PesquisaMorte:

ArquivoMorte

FeedMorte

CadastroMorte

Cadastre seu e-mail aqui:

Delivered by FeedBurner

segunda-feira, 23 de junho de 2014

AnáliseMorte: Devil May Cry 3 - Tudo o que você precisa saber sobre DMC3.


Aqui está a ilustre e irreverente análise de:

Devil May Cry 3: Dante's Awakening - Special Edition



Então prepare-se e boa leitura

SPOILER!

Spoiler, spoiler spoilado spoilando spoilers, spoiler spoiler spoiler spoilerado. Spoiler spoiler, "Spoiller" spoiler "Spoiler"? Spoiler spoilerinho spoiler, spoiler spoilerer, spoiler spoiller spoilerar spoiler. Spoiler Spoillers! Spoiler Spoiller.

Boa leitura...


Antes de começar, recomendo que você leia as análises de 

Bem, depois de falar do infeliz Devil May Cry 2 e do maravilhoso Devil May Cry 1, ta mais do que na hora de falar do 3, que tecnicamente é o melhor DMC já feito até os dias atuais.

Tudo nele é bom... exceto o fato do jogo possuir uma série de bugs chatos pra caramba na versão de PC, e certas irregularidades gráficas nas versões em geral... mas enfim...

A história é incrível, a jogabilidade é maravilhosa, a forma como a história é contada é perfeita e os gráficos são muito bons. O jogo é bom em tudo, mas antes de começar a falar de tudo, falarei de nada, ou seja, do que não é bom nele... (você entendeu? Eu não...)

Você pode pular essa parte em ROSA se quiser, não tem nada haver com a história do jogo mas sim com bugs.

Uma coisa que me incomodou bastante foi um bug esquisito de incompatibilidade ou sei la o que, dele no PC. O jogo fica com uma lentidão chata pra caramba durante o gameplay, perdendo fps sem razão alguma. 
Tenso que meu PC não é ruim e eu consigo inclusive rodar normalmente Devil May Cry 4, e DmC, porém o DMC3 tem esse bug... é muito estranho. 
Eu tentei várias formas de tirar esse bug, e acabei encontrando outros, como problema nos controles, gráfico brilhante de mais, e o problema da velocidade só persistiu. Eu até peguei um patch oficial da Capcom que prometia corrigir a incompatibilidade com os controles USB e também, tirar o erro de performance e gráfico. Ainda assim, não funcionou.
Daí eu vi dicas de pessoas que falavam para retirar os arquivos de som do jogo, na pasta Sound dentro do diretório onde ele estava instalado, mas percebi que essa solução, apesar de funcional, também prejudicava o game em si, fazendo com que ele perdesse o áudio das cutscenes e trilha sonora.
Daí reparei no seguinte: Ao retirar certos arquivos de áudio, a velocidade aumentava, mas só durante certas partes do próprio jogo. Sempre que uma nova música ou trilha sonora tocava (ou deveria tocar) a velocidade diminuía, e depois disso, tudo permanecia lento, mesmo se a música parasse. Mas, sempre que chegava numa parte pós CG, o jogo voltava a velocidade total. Ou seja, sempre que eu entrava num chefão, a velocidade normalizava. Porém, se por alguma razão eu perdesse a partida e tivesse de usar "continue", o jogo voltava lento, no próprio chefão.
Ai entendi qual era o problema: Por alguma razão, sempre que o jogo trocava o arquivo de áudio base, ele perdia em performance, tal qual não era recuperada até que o jogo carregasse novamente, como após um vídeo.
A solução que encontrei, que permitiu que eu jogasse tranquilamente num Win7, foi retirar arquivos de áudio pré selecionados. Eu olhei um por um e retirei a trilha sonora de fundo, as músicas de batalha (o rock padrão mesmo) e alguns efeitos sonoros que faziam o jogo perder velocidade. Eu mantive as músicas dos chefões e o áudio dos CG's, além de manter alguns efeitos como som de chuva e fogo. O resultado foi o jogo com pelo menos 80% da performance normalizada, mas ainda encontrei problemas em algumas partes onde não consegui localizar o áudio responsável pela lentidão. Pelo menos o jogo ficou jogável.
Se você não quiser ter problemas como esse, pode jogar a versão de PS2 ou de PS3/X-Box 360 em HD.
Mas que esse problema é chatinho, isso ele é.

Vamos ao que realmente interessa agora:

DMC 3 é um jogo no estilo Hack&Slash, onde matar os inimigos de forma rápida e combada é o foco principal. O protagonista tem a possibilidade de utilizar diferentes armas de curto e longo alcance, alternando entre elas para conseguir atacar de formas diferentes e adquirir uma pontuação maior no ranking.

Muitas coisas dos jogos anteriores foram mantidas, como os orbs e as muitas armas. A novidade ta nos "Estilos de Luta" onde Dante pode escolher qual arma vai se focar e habilitar movimentos próprios pra ela.

O DMC 3 tem duas versões, a original e a versão Special Edition. A diferença entre elas está na dificuldade, onde a primeira tem um nível maior de dificuldade e a segunda tem um tipo de "dlc" com Vergil, acrescentando um chefão novo e a jogabilidade com Vergil.

Nessa análise falarei da versão Special Edition e tentarei ser bem claro em tudo.

O jogo é dividido em capítulos, intitulados por "Missão N°" e são 20 capítulos na campanha principal.



Uma curiosidade boba é que sempre no inicio de uma fase, durante a CG, o número dela aparece, as vezes de forma bem clara e outras de forma meio subliminar. Mas de toda forma, sempre tem o número no inicio da missão. Quando eu for contar a história, aproveito pra mostrar os 20 números...

Cada missão é composta por batalhas, puzzles, caminhada e um (em alguns casos dois) chefão(ões).

A Batalha é aquele esquema clássico, onde você mete espadadas ou tiros em hordas de inimigos, fazendo jorrar sangue pra tudo quanto é canto.



Os puzzles são simples, e geralmente não demoram muito. São coisas bobas como fazer a luz chegar no espelho certo ou matar os monstros antes do tempo acabar...



Porém durante as fases há puzzles secretos, que são intitulados "Missão Secreta Nº". São puzzles mais difíceis e opcionais, e como prêmio dão Fragmentos de Orbs Azuis.


As caminhadas são partes comuns nos jogos, onde você tem de transitar entre as fases. Normalmente, os caminhos são limitados pois as portas ficam trancadas e é preciso coletar itens para abri-las, eliminar monstros ou realizar puzzles. Mas as vezes, tem portas livres e é possível se perder durante essa transição.



O Chefão é o lider da fase, que você precisa derrotar para prosseguir. A maioria dos chefões oferece como prêmio Orbs Vermelhos e uma habilidade ou arma nova.



Ou seja, nada mudou com relação ao primeiro jogo. Só que as coisas ficaram bem mais divertidas, pois tem uma interação muito mais dinâmica do protagonista.

Resumidamente, é assim que o jogo funciona, mas o melhor é a história.

Só que antes de falar da história, preciso explicar uma coisinha que é literalmente crucial pra se saber antes de tentar entender o enredo de forma perfeita.

Devil May Cry é um grande, um enorme, um gigantesco 
Telefone Sem Fio.


Tudo que é contado, é contado por outras pessoas, para outras pessoas, e nada é de fato mostrado. E isso faz uma bagunça tremenda.

Tem duas formas de se observar esse fato, falarei da forma técnica e depois, da forma lógica.

Técnica: Devil May Cry é uma sequência de jogos de diferentes "desenvolvedores" e não me refiro apenas ao novo DmC. Digo com relação a todos, pois todos foram feitos por equipes diferentes, logo, há muitos furos no enredo. Palavras trocadas, teorias diferentes, origem, fim, passado, futuro... tudo muda muito, e nem sempre o foco se mantém. Diferentes cabeças pensam diferente, exceto quando falamos do Cerberus. Daí, muitos detalhes podem não bater, se vistos de forma "literal"... e ai nasce uma de minhas teorias.

Lógica: Olhando pela história, se você jogou algum dmc e ouviu a história de Sparda por exemplo, deve ter reparado que ela não é mostrada graficamente, jogada, ou algo do tipo... ela é sempre narrada por alguém. Seja um cara de voz grossa ou uma mocinha fofa, sempre tem alguém narrando. Se você reparar, todas as histórias em DMC são contadas dessa mesma forma, por narrativa. É sempre alguém falando de algo que ouviu falar, ou que conheceu, ou que viu... mas nada é mostrado exatamente. Diferente da história principal, pois é ela que você joga. Você pode ter certeza, sempre, que aquilo que você joga é "real", pois você mesmo ta la de testemunha de que aquilo aconteceu. Porém, não pode-se falar o mesmo das histórias contadas por terceiros dentro do próprio jogo. São histórias, dentro da história principal, e nem tudo deve ser considerado literalmente. Ao tentar compreender Devil May Cry, você precisa se lembrar disso:

Acredite apenas no que você pode VER e JOGAR, e duvide bastante do que você apenas LER ou te CONTAREM, seja dentro ou fora do jogo.

Pensando assim, falarei dos personagens, inimigos e chefões, e com eles tentarei contar um pouco da história e curiosidades sobre eles.



Personagens



São poucos tecnicamente, apenas 4. Porém eles interagem tanto, e são tão profundos e com tanta personalidade, que não faz diferença alguma a quantidade e a história chega a ser enorme, mesmo sendo bem curta.



Dante




Ele é o protagonista. Aqui ele é apresentado como um ser meio humano e meio demônio (porém não é só isso). Ele é jovem, e acabou de abrir uma loja sem nome definido. Essa loja é um pequeno estabelecimento onde Dante pode ser contratado para caçar diferentes demônios.

Dante é bem tagarela e provocador. Gosta de tirar sarro dos inimigos e não leva eles a sério em momento algum.

É nesse jogo que é explicado como Dante obteve o Devil Trigger Definitivo, sendo esta sua forma mais forte e também mais demoníaca possível.




Dante nunca gostou de demônios, e mesmo sendo meio demônio, ele nunca quis assumir esse seu lado. Apesar disso, Dante já tinha seu lado demônio bem desenvolvido (por isso ele tem seus cabelos completamente brancos).

Dante é imortal, literalmente imortal. Ele seria um tipo de Wolverine sem garras, e sua habilidade de restauração é praticamente instantânea. Ele tem um enorme poder de invulnerabilidade, e mesmo quando ferido mortalmente, permanece ileso. 



O cara foi baleado na testa, nos dentes, perfurado com espada dos inimigos, perfurado com a própria espada, explodido, comido vivo, afogado, triturado num liquidificador, assaltado... e ainda assim permaneceu intacto.

Todo esse poder se deve ao seu lado demônio... ao menos é isso que os outros acham.

No jogo é contado uma coisa, mas a realidade é totalmente diferente.

Dante é filho de um cara chamado Sparda. Um demônio fodão que selou o inferno sozinho e depois selou seu próprio poder. Ao menos é isso que o pessoal espalha sobre ele.

A verdadeira história de Sparda permanece uma incógnita. O que houve com o corpo dele, ninguém sabe. O que se sabe é que seu poder realmente foi selado, e só é possível ter certeza disso pois alguém conseguiu por as mãos nesse poder. Falarei mais disso mais pra frente...



A questão é que, Dante não é apenas um demônio, muito menos um "mestiço imundo" como o vilão do jogo mesmo diz. Dante é ainda mais poderoso e puro que o próprio Sparda, e isso só é possível dizer pois, Dante da uma surra no poder do próprio pai, sem problema algum.

Demônios são imortais, e quando "morrem" o espírito deles é enviado pro inferno, onde é refinado, retrabalhado, convertido em energia ou restaurado em uma nova forma demoníaca. Ao menos é assim que a administração do inferno parece funcionar em DMC.

O que torna Dante tão especial assim a ponto de não ser enviado para o inferno quando "morre"é o seu lado humano, porém... Dante não é formado apenas por um lado demônio e um lado humano. Dante tem um lado Anjo em si também. Parte demônio, parte anjo, parte humano. Os filhos de Sparda são assim.

É possível afirmar isso pois o próprio Dante prova isso.

Diferente de um ser meio humano e meio demônio, Dante pode manter sua humanidade com perfeição, sem o mínimo esforço pra isso. Sua alma se mantém humana, mesmo ele ficando fisicamente idêntico a um demônio. E isso só é possível pois seu lado anjo não permite que sua pureza seja danificada. Bagunça né?!

Você vai entender tudinho no final, pois vai conhecer os detalhes da trama e talz, e entender como funciona a mitologia de DMC.

A mãe de Dante era um Anjo, em forma Humana. Sparda era um Demônio, em forma Humana. Ambos ficaram juntos e tiveram gêmeos. Porém... nem todos sabiam desses detalhes todos.

Alguns demônios sabiam que Sparda tinha se unido com uma humana. Outros sabiam que Sparda se uniu com um Anjo. Alguns sabiam que Sparda procriou com ela. Outros sabiam que Sparda teve gêmeos. Enfim, os demônios são péssimos fofoqueiros e a história nunca era passada com total fidelidade e detalhadamente.

Dante, em DMC, conhece sua história já. Ele sabe que é um Ser Superior Aos Demônios e que, apesar de ter um lado demônio, ele passa longe de ser apenas isso. Ainda assim, aqui ele é forçado a abraçar esse seu lado e desenvolver ele, tudo para superar seu irmão, que já havia feito isso anteriormente.

É ai que ele descobre sua forma Devil Trigger e passa a assumir sua forma de demônio sempre que fica bravinho.

