no jogo por curiosidade. No final, Vergil queria controlar a humanidade e Dante queria o bem da humanidade. Resumindo: Garotas manipulam legal.



Kat é uma bruxa, tecnicamente falando. Ela consegue fazer feitiços e encantos que normalmente atingem demônios ou se ligam ao Limbo. Ela também tem a capacidade de projetar seu espírito para fora do corpo, e consegue enxergar e interagir com o Limbo normalmente, sem precisar atravessar o "véu".



Ela vê demônios, e por causa disso foi tratada como louca por muito tempo. Seu pai adotivo era um demônio, que abusava dela e, foi durante esses abusos que ela descobriu sua habilidade de sair do corpo, para não sofrer. Durante uma dessas viagens, ela conheceu Vergil, tal qual lhe salvou, orientou, e ajudou a matar todos os demônios que a prejudicavam. Kat matou o demônio do pai dela, e depois se juntou a Vergil em sua causa.

Porém, ela só foi usada por Vergil que, por várias vezes pensou em descarta-la quando ela não era mais tão útil. Mas, Dante fez dela sua aliada e a manteve ao seu lado, respeitando e valorizando tudo o que ela fazia.



Kat foi capturada por Mundus durante uma passagem do jogo, e é inclusive uma das cenas mais tensas, pois ela é baleada e, até reaparecer, fica no ar a ideia de que ela morreu diante Dante.



Mas, após ser resgatada, Kat assiste a última batalha de Vergil e Dante, e Vergil só permanece vivo pois ela implora para Dante não mata-lo.


Só que... Kat sumiu. No futuro Dante está sozinho, e sempre evita se aliar aos "mais fracos" sejam demônios, "anjos" ou humanos... todas as garotas que ele encontra ele evita envolver em suas lutas... coisa que contraria o que ele fez com Kat em DmC.
Há um enorme enigma em Devil May Cry, onde uma criança de Sparda surgiu, nascida de um dos dois Nephilins... afinal Sparda já teve seus dois filhos. A questão é, quem é o pai? Vergil ou Dante?

Aqui, esse enigma ganha uma resposta: Dante.

Falarei muito melhor disso na análise de Devil May Cry 4, entretanto, uma forte evidência de que Dante e Kat tiveram um filho juntos surge em DmC. E pior, o fato de Dante se recusar a se envolver com garotas (mesmo ele sendo tão bom nisso) nos demais jogos, no futuro, indica que algo aconteceu com Kat. 

Se Kat e Dante tiveram um filho juntos, algum demônio pode ter vingado o que houve a Mundus, e tentado eliminar essa criança da face da terra. Kat pode ter sofrido o mesmo destino de Eva... e Dante imitado o que Sparda fez com ele. 


Sparda

Esse cara, ele é um demônio que se apaixonou por um "anjo", e se voltou contra seu próprio irmão, o rei do inferno, Mundus. Curioso como a história parece familiar não?!


Sparda teve dois filhos, Vergil e Dante, mas Mundus conheceu apenas um: Dante.



A união proibida entre Sparda e Eva, e o nascimento de Dante (e Vergil) como Nephilins, a terceira raça, fez com que Mundus prendesse seu irmão nas profundezas do inferno, e matasse Eva, arrancando seu coração e comendo.



Dante tem leves flashbacks disso durante sua jornada por conhecimento, e acaba vendo a imagem de sua mãe tendo o coração arrancado por Mundus, algo que aumenta sua motivação e raiva para caçar esse demônio.



A história de Sparda nos outros jogos sempre foi contada de forma heroica, como um grande demônio que se rebelou e atacou seus semelhantes, devido seu amor por uma humana. No 1, é contado que Sparda em toda sua lenda derrotou centenas de demônios e no final, ainda foi responsável pela queda de Mundus. No 3, onde a história de Sparda é revista, é contado que ele após derrotar centenas de demônios, e castigar os mais poderosos, ainda se auto selou pois era forte e poderoso de mais. No 4, Sparda é visto como um verdadeiro deus, tendo até um culto em seu nome.

A questão é que a história de Sparda, a verdadeira história, uma mostrada e contada diretamente jamais apareceu. Pelo menos até agora. No 2, até rola uma falsa promessa de revelação da verdadeira história de Sparda, mas nada disso acontece, exceto pelo fato de ser explicado que Sparda foi o único demônio que já conseguiu entrar e sair intacto do inferno.



Porém, em todos os jogos, Sparda sempre foi o demônio heroico que lutava em prol da humanidade e, sempre estava selado. Sparda nunca deu as caras, nunca apareceu diretamente, e inclusive sua espada foi usada no 3 como arma e poder do grande vilão.

Mas, em DmC a história de Sparda é mostrada de forma um pouco mais direta. É mostrado que ele teve um relacionamento proibido, e que deste relacionamento nasceram duas crianças, confirmando a lenda. Mas, Mundus se apresenta como irmão de Sparda, e ele ainda assume a responsabilidade pela morte de Eva e pelo aprisionamento de Sparda. As lendas diziam que Sparda havia se selado, mas na realidade, ele se entregou para Mundus, para salvar seus filhos. Sparda separou suas crianças, ele ficou com Vergil e Dante ficou com Eva. Sparda escondeu Vergil, mas Eva não conseguiu esconder Dante, e quando capturada, foi morta. Dante foi poupado... e escapou.



Para manter seus filhos vivos, Sparda fez um acordo com Mundus, aceitou o castigo e abriu mão de sua espada. Mundus ignorou a existência de Dante por um tempo, e como nem sabia de Vergil, os dois filhos de Sparda ficaram vivos, até chegar o dia da vingança.



Demônios não morrem, nunca. O pior que pode acontecer é serem desintegrados e convertidos em pura energia. Essa energia pode ser canalizada e absorvida por outro(s) demônio(s) e, usada como arma ou algo do tipo. Dante faz muito disso com os demônios que "mata". Sparda não passou por isso, ele teve um destino pior: Foi enfraquecido, teve todo seu poder passado para sua espada, depois foi separado dela, de seu(s) filho(s), teve sua amada morta e por fim, foi acorrentado no mais profundo do inferno, e torturado pra sempre.


Eva


DMC e DmC

Em Devil May Cry, nunca apareceu 1 anjo se quer. Em nenhum dos jogos, por mais que fossem mencionados, jamais deram as caras. Isso levanta certas suspeitas sobre a existência desses seres. Eva é chamada de Anjo, e sua união com Sparda gerou um(dois) Nephilim, resultado da união de um Demônio e um Anjo, mas... será?!



Em outras versões da origem de Dante, Eva é retratada como uma humana que teve dois filhos com Sparda. Mas, há uma enorme diferença entre humano e anjo.



Enfim, Eva era de fato um anjo, mas anjos não são exatamente como demônios. Anjos são formas de energia assexuada, energia positiva, que influencia seres vivos. Humanos com muita energia positiva, se convertem em anjos, simples assim.



Eva era uma mulher repleta de poder angelical, tanta influência positiva conseguiu fazer de um demônio poderoso como Sparda um pombinho amoroso. Por outro lado, é possível definir Eva como um anjo mesmo, mas é complicado...


As memórias de Dante e Vergil foram apagadas pelo poder demoníaco de Sparda, então não da pra ter certeza das memórias que Dante recupera... podem ser (e provavelmente são) resíduos de memórias remanescentes do que Sparda deletou.

Anjos não tem forma física, logo, para que Eva e Sparda se unissem e tivessem "relações" seria necessário que ela assumisse uma forma, uma forma humana. Essa forma é aquela com quem Sparda se relacionou, e desta nasceu Dante e Vergil.

Pois bem, além da incógnita sobre a natureza de Eva, também há um enigma sobre sua real aparência.



Eva aparece com cabelos vermelhos em todas as cenas em que é retratada, flashbacks, quadros, tudo... entretanto, durante o jogo há um momento em que Dante se encontra com a memória de sua mãe, tal qual lhe aconselha diante sua transformação pelo Devil Trigger. O problema é que, durante essa aparição, Eva não tem forma física, e sim pura energia, como um anjo deve ser, e seus cabelos em meio a toda luz prateada, não parecem ser vermelhos, ruivos, castanhos ou nada desse tom, muito pelo contrário, eles aparecem amarelados, dourados... Isso é bem curioso pois em Devil May Cry, o primeiro jogo da franquia, uma foto de Eva aparece, e ela é loira. Também, Trish toma uma forma idêntica a da mãe de Dante para conquistar a confiança dele, e bem... ela também é loira.





Afinal, Eva era Ruiva ou Loira?

Não há sentido em mudar a aparência de um personagem tão importante, de forma tão significativa, sem motivo... seria desrespeitoso com a franquia. Mas essa alteração significa exatamente o contrário, pois foi uma percepção muito precisa dos novos desenvolvedores acerca do universo de DMC.

Como mencionei la em cima, DmC foi feito de forma fiel a todos os DMCs anteriores. Um exemplo disso está no cabelo de Eva. A única vez em que um anjo apareceu em Devil May Cry, foi um pseudo-anjo, que na verdade era um demônio artificial de aspecto angelical, com direito a asinhas de anjo e cores reluzentes... estou falando de um personagem chamado Lucia de DMC2.

Pois bem, ela era ruiva, e foi tecnicamente em homenagem a ela que Eva foi retratada como ruiva em DmC. Porém, Eva só é mostrada como ruiva em imagens voltadas para o Limbo ou em Flashbacks duvidosos e incertos. O fato dela ter aparecido loira durante seu único contato real durante o jogo demonstra que, seu cabelo não era vermelho, ou, que ele não era sempre vermelho.

Outro personagem que teve uma mudança capilar chamativa foi Dante. A razão pra mudança foi a apresentação da evolução do personagem, e renascimento dele como meio demônio. Seu lado humano tinha cabelos escuros, seu lado demônio tinha cabelos brancos. O mesmo ocorre com Eva: Seu lado Anjo tinha cabelos ruivos e seu lado humano tinha cabelos loiros.

A foto que Dante possui em DMC mostra Eva loira, pois foi tirada no mundo humano. Em DmC as imagens de Eva retratam ela como anjo, por isso sempre aparece de cabelos vermelhos.



Mesmo em seu quadro que aparece na mansão de Sparda, quando Dante vai em busca de seu passado, sua aparência de cabelo vermelho é um retrato de seu lado angelical, interessante não?!


A moldura também é encontrada no Limbo.
Mas, também há um outro porém... Dante e Vergil encontram uma pequena moldura contendo a imagem da família feliz... o rosto de todos aparece, menos de Sparda, e os cabelos de Eva aparecem escuros, praticamente morenos. Então.. Eva é loira? Ruiva? Ou morena? Na melhor das hipóteses, ela é só vaidosa mesmo.


