PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

AnáliseMorte: Silent Hill Origins - Tudo o que você precisa saber sobre SHO!

Silent Hill Origins




Essa vai ser muito boa! Pelo menos garanto que farei todo o possível pra deixar esta análise impecável!

Então prepare-se pois, aqui irei contar tudo sobre esse jogo, além de explicar algumas pontas soltas da saga Silent Hill e também, mostrar muitas curiosidades e coisinhas bacanas do jogo.

Esse episódio explica eventos anteriores ao primeiro jogo da saga, e eu recomendo que você leia as análises de Silent Hill 1, Silent Hill 3 e Silent Hill Shattered Memories primeiro, para depois ler essa aqui, porque assim vai ficar muito mais fácil de entender. Se quiser, também pode ler as análisesmorte de Silent Hill 2, Silent Hill 4 e Terror em Silent Hill, que de certa forma também tem algumas ligações com SHO.


AVISO


ESSA ANÁLISE PODE APRESENTAR UM NÚMERO ASSUSTADOR E VIOLENTO DE SPOILERS, ENTÃO NÃO RECLAME CASO ACABE DESCOBRINDO COISAS QUE NEM IMAGINAVA QUE EXISTIAM NESSA POSTAGEM. LEMBRE-SE: É DE UM SILENT HILL QUE ESTAMOS FALANDO, ENTÃO ESPERE REVELAÇÕES MUITO PERTURBADORAS! VOCÊ FOI AVISADO!!!

Boa leitura!


Tanta coisa a dizer, e mais uma vez, mal sei por onde começar...

Silent Hill Origins ou Silent Hill 0 (Zero) é cronologicamente, até o momento, o primeiro jogo da saga.

Ele foi originalmente lançado para PSP, e depois foi adaptado para PS2 (as versões de PS2 e PSP são praticamente idênticas, e a diferença delas é o controle e algumas modificações gráficas, só isso).



Em jogabilidade, ele segue os mesmos padrões dos demais Silent Hills: Você explora o mapa, com partes bloqueadas por abismos bizarros ou portas trancadas, algumas que podem ser abertas com chaves e outras que simplesmente estão quebradas. 



Também há monstros bizarros e barulhentos que passeiam em meio a névoa ou escuridão, e reagem à luz da Lanterna que você pode ligar/desligar quando quiser e o rádio, que chia quando há algum ser assustador do satanás por perto (como se eles já não fizessem barulho suficiente). 



Além disso há os enigmas, que normalmente são simples, mas exigem que você faça uma bela de uma busca pelo cenário, atrás de caminhos... 




E itens para abrir outros itens, coisa padrão de Silent Hill.



Artigos, Mensagens, Referências, tudo isso tem também. 


O destaque está para algumas novidades um tanto quanto interessantes:

Primeiro que, pela primeira vez, o protagonista pode se defender de mãos limpas! Em todo Silent Hill (tirando o SHSM) o personagem pode enfrentar os monstros ou fugir, mas, sempre é preciso ter uma Arma de Fogo ou Arma Branca para lutar. Aqui, o protagonista pode descer o murro na fuça dos monstros, conseguindo derruba-los normalmente. (Eu adoro isso, e no meu gameplay fiz 84% de assassinatos usando o soco!) 



Claro que também é possível usar Armas de Fogo e Armas Brancas, mas no caso das armas de fogo, tem de ter a munição (que curiosamente sempre é encontrada por toda parte, nos cantinhos da cidade, nas escadas, nos carros, tem munição pra todo lado em Silent Hill!).

No caso das Armas Brancas, elas são "consumidas". Elas vão se desgastando até quebrarem e se tornarem inutilizáveis. E é ai que surge a segunda novidade: Há "Armas de Arremesso".



Tecnicamente não são "armas", são objetos, que o protagonista pode pegar, carregar em seu inventário (que mais lembra a bolsa da Hermione, pois não tem limite de carga nem física...) e jogar nos inimigos. Por exemplo, é possível pegar uma Televisão Portátil e arremessar na cabeça do primeiro infeliz que aparecer.



É um pouco estranho, mas até meio dinâmico, o fato de você pegar várias coisas diferentes, guardar e poder usar para lutar contra as criaturas diabólicas de SH. Tenso que não faz sentido algum, você poder carregar Televisões Portáteis, Torradeiras, Espadas, Bastões, Tacos, Caixas de Plástico, Máquinas de Datilografia, Lanças, Cutelos e uma pá de outros itens (Pás também), além de carregar munições, mais de 200 caixas de cada tipo para cada arma que o personagem possui, de Pistolas a Rifles, os itens consumíveis, e os itens das "quests", tudo ao mesmo tempo, sem limite de peso ou carga. 

Reclamação a parte, nem faz tanta diferença, pois é possível levar o jogo praticamente inteiro só na base da mãozada mesmo. (Exceto os chefes, pois usar Armas de Fogo ou tacar objetos é bem melhor que ficar pertinho deles, correndo o risco de ser esmagado, partido ao meio, comido, triturado ou simplesmente morto mesmo).

É tanto objeto diferente que no final, pode acontecer de ter tanto item no inventário, que pra achar o item certo e equipar, se torna um desafio a parte. (Eu mesmo, não usei nenhum item de arremesso ou arma branca durante meu gameplay, e no final tinha tanta coisa diferente que simplesmente dava preguiça de conferir).

Outra novidade legal é que pela primeira vez, é possível transitar entre as duas realidades bizarras de Silent Hill (A Silent Hill "quase normal" e a Silent Hill do Capeta). Travis pode fazê-lo ao tocar em Espelhos, e entrar no que seria o reflexo "amaldiçoado" do mundo "real".



Isso aumenta a dificuldade do jogo, pois certos caminhos só são acessíveis em uma das duas realidades, e é preciso entrar no espelho de um ponto, transitar pela realidade ferrada de Silent Hill (qualquer uma das duas é ferrada) e atravessar pelos espelhos em um outro ponto, inacessível por formas convencionais. (Isso valida uma frase da mãe de Travis que citarei mais pra frente.)

Mas chega de falar de sistema e bobagens práticas do jogo, em Silent Hill, o que importa é o enredo!

Lógico que, antes de falar do bizarro enredo de SH Origins, preciso explicar o mesmo, e tudo que for relacionado e essencial para entendê-lo...

Em Silent Hill, o primeiro jogo da franquia, é contada a história de Harry Mason e sua procura por sua filha, perdida na cidade enevoada de Silent Hill. No final de tudo isso, Harry acaba conhecendo um pouco do passado de sua filha, e de como ela realmente veio ao mundo, pois ele e sua esposa haviam encontrado ela ainda bebê, na estrada de acesso à Silent Hill, adotando-a posteriormente.



Pois bem, em Origins é mostrado o que aconteceu antes disso, como a menininha foi parar na estrada, e o que ela realmente era.

Pra quem acompanhou as análisesmorte de SH vai ficar bem mais fácil entender o que vou dizer a seguir, mas tentarei ser claro o suficiente pra não deixar pontas soltas:

Silent Hill é dividido em várias histórias, conectadas de alguma forma. Existe uma saga com sua própria cronologia dentro da franquia SH. Apesar de tudo, ela até tem ligações com outras histórias de Silent Hill (na real, toda história de SH tem ligações com as demais, de uma forma ou de outra) e a história de Origins é o inicio dela.

A cronologia que estou mencionando é a mais famosa, a de Harry Mason, na verdade a do bebê de Alessa Gillespie.




Tudo começa no Origins, vai para o 1, depois para o 3 e acaba no SM.

A história do Origins conta como o bebê de Alessa nasceu pela primeira vez, e também como Alessa se tornou quem se tornou.



A história do 1 conta como o bebê de Alessa e ela se reuniram, e como ele nasceu pela segunda vez. Também é mostrado um pouco da origem de Alessa e o fim de seu corpo original.



A história do 3 conta como o bebê de Alessa se desenvolveu, e como ele foi atraído para "retornar" a sua origem, mais ou menos como na primeira vez. Também é mostrado um pouco do universo expandido de Silent Hill, e o fim do feto maligno de Samael.



A história do SM conta como o bebê de Alessa ficou após todo o processo falho de seu crescimento, e como ficou traumatizado quando adulto. E é apresentado um provável desfecho para toda essa história.



Confuso? Depois que eu falar de cada um dos personagens e explicar a história detalhadamente, você não vai mais estar. (na verdade vai sim kkk)

Uma das principais revelações do Origins é essa, mas não é a principal. A verdadeira revelação está no protagonista desse jogo, o caminhoneiro Travis Grady.


A grande peça do quebra-cabeças está nesse personagem. E a revelação é a "Criança da Ordem".

Já mencionei isso em outras análises, mas resumindo, Crianças da Ordem são as pessoas especiais que foram usadas para os rituais religiosos de Silent Hill. Essas crianças tem como principal característica seus "poderes paranormais".

São vários tipos de Crianças da Ordem, e em todos os jogos, o protagonista é uma Criança da Ordem, ou tem uma forte conexão com uma Criança da Ordem (ou acaba criando essa conexão).

No Origins, ocorre os dois casos. O protagonista é uma Criança da Ordem e ainda por cima, cria uma forte conexão com outra Criança da Ordem.



É interessante o fato de eu repetir tantas e tantas vezes "Criança da Ordem" quando esse termo nem se quer aparece no Origins, mas o fato é que, esse termo é a definição perfeita para essas pessoas paranormais de Silent Hill.



Todas elas são assim pois foram usadas de alguma forma para fins religiosos em SH. Algumas delas tem parentes que foram usados nesses fins, e acabaram herdando características, outras foram treinadas para serem especiais, e algumas já nasceram assim.

Quando digo "assim", me refiro ao fato delas poderem criar/acessar verdadeiras dimensões paralelas, com criaturas vinculadas aos seus maiores e mais latentes sentimentos, só com o poder da mente.

Tem pelo menos quatro coisas bem importantes para falar do Origins, mas acho que só vai ser fácil explicar depois de mostrar ao menos os personagens desse episódio. As quatro coisas que preciso e irei explicar nessa análise, até o final dela, são:

1° A Ordem, seus rituais e artefatos (como o Flauros) e as Crianças;
2° Valtiel, suas diferentes faces, razões de aparecer e motivos de existir;
3° O clima de Silent Hill, suas diferentes versões e porquê de serem como são;
4° As criaturas de Silent Hill Origins, o que são, porque são assim e o que representam.

Claro que além disso, tentarei explicar o que eu conseguir lembrar, e talvez até surjam mais coisas bem importantes pra falar.

Antes de continuar, vou contar resumidamente qual a história de Silent Hill Origins, só pra facilitar a compreensão dele:

Um caminhoneiro é parado pela silhueta de uma garota na estrada de acesso à Silent Hill. Em meio a neblina, ele busca pela estranha garota e descobre que a neblina era fumaça de um incêndio numa casa a beira da estrada. Ele escuta gritos na casa e decide entrar para salvar quem quer que estivesse la, e quando o faz, encontra uma garota toda queimada num altar improvisado, tal qual ele resgata e carrega para fora da casa, desmaiando em meio aos sons de ambulâncias e sirenes. 
Quando ele acorda, se vê preso na assustadora cidade enevoada de Silent Hill, e resolve ir até o hospital para ver o que houve com a garota que ele salvou. Ao chegar ao hospital ele encontra com um estranho médico, que recusa a lhe ajudar e ele começa a investigar. Durante sua investigação, ele acaba descobrindo muito mais do que queria num mundo todo corrompido. 
A menina estranha surge, intacta, e começa a orienta-lo, levando ele a diferentes locais em Silent Hill, para, além de descobrir mais sobre sua própria infância, também recolher fragmentos de um artefato místico. 
No fim, o caminhoneiro descobre que a menina era só uma vítima de um ritual macabro, e que o artefato que ele havia remontado era na verdade a chave para a liberdade dela. Ele usa o artefato e quase liberta a mocinha de seu destino, dividindo ela em duas pessoas diferentes.  
Então, o caminhoneiro volta pro seu caminhão e vai embora da cidade, satisfeito por ter feito um bom trabalho, arruinando um ritual satânico e salvando uma criança de um destino pior que a morte.

Fim
Essa é a história, beeem resumida, mas vou explicar ela com mais detalhes ao falar dos personagens.

Eles são poucos, e a maioria já é conhecida em Silent Hill 1, aqui tendo apenas algumas novidades de personalidade e importância de cada um deles.


Travis Grady





Eis o protagonista da vez, o brutamontes caminhoneiro que não sabe brincar e sai socando tudo que se move.

Travis tem um passado traumatizante em Silent Hill, e é por causa desse passado que ele é convocado para a cidade.