Essa é a história de Dante aqui.



Lady





Ela é uma caçadora de demônios humana com heterocromia.

Ela é linda e fod4. Possuí uma perícia com Armas de Fogo exemplar, e suas aptidões físicas superam a própria física!



Aqui, ela aparece para uma missão paralela a de Dante, onde ela quer matar seu próprio pai, mas eu explicarei isso na história.


Ela se chamava Mary, porém renegou esse nome pois ele a fazia lembrar do que seu pai fez a sua mãe, e pior, esse era o nome que seu pai lhe deu, e ela tinha ódio dele.

Lady passou a se chamar assim pois Dante lhe rebatizou, durante um encontro que tiveram na missão onde se conheceram.




Lady odeia demônios por causa de seu pai, e se dedicou a profissão de caçadora para eliminar o mesmo mal que influenciou seu pai e destruiu sua família. Ela odeia todo tipo de demônio e pra ela não faz diferença se ele é parte humana ou não. Se é demônio, é demônio e merece ser morto! Ao menos é assim que ela pensa até conhecer Dante.

Quando ela conhece ele, de inicio tenta mata-lo... mas acaba sendo salva e ajudada por ele, e no final, descobre que nem todo demônio é ruim e que até um Demônio Pode Chorar (Devil May Cry), pois vê Dante chorando pelo que houve com seu irmão.


No final do jogo, Lady e Dante lutam lado a lado, literalmente, durante os créditos.

Ela consegue, no final, se vingar de seu pai, ajudar Dante a nomear sua loja, e ainda se torna a primeira sócia dele.

No jogo, ela é a narradora. Daí não da pra dar muita credibilidade a ela, afinal, o que ela sabe sobre a confusa história de Dante?! É bem curioso isso. No inicio do jogo, ela resume a história de Sparda e ao fundo, mostra a luta de Dante vs Vergil, onde Vergil fere mortalmente Dante no fim. Pela própria narrativa, é possível deduzir que Vergil mata Dante, mas na luta real, que ocorre durante o jogo, as coisas mudam de figura. Na realidade Vergil finca Dante com a espada de Dante (Rebellion), provocando sua ira e forçando ele a liberar o Devil Trigger. Na luta final entre eles, quem vence realmente é Dante. 



Viu o que eu disse la em cima? Não tem como acreditar nas explicações e histórias de Devil May Cry se você não ver com os próprios olhos. A galera distorce muito.



Vergil




Esse é tenso.

Vergil é irmão gêmeo idêntico de Dante, mas apesar disso, ele tem tudo de diferente. Ele é culto, intelectual, sério, metidão, egoísta e solitário. Enquanto Dante tem uma espada própria chamada "Rebellion", Vergil empunha uma chamada "Yamato". Ambas foram herdadas de seu pai, que por sua vez também tinha uma espada chamada "Fragmento de Poder", sendo este o objetivo final de Vergil durante esse jogo.



Ambos já lutaram lado a lado no passado, e inclusive a história desse jogo se passa 1 ano após o último encontro deles (esse encontro não é o mesmo de DmC 2013, é algum que eles tiveram posteriormente, que ainda não foi documentado).

Vergil tem exatamente o mesmo potencial de Dante, mas sua maior diferença está no fato dele adorar seu lado demônio e alimentar ele de todas as formas possíveis. Inclusive, o objetivo de Vergil aqui é desfazer o selo do poder de seu pai, e absorver o mesmo, se tornando ainda mais poderoso que seu irmão, ou qualquer outro ser que exista.

Ele não consegue isso, pois acaba sendo manipulado por um de seus "servos temporários" e traído, sendo forçado a ajudar Dante a impedir esse novo inimigo.

Vergil conheceu um cara numa biblioteca antiga, onde ele pesquisava sobre seu pai. Esse cara sugere uma forma de liberar e absorver o poder de Sparda, e isso atrai Vergil.





Ambos se aliam para desfazer o que Sparda fez, reabrir o portão do inferno e coletar seu poder. Eles invocam juntos o Temen-ni-gru, uma Torre demoníaca que serve como ponte entre o mundo dos demônios e o mundo humano, e onde o poder de Sparda havia sido selado.



A questão é que, Vergil acaba sendo traído no caminho e o cara que ele conheceu mostra sua verdadeira face e coleta o poder para si.

Vergil elimina esse demônio traíra junto com Dante, e depois tenta pegar o poder de Sparda para si, mas Dante o impede.

Ele então, por puro egoísmo, decide permanecer no inferno, só pra não entregar sua parte do poder de Eva, e lá, reencontra Mundus, com quem ele tenta lutar.

Vergil morre ai e só reaparece como Nelo Angelo, no futuro, lutando contra seu irmão, a mandos de Mundus.



Provavelmente, Vergil foi derrotado por Mundos, que foi pessoalmente recebe-lo no inferno. Depois dessa derrota, Vergil topou servir Mundus em troca de poder, e se converteu em Nelo Angelo.



Arkham




Esse é o vilãozão da vez. Ele foi o cara que contou a Vergil como desfazer o selo do poder de Sparda, ele quem fez Dante ir atrás de seu irmão, e foi ele quem fez Lady conhecer o paradeiro de seu pai, e caça-lo.

Aliás, ele era o pai de Lady, e também era heterocrômico. Quando ele assume sua forma demônio, ele também muda de personalidade, e de um cara sério e reservado, se torna um verdadeiro palhaço. Essa personalidade se chama Jester, mas falarei dela depois, junto com os demais inimigos.



Ele quem manipulou todos para acreditarem que estavam fazendo as coisas por conta própria, tudo para chegarem no local certo, na hora certa, enfraquecidos e vulneráveis, para que ele tomasse o poder de Sparda para si. 

Explicando melhor:

Arkham era um humano que se converteu num demônio. Ele sacrificou a própria esposa pra isso, resultando no ódio eterno de sua filha por ele. Apesar de ter se tornado um demônio, ele queria bem mais que isso, queria ser o mais poderoso demônio de todos os tempos, então, ele decidiu ir atrás do poder do lendário Sparda. 

Para isso, ele precisava quebrar o selo que o próprio Sparda havia feito em seu próprio poder e reclama-lo para si: Ele precisava da Espada de Sparda.

Para isso, eram necessários certos pré requisitos, como os Amuletos de Eva (para manipular a espada), o Sangue de Sparda (para quebrar o selo dela) e o Sangue Puro do Receptor do Poder (para provar a espada que aquele não era só um demônio qualquer e merecia seu poder). Ou seja, ele teria de ser Dante. (hehe)



Como ele não podia se transformar em Dante, ele manipulou o mesmo para chegar até a câmara selada do Temen-ni-gru (a Torre que ligava o Mundo Humano e o Mundo dos Demônios). Lá, ele fez Dante, Vergil e Lady lutarem entre si, e jorrar sangue de Sparda por toda parte. 

Ele conseguiu então, com ajuda de Vergil, pegar os 2 Amuletos de Eva, e com o sacrifício de sua filha, ele conseguiu o "Sangue Puro do Receptor" afinal, ela era uma boa pessoa, e tinha o sangue dele, fazendo com que Arkham fosse considerado o portador ideal do poder de Sparda.



Arkham acreditava que Sparda era o mais poderoso demônio de todos, porém os filhos dele eram superiores. 

Curiosamente, Arkham acreditava também que Sparda havia sacrificado sua esposa como forma de adquirir poder, e não foi assim que Eva teve seu fim. Arkham também achava que Dante e Vergil eram demônios impuros, pois tinham sangue de humano em suas veias, semelhante a ele, mas... também não era assim. 

A prova definitiva disso é que, Arkham morre baleado várias vezes na cabeça, pelas mãos de Lady. 

Dante também foi baleado na cabeça por Lady, e não morreu. Respondam essa ateus!



Entende quando eu digo que os demônios eram mal informados? A lenda de Sparda foi muito distorcida com o tempo, e ninguém conhecia os detalhes com precisão. Daí a confusão em determinar a origem de Dante e Vergil. Mas eles não são apenas humanos+demônios, e isso já estava evidente muito antes de DmC 2013 ser lançado (em DmC 2013, Dante é reconhecido oficialmente como um Nephilim, resultado da união de um Demôno e um Anjo.)

No próprio Devil May Cry 3 há referências disso.



Inimigos




Os Sete Infernos (Ceifadores)





São os monstros mais comuns do jogo, aparecendo praticamente toda hora.

Durante o jogo rola uma referência aos 7 pecados capitais e no final isso fica mais claro. Confesso que de inicio nem me liguei nesse detalhe, de que essa figura tão recorrente no jogo era na verdade uma dessas referências.

Na passagem final do jogo, o vilãozão usa 7 estátuas como Sinos dos 7 Pecados. Isso para anunciar o rompimento do selo e abrir o portão do inferno. Pois bem, esses monstros também são parte disso.

Eles foram invocados para dar suporte ao ritual de rompimento do selo de Sparda. Cada um deles é responsável pela punição de cada um dos sete pecados, e só aparecem para auxiliar no ritual. Eu só saquei isso porque dei uma olhada na Galeria do jogo, e la tem essa explicação, porque pra mim, eram apenas monstros estilosos com subgêneros.

Cada ceifador é formado de areia, pura areia materializada, e cada um possuí um poder ligeiramente ligado ao pecado do qual é responsável. Ah, a areia representa o tempo, e como são Carcereiros do Inferno, eles são formados pelo tempo do pecado. Pra cada pecado realizado, nasce um desses diabinhos... então manera ai blz.



Ceifador da Soberba (Orgulhoso)

Uma curiosidade que sempre tive foi a respeito dos sete pecados, e finalmente matarei essa curiosidade e ainda explicarei os monstros do jogo... como dizem: "Dois demônios com uma bazukada"



Soberba ou Orgulho é o pecado que nasce no momento que uma pessoa se acha melhor que outra, ou algo do tipo, por conta de algo que tem, fez ou é. Ser orgulhoso não é bem um pecado, porém exagerar nisso sim. Saber quando reconhecer os demais e não apenas a si próprio e também, respeitar as conquistas alheias é algo que todos precisam e devem fazer.



Esse demônio é responsável por punir pessoas que pecam dessa forma, exagerando no orgulho. Sabe uma curiosidade? Quando eles aparecem, estão para punir Dante, justamente pela forma como ele se porta em sua recém inaugurada loja. Ele é metidão, e até tira sarro de seu suposto cliente, só por se achar mesmo. Mas mesmo uma horda desses demônios não é capaz de dar conta do orgulhoso Dante.



Ceifador da Inveja (Azulão)



Inveja é quando uma pessoa deseja algo que outros possuem, mesmo não sendo merecedor disso, mas não apenas isso, ela também não consegue aceitar o fato de alguém ter algo que ela não tem, ou algo assim. Resumidamente é quando alguém se sente mal pelas conquistas dos demais, isso os afetando ou não.



Esse sentimento se torna um pecado quando é exagerado e extravagante de mais. Quando alguém joga na cara ou deixa claro que não está feliz porque alguém próximo conquistou algo, é pecado, pois deixa os demais infelizes, tristes, com sentimento de não reconhecimento. É sempre melhor parabenizar alguém pelo que conseguiu, do que chorar pelo que não se conseguiu. A conquista de alguns não deve ser vista como derrota dos outros, e sim reconhecida por ser uma vitória, e sempre devemos admirar o sucesso dos demais, não despreza-lo.



Eles aparecem dentro do chefão "Leviatã" e são os únicos que se materializam a partir da gosma do Leviatã. O que os caracterizam como "Ceifadores da Inveja" talvez seja isso, o fato de serem os únicos que não são formados por areia, e sim baba de demônio, talvez isso indique que eles são e buscam por ser diferentes dos outros, desprezando a forma como os outros são. (ser ou não ser, eis a questão - perdão) Também tem o fato deles estarem confinados dentro do corpo do Leviatã, diferente dos demais Ceifadores. Eles são os únicos que aparecem dentro do Leviatã e também são os únicos que não aparecem do lado de fora dele. São limitados a baba dele, por isso não tem como sair... tenso né?


Ceifador da Ira (Explosivo)



Ira é raiva extrema, quando alguém deseja a morte de todo mundo e quer ver o sangue jorrar, as vezes sem motivo algum. Na realidade é apenas uma evolução da Raiva somada ao Ódio.

Ira é um pecado pois é a forma mais agressiva de um sentimento negativo, e suas consequências são sempre desastrosas, gerando violência, acidentes, discórdia, conflitos, ou seja, coisas ruins que prejudicam a todos.



O Ceifador da Ira é o representante perfeito desse pecado, pois ele explode e destrói tudo que estiver ao alcance da explosão, e não apenas o oponente, ou aquele que o provocou. Ele explode ao receber ataques seguidos, vai ficando avermelhado o que insinua que ele esteja esquentando, ou se irritando ainda mais. A representação gráfica dele é perfeita, pois a bola que ele carrega, que resulta na explosão, simboliza a Ira materializada e as consequências que a mesma pode causar a todos, incluindo o responsável por ela.



Ceifador da Preguiça (Teleportador)

Preguiça dispensa apresentações. É quando alguém não tem força de vontade ou motivação pra fazer coisa alguma, evitando se esforçar pras coisas e em alguns casos, não fazendo absolutamente nada.



Esse sentimento se torna um pecado pelo fato de retardar a evolução da pessoa. Ficar parado e não fazer coisa alguma impede que a pessoa de desenvolva, aprenda, cresça, ou simplesmente viva. Alguém preguiçoso simplesmente não serve de nada, não é útil nem traz nada de útil pra ninguém, muito menos pra si, e isso é algo ruim e errado pra qualquer um.