Mundus



O vilão, o maior vilão de todos. Mundus é o demônio dos demônios, aquele que tem controle sobre todos os outros, e ainda gerencia o mundo!



Ele usa uma forma humana chamada Kyle Ryder, e bem, isso exemplifica o fato de forma física não ser a prioridade da existência de um ser, seja ele demônio, anjo ou nephilim.



Demônios são formas de energia negativa, e para estarem e permanecerem no mundo humano, precisam adotar formas físicas. Normalmente eles tomam forma de elementos, animais, objetos... e em casos raros, humanos. Os demônios mais fortes conseguem essa proeza, e é ai que Mundus entra. Ele tomou o corpo desse humano, Kyle, e a partir dele manteve seu trabalho no mundo humano. Provavelmente, Sparda também fez algo do tipo para ter sua forma física e ficar junto de sua amada, e ela também.

Mundus é irmão de Sparda, e tem 3 olhos. Além disso, Mundus mantém o portão do inferno aberto, de onde extrai poder infinito, uma vez que ele sempre está conectado com o mundo demoníaco.

Ele quem matou a mãe de Dante, ele quem enfraqueceu e prendeu Sparda e ele quem declarou aberta a temporada de caça a Dante.



Mundus tinha ligação com todos os figurões do mundo, presidentes, gente importante, geral da elite. Ele realmente tinha e mantinha controle sobre tudo e todos.

Os demônios em geral o serviam, e os humanos em geral eram manipulados. A Ordem era a única ameaça a Mundus, e Dante por ser um Nephilim era o único que poderia detê-lo, afinal essa era a raça perfeita. Por essa razão ele ordenou que trouxessem a cabeça de Dante... quando o mesmo se uniu a Ordem, a caçada se estendeu para eles também.



Mundus era tão influente e poderoso que, a SWAT era controlada por ele. Ele fez com que a Ordem e Dante fossem considerados terroristas perigosos, e bem, eles se tornaram alvos da SWAT também.

Ele foi derrotado pelos irmãos Nephilins, e só descobriu que Vergil era um filho de Sparda também no final pouco antes de ser "morto". Vergil tomou o controle do portal do inferno através de Yamato, e Mundus foi enfraquecido, sendo destruído por Dante e Vergil. Demônios nunca morrem, e isso é válido para Mundus também, que após ter sido destruído, foi arrastado para o inferno em forma de energia demoníaca.

Essa energia no futuro se vinga de Vergil, manipulando-o no final de DMC3 (as 3 bolas vermelhas são a representação da energia de Mundus e seus 3 olhos).

Depois, quando Trish invade a loja de Dante para convoca-lo à impedir o renascimento de Mundus, Dante só aceita a missão pois sabe o tamanho da ameaça que é o retorno de Mundus. Trish menciona inclusive que Mundus foi "selado" por Sparda, o que é descoberto em DmC como uma errada interpretação dos eventos do passado. Na verdade, quem "selou" Mundus foram os filhos de Sparda, não Sparda, se bem que da quase na mesma.

Toda história quando é recontada através do tempo acaba sendo modificada, remodelada... isso aconteceu com as histórias de Sparda, mas, uma vez que a origem é mostrada, isso não desvaloriza as histórias existentes, apena as corrige. DMC, 2, 3, 4... todos tiveram suas histórias "corrigidas"... uma vez que a visão real veio a tona... isso não é "reboot"... isso é enredo.

Além desses personagens, que são tecnicamente os mais importantes, há alguns secundários:

Lilith

Ela é a amante, esposa, ficante, e seja la mais o que de Mundus. Ela também é dona da balada que Dante frequentava antes de se tornar um caçador de demônios.



Lilith é um demônio que, fez tanta cirurgia plástica que tem praticamente o corpo inteiro costurado e de borracha! Ela tem uma elasticidade bizarra, e o menor movimento faz ela se deformar toda.



Lilith só é importante pois está grávida de Mundus. Demônios dificilmente tem filhos, e assim que Mundus ganha um herdeiro, ela vira a coisa mais importante pra ele, usada inclusive por Vergil e Dante, para irritar e provocar Mundus.



Lilith não chega a morrer, apenas tem sua importância zerada quando leva um tiro na barriga e o bebê de Mundus explode em pedacinhos. O que aconteceu com ela dai em diante é indiferente. No caso, o bebê de mundos ainda não tinha nascido então, quando explodiu virou só um aglomerado de energia demoníaca sem destino.


Bob Barbas


Esse é um demônio também sem tanta importância, exceto pelo fato de ser a personificação da influência de Mundus através da mídia.



Bob era o âncora dos noticiários, o apresentador que alienava milhões com seus comentários e anúncios em seu programa na televisão.



Ele também era o responsável pelo gerenciamento da prisão onde Mundus colocava todos seus condenados, os humanos e demônios que a ele desafiaram.

A prisão era o reflexo do estúdio de Televisão, e Dante acessa essa região em sua busca por irritar Mundus.



Bob ao ser derrotado se converte em uma das melhores armas de Dante (minha favorita) um par de hélices que, bem, são mortais e fazem de Dante uma verdadeira Beyblade!




Phineas

Esse é um demônio que estava preso na prisão de Mundus, sendo um grande filosofo, sabichão, etc etc... Ele é importante pelo fato de revelar sobre o bebê de Mundus, informação muito útil essa no futuro, afinal, depois que Kat é capturada, Dante usa essa informação para barganhar contra Mundus, capturando Lilith e oferecendo ela (e o bebê) em troca de Kat.



Phineas também orienta Dante a se libertar ao entrar em contato com Assiel, um dos antigos Nephilins. Com isso, Dante libera seu Devil Trigger e ainda bate um papo rápido com sua mãe.

Phineas usa um olho mecânico e pede ajuda de Dante para recuperar esse olho de algumas Harpias. Quando Dante o faz, recebe toda a ajuda de que precisava, e um pouco mais.



Há vários inimigos, chefões, monstros comuns, alguns sub-chefes (tecnicamente falando) e até inimigos coadjuvantes... tem isso... mas nenhum deles tem grande significado além do fato de serem demônios aos serviços de Mundus.


Stygian



São os demônios mais recorrentes e comuns do jogo... são como androides de porcelana e graxa... bem nojentos, fracos e até meio lentos. Dante espanca todos com facilidade, e são um tipo de alvo vivo para combos.

Há vários tipos, uns mais poderosos que outros, mas no final são todos a mesma porcaria, da mesma laia. São demônios inferiores que viram um monte de graxa ao explodirem.



A ideia de demônios com aparência mecânica vem de DMC4, onde esse aspecto era uma referência à tecnologia ligada ao mal. Também é meio que o tema principal de DmC, o uso da tecnologia em contraste com o diabólico.

Athos



Tem vários tipos também, e são demônios ainda menores que os Stygian. Eles voam, e atacam de longe, mas são como papel e são destruídos com muita facilidade.



Esse demônio se assemelha a pequenos Querubins, e é uma referência a alguns demônios apresentados em DMC2.

                               Hunter                           


É um demônio chefe, caçador, como o nome indica. Ele foi mandado por Mundus para caçar e capturar Dante, mas... ele falhou miseravelmente.



Por causa da luta contra ele, um parque de diversões é destruído tanto no Limbo quanto no mundo real, e é ai que a ideia de que tudo que ocorre no limbo influência o mundo real é apresentada.




Kat ajuda Dante a derrotar Hunter, aconselhando-o durante a batalha.


Knight



Também há vários tipos, mas todos são resumidamente Demônios com aspectos de cavaleiros, que lutam usando escudos ou/e lâminas.

Alguns são mais defensivos, e também são muito letais, mas Dante os derrota facilmente usando a energia de Sparda em Rebellion, convertendo sua espada em um Machado de Sangue e Fogo.



Essa energia foi retirada de um Quadro de Sparda que Dante encontrou na Mansão Paradise, onde ele vivia quando criança.



E com essa mesma energia, além de ter desenvolvido um novo formato pra sua espada, banhado em poder demoníaco, ele também aprendeu a transformar sua espada num tipo de Chicote de Sangue e fogo, capaz de puxar coisas em sua direção.



Dante também passa pelo mesmo processo com energia da sua mãe, e transforma a Rebellion numa Foice Angelical...




E num chicote angelical que pode levar ele em direção as coisas. 




Essa versão da Rebellion é útil contra os Knights de Gelo, que são bem mais ofensivos.




Ravager



Um demônio que usa uma Serra Motorizada para atacar. Ele é mortal, resistente, porém depende muito de sua arma.


Ele é mais um demônio envolvido com tecnologia, justamente para reforçar a ideia do jogo.


Tyrant



Um demônio grande e gordo, resistente e forte, mas que não passa de um monte de gordura acumulada. Provavelmente tomou forma justamente nisso, em mera gordura, com metal, mais gracha e qualquer outra porcaria que tenha encontrado.



Ele é um oponente irritante e devido sua resistência, é um dos mais demroados pra se derrubar, porém, é só mais um demônio qualquer.


                              Succubus                          


Succubus é um tipo de demônio que se alimenta do prazer dos outros... quase como um vampiro de energia, geralmente sexual. Mas agora, essa coisa que surge além de não ter nada de atraente, ou estimulante sexualmente falando, ainda é escroto e nojento de mais, um demônio perfeito.


Nesse caso, a Succubus é um demônio que produz uma bebida manipuladora chamada Viriliry, uma das artimanhas de Mundus para controlar a humanidade. Dante vai em busca desse demônio para mata-lo e assim, provocar Mundus para quem sabe, afastar ele do portão do inferno e deixa-lo vulnerável. 


Succubus morre, e ao fazê-lo se converte em luvas de lava para Dante, que são poderosas, tanto quanto o Machado de Energia de seu pai. 



Rage

São como cães infernais, também de vários tipos: Tem de Gelo, Sangue, Espinhos e simplesinho.


Eles não tem tanta importância, servindo mais como cães mesmo, obedientes e burros. Eles normalmente atacam em grupo e se enfurecem quando ficam sozinhos. 


Quanto mais fracos, maior o número de Rages no grupo... 


Harpia


Mais um tipo de demônio alado, também composto de graxa e metal (todos são assim, então da pra ver que é a base pra todos os demônios desse dmc). 

Elas são apenas agentes de tortura de Bob Barbas e Mundus em sua prisão, usadas para encher o saco de prisioneiros, como Phineas.


Witch


Como o nome indica, são bruxas, que usam e abusam de energia sagrada. 



Elas conseguem distorcer a realidade, se teleportando, e também tem o poder de gerar escudos de energia para si e para os demais demônios. Curiosamente, os poderes delas se assemelham bastante com os de Vergil, mas a essência delas é sagrada.