De inicio, parece que tudo acontece ao acaso, mas com o término da história, fica claro que Travis foi levado para a cidade e seu aterrorizante passeio de propósito.

Travis é levado a rever suas memórias mais traumatizantes durante todo seu processo de "aprendizado" em Silent Hill, forçado e guiado por Alessa. Explicando melhor:



Ele chega na cidade pelo seu caminhão, e logo na entrada ele é barrado por uma menina, um espírito de uma menina, que faz ele sair do caminhão e caminhar um pouco. Travis encontra uma casa em chamas, e entra nela, sem pensar duas vezes, encontrando, no segundo andar da casa, uma menina semi carbonizada, tal qual ele tira do incêndio.



A conexão nasce ai. Travis não entrou na casa por mero acaso, nem chegou até la só pelas forças do destino. Ele foi atraído, pela menininha, de forma inconsciente.



A atitude de Travis interrompeu um Ritual de assunção para Samael, e com isso ele conseguiu dar asas a segunda personalidade de Alessa.

Essa personalidade passa a guiar Travis pela cidade, para que ele recolha os fragmentos de um antigo artefato capaz de trancar demônios e forças sobrenaturais,  para salva-la de seu destino como "Mãe de Deus".




Durante esse processo, Travis acaba descobrindo coisas sobre si mesmo, e quem ele realmente é.


Ele é filho de uma mulher que tinha os mesmos poderes paranormais que Alessa (ou seja, uma Criança da Ordem), porém, ela já era velha e tinha confusão mental. Travis herdou os poderes de sua mãe, porém os manteve adormecidos até conhecer Alessa.

Seus traumas, relacionados a sua infância com seus pais, são revelados aos poucos, conforme ele obtém os fragmentos do Flauros, como consequência da proximidade com o mesmo e também, como requisito para libera-lo.



Travis no fim, descobre que é tão especial quanto Alessa, e impede que a usem para trazer o mal ao mundo, como um irmão, amigo, parça, brother... parceiro.

The Butcher... O Açougueiro... Essa figura aparece diante Travis algumas vezes, ferindo outros monstros e no final, atacando o próprio Travis. Muitos, inclusive o próprio jogo, insinuam que Travis e o Açougueiro são a mesma pessoa, sendo ele sua segunda personalidade encarnada, a personalidade traumatizada.




Porém, essa teoria não é correta, pois O Açougueiro é só uma versão de Valtiel. 

Duas coisas que indicam e até comprovam que o monstrengo fatiador de carne e o caminhoneiro boxeador são um o reflexo um do outro, é o final ruim do jogo, onde o The Butcher aparece dominando Travis (Sua personalidade traumatizada toma conta do corpo) e também um documento, um artigo, que Travis encontra durante sua jornada, que fala sobre "Pessoas com confusão mental e traumatizadas, gerando uma segunda personalidade dominante."



Porém, o final ruim, como sempre, não é correto e é apenas aquele clássico castigo para o jogador que não completou o jogo da forma correta (nesse caso, aquele jogador que matou monstros além do necessário, mais de 200). Para saber se o final de Silent Hill é o correto ou não, só é preciso analisar os demais jogos e buscar por suas conexões com esse final em questão. O final de Origins, o verdadeiro, é aquele que conecta o jogo com o Silent Hill 1, que "mostra" o bebê de Alessa sendo adotado por Harry e sua esposa, e os membros da Ordem mantendo Alessa viva, sofrendo, para tentar realizar o ritual que Travis interrompeu, novamente.



Qualquer outro final é errado, pois não podem ser ligados aos demais jogos. O Final do The Butcher por exemplo, mostra Travis se ferrando legal, porém isso não é possível, pois Travis reaparece, normal e plenamente consciente em Silent Hill Homecoming, jogo que ocorre cronologicamente após os eventos do primeiro jogo da série, ou seja, Travis sobrevive aos eventos do Origins.



O final certo, é aquele em que Travis volta para seu caminhão, pois ele consegue fazer o ritual de invocação de Samael dar errado. E depois, ele vê o "fantasma" de Alessa carregando o bebê que ele ajudou a dar a vida. Logo em seguida, uma família encontra o bebê e o adota, dando inicio ao Silent Hill original.

Enfim, todo o trauma de Travis e seu passado eu irei falar, ao descrever os demais personagens que possuem ligação com ele (seus pais) mas agora, vou falar de Alessa.


Alessa Gillespie







Eis a pobre menininha que foi torturada e usada para dar a luz a um demônio erroneamente visto como deus.

Ela foi queimada viva por sua própria mãe, e deixada para sofrer, só para alimentar o feto diabólico de Samael.


Travis a tirou do fogo, enquanto sua própria mãe a deixava para queimar, e mesmo assim, Alessa gritava "Deixe-me arder!".

Alessa havia se voluntariado para o ritual sofrido de invocação à Samael, e durante o jogo, Travis descobre que Alessa era muito bem tratada por sua mãe, e era muito devota ao culto.



Logo, mesmo tudo parecendo tão ruim, Alessa estava a par de tudo e de acordo também. Então, por que raios ela apareceu para Travis no inicio de tudo? Porque Travis foi atraído e conduzido para prejudicar o ritual? Porque Alessa contrariava sua própria decisão?

A resposta é muito simples: "Pessoas com confusão mental e traumatizadas, gerando uma segunda personalidade dominante."


Pois é, o artigo que Travis encontra se refere a Alessa, não a ele.



Alessa tinha uma infância aparentemente "feliz", mas ela não era assim. Em Silent Hill 4, é revelado um pouco sobre essa infância, e na verdade Alessa sempre caminhou através das pegadas de sua mãe, no caminho da religião da Ordem, e suas ideias foram moldadas para servi-la.

Apesar disso, Alessa gerou uma segunda personalidade, que sabia que tudo  o que ela era levada a fazer era errado, prejudicial a ela, e mal. Essa personalidade é aquela que aparece como uma menina em Silent Hill 1, e também é a menina que parou Travis e o convocou para sua missão heroica de impedir o nascimento de Samael.

Essa personalidade acaba se tornando a dominante, com ajuda de Travis, e por causa disso, Alessa deixa de ser um fantoche da Ordem e se converte em um dos maiores inimigos da mesma.


Entende porque Alessa aparece com sua aparência normal para Travis? Não é tão difícil né?



Bem, Alessa no fim da a luz a uma criança, não a um demônio, porém esse processo não é tão simples nem natural. Primeiro que Alessa da a luz tendo uns 7 anos de idade; segundo que ela estava semi carbonizada; terceiro que a criança nasce a partir do mal filtrado pelo Flauros; quarto que ela é gerada magicamente acima do corpo de Alessa. Deu pra entender que nada saiu naturalmente!?



Sabe o que é mais curioso? Pode-se dizer (audaciosamente) que Travis Grady é o pai "biológico" de Cheryl Mason.


Doidera né? Mas pense no seguinte:

Cheryl Mason é a filha de Alessa Gillespie, nascida a partir do ritual prejudicado de invocação de Samael. Ela era a semente da inocência encarnada, na forma de uma criança. No processo original, quem deveria encarnar era Samael, mas com a interferência de Travis, o que nasceu foi a criança futuramente adotada por Harry e sua esposa.

Partindo desse princípio, a primeira criança, aquela que Harry busca implacavelmente pela cidade de Silent Hill no primeiro jogo, era na verdade um bebê de Alessa com Travis... tenso né?! (Lembre-se, as coisas não foram "naturais" então calma!!)

Repare que a história se repete com Harry, que no final de sua busca, acaba gerando (também com o Flauros) uma nova criança, junto com o corpo de Alessa (e Cheryl, fundidos), futuramente nomeada como Heather Mason.



Muita doidera né?! Eu falei, a história é bem confusa, e para se entender Silent Hill, é preciso entender todos os Silent Hills.

Provavelmente você deve estar espantado com o que leu... eu fiquei ao escrever... mas acredite, ainda há mais revelações marcantes.

Aliás, no final do jogo, Alessa é tecnicamente dividida em 3: Alessa Queimada, Alessa Intacta e Alessa Bebê (Cheryl).

A "Alessa Queimada" continua em posse dos fanáticos da Ordem, incluindo sua mãe, que fica procurando um meio de concluir o ritual que Travis atrapalhou.



A "Alessa Intacta" é aquela segunda personalidade de Alessa, que surge quase como um fantasma, projetado em Silent Hill. Ela faz de tudo para atormentar aqueles que estavam com seu corpo, para tentar um dia recupera-lo, sem que o ritual se completasse.



A "Alessa Bebê" é aquela criança que Harry Mason e sua esposa encontram na beira da estrada de Silent Hill. Ela foi deixada la estrategicamente pela "Alessa Intacta", para que ela fosse criada em segurança, sem que a Ordem pusesse as mãos nela e tentasse concluir o ritual. Posteriormente a criança é atraída de volta para a cidade por um feitiço da Ordem, para se reunir com seu corpo e completar o ritual e seus planos estúpidos. Porém, "Alessa Intacta"  tenta impedir e quase falha, devido a interferência de Dahlia e Harry, quando o mesmo é manipulado para agir contra Alessa, acreditando que ela era o inimigo... quando na verdade Dahlia era a vilã.



Outra coisa, a "Alessa Intacta" já existia antes do ritual começar. Só que ela foi enfraquecida e impedida de tomar forma real pelo Flauros, que depois foi dividido e escondido por Kaufmann. 



Por essa razão ela aparece encapuzada diante do Caminhão de Travis, suplicando por seu auxílio, e depois só aparece nos "sonhos" de Travis, significando que algo a impedia de aparecer de verdade, e esse algo era o Flauros.




Dahlia Gillespie




A revoltante porém amada mãe de Alessa, que com toda sua ignorância religiosa, foi capaz de assar sua filha viva.



Dahlia aparece pouco, e geralmente só fala bobagem. Ela esta mais jovem que em sua aparição para ferrar com a vida de Harry, mas já demonstra seu fanatismo aqui.



Ela acompanha o ritual de perto, e estava la vendo a própria casa queimar, com a filha dentro, e viu Travis entrando para salva-la. Ela estava presente no momento em que a segunda personalidade de sua filha ganhou força suficiente para dominar a situação e estava presente no momento em que uma criança nasceu ao invés de Samael.



Por conta de toda essa proximidade, ela se tornou "sábia" o suficiente para manipular Harry a seu favor, no futuro.

Em Silent Hill, quando Cheryl retorna para a cidade, para se juntar a sua outra metade (Alessa, sua "mãe") Dahlia aparece rapidamente, e passa a interferir no processo de reunificação de Alessa e Cheryl, tentando conduzir o ritual de Assunção de Samael novamente. Ela entrega coisas para Harry, como pistas de para onde deve ir e chaves, além de entrega-lo o Flauros.

Flauros, é um artefato de origem chinesa que prende energias demoniacas. Ele tem a forma de uma pirâmide vermelha, cheia de símbolos, e foi utilizado por Travis para selar Samael durante sua invocação, graças a personalidade sensata de Alessa, que o havia conduzido para isso. Depois, o Flauros é guardado por Dahlia, que entrega ele para Harry quando ele aparece procurando sua filha, e com isso, acaba entregando a chave para libertar Samael.



Durante o processo de reunificação de Alessa e Cheryl (o bebê que havia nascido) o Flauros acaba enfraquecendo Alessa, revertendo aquilo que fez no passado e transformando Cheryl em uma forma enfraquecida de Samael. Tudo isso fazia parte dos planos de Dahlia, que quase dão certo, se não fosse o fato de Harry lutar com todas suas forças para derrotar a figura de Samael e salvar sua filha.

Dahlia é esse monstro manipulador, que apesar de ter sobrevivido ao ritual falho de Origins, não escapa das saudosas boas vindas de Samael em seu enfraquecido despertar...


Dr Kaufmann




O maldito médico corrupto que não apenas participou do ritual insano de Dahlia em nome da Ordem, como também ajudou e acobertou o mesmo.

Kaufmann cuidou da documentação para acobertar o crime de Dahlia, e também escondeu Alessa em todo seu estado doloroso, dando inclusive uma falsa certidão de óbito pra ela, assinada por ele.



Silent Hill é uma cidade estranha, sim, mas também é uma grande instância turística, famosíssima e muito movimentada. Apesar da Ordem ser um culto importante de Silent Hill, atitudes como queimar crianças vivas só para invocar deuses antigos não são exatamente um exemplo turístico. Coisas assim são repudiadas pela maioria das pessoas, inclusive os habitantes de Silent Hill, pois nem todos fazem parte (voluntariamente e conscientemente) da Ordem. Logo, certas coisas não devem vir ao público.