Essa vai doer.
O demônio que ferra com os preguiçosos é feito por areia também, e usa de Teletransporte como sua arma. Eis a referência ao pecado. Ele não anda, quase não anda alias, e pra chegar ao alvo ele opta por teleportar ao invés de caminhar. Preguiçoso até mesmo pra isso. Seus ataques também são mais lentos e ele é bem lerdo pra isso, até mesmo quando teleporta, ele demora um pouco pra reaparecer. Um preguiçoso nato.




Ceifador da Avareza (Coveiro)

Avareza é quando alguém evita ao máximo abrir mão de algo, e valoriza muito seus bens materiais ou qualquer coisa de extrema importância pra ela.



Quando extrapola e a pessoa acaba valorizando de forma excessiva seus bens, não se desapegando de forma alguma e acreditando que caso o faça seria uma catástrofe, se torna um pecado, pois acaba prendendo a pessoa a coisas que podem ser ou não valiosas de fato, impossibilitando a mesma de compartilhar ou apenas, se libertar. Pessoas avarentas se tornam gananciosas com o tempo, e passam a evitar até mesmo outras pessoas, só pra manter aquilo que possuem, acreditando que os demais podem querer rouba-lo ou tirar aquilo que presam.



O Ceifador da Avareza carrega consigo um caixão, do qual jamais se desapega de forma alguma. ele usa o mesmo como arma e invoca diferentes Ceifadores para lutarem em seu lugar. O fato dele ter esse acessório fixo é o que representa seu pecado. Seu amado caixão.



Ceifador da Gula (Cuspidor de Areia)




Gula é um pecado bem popular. É quando alguém come de forma exagerada e descontrolada, mesmo sem estar com fome.

A gula em si não é bem um pecado, apesar de ser prejudicial pra saúde do infeliz. O pecado está no fato da pessoa querer tudo para si, precisando disso ou não, de forma totalmente egoísta.



O demônio da Gula é magro, e eu jamais repararia no significado dele, se considerasse apenas o físico. Mas sua referência está em seu ataque. Os Ceifadores são em sua maioria compostos de Areia. O Ceifador da Gula é o único que quando ataca suga toda a areia ao redor e dispara num único sopro. Esse ato, de sugar o que o cerca é o que o liga à gula.



Ceifador da Luxúria (Laranjinha)




Luxúria é o pecado da paixão. Seria o ato de querer e desejar o lado vulgar da vida, de forma excessiva. Buscar ao máximo por prazer carnal e lazer sexual, estimulando isso com tudo que tiver ao seu alcance.




Dentre os pecados capitais, este é o principal, pois serve de porta para os demais. Sua base é desvirtuar a pessoa e torna-la aberta aos demais pecados. Conheço bem esse maldito, foi o que destruiu boa parte da minha... então... esse pecado é uma merd4. Luxúria é algo ruim pois torna a pessoa insaciável, e com isso ela vai causando mal para si e para os demais. Ela passa a pensar somente em si, e em seus próprios prazeres, e ignora o que outros podem sentir ou pensar com relação a isso. Quando ao extremo, isso faz com que a pessoa se desapegue completamente dos demais e se torne solitária, não importa qual prazer que ela alimente, pois a real paixão que ela deveria sentir se vai junto com aqueles que ela abandonou. No fim, ela consegue causar ainda mais mal para si, e só se destrói e corrompe com o tempo, cada vez mais.



O demônio da Luxúria é o mais estiloso dentre todos. Ele também ataca Dante logo de inicio, justamente pela forma "luxuosa" que ele vive. Esse é o demônio que tem menos referências ao seu pecado, resumindo tudo a sua aparência física. 



Apesar disso, ele é tecnicamente o mais forte dentre todos, ressaltando talvez o fato de ser o ceifador do pecado principal. Ele também é o mais ágil e habilidoso dentre todos, realizando investidas mortais e esquivando com facilidade de ataques.


Além dos 7 Capitais, há 2 inimigos de gênero bem semelhante, mas que não fazem parte do mesmo significado deles.



Abyss (Ceifador de Sangue)





Esse é um tipo de Carcereiro do Inferno responsável por condenar grandes guerreiros. Eles são poderosos e ficam na região mais profunda do inferno.



Eles só aparecem depois que Arkham abre o portão do inferno, justamente para caçar e eliminar Dante, por se enquadrar no padrão de "grande guerreiro".

São formados a partir de sangue de guerreiros, por essa razão são extremamente resistentes e mortais.


Vanguardice do Inferno (Ceifador da Morte)


Esse é um "quase chefe", de tão forte que é. Tecnicamente é o primeiro chefe do jogo, apesar de não ser exatamente isso. Mais pra frente durante o game, ele reaparece e tem até um puzzle onde é necessário enfrentar 2 dele ao mesmo tempo.



Há poucos como ele, mas há mais de um. Vergil mesmo estraçalha um deles em questão de segundos, apesar dele servi-lo. Ele é forte, rápido, teletransporta, faz investidas, contra-ataca, enfim, ele tem muitos poderes diferentes, todos para facilitar sua missão.

Esse monstro é um tipo de coletor de almas do inferno. Ele leva as almas em geral, não importando seu pecado ou penitência. Qualquer alma que não consiga ser capturada e condenada pelos seus serviçais (os demais ceifadores) é encaminhada pra ele. Agora, se ele não conseguir, daí ele corre pro Vergil e começa a chorar até ser fatiado.



Enigma (Estátua Arqueira)




Esse é um demônio que se forma a partir de estátuas de metal. 



Ele ganha vida e as contorce, transformando-as em um bicho bizarro que dispara lanças de energia explosivas.



Essas coisas não passam disso, armaduras decorativas vivas, ou melhor, possuídas por demônios que servem quem quer que tenha invocado Temen-ni-gru.



Gigapede (Centopeia Mutante do Capeta)


Esse também é tecnicamente um chefão, mas não chega literalmente a se enquadrar nesse padrão, pois mais pra frente descobre-se qual seu real significado.



Essa coisa nada mais é que um verme parasita que perambulava no corpo de um demônio poderoso. Pode-se dizer que faz parte dele, mas nada além disso. 



Não da pra garantir se essa coisa é racional, e provavelmente não é, sendo apenas um parasita diabólico enorme de um ser diabólico mais enorme ainda.



Ambos são demônios serviçais da mesma dimensão onde a Torre de Temen-ni-gru estava escondida, antes de ser invocada para o ritual, e eles foram invocados junto com ela.





Sángrola-BloodGoyle 

(Morcegos-Passarinhos de Sangue Gigantes Que Viram Pedra)




Esses demônios são a manifestação do poder diabólico de Jester. Eles são formados a partir de sangue, que por sua vez se petrifica e materializa em um ser voador, reassumindo o sangue como matéria abundante.



Legal desses inimigos é que eles não podem ser abatidos com lâminas. Caso cortados, eles se reproduzem, tipo mitose mesmo. Cada metade dá forma a um novo ser de sangue, e por ai vai.



Eles só podem ser derrotados caso sejam revertidos para a forma de estátua, e em seguida quebrados.





Aracne (Aranhas Mulher)



Esses são demônios que habitavam o Temen-ni-gru. Tem dois tipos, três se contar os filhotinhos, e só aparecem próximo de seus ninhos.



Elas não parecem ser demônios racionais e, diferente dos demais, parecem apenas defender seu espaço na torre. Apesar disso, elas são chatas e fortes, e atrapalham Dante pra caramba, querendo ou não.



Uma curiosidade, é que em seus ninhos, há seres humanoides pendurados e enrolados em teias ao fundo...



Pois bem, esses seres podem ser humanos, ou outros demônios, o que levanta a dúvida de se elas trabalhavam para o invocador da torre ou apenas viviam la mesmo.




Dullahan (Serra Moribunda)


Esses são demônios que possuíram armaduras de batalha, dentro da Torre. Tem poucos e eles são muito mais defensivos do que ofensivos.



Aparentemente, também são demônios meio burros, e não sabem se defender muito bem. São lerdos pra se virar e carregam um enorme escudo giratório. Eles levam esse escudo à frente, sendo que seus pontos fracos ficam atrás... mas... na cabeça deles (que eles não tem) isso parece ser a forma certa de se defender.



Soul Eater (Fumaça)



Esse é um demônio fraco e bem oportunista.





Ele é um monte de fumaça que toma forma quando Dante fica de costas e ataca por traz.




Como o nome sugere, eles são demônios que se alimentam de almas. Diferente de outros que condenam e se divertem torturando almas, ou vivem pra isso, esse demônio de categoria menor devora almas pra sobreviver, mas por não possuir uma forma física distinta, sendo apenas um bicho flutuante com tentáculos, ele busca por oportunidades e almas fracas pra atacar... por isso ataca apenas quando estão de costas.



O Caído/Corrupto (Anjo Bocão)



Um demônio sagrado. Demônios desse tipo tem uma enorme semelhança com anjos, o porém deles é que são demônios apesar de tudo, e como demônios eles são malvadinhos.



Eles tem penas brancas e brilham muito, além de usar ataques sagrados como arma principal. Surgem depois que o selo de Sparda é rompido, sugerindo que sejam demônios "guardiões". O fato de usarem ataques sagrados sugere que eles usam seus poderes para ferir outros demônios, logo, são como guardiões do inferno, literalmente, responsáveis por controlar a entrada e saída do mesmo... ou algo assim.



O nome deles também sugere que sejam anjos que se converteram em demônios, daí a nomenclatura de "Corrupto", mas em suas descrições, diz que são demônios que levaram almas inocentes e se converteram num tipo corrompido de ser. Eles choram sangue enquanto lutam, e são como fantasmas, atravessando objetos e paredes.



Xadrez Maldito


Esse é o tipo de demônio mais estúpido do jogo. Apesar disso, também é o mais criativo.




São peças de xadrez vivas, ou melhor, peças de xadrez possuídas.

Foram criadas por Jester, e simbolizam a estratégia dele com relação a Dante, Vergil e Lady.

O jogo do cara foi lindo, como em uma partida de xadrez, e essas peças nasceram a partir daí. Grandes estátuas na forma de peças de xadrez diferentes, que ganharam vida a partir do mal gerado por Jester (pareceu Silent Hill agora... perdão)

Demônios podem criar outros demônios espalhando seu próprio mal, e é isso que acontece com essas pecinhas.

Cada peça domina um ou dois movimentos característicos da peça em que se baseia. Todas elas aparecem, e o melhor momento delas é no final do jogo, onde Dante precisa enfrentar um tabuleiro inteiro, estilo Harry Potter. Legal desse tabuleiro é que, as coisas funcionam como em uma partida de xadrez real. Ao menos algumas coisas funcionam assim.



Só tem Dante de um lado e ele é livre pra perambular pelo tabuleiro, mas o time oponente, composto pelas 16 peças de xadrez (8 peões, 2 torres, 2 bispos, 2 cavalos, 1 rainha e 1 rei) se movimenta de forma limitada, no inicio. Os peões se movimentam primeiro, e um de cada vez. Eles buscam ir até o outro lado do tabuleiro, e caso cheguem, se convertem em outras peças de patamar maior. É realmente bem dinâmico. As demais peças passam a se mover depois, e ai vira uma bagunça, com demônio indo e vindo no tabuleiro. Rola até roque.

No fim, o tabuleiro inteiro é derrotado caso o Rei seja destruído, mas também é possível destruir tudo e depois se livrar do rei, apesar de demorar mais.


São 6 tipos de peças, então acho que vale a pena falar de cada uma:



Peão Maldito


Inspirado na peça "Peão", ele se movimenta um passo por vez. Eles carregam duas espadas e seu ataque é um corte duplo frontal, e a cada passo que dão, petrificam. (baseado no movimento limitado dos peões, que é avançar uma casa por vez, em linha reta)

Cavalo Maldito


Inspirado na peça "Cavalo", ele se movimenta saltando, exatamente como a peça. Seus ataques são uma chifrada do mal e o salto em si (baseado no salto "L" dos cavalos em xadrez)

Bispo Maldito



Inspirado na peça "Bispo", ele não se move muito, e usa magias de fogo explosivas que se espalham por todas as direções diagonais (baseado no movimento do bispo, que é andar em qualquer direção, sem limite de casas, desde que seja na diagonal)

Torre Maldita


Inspirada na peça "Torre", ela também não costuma se mover muito, ao invés disso, ela lança lasers pras quatro direções, em linha reta (baseado no movimento da Torre, que é andar em qualquer direção, sem limite de casas, desde que seja em linha reta)

Rainha Maldita



Inspirada na peça "Rainha", ela tem a habilidade de dar investidas em qualquer direção, além de soltar lasers pra qualquer direção, diagonal ou linha reta, porém apenas uma por vez (baseado no movimento da rainha, que consiste em imitar a torre e o bispo, ou seja, se mover por todo o tabuleiro, sem limitação)

Rei Maldito



Inspirado na peça "Rei", ele não se move muito, mas tem a habilidade defensiva de lançar lasers pra todas as direções. Quando próximo a uma Torre, ele também pode teleportar pro lugar dela, e vice versa (baseado nos movimentos do rei, que são os mesmos da rainha, limitado com o número de casas que o peão pode avançar, e a jogada roque)



Chefões



Esses inimigos são os "líderes de fase" que surgem como oponentes ao final da maioria das missões.