                                 Bob Barbas                         

Ele é um dos chefões, além de personagem. No caso de Bob, Dante o enfrenta "virtualmente" ao invadir o programa de televisão dele via Limbo. 


É uma das batalhas mais interessantes pois Dante acaba realmente invadindo o programa, e a luta é transferida via televisão, sob uma perspectiva de noticiário, com tudo voltado para a televisão, e direito até a comentaristas e depoimentos de testemunhas muito, mas muito sinceras!


Quando Bob morre, baleado ao vivo, Dante suga sua energia e cria a melhor arma do jogo, as Beyblades da Luz! (adoro elas).



Butcher


É mais um demônio tecnológico, que usa duas serras circulares como mãos. 


Ele é fortíssimo, mas Dante derruba ele de longe, usando a Rebellion e as Beyblades da Luz. 



                         Cria de Mundus                      


Antes de nascer, o bebê de mundos já tinha sua forma física pré-definida, dentro do corpo de sua mamãe Lilith, e ele é um dos chefões a ser derrotado por Dante.


Dante caça Lilith para usa-la como moeda de troca e resgatar Kat, mas ele não contava com essa criatura surgindo pra se defender e defender a mãe. Ele quase corta o cordão umbilical dele... 


Mas Dante não mata nenhum dos dois, durante a luta, só que posteriormente Vergil assassina o bebê de Mundus com um tiro de rifle na barriga de Lilith, fazendo Mundus se irritar e tocar o terror. 


Dreamrunner e Drekavac




São alguns dos "Guardas de Elite de Mundus", espadachins mascarados que teletransportam.



Eles são poderosíssimos, e são demônios de elite de fato. Inclusive, são eles que acorrentaram Sparda na única imagem de Sparda que aparece.

Dante finaliza ambos, mas Sparda permanece aprisionado, o que sugere que ele esteja numa situação bem mais deplorável e grave do que apenas acorrentado.

                             Mundus                          

Assim que o corpo de Mundus é destruído por Vergil e Dante, após fecharem o portão do inferno, sua energia se propaga e se converte num enorme demônio, composto de tudo o que cercava ele, desde pedras, cimento, sangue, carne de gente esmagada, metal... tudo... essa criatura é a personificação de Mundus.


Dentro dele, o corpo de Mundus estava e, Vergil e Dante tem uma batalha acirrada para destruí-lo de vez. Pouco antes de Mundus ficar assim, Vergil revela sua identidade como irmão de Dante, logo, filho de Sparda, e a ira de Mundus chega ao extremo, causando uma verdadeira catástrofe na cidade. 


A última luta é vencida por Dante e Vergil juntos, enquanto Vergil é levado pra dentro do corpo gigante de Mundus e enfrenta ele por dentro...


Dante enfrenta ele por fora e o cega, ferrando com os 3 olhos dele. 


No final, Mundus é destruído e tudo fica bem... pelo menos quase bem, afinal com o fechamento do Portão do Inferno, o véu que impedia os humanos de verem os demônios some, e o Limbo praticamente se funde ao mundo, logo, todo mundo passa a ver os demônios exatamente como eles são.


                                Vergil                             

Pois bem, como nada é perfeito, assim que Mundus cai, Vergil tenta tomar sua posição. 


Com isso, Dante se vê forçado a enfrenta-lo e derrota-lo, e depois de uma batalha muito intensa, Dante acaba despertando completamente o Devil Trigger, se tornando grisalho de vez, e ainda por cima quase mata Vergil...


Mas Kat implora para que Dante não o faça, e Vergil vai embora. 


Na DLC Vergil's Downfall, é mostrado como Vergil se converteu num líder para os demônios, e porque ele sente tanto ódio por seu irmão. Ele é levado a destruir e rejeitar todos os laços que possuía com os outros e se tornar totalmente independente, e todo seu pensamento altruísta morre com seu orgulho ferido, e ele se torna o rival eterno de Dante. (a DLC é tecnicamente uma referência a DMC 3, que tinha o subtítulo "Dante's Awakening" e mostrava o despertar de Dante e seu lado totalmente demônio)


Mais no futuro, depois que ambos se enfrentam novamente (DMC3) Vergil acaba ajudando Dante a salvar o mundo, e depois decide ficar no inferno e proteger sua metade do amuleto de Eva... mas, isso leva ele direto para as garras de Mundus, que se vinga, derrota ele e ainda transforma Vergil em um servo, usando ele para atacar Dante (DMC1). 

Bem, esse é o jogo, personagens, sistema... de forma bem simples e objetiva... Pra finalizar irei contar a história, sem tanto detalhes, de forma resumida, só pra por tudo em ordem mesmo.


Devil may Cry - Play!


Dante era um jovem rebelde que curtia a vida e enfrentava demônios, como todo jovem americano.


Um dia, após curtir uma bela noitada divertidíssima com suas amigas, Dante é visitado por uma garota que lhe alerta sobre futuros problemas.


Em seguida, um demônio aparece e arrasta Dante para o Limbo, pra brincar de pega-pega.


Durante a brincadeira, todo o parque fica em desordem e um monte de gente morre, mas a garota guia Dante para sair do Limbo e derrotar o demônio.


Eles conseguem e a garota da carona pro Dante, que só aceita porque a polícia aparece e ele não queria ter de limpar a bagunça que fez.


A garota, Kat, leva Dante para um local escondido, escuro, e abre uma passagem secreta.


Dante acaba conhecendo a Ordem e perde suas esperanças de ter mais uma noitada feliz...


Na Ordem, ele conhece alguém, que lhe faz perguntas e depois leva ele até uma mansão, onde ele aprenderia mais sobre si mesmo.


Na mansão...


Dante entra no Limbo, explora, e descobre que aquele rapaz que ele conheceu é seu irmão, gêmeo pra variar, Vergil, e que ele é um Nephilim.


Após sua descoberta, ele também conversa com seu maninho, coloca as coisas em dia e aprende mais sobre sua natureza. 


Eles se unem então para destruir um mal maior chamado Mundus.


Era necessário afastar mundos de sua fonte de poder pra poder destruí-lo, mas pra isso era preciso irrita-lo o suficiente... então, Dante, Vergil e Kat montam um plano de perturbar Mundus.


Dante é levado pra destruir uma Fábrica de Refrigerante manipulador de mente, chamado Viriliry.


E uma prisão/rede de televisão alienadora chamada Raptor.


Mas, enquanto Dante lutava contra o chefão da televisão, seus amigos, Kat,Vergil e todos os demais membros da Ordem eram capturados pela SWAT... não exatamente "capturados", afinal como eram terroristas, estavam sendo exterminados na base da metralhadora.


Dante termina seu serviço e vai salvar seus amigos.


Ele encontra Kat e a mantém a salvo, sem poder encostar nela ou coisa do tipo, pois ele estava preso no Limbo e ela no mundo real.


Então, Dante e Kat chegam até o núcleo da base onde Vergil estava, e Vergil ativa a auto-destruição da base para deletar os arquivos e impedir que descubram seus planos e segredos. Mas, como Vergil e Dante estavam no Limbo, e Kat no mundo real, Kat acaba virando um tipo de sacrifício.


Dante não aceita isso, e fica do lado de Kat até o fim, e acompanha sua captura, e quase assassinato, se Mundos não a quisesse viva.


Dante e Vergil então escapam...


E posteriormente recebem um vídeo de Mundus com Kat capturada, dizendo que devolveria ela em troca de Dante, o Nephilim. Ele não sabia que Vergil era um Nephilim também, e tudo que sabia é que Vergil era o lider da Ordem e Kat era aparentemente importante.


Mas, Vergil se recusa a trocar seu irmão por ela, não pelo amor que sentia pelo seu irmão, mas por importância, afinal Kat era humana e Dante era um Nephilim, muito mais forte e útil.


Dante então da ideia de capturar Lilith e o filho de Mundus e usa-los pra barganhar... Vergil aceita relutante, mas aceita.


Dante então captura Lilith e rola uma troca de reféns, entre a Ordem e a SWAT... 


Mas Vergil não deixa a oportunidade de irritar Mundus passar e assassina o filho dele.


Mundus fica puto, destrói metade da cidade com um grito, e Dante, Vergil e Kat (salva por pouco em meio ao tiroteio, graças a Dante)...


Escapam de carro, com Dante dando cobertura.


Eles bolam um plano final então, de entrar no prédio onde Mundus estava e elimina-lo de vez. 


Quem bola o plano alias é Kat, que conhecia o prédio graças as suas habilidades... (Durante o jogo é explicado que Kat usa seus poderes de sair do corpo de forma não espontânea... ocorria sempre que ela era abusada por seu pai adotivo, como uma forma de defesa. Ela ficou muito tempo com Mundus, logo, o fato dela conhecer o prédio tão bem significa que Mundus a fez usar sua habilidade, abusando dela.)


Vergil e Dante invadem o prédio, Vergil pelo mundo real, secretamente, para acessar a rede de segurança e usar suas habilidades hackers. 


Dante pelo limbo, pra chamar atenção de todos e impedir que percebessem Vergil.


Eles conseguem chegar até a sala de Mundus e Dante o provoca, afastando-o do Portão do Inferno. Vergil então aproveita e tranca o portal, rompendo a imortalidade de Mundus.


O próprio Vergil então finca Yamato em Mundus, e o empurra do prédio onde ele tinha parado com Dante... pois ele estava tentando arrancar o coração de Dante, quilômetros de distancia do prédio original (raiva é fogo).


Mundus então assume sua forma demoníaca improvisada e tenta destruir os irmãos Nephilim... 


Mas não da certo e ele é derrotado.


Após comemorar... 


Vergil revela seus reais planos e deixa Dante revoltado com sua atitude, forçando uma briga entre ambos. 


Eles lutam, Vergil perde, e Dante diz:


"A partir de hoje, a Terra está sobre minha proteção."


Vergil vai embora, Dante fica com Kat, e fim... pelo menos por enquanto.


Entende agora porque em Devil May Cry há uma loja de caçar demônios? Porque as pessoas veem os demônios normalmente e não parecem se importar tanto assim? (tipo o apocalipse rolando solto mas você não vê pessoas chorando pelos cantos ou correndo). Entende porque o cabelo de Dante é Branco? Entende porque Dante evita garotas? Entende porque Dante e Vergil não se davam bem? Entende porque Mundus faz toda aquela tramoia no primeiro jogo pra pegar e se vingar de Dante? Entende porque Vergil foi recepcionado por Mundus no inferno? E bem, entendeu tudinho?