Kaufmann cuidava desse lado das coisas, o lado do acobertamento. Além de usar suas habilidades médicas para manter Alessa viva, porém ainda com dor, para saciar os desejos do feto de Samael.



Eu não tenho muito o que falar dele. Ele é um mentiroso, falso, canalha, hipócrita, farsante, ele simplesmente é odiável. Um profissional da área da saúde ser tão fanático por religião como ele, a ponto de por a vida de um inocente em risco, e ainda usar suas habilidades e influências para melhorar as coisas para si mesmo... isso é muito baixo. (Você leu minha análise de Silent Hill 4? Se leu, eu odeio esse cara a ponto de dizer que ele é 100 vezes pior que Henry.)



Kaufmann tem uma bela relação com a Lisa Garland, sua enfermeira particular. Esse relacionamento fica bem explícito durante a jornada de Travis, e ambos são pegos brincando de médico num motel... pelo pobre Travis.

Sabe aquelas portas travadas em Silent Hill? Pois é, Travis da um jeito de ignorar algumas delas, e abre passagem pelo teto! Ele encontra em algumas ocasiões, buracos que levam do segundo andar para o primeiro por exemplo, mostrando o que há atrás das portas danificadas. Em uma delas, há abismos e jaulas penduradas, e é atrás de uma dessas portas que Travis encontra Kaufmann e Lisa se pegando. Não é possível VER a cena, mas ouvir sim... e acredite, eles se pegaram legal!



Kaufmann se encontrou algumas vezes com Travis, e nelas sempre deixou claro que não liga para a presença dele. No final, Kaufmann derruba Travis com gás, mas... Travis ferra o ritual assim mesmo, pois durante seu estado de inconsciência ele entrou no Flauros e deu uns murros em Samael, liberando o poder do Flauros enquanto trancava Samael, gerando o bebê e talz.



Só pra lembrar, Kaufmann sobrevive ao ritual e a libertação de Alessa, e depois mantém o corpo dela preso e escondido, tratando, mas mantendo os ferimentos dela, por ordens de Dahlia. Por causa disso, todos os médicos do hospital dele se lascam com a fúria de Alessa, enquanto ele se mantém tranquilo por ter acesso a uma defesa contra Alessa. Mas, por trair Lisa e leva-la a morte, ele se ferra bonito no final de tudo, quando o ritual falha pela segunda vez, e morre. Entretanto, Kaufmann fica nas memórias de Heather, mescladas pelas de Alessa e Cheryl, e acaba de certa forma reaparecendo, pelo menos na visão de Heather. Porém ele morreu... no final de tudo, e foi uma morte muito sofrida e dolorosa, então... fique feliz por isso (eu fiquei).

Outra coisa, Kaufmann foi o responsável pela divisão do Flauros. Ele dividiu e escondeu o mesmo, para que ninguém encontrasse. Ele só não contava com Travis encontrando as peças de formas não muito convencionais.


Lisa Garland



Lisa, a sensual, aspirante a atris e enfermeira particular de Kaufmann, que flerta com caminhoneiros e geme alto pra caramba, além de curtir um baseado.



Ela ajudava Kaufmann em seu trabalho sujo, em troca de drogas, prazer e... trabalho?! Lisa se manteve ao lado de Kaufmann mesmo depois de tudo o que ele fez, o que indica que ela concordava com seus ideais, ou seja, era mais uma devota a Ordem.

Basicamente, o que fica claro sobre ela é o fato dela e Kaufmann fazerem tudo juntos, desde trabalho até dormir. E também, ela conta que queria ser atris para Travis... só isso.



Ela não tem tanta importância aqui, tirando o fato de mostrar que Silent Hill tem várias perspectivas, e que enquanto para Travis tudo era um pesadelo, para ela não havia nada assustador, ou seja, nem todos enxergam a mesma coisa, ou ficam na mesma "dimensão" de Silent Hill... ou realidade. (isso explica o lado turístico de Silent Hill não? Afinal, não acho que as pessoas gostem de viajar para locais sombrios e lotados de monstros... pelo menos não todas as pessoas... eu viajaria... seria bem legal... eu provavelmente me cagaria de medo mas... seria realmente legal... cara que saudades do playcenter...)



Ela por exemplo, acorda Travis na primeira vez que ele pega um dos fragmentos do Flauros, e quando isso acontece, tudo que ele vivenciou parece só um sonho. Ela então conta que Alessa morreu, e de inicio Travis até desconsidera todo seu pesadelo... até sair pela porta do Hospital e encontrar um monte de monstros.



Lisa também sobrevive ao final feliz de Alessa e Travis, mas no futuro, acaba sofrendo bastante nas mãos de Alessa, sendo torturada e convertida num monstro, traída e abandonada por Kaufmann. Ela acaba voltando só pra puxar o pé de Kaufmann depois que o ritual falha pela segunda vez, e leva o mesmo para o túmulo, junto consigo. Lisa também vive nas memórias de Heather, confusas, como uma enfermeira suicida.


Helen Grady


Ela não aparece nenhuma vez em sua forma "humana"
A mãe adorável de Travis, que o chamava de pedaço de demônio e tentava mata-lo com frequência. Ela era tão amável que chegou a escrever com seu próprio sangue, num banheiro do Sanatório onde estava internada, a seguinte frase: "Traga meu filho pra mim!" ou algo assim.



Helen era uma Criança da Ordem, mas já estava louca de mais pra ser utilizada pela Ordem. Ela deixa claro que tem certo domínio sobre seus poderes, e inclusive menciona que pode entrar no "mundo dos espelhos" quando quiser e ir embora, e realmente, ela podia fazer isso.




Travis herdou suas habilidades de sua mãe, por isso ele as desconhecia, até se encontrar com Alessa.



Há trauma maior que esse? Saber que sua mãe te odeia e quer te matar, e enlouqueceu, provavelmente por que você existe?! É... essa era a mãe de Travis.



Travis reencontra sua mãe, pois visita o manicômio onde ela ficou, para buscar um dos fragmentos do Flauros (sem saber, é claro). La, ele recupera um pouco da memória de sua infância e descobre um pouco sobre sua mãe. Também é la que ele desenvolve mais as suas habilidades paranormais, com ajuda de Alessa.

Quando ele a reencontra, é na forma de um monstro... não que ela já não fosse um por dentro... rs...




Curioso que Helen em momento algum demonstra saudades por seu marido...




 Tudo o que importa para ela é seu filho, e a forma como ela irá se livrar dele.




Richard Grady





O pai de Travis, que tem todo um amor melodramático e chega ao ponto de cometer suicídio por sua querida esposa.

Ele ficava se lamentando o tempo todo por ter perdido sua esposa, internada. E mesmo com a guarda de seu filho, sua atenção estava voltada pra ela, e como trazê-la de volta à sanidade (quando na real ele estava afundando na loucura com ela).

Richard escreveu várias cartas e declarações para Helen, que foram encontradas por Travis em seu passeio pelo Motel onde ele e seu pai se hospedaram quando ele era criança. Esclarecendo que Motel é um Hotel de Estrada, não necessariamente um "ponto sexual"... se bem que em Origins as duas coisas andam de mãos dadas.



Enquanto Travis brincava numa máquina de pinball do motel, seu pai se enforcava no quarto. Quando Travis encontra seu pai morto, ele fica horas la, parado, esperando seu pai voltar a vida, aos pés dele. Claro que isso não ocorre, pelo menos não nesse tempo. Quando Travis passa pelo motel já adulto, guiado forçadamente por Alessa, para encontrar outra peça do Flauros, ele encontra também a memória de seu pai, que inclusive contesta o fato dele ter feito toda aquela cena de "Papai, acorda papai!" quando na realidade ele sabia que seu pai estava morto o tempo todo.



O mais curioso de tudo, é que diferente de sua esposa, Richard dava mais importância para o amor por sua mulher, do que ao seu filho, se matando e abandonando seu filho sozinho no mundo.



Entende como uma família chega a ruína? Uma mãe que ama odiar seu filho, porém da plena atenção a ele, e ignora seu marido. Um marido, que ama ao extremo sua esposa e ignora qualquer outra importância, inclusive seu próprio filho. E um filho, que é ignorado pelo pai e odiado pela mãe, e só se lasca na vida, perdendo ambos de formas chocantes. A mãe enlouquece e apodrece no manicômio, e o pai enlouquece e comete amorcídio.

Pra variar, Travis tem um belo e traumatizante passado com relação a seus pais e também, ao motel... Travis viu tudo o que seus pais conseguiam fazer, e isso nunca saiu de sua mente.

Inclusive, algumas criaturas que atormentam Travis são incorporadas a partir desse trauma. 


Criaturas


Já que as mencionei, porque não falar delas? Vou explicar o que são os monstros que Travis espanca.


Cuspidor de Ácido Enrolado Versão Masculina
(Straighjacket)




Essa criatura lembra muito o monstro que aparece em Silent Hill 2. A principal diferença está no fato dele ser "masculino", enquanto a criatura de Silent Hill 2 era "feminina".

No SH2, a criatura tinha um bom motivo pra aparecer, e tinha sua forma afeminada por essa mesma razão. Aqui, ela também aparece por um motivo parecido, mas na mente de Travis, suas prioridades são outras.



O monstrengo de camisa de força que vomita ácido e agarra com as pernas é uma visão de Travis sobre si mesmo. Curioso não? Seria como o medo de Travis em se tornar louco e ser trancafiado numa camisa de forças, pois é justamente por um estado insano que ele estava passando. Mesmo estado que sua mãe passou. Travis estava viajando entre realidades cheias de criaturas bizarras... tem loucura maior?



Quando ele começa a perceber sua tendência insana, seu medo ganha forma e esse monstro nasce, atacando Travis no Hospital por onde ele passa, procurando por Alessa, a menina que ele tinha salvado. Quando as coisas começam a enlouquecer e ele viaja pelo mundo dos espelhos, ele encontra essa criatura próximo ao primeiro fragmento do Flauros. 


Curiosamente, sempre que Travis finaliza essa coisa, ele da uma pisada violenta na protuberância do coitado.
Uma grande dica de seu significado está no nome da peça do Flauros que Travis encontra ao derrotar essa criatura pela primeira vez (pois depois disso, ela se torna um monstro comum, aparecendo aos montes): Fragmento do Futuro, sendo uma referência ao provável futuro de Travis como um louco pelas coisas que ele passou a vivenciar.





Enfermeira Gostosa 1.0
(Faceless Nurse)




São as já esperadas enfermeiras que surgem no Hospital. Porém, elas não são como as que já apareceram em outros jogos. Aqui, elas são bem avantajadas e atraentes de corpo, e tem um belo motivo para isso.

São geradas pela mente de Travis, e sua insegurança e desconforto diante mulheres atraentes. Por ter uma infância traumatizada e a profissão que tem, ele não tem tempo para muitos relacionamentos e as enfermeiras acabam se tornando um de seus medos. 



Andar pelo hospital com medo de encontrar enfermeiras gostosas e não saber como reagir diante delas, fez com que as mesmas nascessem, com o rosto todo atado e armas brancas nas mãos, prontinhas para mutilar Travis.



Claro que isso não é o suficiente para para-lo, e ele desce a mão na fuça delas assim mesmo, e dane-se o fato de serem gostosas. Ignorância a parte, se não da pra pegar, melhor socar mesmo e ta de boa.


Bonecos de Cabeça pra Baixo
(Ariel)





Esse foi um pouco complicado de entender, mas no fim acabou sendo exatamente o que eu já imaginava. São manequins de crianças masculinas, que ficam pendurados de cabeça pra baixo e quando são derrubados, permanecem de cabeça pra baixo, porém andando com as mãos.



Eles são os sentimentos de Travis sobre sua própria infância. O fato de sua vida ter "virado de cabeça pra baixo" com seus traumas na infância, fez ele ter certo medo de enfrentar a mesma e seu lado infantil, que mais era "invertido e manipulado", como um fantoche de cabeça pra baixo.



Seu passeio pelo Teatro faz com que, ao encontrar um boneco num canto, seu subconsciente relacionasse esse boneco/manequim com suas memórias reprimidas de sua infância torturante, gerando essa criatura confusa que perambula pelos corredores do assustador Teatro.




Sombra Ambulante
(Remnant)





Um inimigo invisível, que quando iluminado, deixa uma sombra em forma de gente na parede. Ele representa o mais óbvio: O medo de Travis com relação aos demais pacientes do hospital psiquiátrico onde sua mãe estava, e onde ele ia para visita-la. 



Um monte de gente estranha, louca, que ele fingia não ver para não se assustar, não sofrer com o fato de sua mãe fazer parte daquele círculo. 



