PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

segunda-feira, 2 de junho de 2014

O Filme de Hoje: Dragon Ball Z - Batalha dos Deuses

Começo esse texto com um put4 cagaço, pois estou prestes a atravessar a linha que divide fans e pseudo fans... e eu me enquadro em "cara que gosta"... então... tentarei não pisar em ovos pois... gosto de ovos... ovo frito por exemplo... cozido com sal... de chocolate... bem... enfim... (sem frases sacanas referentes a órgãos genitais... meu irmão fez isso... aquele cocô)

Tentarei não me estender, é apenas uma opinião mesmo, a qual me surpreendi em ter chegado... pois isso contradiz tudo o que eu acreditava... mas enfim... que comece o show!



Antes de tudo, já aviso, terá spoiler... então cara, assiste o filme e depois lê... e se não quiser assistir o filme, você não sabe o que ta perdendo... mas saberá pois se ler isso aqui vai querer assistir de toda forma hehe... então... é isso.





Dragon Ball Z - Battle of Gods é um tapa na cara dos fans... sim... é um enorme e doloroso tapa na cara dos fans... talvez mais doloroso que o tapa que deus deu na Bulma!

Cara... isso vai ser difícil falar... então farei no estilo dissertação...

Já começo dizendo que tenho um enorme poster do Dragon Ball GT na minha parede, completo com figurinhas premiadas e tudo mais...

Não tenho ele por acaso, a saga GT é uma das minhas favoritas... e eu sempre curti os desenhos e a música e a temática e... bem... eu adoro ela.

Sempre defendi ela como minha favorita, pois achei a história bem incrível... e o final então, de abalar as estribeiras... porém reparei que um grande amigo meu, leitor de mangás, odiava ela e deixava claro que GT não fazia parte de DB. 

Eu achava comentários assim meio bobos, pois apesar de eu não ser leitor de mangás, eu acompanhei os animes e bem, eu não vi tanta diferença ou furos na saga GT a ponto de desqualifica-la como parte oficial da trama... pelo menos não havia visto, até hoje.

Hoje entendi exatamente o que meu amigo queria me mostrar...

DBZ GT não segue a mesma linha de raciocínio dos DB's anteriores... e isso ficou claro com o filme.

Aliás, quando digo que o filme deu um tapa na cara dos fans desavisados, é exatamente por isso. No filme é explicado que não é preciso ter um mal supremo e nem um vilão supremo e todo poderoso, ou um guerreiro herói que destrói todo mundo e supera até mesmo divindades... tudo que é preciso é... uma história.

A mensagem do filme é tão clara que, me deixou envergonhado. A saga GT não é o foco aqui, mas de toda forma, o filme foi tecnicamente uma contradição ao GT. 

Vamos por partes (ao menos o que eu sei... eu devo tar caminhando em peças de lego descalço aqui)

GT é um anime feito sem uma base no mangá. Em DB e DBZ, tudo que é apresentado é baseado no mangá original de DB, onde tem a saga Freeza, Cell e Majin Boo, além daquele período infantil. Agora tudo que acontece e é mostrado no GT é... original. Daí a reviravolta, pois apesar do GT ter tido apoio do criador do mangá, ele não foi completamente dirigido ou escrito por ele... teve retoques, ajuda no designe, algumas dicas pro roteiro, mas nada fazia parte do que o cara tinha criado, originalmente, em seu mangá. Daí dizem que foi uma saga feita por fans e para fans... mas foi uma saga detestada por aqueles que acompanhavam DB a risca, detalhadamente e dedicadamente. 

Eu não entendia isso, pois eu nunca fui de fanatismo. Nunca li 1 mangá se quer de DB, e acho que nunca li mangás... se não pela minha ex que me emprestava alguns mas... enfim... eu nem sei porque to escrevendo isso aqui, serei totalmente ignorado pelos entendedores... cara... como to com vergonha...