Bem, é isso. Espero que tenha entendido alguma coisa... se entendeu e curtiu, pode comentar, eu agradeço rs... se não curtiu, nem entendeu, e quiser comentar, você é livre! E se discordou de algo que leu, e quiser opinar, repito: Você é livre.

Agradeço de toda forma pois, se você leu, já me basta isso. Obrigado e até a próxima.

47 comentários:

  1. Enfim consegui um tempo para ler a analise toda, cara que semana difícil e.e mas vamos ao que interessa u.u

    Cara gostei muito de como você ligou os pontos de todos os outros games, mostrando que realmente esse DmC é o inicio de tudo, apesar de muitos fãs não aceitarem isso!

    Legal você ter reparo em como cada versão da origem de Sparda muda de game em game porque ninguém sabe da historia 100% e ocorre a divergência nas informações, pensei que eu era um dos poucos que também pensava assim xD.

    Agora sobre a teoria de Nero ser filho de Dante... Realmente como você havia profetizado, eu concordo com você, realmente faz mais sentido Dante ser pai de Nero ao invés de Vergil, além de todas as informações que você disponibilizou basta pensar um pouco, quando Vergil perde para Dante (e perde feio, que surra que eu dei nele hahahaha) ele simplesmente vai embora, não é dito para onde, nem nada. E pode se dizer que ele não se envolveu com nenhuma humana para o nascimento de Nero, porque, pelo que me lembro, não é mostrada nenhuma mulher próxima a Vergil o suficiente para o tornar pai, já Dante tem a Kat como você mesmo mostrou, e o fato de Nero poder empunhar a Yamato, o ponto forte das teorias de que Nero é filho de Vergil, pode ser quebrada pelo simples fato que os 3 tem o sangue de Sparda, ou seja, logo são dignos de empunhar a Yamato!

    Gostei muito de sua analise, ela só me ajudou a entender melhor o mundo de Devil May Cry, e gostar ainda mais do DmC, que ouso dizer, ser o meu segundo Devil May Cry favorito, só perdendo pro DMC3 em praticamente todos os quesito, só ganha um pouco na jogabilidade já que eu vejo o DmC como um exemplo de Hack 'n Slash com excelente jogabilidade!

    Continue nós trazendo mais ótimas analises Sr. Morte, e desculpe a demora para comentar, havia dito que faria a tempos mas vários contra tempos surgiram nesse meio tempo dificultando o tempo que tinha para realizar a leitura e comentário que leva tempo xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haja tempo!

      Então sr, eu fico feliz por ter compartilhado minhas ideias e descobertas sem ser taxado de louco ou coisa do tipo. Numa análise do Zangado sobre Devil May Cry, me arrisquei a comentar sobre a origem de Nero, e o tanto de gente que repudiou minhas teorias, gente que riu, xingou, mostrou várias teorias sobre a origem de Nero, inclusive uma novela visual estilo mangá, onde mostra Vergil pegando uma prostituta e tendo Nero... mas na boa, a visão da Theory é a real, afinal eles abraçaram o título e o deram mais vida, mais corpo, mais história. Qualquer um que rejeite isso ,esta rejeitando DMC (saga)... pois uma saga se estende por cada um dos jogos (repare que a Theory incluiu com prazer o DMC2, o pior de todos, na sua visão de DMC, tipo, monumentos ganhando vida, monstros formados de objetos e concreto, o chefão final sendo um grande figurão da humanidade... e por ai foi... tudo coisa de DMC2)

      Bem, eu já suspeitava de Nero e Dante serem ligados como filho e pai... mas... com DmC e a consolidação dessa teoria, ou pelo menos de uma base concreta pra ela, eu só fiquei mais confiante e certo. Falarei muito, muito mesmo de tudo isso na analise de DMC4, tipo das outras teorias de sua origem e o porquê que são falhas... o porque de Nero empunhar a Yamato (e ele empunha a Rebellion também ta, no inicio do jogo mesmo) E não tem nada haver com Nero ser filho de Sparda... rs... tem haver com o poder demoniaco das armas em ressonancia com o braço enfeitiçado dele rs.

      Enfim, DKC2

      Excluir
    2. Mas eu nunca disse que não eras louco hahah zoas, cara fanboys sempre nós taxaram de loucos caso não acreditemos na teoria que eles acreditam, mesmo que sua teoria tenha mais fundamentos que a do Vergil, cara uma prostituta? Pelamor né e.e

      A Theory fez um trabalho mais que digno no DmC, na minha opinião eles fizeram um DmC para os fãs, só que os mesmo não perceberam isso :/

      Que venha DMC4, esse eu preciso entender já que foi um dos que menos gostei, logo não me aprofundei tanto nele :/

      DKC2? Será que veremos uma seção de analisesmorte clássicas? Será que ele falara de Sonic também? Poderemos um dia ver uma analise sobre Altered Beast? Ou até mesmo Streets Of Rage? Sexta, no MorteRepórter

      Vey que m&rd4 eu acabei de fazer? Hahahaha

      Excluir
    3. RepórterMorte seria mais minha cara kkk

      E sim, que briza kkk

      DKC2 ta quase pronto... eu to puxado no trabalho mas vou tirar um tempo pra descansar e trabalharei mais nas análises.

      Excluir
    4. DKC2 será uma analise bem informativa para mim, já que como não tive nenhum console da Nintendo e sim da Sega (ainda tenho, meu glorioso Mega Drive *-* o melhor de tudo é que ele é o primeiro modelo... e ainda funciona :3) então não joguei muitos games da Nintendo, só alguns mesmo... Será interessante conhecer melhor Donkey Kong

      Excluir
    5. É... eu fiz uma postagem inversa, coletei todas as imagens primeiro e iniciei o texto depois... virou uma bagunça kkk... to com as imagens compiladas e falta só digitar as partes finais sobre personagens e monstros... a história pelo menos já foi e a descrição do jogo também... as curiosidades postarei no final... mas o texto deve tar uns 50%.... pelo menos imagens ta uns 90%... geralmente é o inverso rs... imagens são mais chatas de pegar. Enfim, eu vou termianr, não acho que no meio da semana eu consiga.... porque to com os dias corridos... mas irei terminar, e será uma honra se você ler.

      Excluir
    6. kkkk até imagino, se começando pelo texto já é complicado, pelas imagens então... Pode contar com minha leitura ^^

      Excluir
    7. Heh, irei me esforçar pra fazer algo decente.

      Excluir
  2. te acompanho faz muito tempo e cara essa sua analisemorte, sobre o DmC ficou sensacional algo incrível cheio de detalhes ,eu li tudo e apesar de ser um reboot e não ter nenhuma relação com os jogos anteriores,o seu enrendo fui muito bem trabalhado com muito detalhe,tanto que a existe varias coisas no enredo do DmC que tapa os buracos na historia da saga clássica, da pra ver claramente que a ninja theory ta de parabéns o jogo ficou ótimo em quase tudo,tendo so um pequenos defeito pra min. Sou fan da saga devil may cry, e esse jogo e o meu favorito de todos, eu gostei bastante do novo visual do dante,ficou bem daora e combinou com a personalidade dele no game. Teve algo que me deixou curioso no reboot dante e um Nephilim pois aqui seu pai e um demônio e sua mãe um anjo, na saga clássica o dante e filho de um demônio com uma humana com poderes angelicais fazendo ele ser um humano meio demônio , no novo devil may cray dante usa tanto armas angelicais quanto demoníacas ,na saga clássica pelo que eu lembro todas as armas eram demoníacas indo direto ao ponto no novo devil dante apesar de ser um nephilim , ele utilizar um pouco mais o poder de seu pai o lado demônio do que o de sua mãe, e tipo eu queria sabe no novo devil may cray o devil trigeer utiliza tanto do pode angelical e demoníaco ou so o poder demoníaco mesmo ? seria legal se na sequencia de DmC ele utilizar mais os poderes vindo do lado de sua mãe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que honra man, ver um comentário seu é sempre um ótimo sinal rs.... e não foi diferente. Vlw!

      Seguinte, reconheço que a nova definição para Dante e sua origem ficou um tanto diferente da original, mas ela faz sentido poxa... só reinterpretar a "raça" da mãe de Dante. Durante minha analisemorte eu tentei explicar que... ela não era um anjo, nem mesmo no DmC... mas era considerada assim aos olhos dos demônios... lembrando que anjos são inimigos de demônios... e tipo, pensa... qual a maior ofensa para alguém? Chamar e comparar com seus inimigos! Então, anjos podem nem existir de fato em DMC... até o momento tudo que surge é demônio, ou formas de demônios diferentes. Em DMC4 tem muito disso rs... e eu vou explicar muito melhor a confusão dos Anjos ou Humanos "angelificados",,, Inclusive, o novo membro dos Spardas tem uma namorada considerada "Anjo"...

      Eu achei o jogo ótimo, é um dos melhores... e sobre o uso das armas... tipo, elas não são armas de fato, são apenas remodelações no Limbo de Rebellion.... A fonte de poder principal de Dante e Vergil é Sparda, e isso é fato. Sparda é demônio, e isso é o que ressalta, predomina. O caso da energia sagrada da mãe de Dante aparecer aqui e com o tempo se esvaecer (afinal, com o tempo ele pararia de usar os poderes sagrados e demoníacos dos seus pais nos jogos "seguintes") demonstra que... isso é temporário. Talvez como uma benção dos pais para despertar seus verdadeiros poderes e potenciais... herança saca (tipo os pais do Naruto e o chackra dentro do corpo dele... rs...) A ideia por trás disso é simples... e funcional.... aceitável. Se Dante fosse filho de um demônio e um humano, ele seria só um demônio hibrido... e ele não é nem de longe isso. Desde sempre Dante é mais que isso, (Vergil também) então é óbvio que foi somente um erro de descrição de seu verdadeiro "eu"... repetido nos vários jogos... nada que prejudique ou invalide a interpretação da Ninja Theory! Simplesmente comprova que eles queriam por a história em trilhos... e na boa, adorei a explicação que eles bolaram... foi culturalmente correta. Nephilins não são invenção... são culturalmente reais! E a implementação deles em DMC fez com que ele ficasse mais rico, mais completo. Eu adorei, e agora sim consegui entender a imortalidade física de Dante.

      Sobre os poderes angelicais: Punhos de Beowulf são armas angelicais... apesar dele ser um demônio... aquilo é puro poder angelical, sagrado. Rosas de Lúcifer são armas angelicais, por mais demoníacas que possam parecer, a origem é sagrada. Como não aparecem anjos no jogo, é difícil encontrar armas de anjos... mas tem muita arma com poder sagrado. Mas, a energia predominante sempre foi e será a de Sparda... Devil Trigger é a prova disso.