Esses monstros são perceptíveis pelos sons que fazem (e pelo rádio chiando) e também, por um cinto/suporte de couro que vestem. Com isso, é possível saber para onde apontar a lanterna, e após isso, nada aparece, só a sombra deles nas superfícies, como parede e chão. 


Monstro do Kamasutra
(Two-Back)




Essa criatura é bem sugestiva, e sua aparência remete ao transtorno e desconforto de Travis em vivenciar e testemunhar situações embaraçosas  de duas pessoas se relacionando.



Tudo sugere que Travis já teve o descontentamento de pegar seus pais se engalfinhando, mas mesmo se ele não o fez, só fato do relacionamento de ambos ser tão... grudento, fez com que ele criasse em sua mente memórias negativas sobre ambos.



Todo quarto escuro tem como monstro no Motel, um desses bichos. Sempre curtindo a vida na dele, parado num canto, fazendo aquilo para o que nasceu pra fazer. Essa criatura é a personificação do desgosto de Travis à tais posições e realizações sexuais.


Buldogue Morto
(Carrion)




Durante todas as vezes em que joguei Silent Hill Origins, sempre assimilei essa criatura com um buldogue zumbi. Mas na verdade, ele esta mais para um Bovino grande, de pescoço quebrado que se arrasta.



Curiosidade a parte, também acreditava que essa criatura era uma visão da mãe de Travis numa posição sexual, outra possível visão traumatizante dele em sua infância, mas na realidade, é uma representação da mãe de Travis, após ela ter perdido sua cabeça.



Travis sempre sentiu certa culpa pelo estado de sua mãe, afinal, ela tentou se matar e levar ele junto, e depois de fracassar, endoidou de vez. Travis então deu vida a essa criatura, uma representação da vaca de sua mãe (eta... malz... mas é basicamente isso mesmo) com o pescoço quebrado e se arrastando, praticamente sem vida.

O pai de Travis mencionava por várias vezes que sua esposa parecia estar morta, e tecnicamente ela estava. A visão de Travis sobre isso fez com que essa criatura surgisse, onde o pescoço que se arrasta representa a parte sã de sua mãe, e o fato dela se arrastar seria como ela vivendo, de forma arrastada e debilitada, praticamente morta. 


Coisa Bizarra de Quatro
(Caliban)





Esse monstro, formado por uma figura humanoide contorcida, representa um dos medos mais latentes e também mais coincidentes entre Travis e Alessa. Travis em sua infância já assistiu uma peça no Teatro de Silent Hill, onde um dos personagens era um Boi bizarro e assustador, interpretado por um ator que inclusive passou mal durante a peça. No caso, essa figura assustadora perturbou Travis ao ponto de gerar uma criatura própria só pra representa-lo.



Ele surge quando Travis entra no Teatro para buscar mais um dos fragmentos do Flauros, sempre forçado e orientado por Alessa.

No caso, Alessa também havia visto a peça, e ela também havia se assustado com a criatura, logo, ambos compartilhavam o medo, o que só alimentava ainda mais o poder da mesma.



Alessa da um belo chute nele depois que ele morre, demonstrando que ela tinha plena consciência do que fazia, e porque fazia. Logo, seu objetivo sempre foi levar Travis até as peças do Flauros, e revelar o passado dele.



Caliban deixa um fragmento do Flauros: Fragmento da Falsidade. Teatro, ilusão, mentiras, falsidade, tudo se liga. E aparentemente a base do fragmento se encontra no fato de usarem o lado artístico do Teatro como forma de cultuar uma das crenças da Ordem, afinal, a peça em questão era o tempo todo um "Ode a Valtiel".



Mãe do Travis
(Momma)



Quando Travis encontra sua mãe, essa é a figura que surge.

Tecnicamente, é a memória de sua mãe presa no manicômio personificada, na forma de um monstro.


Ela surge para Travis quando ele visita seu quarto, no hospital para loucos, para buscar mais um dos fragmentos do Flauros.



Ela é assim, suspensa, presa numa armação de plástico e metal, e totalmente coberta por bandagens, pois era a representação de todos os sentimentos ruins de Travis a cerca de sua mãe, presa por ser maluca.


O fragmento do Flauros que ela deixa em seu lugar é o Fragmento do Passado. Tecnicamente uma referência a memória de Travis e seu último contato com sua mãe, afinal, no encontro em questão ele questionou se seu pai mentiu sobre a morte dela ou não, e de fato, constatou que ela havia morrido, mentalmente.





Pai do Travis
(Sad Daddy)



Quando Travis encontra seu pai, essa é a figura que toma o lugar dele.


Travis atravessa um inferno no Motel para conseguir abrir a porta do quarto em que ele e seu pai se hospedavam. Quando ele entra, seu pai enforcado surge, e ambos tem mó papo de pai e filho, até o pai se irritar e tomar essa forma diabólica.




Ele é, basicamente, a representação de todos os sentimentos negativos de Travis diante de seu pai, morto. Inclusive, o monstro usa tentáculos vindos de cima para tentar enforcar Travis, reforçando a ideia de que é uma representação de toda a situação, não apenas do pai de Travis. 



O fragmento do Flauros que ele deixa é o da Verdade, representando o conhecimento e aceitação de Travis acerca do que ocorreu com seu pai, coisa que ele simplesmente "deletou" de sua mente.




Versão Interna do Samael
(Alessa Dream)



Ele é a essência de Samael, nascida na mente de Travis no momento em que ele acessa o Flauros. 



Ambos lutam, pois Travis estava tecnicamente acessando o poder do artefato, e estaria prestes a libertar o demônio, ou prendê-lo. Quando ele vence, toda a essência de Samael é trancafiada no Flauros e extraída de Alessa, gerando a criança futuramente chamada de Cheryl.




Apesar de ser bem fortinho, essa criatura não é o verdadeiro Samael, é somente o poder dele, personificado na mente de Travis.


Açougueiro
(Butcher)




E chegamos nele... 


Ele aparece várias vezes, atacando monstros e dilacerando eles como carne no açougue. Travis geralmente só observa de longe... 


Mas durante sua passagem pelo Hotel, ele encontra com o Açougueiro numa cozinha, e acaba chamando atenção dele. 

Só acontece uma luta entre ambos, e ao derrubar a criatura, Travis pega o cutelo e o finaliza, sem exitar.

Mas, para explicar quem essa criatura é, terei de explicar um pouco de Valtiel.



Valtiel


Ah... tão confusa sua história, porém tão interessante.


Em pesquisas eu vi várias analogias e referências diferentes à Valtiel em Silent Hill, entretanto nenhuma delas fez a ligação das faces de Valtiel, e buscou interpreta-las de forma fiel ao enredo e mitologia do jogo.

Pois bem, há sim uma ligação entre os personagens encapuzados de Silent Hill, e o nome dessa ligação é Valtiel. Todos eles são uma versão do mesmo, encarnada com um único propósito: Por ordem em Silent Hill.

Valtiel aparece em quase todos os jogos, e o que normalmente chama atenção nele é a forma como ele participa da história: Ele sempre interfere de forma favorável ao protagonista, outras vezes de forma opositora a ele. Ele ataca monstros, ou ignora o protagonista, até chegar ao ponto de mudar de ideia e atacar o mesmo. 

Esse é um personagem a parte de SH, e tecnicamente é o menos explicado de todos. Porém, há fragmentos de explicações sobre ele espalhados por todos os jogos.

Eu vou deixar pra explicar e mostrar todos esses fragmentos após finalizar todas as análises da saga (até então, falta Silent Hill Homecoming, Downpour e Revelation) mas vou mencionar algumas coisas sobre ele agora.

Valtiel é um demônio, que tem sua própria divisão "seitorial" na Ordem. Há uma divisão de seguidores só pra ele dentro da religião da Ordem, ou seja, ele é top.



Ele aparece em Origins sob a forma de "The Butcher" ou "O Açougueiro". Mas é quase impossível perceber quem ele é, se não souber quem ele é.

Eu mesmo já fui confundido por ele. Erroneamente na análise de Silent Hill 2, eu mencionei Valtiel, sem mencionar Valtiel. Se bem que não tinha como mencioná-lo de fato pois ele só tomou forma e ganhou um significado e espaço na mitologia de Silent Hill conforme foram criados os demais jogos da saga. 

Ele só fica completo, significativamente completo, quando reutilizam sua ideia nos demais jogos... 

A ideia de um monstro que se destacava dos demais, sem ser um "chefão" com uma ligação com a história, deu nisso, a criação de um desenvolvimento de Valtiel.

Enfim, quem é ele:

Valtiel é aquele monstro humanoide com um capuz ou cabeça escondida. Sabe aquele inimigo que aparece no caminho dos atormentados de Silent Hill e simplesmente toca o terror, tanto para monstros quanto para pessoas? Pois é, ele é Valtiel. Mas Valtiel não é só um "Ser"... ele é uma "Essência"



Cabeça de Piramide, Zelador, Demônio Vermelho, Açougueiro, Bicho-Papão... todos parte do mesmo ser... todos faces de um ser sem face. Poético não? Eu estou enrolando, deu pra perceber... mas na real não posso, nem tenho como explicar o Valtiel completamente, antes de ter completado tudo sobre Silent Hill.

Entretanto, preciso deixar claro que Valtiel surge aqui, fazendo o de sempre: Limpando a sujeira.

Há teorias e mais teorias como já mencionei, de que o Açougueiro é uma segunda personalidade de Travis, e que no Final Ruim, tudo que é mencionado, tipo: o fato de Travis aparentemente não ser filho de Richard e Helen, e eles na real serem pessoas comuns, que foram testemunhas das bizarrices que Travis realizou em suas ações "defensivas" contra os monstros de Silent Hill, que na real seriam pessoas de Silent Hill, mortas pelo alucinado e insano Travis, e toda essa segunda realidade que aparece numa trama paralela a de Silent Hill. Tudo isso até seria bem legal, tocante, interessante, se não fosse completamente fora da ideologia de Silent Hill.

Entretanto, o Açougueiro aparece matando os monstros de Silent Hill, tentando fatia-los e por fim, ataca o próprio Travis, que se defende, mata ele e ainda enfia o próprio cutelo dele nele. 



A maior dúvida que surge é: Porque ele ataca monstros?!

Isso também acontece em Silent Hill 2, e curiosamente (algo que deixei passar... que feio né?!) também ocorre o fato do Cabeça de Piramide atacar monstros... mas só no inicio... pois depois que ele é enfrentado, ele passa a aparecer ao lado de outros monstros... andando normalmente e até surgem vários Cabeças, juntos... O que não percebi é que o primeiro Cabeça de Piramide era Valtiel, e os demais eram James recriando Valtiel com sua mente... 



Eis a grande bagunça. Valtiel sempre aparece para limpar a sujeira que as Crianças da Ordem fazem, mas as próprias Crianças, por temerem Valtiel, acabam reproduzindo mais sujeira, na forma dele.

A sujeira? Seriam os monstros bizarros e deformados que surgem pela cidade. Valtiel está la para exterminar e remover tudo que possa prejudicar a "ordem" da Ordem. Ele é um demônio guardião, cultuado e respeitado. Repare que os monstros aparecem a partir da mente das Crianças da Ordem, e sempre são sentimentos distorcidos e personificados, coisa repudiada por Valtiel.



Conseguiu entender um pouco mais sobre ele? Heh, um dia irei conseguir explica-lo totalmente... mas falta algumas análises pra isso.

É importante dizer que em Silent Hill Origins, a maioria dos chefões se converte em criatura comum da cidade após sua derrota, e algumas revelações interessantes nascem nesse ponto.

Os monstros quando enfrentados inicialmente são referências aos sentimentos da Criança da Ordem, porém, posteriormente, todos os demais que aparecem de mesmo gênero, são reproduções do medo dessa Criança com relação ao primeiro. Por essa razão, alguns chefões simplesmente reaparecem aos montes, perambulando pela cidade. Os únicos que não o fazem são a Mãe de Travis, o Pai de Travis, O Açougueiro e Samael. 

Os pais de Travis não são reproduzidos aos montes pela cidade pois ambos foram "superados e compreendidos" por Travis. Eles deixaram de atormenta-lo, pois sua visão sobre eles foi esclarecida. 

O Açougueiro não é reproduzido aos montes pois quando Travis o supera, ele realmente o supera. Travis não sente medo algum dele, e o enfrenta de queixo erguido, eliminando essa parte de seu "pesadelo". 