Cada chefe libera uma arma ou estilo de luta ao ser derrotado, que aumenta as possibilidades de combos e dinâmica do jogo.

A maioria deles foi presa em Temen-ni-gru por Sparda, selados como "Guardiões do Selo", forçados a defender a Torre contra qualquer invasor que queira romper o selo. Nenhum deles é "leal" a Sparda, porém o cara os condenou a essa servidão eterna, presos na torre pra todo o sempre, como uma prisão mesmo.



Cerberus



Famoso cão de três cabeças porteiro do Tártaro, pertencente a mitologia grega. Pois bem, aqui ele é composto de Gelo e se encontra todo acorrentado no portão principal da Torre, servindo como porteiro da Torre.


Tirei algumas fotos pelo gameplay do Vergil, ficaram legais então, botei elas ok. Vergil tem muito estilo.
Apesar de ser um cachorro (faro aguçado) com três cabeças (faro aguçado vezes 3) ele não foi capaz de identificar Dante de cara, nem de perceber a semelhança do odor dele com o de Sparda, chamando ele inclusive de "mero humano" no inicio da luta. Provavelmente isso se deve ao fato de Cerberus ter perdido o olfato de suas três cabeças por conta da grossa e fria camada de gelo por sobre todo seu corpo. 



Quem congelou o infeliz foi o próprio Sparda, facilitando seu aprisionamento, afinal ele estava acostumado a viver nos portões aquecidos do Tártaro



Ao ser derrotado, Cerberus se transforma em um muchacho de 3 pontas, que manipula o gelo, e passa a servir Dante em sua aventura.




Agni & Rudra




Ambos são pertencentes a Mitologia Hindu, sendo Rudra o deus da tempestade e Agni o deus do fogo.


Aqui, ambos são apenas espadas, brandidas por corpos de demônios gêmeos, de elementos diferentes (vento e fogo). As espadas formam suas cabeças que ficam conversando entre si. Foram forçados a guardar um dos portões centrais da Torre, por Sparda, numa sala trancada.




Durante a luta, Dante força ambos a lutarem acidentalmente um contra o outro, fazendo com que seus elementos se choquem e ambos sejam derrotados ao mesmo tempo. Se Dante por alguma razão derrotasse qualquer um deles individualmente, o corpo remanescente pegaria a espada do corpo destruído e manipularia ambas sozinho. Isso é uma referência aos deuses Hindu em que esses demônios se basearam, pois os mesmos possuíam duas cabeças (ao menos Agni tinha).

Perdão, na hora de printar o Vergil não deixou eles se unirem e matou ambos ao mesmo tempo, enfiando a cabeça de um na região mais delicada do outro... tenso né...
Ao serem derrotados, ambos imploram para servir Dante, que consideraram digno de brandi-los, mas Dante deixa claro que só o faria caso eles calassem a boa, e assim eles fazem (da forma mais hilária possível).




Leviatã




Este é um monstro mitológico que habita o fundo dos oceanos.



Aqui, Leviatã está longe das águas. Ele foi preso por Sparda e condenado a vagar ao redor da Torre, flutuando, dando eternas voltas e voltas na mesma. Esse demônio foi separado de seu habitat e forçado a defender a Torre e o Selo de Sparda, comprovando que Sparda era um cara perverso com relação a seus inimigos.



Ele não é apenas um dos chefes, ele é uma fase inteira. Dante é engolido por ele ao brincar com seus novos poderes, e para tentar sair, acaba atacando o coração dele, que por sua vez é o "chefe" em si.




Ao derrotar Leviatã, Dante não ganha nada, além de sua liberdade e um belo banho de sangue.




Nevan




Ela é um demônio fêmea (por isso possui cabelos ruivos) e é formada por morcegos elétricos.




Ela também foi aprisionada por Sparda na torre, em um quarto escondido atrás de uma cachoeira, forçada a guardar um dos itens necessários para abrir caminho até o Selo de Sparda.



Nevan paquera Dante, e literalmente da em cima dele, até ele perceber que ela estava sugando sua vida e metesse uma bala em sua barriga.



Nevan é um tipo de demônio vampiro, que suga a energia dos demais para si, porém não chega a ser uma Succubus, pois suga a energia da alma, não do corpo.



Ao ser morta, Nevan se converte em uma guitarra que invoca os mesmos morcegos da qual ela era formada. Essa guitarra pode ser usada como arma por Dante, e é uma das armas mais legais do jogo.



Beowolf





Esse demônio se baseia em um herói da mitologia nórdica de mesmo nome.



Ele é um dos demônios do tipo sagrado, e é cego de um dos olhos. Sparda o cegou, e o confinou na torre, cercando-o de lava num verdadeiro inferno isolado. Mesmo sendo capaz de voar, ele não podia suportar grandes temperaturas por muito tempo, logo, ele se via forçado a permanecer em sua câmara de isolamento, semeando o ódio por Sparda com o tempo.



Ele guardava um dos itens para desfazer o selo de Sparda, e quando Dante aparece para pega-lo, ele o ataca, identificando o mesmo pelo cheiro, como filho de Sparda. Dante o cega completamente, cortando seu outro olho, porém o permite que viva e fuja.

Beowolf reaparece depois, fora de sua câmara de isolamento (pois havia sido libertado por Dante na batalha) e ataca Vergil, só pelo cheiro.



Vergil o surpreende pois o mesmo descobre pouco antes de morrer que aquele não era o mesmo filho de Sparda que o havia cegado. Vergil o decapita e suga sua energia demoníaca, gerando Manoplas e Grevas carregadas com poder sagrado.



Geryon




Tentando entender o que é esse demônio, descobri que ele é: Um cavalo numa carruagem demoníaca capaz de manipular o tempo. Ele não fala, indicando que não seja racional, e ataca outros demônios, comprovando essa teoria.



Apesar disso, ele é um chefe, e é forte pra caramba, tecnicamente um dos mais fortes. Ainda assim, eu não entendi  o que ele é ou o que ele representa, e por mais que me esforce, ainda não consigo entender.

Devil May Cry é meio que inspirado na "Divina Comédia", e mesmo pesquisando por ela, a descrição de Geryon não bate com a mostrada no jogo. 

Por curiosidade e sem confiar nas descrições que encontrei pela internet, decidi ler por conta própria a Divina Comédia de Dante Alighieri, e nela procurar a real aparência e significado de Geryon. Pois bem, no livro, ele é descrito da seguinte forma:


(...)A fera que, com sua afiada cauda, trespassa as montanhas e derruba as muralhas e as armas; (...) A benigna aparencia de seu rosto parecia a de um homem justo; o resto do corpo era de um dragão. viam-se as patas peludas até a anca; as costas, o peito, a ilharga, eram pintados com laços e escudos.(...)A espantosa fera se apoiava na borda de pedra que cingia o areal, sacudindo a cauda no ar e erguendo o venenoso dardo, que, como o do escorpião, tinha apontado(...)


Em suas descrições da internet, pelo que entendi, ele é um guerreiro cheio de membros e formado por vários "corpos" inteiros, sombras, cabeças, e por ai vai. Ainda assim, ele é descrito como um guerreiro. E esse chefe não tem cara de guerreiro, tem cara de um cavalo fantasma puxando uma carruagem fantasma.

Pela descrição do livro, acima citada, não fica algo tão diferente disso... seria um monstro com cabeça de homem, corpo de dragão, pernas peludas e cauda gigante, com um ferrão na ponta, além de ter sobre o enorme corpo um monte de armaduras e vestes diferentes, de guerreiros diferentes. Tudo haver com o Geryon do jogo né? A referência do Geryon do jogo e do poema é o fato dele servir de montaria, alias, de transporte mesmo, para Dante (personagem da obra literária) e Vergillio (guia de Dante na obra). Ambos montam nas costas desse monstro, que os leva para mais fundo no Inferno, em questão de segundos. Daí, um Cavalo Fantasma Em Chamas Com Uma Carruagem Infernal Que Manipula O Tempo se refere a esse monstro, pela forma que ele serviu Dante em sua jornada pelo Inferno, daí a aparência evidentemente diferente. Um monstro enorme e rápido que serve de transporte. 



Ainda assim, ele luta num Coliseu escondido na Torre, após dequstruir uma ponte na qual ele estava preso, confinado num lapso temporal eterno, rompido acidentalmente por Dante. Explicando: Sparda o trancou nessa ponte, usando seu próprio poder contra ele, forçando-o a cavalgar nessa mesma ponte, através do tempo e espaço, pra todo o sempre. Porém, quando Dante chega, ele acaba atacando Geryon, fazendo com que ele pare de correr, desfazendo o trabalho de Sparda e permitindo que Geryon destruísse a ponte e se libertasse. Porém Dante termina o trabalho, e após enfrenta-lo numa câmara semelhante ao Coliseu, ele absorve sua alma e desenvolve um estilo de luta novo.


Dante aprende o estilo do Tempo, conseguindo diminuir a velocidade do tempo quando usando esse estilo.






Doppelganger




Ele é um demônio chefe que assume a forma física completa e perfeita de seus rivais. 



Ele é formado por sombras, ao menos sua forma física se baseia em uma conversão de luz e sombra, permitindo que ele assuma a forma que quiser.



Ele também é um dos demônios selados por Sparda, em uma Câmara de Luz numa brecha temporal, no topo da Torre. Quando o selo é rompido, essa brecha se rompe junto, fazendo com que as luzes da câmara se apaguem e Doppelganter se liberte, ao menos retorne a escuridão. Apesar disso, antes que ele escape de vez, Dante entra nessa brecha e o enfrenta, re-iluminando a sala e por fim, absorvendo a alma dele, desenvolvendo um estilo de luta onde sua Sombra ganha forma física e luta ao seu lado.



Dante aprende o Estilo Doppelganger no final dessa luta, ganhando a habilidade de invocar um Kagebushin-no-jutso.



Vergil







O irmão gêmeo de Dante, é um dos chefes recorrentes do jogo.

Dante o enfrenta 3 vezes durante o jogo. Na primeira, Dante luta com ele no topo da torre, antes do selo ser rompido. Nessa luta, o Amuleto de Eva é tomado de Dante por Vergil, que em seguida o finca com a Rebellion, forçando ele a liberar o Devil Trigger. Vergil escapa então para desfazer o Selo de Sparda.



A segunda vez, Dante o encontra na câmara de selamento, onde o ritual para desfazer o mesmo já tinha sido iniciado, os amuletos de Eva já tinham sido mergulhados numa poça de sangue de Vergil, faltando apenas o sangue de Dante como oferenda (ao menos era isso que Vergil achava). 



Vergil usa as Manoplas de Beowulf como arma, mas durante essa luta, Lady aparece, rola pancadaria pra todo lado, e no final, Arkham se revela e aproveita a forma enfraquecida de Vergil, Dante e Lady para por seus planos em prática e desfazer o selo por conta própria. Vergil é jogado pra longe e perde as manoplas, que são recuperadas por Dante.

A terceira vez é no final, onde Vergil, empunhando a Espada de Sparda, decide reclamar o poder da mesma, porém pra isso ele precisava da outra metade do Amuleto de Eva, que pertencia a Dante. 



Durante a luta de ambos, dentro do portão do inferno, Dante derrota Vergil, que fica bravinho e decide levar a Espada de Sparda junto com ele pro Submundo, e o Amuleto de Eva dele também, pois era dele. Vergil se joga no abismo do inferno e posteriormente, é recebido por Mundus, com quem ele luta e ai você já sabe a história.



Lady



A mocinha dos olhos coloridos também é um dos chefes do jogo, mas é muito fraquinha, pois não tem poderes mágicos nem nada do tipo, e apesar de ser um terror no manuseio de armas de fogo, ela fica parando pra carregar e tem um arsenal limitado, além de ter de competir com ninguém mais ninguém menos que Dante.



Lady enfrenta Dante, mas só porque o mesmo não queria deixar que ela subisse a torre para enfrentar seu pai. Ela não queria que ninguém interferisse nisso, alegando que era assunto de família, porém ela não tinha poder suficiente para enfrentar Sparda, e Arkham estava com o poder de Sparda.

Lady acaba perdendo pra Dante, e aceita o fato dele completar a missão sozinho. Daí, Lady entrega sua bazuka (com o nome Kalina Ann, nome de sua mãe) para auxilia-lo, e pede para que Dante use-a param atar Arkham em seu nome.



Jester




Esse é o Arkham em sua forma demoníaca comum. Quando ele fica assim, ele vira literalmente um palhaço e sua personalidade fica totalmente diferente.



Ele aparece várias vezes no caminho de Dante, as vezes ajudando-o, as vezes atrapalhando-o. Tem vezes até que ele o enfrenta. Mas sempre foge no final.



Jester na verdade estava pondo em prática a estratégia de Arkham pra tomar o controle do ritual de Sparda. Ele estava monitorando os passos de Lady, Vergil e Dante, tomando cuidado para que nenhum deles morresse ou se perdesse no caminho até a câmara de selamento de Sparda. Ele precisava que eles chegassem vivos até la, porém enfraquecidos, para que ele os derrubasse e tomasse o controle de tudo a força.



De certa forma, ele usou todo mundo para libertar o poder de Sparda. Ele precisava dos Amuletos de Eva para manusear a Espada de Sparda, precisava do Sangue de Vergil e Dante para mostrar que era um herdeiro de Sparda que estava rompendo o selo, e precisava do sangue de sua filha, Lady, para mostrar que era uma entidade de alma Pura que queria tal poder. Tudo isso para que ele mesmo pegasse todo o poder de Sparda para si e se convertesse num "deus".