      Bem, obrigado... de verdade! E cara, espero que goste dos meus demais trabalhos... e vlw... vlw por me acompanhar!

      Excluir
    2. eu ainda considero a mãe dele como um anjo mas que antes ja foi humana você mesmo disse ,seres humanos com grande energia possitiva ,se tornam anjos e também pois em nenhum momento e dito o contrario em DmC que a mãe dele não e um anjo diferente do clássico que e dito que sua mãe , e uma humana com poderes angelicais, e a uma diferença entre um ser com poderes de anjos , e um ser humano que virou anjo , sobre a mãe de dante sempre teve esse mistério afinal ela humana ou anjo?, tipo sempre teve de certa forma tudo definido sobre espada pai de dante, mas e sua mãe? eu espero que na sequencia do reboot dante passe a enfrentar não so demônios mas também anjos seres do paraisso , caso realmente aconteça isso podem explicar bastante coisa sobre a mãe dele alem que seria muito legal e daria uma diversificada bem grande na serie tipo tem o limbo entre a terra e o inferno mas existe algo semelhante entre a terra e o ceu ? seria bem legal ver isso no próximo jogo seria bem daora, ta na hora de sair um pouco sobre o pai de dante e foca um pouco mais na mãe dele fazer um meio termo, você concorda ?(uma coisa sem muito a ver descobri recentemente que nero DMC 4 e filho do vergil sempre pensei ser do dantekkk)

      Excluir
    3. oque vai acontece quando os poderes de dante vindo dos seus pais acabarem e ele liberta totalmente os seu próprios poderes, os poderes de nephilim como vai ser ? tenho tantas pergunta XD que so vou ter as respostas quando a sequencia vinhe kkk tudo de bom pra você cara admiro seu trabalho

      Excluir
    4. Wilker... sr Wilker... você ficará revoltadíssimo com minha declaração a seguir: Nero é filho de Dante... não de Vergil como muitas teorias mundo afora rs... Vou explicar o porquê em DMC4... dai você vê se concorda rs...

      Sobre a Mãe de Dante, ela pode ser sim um anjo, ou um humano, ou ambos... mas o fato é que, o que quer que ela seja, não fará diferença nenhuma nem trará impacto algum no enredo do jogo... alias... irei mais longe... teve algo que não comentei na análise por... sei la... respeito... mas você sabia que a mãe de Dante, Eva, pode ser uma prostituta? Ou algo do tipo... alias, ela tem grandes chances de ser uma dançarina sensual, semelhante aquelas que Dante da uns pegas... repare que todas as exóticas que surgem são caracterizadas como anjas, e pior, sempre que um demônio se refere a Sparda e Eva, eles chamam Sparda de "Guerreiro Traidor" e Eva de "Prostituta"... Não importa o quão mentirosos sejam os demônios, alguma razão eles devem ter pra insultar Eva de forma tão... grotesca. Faria mais sentido também, afinal demônios não s relacionam com humanos, é raríssimo... e se um demônio de Elite como Sparda se relacionou, provavelmente algo de errado a humana deveria ter. Bem... foi só uma ideia que surgiu por algumas insinuações da Theory... mas concorda que... tirando isso, é possível olhar a história com bons olhos... e inclui-la com perfeição a trama.

      Detalhe, eu espero muito por um jogo que revele logo a verdadeira história desse casal... já que a Theory ta nessa de ir contando o inicio... porque não se aventurar num DMC falando diferetamente de Sparda, incluindo ele como protagonista!

      Enfim... Aguarde pela DMC4 Analise... vocÊ vai entender meu ponto de vista rs.

      Excluir
    5. eu não fiquei revoltado cara eu gosto do nero como personagem,ele sempre teve mais traços de dante quanto a personalidade e forma de agir, doque o seu dito pai o vergil estou curioso pra ver a analise de DMC 4, a origem de nero e bem sem sentido ate pois pensa spada era dito como uma dos demonios mais poderosos e cruéis ate se apaixona por eva tanto que teve dois filho, deveria se algo parecido no caso do nero, e não aquilo tipo vergil teve um filho com uma prostituta e deixou ela la sozinho e pronto so isso , na minha opinião achei ridículo isso e sobre a mãe de dante ser uma prostituta faz bastante sentido ate mas so teremos as respostas no proximo jogo do reboot

      Excluir
    6. Minha teoria/visão sobre a origem de Nero é bem mais interessante que essa criada por "novela".

      Excluir
  3. Essa história é um Rebbot seu doente, desculpe o termo, é que isso me deixa puto, parece que o responsável pelo material é um retardado, vá pesquisar a fundo, DmC não tem nada haveer, entendeu, NADA HAVER CARAMBA com Devil May Cry, a historia de Devil May Cry original por ordem dmc 3-1-4 e 2, dentre eles há outros, como as novels, o anime, e um mangá. Você errou horrível em comprar os dois universos, Rebbot é recomeço, imagina, vc tem uma história, então vc pega essa história e recomeça ela do zero, entendeu? a única coisa que esse DmC tem de semelhante com os outros é o Nome dos personagens, porque tanto as personificações, as características e outras coisas diferem, e se vc ver, a própria aparencia dos personagens é diferente, a fisionomia desse Dante é diferente do antigo, ele tem uma cara mais feia, o outro era considerado mais "perfeitinho" entendeu? Agora faça o favor de corrigir essas asneiras porque isso só dá a informação errada para seus pobres leitores que são obrigados a ler tamanho equivoco, tenha clemencia pela mente dos demais, por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondendo por partes:

      Ignorância a parte, concordo contigo... no fato de eu ser doente, não de ser um reboot, pois se você leu a análise que eu demorei só alguns dias da minha vida pra produzir (sem contar as outras 4 análises dos outros 4 jogos, e os comentários respondidos... além do tempinho gasto em jogar e jogar, e também nas pesquisas feitas, pois tudo o que escrevi foi cuidadosamente pesquisado...) deve ter visto que eu disse, desde o princípio, que essa é minha visão do material pronto, e que conforme tudo o que mencionei, e comparei, esse episódio não se enquadra nem de longe no quesito "reboot". Eu peço, humildemente, que se tiver um tempo pra desperdiçar em sua vida, leia ao menos a primeira análise de Castlevania Lords of Shadow, pois la eu explico o que é um Reboot e por que, usando como base o próprio Castlevania.

      Sobre as Novels, Anime e o Mangá, já adianto que nenhum deles faz parte da franquia DMC oficial. Eles podem até ter conteúdo.... "Cannon" (palavra e termo que aprendi recentemente.) mas eles não são parte dos jogos não ta. Mas, acredite no que quiser acreditar, só veja bem os créditos no final rs.

      Acredite, eu conheço bem o universo de DMC, quase tão bem quanto conheço de Zelda, Silent Hill e Mega Man, e nos 4, eu sou martirizado pelos meus pensamentos... Mas eu sei bem do que falo, e como fan, não me calo rs. Sei a diferença entre Spin Off, Releitura, Remake e Reboot... e bem, lamento informa-lo mas DmC não se enquadra em nenhum dos perfis... jogue a franquia, leia os c´reditos, leia muito sobre o trabalho feito em DmC e você vai entender, que o propósito da Ninja Theory foi dar continuidade ao que já existia, reimaginando dentro do universo da franquia. Por mais que tenham acrescentado, eles não modificaram nada, nem reescreveram, apenas retocaram. Se engana com suas afirmações, pois no jogo, muito pelo contrário, pouca coisa se difere da franquia. Eles somaram os elementos de todos os jogos anteriores em um só... eu vi uma grande mescla de material existente, não diferenças. Outra coisa, quem disse que os 4 jogos anteriores eram iguais? Eles foram feitos por equipes diferentes, desenvolvidos com bases diferentes, formulas diferentes, histórias diferentes (inclusive, de um pro outro, muita coisa muda viu) e meu caro, nenhum dos 5 jogos se interliga diretamente ou foi desenvolvido com o mesmo propósito (vide DMC3 e 4 que são parecidos, e diferentes ao mesmo tempo.) Se engana também ao declarar que a aparência do personagem implica num Reboot da saga... Dante está com traços diferentes pois foi usada uma Engine diferente, o tema do jogo também foi forçadamente alterado, mas, ligeiramente devolvido pra sua origem (veja o final do jogo e entenderá) e de quebra, jovem, o universo de DMC foi EXPLICADO em DmC... como ousa alegar que seja um reboot? Como ousa acreditar nessa bobagem? Que tipo de fan se presta a tal? Pesquise sobre o desenvolvimento do personagem, mas pesquise mesmo, não apenas wikis, e entenderá porque o Dante tem seu aspecto jovial (Que diga-se de passagem, tem o mesmo designe base do Dante original ^^). Alias, nem precisa pesquisar... apenas jogue e entenderá.

      Excluir
    2. Ah, uma diferença interessante a se dizer é que os DMCs anteriores eram mais puxados pro estilo oriental, com bastante Shonen... algo assim... esquema exagerado de ação impossível... no DmC poram mais realismo... mas ainda tem bastante exagero viu. Esse é um elemento de reboot, mas, nesse caso, foi por causa da nova equipe que desenvolveu o jogo e sua originalidade, e a nova engine usada.

      Então, já estou acostumado com críticas tão repulsivamente violentas e insustentáveis, além de impulsivas... mas... eu entendo. Só saiba que gastei meu tempo com meus textos e os coloquei em meu blog só para compartilhar com aqueles que você chama de "pobres leitores", para que conheçam a minha visão das coisas. Eu nunca obriguei ninguém a ler o que postei... você leu porque quis... e sou grato por isso. Mas, lamento por ter te incomodado, só discordo plenamente da sua visão. Ai, eu não vou "corrigir" meu trabalho pois, pra mim, está perfeito. Se eu achar que devo adicionar ou modificar algo, será por críticas construtivas. Uma dica: Jogue de novo.

      E... evite ler coisas que não gosta. Grato por sua atenção.

      Excluir
  4. Olha, devo dizer que gosto muito da sua criatividade ao ler algumas análises suas, mas são duas histórias distintas, e já foi confirmado pela própria Capcom que se trata de um universo paralelo. Unir as duas só iria causar erros de continuidade, uma vez que o destino de vários personagens é diferente nas duas histórias.
    Mundus morre no DmC, e Vergil toma seu lugar como rei dos demônios. Se fossem a mesma historia não faria sentido o Mundus voltar à vida do nada, e Vergil não ficaria preso no inferno.
    Além do mais temos o Sparda. Foi dito que ele morreu, enquanto no DmC ele foi apenas preso.
    Nunca anjos haviam sido mencionados do 1 ao 4, e tanto Vergil, quanto Dante e Nero nunca demonstraram nenhuma habilidade angelical, apenas habilidades demoníacas.
    Entendo que os jogos do 1 ao 4 tem muitos buracos, muitas coisas inexplicadas (se formos desconsiderar o conteúdo dos mangas e da novel) mas o DmC não responde eles, pelo contrário. Ele estabelece uma nova historia num outro universo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr Kevin, eu entendo e respeito... apesar de discordar.