Lembrando que, esse primeiro era Valtiel "disfarçado", e apesar dele literalmente morrer, seria apenas uma das faces de Valtiel sendo derrotada (na realidade de Travis e Alessa, um dos motivos pra ele não dar as caras em Silent Hill 1 ou Shattered Memories, afinal ele já havia sido superado e ignorado nessas realidades - o 1, como sequência direta do Origins, onde Alessa e seus feitos e conquistas no passado se mantiveram; e o SM, como memórias de Alessa onde Valtiel não tinha importância alguma... se bem que... as criaturas sem face que tentam impedir Harry de avançar... elas são representações vivas nas memórias de Heather do Zelador... que tenta limpar e impedir que a bagunça continue. Claro que, não chega a ser "Valtiel", e sim projeções do que ele simbolizava.)

E bem, acho que é isso.

Ah, antes de finalizar, vou falar de algumas curiosidades bobas:

Algo bem interessante é o fato de provavelmente, os feitos de Travis na realidade amaldiçoada de Silent Hill trazer repercussões para a realidade mais normalzinha da cidade. Por exemplo, um item que não poderia ser coletado normalmente em uma versão da cidade, pode ser pego na outra, e ele é recolhido em ambas caso isso ocorra. O mais interessante, é que as coisas são convertidas de uma realidade pra outra, e em certos casos, Travis pode estar fazendo verdadeiras atrocidades sem perceber. Por exemplo: No hospital, há um boneco anatômico que Travis precisa colocar os órgãos para conseguir tirar os olhos do mesmo, e usa-los para abrir uma porta. Pois bem, na versão normal, onde os órgãos são recolhidos e postos no boneco, o mesmo recebe órgãos de borracha e tudo mais. Quando a versão espelhada é visitada, no mesmo local onde o boneco deveria estar, tem um corpo humano real, com os olhos removidos... tenso né?



No inicio do jogo, Travis menciona sua confusão com relação a estranha neblina da estrada. Ele diz quando encontra a casa pegando fogo "Meu deus, então não era neblina, era fumaça!!". Pois bem, durante todo o jogo, Travis fica desmaiando sempre que encontra um fragmento do Flauros e escuta sirenes, acordando posteriormente no ponto onde todo seu "passeio" começou. Por exemplo, ele entra no Hospital Psiquiátrico, explora ele inteiro, anotando tudo no mapa, e no final, quando pega o Fragmento do Flauros, ele vê Alessa e desmaia, com uma barulheira de sirenes ao fundo. Logo em seguida ele acorda, na entrada do Hospital Psiquiátrico, com todo o mapa zerado e todas as portas, exceto a saída, inacessíveis. Se não fosse o fato de Travis interagir com outros personagens, seria possível deduzir que ele nem se quer saiu do lugar, e tudo o que aconteceu se passou apenas em sua cabeça. Pois bem, essa interpretação não é totalmente errada, pois tecnicamente, tudo se passou sim apenas na cabeça de Travis.



A principal dica disso esta na primeira vez em que Travis atravessa um espelho. Ele enxerga do outro lado do espelho, Alessa, em sua forma intacta. Pois bem, ao toca-lo, ele atravessa o mesmo e surge no lado bizarro do mapa. Isso significa que Travis e a "Alessa Intacta" são o mesmo tipo de "ser": Uma projeção do corpo real, no mundo de Silent Hill. Entendeu? Quando Travis entra num local onde Flauros se esconde, ele projeta sua mente, involuntariamente, e é essa projeção que passeia pelo mapa. Seu corpo fica caído la, na entrada. Ou seja, há três realidades amaldiçoadas de Silent Hill no Origins: A realidade Amaldiçoada da Neblina; A realidade Amaldiçoada da Projeção; E a realidade Amaldiçoada Sombria.



Travis ajuda Alessa a sair da Realidade Amaldiçoada Sombria e entrar totalmente na Realidade Amaldiçoada da Neblina, conectando as três realidades quando coleta todas as partes do Flauros, incluindo o Fragmento do Presente, que representava o momento em questão, e a aceitação de estar la.

Você já assistiu "A Origem (Inception)" aquele filme louco com Leonardo DiCaprio? O jogo não foi baseado nem tem nada haver com ele ta, mas a loucura é do mesmo nível! Inclusive, no começo do jogo, Travis menciona que tem pesadelos, e suas passagens pela Realidade Amaldiçoada da Projeção, são como pesadelos, por essa razão toda essa realidade parece ser a realidade da Nevoa. 



Ah, em Homecoming, a aparição de Travis ocorre justamente após um pesadelo do protagonista do jogo, talvez uma referência a esse tipo de transição... ou será que o caminhão de Travis é tão desconfortável assim a ponto de causar pesadelos?!



Sabe por que mencionei a confusão de Travis a respeito da neblina e o fato dele desmaiar? Simples: A neblina da realidade Amaldiçoada da Neblina é pura fumaça, fumaça de incêndio mesmo. Travis desmaia em sua projeção como resposta a fumaça inalada por seu corpo. As sirenes são um ligeiro flashback de Travis e seu desmaio ao resgatar Alessa, também por respirar fumaça, porém na Realidade Normal. Travis só volta pra essa realidade no final do jogo, quando ele retorna pro seu caminhão.



Se for considerar a Realidade Normal, são 4 Realidades mostradas no Origins... seu cérebro explodiu?! Não? Então tente pensar naquela primeira curiosidade, a dos itens recolhidos que se convertem... some ela as outras duas realidades, sempre considerando que as coisas ganham mais "vida" e significado real conforme a realidade a qual pertence. Aquela teoria de que o Açougueiro e Travis são a mesma pessoa quase ganha sentido com isso né? Imagina, ele no mundo profundo de Silent Hill, esfaqueando um monstro... enquanto no mundo real... o que ele esfaqueia?!

Mas calma, não desespere-se! Não há qualquer possibilidade de Travis estar matando pessoas no mundo real, pois quando ele vai para o mundo de Silent Hill Neblinada, ele vai de corpo inteiro. Ele ganha sua forma "astral" durante suas passagens pelos mapas de Silent Hill onde Flauros se esconde,  e só então consegue interagir entre várias realidades ao mesmo tempo. Porém, ele só pode interagir com as pessoas da Ordem, que são banhadas pela maldição da cidade (mesmo se elas não estiverem mergulhadas no tormento das realidades mais profundas da cidade). Um exemplo disso está perto do final do jogo, quando Dahlia aparece ao mesmo tempo em que Alessa rompe o véu das dimensões e começa a distorcer tudo, em sua aparição "angelical". 



Até então ninguém dentre os amaldiçoados enxergava as coisas feias da cidade, mas a partir de então, todos começam a ver, inclusive Dahlia. (Mas apenas os amaldiçoados, pessoas normais ainda ficam na realidade real). Também, um pouco antes dessa cena, quando Alessa é "libertada", Travis se espanta e diz "Você aqui?!" demonstrando que ela não tinha aparecido fisicamente nessa realidade.

Acho que chega né? Qualquer coisa pergunte nos comentários!

Obrigado por sua atenção, desculpe se te deixei confuso ou enojado com minhas ideias... eu só interpretei da forma que achei coerente. Cabe a você credibilizar ela, ou buscar por suas próprias respostas. Bem, é isso! Se curtiu comente... se odiou, e quiser comentar, tudo bem. O importante, é que você me permitiu contar um pouco sobre esse jogo, e ainda por cima me deu tanta atenção até o momento. Eu apenas agradeço e espero, de verdade, que tenha ajudado a entender o Origins.


Até a próxima... e alias, vlw pela motivação Sr Abyss.






95 comentários:

  1. POSTADA *--------------*, assim que chegar em casa da escola vou ler *--* amanha de manha eu comento direito uahsuahs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso cara, já comentou?! Ainda to dando uma visualizada no conteúdo pra ver e corrigir possíveis erros, redundâncias, coisas que faltaram ou excederam de mais... enfim, to só dando aquela olhada pra ter certeza se ta tudo certo, mas até então é isso.

      Tomara que tenha ficado legal.

      Excluir
    2. Haha falei que hoje ficaria mais atento que o de costume no blog xD, vou aproveitar o apoio do 3g e ir lendo no caminho de casa, jaja acho que eu dou aquele comentário concreto!

      Excluir
    3. Bem, é isso. Tomara que você goste.

      Excluir
    4. Pode ter certeza que adorei! Muito rica em conteúdos e ligações com as outras partes da saga "principal" de SH, é incrível como Valtiel está em praticamente todas! Aparentemente em todo SH ele faz uma pontinha, seja textual ou fisicamente, e quando você sabe quem ele é, realmente é mais fácil de reconhece-lo.

      Agora sobre a Essência de Samael, como ele nasceu "na mente" de Travis, ele não estava com todo seu poder não?

      Cara o lance dos pais do Travis, é muito foda, muito pesado, só reforça a ideia de que para ter medo em SH você deve "viver" a vida do personagem, uma mãe que ama querer te matar e um pai que nem sequer liga pra tua existência, e depois de anos que o cara descobre isso, é muita pressão psicológica T.T

      E algo que eu reparei nas imagens dos Flauros, é impressão minha ou é o mesmo simbolo mistico usado nos portais do SH4?! Qual a ligação dos mesmo com a Ordem?

      Enfim obrigado mais uma vez por está ótima AnaliseMorte, rica de conteúdos, detalhes e curiosidades, creio que estas que você colocou no final foi as que você vinha comentado comigo que havia descoberto não? Cara é bastante coisa eim haha e são bem legais, principalmente o lance das 3 versões de SH!

      "Até a próxima...e alias, vlw pela motivação Sr.Abyss."

      Serio cara isso arrepiou ao extremo, fico altamente lisonjeado em saber que estou servindo de motivação, porque cara é muito importante para mim! Eu venho acompanhado o blog a tão pouco tempo e já sinto que estou a anos aqui, serio Sr.Morte hoje você conseguiu arrancar um enorme sorriso de um pobre mortal ! Agradeço de coração mesmo por tudo!

      Excluir
    5. Quem tem a agradecer sou eu, eu to torcendo pra análise ter ficado tão boa quanto eu esperava. Tentei não bagunçar muito, mas na boa, foi tenso. Tive de lutar contra uma penca de contratempos, além de é claro, minha própria ansiedade. E deu pra ver que a história também mexe um pouco com certas memórias... eu acabei me aprofundando muito...

      Tive medo pra caramba na hora de explicar Valtiel... ta muito cedo... tem muita coisa que fui citando que, não da pra explicar sem ter tudo antes. Valtiel por exemplo, é só um nome que eu assimilei a uma ideia... por isso citei que ele é "uma essência"... mas só vai ficar realmente claro isso quando eu terminar todas as análises...

      Ah... você reparou em algumas das descobertas, mas nem tudo foi o que lancei no final... tiveram coisas que acabaram estendendo a análise... la no meio, no inicio... toda ela foi constantemente modificada com as infos que foram surgindo. Foi bem divertido... e fiquei com medo de por exemplo, não ficar claro.

      Mas, sobre suas dúvidas... o simbolo místico la, ele é sim um conteúdo importantíssimo de Silent Hill. Ele aparece em todos os SHs também ^^. Mas eu vou falar dele apenas em Homecoming... eu reservei esse espaço pra ele... alias, o HC vai ser uma longa análise também hein... e eu já comecei. Claro que não vou postar ela agora, vou postar outras primeiro... mas... já to providenciando!

      Samael... eu falei muito dele na primeira análise do jogo.... Eu prometi a mim mesmo que falaria completamente dele de novo na última análise. Samael é um demônio Succubus poderosíssimo, e uma das dicas para ele surgir para Travis é essa... rs... mas isso não é pra agora. Resumidamente, Samael nem aparece em Origins, apenas um pequeno fragmento dele... alias, nem é dele, é algo que se baseou nele. Pense na energia negativa do cara personificada, é isso.Há uma teoria que diz que na realidade, aquilo era Alessa e sua forma real, trancafiada no Flauros... e é quase isso mesmo, se considerar que o lado de Alessa que está preso é aquele que foi convertido em alimento para deus... rs... é uma droga isso. Mas apenas entenda ele como parte de Samael, só isso já ta ótimo.

      Ah, achei que você ia reparar no bagulho de Travis sendo pai de Cheryl... T_T... ou nas Crianças da Ordem... eu deixei um spoiller de uma futura revelação nela.... T_T.... você nem viu T_T.

      Enfim, você recebeu a mensagem, e preciso dizer que vossa senhoria foi uma das maiores motivações para essa postagem se concluir. Você apoiou, acompanhou e cobrou isso... e felizmente, eu consegui concluir!