Jester morre no momento que Arkham se torna Sparda. Arkham não se torna exatamente Sparda, mas ele assume a forma do mesmo por um tempo, abandonando a forma de Jester.



Arkham




Quando ele libera todo o poder de Sparda, sua forma física é completamente corrompida e não suporta o mesmo, liberando uma forma composta de pura energia de Sparda. Essa forma é o último chefe (antes de Vergil)




Arkham vira essa coisa e é derrotado por Dante junto com Vergil.




Ambos se unem na batalha contra ele, relembrando os velhos tempos (como ambos citam).


Eles falam juntos "Jeckpot" como um tipo de saudação quando atiram ao mesmo tempo. Parece ser uma frase que eles usaram no passado para um movimento semelhante.


Mas no final, Vergil tenta pegar o poder para si e acaba lutando contra seu irmão.


Agora, pra que você entenda tudo e junte os pontos, vou contar a história do jogo. É aqui que o spoiler mora.




História




Missão 1

A missão 1 é marcada na caixa da pizza que Dante está comendo no inicio do jogo.
O jogo começa com Dante sentado em sua recém inaugurada loja, quando um homem entra e o convida para uma festa em nome de Vergil.

Após esse convite, a loja de Dante é atacada por uma série de demônios e o homem estranho desaparece. Dante da uma surra em todos, e fica nervoso pela sua pizza perdida, saindo às pressas para encontrar seu irmão.


Missão 2

A missão 2 é marcada numa placa do lado de fora da loja de Dante, pouco antes da loja desabar.

Ai sair de sua loja, a mesma desaba após um espirro dele, deixando-o irado. Ele enfrenta os demônios de Vergil e então observa uma torre enorme surgir do chão, devastando toda a cidade.


Dante percebe que aquilo é trabalho de Vergil e então o provoca, partindo em direção a torre.


Vergil então papeia com seu serviçal, Arkham, sobre a construção que ele invocou, o "Temen-ni-gru", sendo esta a Ponte entre o mundo dos humanos e o mundo dos demônios, onde Sparda selou seu poder.


Vergil então mostra que não ta nem ai pro que essa construção oferece, e que sua prioridade é o Poder de Sparda.


Lady então aparece, também convidada para adentrar a festa.


Missão 3

A missão 3 é marcada com a tocha que a moto de Lady solta nos corpos dos demônios, que caem e queimam no chão.

Dante encontra Cerberus, guardando o portão de entrada da Torre, e luta contra ele.


Após derrota-lo, Dante é atacado por Lady que aproveita a situação pra invadir a Torre.


Ele começa a subir a torre então, por dentro, e descobre que tem de coletar uma série de artefatos para prosseguir e abrir as diferentes portas da Torre.

Missão 4

A missão 4 é marcada por um pedaço de pano no topo da torre, balançando enquanto Vergil pede para Arkhan espulçar Lady da mesma.
Dante então enfrenta um verme gigante e depois liberta Jester, que o conta como avançar, além de lhe encher o saco.

Missão 5

A missão 5 é marcada com o sangue de um dos monstros formados de sangue, na parede.
Dante continua subindo e enquanto isso, Lady já está bem mais acima, escalando a Torre de forma mais rápida. 


Arkham porém aparece e a empurra da Torre, aos pedidos de Vergil, fazendo com que ela despenque vários andares.

Missão 6

A missão 6 é marcada com a sujeira da bazuka de Lady no chão, após explodir uma horda de demônios.
Dante segura ela, por mera sorte, mas ela atira na cabeça dele, fazendo-o com que ele a solte para a morte.


Porém, ela consegue se salvar fincando sua bazuka na torre... 


E ainda percebe que Dante não pode ser humano, não pelo fato dele ter surfado em um míssil, ou derrubado um cão gigante de três cabeças que cospe gelo, mas sim por ter levado um tiro na cabeça e segurado uma bala com os dentes e ainda permanecer ileso.



Missão 7

A missão 7 é marcada pelo sangue da testa de Dante, que ele passa na parede e escorre.


Dante então chega até o topo da torre...


Enfrenta Vergil...


Perde seu amuleto pra ele... 


 É fincado no chão...


E libera o Devil Trigger... 



Missão 8

A missão 8 é marcada na Lua, vista do topo da Torre, assim que Dante se levanta.
Depois se joga da Torre, atrás de Vergil, que foi até o subsolo.


Só que um monte de passarinhos atacam Dante, e enquanto ele se distrai brincando no ar, Leviatã o engole.

Dante usa o Devil Triger pra derrubar Leviatã e destruir seu coração, fazendo com que ele caia na Torre de Temen-ni-gru. 

Uma das salas dentro de Leviatã é seu globo ocular. É possível ver a torre por ele, quando seu olho abre.

Daí, Dante sai pelos olhos e encontra Lady, com quem conversa e acaba escolhendo um nome pra ela, mas deixa ela pra trás e volta pra dentro da torre.


Missão 9

A missão 9 é marcada em uma das balas que Lady usa.
Dante acaba invadindo a toca de algumas Aracnes e é encurralado por elas...


Mas ele consegue escapar e depois encontra Nevan, com quem é obrigado a lutar para poder prosseguir.

Missão 10

A missão 10 é marcada pelo sangue de Arkham pingando em sua bíblia
Arkham é descartado por Vergil... 


E Lady encontra seu corpo, junto com Dante. 


De inicio, Lady acha que Dante matou ele, e fica brava com ele pois ela queria que ele morresse pelas mãos dela. Depois, Dante explica que não foi ele e prossegue. 


Arkham então da seu último suspiro e mente pra Lady, alegando que ele havia sido possuído por um demônio e forçado a matar sua esposa, e que o responsável por isso foi Vergil, pedindo pra que ela o mate. Lady chora feito bebê e decide matar Vergil a todo custo, para vingar sua família.


Missão 11

A missão 11 é marcada com o sangue de Arkham, que no final da missão aparece sem o corpo, indicando que ele havia se levantado.
Dante chega até o subterrâneo da torre e la, alcança as caudeiras.


Lá, ele encontra Beowulf, com quem é forçado a lutar para prosseguir.


Dante o cega e ele foge, e posteriormente Dante pega o item que precisava para poder descer mais.


Missão 12

A missão 12 é marcada por Jester subindo num tipo de guincho, depois de alertar Dante sobre a esfera sugadora de alma.
Jester aparece e explica que a pedra que Dante acabou de pegar suga a alma daquele que a segura, porém sem ela, ele não conseguiria alcançar seu irmão.


Dante usa o Devil Trigger então...


E corre contra o tempo até chegar à ponte que é ativada com a bola que ele pegou.

Na ponte, ele encontra Geryon, luta brevemente com ele e acaba liberando ele de sua "prisão".


Ambos caem com o desabamento da ponte e lutam por suas vidas.

Dante derrota Geryon, absorve sua alma e prossegue.


Enquanto isso, Vergil é atacado por Beowulf, que o confunde com Dante pelo seu cheiro. Beowolf perde a cabeça e Vergil absorve sua alma.


Missão 13

A missão 13 é marcada ao fundo da sala onde Vergil oferece seu sangue pro ritual.

Vergil então usa os Amuletos de Eva para iniciar o rompimento do Selo de Sparda.



Porém o ritual não se completa e falta algo. Dante então aparece e Vergil deduz que falta o sangue dele também.


Eles se enfrentam e durante a luta, Lady aparece e ataca Vergil.


Todo mundo começa a bater em todo mundo...


E quando todos se enfraquecem pela batalha, Jester aparece e revela seus planos, além de revelar sua verdadeira identidade: Arkham.


Ele derruba os 3 e depois usa a bazuka de Lady para fazê-la sangrar e oferece o sangue dela, junto com o sangue dos filhos de Sparda, para concluir o ritual.


Os três se levantam e mostram que ainda podem lutar...



Mas o ritual já estava completo e Arkham joga todos pra longe, enquanto a Torre se transforma e cresce.


A torre cresce, junta as 7 estátuas que se espalhavam ao longo da estrutura e abre o portal pro inferno onde a espada de Sparda estava.



Missão 14

A missão 14 é marcada com cortes na lateral do concreto da Torre, recém destruído, durante a sua expansão.

Lady decide ir atrás de seu pai e terminar o que ele começou.


Dante também toma essa decisão, e enquanto Lady escala o Temen-ni-gru, Dante seguiria pelo caminho correto: As portas.


Porém no meio do caminho, Dante encontra a moto de Lady e percebe que toda a estrutura da Torre mudou completamente, e decide escalar a torre com auxílio da moto, matando a física completamente.


Dante acaba exagerando na dose e usa a moto de Lady como arma, porém a mesma não suporta e explode, deixando Dante a pé novamente.



Missão 15

A missão 15 é marcada por um ferrinho distorcido na torre.
Enquanto Dante sobe a Torre, Arkham invoca os demônios do pecado e finaliza o ritual, abrindo  o portão do inferno definitivamente.


E o portão se abre, fazendo com que Arkham suba ainda mais.



Missão 16

A missão 16 é marcada pelo fogo de Ebony e Ivory, quando Dante dispara no inicio da missão.
Com o portão aberto, Dante acelera o passo. Porém no caminho ele encontra Lady.


Lady se recusa a permitir que Dante avance e diz que é assunto dela, porém Dante também não aceita as coisas dessa forma e diz que se ela não for permitir, ele passará por cima dela, pois também é assunto dele.


Ambos lutam, e Lady é derrotada, porém ela aproveita pra descansar e pede para que Dante use sua bazuka para matar seu pai em nome dela.


Rola um climinha entre os dois, mas Lady da o fora do Dante.




Missão 17

A missão 17 é marcada com as pedras do local onde a Espada de Sparda estava selada.

Arkham consegue por as mãos na Espada de Sparda e absorve seu poder, se tornando o "novo Sparda".


Dante continua subindo, porém é barrado por um portão de sombra negro...


O qual o leva até Doppelganger, com quem é forçado a lutar para poder escapar e alcançar Arkham.


Após derrubar Doppelganger e absorver sua alma, Dante consegue chegar ao topo da torre e entrar no portal do inferno.


Missão 18

A missão 18 é marcada por um dos pedaços de papel que voa junto com Dante quando ele entra no portal.

Antes de entrar no inferno, Dante passa pela ponte entre os dois mundos. Nela ele supera alguns desafios e avança para o portão.


Dentre os desafios, Dante encontra uma escadaria contendo portas que levam ele para enfrentar os últimos guerreiros mais fortes que ele já enfrentou, que uma vez derrotados, acendiam um dos cristais da porta principal para quando formassem um círculo abrissem o portal, e o caminho se iluminasse.


Após formar o círculo e abrir o portal, Dante consegue avançar.

Recomendo fazer a rota central (verde-branco-azul claro) pois é a mais rápida, tendo de enfrentar apenas Beowulf (branco) Agni&Rudra (verde) e Cerberus (azul claro)
Arkham assume a forma Devil Trigger de Sparda e se prepara pra dominar o mundo enquanto isso.



Missão 19

A missão 19 é marcada no espaço vazio em uma das estantes na biblioteca onde Lady foi derrotada. Nessa parte também é quando Vergil passa por ela, sem falar um único "a".

Dante alcança Arkham, e o mesmo o desafia para um massacre.



Ele de inicio mostra sua forma como Sparda, mas rapidamente perde o controle e se converte num monstro distorcido.



Dante o enfrenta, quando de repente Vergil surge para ajudá-lo.


Ambos derrotam Arkham juntos.

Missão 20

A missão 20 é marcada no céu, no topo da Torre, depois de Lady matar Arkham

Arkham cai no mundo humano, vivo ainda, e Lady o encontra, no topo da torre. Ela atira em sua cabeça e depois chora feito um bebê, porém feliz, por ter se vingado de seu maldito pai.


Vergil e Dante ficam a beira do portão do inferno disputando pela Espada de Sparda e os Amuletos de Eva.


Depois que Vergil é derrotado, ele se joga no inferno com seu Amuleto de Eva.


Dante e Lady se re-unem, depois do portão do inferno fechar...



Começam a caçar juntos e também nomeiam a loja de Dante...


Como "Devil May Cry".


Enquanto isso, Vergil, no inferno...


É recebido por Mundus...


Com quem decide lutar.


E fim.

Antes de concluir, preciso deixar claro que a versão jogável com Vergil é um verdadeiro desperdício de tempo. 

Pior que essa versão até começa legal, tem uma animação original, mostrando como Vergil decidiu invocar o Temen-ni-gru. Mas depois o restante do jogo é pura enrolação.



É exatamente o mesmo jogo que como Dante, porém com Vergil em seu lugar, e sem nenhuma animação. O triste, o mais triste disso, é que é exatamente o mesmo jogo, inclusive, nas partes onde Dante enfrentaria Vergil, Vergil enfrenta Vergil. 

Não é nem o personagem de Dante no lugar, é o próprio Vergil mesmo, com movimentos de Vergil, aparência de Vergil (colorido de vermelho), espada de Vergil, TUDO de Vergil. Pra piorar, quando ele ativa o Devil Trigger, sua cor fica Azul, não Vermelha, ou seja, é Vergil, numa adaptação fajuta. Me lembrou jogos de luta quando os dois jogadores escolhem o mesmo personagem e ele muda a roupa, só a roupa.



Pra completar, ao zerar o jogo, não se ganha nada. Nem mesmo o final de Vergil aparece, aquele em que ele encontra Mundus, ou seja, é apenas uma modificação ridícula e mal feita do jogo original, com Vergil jogável, uma CG inicial original e todas as demais removidas.