      Eu sei o que a Capcom disse, mas eu não considero a Capcom em minhas interpretações, bem como não faço com empresa alguma. Na verdade, eu busco ser totalmente centrado e limitado ao jogo... pois na minha opinião, cada mídia deve ser analisada e avaliada de forma individual.

      Além disso, eu não vejo nada que impossibilite DmC de se encaixar na franquia, muito pelo contrário, eu encontrei nele informações e material potencial para a melhoria e aprimoramento da franquia... Tanto que me esforcei muito ao longo das 5 análises feitas sobre a franquia DMC até então, para expor e compartilhar essa ideia, dentre outras.

      Ainda assim, me sinto na responsabilidade de explicar de forma mais concreta o que me leva a pensar assim, e concluir o que concluí.

      Vamos ignorar as histórias dos jogos... e considerar apenas as histórias por trás dos jogos.

      Ambos concordamos que DMC2 é uma lástima, e até a Capcom se arrepende dele. Foi um jogo produzido por "terceiros" mas oficial, pois foi feito dentro da empresa, e no final, ele foi muito... feio.

      Em DMC3, a Capcom decidiu mudar as coisas e criaram algo tão novo, tão divertido, tão diferente, que acabou sendo um sucesso superior ao acidente original. A ideia foi ótima, e foi um sucesso.

      Porém, em DMC4 a Capcom, sem entender exatamente onde tinha acertado, e também sem querer correr o risco de errar novamente (na época alguns outros títulos estavam passando por maus bocados) eles decidiram "manter a fórmula" mas sem serem repetitivos. Eles mudaram algumas coisas, sem mudar de mais... o que não foi um fracasso... mas também não foi um sucesso. Foi meio "neutro"... algo que eles não precisavam na época (por questões financeiras eu diria).

      Então, um dia, surgiu a ideia de arriscar tudo! Eles passaram a bola pra uma "empresa secundária" que teria a tarefa de reavivar uma franquia que até então, eles nem entendiam como fez tanto sucesso. Mas... ai surgiu "O Trailer".

      O Trailer que moveu nações fanáticas inteiras, que ovacionaram a produção futura, e previram total fracasso (eu concordo até... mas eu também achei a ideia do jogo do trailer muito legal... não era DMC... mas era legal!)

      O ruim, tava no fato de usarem o título de uma franquia que já tinha se estabelecido no mercado... e a Capcom temeu por isso... então eles tiveram a brilhante ideia de se respaldar, criando "A Confirmação" de que na verdade, o jogo anunciado era somente um remake, uma releitura, um reboot, um spin-off (depende muito do veículo que espalhou a informação). No final, essa foi uma ideia genial, uma saida de mestre, que permitia a Capcom arriscar, sem se preocupar, afinal eles já haviam negado tudo desde o inicio.

      O medo da Capcom é até justificável e a decisão deles foi bem inteligente. Considerando o mercado, e a forma como o jogo tava falado... o lucro seria drasticamente afetado. Sério, os fans caíram realmente em ciam... e o choque que isso causa é algo terrível (principalmente falando de games, e grana).

      Excluir
    2. Só que, o que a Capcom não previu foi que a "empresa secundária" sabia muito bem como fazer o dever de casa, e eles estudaram a fundo, não um, nem dois, mas todos os 4 jogos da franquia (repito, "jogos"), da forma que todo fan deveria fazer, e eles exploram cada centímetro, e entenderam os erros e acertos. E, pra melhorar, mesmo sem o apoio da empresa principal, eles se dedicaram e se propuseram a produzir algo que iria contra todas as críticas.

      Eles não "mudaram a ideia"... eles apenas a refinaram. Se eles tinham carta branca pra reiniciar a franquia, porque não fazê-lo de uma forma que, não desmerecesse a mesma!? Eles perceberam nos jogos a incompatibilidade de ideias entre os jogos, e corrigiram essa falha, criando... alias... destacando (pois isso já tinha sido criado, só não tinha sido percebido) o "folclore" DMC.

      O universo do jogo estava pronto, apenas com pontas soltas. Eles se deram ao trabalho de unir essas pontas, dando um inicio praquilo que começou como um acidente com potencial.

      Lembra que DMC, o primeiro, nem era pra ser um DMC?! Foi apenas uma ideia, de um produtor esperto, que ganhou espaço, foi percebida e teve apoio, sendo lançada e fazendo sucesso. Mas no final, só essa ideia não era DMC... haviam 4 jogos, e os 4 forma estudados, tanto que a "empresa secundária" fez o belíssimo trabalho de resumir cada um dos jogos anteriores e colocar dentro do jogo novo. Sim, há resumos, incríveis, fieis e detalhados dentro do DmC, de todos os jogos anteriores. Postura estranha não, pra um grupo livre que pretendia "destruir" a franquia e reinicia-la.

      Enfim... o produto final, não foi só um sucesso... foi um Devil May Cry. Um jogo totalmente imerso no universo Devil May Cry, com as mesmas ideias, as mesmas bases e alicerces, mas principalmente: O mesmo universo.

      Mas... a Capcom disse que era spin-off... não tem como voltarem atrás... e assim ficou. Uma informação oficial que vai contra um fato: O jogo é bom, é respeitoso, é original e serve perfeitamente à franquia.

      É assim, que eu enxergo essa bagunça toda.

      Excluir
    3. Eu joguei DmC, da mesma forma que joguei todos os outros e eu estudei os jogos a fundo. E repito, eu não vejo nada que exclua ele da franquia, alias... ele soma muito! A principal contribuição, não foi o fato de ter explicado furos do primeiro, segundo, terceiro e quarto jogos, de uma forma muito sutil. Mas o fato de ter deixado bem claro que existe uma mitologia dentro de DMC, histórias, lendas. E ao mostrar que os fatos diferem das lendas, porém coincidem em essência... mano... isso é exatamente o que DMC precisava pra ser entendido.

      Enfim... nenhum DMC é perfeito. Até o 3, a menininha dos olhos, tem suas falhas. Porém, o DmC não merece ser excluído, não por causa de divulgações oficiais. O que vale, é o conteúdo... e eu posso afirmar que o conteúdo de DmC é digno da franquia, como o inicio dela. Apesar, de haverem sim diferenças, repare que em DmC a narrativa das "diferenças" é bem mais concreta que nos outros... justamente pra consolidar o "folclore" ou "mitologia" DMC. Eles apenas destacaram isso, algo incrível alias... mas que ta presente desde o primeiro.

      Sr Kevin, nem grila que eu posso não ter lhe convencido com meus argumentos, mas eu entendo o sr, e respeito sua opinião. Eu apenas não concordo, e eu tenho meus motivos pra acreditar que DmC tem o mesmo direito dos demais. Eu defendo esse título, pois eu entendi o que eles quiseram e fizeram. Deveriam haver mais empresas como Ninja Theory... e eu não vou desmerecer o trabalho dos caras, pois foi algo honrado de mais... e muito desmerecido oficialmente.

      Por isso eu digo... jogos devem ser interpretados de forma individual, porém centrada em seus próprios universos. Outras mídias e argumentos extra-oficiais (até oficiais mesmo) não merecem destaque e importância maior do que um produto que levou meses/anos/décadas pra ser finalizado e disponibilizado, juntando centenas de mentes diferentes. Não dou a mínima pra quem produziu, pra quem dirigiu, pra quem escreveu, pra quem desenhou... eu ligo pro produto final, pro jogo, praquilo que eu curti.

      É isso... see yah sr!

      Excluir
  5. Muito bom a postagem!, acredito que este Dmc foi muito bom!, claro também fiquei puto com o trailer inicial. Porem no terceiro trailer que retiraram o visual #GreenDay dele nossa melhoro muito, tudo isso munido a aquela transformação de Devil trigger que fez o povo gritar na #E3 kkkkkkkkkk....
    A historia contada e a fidelidade a obra foi muito bem quista, não só por mim mas por muitos amantes da série, como você disse os fã's boy é quem fodem a experiencia para novo jogadores da franquia, estou doido pra que o Dante de um pega na Kat e que isso fique bastante explicito no próximo Dmc 2 quem sabe né?, não podemos criar o jogo por eles então só nos resta sonhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Sr(?) LucyNyu, tamo junto na opinião. DmC foi respeitoso e divertido, só meteu o pé esquerdo naqueles trailers, mas ainda assim, um mega jogo.

      Como você disse, só nos resta aguardar por continuações, mas podemos ter certeza ao menos que ficarão decentes, afinal os caras sabem o que fazem. Se forem lançar um DmC novo, torço pra que a Ninja Theory conduza a produção novamente, pois de depender só da Capcom, pode ficar algo meio... triste.

      Enfim, torço pras minhas teorias e visões se concretizarem oficialmente, e também quero ver um jogo contando a história real de Sparda. Ai sim, será épico.

      See yah.

      Excluir
  6. entao pera as divergencias na historia sobre o que aconteceu sobre sparda e a eva ser um anjo nao humana nao tem nada a ver com reboot e sim acontece justamente pq eles estao no limbo e nao no mundo humano e isso mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, isso acontece porque a galera num sabe passar informações pra frente. Cada um fala de um jeito, e ninguém sabe dizer exatamente o que aconteceu, da forma que aconteceu.

      Excluir
    2. Como assim poderia ser mais claro entao e um reboot ou nao ? E a historia so esta distorcida justamente pq estao no limbo?mas uma coisa e certa quando a peruca caiu no dante desse dmc a peruca branca achei o comentario dele meio ofensivo so achei

      Excluir
    3. Hei sr Mazza, então, na minha opinião, DmC funciona melhor como Inicio pra franquia do que Reinicio. Ele não é um reboot, mas sim um começo mais detalhado e focado no passado. Até ele aparecer, o primeiro Devil May Cry era o 3 na cronologia, e ele já contava com um mundo dominado por demônios e um Dante rebeldão mas cheio de "traumas". DmC tenta contar e mostrar o que aconteceu antes disso, e ao meu ver, funcionou.

      A história é meio bagunçada e "diferente", pois ela mostra as coisas, não apenas narra. O que difere o universo em DmC do universo em DMC são dizeres dos personagens, lendas, fofoquinhas, relatórios do passado ou simplesmente, achismo mesmo. Mas em DmC, nós controlamos os envolvidos no período em que os eventos ocorreram, o que nos permite conhecer a verdade.