A história do GT é a seguinte:



Goku volta a ser criança pois um de seus inimigos do passado deseja isso pra esferas do dragão. Daí, as esferas se espalham pelo universo por terem sido utilizadas de mais e Goku não vê outra forma de recuperar sua forma normal, além de buscar pelas esferas num Grand Tour pelo universo, ao lado de sua neta e do filho de Vegeta. Durante sua viagem, Goku enfrenta inimigos bizarros de outras galaxias e acaba levando um inimigo novo para Terra, que acaba dominando tudo e quase acaba com todos. Mas é impedido, e as esferas são usadas, revelando outro inimigo, o próprio Dragão, corrompido. Após derrota-lo e mais umas bobagens, Goku se "funde" ao dragão, e se torna um deus, ao lado do grandioso dragão dos desejos, que some, levando consigo as esferas do dragão, pra todo o sempre. 

A história do filme é a seguinte:

Goku descobre que um deus da destruição existe e decide enfrenta-lo, em nome de seu orgulho de lutador. Ao topar com ele, toma uma surra e percebe que ele é forte de mais pra ele. Porém, o deus acaba querendo conhecer um tal "Deus Super Sayajin", visto em seus sonhos/premonições, que estaria destinado a enfrenta-lo. Esse deus então decide ir até a Terra para descobrir se algum dos 4 Sayajins de la sabe algo sobre o Deus Super Sayajin, pois Goku não sabia. Daí ele conhece Trunks, Goten, Gohan e Vegeta, e nenhum sabe nada sobre o tal deus. Tudo isso acontece em meio a festa de aniversário da rica Bulma. No final, o deus da destruição decide destruir a Terra pois Majin Boo não quis lhe dar Pudim (sim... é exatamente isso que tu leu) e ninguém consegue impedi-lo, pois ele é forte de mais. Daí Goku aparece e pede uma chance de achar o "deus super sayajin" pra ele. Ele então pega as 7 esferas do Dragão que estavam pra ser sorteadas juntas, como prêmio de um Bingo na festa da Bulma, e invoca Shenlong, que fica admirado pela presença do deus da destruição e responde ao pedido dele, contado como criar um Deus Super Sayajin. Ele explica que é preciso que 5 Super Sayajins ofereçam seu poder para um sexto, que se tornaria temporariamente um Deus Super Sayajin. Daí, Vegeta, Gohan, Goten, Trunks e Videl (grávida de Gohan) oferecem suas energias Super Sayajins para Goku, que vira um deus temporário e luta contra o deus da destruição. No meio da luta, a energia deus de Goku acaba porém ele mantém o poder, e descobre que absorveu a energia de deus e passou a ter a mesma como parte de si. Goku então reassume a forma Deus Super Sayajin e finaliza a luta, impedindo que uma bola de energia destrua a Terra e pedindo desculpas, além de desistir da luta. O deus da destruição então se torna amigo de Goku, e tudo termina bem, com um convite pra próxima festa de aniversário de Bulma e uma piscina de pudim.

Diferença gritante entre as histórias não? No filme, é mostrado e explicado que o Dragão dos Desejos não é onipotente, e não pode realizar qualquer desejo, muito menos é um "deus", contradizendo algo que foi mostrado no GT. Também é dito que ser um "deus" não significa ser onipotente, e que até mesmo "deuses" tem fraquezas e tem superiores. Algo legal é que o próprio deus da destruição conta pra Goku que há outros 7 iguais a ele, e pior, explica que há 12 universos diferentes, e muitos guerreiros bem mais poderosos que ele, incluindo seu mestre, aquele que durante o filme todo o acompanhou como um mero servo. É explicado que, poder não é tudo, e que até Goku é orgulhoso, mas orgulho também não é tudo. Vegeta mesmo abandona seu orgulho por nada. Humildade acaba sendo a característica principal de Goku, como sempre, e é isso que salva o dia. Nem tudo se resolve com destruição, o próprio Goku ensina isso. E no final, Goku mesmo vê que, não adianta ser o mais poderoso do universo, pois sempre terá alguém ainda mais forte. O importante é sempre lutar pra proteger aqueles que são importantes, e ai toda aquela vontade de lutar de Goku se esvai, fazendo com que o cara piradão por batalha desapareça e o rapaz heroico brilhe novamente. Goku vira um deus, mas ser deus não era seu objetivo, muito menos fim.