Fica o destaque pro final ilógico de Vergil lutando ao lado de Lady contra demônios.



E é isso, espero que tenha curtido. Qualquer coisa eu atualizo o post ou completo ele se achar necessário com o tempo, mas por hora é isso. Comente se quiser, se não quiser nem grila, eu fico feliz só em ter escrito isso aqui. Obrigado pela sua atenção e até a próxima!

53 comentários:

  1. Esse DMC me marcou demais! Tanto na historia, quanto no gameplay.

    Super recomendado, embora hoje em dia os graficos não sejam mais la grande coisa.

    By D. Criador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Malz Dimar, mas agora preciso discordar de você. Os gráficos de DMC3 não mudaram em nada, apenas surgiram gráficos melhores com o tempo... porém veja pela versão em HD por exemplo, da Collection... ficou impecável e no mesmo nível que DMC4, que por sua vez tem gráficos avançado!

      Mas eu entendi o que você quis dizer kkk... de toda forma, vlw por estrear os comentários!

      Excluir
  2. Devil may cry or Devil never cry
    Cool your blog I like

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. So both are right. Technically, Dante calls his shop "Devil May Cry" and "Devil Never Cry" on different occasions. It changes according to their learning in their adventures. Here, the original name is "Devil May Cry" as a reference to "Lady" on Dante, for he wept for her and he was a demon, a devil.

      Get it? Just a little question: Are you the Tuck? Because who usually says he is disguised in english ... he's an old friend of mine, so the question. If not ... Welcome to DM!

      Excluir
  3. parabens pelo trabalho,espero um dia jogar devil my cry origins, contando e mostrando toda historia de sparda e jogando com o mesmo,um combo do senhor pecador pro ce,e parabenis pelo ingreis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai mestre Pecador! Então foi o sr quem comentou em inglês acima?! Faz isso não kkk...

      Daí, um DMC com Sparda protagonizando seria incrivel! Mas pra isso tem de ter uma história definida pra ele, né... afinal, uma vez feito, não poderá ser desfeito, daí tudo que envolve Eva, Dante, Vergil, Sparda e Mundus, alias... tudo que serve de base pra trama de DMC deverá se basear nesse "Origins"... é muita responsa pra um desenvolvedor sozinho não acha? Mas que seria bom, seria, e a Theory tem capacidade de fazer algo decente... eu acho.

      Excluir
    2. num fui eu nao,mal comento em portugues,so zuei,e falando do origins ia se foda,podia ser em mais de um game pra fica bem explicado,tu que domina o mundo da internet podia da a ideia pra theory e se eles gostarem quem sabe nois ganha uma grana,um abraço do pecador,ate breve.

      Excluir
    3. Opa, tranquilo, daqui a pouco to entrando em contato com a Nina ou com o Jez, vai que rola uns conselhos né não! (quem dera eu tivesse se quer existência reconhecida no universo desses caras.)

      Mas a ideia é muito boa cara... eu tava brizando no troninho enquanto refletia... já pensou num "Angel May Cry" mostrando o outro lado da moeda? Tipo, um jogo em que os inimigos fossem anjos, não demonios... seria bem interessante pois incluiria os mesmos no repertório total de DMC. Podia ficar "AmC" que seria um semi referencia ao "DmC" de forma a lembrar aquele esquema do "AC" e "DC" manja... seria beeeem interessante, e tem material pra isso... a versão com a história de Sparda poderia surgir daí também, porque não... enfim.... ideias todos tem. xD... Pensei também num remake decente de Mega Man saga Rock com CGs no inicio e fim das lutas contra os chefões, contendo até história e saca, aquele negócio da absorção de habilidades, estilo dmc mesmo... imagina o Rock com complexo de Dante!!! Cara... eu brizo legal xD

      E sério que não foi tu? Vou ver com meu amigo poliglota... se não foi ele, ou foi alguém sacaneando no anonimato, ou o negócio ta ficando bom hein!

      Excluir
  4. Parabens ai maninho, curti muito a analise, tipo viajei pesado nesse lance de pecados capitais, e tabuleiro de xadrez, dmc 3 e sensassional

    Agora se me permitem brisar com vcs, esse lance de "amc" veio dava pra fz duas historias, uma com sparda e outra com a eva, meu dmc tem mt lenha pra queimar, cara nao entendo essa porra dessa capcom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roteiristas... essa é a falha... mas nem grila, a Theory mostrou ser fiel e genial... os caras vão pensar nisso e fazer um jogo fod4... mas acho que Eva jogável ficaria estranho... o guerreiro da vez era Sparda... sem machismo (ou satanismo, sei la) mas o poradeiro era Sparda e Eva era apenas a mocinha que ele salvava... tecnicamente falando claro... afinal ela morreu lindamente... por culpa dele... enfim...

      Acho que um jogo com Sparda que enraíze de vez a origem da lenda dele, seria estupendo e de certa forma, é essencial pra se dar um ar mais amplo pra saga. Mas por hora, ainda tem o futuro de Dante que ficou em aberto.

      Ah, sei que não tem nada haver e talz... mas eu to lendo a Divina Comédia... pra saca, melhorar minha visão pra interpretação de DMC, afinal, diz a lenda que é inspirado e talz... e cara... curti a narrativa... vou arriscar o poema xD... a leitura é boa e a visão de Dante sobre como o Inferno seria é no mínimo criativa. Eu to até pensando em fazer um book ilustrativo com desenhos meus das passagens do Inferno... mas farei depois que terminar a leitura... falta ver o Purgatório e o Paraíso... mas por hora já to animadão pra desenhar.

      Enfim, eu vi referências de seres de DMC 2 tb... mas por ser um jogo ruim, nem to querendo editar a análise com tal informação... to me segurando pra isso rs... mas uma hora ou outra vou acabar fazendo.

      Ah... e outra coisa que não tem nada haver... eu comecei a análise de MMX8 já... porém to pensando em postar alguma coisa diferente antes dela... to meio receoso de postar ela pois... será a última xD... fica tenso manja... mas pior que eu achei tanta coisa irada pra comentar do X8... tanta coisa... tanta novidade, surpresas, segredos, revelações... tanta... T_T... até encontrei o motivo de terem feito a história paralela e confusa de Sigma... e é um pequeno erro contextual e interpretativo... xD...

      A Capcom vacila ao dar liberdade demais a quem não merece. Ela é tipo... um diretor preguiçoso que assina sem ler os documentos e depois fica reclamando pelos erros. Mas as vezes eles acertam... DmC é a prova!

      Excluir
  5. Te entendo man, vc se comprometeu de postar tanta coisa e em tao pouco tempo e ainda vc tem esse lançe de nao querer q termine, puta vida de nerd e fodah, eu precisaria de pelo menos tres ciclos de vida pra concluir tudo oq eu desejaria fazer, e pelo menos dois desses ciclos seriam para completar jogos de video games rs

    ResponderExcluir
  6. um dos minhas analises favoritas li tudo mas me perdi um pouco na parte que falava que dante e imortal mas qual o real motivo dele ser imortal e por ele ser um nephinlim ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais ou menos. Em DMC, todos os demônios são imortais. Dante mata demônios e talz, mas são tipos inferiores... e tecnicamente eles não "morrem", apenas são destruídos na forma que tomaram e lançados de volta ao inferno, como seres de energia. Em DMC2 isso ficou mais claro com o "Legião", que nada mais era que a energia dos demônios antes destruídos unida em um novo demônio. A diferença de Dante é que ele tem uma forma física fixa, a de um ser humano. Como ele é meio humano e meio demônio, seu lado humano mantém a forma física mesmo se ele for cortado ao meio. Ele se regenera em questão de segundos, pois sua energia demoníaca é completamente ligada ao corpo.

      Repare que todos os demais demônios precisam se personalizar em alguma coisa do mundo humano, do contrário são apenas um aglomerado de energia, praticamente inofensiva.

      Dante é literalmente imortal, por conta disso. Mesmo que seu corpo seja dilacerado, sua energia demoníaca permanece no mesmo, fazendo com que ele se regenere ao invés de "retornar" para o inferno (de onde ele nunca fez parte).

      O fato dele ser um Nephilin (Eu usei esse termo? Tava pensando em usar apenas depois de falar do DmC...) é sim a razão por ele ser imortal. O mesmo vale para seu irmão, Vergil, e seu filho, Nero. Já no caso da Trish, provavelmente ela não é imortal, podendo perder seu corpo uma vez que seja destruída, sendo enviada ao inferno, pois tecnicamente, seu corpo é uma forma gerada por Mundus, logo, a energia dela não é totalmente conectada ao corpo.

      Entendeu?

      Ai, eu tava pensando em fazer uma postagem pra anunciar, mas... como já to pra terminar não acho que valha a pena, mas, enfim: To terminando a análise de Silent Hill Origins, e prometo que falarei muita coisa interessante nela. Provavelmente termino segunda e posto. Logo em seguida estou planejando fazer a de DmC (antes de DMC4, pq eu não peguei as prints do 4 ainda, só do DmC 2013 =/)...

      Acho que é uma boa fazer um anuncio oficial... farei amanhã.

      De toda forma, vlw ai sr Wilker, e espero ter respondido sua dúvida.

      Excluir
  7. Olá Shady! sou viciado em dmc3 até hoje e gostaria de saber se vc pode "matar" 3 curiosidades minha, são elas:
    que palavras a voz fala na tela "mission
    start/customize" , qual idioma as vozes
    femininas cantam na tela options/ divinity
    statue e se a divinity statue seria a lendaria deusa sanguinária egípcia Sekmeth.
    agradeço desde já se vc souber a respectivas informações. até mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chefe, eu não sou do tipo que responde perguntas técnicas rs... mas vamos la... vamos ver se acerto:

      "Life of vengeance, a passive test
      Until the grave I will rest
      Engage the pressure until it crumbles
      The existence of the lifeless black souls"

      É um trecho da música "Devil Never Cry" de um trailer de Devil May Cry 3 (ou algo assim). Justamente esse mesmo trecho da letra é o que é recitado pelas vozes estranhas na "Mission Start". Meu inglês é bem básico então tive de pesquisar pra descobrir isso. Pelo que disseram, é isso que falam... confesso que tentei ouvir tanto a versão normal, quanto a invertida, e te juro que não consegui identificar letra alguma no meio das vozes sussurrantes, mas em pesquisas (principalmente em inglês) a galera mencionou que é perceptível sim, e que é apenas um trecho da dita música, invertida e normal.

      A música que toca no menu de opções (Dark Choir), tem a seguinte letra:

      "Aresimtempuni elay (li)
      Ergot messeni ilse imur
      ila (sa) ire (sole)
      Sio (esi) merne (eh)
      Ergot mesile undri ile
      Ari (si) sim (sim) patem (esi) uni (il) edi
      Ergot (sooo) messe nile
      Lael geni sila (col) semi (sol) tempur (esi)nie
      andi ergot el empti il en"

      Ao que tudo indica, é Latim.

      Sobre a aparência da estátua, vale pesquisar mais a fundo. A mesma figura se padroniza nos demais jogos, e isso me chamou a atenção agora: Porquê uma mulher com cabeça de Leoa segurando uma Ampulheta nos ombros? De fato, "Sekmeth" tem certa semelhança, mas os Egípcios colocavam cabeça de animais em todas suas divindades, então é uma conclusão muito precipitada (de inicio é claro, mas pode ser isso mesmo) Pensando que a deusa em si é na mitologia egípcia a deusa da Guerra, Doenças e Cura, é fácil conecta-la à estátua mercadora, que define quais os estilos e equipamentos que Dante carregará em suas lutas, vende itens para restaurar seu poder e de quebra, usa a alma de demônios (orbs) para se saciar (comercializar). A Ampulheta deve simbolizar o peso do tempo por sobre a deusa, afinal ela parece se esforçar pra segurar a mesma, indicando que Dante não tem muito tempo pra se equipar e etc...

      Bem, é isso. Bem vindo sr William e espero ter... ajudado.

      Excluir
    2. ^^ ajudou e muito, agradeço mais uma vez pela atenção e conclusões das perguntas.

      Excluir
    3. Satisfeito por ajudar. Qualquer coisa to por aqui rs.

      Excluir
  8. Cara muito bom!!!.Comecei a ler essa análise às 20:55 e só terminei agora 21:43!!!!,eu nem vi o tempo passar de tão boa que foi a análise;e olha que essa saga não está nem entre minhas 5 favoritas,belo trabalho meu caro; mais uma vez.
    Posso fazer uma sugestão?
    Ficaria legal se vc colocasse a ficha técnica dos jogos no início do texto,e mais algumas sugestões poderia fazer análise das sagas Onimusha um belo jogo da mesma desenvolvedora de DMC,Max Payne uma saga com uma estória muito triste e um clima "noir" bem característico,Hitman um jogo onde vc é o melhor assassino do mundo criado via experiencia de clonagens de genes dos melhores assassinos vide MGS ao contrário.
    Eu sei que vc trabalha em muitos projetos,mas acabei me viciando em seu blog e não consigo mais parar de ler.
    Abraços Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Repito: Fico animado e surpreso por estar agradando tanto.

      Sobre suas sugestões:

      Uma ficha técnica dos jogos... pode ser útil... mas terei de ver uma forma original de fazer isso.