      A franquia DMC inteira tem disso, onde vale mais apena acreditar Vendo do que Ouvindo, como por exemplo aquela narração de Lady sobre os irmãos Spardas no inicio de DMC3, que nada tem haver com o que eles mostram no próprio jogo, na mesma luta perto do final. O que eles falam é enriquecido com detalhes inventados... saca: "Quem conta um conto aumenta um ponto".

      O esquema do Limbo, foi uma forma de mostrar e enfatizar que os seres humanos não tinham acesso ao universo demoniaco e os ocorridos eram todos de forma "secreta". Mas, em DMC3 (uso ele como exemplo comparativo pois ele é o "1°" quando se exclui o DmC) já vimos a cidade totalmente afetada e até consciente sobre os demônios, alias esse é o grande motivador pra Dante ter sua loja: Vender a morte dos demônios.

      No fim de DmC, o limbo é rompido, e ele até reaparece em outros DMCs mas, pouco se explica sobre. Daí eu repito que DmC veio pra somar à franquia, não pra reinicia-la.

      E sobre o cabelo... sim, foi ofensivo e proposital, pra mostrar que Dante era um jovem babaca sem respeito ou preocupações com o futuro ou sua índole, mas agora olha o final, veja o cabelo dele... ele mesmo se contradisse. Também, foi uma referência oportuna...

      Espero ter respondido bem rs...

      See yah sr! E bem vindo ao blog.

      Excluir
    4. O erro foi que anunciaram o jogo como um reboot ai todos os fas ja ficaram com um pe atras,uns dizendo que o jogo era uma bosta e tal e outros como eu que admitiam que o jogo era bom pq nao sou cego por mais que ame a suposta franquia original,mas nao reconhecia como dmc deveria ter tido outro nome,enfim a parte do cabelo do dante eu sei que ele usando o suposto devil trigger imperfeito ele ficou com o cabelo branco definitivamente so achei algo desnecessario a parte da peruca pq ela podia e iria causar interpretaçoes erradas,e deveriam ter exposto isso de uma maneira diferente ter deixado claro as mudanças sao pq estao no limbo que fazem com que a historia original pareça diferente mas assim que e quebrado tem se o dmc3 o qual a propria ninja theory nao fez,enfim e sobre nero ser filho de dante o criador de dmc ja confirmou que ele e filho de vergil mesmo

      Excluir
    5. Eles poderiam nao ter mudado nada como aspectos de sparda,eva e mundus para assim se ter um inicio propriamente dito nao acha?sem questionamento sobre ser um reboot e provavelmente sem odio algum da base de fas

      Excluir
    6. O problema é que isso é uma manobra até comum de grandes empresas, onde anunciaram como reboot para tirar o deles do reto. Se o jogo fosse ruim, poderia facilmente ser ignorado, e se fosse bom, traria lucro e isso que importa pra eles. Não quiseram arriscar a franquia a esmo, então bolaram isso de dizer que é reboot. O que não contavam é que a Ninja Theory estudaria a fundo cada um dos jogos existentes e bolariam um inicio digno pra franquia.

      Sobre Nero... eu tenho minha opinião. Infelizmente anunciado como oficial ou não, não tem essa informação em jogo algum, e tudo leva a crer que é o contrário.

      Mas man, eu fico triste pelo que ocorreu com DmC, pois a NT se esforçou muito pra agradar gregos e troianos, e deu no que deu.

      Sobre a parte da peruca, acho que foi até uma crítica direta a própria Capcom e como ela tratava a Ninja Theory... vai entender...

      Excluir
    7. Eu acredito que fez-se absolutamente necessárias as mudanças. O enredo de DMC antes da Ninja Theory por as mãos estava completamente furado, origens sem lógicas, fatos complicados, muita coisa bagunçada e impossível de por em ordem (pois divergiam muito). Dar um novo ar da graça ao jogo foi o ideal, incluindo mudanças de origem e nomenclatura de raças... mas isso não só estabeleceu uma origem válida, como ditou a verdade.

      Um exemplo de ideias desenfreadas é a própria natureza de Nero: Não há como explicar, não dentro do universo de DMC. É preciso inventar eventos paradoxais e mesmo se buscar uma explicação coesa, Dante é sempre a melhor resposta. Mas, é mais fácil agradar os fans dizendo que Vergil é o papai da vez, afinal todos captaram as indiretas e ignoraram os fatos, do que assumir a verdade mesmo esta indo contra os paradigmas alheios. Veja o que DmC fez... é um jogo ótimo, tem uma história muito bem escrita e compreensível. Fe todo sentido, e ainda se ligou à franquia sem problema algum, mas os fans odiaram, pois não era o que esperavam (esperavam um reboot, conforme o anunciado, não um inicio).

      Por essa razão, eu to pouco me lixando pro que produtores, diretores ou anunciantes dizem, só ligo pro que eu jogo. Se ta dentro do jogo, perfeito, se não, ignoro pois não tem valor, não pra mim.

      Excluir
    8. Muitos fas antigos odiaram o que fizeram com sparda por exemplo transformando ele num frouxo e qual seriam esses grandes furos da franquia do 1 ao 4?nao diria furos so partes que ainda nao foram explicadas mas tudo se encaixava facilmente antes do dmc 3 teve um manga depois os eventos do dmc 3 logo apos o 1,depois disso o breve anime com 12 ep e logo no final eles vao pra fortuna onde acontece dmc 4,depois de muito tempo os eventos de dmc 2 acontecem e ficamos sem saber se dante voltou ou nao,cara mas nao tem o que constestar antes dos eventos do dmc 3 vergil foi para fortuna e emgravidou a mae de nero segundo o proprio criador,ate perguntaram pq ele faria isso se tinha repulsa por humanos,o criador disse que seus motivos sao sombrios por exemplo quando nero pega a yamato ele meio que fica possuido talvez seja isso,vergil querer um corpo para assumir se algo acontecesse com o dele

      Excluir
    9. Eu costumo considerar apenas jogos no universo de jogos, e desconsiderar periféricos de mídias diferentes, tipo HQ, Live Novel, Manga, Filme, Animação, Livro, etc. Eu realmente não levo eles em consideração, mesmo quando apresentam informações reveladoras, alias, inclusive quando apresentam informações reveladoras. Na minha opinião, é o mesmo que desmerecer os jogos e seus mistérios. Fazer um estudo em cima do jogo por si só, é o que eu acredito correto.

      Eu pesquisei pacas, sempre relutante pois eu nunca gostei ou confiei na ideia de Vergil e Nero serem pai e filho, porém eu mantive a mente aberta às informações que obtive, ao ponto inclusive de ler os trabalhos paralelos, mesmo sem os considerar válidos. Queria ver as ideias, e na boa, eu li a novel sobre Vergil e a Prostituta, e discordo dela, talvez da mesma forma que discordo das HQs de Zelda. Mesmo a arte sendo oficial, e linda, e mesmo a história tendo sida escrita por um dos designers (se não me engano) eu não concordei, e tinha teorias baseadas em informações dentro dos jogos que eu julgava mais completas e lógicas. Mas isso vai de fan pra fan e interpretação. Eu meio que curti o trabalho da Ninja Theory não só por ser bem respeitoso, mas por casar legal com as minhas ideias... mas não sou ninguém pra desmerecer o trabalho alheio, nem criticar as teorias oficiais... porém eu posso discordar e criar as minhas próprias, dentro dos meus parâmetros, e é isso que eu mostrei nos textos... daí eu digo: Tem muito furo na franquia que foi tapado com material secundário, sendo que dentro da própria franquia havia possibilidade de explicar. Eu consigo conectar facilmente todos os 5 jogos, mas acredite que tem muito fan que não consegue, e acabam sedendo pra materiais secundários, algo que eu não acho certo.

      Mas, enfim... eu acredito de verdade que Dante é pai de Nero, e só mudarei de opinião caso lancem um jogo dizendo o contrário, algo que duvido muito que ocorra, pois confio no que interpreto... raramente erro, e quando erro é por vacilo com os detalhes, eu já errei feio com Mega Man por exemplo... mas consegui me corrigir a tempo.

      Fato é que, cada um é livre pra interpretar como achar melhor, mas eu não recomendo confiar em Novels ou Animes, pois são mídias completamente diferentes, feitas por equipes diferentes e processos bem diferentes. Muito se perde nessas mudanças...

      Excluir
    10. Cara mas e isso que vc tem que entender kamiya nunca quis uma que os jogos se completassem por si so nunca foi a intençao dele por isso sim pra historia de dmc anime,novel manga sao validos e sobre nero ser pai de vergil isso nao e mais uma discussao e um fato ja kamiya disse com a boca dele que o special ediition quis mostrar a ida de vergil a fortuna e dar sinais confirmando isso antes dos eventos do dmc 3 nao tem furo nao tem nada aconteceu,queira vc aceitar ou nao

      Excluir
    11. E sobre essas justificativa de que pq foram feitas por equipe diferente sao muitos fracas pra nao considerar o resto do conteudo ate pq nenhum dmc foi feito com a mesma equipe a uma mundança constante nem o 1,2a mudança foi drastica nem o 3 nem o 4 e nem muito menos o DmC

      Excluir
    12. Sobre Vergil ser pai de Nero* não há nada oficial, digo isso por pesquisa mesmo, e o Special Edition é apenas um remaster com dlcs de personagens, não há conteúdo cânone, e considerar as cutscenes recicladas como é um ato desesperado e até menosprezante, eu até julgo essa versão como um insulto a franquia e a inteligencia dos fans. Produtores se apoiam em ideias fracas como a de relançar um jogo com um falso conteúdo novo, pra vender seu produto e ganhar mais, nessa parte é preciso ser mais interpretativo e astuto pra separar o jogo do produto comercial. Minha forma de observar e analisa é muito criteriosa e frescurenta, mas isso me garante no mínimo poder afirmar minhas teorias e interpretações, pois o mínimo que eu faço é resumir o texto em cima do conteúdo do qual o texto fala.