Enfim... é isso. Isso não é uma analise, nem crítica, é só um comentário em forma de postagem, à quem se interessar. Eu tive de assistir DBZ BdD pra poder continuar minha análise sobre DMC2, afinal queria ver se Goku realmente ficava ruivo quando virava Super Sayadin Deus, e ele fica mesmo... Ruivo e com menos massa muscular! (Se bem que ele não fica ruivo... fica com cabelo rosa... pif)... de que isso serve pra Devil May Cry 2????... bem... você verá na análise. 



Obrigado pela sua paciência... e se for fanboy de DB, perdão... eu não sou fan, apenas comentei ta. Te amo, e que Goku te proteja.






6 comentários:

  1. eu gostava de dragonball ate o picolo destruir a lua com um dedo,ai parei de ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca, tão cedo assim? Dê uma chance a DB... vale a pena assistir. E se puder, leia também. (Eu não li... mas reconheço o valor da leitura!)

      Excluir
  2. senhor morte voce e muito bom,por favor um dia faça uma super materia sobre os cavaleiros do zodiaco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, se você achou que essa matéria simples foi um exemplo do meu trabalho, me elogiando por ser "muito bom" imagina se eu me atrevesse a fazer uma "super matéria" sobre DBZ mesmo... seria incrível!

      Sobre CdZ... farei sim... eu era fanzão deles na infância mas... perdi isso por um acidente...

      Quando eu era mais jovem, o único anime que conhecia era CdZ, ao menos era o que eu mais aclamava. Um dia, um amigo meu comprou um almanaque dos Cavaleiros, e depois de lê-lo por inteiro, se considerou fan de carteirinha. Com o tempo, ele me envergonhava com seu conhecimento, fazendo eu me sentir um qualquer no meio de fans, pois ele sabia coisas que eu mesmo não sabia, e jogava na cara ao invés de compartilhar. Eu peguei raiva por CdZ então, e meio que passei a evitar.

      Mas... se um dia eu voltar a enxergar eles como antes... falo tudo o que puder ^^

      Se bem que eu não me atrevo a me aventurar pelo universo dos animes... é um espaço muito arriscado... entende?

      Excluir
  3. Bom eu gosto muito da saga db, acredito que a fase gt seja a pior por ser apenas um bando de inimigos enfilerados. Acho que a crítica que os fans fazem ao gt é justamente isso, enquanto no db e dbz existe sempre humor e o goku sendo infinitamente sem noção tornam as lutas mais interessantes.

    O gt não é ruim, as lutas são bem legais, porém a essência do db não é apenas luta.

    Enfim, o filme foi bom e ruim. Gostei da história e do humor apresentado, é bobo, e isso é db!

    A luta por outro lado não foi das mais épicas foi mediana poderia ter tido mais explosões rsrs.

    No fim até mesmo tem toda uma filosofia sobre egoismo, humildade, goku é humilde? O filme mostra um egoismo que a maioria dos fans nunca parou para pensar, no fim goku é só um tarado por lutas, No final sayajins são isso, e só isso mesmo.

    O filme trouxe uma bela abertura para novos filmes, talvez a luta não tão epica deste seja um preview do que vira num eventual próximo, ou não, vai saber =P

    By D. Criador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então... eu achei o filme ridículo... mas lembrei que esse era o motivo original do mesmo, ser relacionado ao DB.

      NA boa, o filme não teve lutas surreais e implacáveis pois, esse não era o objetivo. A raiz e alma de DB era, e lutas em si jamais fizeram parte disso. Você deixou muito claro isso em seu comentário.

      Vlw Dimar! E to com uma senhora saudade de ti... mas fico feliz por você ter voltado a participar do blog e claro, ter lembrado que eu existo.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+