      Só agradeço sr Abyss... mas saca algo que reparei? Tirando tu, ninguém mais ta comentando T_T... o blog ta quase virando u mchat entre nós dois.... eu to começando a sentir falta da galera que ofende e também, dos outros leitores... Mas não sou ninguém para cobrar comentários, eles o fazem quando quiserem, mas eu sinto falta de conversar com eles também. Enfim, de qualquer forma to feliz pacas em saber que to fazendo um bom trabalho, decente suficiente para agradar gente como você.

      Agora, vou pra próxima... to pensando em falar de Zelda Ocarine of Time na próxima análise ^^... eu já conclui ele recentemente, e bem... to pronto pra escrever. Mas tem várias outras análises pra fazer... deus... eu mal terminei um trabalho e já sinto o peso dos outros T_T...

      Então, Sr Abyss... vlw por tudo e até, até a próxima sr.

      Excluir
    6. Então acho que meu conhecimento sobre o Valtiel está melhorando, pois estava começando a fazer a mesma assimilação!

      Reparei sim, é tão legal quando você vai escrevendo algo e do nada aparecem mais e mais descobertas!

      Hum não me recordo de ver ele em outros SH's, vou dar uma conferida com mais atenção quando surgir um tempo... Caraca já vai começar a do HC?! Tá a todo o vapor mesmo eim hahaha

      Caraca interessante esse teoria do Samael ser só a parte negativa da Alessa, e realmente faz sentido!

      Eu reparei sim T.T mas pra não falar merda fiquei quieto, ainda to tentando lembrar das únicas 3 Crianças da Ordem que eu não me lembro ( As duas ultimas sei que são do DP, só não lembro quando o pequeno aparace, mas creio que o Homem do Saco matou ele... Acho que é isso... Mas se for... Já abre outras duvidas em minha mente T.T) e esse Travis.... HUUUM DANADENHOOO, ta parei auhsuahu, mas no caso dele ser "pai" da Cheryl muda algo diretamente ou é um detalhe a mais?

      Eu também reparei nisso, tava até pensando em dar uma reduzida nos comentários pra ver se o pessoal volta a aparecer T.T Mas eles voltam, pelo menos eu torço para que voltem o/

      Ocarina of Time é bem divertido :3, também seria legal o Majora's Mask, que é um dos melhores em minha opinião nada profissional hehe... Sei como é, sinto o mesmo com os jogos que tenho que zerar, acredita que não consegui nem mesmo jogar um pouco do recém lançado The Evil Within?! Pretendia zerar ele e mandar uma analise dele pra você, ele tem alguns elemento de SH sabe, bem divertido... Mas como eu só curto jogar no clima ( De madruga, sozinho, escuro e com um bom som pra dar aquele medo, e toda vez que eu vou ter essa oportunidade, meu corpo pede por descanso T.T)

      Cara é tão legal saber que pude ajudar, mesmo que maneira singela na continuidade desse grandioso blog, eu não sei o que falar mesmo :') Sr. Morte conte com meu apoio sempre, afinal seu trabalho merece!

      Excluir
    7. Pensei em jogar The Evil Within também, mas nos últimos tempos, terror e jogos desse gênero não vem conseguindo me surpreender.... SH te prepara muito bem pra isso tudo rs.

      Zelda... cara, eu to com o BTW no 3DS, sem vontade nenhuma de jogar... mesmo querendo muito, depois que meu filho quebrou o flip do meu 3DS, bateu desanimo. Mas se eu for escrever será justamente pelo Ocarine mesmo, pois zerei ele no 3DS e no 64, o que me deixa com bastante conteúdo pra falar. Sobre o Majora's... não rola falar dele sem falar do Ocarine, é praticamente pré requisito man... e isso porque quando eu for realmente me aprofundar em Zelda, precisarei falar os Oracles e do Majora's ao mesmo tempo, pra explicar o que houve com a Triforce.

      Saudades da galera do blog... sr Marcio por exemplo, sumiu T_T... mas ok, um dia eles voltam, se eu merecer hehe.

      Na verdade é do HC, Joshua... mas você chegou perto da dica. rs...

      Um dia vou conseguir expor todas minhas ideias... mas ainda falta muito, muito pela frente.

      Sr Abyss, vlw pela presença e até a próxima!

      Excluir
  2. E como prepara rsrs Mas do pouco que joguei do Evil uma coisa tenho certeza, vale muito a pena jogar, eu recomendo que jogue! Creio que não ira se arrepender.

    Sim sim, se não me engano a historia do Majoras passa pouquissimo tempo depois do Ocarina, sei como é, lembro que tinha o Megaman Zero pro GBA, mas meu irmão teve o dom de praticamente descolar a tela, dava pra jogar ainda, mas a vontade de jogar foi embora :/

    Tenho que jogar logo o DP, preciso saber qual o papel da criança da Ordem nesse T.T, estou formulando algumas teorias com o que me lembro dele e o conhecimento que adquiri graças as suas analises... Tá meio sem pé nem cabeça essa teoria, mas algumas coisas em SH são assim mesmo, começa sem pé nem cabeça e depois vira um pyramid head completo xD...

    Mas você está no caminho mais que correto para isso!

    Até breve Sr. Morte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dei uma parada na analise do Ocarine... pra trabalhar um pouco rs... trabalho ta meio intenso... mas... eu digitei umas 15 páginas já... as melhores e mais importantes partes já foram, falta só falar dos monstros.... mas vou continuar depois, quando eu tiver com cabeça rs.

      Acredita que... destravei meu Xbox e peguei SH Homecoming! Jogar ele sem bugs é outro universo cara... eu fiquei espantado com quanta qualidade perdi nas vezes que joguei no pc... eu... eu to pensando em zerar ele de novo, pela primeira vez no xbox... em ingles mesmo e traduzir por conta própria... depois jogar no pc, traduzido, e re-analisar em cima dele... pensa na trabalheira. Downpour eu nem cogite ia ideia de jogar kkk... preciso finalizar o HC antes. Mas vai demorar um pouco, pois antes dele vou lançar umas 4 análises de outros jogos, e outros tipos de postagens.

      Inclusive, to com um projeto de postagem baseada em Ragnarok Online. Pretendo contar histórias e aventuras que tive com personagens, de forma bem ilustrada e talz, compartilhando um pouco dessa minha fase...

      Enfim, é isso. Saudade dos comentários kkk

      Excluir
    2. Caramba mais já esta terminando? o Sr. comentou sobre ele a o que, uma semana atras?! Vejo que o blog volto com força total eim haha

      Vai dar uma trabalheira danada mesmo eim, sem dizer que não são todos os jogos que são empolgantes de se jogar uma segunda vez assim direto, ainda mais nesse caso que no PC existem vários bugs, é muita dedicação sua eim!
      Mais 4 analises e postagens variadas? Rapaz e não é que o cara tá inspirado mesmo

      Seria bem legal, curto muito lore's próprias, eu tenho uma no Skyrim... Mas tá paradona... Acho que vou dar continuidade a ela, o legal era que eu fazia parte de um grupo (ainda faço, mas nem participo mais direito) de skyrim que o pessoal postava as lore's deles, quando coloquei a minha, só o prologo mesmo sabe, foi muito elogiada e tudo mais, o pessoal até pediu continuação e eu até estava fazendo, mais ai o pessoal do grupo foi sumindo... me arrisquei no Dark Souls de novo, e essa foi minha ruína, Dark Souls consegue me pretender de uma forma tão mistica que até hoje eu troco vários games por ele xD

      kkk né, dei uma sumida mesmo, minha vida tá pior que montanha russa, quando eu penso que vai dar uma subida de leve, vem uma descida brusca e violenta T.T

      Excluir
    3. Kkk... viver é tenso. Ah, então, eu comprei Assassin's Creed Black Flag pro meu irmão zerar. Ele ta caminhando pelos meus passos gamers... porém, o foco dele ta sendo Assassin's Creed! Eu mesmo induzi ele a isso rs... primeiro jogo que comprei pra xbox 360 foi assassin's creed 1, dai disse pro meu irmão "Só compro outro jogo se você zerar" ele zerou, e pediu mais um, eu comprei o 2, e usei a mesma regra, dai ele jogou, zerou, ficou pedindo mais e mais pelos mais recentes mas eu disse "Só compro na sequência dos jogos, e só vou comprar um jogo se você me contar a história completa daquele que você zerou." Dai, peguei alguns assassins intermediarios entre o 1 e 2, e 2 e 3, e peguei o 3 pra pc (mas vou pegar pra xbox, melhor pra ele rs) mas então, comprei o Black Flag quando destravei o video game, e man.... irado! Eu gostei de ver meu irmão jogar.... cara, ele realmente entende de assassins! E tipo, eu peguei ódio de templários junto com ele... eu não entendo muito desse jogo, o que sei é o que meu irmão me contou, mas eu mesmo to afim de jogar kkk (peguei o Liberation pra pc e mano, eu me apaixonei pela temática de Escravidão) enfim... peguei o Rogue agorinha, pois meu irmão zerou o Black Flag! E tipo... ele vai enlouquecer... e eu também kkk, pois apesar de eu não jogar.... eu me tornei fan kkk Por que disse isso? Sei la... eu lembrei depois que tu falou do Dark Souls, um dos jogos que to pensando em iniciar meu irmão, pois eu mesmo não tenho vontade rs.

      Enfim, sobre análises... eu dei uma paradinha, mas é porque to cansado pelo trabalho na escola... mas tipo, eu vou escrever pacas em breve. E Zelda ta pra acabar já e em seguida vou fazer de DmC, cansei de ver gente me chamando de idiota por ter minhas teorias sobre Nero ser filho de Dante!

      Enfim, é isso. Também vou contar minha aventuras no rag... como as caçadas do aprendiz ou a origem do bardo... ou.... o alquimista dos 3 homunculus. Vai ser loko... enfim...

      Excluir
  3. Hahaha Assassins tem esse efeito mesmo, meu pai gosta muito deles, pena que ele não joga na ordem nem tenta entender a historia mais a fundo porque alguns são em inglês ¬¬ ai cabe a minha pessoa explicar o pouco que sabe hahaha, deu até vontade de jogar AC de novo é um game tão bom :3. Os templários são do tipo de vilões que você pega ódio automático sem mais haha.

    Bom se vai inciar Dark Souls para seu irmão já recomendo, muitos calmantes, coisas para esmurrar e almofadas para abafar gritos de raiva que serão muito comuns, Dark Souls é do tipo de jogo que você passa uma raiva descomunal no começo, passa raiva no meio, e quando você está no final se orgulha de ter superado tantos desafios, quando você zera lagrimas caem de tanto orgulho ( e porque o ultimo boss realmente é triste de se matar, caso você saiba da historia do game, infelizmente (ou não) eu sei, me fez derramar lagrimas T.T).

    Nero filho do Dante?! Eu sempre defendi a teoria de ser filho do Vergil, mas fiquei curioso sobre ele ser filho do Dante, e até pode se encaixar melhor que a dele ser filho do Vergil...

    Você coloca nomes nas suas Lore's *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lore's... não conhecia esse termo, mas sim.

      Tem muitas explicações plausiveis para o relacionamento fraternal de Dante e Nero, e isso fica evidente no próprio DMC 4, mas ganha muito mais credibilidade no renegado e rejeitado por fan boys: DmC.

      Eu saquei a real facil facil, e tem total lógica. Você vai concordar quando eu escrever rs.

      Sobre Dark Souls, eu passei raiva só na tentativa de instalação dele em meu pc... fica dando um bug de cenário branco, é chato. Mas pelo tanto que já ouvi falar dele, parece um jogaço.

      É uma pena, o Rogue não é o "V"... e o próximo vai ser exclusivo pra nova geração (One, 4 e PC - Vou tunar meu pc, só assim pra sobreviver ao mundo gamer) e aparentemente, também não será o V... o Unite. Mas na boa, adorei ver meu irmão adorar rs.

      Excluir
  4. Renegado, rejeitado e esplendido DmC, cara eu adorei ele! Tanto a historia como o gameplay.

    Coisa de Dark Souls mesmo xD ele tem o jeitinho dele de lhe fazer descobrir que existe um Hulk dentro de você hehe

    É o jeito ne :( Estou em um projeto de trazer o meu de volta a vida ainda depois eu tuno ele asuhaush

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, estou quase terminado a análise, falta só por as fotos e bem, rever o texto e talz, mas ta tudo digitado já. A análise ficou simples, mas não da pra complicar Zelda... ele já é complicado por natureza.

      Excluir
    2. Ah só com os comentários já me deu uma imensa vontade de jogar novamente... quero ver quando a analise estiver pronta... ainda bem que estou pra entrar de ferias hehe

      Excluir
    3. Ah, quem me dera minhas férias estivesse próximas.... mas tudo ta ficando intenso. Mas logo ta pronto.