      Jogo é jogo, e nenhum jogo é feito com a mesma equipe anterior, sendo essa uma das coisas que influencia no processo de construção. Mas quando me refiro a equipe e forma de produção é justamente pelo fato dos jogos terem uma gama de envolvidos grande e variada, com constante manipulação de ideias. Acredite, o roteirista não faz nem 50% do jogo... então é errado atribuir todo o crédito a ele, ou ao diretor, ou ao designer, ou ao compositor, ou a qualquer um individualmente (isso vale até pra pequenos grupos de produtores "envolvidos"). Logo, declarações vindas de bocas nada valem, pois não passaram por todo o processo de produção do jogo, toda a manipulação de ideias, e isso é o que caracteriza o jogo. Desculpe mas eu discordo completamente do ato de usar outras mídias na complementação e interpretação de um jogo, e isso valeria até pra esse artigo aqui. O que me coloca (nos coloca) em uma posição diferente e crítica é justamente o fato de sermos quem interpreta. Não produzimos, não influenciamos (não propositalmente) então somos livres pra criticar, avaliar e interpretar o produto já pronto. Mas até isso pode ser refutável se for incoerente. Por isso digo, se não concorda com as ideias, nem grila, pode ignorar que isso não vai mudar o que o jogo é, ou o que ele passa.

      Excluir
    13. Não se usa a história de um livro pra interpretar a história de um filme, mesmo se este for baseado no próprio livro, justamente pelo processo pelo qual ele passa pra existir. A mídia muda, tudo muda. Um livro tem o que, um ou um pequeno grupo de escritores que fazem o trabalho bruto, editores que melhoram, modificam e até censuram como desejarem, a editora, que publica e junto ao markenting divulga o produto, como bem desejar o que também pode influenciar no resultado final. Pode haver envolvimento de ilustrador, que também pode sim mudar drasticamente pontos do livro, conforme sua interpretação artística tanto na capa quanto em imagens dentro. Esse é um procedimento para livros (ao meu reles entendimento, afinal jamais produzi um livro rs).

      Um filme tem direção de arte, designe, atores, diretor(es), co-diretor(es), produtores, markenting (que mesmo não produzindo, pode sim influenciar feio), compositores, editores, coadjuvantes, participações de elenco, cinegrafista, o carinha que bola os cenários também, a locação em si (isso também pode afetar até o enredo e adaptá-lo) e por ai vai.

      Um jogo tem Programadores, Diretor(es), Diretor de Arte, Diretor de Designe, Editores, Produtores, Dubladores (depende se tem áudio), Compositor(es), Diretor de Música, Cinegrafista (sim, pode ter), Atores (sim...), Atores de Captura de Movimento (sim, são ou podem ser diferentes dos atores que interpretam os mesmos personagens), Analistas, Markenting, Animadores, Live Designers, Roteirista(s), Animais dos Desenvolvedores (já vi os caras por o nome deles nos créditos então eles devem ajudar de alguma forma kkk), Sonoplasta(s), Diretor de Fotografia (e quando eu falo só do diretor, é pra resumir pois tem vários e vários profissionais que eles dirigem) e por ai vai sr, o crédito mostra todo mundo.

      Uma HQ tem Desenhista(s) de Personagens, Desenhista de Cenários, Editor(es), Editora, Markenting, Roteirista(s), Copiador(es), Designer Artístico e tem os caras que criam story board, etc.

      Excluir
    14. Mangá, Animação, Anime, Série, Curta, Live Novel, Novelas, Revistas, Músicas, tudo isso, são mídias que passam por equipes e pessoas diferentes pra chegarem no resultado final. Mas, o conteúdo final que importa, não o que cada um fez individualmente, pois pensa comigo: O Desiner Artístico depende não apenas do seu trabalho, mas do que o editor faz com seu trabalho, do que o diretor e o produtor pedem, do que os demais designers fazem, e o resultado final jamais é o mesmo que o inicial, logo, ele perdeu sim, o direito de dizer e desdizer sobre a arte final. Ele pode dizer que na arte conceitual o personagem era vesgo, mas se no resultado final ele não tem olhos, infelizmente a informação de que ele era vesgo não é válida, a menos que esteja presente no jogo, seja como um artigo, seja por uma piada, seja por um simples comentário, um flash back, uma foto, alguma coisa que enfatize isso. Se não há, não importa o que o cara tinha feito originalmente, isso não faz parte desse universo. Se ele resolver ir numa rede social e dizer "O cara era vesgo mais jovem" pois é, ele ta mentindo, pois isso não foi pro jogo. Isso vale também pra todos, até o roteirista. Se ele ao descrever o personagem enfatizou que ele era vesgo, mas depois de todo o processo essa característica foi ignorada, sem aparecer em momento algum, lamentavelmente não é uma verdade. Ele pode vir a público com o material original inclusive, isso não terá valor algum. Eles, por mais envolvidos que estiveram, ficam na mesma posição que nós, como críticos analistas e interpretadores, e suas falas tem o mesmo peso, não importa o nome.

      Se os membros da equipe formarem um pequeno grupo e escreverem um almanaque com materiais conceituais e a promessa de que furos serão tapados com as informações que eles trazem a público, caso essas informações não condizem com o produto, teorias ou interpretações coesas, lamentavelmente não serve como prova de nada. É bom pra discutir, conhecer mais da produção, mas nunca deve ser visto como "complementar", caso não faça jus ao que é encontrado nos jogos.

      Onde quero chegar com isso tudo? Bem, eu quero apenas dizer que o fato de ter nome nos créditos não te da o direito a verdade absoluta. Se não ta no jogo, não é real, não importa quem você é. Só pode ter valor, se fizer sentido, se tiver ligação com o que tem nos jogos, e se for realmente complementar. Alguém que chega e interpreta as dicas e referências estudou o conteúdo pra isso, se alguém da produção contradiz, sendo que este esta evidentemente equivocado, ou simplesmente não tem argumentos melhores ou ligados ao que tem no produto pronto, simplesmente pode ser desconsiderado se o público quiser é claro. Todo mundo é livre pra dizer, pensar e concordar com o que quiser, da mesma forma que pode discordar, ainda mais quando é uma informação "extra oficial".

      Bem, é isso sr. Espero ter me explicado sr Mazza... eu sei que sou meio chato pensando dessa forma mas, é o que eu acho.

      Excluir
    15. Nao,shady gosto de debater com pessoas logicas como vc seus pontod sao inteligentes mas ao meu. Entender ja e obvio que vergil e pai. De nero e nao sei se lembra mas no inicio do dmc 3 dante fala com vergil e diz que ja faz quase um ano que nao se veem existe um manga para explicar isso kamiya desde o principio sabia que nao daria para explicar o universo todo de dmc apenas pelos games,e existe facilmente a possibilidade de vergil ter ido para fortuna antes dos eventos do 3 ate pq o proprio dante disse ja faz um ano que a gente nao se ve,o special edition com vergil mostra sim algumas partes apesar de eu achar que o foco era vender aquilo e cannon sim. Vergil foi para fortuna nao resta duvidas e se a palavra de kamiya nao vale nada entao. De quem vale ? Bom e isso

      Excluir
    16. Sr Matheus, existe um pequeno erro no mundo da interpretação que já se estendeu por tanto tempo que hoje ta colossal... Jogos funcionam diferente.

      Eu to preparando um artigo que expõe todos meus pontos de vista e explica cada um. Assim que eu terminar compartilho contigo, e provavelmente ele será o bastante pra explicar absolutamente tudo que é preciso explicar...

      Mas em resumo, a palavra de Hideki Kamiya valia bastante em meio a produção dos jogos dos quais ele participou, e como designer e consultor ele tinha o poder de definir o que poderia ou não sair no jogo. Após o lançamento, sua palavra passou a valer exatamente o mesmo que as palavras de todos nos créditos. O jogo ta pronto e o que existe é aquilo la... mesmo que não seja possível "dizer tudo em um jogo" é possível montar uma equipe e fazer outro jogo que tente dizer mais. Complementar o conteúdo do jogo com uma ideia individual não tem valor algum, a menos que fosse lançado um novo jogo ué. Mas o jogo precisa se fazer valer. Não basta pegar um monte de concept arte, montar, sei la, um jogo de luta e dizer que ele é complementar em termos canonicos ao que existe em um jogo de aventura. Ai já é dar um tapa na cara do consumidor/jogador e insultar nossa inteligencia.

      Eu vou explicar muito bem isso na analise, e ela ta quase pronta, só quero pegar ótimas imagens pra ilustrar o trabalho e assim dar aquela senhora editada xD, mas eu compartilharei contigo, principalmente pois acho justo deixar claro o que penso.

      Até sr Mazza.

      Excluir
    17. Obrigado cara te respeito muito ate pq vc abriu a cabeça para raciocinar sobre o dmc de agora e nao simplesmente odiar,sou fa desde o principio mas na maior parte achei o jogo uma homenagem a nao ser pela parte da peruca se bem que ele acabou ficando com os cabelos brancos no final dad contas mesmo kkkk

      Excluir
    18. Acho muito errado desconsiderar o trabalho dos caras só pela forma que foi tratado oficialmente, sendo que na prática fica claro que eles fizeram um trabalho incrível. O fato de no menu principal haver a opção de ler resumos ilustrados de todos os jogos anteriores... mano aquilo é uma prova de que o trabalho é feito por fans para fans. Se comparar
      DmC com Special Edition da pra ver a diferença entre o ato de lançar algo pra vender, e o ato de lançar algo pra homenagear e complementar.

      Eu fico muito grato e feliz pelo sr ter encontrado meu blog, e ter lido meu artigo, e claro, ter comentado. Seja sempre bem vindo sr Mazza.

      E sobre a peruca... confesso que na hora eu entendi a referência, e quase parei de jogar ali mesmo, pois praticamente tinha confirmado que era tudo apenas uma releitura e ainda por cima, que zombava do material original... mas que bom que continuei ogando rs..

      Excluir
    19. Kkkk sim tbm fiquei assim mas era uma piada com o proprio dante de cabelo preto nao o antigo kkk obg amigo quero muito ver seu artigo pq pra mim dmc nao e um jogo e parte da minha vida pode parecer ate besteira mas falo com convicçao amo de coraçao a franquia

      Excluir
    20. Legal conhecer fans. Eu também amo e defendo várias franquias com unhas e dentes, e eu não tenho vergonha em assumir que respeito e amo essas franquias... mó bizarro kkk.

      Mas enfim sr Mazza, eu to terminando o artigo já. Na verdade já terminei, só to escolhendo imagens legais... logo logo posto.

      Excluir
    21. Kk legal shady tem algum problema divulgar dados seus como whats app face para manter contato trocar ideias?

      Excluir
    22. O blog é o melhor contato possível comigo. Eu faço questão de no mínimo administrar os comentários e responder o mais rápido que posso. Eu até mexo com facebook e whatsapp, mas muito pouco. A página do face dedicada ao blog é a que eu mais observo, então por ela você também me encontra. O meu próprio face não entro muito não, quando entro é pra ir no do blog rs. Sobre Whatsapp, meu celular parece até comercial, eu não tenho problema algum em passa-lo, mas ainda assim eu prefiro responder sempre pelo blog. É o melhor meio de me contatar e trocar uma ideia.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+