      Onimusha... sim. Put4 jogaço! E será uma ótima falar do esquema dos Atores Reais usados no jogo... meu deus... eu lembrei... Until Down... eu zerei 3 vezes esse fim de semana na casa dos meus amigos... deus... que fod4... perdão... eu viajei aqui kkk

      Max Payne, nunca joguei. Vou conferir.

      Hitman, muito bom também... mas é um dos jogos do meu irmão. Na minha casa nós dividimos os jogos por membros da família. Meu irmão é quem joga Assassin's Creed e Hitman. Jogos de genero stealth e assassinato na surdina é mais a praia do meu mano. Eu também gosto, mas sou mais hack & slash e action rpg manja. Mas, pra tudo tem uma primeira vez (e na boa, queria falar de Hitman ou Assassin's Creed)

      Bem, espero que continue fazendo boas análises.

      Abraços sr Gabriel!

      Excluir
  9. Cara pra te resumir Max Payne é um policial de NY que teve sua esposa e sua filha de alguns meses brutalmente assassinadas por drogados que usam uma nova droga mortal que se chama "Valquiria" daí ele parte em busca de vingança.
    Esse jogo tem muitas coisas relacionadas ao satanismo por parte de um lider do grupo;muitas coisas loucas só jogando pra vc ver,se vc conseguir aturar os gráficos meio fraquinhos irá gostar muito desse jogo que teve mais duas continuações até agora.
    Abraços Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Gráficos Fraquinhos" é meio desanimador... mas quando o jogo é bom vale a pena enfrentar. Fiz isso com Silent Hill 1, que era todo zoado em gráfico, mas eu adorei a experiência. Eu sou nitendista, então pra mim gráfico nunca é tão importante... mas agora eu só irei jogar jogos antigos se realmente forem fod4s. Max Payne eu já ouvi falar bastante então vou ver... só que o nome me faz imaginar um jogo de Tiro, se for desse gênero, ou Exploração... tenho certeza que não chegarei até o fim. NUNCA finalizei um jogo do gênero FPS ou com elementos do tipo (em excesso). O melhor que já joguei desse estilo foi Dead Space e Bioshock, mas ainda assim, não curto mesmo. Primeira pessoa nunca me agrada em gameplay.

      Bem, é isso sr.

      Excluir
  10. Ah quase que me esqueço jogue Manhunt 1 e 2 é muito bão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manhunt... vou ver como é. Lembrando que pra fazer uma análise decente eu tenho que me apaixonar pelo jogo... vamos ver qual deles me seduz rs.

      Excluir
  11. Cara falando de Max Payne;ele não é FPS ele é no estilo 3º pessoa com elementos de terror poucos mas tem e ele é meio difícil;e dá um pouco de medo porque vc tá sozinho e do nada aparece uns caras de arma de grosso calibre e a estória é muito legal e sombria;dá um clima de solidão é NY contra vc.
    E a respeito de gráficos SH1 não é ruim só envelheceu; porque na época que foi lançado era top,no caso de Max Payne ele foi lançado em 2001 e é só comparar com games lançados no mesmo ano como SH2,MGS 2 e vc verá a diferença.
    Manhunt não sei se vc vai gostar porque se trata de um "simulador de assassinato" e foi considerado o jogo mais violento da história.
    Abraços Gabriel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu lembro de ter começado um ótimo jogo que era um simulador de assassinato e investigação, bem na pinta de um fps que cheguei bem longe... não consigo me lembrar o nome, mas era um jogo de terror com tiro... acho que era FEAR o nome, daí joguei um parecido mas que era na terceira pessoa, que tinha manequins nos locais do assassinato... não me lembro mesmo o nome, mas eu até curti. Se Max Payne é assim, vale mesmo a pena jogar. Manhunt nunca ouvi falar, mas vou conferir também, curto violência rs. Vlw sr.

      Excluir
  12. Não; Max Payne ñ tem nada a ver com assassinato é um shooter em 3° pessoa com elementos de BulletTime tem uma estória pesada e VIOLENTA mas ñ tem nada de simulador.
    Agora Manhunt sim é um "simulador" ele foi feito baseado em um filme snuff,os dois são de ps2 mas deve ter pra PC tambem.Por favor ñ demora muito quero ler logo as suas análises.
    Abraços Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquisei, Max Payne é uma boa... já Manhunt não é meu tipo de jogo. Vou tentar não demorar tanto.

      Excluir
  13. Tem coisa errada aí. Primeiro, Dante não é imortal, ele só tem um alto fator de cura, sendo que ele ia ser morto por mundus no final de dmc, foi salvo por trish. Dois, vergil NÃO É do mal, Leia o mangá a as novels. Ele queria poder justamente para proteger aqueles que ele amava, já que ele se culpava por ter sido incapaz de proteger sua mãe de um ataque de demônios quando criança, isso foi dito no mangá.Ele mesmo diz pro Dante na primeira luta deles em dmc3:'sem poder você não pode proteger nada'.Quarto, mundus MATOU e ESCRAVIZOU o CORPO de Vergil. Tu acha mesmo que ele se aliaria com alguém que matou a mãe dele, que ele amava? Ta maluco? Quarto, Eva não é anjo, isso é coisa do DmC. Na obra original ela foi SEMPRE retratada como humana, não existe nada oficial afirmando que ela é um anjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um é livre pra acreditar e interpretar da forma que deseja, tudo que fiz foi compartilhar minha interpretação. Pra mim, e pra queles que me entenderam, fez sentido e ainda faz. Não enxergo como um "erro".

      Cuidado com suas afirmações, como eu disse em praticamente todos os meus textos, eu desconsidero trabalhos terceiros. As Novels são spin offs não canônicas, feitas por um ou outro da equipe que criou os jogos. Eu rejeito esse trabalho paralelo e considero apenas aquilo que encontrei nos jogos. Dante não morreu em momento algum, em todos os 5 jogos, alias... ele morreu sim, em DMC 3 mesmo, onde sua morte desencadeou um poder ainda maior nele (se é que isso pode ser considerado "morte") então bem, eu não estou me equivocando com tal afirmação.

      Repito, cuidado com suas afirmações: Nada foi explicado ou relatado in-game, então não é real nem oficial.

      Sobre Eva ser ou não um anjo, há relatos oficiais em DmC. E se você desconsidera DmC como parte da franquia "original", tente ler um pouco sobre a tal "originalidade" de DMC e você entenderá meu ponto.

      Bem, eu não quis parecer ignorante nem presunçoso, mas é que eu já vi tantos comentários que repudiaram minhas teorias, não apenas nesse post como em outros, que simplesmente acho bem chato ter de explicar algo que tala, no texto. É apenas minha interpretação, não deixa de ser verdade, pois pra mim é válido, e não se torna um erro, pois pra mim foi coerente.

      Sr... noticias? rs... seja bem vindo e espero que não tenha lhe ofendido.

      Ps.: Você repetiu "quarto" duas vezes.

      Excluir
    2. DmC não faz parte da cronologia mano, é um reboot, é uma coisa totalmente renovada.

      Excluir
    3. Não tem ligação cronológica, já foi explicado isso também. Gostei da sua análise,muito boa, mas nesse sentido do DmC ser um jogo cronólogico está errado, tanto que já foi falado em uma noticia que eles vão voltar com a série antiga, ou seja a original, então esquece essas teorias de conspiracão.

      Excluir
    4. Hei sr Roberto, seja bem vindo ao blog.

      Bem, cada um acredita no que quer, pra mim o jogo encaixou como uma luva na cronologia, e como expliquei, ao meu ponto de vista, faz parte da franquia sim, e tem um forte valor cronológico. Mas repito: Cada um acredita no que quer!

      Excluir
    5. Então sr Roberto, eu não diria que é uma "teoria de conspiração" (eu saquei que foi ironia maaaas...) eu fiz uma análise pra cada jogo, e antes de escrever fiz questão de jogar cada jogo, e de fato analisar pedacinho por pedacinho. Depois ainda me dei ao trabalho de ler muito, mas muito sobre Devil May Cry. Eu conheci uma pa de teorias, vi interpretações diferentes, li muito sobre a pré e pós produção não apenas de DmC, mas de todos os DMCs, e sabe o que eu descobri? Uma grande e enorme "novela pôser". Essa analise, bem como todas as demais, foram feitas por um único jogador, que interpretou e divulgou sua própria opinião e visão do jogo. Eu fiz isso, e eu me orgulho pacas disso... chegando ao ponto de defender minhas ideias a todo custo. Porém, eu entendo que o que disse e redisse não passa de "teorias". Claro que isso não significa que estou errado, ou que estou mentindo, ou apenas me precipitando equivocadamente... na realidade, por conta das pesquisas e do tanto que joguei, li, analisei, observei, fotografei e assisti, posso dizer que estou certo do que disse. Sendo considerado "oficial" ou não, nada que eu disse é ignorante, ou dispensável ou simplesmente: errado. Bem, posso não ser dono da verdade, mas eu procurei pela mesma e tive o trabalho de compartilha-la. Estou satisfeito rs.

      Bem, faça algo que eu recomendo: Contente-se apenas com o que lhe convence. Se não convenceu... se não fez sentido... se não desceu bem... ignora poxa. Se meus textos, por mais bonitinhos que estão, não foram convincentes ou lógicos, ou no mínimo "respeitosos", ignora heh. Nem perca seu tempo buscando por outras teorias se você já está convencido pelo que foi declarado oficialmente... mas... de uma lida sobre a origem de cada DMC, particularmente. Tente buscar sites que divulgaram os jogos na época, sabe, bem no pré lançamento... se vai ficar pasmo com o que vai descobrir sobre como cada joguinho foi "vendido" inicialmente.

      Bem, é isso sr! Valeu por ler, valeu por comentar... apesar de não ter lhe convencido (ninguém vence todas rs) espero que tenha curtido a leitura pra valer!

      See yah! E novamente: Bem vindo sr Roberto!

      Excluir
    6. Exatamente; eu também gostei muito da análise do Morte, ele explicou muito bem sobre os pecados capitais, a lore por trás dos inimigos, acontecimentos, e relações entre os personagens, mas...
      Ele realmente errou feio quando afirmou que Dante é imortal e que Eva é um anjo, e por não ter muito conhecimento além do jogo, deduz que Vergi lé mau só porque é um boss. Ótimo questionamento, noticiasanunciados.

      Excluir
    7. Cada leitor absorve aquilo que é útil.

      Espero que sempre consiga fazer trabalhos que tenham algo a acrescentar, e que minhas partilhas sejam... úteis.

      Eu defendo uma ideia meio boba de só conhecer o que há no jogo, pois acredito que jogos são únicos e devem ser avaliados por si só. Buscar revistas, livros, filmes, séries, hqs ou declarações para mudar ou moldar algo que existe nos jogos pra mim, é injusto.

      Dante é imortal. "Imortal" significa "Aquele que não morre" e Dante não morreu nem mesmo em situações realmente críticas onde teve seus órgãos vitais perfurados. Wolverine é imortal, por exemplo, a menos que algo ou alguém encontre uma forma de burlar sua mutação e destruir qualquer possibilidade de regeneração. Até que isso ocorra, ele é imortal ué... simples assim. Dante já mostrou em todos os cinco jogos que não pode ser morto... então é estupido dizer que ele é mortal. Detalhe: Nada garante que ele possa morrer de velhice, pois nenhum caso como o dele foi mostrado. Tudo em DMC alias é muito simples e novo, nada tem la sua enorme profundidade histórica, pelo menos não no enredo em si. Eu reconheço que os jogos são incríveis, e tem muita história por trás de seus personagens e criaturas, todo uma mitologia... mas... ir além do que está neles é que é errado.

      Eva é um anjo, foi afirmado isso em DmC. Mas eu reconheço que me precipitei. É 1x1 né? Também foi dito que ela é humana em DMC1 então, até que chegue um jogo pra desempatar, não é correto afirmar nada... afinal, DMC é um grande telefone sem fio de demônios e gente estranha. Mas, seguindo todos os fatos e detalhes apresentados até os dias de hoje, Eva foi um anjo outrora mencionada como humana. Como nenhum anjo apareceu de fato até os jogos atuais (DMC, DMC2, DMC3, DMC4, DmC, DMC3SE, DMC4SE) não tem como afirmar ou refutar qualquer afirmativa.

      Por fim, eu não deduzi que Vergil é mau só porque é um boss. Eu expliquei suas motivações, expliquei sua forma de pensar, expliquei sua conexão com o protagonista da série e expliquei tanto seu início quanto seu "fim". E em momento algum eu disse que ele era "mau".

      Vlw pelo comentário n°3000... eu tava ficando louco com os 2999 na caixa de aviso rs. Sr Cofee&Paper Man... bem vindo e por favor não considere meu comentário algo negativo ou ofensivo. Apenas quis responder de forma clara mesmo. See yah.

      Excluir
  14. Mano,Gostei Da análise!!Mais Pq o Dante não ficou com esse estilo zueiro nos outros jogos de Devil May Cry?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Devil May Cry passou por mudanças de jogo pra jogo, como é comum ao criar uma franquia. O primeiro jogo tinha sido um sucesso imprevisto (tecnicamente) enquanto o segundo, que buscou usar praticamente a mesma fórmula, só que melhorada, foi um fracasso. Ao fazerem o terceiro jogo, imagino que queriam dar uma identidade divertida pro terceiro jogo em contradição ao que surgiu no segundo. Acabou funcionando, e tentaram melhorar isso no quarto jogo, porém também tentaram inovar, o que não foi ruim, mas não foi melhor que o terceiro. Tecnicamente, o "Dante Zoera" voltou em DmC, pois foi o que deu certo na fórmula, mas, as criticas mataram qualquer ideia nostálgica do jogo considerando ele como "reboot".