      Excluir
    4. É só ferias escolares T.T mas já da pra aproveitar um pouco sabe, finalizar logo minha analise hehe

      Excluir
    5. Sim, ai sim... eu por outro lado vou terminar a minha hoje.

      Excluir
    6. Então quem sabe hoje a tarde ela de as caras por aqui? haha

      Excluir
    7. Contra-tempos... o trabalho ta me cansando, as imagens tão sendo chatas agora, mas logo termino.

      Excluir
  5. Loucura, loucura. loucura!! Não é a toa que o Origins foi tão mal criticado pelos fãs pelos furos que tem em relação ao primeiro (lugares diferentes no mapa, personagens com aparência quase que totalmente mudada em relação ao SH1) pessoalmente gostei muito do game mesmo com esse exagero dos objetos e esses furos, sua análise foi muito boa como sempre! Aguardando o SH Homecoming!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Criticar o jogo pela diferença gráfica é amadorismo. Sério, é ridículo dizer que um jogo é ruim porque tem coisas graficamente diferentes... isso ocorre pela diferença entre plataformas e motores, isso ocorre pela diferença de tempo e equipes no lançamento e desenvolvimento dos jogos... Um jogo só deve ser avaliado pelos gráficos caso isso tenha algum envolvimento com o enredo, direta ou indiretamente falando. Caso contrário, não é uma boa justificativa pra crítica negativa. "Fãs" jamais fariam isso.

      Eu adorei o Origins, foi um enorme prazer joga-lo várias vezes para fazer a análise e foi um prazer enorme saber que minhas teorias tinham fundamento, e minha visão do jogo se manteve mesmo depois de re-observa-lo e re-analisa-lo.

      Partiu HC!

      Excluir
    2. O negócio foram esses furos no enredo, não no gráfico (uma besteira enorme isso) como a casa de Alessa que no 1 tem um rio na frente, e em Origins tem uma rua, Lisa parecendo muito mais velha que no 1 e coisas assim!

      Excluir
    3. Nada que interfira diretamente na história.... são apenas... detalhes visuais. A casa de Alessa aparece no 1? E tem um rio na frente? Eu nem reparei... isso é uma gafe enorme em não reproduzirem no Origins... nesse caso sim eu preciso dizer que foi um erro grotesco dos caras... mas tirando isso eu não vi muitas incoerências não... pelo contrário, achei até grandes referências. Destaque pro hospital, que ficou idêntico ao do primeiro jogo, pelo menos a recepção.

      Excluir
    4. Pois é! Cê pode ver num CG do game, acho que na abertura! Também foi observado que as queimaduras dela foram no braço e tórax e seu rosto não, em Origins ela tá cem por cento queimada, a original tem traços asiáticos e em Origins tem olhos azuis e parece ser americana e coisas assim foram o que irritaram muito os fãs. Pessoalmente acho que faltou mais capricho em relação a esses detalhes mas enfim, pra mim o game é muito bom, mesmo com essas gafes!

      Excluir
    5. Aparência e detalhes físicos são coisas supérfluas de mais. Isso é uma variável que depende da engine do jogo, da equipe do jogo, da plataforma e também do enredo do jogo. Não é algo que possa se avaliar e considerar com tanto rigor... Eu gostei do jogo e pra mim, foi muito leal a trama original. Detalhes são só detalhes... ah, e sobre as queimaduras de Alessa... isso é coisa da engine man... e outra Silent Hill 1 tinha muito mais furos no passado, antes da saga existir, então muita coisa do primeiro foi literalmente corrigida e adaptada para o contexto de SH. SH acabou ganhando e desenvolvendo uma alma de saga... nem tudo do 1 é tão incrível e coerente assim a ponto de ser saudoso e repetido... SH nasceu de "O Nevoeiro", mas se desenvolveu e criou seu próprio universo, mitologia e base pra existir. Exatamente como aconteceu com Mega Man que nasceu de "Astroboy" e se desenvolveu o suficiente pra criar sua própria identidade... e Devil May Cry que nasceu de "A Divina Comédia" e outras obras da época, mas criou uma identidade mais do que original, uma série e eventos originais, e enfim... todas essas grandes obras foram baseadas em outras obras anteriores... mas com o tempo ganharam sua originalidade e base própria, identidade, alma, centro, e apesar de serem bias desde seu nascimento, o fato de terem se desprendido de suas bases força uma interpretação original e leal ao material final, ao produto final, não apenas àquele inicial. São como fitas demos sendo regravadas...a música vai ganhando novos acordes, correções, versões... até fazer o sucesso merecido. Isso não desmerece a fita demo, mas também não significa que o material final seja... inferior... justamente pelo contrário!

      Excluir
    6. Em todo caso eu espero sinceramente que Silent HillS não descarte tudo o que a saga fez com esse reboot que tá a caminho...

      Excluir
    7. Heh, eu te recomendo que não desconfie do esforço que tão fazendo nessa franquia. Silent Hill S não será um reboot... não é inteligente fazer reboot em time que ta ganhando... todos os Silent Hills foram históricos, os melhores... a mitologia de SH é ampla de mais e ainda não nem foi explorada completamente, na real só um dos cantinhos teve uma boa exploração e ainda assim, há muita coisa possível pra se lançar. Nem pense em SHS como Reboot, pois não será rs... disso pode ter certeza.

      Até hoje, o único título grandioso que eu conheci que foi reiniciado de fato foi Castlevânia... e mesmo assim, só o fizeram pois foram bobos de mais e praticamente sacrificaram um título... todos os demais reboots anunciados não foram reboots de fato, nem remake... foram apenas complementos por que já existia. DMC, MM, TR, PoP... nenhum desses foi reboot e foram anunciados reboots... o que seria bobagem: Grandes franquias não precisam ser reiniciadas, apenas complementadas.

      Jogos não são HQs, que podem trocar o roteiro, sequencias, e desenhistas e relançar a história a partir do zero... jogos são projetos enormes, que podem ser reinterpretados com o tempo e reaproveitados... e franquias, são aglomerados de jogos diferentes, com algum ponto em comum,tal qual deve ser continuamente explorado para não destruir esse elo entre eles, e descartar ou desmerecer o empenho que tiveram nos jogos anteriores.

      Silent Hill S não será um reboot, e algo me diz que será o SH mais épico de todos... não por quem ta envolvido, nem pelos gráficos... mas pelo próprio título mesmo. Não importa o que façam, poderá ser interpretado em conjunto... afinal o que importa é o quanto se emepnham em produzir o jogo... e só por P.T. já deu pra ver que os caras tão se esforçando legal pra fazer um SH de origem!

      Mas, tudo isso pode ser cagado sim rs... nunca se sabe.... sempre tem um jogo ou outro que é ferrado por uma equipe incompetente.... eu não vi isso em SHS, mas... também não esperava isso em Castlevânia e veja o que aconteceu em LoS!

      Apesar de tudo eu to aguardando ansiosamente por esse silent hill... e tenho fé de que sairá algo magnifico e histórico, como todos os demais trabalhos com esse título... já cometeram erros com Silent Hill, tem aquele jogo de tiro de SH que é um lixo descartável... eles não ousariam arriscar e errar novamente...

      Excluir
  6. Tenho certeza que será o primeiro game da série a me dar medo! Em P.T mesmo eu pus as mãos na frente do not por causa de um baita susto daquela ''mulher'' e o game me pareceu medonho mesmo! Sabias palavras as suas, e tomara pois ainda tenho esperança de uma continuação pro The Room, até bolei uma estória pra um possível modo extra chamado ''Alone in a Nightmare'' com Joseph como protagonista e mostrando a primeira parte do ritual!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante... Bem, eu espero que SHS seja... um novo inicio pra uma nova saga dentro de SH! Que use com obase todos os demais cenários.

      Excluir
    2. Dando uma olhada aqui.... e percebi que tenho que ler as análises do Alice de novo!!

      PS: Sobre Otherlands, ou melhor relacionado com ele, adivinha qual seria o próximo possível projeto de game de terror baseado em clássico da literatura de certa forma muito parecido com Alice, e que eu mesmo já li e amei??? Aliás, deve ter também uns 100 filmes como Alice!

      Excluir
    3. Chapeuzinho vermelho... tem The Path... pode ser.... uma das clássicas princesas da disney? Sei não...

      Excluir
    4. Ia chutar esse... parece promissor.

      Excluir
    5. Na verdade tá mais pra uma ideia mesmo, mas quem sabe?... nada definido ainda mas puxa, pobre Dorothy!

      Excluir
    6. Pra ser sincero não me surpreendi nenhum pouco com a ideia. Oz já tem um ar sombrio e um tanto assustador. Em meio a musica e tematica fofinha, Mágico de Oz tem muitas mensagens psicologicamente perturbadoras e personagens bizarros... bruxas, macacos com asas de morcego, espantalhos vivos, homens feitos de lata, leões humanoides, e por ai vai. Não seria nenhum pouco complicado transformar isso em um jogo assustador estilo Alice ou até mesmo SH.

      Enfim... see yah

      Excluir
    7. Ia ser muito foda!! E falando em jogo, finalmente baixei a tradução de The Cat, e Downfall vai ter remake!!

      Excluir
    8. Downfall? O que ser?... E que bom, assim tu vai poder entender The Cat... hei... eu jamais jogarei esse game pois não faz meu estilo... mas se quiser depois fazer um comentário sobre ele, tipo, com suas impressões... você é livre hein. Se pa até crio um post, sei la, sobre jogos desse gênero... e tu comenta... que acha? Farei uma postagem sobre point&click... se bobear será a mesma de The Walking Dead - the Game, e se tu quiser pode comentar la... sem compromisso hein. Ninguém é obrigado.

      Excluir
    9. Seria ótimo! The Cat foi bom pra entender por completo (minha tradução pega unas 90 e alguma coisa por cento, rsrsrs mas como sou louco pelo game, fui atrás da tradução e não me arrependo!Downfall é... POINT AND CLICK!Kkkkkkk do criador de The Cat, Downfall é assim, imagine: uma mulher com distúrbio alimentar, um homem desesperado para achar sua esposa,um hotel que é um verdadeiro inferno, gente morte,uma mulher obesa e canibal, memórias perdidas, cientista neonazista,uma experiência a solta,um louco com machado! Com mais bizarrices, ponha umas músicas sinistras,um banho de sangue, um pouco de seaxualidade e aí está Downfall!

      Excluir
    10. Eta... parece um jogo bem... bagunçado. Mescla de temas e cenas.... várias saídas diferentes para o terror... exagero nunca é bom. Mas parece um jogo interessante... se não fosse poing and click.

      Excluir
    11. Rsrsrsr isso tudo que eu falei vai sendo revelado lentamente revelado no game, construindo um enredo fodástico, e mostrando pouco a pouco o game que nos mostra que devemos sempre desconfiar das aparências pois muitas vezes, nada é de fato o que parece! Uma coisa boa nos games indies de terror é essa preocupação com a qualidade do game (isso é pra você,senhora capcom) o criador do game mostrou um potencial enorme, como vimos em The Cat Lady ( ele pode fazer mil obras ótimas, mas The Cat será para sempre lembrado como uma de suas suas maiores obras talvez a melhor mas só vamos saber com o passar do tempo) o game também tem três finais, todos surpreendentes! E sim, é um point and click tradicional (não é a toa que o remake vai ter uma jogabilidade muito mais refinada, seguindo os moldes de The Cat)!

      Excluir
    12. https://www.youtube.com/watch?v=mLlDa6Dech8

      Excluir
  7. Prefiro Silent Hill rs... esse tipo de jogo ai me da agonia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apontar, clicar... eu curto mais ação saca. E tipo, o som dele com as distorções é incômodo.

      Excluir
    2. Hmmm tá... ok. Bem sobre a postagem, vai ser sobre o The Walking Dead mesmo?

      Excluir
    3. Só joguei 2 point and click que considerei decentes uficiente pra zerar: The Walking Dead e Plants Vs Zombie.... Se for falar tem que ser de um deles.

      Excluir
    4. Plants vs Zombies... conheço graças a S.D Perry que fez aqueles livros maravilhosos do RESIDENT EVIL!

      Excluir
    5. PS: Assistindo O Nevoeiro!! Bea fonte de inspiração pra SH!
      PPS: Quando vi aquele tentáculo, a primeira coisa de que me lembrei foi do deus Cthulhu! Sério!

      Excluir
    6. Pensar que quando assisti o Nevoeiro eu tava escrevendo sobre Silent Hill 2... tv tava ligada e começou a passar, fui asssitir só por causa da sirene e me surpreendi com a coincidência... eu sabia que SH tinha uma base num certo livro, e sabia que muitos dos elementos tinha sido puxados dele, mas até então não tinha procurado conhecer a base. Acho que depois vou fazer uma matéria sobre isso saca, as bases. Se parar pra pensar todos os grandes títulos dos quais falo são baseados em outras coisas famosas que vieram bem antes... uma matéria sobre essas inspirações e origens seria muito boa, que se acha? Seria também meu primeiro tipo de postagem sobre múltiplos jogos... acha que daria conta?

      Cthulhu... um jogo sobre ele... existe (não vale point/click)

      Excluir
    7. Eu tenho absoluta certeza de que você pode fazer isso. Afinal, estamos falando de SHADY MORTE,rrsrs! Você é demais e seu trabalho é extraordinário! Sim, você tem toda razão é só olhar para games que ou se inspiraram em livros ou filmes ou outros games como Alan Wake por exemplo, é claramente inspirado em outros games de terror mas com sua própria identidade. SH é do nevoeiro, Clcok Tower do filme ''Phenomena'', Obscure de um filme que eu esqueci o título, mas lembra muito esses filmes de terror adolescente como seta feira 13, The Cat Lady se inspirou em alguns livros de Stephen King, e ainda muitos outros!

      O nome do game é Call of Cthulhu: Dark Corners of Earth!

      Excluir
    8. RPG de mesa... rs... enfim, acho que vou fazer a postagem que mencionei, logo após concluir de DKC2, e fazer a projeção das postagens que virão.

      Excluir
    9. Acabei de assistir o filme e cara... é um filmaço mas o final foi muito frustrante. Espero que o livro não seja assim também. Pra mim o culpado foi desse fim o protagonista mesmo, que foi covarde na minha opinião.

      Excluir
    10. Também acho (ta falando do Nevoeiro certo:) eu fiquei irritado de mais com o protagonista... acho que o sofrimento dele após suas escolhas é pouco. Foi questão de segundos cara, e o que ele fez tirou 4 vidas, duas delas extremamente importantes pra ele, sem razão alguma. Achei muito estúpido, além de covarde.

      Excluir
    11. Sim, não é??? E o cara nem atuou muito bem não, o final foi mesmo bem forte, mas podia ter tido o mesmo impacto com uma forma mais satisfatória... ah e tem o Carry também! Nossa cara, a atuação da Sissy principalmente no fim... foi de arrancar lágrimas. Pobre Carry.... bem, os dois filmes são ótimos mas o fim muito triste mas a diferença é que ele foi um idiota e Carry uma vítima.

      PS: Laurie Holden deu um show de atuação, ela me cativa desde a Cybil. O erro dele foi justamente o de não seguir uma moral muito bem lembrada no fim do The Cat inclusive, que foi a de não importa seus erros, você sai e levanta do mesmo sujeito.

      PPS: O senhor demorou pra responder... mas não se preocupe eu entendo. Agora vou preparar meu coração,rsrsr pro que vem amanhã!

      Excluir
    12. Amanhã? E o que vem amanhã???

      Você reparou a Cybil kkk... eu também... tipo, a mina teve a chance de fazer parte de duas obras baseadas em uma mesma obra, e se saiu bem em ambas (prefiro de SH).

      Atuação não posso questionar, achei todos muito bem. To acostumado a ver found footage, onde geral é "amador" então... me impressiono fácil com qualidade de atuação, basta ser bom ator rs... E a galera do Nevoeiro é bom n oque faz.

      PS: Malz pela demora?!

      Excluir
    13. Amanhã tem Pretty Little Liars, e recebi uma péssima notícia sobre a Mona (A vai aprontar horrores com o corpo dela) e claro que ia repara nela!! Sissy foi tão comovente naquela terrível cena do baile. sem dúvida a melhor atriz para Carrie (quem tem três filmes,já)!

      PS: Tudo bem!

      Excluir
    14. Caraca, achei que era só eu que tinha reparado nos 3 filmes de Carrie. Tipo, fizeram ramake do ramake do original... é tipo, muitas versões do mesmo. Como nunca vi comentários sobre esse tanto de remakes, achava que era tudo coisa da minha cabeça... mas de fato há 3 filmes kkk

      Excluir
    15. Kkkkk e tem ainda sequência do primeiro filme!! Quanto aos remakes, o 2 foi ótimo, gostei muito. Mas esse de 2013... esquece.

      Excluir
    16. Ruim? Eu vi ele passando na tv e comece ia assistir, mas senti certo nojinho... peguei bem na cena do banheiro saca, do vestuário das meninas... e não curti a atuação da galera.

      Excluir
    17. Sissy dá um show nessa cena, no de 1976 no caso. Como eu disse remake foi bem ruim, muito fraco mesmo. Interessante que o pessoal acha que Carrie é terror mas na verdade é um drama e bem pesado!

      Excluir
    18. Sim... terror mesmo é... então... o que é terror hoje em dia no mundo do cinema?

      Excluir
    19. Não posso afirmar com certeza, não costumo assistir filmes de terror mas poderia recomendar alguns como Stay Alive, Os Olhos de Júlia, Pânico 4 e etc!

      Excluir
    20. Esses são antigos... hoje em dia, tem algum decente? Mama?

      Excluir
    21. Mama é legal, mas muito parado.... vou assistir psicose, mas esse é beeeem antigo mesmo.Então não me lembro de nehum mesmo, mas talvez Annabele?

      Excluir
    22. Annabele é bom, mas peca com o final fofinho de mais... tinha tudo pra ser bem chocante, e foi... até corrigir e dar um certo alívio a um final que seria perfeito. Creio que se tivessem terminado o filme na cena onde a mãe espanca a boneca, arremessa longe e depois descobre que era o bebê dela, e que na verdade o demônio a tinha feito enxergar como a boneca só pra ela matar e tecnicamente oferecer a alma pra ele (dizendo ei la "Vai pro inferno coisa maldita") seria o final perfeito pra um filme de terror... e inclusive seria o mais chocante, Mas ai fizeram a ilusão ser outra ilusão... a boneca virou o bebê, depois virou outra boneca que fazia barulho, e no fim o bebê apareceu, e outra pessoa se matou no lugar dele e da mãe.... foi muito bobo. Mama eu curti.... o final de Mama foi mais decente e apropriado pra um filme de terror... Mas como você disse, foi parado de mais. Ainda assim é um bom filme de terror da atualidade... pena que é um dos poucos.

      Excluir
    23. Sabe que esse lance do bebê me lembrou uma lenda urbana muito bizarra sobre bebês e bonecos? Os pais matavam os filhos confundindo-os com bonecos e cuidavam dos bonecos como se fossem filhos...

      Excluir
    24. Lenda Urbana curta kkkk... mas bem interessante... ao menos a ideia conceitual dela. Se trabalhada pode virar de fato uma bela história rs....

      Excluir
    25. Horrível, pode acreditar e claro que é mais longa que isso,rsrs olha acabei de ver 'Psicose'' e eu com certeza recomendo!É um ótimo filme de horror e suspense!

      Excluir
    26. Assistindo Misery (é, depois de O Nevoeiro,Carrie e Psicose, continuo viajando nos clássicos) tô no começo e o filme já me dá uma baita angústia... só de pensar no que aquele escritor vai passar nas mãos daquela maluca...

      Excluir
    27. Bons filmes, depois vou bolar uma postagem pra clássicos rs, e agente conversa sobre eles la.... O Nevoeiro não é um clássico... não é tão atigão assim rs... perto de Carrie e Psicose man...

      Excluir
    28. Kkkkkk é, mas são ótimos exemplos de bons filmes pesados que mexem com você!

      Excluir
  8. travis então foi o gatilho de tudo que ocorreu na franquia ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Na franquia" não, na saga de Harry Mason e Cheryl Mason sim. Pelo menos em tudo que envolve Alessa. Mas a franquia vai além desses nomes, e Origins inclusive mostra que antes de Travis, antes de Alessa, já haviam bizarrices em Silent Hill.

      Excluir
  9. Eu achei esse blog pesquisando sobre o SHSM e estou apaixonado por ele. Cara mt obrigado a abrir minha mente, me deixar claro as coisas. Fico feliz em achar um fã da série assim. Eu vou ver os outros conteúdos mas estou dando prioridade aos de SH. Parabéns pelo trabalho e obg por me trazer td esse conhecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vindo sr Anônimo (um dia eu descubro seu nome rs). Fiquei bem animado com seu comentário... e grato também. Espero que novas análises lhe agradem tanto quanto esta, e alias, espero que o blog continue lhe agradando. Vou me esforçar para tal.

      Excluir
  10. Cara o que falar , mais uma vez analise impecavel acabei de zerar esse game fod4stico e tive que vir ler sua analise pra entender melhor e cara voce me tirou todas as duvidas e cara eu matei o samael com o cutelo kkkkkk mas queria que voce me dissesse quais as armas secretas e como ganhalas vlw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, matei o chefão com uma Televisão kkk. Eu e meu amigo tradutor sempre rimos quando lembramos disso... eu guardei um arsenal com armas e objetos diferentes, tudo o que eu pegava eu guardava... matava tudo só no murro. No final, apelei pra usar tudo, e matei com uma Televisãozada na cara!

      Sobre armas... depois de ter a opção de pegar quase tudo do mapa pra jogar nos monstros, há mesmo a necessidade de "armas secretas"?? Eu dei uma pesquisada, pelo que entendi não há armas secretas no Origins... só um monte de roupas diferentes e um menu extra... mas as coisas liberam dependendo de quantas vezes e como você finaliza o jogo.

      Mas na real... Travis não precisa de armas... ele é o único em SH que se garante só com as mãos mesmo!

      Sobre a análise, fico feliz em ter servido pro Sr... compartilhar e auxiliar, eis meu objetivo sr Walter!

      See yah.

      Excluir
  11. Thank you brother,é acho q voce ta certo mesmo travis nao precisa de arma ele é muito bala na agulha pra precisar de arma,valeu pela resposta rapida tava precisando mesmo saber disso vlw irmao see you later

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. You're welcome sr!

      Travis é o personagem mais forte que já passeou por Silent Hill. Ele é um exemplo que deveria ser seguido, pena que, mesmo apadrinhando outros personagens (Alex), ele passa meio batido. Ele é também o terceiro personagem que mais apareceu em Silent Hill (Alessa > Harry > Travis) e poxa, é o único que causa mais medo nos monstros do que eles causam no jogador.

      See yah sr Walter!

      Excluir
  12. Ia esquecendo queria saber se deu uma explicada ainda melhor que esta sobre o valtiel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, na maioria das análises sobre SH eu menciono e explico um pouco Valtiel. Irei fazer uma análise geral sobre Silent Hill, falando de todos os spin-offs e também dos simbolos e de Valtiel. Pode demorar, visto que SH Arcade ta bugado pra mim (fica saindo do jogo, e ele não tem save point então a cada saida, tenho de reiniciar do zero... é triste.) Mas, irei fazer, após ter jogado cada um dos spin-offs (isso inclui The Escape e Book of Memories)

      Excluir
  13. Desde ja no aguardo sei que voce vai esclarecer tudo que quero saber ainda mais claramente do que nesta analise mais uma vez obrigado pelas respostas rapidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem se preocupe sr Walter. Estou prestes a tirar férias, e irei me dedicar muito a análises. Farei o máximo que der! E tentarei explicar o máximo que der.

      Excluir
  14. Finalizei o game hj 13/07/2016 muito boa análise ! vlw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sir Rave, bem vindo ao blog.

      Parabéns pelo game e obrigado por ler... fico feliz por ter curtido a análise.

      See yah! E repito: Bem vindo Sir Rave.

      Excluir
  15. Muito boa a análise. Show esclarece muita coisa. Mas a titulo de curiosidade: essas definições do porque da aparencia dos inimigos do jogo, tudo faz sentido. Isso é dedução sua ou coonseguiu em pesquisa? Por exemplo os bonecos de cabeça pra baixo, pareceu meio que uma interpretação pessoal sua. Foi ou não? Idem para as enfermeiras e o monstro cuspidor de acido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ter lido e ter curtido.

      Em resposta sr Hércules, toda a análise é de âmbito original e pessoal, inclusive e principalmente, a interpretação das criaturas. Eu até chego a pesquisar, na verdade eu me obrigo a pesquisar e buscar por todas as fontes possíveis com o intuito de encontrar teorias ou visões semelhantes, pra evitar ser repetitivo. As vezes, as ideias coincidem com o que observei, as vezes não (na maioria das vezes não). Então, tudo isso é interpretação pessoal minha. O mesmo vale pra história... tem gente que critica minha visão por ser diferente... mas tem gente que entende que uma visão diferente nada mais é que uma perspectiva nova.

      Bem, seja bem vindo ao blog.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+