      Resumindo: Demoraram muito pra identificar que o Dante Zueiro era o certo, e hibernaram a franquia.

      De toda forma, eu acredito que as 5 faces de Dante formaram a identidade do jogo, e da franquia, criando assim uma saga bem diversificada.

      Espero ter respondido corretamente Sir WJ. Bem vindo... see yah.

      Excluir
  15. Mano,Gostei Da análise!!Mais Pq o Dante não ficou com esse estilo zueiro nos outros jogos de Devil May Cry?

    ResponderExcluir
  16. Olá Sr. Morte, eu li essa análise e as outras 4 da saga DMC também, e sinceramente, estou lendo de novo, de tão boas que ficaram.
    Queria apenas citar um ou dois "erros" nessa análise do DMC3 (não posso considerar a opinião de outra pessoa um erro, afinal cada um tem uma certa visão sobre um personagem ou inimigo do jogo, por isso as aspas), mas aí vai a minha opinião:
    Ao meu ver, o Vergil não queria poder apenas por ganância ou coisa do tipo, ele simplesmente queria proteger aqueles que amava, já que ele perdeu seus pais (como o Dante) quando era pequeno, e o único membro da família dele que ele amava, apesar das rivalidades, é o Dante (tanto é que na luta final, quando eles vão dar o ataque final um no outro, o Vergil não tenta acertar o Dante, é muito perceptível que ele levanta a force Edge bem pra cima enquanto o Dante não perdoa e da uma espadada nele). Enfim, outra coisa, não considero o Vergil alguém do "mal", pois ele e o Dante são apenas duas pessoas (ou demônios, ou os dois rsrs) com ideais diferentes, e como eu tinha dito, o Vergil quer poder apenas para proteger aqueles que ama, claro, ele é bem arrogante, mas não acredito que ele possa ser considerado estúpido ou egoísta por apenas ter esse ideal (apesar da forma que ele tentou realizar seu objetivo).
    E agora queria agradecer, pois apesar dessas pequenas "falhas" (aspas de novo), é extremamente difícil achar algo brasileiro envolvendo DMC (a maioria dos conteúdos de Devil May Cry 3 pra baixo são conteúdos americanos, e é difícil achar qualquer tópico ou blog em português), e uma análise em um nível desse é muito significativa, então queria agradecer por disponibilizar isso para nós. Então, obrigado por ler até aqui, e desejo sorte nos próximos conteúdos (não dependa dela, você tem muito talento, então abuse deles rs). Um abraço e até a próxima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoo, sr Lucas ou sr Nunes... os dois nomes são interessantes... hoo... bem, sr "Lunes" (foi mal, enquanto não me decido vou fundi-los rs) eu que devo agradecer por suas palavras.

      Bem, eu concordo contigo sobre as motivações e real personalidade de Vergil, e eu confesso que julguei o personagem mal (eu tenho minhas revoltas pessoais contra Vergil... culpa de muitas rixas e debates que envolveram o nome do pobre infeliz... daí eu sempre olho ele pelo lado negativo... o que é um erro mesmo). Sua defesa para Vergil é convincente e ponderada, então preciso concordar... apesar de ainda não conseguir aceitar certas atitudes dele, eu entendo que ele tem seus motivos...

      Sr "Lunes", obrigado... tipo... muito. Você leu, você entendeu, você comentou e dividiu sua experiência comigo, localizando e ressaltando um erro, e tipo... eu agradeço, e garanto que irei continuar digitando enquanto me restarem ideias. Eu concordo que materiais nacionais são escassos, não só em qualidade mas em compromisso e, não custa nada disponibilizar ideias, teorias e interpretações para que outros encontrem, partilhem e discutam. Eu, to bem feliz pelo sr ter achado meu blog e ainda mais feliz por ter curtido.

      Espero que meus textos continuem agradando e alcancem cada vez mais pessoas como o sr.

      É isso... see yah... e uma hora ou outra eu me decido... sr "Lunes".

      Excluir
  17. Heyy, olá de novo. Fico feliz que tenha aceitado minha opinião. E sobre o Vergil, no começo eu também era assim, só que minha rixa por ele era por ter perdido demais pra ele, então eu não sabia se ficava irritado ou impressionado com o estilo dele. Até que percebi que tenho muitas semelhanças com ele (claro que não vou sair cortando coisas falando "Die" e "Rest In Peace" rsrsrs). E como DMC é minha saga preferida, ainda tenho esperanças de sair um ano que vem, se seguir o padrão de lançamento dos jogos da saga (de 3 a 4 anos), e gostaria muito se esclarecessem coisas como a história de Sparda e Eva (afinal, uma dúvida que vem desde o DMC1, ela é humana ou um anjo? Claro, todos podem tirar suas conclusões, mas seriam só hipóteses, afinal, só vindo da Capcom ou da Ninja Theory pra ser algo oficial). Enfim, amanhã tenho um longo dia, então vou me retirando agora, aqui é o Sr. Lunes dizendo hasta luego (referências)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Sr Lunes (se autorizou então, ficou!)...

      Bem, eu também espero que saia um DMC novo (sem ser remasterizações) e tipo, sabe o que seria bem louco? Um DMC onde o protagonista fosse Sparda, o próprio, na sua época de rebeldão. Só assim pra verdadeira natureza dele e sua amada ser mostrada. E tipo, na minha opinião, renderia um ótimo jogo, que talvez até daria uma revigorada na saga.

      Tudo o que espero é que no caso de jogo novo, não saia com exclusividade... porque isso ferra o bolso (haja consoles kkk).

      Sr Lunes... bom descanso e hasta luego (não tenho cultura... referências?!)

      Excluir
    2. Wow, eu tinha a mesma opinião sobre um novo DMC envolvendo a história de Sparda, mostrando a sua trajetória e como ele conseguiu trancar os demônios na Temen-Ni-Gru e selar os outros no inferno, do jeito mais overpower dele. Só que teriam que acertar a história em cheio, porque afinal, é do Legendário Cavaleiro Negro Sparda que estamos falando, então ficaria muito complicado eles criarem uma certa história sobre ele e depois começarem a remodelar a cada jogo essa história.
      E com exclusividade? A Capcom fazendo isso? Ela não seria louca rsrsrs. Mas bem, é muito difícil a Capcom produzir um jogo dela de grande porte como Devil May Cry apenas para um console, sem contar que reduziria e muito as vendas (e dizem que ela não ficou satisfeita com as vendas do DMC 4 Special Edition). E esperar que isso venha da Ninja Theory é até possível, afinal ela já produziu um jogo hack'n slash exclusivo pro PS3, mas não acredito que vá fazer isso com a saga DMC.
      Ah, e Sr. Shady (vou começar a lhe chamar assim rsrs), não sei se o Sr. viu um suposto jogo do Devil May Cry sendo produzido para Android, onde o personagem seria o Vergil. Já tem até umas gameplays no youtube.
      Ah, e sobre o hasta luego, não era nada de mais, nem esquenta. Até mais então, Sr. Shady rs.

      Excluir
    3. Mano, se quiserem da pra fazer uma história incrivel de transformação, superação e rebelião. Já jogou ou leu a analise sobre "Darksiders"? Tipo, podiam fazer algo que comece mostrando o mal pelo mal, a perspectiva de Sparda como demônio mesmo, e aos poucos se envolvendo com Eva e mudando sua forma de pensar e agir. Tipo, ele escolhendo o "amor proibido" e defendendo a humanidade contra aqueles que ficaram ao lado dele no inicio... seria irado, conflitante, e faria muitos fans pensarem se o que ele fez foi realmente certo ou errado, pois as duas perspectivas seriam mostradas... sei la, eu piraria em ver um jogo em que o vilão se torna mocinho... e ver a transformação de Sparda poxa, o Supremudo Overpower Legendário Cavaleiro Negro From Hell Sparda! Capcom precisa pensar nisso... rs...

      Sr Lunes, nunca se sabe poxa... nesse mundo capitalista podem surgir contratos de exclusividade pra grandes títulos justamente pra compensar supostos gastos. Se a Capcom ganhasse uma parcela das vendas de algum console novo com seu título exclusivo, isso compensaria tamanha asneira. Como você mesmo lembrou, o DMC 4 maquiado já num agradou em vendas (também pudera né!) então, tudo é possível... só espero que saia pra PC... no mínimo rs.

      Não precisa de tanta formalidade sr, mas beleza rs. Sobre o DMC de Celular com Vergil protagonizando... é aquele do trailer que mostra uma garota de cabelos claros com aspecto diabólico?! Tipo, é uma animação muito bem feita mas não tem cada de "nova geração" e... tenho minhas dúvidas... então mesmo se lançar um jogo, aquela skin de Vergil não tem como se enquadrar bem em nenhuma história que não seja, no mínimo, paralela.

      De toda forma, acredito que seja fake pois a qualidade da animação é péssima. Ela é bonita, bem feita, mas não é fiel a saga. Vergil entrando num santuário pra pegar um calice amaldiçoado com a forma de uma mulher demoníaca e depois enfrentando um soldado demoniaco gigante?! Eu até imaginaria Dante fazendo isso... Vergil não. Não consigo ver uma história que se encaixe nesse trailer mas... mesmo assim, ficou estranho. Me lembrou o trailer de American Mcgee Alice 2, o fan-make, que era bizarro, era assustador, era curioso, era em stop motion, mas era só algo feito por um fan. Quando saiu Madness Returns, num tinha nada haver com o trailer do fan...

      Ainda assim, ficou legal... não é o que eu esperaria de um DMC novo, mesmo pra android... mas ficou legal e bem, mesmo se sair um spin off ou indie, pode valer a pena jogar (desde que não tentem validar histórias sem pé nem cabeça que agradaram a maça.... tipo pais reais saca).

      Bem, hasta luego Sr Lunes.

      Excluir
    4. Realmente, vamos torcer por um Devil May Cry digno de abordar esse nome, e sim, seria muito legal mostrar como ele passou de um vilão a um herói, enfrentando antigos aliados que se tornariam seus futuros inimigos, envolvendo ação, aventura, suspense e até mesmo romance. E sobre o suposto DMC pra Android, ainda não podemos saber se é fake ou não, e só nos resta esperar para descobrir.
      Então, vou me despedindo aqui, vou continuar lendo as suas outras análises, e adoraria futuramente experimentar ler uma análise sua sobre o nosso tão esperado DMC.
      So, farewell, Sr. Shady.

      Excluir
    5. Se esse dia chegar eu ficarei muito feliz.

      Bem sr Lunes, see you later.

      Excluir
  18. Nossa, joguei esse jogo a primeira vez no PS2 TIJOLO do meu tio, uns 10 anos atras. Depois comprei um PS2, serei varias vezes. E hoje tenho ele no PC, e ja joguei mais de 100 horas com certeza nele.
    É um dos melhores Hacks 'slash que eu ja joguei. Os combos,as armas, os estilos,etc. Jogo extremamente viciante e gostoso de se jogar.
    Só a CAPCOM pra fazer uma belezura dessa.
    Boa analise.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando escuto "Hack&Slash" a primeira coisa que penso é DMC3. Foi o primeiro espanqueira que já joguei, e ele é tão daora, tão impossível, tão difícil, tão memorável. Foi também um dos primeiros jogos que vi no PS2, e eu só tive acesso ao PS2 na casa de amigos. Infelizmente, quando peguei pra PC ele não rodou bem, mas ainda assim eu o zerei várias vezes.

      Capcom precisa voltar a se dedicar ao seus jogos...

      Bem... eu fiquei orgulhoso dessa análise. Fico feliz por ter curtido.

      Excluir
  19. Bom só uma coisa que eu gostaria de saber se à alguma coisa concreta nos jogos que prova que a mãe de dante era um anjo ou tinha alma de um, ou seja-la o que for, pq isto provaria que este lance de anjo e demonio vem do primeiro DMC e não do Reboot.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca houve qualquer prova concreta em nenhum dmc de que Eva é anjo, ou humana. Mesmo em DmC, são meras histórias e uma descrição da personagem. Só nos é possível teorizar, bem como os personagens do universo dmc fazem. No DmC, Eva é descrita como "anjo" e em DMC1, é descrita como "humana". Porém, Eva nunca nem se quer apareceu na história, sendo todas suas descrições mera parte da mitologia presente na franquia.

      Eva, na minha opinião, é um anjo. Pois o mais próximo de sua realidade é essa, já que ela é vista em DmC (por memórias, mas é). Ainda assim, seu aspecto reluzente pode significar mera purificação... E o esquema dos Nephilins também se enquadra enas três possibilidades de mistura racial: Anjo+Humano, Demônio+Humano e Anjo+Demônio.

      Mas repito, eu acredito que ela seja mesmo um anjo, que se passou por humano por um longo tempo, ou uma humana possuída por um anjo.

      A única prova que poderia haver seria se fizessem um jogo de Sparda. Pois só pelas histórias, não da pra acreditar em nada.

      Excluir
  20. Pra mim foi o melhor jogo da franquia(só falta eu jogar o DmC agora, o foda vai ser achar por aqui)e outra vez, fez uma análise muito bem detalhada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw sr Vergil, eu me lembro quando digitei esse texto, eu tava empolgado pra caramba, porque o jogo é bom pra caramba. DMC3 eh o melhor da franquia (eu amo DmC, mas ainda acho DMC3 melhor) e bem, fico feliz por ter lido e curtido sr.

      See yah!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores do Google+